Postagens

Mostrando postagens de Junho 12, 2016

Física

Imagem

Opinião

Lava Jato ameaçada

Alexandre Schwartsman
Uma ameaça ronda a Lava Jato. Ela não vem dos suspeitos de sempre, que são os políticos de Brasília, mas do próprio STF. A corte iria rediscutir na semana que vem, agora com efeito vinculante, se a decisão que tomou em fevereiro de permitir que réus sejam presos a partir de uma condenação em segunda instância continuará a valer.

O zunzunzum é o de que alguns ministros que votaram pela alteração poderiam mudar de ideia, o que faria com que voltasse a valer a regra de que a prisão só começa após o trânsito em julgado, isto é, até que não haja mais a possibilidade de recurso.

O prejuízo mais visível de uma eventual reversão da jurisprudência é para a Lava Jato. A possibilidade de ser preso logo após a condenação pelo TRF (e não mais pelo STF), ao estreitar os limites temporais da escala das décadas para a de um par de anos, deu enorme impulso às delações premiadas. Sem essa perspectiva de desfecho rápido, aumenta a tentação dos envolvidos de manter a …

U.V.

Imagem

Manchetes do dia

Sábado 18 / 06 / 2016

O Globo
"Janot pede investigação sobre mais um ministro de Temer"

Mendonça Filho, da Educação, é acusado de receber propina de empreiteira

Presidente interino faz reunião com Geddel e Padilha e determina que integrantes do primeiro escalão se demitam caso tenham qualquer envolvimento com a Lava-Jato, para evitar novos constrangimentos ao governo

Depois das demissões de Romero Jucá e Henrique Alves, mais um ministro de Temer está sob investigação da Lava- Jato: Mendonça Filho (DEMPE), da Educação. O procurador- geral da República, Rodrigo Janot, pediu autorização ao STF para apurar se Mendonça recebeu propina de R$ 100 mil da empreiteira UTC, em 2014. O presidente interino, Michel Temer, determinou que todo ministro que tiver envolvimento com irregularidades deve pedir demissão do governo.

Folha de S.Paulo
"A 49 dias da Olimpíada, Rio decreta calamidade pública"

Medida abre brecha para socorro federal, que avalizou medida, de R$ 2,9 bi
A 49 dias dos Jog…

Bombardier CRJ1000

Imagem

Coluna do Celsinho

Só rindo

Celso de Almeida Jr.

Manchete em jornal do Rio de Janeiro:

"Diminui a criminalidade. Anão é preso por tráfico."

Genial, né?

Impressionante o senso de humor de nossa gente.

Cá entre nós...

Temos escolha?

Rir é o melhor remédio?

O que vem depois da graça?

Nesse mês de junho, quando soube que prenderam o "Japonês da Federal", não controlei a gargalhada.

Em seguida, porém, pensei:

Como a Polícia Federal permitiu que um membro acusado de corrupção se transformasse em ícone da moralidade?

Ninguém refletiu sobre o estrago que fatos dessa natureza causariam na instituição?

E, pior ainda, na imagem do país?

Pois é...

Com tal constatação, lembrei-me do provérbio português:

"Quem ri hoje, chora amanhã."

Não gostei.

De português, prefiro as piadas...

Visite: www.letrasdocelso.blogspot.com

Física

Imagem

Opinião

Os responsáveis de Orlando

Contardo Calligaris
Na madrugada de domingo passado, um homem de 29 anos entrou na Pulse, uma boate de Orlando, Flórida, frequentada principalmente por lésbicas, gays, bissexuais e transexuais.

Armado de uma pistola 9 mm e de um fuzil semiautomático, ele matou 49 pessoas e feriu 53, algumas das quais ainda estão por um fio.

Enquanto ele estava na boate, das 2h às 5h (momento da irrupção das forças da ordem), o assassino, de religião muçulmana, ligou para a polícia para se declarar "soldado" do Exército Islâmico.

Se o assassino fosse "apenas" um terrorista islâmico, a gente poderia parar por aqui: 1) lamentar que seja fácil, na Flórida, adquirir um rifle e 2) constatar que o terrorista escolheu um alvo apropriado –se seu ódio for pelo Ocidente moderno, ele atacou mesmo uma das conquistas mais expressivas de nossa cultura: a liberdade de seguir e praticar nossa orientação sexual.

Mas a história do assassino é mais banal e mais inquietante. No dom…

U.V.

Imagem

Manchetes do dia

Sexta-feira 17 / 06 / 2016

O Globo
"Henrique Alves é o 3º ministro de Temer a cair em 5 semanas"

Delação de Sérgio Machado, que o acusa de receber propina, indica que Camargo Corrêa omitiu repasses

O ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves (PMDB), pediu demissão. Acusado de participar do petrolão, é o terceiro nome da Esplanada a cair em cinco semanas de gestão do presidente interino, Michel Temer, seu correligionário. Em delação na Lava Jato, Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro (subsidiária da Petrobras), disse ter pago a Alves R$ 1,6 milhão em propina entre 2008 e 2014. O acusado disse que “todas as ilações envolvendo meu nome serão esclarecidas.” Alves declarou não querer constranger o governo e que se defenderá com “serenidade”. Romero Jucá (Planejamento) e Fabiano Silveira (Transparência) foram os outros ministros a se afastarem, após vazamento de áudios com críticas à Lava Jato. A procuradores Machado afirmou que 76% dos recursos que diz ter repassado a polític…

Física

Imagem

Opinião

Encontro com Oswald

Ferreira Gullar
Na rua do Ouvidor, entre a avenida Rio Branco e a rua da Quitanda, ficava naquela época a Livraria José Olympio, onde, certa tarde, deparei com Graciliano Ramos, sentado numa cadeira e fumando cigarro.

Foi ali também que, poucos meses depois, comprei um exemplar de "Serafim Ponte Grande", de Oswald de Andrade, a preço de refugo. Havia, num canto, uma ruma de exemplares do livro, postos em liquidação.

Levei o livro para casa e, ao lê-lo, surpreendeu-me a linguagem saborosa do autor. Disse isso a Mário Pedrosa, que concordou comigo e me emprestou um exemplar do livro de poemas de Oswald, "Pau Brasil". Era um volume pequeno, quadrado, tendo na capa o losango da bandeira brasileira. Fascinou-me o sabor de mato verde que experimentei ao ler os seus versos.

Naquela época, morávamos num mesmo quarto de uma pensão no Catete, eu, Oliveira Bastos e Carlinhos Oliveira. Falei de Oswald com Bastos, que era então um jovem crítico literário, e lhe d…

U.V.

Imagem

Manchetes do dia

Quarta-feira 15 / 06 / 2016

O Globo
"Cunha é traído no Conselho de Ética, e cassação avança"

Após quase oito meses, o Conselho de Ética da Câmara aprovou, por 11 votos a 9, parecer favorável à cassação do mandato do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), por ter mentido à CPI da Petrobras ao negar que tenha contas no exterior. A sessão de conclusão do mais longo processo da história do conselho foi marcada por confusão e repleta de surpresas, a maior delas o voto que definiu o resultado, da deputada Tia Eron (PRB-BA), cujo partido é aliado de Cunha.

“Não mandam nessa nega aqui!" exclamou ela, que citou até Platão antes de desfazer um mistério alimentado por semanas. Após o voto de Tia Eron, Wladimir Costa (SD-PA), que acabara de discursar em defesa de Cunha, mudou o seu voto, num sinal de que outras traições poderão ocorrer na votação definitiva, no plenário da Câmara, ainda sem data marcada. O deputado disse que recorrerá à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), onde integra…

Física

Imagem

Opinião

A primeira mulher

Demétrio Magnoli
A "primeira mulher" candidata à Presidência dos EUA seria uma notícia tão histórica quanto o "primeiro negro" na Casa Branca, com a condição de que o nome dela não fosse Hillary. A verdadeira novidade da campanha eleitoral americana não é uma Clinton, mas um Trump —o Donald. A candidata democrata representa o establishment; o republicano, uma revolta contra o establishment. Desse contraste emana o perigo real de triunfo do Donald.

Hillary mantém o favoritismo, apesar do empate técnico registrado nas últimas sondagens. A demografia milita ao seu lado: Trump enfrenta a rejeição majoritária das mulheres, dos hispânicos e dos negros. O sistema eleitoral joga no campo democrata: nos 11 Estados oscilantes, campos de batalha decisivos, Obama obteve 11 vitórias em 2008 e dez em 2012. Contudo, Trump não é um McCain ou um Romney, expoentes da tradição republicana, mas um tipo diferente de candidato: a imagem do som e da fúria de uma nação prof…

U.V.

Imagem

Manchetes do dia

Terça-feira 14 / 06 / 2016

O Globo
"STF envia inquérito de Lula a Moro e anula escuta de Dilma"

Investigações sobre sítio e tríplex voltam para Curitiba

O ministro do STF Teori Zavascki devolveu ao juiz Sérgio Moro investigações sobre o ex-presidente Lula, como o inquérito das obras de empreiteiras no tríplex de Guarujá e no sítio de Atibaia usado pelo petista e familiares. Na mesma decisão, o ministro anulou a gravação entre Lula e a presidente afastada, Dilma Rousseff, na qual ela diz ter enviado ao ex-presidente o termo de posse como ministro da Casa Civil, o que evitaria sua eventual prisão. Para Teori, o grampo foi feito depois do horário autorizado. Também passam às mãos de Moro os inquéritos dos ex-ministros Jaques Wagner e Edinho Silva.
Folha de S.Paulo
"Marina queria evitar elo com empreiteira, diz sócio da OAS"

Segundo Léo Pinheiro, isso motivou caixa 2 em 2010; ex-candidata nega

Sócio do grupo OAS, Léo Pinheiro disse nas negociações de acordo de delação com a fo…