Postagens

Mostrando postagens de Maio 11, 2014

Dominique

Imagem

Opinião

A Copa e a avenida

O Estado de S.Paulo
No dia 17 de junho do ano passado, 230 mil pessoas saíram às ruas de 12 capitais brasileiras para dar vazão, como se disse à época, à vontade de falar - contra o aumento das passagens de ônibus, o descalabro dos serviços públicos, a indiferença dos governantes diante da dureza do cotidiano para a grande maioria da população, o colapso da representatividade do sistema político e a gastança com a Copa. Aquela não foi a primeira nem a derradeira das manifestações tidas como prova de que "o gigante acordou", na jubilosa avaliação dos seus participantes mais otimistas.

Onze meses menos dois dias depois, foram apenas 21 mil as pessoas, desigualmente distribuídas por 7 capitais, que se animaram a dar visibilidade a um rol de protestos e reivindicações em cujo centro estaria a denúncia das "injustiças da Copa". A causa, porém, não mobilizou mais de 5,5 mil ativistas, concentrados em Belo Horizonte (2 mil), Rio e São Paulo (1,5 mil em cad…

U.V.

Imagem

Manchetes do dia

Sábado, 17 / 05 / 2014

Correio Braziliense
"Bebeu, dirigiu, matou e vai se livrar da cadeia"

Rafael Yanovich Sadite terá de pagar fiança fixada em R$ 30 mil para deixar a prisão. Infrator contumaz no trânsito, ele havia tomado bebida alcoólica—conforme flagrou o teste do bafômetro—antes de provocar o acidente em que morreram mãe e filha no Park Way. 

Folha de São Paulo
"Para Lula, cobrar metrô em estádio é ‘babaquice’"

Ex-presidente afirma que brasileiros não têm ‘problema em andar a pé’

Em palestra a blogueiros, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva chamou de “babaquice” a preocupação de dar mobilidade de Primeiro Mundo para torcedores na Copa, como “chegar de metrô dentro do estádio”. Lula disse que o brasileiro “nunca teve problema em andar a pé”. “Mas o que a gente está preocupado é que tem que ter metrô, tem que ir até dentro do estádio? Que babaquice é essa?”, disse. Somente 3 das 12 cidades-sedes têm estações de trem servindo os estádios. Duas obras foram adiad…

Tango

Imagem

Coluna do Celsinho

Puro

Celso de Almeida Jr.

Gosto de romances históricos.

Andrew Miller, escritor inglês, brindou-nos com um magnífico.

Publicado pela Bertrand Brasil, com tradução de Regina Lyra, Puro é um primor.

Na Paris pré-Revolução, em 1785, um jovem engenheiro vive um momento extraordinário.

Suas ações apontam para o futuro, para a razão, vivenciando o impacto das mudanças e as dificuldades para aceitá-las.

O texto preciso, claro, quase poético, dá um brilho especial às atitudes mais simples, conduzindo à profunda reflexão sobre a nossa existência.

Puro, vencedor do Costa Book Award, é daqueles livros que se lê com velocidade.

Delicada emoção em 375 páginas.

Visite:www.letrasdocelso.blogspot.com

Twitter

Dominique

Imagem

Opinião

Dando e recebendo

O Estado de S.Paulo
Continuará intensa no último ano do atual mandato da presidente Dilma Rousseff a esdrúxula relação entre o Tesouro e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que, por meio de operações contábeis e financeiras, ajuda o governo a melhorar os resultados fiscais, à custa do crescimento da dívida pública - e das despesas financeiras presentes e futuras. O que o governo dá com uma mão, sem afetar o resultado fiscal, pois o aumento da dívida não é computado como despesa, recebe com a outra, lançando os resultados como receitas, que entram no cálculo do superávit primário.

A necessidade de estimular os investimentos é a justificativa do governo para realizar essas operações, mas os dados recentes mostram que, nesse aspecto, elas têm sido pouco eficazes. Sua manutenção e a mobilização de mais e mais recursos públicos para alimentá-las, apesar de seus resultados pífios, indicam que essas operações - legais, destaque-se - foram montadas t…

U.V.

Imagem

Manchetes do dia

Sexta-feira, 16 / 05 / 2014

Correio Braziliense
"Um país em transe"

Professores, sem-teto e Comitê Popular da Copa tumultuaram São Paulo

Passeatas de trabalhadores e manifestações contra a Copa acabaram em atos violentos em São Paulo, no Rio e em Belo Horizonte. Também houve protestos em Brasília. No Recife, a tensão foi maior com a PM em greve, una onda de saques aterrorizou a população.

Folha de São Paulo
"Protesto contra Copa tem confronto e vandalismo"

Após manhã de atos pacíficos, mascarados fazem barricadas e depredam loja em SP

Ato contra gastos da Copa em São Paulo voltou a ter vandalismo e confronto entre manifestantes e PMs. A 28 dias do Mundial, mascarados, adeptos da tática “black bloc”, fizeram barricadas, atearam fogo em lixo e depredaram loja de carros. Também houve protestos em outras cidades-sedes, mas sem registro de confrontos. A capital paulista também teve uma série de manifestações pacíficas. A maior foi a dos professores municipais, que reuniu cerca …

Dominique

Imagem

Opinião

'Copa das Copas'? Ou das lorotas?

Eugênio Bucci* - O Estado de S.Paulo
Antes mesmo de o escrete canarinho pisar os abastados gramados inacabados, a máquina publicitária do governo federal já entrou em campo. Tomou conta de todos os intervalos comerciais da TV. Com força. Com garra. Com vontade. Com força total. E também com uma dose considerável do que poderíamos chamar de doideira oficialista: em pleno país do futebol, onde supostamente a maioria dos nativos se delicia vendo jogadores dando chutes na bola enquanto um juiz corre atrás deles com um apito na boca, a propaganda do governo quer convencer o povo de que Copa do Mundo vale a pena, é legal, é boa à beça. Coisa estranha, convenhamos. Antes, o governo queria porque queria fazer a Copa no Brasil pois isso traria a felicidade geral da Nação, sabidamente aficionada desse esporte exótico. Agora, precisa gastar dinheiro público para encorajar a Nação a ficar feliz, feliz no geral e no particular, porque a Copa vai ser uma apot…

U.V.

Imagem

Manchetes do dia

Quinta-feira, 15 / 05 / 2014

Correio Braziliense
"Campanha do medo assusta até petistas"

A cúpula do governo Dilma Rousseff se dividiu diante da propaganda eleitoral do PT 

Nela, o partido lança mão de estratégia que o PSDB empregou contra Lula em 2002 e que se revelou equivocada. Agora, após sucessivas quedas de Dilma nas pesquisas, o marqueteiro João Santana recorre ao episódio “Regina Duarte”, usando atores para disseminar na população menos esclarecida o medo de supostas perdas em caso de vitória da oposição. Uma parte dos ministros, com forte influência nas decisões da presidente, expressou insatisfação. Outro grupo defendeu Santana. “Depois de 12 anos no poder, é isso que o PT tem a oferecer ao país? O medo? A desesperança?”, reagiu o tucano Aécio Neves, Eduardo Campos (PSB) também criticou a peça publicitária.

Folha de São Paulo
"Mantega nega uso de tarifas para controlar inflação"

Ministro rebate fala de Mercadante; rivais de Dilma na eleição presidencial criticam…

Dominique

Imagem

Opinião

Começando a fazer o diabo

O Estado de S.Paulo
Costumam dar em nada os protestos e as ações da oposição junto à Justiça Eleitoral contra as manifestações públicas da presidente Dilma Rousseff que mal disfarçam sua condição de peças de campanha pelo segundo mandato. A mais recente e explícita delas foi a da véspera do Primeiro de Maio, quando a candidata declarada anunciou em rede nacional um aumento de 10% nos valores do Bolsa Família e correção de 4,5% da Tabela do Imposto de Renda. Além disso, prometeu manter a política de valorização do salário mínimo, só faltando acrescentar "se for reeleita".

Mas, apesar da transgressão impune das regras que demarcam o campo da propaganda a cada ciclo eleitoral e da resignação de muitos diante dessas recorrentes violações, não pode passar como "mais do mesmo" o que ocorreu na segunda-feira no município baiano de São Francisco do Conde, a 60 quilômetros de Salvador, em um evento do governo Dilma - a inauguração oficial do câmpus da…

U.V.

Imagem

Manchetes do dia

Quarta-feira, 14 / 05 / 2014

Correio Braziliense
"Copa, manifestações e tropas nas ruas do país"

0 Rio voltou a viver um dia caótico, com greve de rodoviários, ônibus depredados e tropas nas ruas 

À tarde, a Justiça determinou que 70% dos ônibus voltem a circular hoje. Na capital fluminense, vigilantes e engenheiros também iniciaram campanha salarial. Já em São Paulo, professores pararam o trânsito com marcha no centro da cidade. A menos de 30 dias da Copa, o país parece em ebulição: há manifestações marcadas para amanhã em Brasília e em mais 16 capitais. Na UnB, o torneio contagiou até a disputa pelo Diretório Central dos Estudantes, com chapas a favor e contra o Mundial.

Folha de São Paulo
"Governo segura tarifas para frear inflação, diz ministro"

Para Mercadante (Casa Civil), prática é estratégica e para defender os cidadãos

Embora renegue a expressão “controle de preços”, o ministro Aloizio Mercadante admitiu, a Valdo Cruz e Natuza Nery, que o governo Dilma administra …

Dominique

Imagem

Opinião

O agronegócio salvador

O Estado de S.Paulo
Com superávit de US$ 24,14 bilhões de janeiro a abril, o agronegócio continua sendo o principal suporte do comércio exterior brasileiro, abalado por exportações totais em queda e um desempenho muito ruim da maior parte da indústria. Aquele saldo positivo foi obtido apesar do cenário externo ainda adverso e da redução de preços de vários produtos importantes, como soja e grãos, carnes, açúcar e álcool. As exportações do setor renderam US$ 29,85 bilhões nos primeiros quatro meses, 1,2% menos que um ano antes. Mesmo assim, essas vendas compensaram boa parte do desastre observado em outros componentes da balança comercial. As vendas de manufaturados, no valor de US$ 24,659 bilhões, foram 7,6% menores que as de janeiro a abril do ano passado. As de semimanufaturados, de US$ 8,769 bilhões, ficaram 9,5% abaixo das contabilizadas no mesmo quadrimestre de 2013. O saldo geral do comércio de bens foi um buraco de US$ 5,57 bilhões. Teria sido muito pior se…

U.V.

Imagem

Manchetes do dia

Terça-feira, 13 / 05 / 2014

Correio Braziliense
"No meio do caminho havia um bêbado..."

Familiares e amigos choram no enterro da jornalista Alessandra Oliveira, 33 anos, e da filha dela, Júlia, de 1 ano e meio

Flagrado pelo teste do bafômetro, Rafael Yanovich Sadite, 33, o motorista que provocou o acidente no qual elas morreram, é um infrator contumaz. Só nos últimos 12 meses, ele acumula 19 multas por embriaguez ao volante, excesso de velocidade, disputa de racha e desacato. Estudo da OMS mostra que o consumo de álcool no Brasil supera a média mundial.

Folha de São Paulo
"A 30 dias da Copa, país cumpre só 41% das metas previstas"

Governos culpam mudanças de projetos, demora em repasses de recursos e até chuvas

A 30 dias do início da Copa do Mundo, o país concluiu menos da metade daquilo que se comprometeu a fazer para o megaevento. De 167 intervenções anunciadas, apenas 68 estão prontas, o equivalente a 41%. Outras 88 (53%) ainda estão incompletas ou ficarão para depois d…

Dominique

Imagem

Opinião

O que falta não é dinheiro

O Estado de S.Paulo
Se demandas sociais não são atendidas, como as manifestações de rua comprovam; se obras atrasam porque os recursos não são liberados e aplicados de acordo com o cronograma; e se, ainda assim, o governo enfrenta dificuldades cada vez maiores para cumprir a já limitada meta fiscal, e sempre à custa de artimanhas contábeis, não é por falta de dinheiro. Dinheiro há, suficiente para o governo cumprir adequadamente seu papel, prestando os serviços reclamados pela população, concluindo as obras necessárias para sustentar a atividade econômica e estimular o crescimento e mantendo as finanças públicas em ordem. Há até mais do que o suficiente para isso. O problema do governo federal não é falta de recursos; o que lhe falta é outra coisa.

Quanto à disponibilidade de dinheiro para cumprir seu papel, estudo feito pelo próprio governo, por meio da Secretaria do Tesouro Nacional e do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), mostra que não há probl…

U.V.

Imagem

Manchetes do dia

Segunda-feira, 12 / 05 / 2014

Correio Braziliense
"A um mês da Copa, 5 estádios inacabados"

Obras precisam ser aceleradas, ou será um vexame

Faltam 31 dias para o Brasil, escolhido em 2007, sediar o Mundial de futebol. Mas nem a arena da abertura do torneio, o Itaquerão, em São Paulo, está pronta. Também ainda estão em obras as de Curitiba, Manaus, Cuiabá e Natal. E as intervenções de mobilidade urbana seguem atrasadas na maioria das capitais.

Folha de São Paulo
"Governo promete multas para evitar caos aéreo na Copa"

Agência Nacional de Aviação Civil ameaça até suspender licença de pilotos para conter atrasos durante o Mundial

O governo recorrerá a multas e outras punições para evitar atrasos de pousos e decolagens na Copa. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) promete punir empresas aéreas, donos de jatinhos e até pilotos de pequenas aeronaves que descumprirem regras e horários durante o Mundial. Em entrevista a Natuza Nery, o presidente da Anac, Marcelo Guaranys, af…

Dominique

Imagem

Opinião

Populismo e violência

O Estado de S.Paulo
As duas principais cidades do País, São Paulo e Rio de Janeiro, foram sacudidas na quinta-feira por manifestações públicas que em muitos pontos descambaram para a violência. Na capital paulista, cinco movimentos - três deles simultâneos - levaram às ruas militantes sem-teto que invadiram e picharam as sedes das três maiores empreiteiras responsáveis pelas obras da Copa do Mundo. No Rio, motoristas e cobradores em greve depredaram 467 ônibus - isso mesmo, quase meio milhar. O grave não são esses lamentáveis episódios em si. Gravíssimo é o fato de que eles estão se tornando banais, corriqueiros, cada vez mais descontrolados, revelando a cada dia com maior nitidez um cenário de convulsão social que ninguém sabe onde e como vai terminar.

Manifestações populares pacíficas, movimentos reivindicatórios ordeiros, atos públicos de protesto realizados sem violência são importantes para o aperfeiçoamento e fortalecimento das instituições democráticas.

Mas, q…

U.V.

Imagem

Manchetes do dia

Domingo, 11 / 05 / 2014

Correio Braziliense
"Especialistas destacam que poucas obras estarão prontas até a Copa do Mundo"

No Brasil, a maioria das obras de mobilidade urbana não ficou pronta, os aeroportos estão repletos de operários correndo contra o tempo e há estádios que nem sequer foram inaugurados

A pouco mais de um mês do início da festa da qual descobriu que seria anfitrião há sete anos, o Brasil chega às vésperas da Copa do Mundo com a nítida sensação de que tudo o que preparou está aquém do que poderia ser feito. A maioria das obras de mobilidade urbana não ficou pronta, os aeroportos estão repletos de operários correndo contra o tempo e há estádios que nem sequer foram inaugurados. Além disso, o país vê o crescimento da onda de violência nas cidades sedes, o que gera temor nas autoridades brasileiras e estrangeiras.

Folha de São Paulo
"Maioria dos eleitores é contra voto obrigatório"

Datafolha mostra que 61% se opõem à regra, no mais alto percentual em 20 anos

P…