Postagens

Mostrando postagens de Julho 27, 2014

Dominique

Imagem

Opinião

Os abutres do bem

Guilherme Fiuza, O Globo
Lula da Silva pediu a cabeça de uma funcionária do Santander. O banco entregou-lhe a cabeça dela. Era uma funcionária abutre, dessas que atacam os cordeirinhos socialistas, escrevendo coisas desagradáveis sobre o governo popular. Como ousa essa agente do capitalismo selvagem dizer que a queda de Dilma Rousseff nas pesquisas eleitorais anima o mercado?

É bem verdade que a queda de Dilma nas pesquisas anima o mercado, mas... precisava dizer isso para todo mundo? A analista do Santander não poderia ser mais discreta com seus clientes? Não dava pelo menos para falar mais baixo? Ou mudar de assunto?

Não dá para entender por que esses analistas de conjuntura insistem em falar de coisa triste. Em vez desses boletins sisudos e cinzentos, poderiam mandar mensagens coloridas e alegres, prevendo um PIB maravilhoso e garantindo que a inflação está quietinha no seu canto. Se o ministro da Fazenda faz isso, por que um banco não pode fazer? São mesmo uns pessim…

U.V.

Imagem

Manchetes do dia

Sábado, 02 / 08 / 2014

O Globo
"O nó do crescimento: Produção da indústria cai em 21 de 26 setores"

O maior impacto veio do ramo de veículos, que recuou 36,3% em um ano.

Desempenho industrial brasileiro teve retração de 6,9% em relação a junho de 2013, informa o IBGE. Na área de bens de capital, importante indicador de investimentos no país, o tombo foi de 21,1%.

A produção industrial brasileira caiu 6,9% em junho, sobre o mesmo mês de 2013. Dos 26 setores pesquisados pelo IBGE, 21 tiveram retração nesse período. O tombo na indústria de bens duráveis, que soma veículos, eletrodomésticos e móveis, chegou a 34,3%. A produção de bens de capital, que representa investimentos diretos na indústria, recuou 21,1% sobre junho de 2013 e 9,7% em relação a maio deste ano. Essa trava nos investimentos deve ter um peso negativo no PIB, avaliam especialistas.

Folha de S. Paulo
"Carros puxam pior queda da indústria em 5 anos"

Produção industrial cai 7% em junho; montadoras já afastam trab…

Pintura metálica

Imagem

Coluna do Celsinho

Passividade

Celso de Almeida Jr.

O garoto que enfiou a mão na jaula de um tigre num zoológico em Cascavel, Paraná, teve o braço direito amputado, dada a gravidade do ferimento causado pelo ataque do animal estressado.

As imagens do menino de 11 anos, brincando em área proibida,  provam que a tragédia poderia ser evitada.

A criança não contou com o pai, nem com funcionários do zoo ou com quem gravava as imagens com celular.

Soube que algumas testemunhas alertaram o pai e o menino.

Mas não estou falando de palavras.

Refiro-me a atitudes.

É incrível, mas só assistiram as cenas preliminares daquele previsível desastre.

E não agiram.

Não agarraram a criança, salvando-a do pior.

Nesta história, há uma criança mal orientada e um tigre feroz.

E, infelizmente, adultos atônitos, irresponsáveis e passivos.

Não custa refletir:

Esta é a postura padrão de nossa sociedade para as outras histórias de nosso cotidiano?

Visite: www.letrasdocelso.blogspot.com

Twitter

Dominique

Imagem

Opinião

O aço que nos tempera

Fernando Gabeira
O relatório sobre a queda do viaduto em Belo Horizonte apontou a causa: a viga de sustentação tinha só 1/10 do aço necessário para conter o peso da estrutura. Stalin chamava-se o homem de aço. Romances populares editados pelos partidos comunistas da época celebravam os bolcheviques de aço, entre eles um aviador que perdeu as pernas e continuou combatendo. No universo ocidental, mais crítico, o aço é integrado ao corpo humano na figura de um herói infantil, o Super-homem. Não tenho nada contra a fusão do corpo com o metal. O titânio tem ajudado muita gente a se mover normalmente: é uma boa presença. Felizmente, não trabalhamos com essa mitologia de corpos de aço. Mas pelo menos o aço de nossas construções deveria ser o suficiente para mantê-las de pé.

Para onde foram os 90% do aço? É uma pergunta pertinente, pois só assim entenderíamos melhor o desabamento, para além do laudo técnico. Ausência do aço necessário, camuflada em misturas de areia e cimen…

U.V.

Imagem

Manchetes do dia

Sexta-feira, 01 / 08 / 2014

O Globo
"Israel e Hamas aceitam cessar-fogo por 72 horas"

Anúncio foi feito após críticas mais fortes dos EUA por ataque a escola

Após 24 dias de intensos confrontos na Faixa de Gaza e mais de 1.400 mortos, Israel e o grupo radical palestino Hamas concordaram com um cessar-fogo humanitário de 72 horas. A trégua, em vigor a partir das 8h de hoje (horário local), foi anunciada pelo secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, e pelo secretário de Estado americano, John Kerry. Os EUA também intensificaram suas críticas ao bombardeio de Gaza, e a Casa Branca chamou de "totalmente inaceitável e indefensável" o ataque a uma escola da ONU que deixou cerca de 20 mortos no dia anterior. Ontem, mais 60 palestinos morreram antes do anúncio da trégua.

Folha de S. Paulo
"Ação de SP na crise da água equivale a racionamento"

Entre as medidas da gestão Alckmin, está a diminuição da pressão hídrica

Diante da crise de abastecimento de água na Grande SP, medida…

Dominique

Imagem

Opinião

De costas para a realidade

O ESTADO DE S.PAULO
O Brasil estaria bem melhor, com maior crescimento, inflação menor, exportações bombando e contas públicas mais sólidas, se o ministro da Fazenda, Guido Mantega, reconhecesse os problemas e gastasse menos tempo negando fatos bem conhecidos por qualquer pessoa razoavelmente informada. Ele se envolveu em mais uma batalha desse tipo, nesta semana, em mais um esforço inútil para contestar avaliações apresentadas em relatórios do Fundo Monetário Internacional (FMI). No primeiro documento, sobre efeitos colaterais de mudanças na política dos países mais importantes, o Brasil é incluído na lista dos sete emergentes mais vulneráveis. Os outros são Rússia, Turquia, Indonésia, Índia, Argentina e África do Sul. No segundo, a situação das contas externas brasileiras é apresentada como "moderadamente frágil", com risco de rápida piora, em caso de forte desvalorização dos produtos básicos.

Segundo o ministro, o FMI repetiu, no primeiro estudo, u…

U.V.

Imagem

Manchetes do dia

Quinta-feira, 31 / 07 / 2014

O Globo
"Argentina entra em situação de calote"

Sem conseguir acordo com 'abutres', país ainda tenta negociação

Para socorrer o governo Cristina Kirchner, bancos privados buscam comprar dos fundos os papéis que exigem pagamento imediato de US$ 1,5 bilhão

A Argentina entrou em calote seletivo ontem ao não conseguir acordo com os "fundos abutres" e deixar de pagar juros a outros credores que aceitaram a reestruturação da dívida do país. O mediador entre o governo Cristina Kirchner e os credores soltou comunicado falando em calote.

Folha de S. Paulo
"Prazo para calote vence, e Argentina não fecha acordo"

Tentativa de negociação com credores fracassa; agência rebaixa nota do país

O ministro da Economia da Argentina, Axel Kicillof, afirmou que os fundos com quem o país está em litígio na Justiça dos EUA rejeitaram a proposta do governo de renegociação da dívida. Na reunião em Nova York, também foi negado o pedido de prorrogação da n…

Dominique

Imagem

Opinião

Negócios e ideologia juntos contra ortografia

José Nêumanne
Está nas mãos do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Fux uma ação direta de inconstitucionalidade (Adin) em que sociedades civis de arrecadação de direitos autorais contestam a Lei 11.832, que, na opinião delas, autoriza o Estado a intervir numa atividade que é de exclusivo interesse privado. Antes de a Adin chegar a Fux, o presidente da Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado Federal, Cyro Miranda (PSDB-GO), foi autorizado a criar um grupo de trabalho para apresentar uma proposta de aperfeiçoamento dos Acordos Ortográficos vigentes. De fato, são dois, pois a presidente Dilma Rousseff adiou a adoção do Acordo Ortográfico de Lisboa, assinado em 1990, do ano anteriormente previsto, 2013, para 2018, e permitindo que também se escreva da forma como se escrevia antes.

Paulista de São José do Rio Preto, o senador, empresário e ex-dirigente de Associações Comerciais, entrou na política seguindo no PL o ministro Gu…

U.V.

Imagem

Manchetes do dia

Quarta-feira, 30 / 07 / 2014

O Globo
"Bancos farão análises mais conservadoras"

Instituições financeiras já temem sofrer represálias do Planalto

Funcionária foi demitida após ser responsabilizada pelo envio, a 40 mil correntistas, de documento que associava a subida de Dilma nas pesquisas eleitorais à queda da Bolsa

Após a forte reação do governo à análise que o Santander distribuiu para clientes de que as bolsas poderão cair e o dólar subir se a presidente Dilma melhorar nas pesquisas eleitorais, bancos e corretoras decidiram ser mais cautelosos na elaboração desses relatórios. As instituições temem sofrer retaliações do governo, segundo analistas. A avaliação do mercado foi que o banco espanhol errou no tom ao dar a impressão de que era uma opinião política e não uma análise técnica de conjuntura, mas o Planalto, afirmam analistas, teve reação exagerada e tentou tirar proveito político do caso. O Santander demitiu uma funcionária por causa do episódio.

Folha de S. Paulo
"Rús…

Dominique

Imagem

Opinião

Ter carro já é quase um crime

O ESTADO DE S.PAULO
A cruzada da Prefeitura de São Paulo contra os motoristas de carro parece não ter fim. A última estocada da gestão do petista Fernando Haddad foi o aumento de 67% no preço dos cartões para estacionar nas vagas da Zona Azul. O porcentual é duas vezes superior à inflação registrada desde outubro de 2009, quando houve o último reajuste. A partir de 1.º de agosto, o preço oficial da folha avulsa, válida para uma hora de estacionamento, passará de R$ 3 para R$ 5. O talão com 10 folhas subirá de R$ 28 para R$ 45.

Esses são os preços cobrados por revendedores autorizados, que são raros na cidade. O mais comum é conseguir comprar na mão de flanelinhas, que vendem cartões de Zona Azul por até seis vezes o valor oficial, uma extorsão que raramente sofre algum tipo de repressão.

O reajuste da Zona Azul muito superior à inflação indica que não se trata apenas de uma recomposição de preço, como deveria ser, e, sim, de uma política deliberada para deses…

U.V.

Imagem

Manchetes do dia

Terça-feira, 29 / 07 / 2014

O Globo
"Aéreas terão subsídio para operar rotas já existentes"

Medida do governo deve beneficiar cem linhas rentáveis

Subvenção pode somar R$ 1 bilhão por ano. Haverá também investimento público em 270 aeroportos de cidades menores

O programa criado pelo governo para incentivar a aviação regional, publicado no Diário Oficial da União ontem, um ano e meio após ser anunciado, prevê subsídios a empresas aéreas para que operem novas rotas, mas abre espaço para incentivos também a linhas existentes entre capital e cidades do interior. Mais de cem rotas já rentáveis serão beneficiadas, segundo fontes do governo. O programa ainda precisa ser regulamentado, mas o valor da subvenção deve chegar a R$ 1 bilhão por ano. Há previsão de investimentos em 270 aeroportos regionais. 

Folha de S. Paulo
"Economia é alvo do mesmo pessimismo pré-Copa, diz Dilma"

Em sabatina, presidente afirma que repetição do clima que antecedeu ao Mundial é 'especulação contra …

Dominique

Imagem

Opinião

O socorro de Lula a Dilma

O ESTADO DE S.PAULO
Foi necessário que o ex-presidente Luiz Inácio da Silva entrasse em campo para evitar que a presidente Dilma Rousseff fosse incluída pelo Tribunal de Contas da União (TCU) entre os responsáveis pela desastrosa compra da Refinaria de Pasadena, no Texas, pela Petrobrás. Sem a intervenção pessoal de Lula, Dilma teria de lidar na campanha eleitoral com o fato de não ter impedido a realização de uma das transações mais lesivas aos cofres públicos na história da Petrobrás. Para quem já enfrenta queda de popularidade e críticas cada vez mais pesadas pela condução ruinosa da economia nacional, ser ademais tachada de inepta na administração dos negócios da mais emblemática empresa estatal do País certamente traria prejuízos incalculáveis à sua candidatura. Por isso, Lula não titubeou.

Dois dias antes de o assunto sobre a refinaria entrar na pauta do TCU, Lula recebeu José Múcio Monteiro, ministro do tribunal, em São Paulo. Múcio foi ministro de Relaçõ…

U.V.

Imagem

Manchetes do dia

Segunda-feira, 28 / 07 / 2014

O Globo
"Incentivo a carros teve impacto de 0,02% no PIB"

Renúncia fiscal

Desoneração de R$ 8,3 bi também estimulou pouco o emprego

Estudo mostra que redução de imposto gerou alta anual de apenas 0,04% na criação de vagas. Para montadoras, vendas subiram com IPI menor

Apontada pelo governo como uma estratégia para impulsionar o crescimento da economia, a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para as montadoras teve efeito muito pequeno na expansão do PIB - apenas 0,02% ao ano. Na criação de postos de trabalho, o impacto anual foi de 0,04%. Estudo de professores da Universidade Federal do Paraná (UFPR) mostra que o setor automotivo recebeu desoneração de R$ 8,3 bilhões, 53,4% do total concedido entre 2010 e 2014. Para Anfavea, imposto menor elevou vendas. 

Folha de S. Paulo
"Anac demora 6 anos para julgar queixa de passageiro"

Agência de aviação atribui prazo a trâmite rigoroso; há 6 julgadores para 3.815 casos

A Agência Nacion…

Dominique

Imagem

Opinião

A ortografia no Senado

O ESTADO DE S.PAULO
Desde 2009, o Brasil convive com uma situação anômala: possui duas normas ortográficas. De janeiro de 2009 a dezembro de 2015, o País está oficialmente num período de transição, no qual coexistem a norma antiga e a nova, estabelecida pelo Acordo Ortográfico de Lisboa, assinado em 1990. Para complicar a situação, há atualmente um grupo de trabalho no Senado que quer mudar o acordo, com a intenção de definir um "idioma claro e acessível a todos". Sem uma proposta definida e descumprindo os caminhos legais previstos, a atuação desse grupo é motivo de preocupação. Com a língua não se brinca.

O Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa foi assinado pela Academia das Ciências de Lisboa e pela Academia Brasileira de Letras (ABL), além das delegações de Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe. Posteriormente, cada país o ratificou internamente. No Brasil, o Congresso Nacional o aprovou em abril de 1995, e a sua regulam…

U.V.

Imagem

Manchetes do dia

Domingo, 27 / 07 / 2014

Correio Braziliense
"O segredo de emagrecer sem perder a saúde"

Técnicas buscam equilíbrio emocional e dispersam dietas agressivas

Mente sã, corpo são. O preceito da Antiguidade ganha uma nova interpretação no século 21. Especialistas ouvidos pelo Correio defendem uma abordagem holística para a redução de peso. Mais do que restringir alimentos, é preciso normalizar a relação emocional com a comida e estabelecer uma mudança de hábitos. “Aprendi a controlar a ansiedade. Passei a observar o papel que a comida tem na minha vida”, conta o servidor Jorge de França Júnior, 37 anos. Em abril do ano passado, ele pesava 140kg. Perdeu 55kg. Há seis meses, mantém o marcador da balança em 85kg.

Folha de S. Paulo
"Servidores da prefeitura dão expediente na sede do PP"

Folha flagra 5 nomeadas na Cohab em tarefas do partido; órgão demite 1 deles

Funcionários públicos da Cohab, órgão da Prefeitura de São Paulo responsável por construir casas populares, foram flagrad…