Política e políticos



Traição não rima com perdão

Cláudio Humberto
Na campanha presidencial de 1950, Getúlio Vargas recebeu a adesão de muita gente, inclusive antigos rivais, como um velho desafeto de São Leopoldo (RS), que também aderiu ao seu PTB. Logo após a eleição, Getúlio mandou chamar o adesista, para perpetrar a sua vingança:

- Em 45 o senhor assinou um manifesto contra mim. A política vive da traição, mas liquida os traidores. Raspe-se do meu partido!
E deu por encerrada a conversa.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Manchetes do dia

Opinião