Postagens

Mostrando postagens de Abril 26, 2015

Dominique

Imagem

Opinião

O plano de Unger para educação

O ESTADO DE S.PAULO
Incumbido de formular um programa para a área de educação dois meses depois de os marqueteiros da presidente Dilma Rousseff terem definido que o lema do segundo mandato seria Brasil, Pátria Educadora, o chefe da Secretaria de Assuntos Estratégicos, ministro Roberto Mangabeira Unger, finalmente apresentou suas propostas, privilegiando o ensino básico. Com um título pomposo - Pátria Educadora: a qualificação do ensino básico como obra de construção nacional - o documento tem por objetivo "substituir a uniformidade desorganizada pela diversidade organizada" nesse ciclo de ensino.

A divulgação do programa ocorreu na véspera do Dia da Educação e, surpreendentemente, não contou com a presença do ministro responsável pela área educacional, Renato Janine Ribeiro. "Do meu ponto de vista, isso era desnecessário", disse Unger, comentando a ausência do responsável pela área de ensino na administração federal. Questionado sobre se…

U.V.

Imagem

Manchetes do dia

Sábado 2 / 05 / 2015

O Globo
"Privatizações sem regras claras inibem investidores"

Dificuldade de financiamento é outro entrave a programa de concessões

Projetos que serão lançados este mês alteram modelo que já fora modificado antes. Idas e vindas confundem interessados

O programa de infraestrutura que o governo lança este mês terá como principal obstáculo a falta de clareza nas regras, dizem analistas. Após alterar, em 2012, o modelo de concessões de rodovias, um leilão realizado em 2013 não teve interessados e um terceiro foi vencido por empresa desconhecida no ramo. Agora, haverá nova mudança de regras. Nos aeroportos, a primeira leva de privatizações seguiu um modelo, alterado na segunda rodada e que será revisto agora para Salvador, Florianópolis e Porto Alegre. A escassez de financiamentos do BNDES é outro entrave.

Folha de S.Paulo
"Esvaziados, atos do 1 º de Maio opõem PT e PSDB"

Em São Paulo, Lula defende Dilma, e Aécio critica governo da petista

Esvaziados em rela…

Vamos passear de carro?

Imagem

Coluna do Celsinho

Calbuco

Celso de Almeida Jr.

Com a decisão anunciada de que a presidente Dilma não fará na TV o tradicional pronunciamento de 1º de Maio, uma pulga instala-se atrás da orelha.

O que isso significa?

Dilma acuada?

A carapuça vestida?

O início de uma gigantesca cortina de fumaça?

A consolidação do bode expiatório?

Sei não...

Com o rastilho de pólvora aceso pela Operação Lava Jato, o número de bombas a explodir revelou-se grande.

Há muita gente envolvida nas falcatruas anunciadas.

E, tudo indica, há muito mais gente envolvida nas falcatruas a anunciar.

Quem são elas?

Quais os seus papéis na República?

Pois é...

Caso o tamanho da encrenca assuma proporções colossais, Dilma poderá ser induzida ao sacrifício.

Renunciaria?

Sem a menor dúvida, uma decisão traumática.

Na cabeça de frios estrategistas - incluindo os mesmos que viabilizaram a sua eleição - é uma opção.

No pensamento de políticos maquiavélicos, também.

Para o povo insatisfeito, uma válvula de escape.

Para a oposição, a consolação.

E aos envolvidos na c…

Dominique

Imagem

Opinião

A herança da irresponsabilidade

O ESTADO DE S.PAULO
O governo terá muito trabalho e os brasileiros, muito aperto, ainda, até o País se livrar da herança de quatro anos de irresponsabilidade e incompetência na gestão das contas públicas. O buraco no balanço geral do setor público chegou a R$ 435,7 bilhões nos 12 meses terminados em março, um déficit equivalente a 7,8% do Produto Interno Bruto (PIB) estimado para o período. Sete anos depois do início da crise global, a maior parte dos países mais afetados sai do atoleiro, volta a crescer e exibe finanças públicas em recuperação. O Brasil continua na contramão e a única boa notícia é o esforço da nova equipe econômica para corrigir o rumo.

No fim de 2014, o déficit nominal do setor público brasileiro - o dado mais amplo, incluído o pagamento de juros - chegou a 6,2% do PIB. A média da América Latina foi um resultado negativo de 4,9%. A dos emergentes do Grupo dos 20 (G-20), um déficit de 2,6%. A da zona do euro, 2,7% no vermelho. O saldo da…

U.V.

Imagem

Manchetes do dia

Sexta-feira 1 / 05 / 2015

O Globo
"Cunha anuncia votação de reajuste maior para FGTS"

Com Dilma na defensiva no Dia do Trabalho, PMDB dificulta ajuste fiscal

Na véspera das comemorações dos trabalhadores, presidente cria fórum de debates

A decisão da presidente Dilma de deixar de falar em cadeia de rádio e TV no Dia do Trabalho abriu espaço para o PMDB lançar mão de ações em defesa do trabalhador. O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, anunciará hoje que semana que vem apresentará projeto em regime de urgência para corrigir o FGTS pelo índice da poupança. Se aprovado, terá forte impacto nas contas públicas e em programas como o Minha Casa Minha Vida. Já o presidente do Senado, Renan Calheiros, chamou de ridícula a decisão de Dilma de não discursar. Na defensiva, a presidente reuniu centrais sindicais e anunciou um fórum sobre políticas de emprego.

Folha de S.Paulo
"Cortes do governo criam rombo de R$ 30 bi no BNDES"

Com suspensão de repasses do Tesouro, banco federal de fo…

Dominique

Imagem

Opinião

Etimológicas

Alguns escândalos, de tão não investigados, acabam virando anedotas. ‘Anedota’ vem, através do francês ‘anecdote’, do grego ‘anekdotos’, história não publicada

Luis Fernando Veríssimo

‘Corrupção” vem do latim rumpere, ou romper, quebrar. Corrumpere quer dizer quebrar completamente, inclusive moralmente, o que significa que quem foi corrompido não tem conserto. O mais inquietante é que da mesma origem latina vem a palavra “rota”, através de “ruptura”, que virou rupta no latim vulgar, um caminho aberto ou batido, e que está na origem do francês route, de “rota” e de “rotina”.

Quer dizer, há poucas esperanças de a corrupção deixar de ser uma rotina no Brasil. Até a etimologia está contra nós.

“Escândalo” está indiretamente ligado aos pés. Sua raiz indo-europeia é skand, pular ou subir, de onde também vem escalada. Quem pula ou sobe precisa cuidar onde põe os pés e o grego skandalon significa um obstáculo ou uma armadilha.

Scandalum em latim tanto pode significar tentação como arma…

U.V.

Imagem

Manchetes do dia

Quinta-feira 30 / 04 / 2015

O Globo
"Juro volta a subir e atinge a maior taxa desde 2008"

Selic vai a 13,25%, patamar da crise global; BC sinaliza com novos aumentos

Aperto monetário vai acentuar recessão e desemprego. Mas analistas avaliam que medida era inevitável para conter alta da inflação, pressionada por tarifas e dólar . Empresários e sindicalistas criticam decisão

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central subiu ontem, pela quinta vez seguida, a taxa básica de juros Selic, que agora ficará em 13,25% ao ano. É o maior patamar de juros desde dezembro de 2008, quando o país vivia o auge da crise financeira global. O aumento da Selic deve agravar a recessão da economia e o desemprego. Os analistas preveem que o PIB brasileiro vai encolher 1,1% este ano. Mas, segundo especialistas, a elevação de juros é necessária para conter a disparada da inflação, que acumula alta de 8,13% nos últimos 12 meses, pressionada pelo reajuste das tarifas públicas e pela alta do dóla…

Dominique

Imagem

Opinião

Ponto final no mensalão

O ESTADO DE S.PAULO
Com a decisão do governo da Itália de extraditar Henrique Pizzolato para o Brasil, chega-se ao fim do processo do mensalão. Quase dez anos depois de deflagrado, o escândalo que abalou o governo de Luiz Inácio Lula da Silva colocou vários líderes do PT e de outros partidos na cadeia e marcou uma virada na percepção dos brasileiros de que os poderosos sempre se dão bem. No entanto, faltava pôr atrás das grades o condenado que, se não tem uma biografia comparável à dos "guerreiros do povo brasileiro", como foram classificados por seus correligionários os potentados petistas encarcerados, é um dos que melhor simbolizam o aparelhamento do Estado com vista a depená-lo, na tentativa de permitir que o PT se perpetuasse no poder.

Pizzolato foi condenado em 2013 a 12 anos e 7 meses de prisão por ter autorizado, na condição de diretor de marketing do Banco do Brasil, um repasse de R$ 73,8 milhões que o banco mantinha no Fundo Visanet para uma da…

U.V.

Imagem

Manchetes do dia

Quarta-feira 29 / 04 / 2015

O Globo
"STF libera empreiteiros e muda rumo da Lava-Jato"

Acusado de chefiar cartel, Pessoa e mais oito vão para prisão domiciliar

Para investigadores do caso e advogados dos envolvidos, decisão do Supremo vai alterar estratégias e tornará mais difícil a obtenção de novas revelações e de acordos de delações premiadas

Por três votos a dois, a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) concedeu habeas corpus a nove executivos de empreiteiras investigados na Lava-Jato, presos desde novembro. Entre os que passarão a prisão domiciliar, com tornozeleira eletrônica, está o presidente da UTC, Ricardo Pessoa, acusado de ser o chefe do “Clube das empreiteiras”. Ele chegou a negociar acordo de delação premiada. Procuradores do caso e defensores dos acusados afirmam que os dois lados terão de mudar estratégias e que a decisão de ontem altera os rumos da Lava-Jato. Para investigadores, ficou mais difícil suspeitos fazer em novas revelações ou delações. Com a …

Dominique

Imagem

Opinião

Pacotes de crescimento

O ESTADO DE S.PAULO
O Brasil poderá retomar em breve o caminho do crescimento, se o governo tiver sucesso no lançamento dos pacotes de infraestrutura em estudo em Brasília. Rodovias, ferrovias e aeroportos devem compor o primeiro pacote, com apresentação prevista para dentro de duas semanas, segundo se anunciou depois da reunião ministerial de sábado, comandada pela presidente Dilma Rousseff. Planos para energia e portos ficarão para outra etapa. No dialeto brasiliense, a presidente está empenhada em iniciar no menor prazo possível uma agenda positiva. Acuada politicamente, forçada a executar um penoso programa de ajustes e com seu partido atolado no escândalo do petrolão, ela tentará reagir e mudar o jogo com um substancioso cardápio de obras. Se tiver sucesso, conseguirá muito mais que os objetivos pessoais e partidários associados, quase sempre, às tais agendas positivas - e o resultado será bom para o País.

Qualquer decisão de política econômica, neste momento,…

U.V.

Imagem

Manchetes do dia

Terça-feira 28 / 04 / 2015

O Globo
"Compra da casa própria fica mais difícil"

Após subir juros, Caixa exigirá entrada maior da classe média

Para financiar imóvel com preço acima de R$ 750 mil, cliente terá que pagar 60% à vista. Empresas preveem queda nas vendas

Menos de um mês após elevar os juros do financiamento da casa própria, a Caixa anunciou ontem novas restrições, que vão afetar imóveis usados. Agora, quem quiser financiar um apartamento com preço acima de R$ 750 mil terá de dar uma entrada de 60%. Antes, era possível pagar à vista apenas 30% do total. Para imóveis com preço menor, a entrada exigida subiu de 20% para 50%. Analistas dizem que as novas regras tornarão muito mais difícil a compra da casa própria e atribuem a decisão da Caixa à queda na captação da poupança. Imobiliárias preveem piora nas vendas e recuo nos preços.

Folha de S.Paulo
"Caixa reduz limite para financiar imóvel usado"

Mudança beneficia construtoras e exige entrada maior na compra da casa pr…

A Eletronuclear se defende

Imagem
Esclarecimentos sobre ataques contra Angra 3

A imprensa tem noticiado supostas declarações de dirigente de empreiteira preso pela operação “Lava Jato” da Polícia Federal,  “vazadas” do conteúdo de delação premiada à Justiça, que levantam suspeitas de irregularidades na contratação da montagem eletromecânica de Angra 3.

A Eletronuclear rechaça veementemente tais declarações e afirma que a lisura desse processo licitatório é comprovada por evidências documentais objetivas, disponíveis para consulta por qualquer cidadão, em respeito às políticas de transparência pública.

É uma ameaça aos direitos de cidadania em nosso País o fato de que supostas declarações de criminosos confessos, feitas sob segredo de justiça e sem qualquer verificação de sua veracidade, sejam “vazadas” ao público, num processo de denúncia, julgamento e linchamento moral dos seus alvos, sem qualquer possibilidade de defesa.

A licitação para execução dos serviços de montagem eletromecânica de Angra 3 foi realizada na modali…

Dominique

Imagem

Opinião

Que partido é esse?

O ESTADO DE S.PAULO
Duas das três mais destacadas lideranças políticas do País, os presidentes do Senado, Renan Calheiros, e da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, desentenderam-se na quinta-feira, a propósito da tramitação do projeto da terceirização das relações trabalhistas, numa pancadaria verbal que compromete os dois e a imagem do Parlamento e, considerando o fato de pertencerem ao mesmo partido, o PMDB, levanta a questão: afinal, que partido é esse?

O PMDB é o maior partido brasileiro e seu presidente licenciado, Michel Temer, é o vice-presidente da República e também o principal articulador político do governo. No começo, era o Movimento Democrático Brasileiro (MDB), partido criado pela ditadura para abrigar a oposição consentida ao governo militar e conferir uma aparência democrática ao regime autocrático imposto, já sem disfarce, a partir da edição do Ato Institucional n.º 5, de dezembro de 1968. A partir de 1965 o MDB congregou os opositores do regime, uma…

U.V.

Imagem

Manchetes do dia

Segunda-feira 27 / 04 / 2015

O Globo
"Plano para construir presídios se arrasta"

Após 4 anos, governo não criou vagas prometidas em projeto

Das 99 unidades previstas para ajudar a combater a superlotação do sistema, 46 ainda estão no papel e 33 obras estão paradas

O plano lançado pela presidente Dilma Rousseff em 2011 para reduzir a superlotação nas penitenciárias ainda não criou nenhuma vaga, informa Renata Mariz. De 99 obras de reforma e construção de presídios previstas, por meio de convênios com os estados, 46 ainda não saíram do papel.

Das 53 que foram iniciadas, 33 estão paralisadas. A promessa era criar 45.934 vagas, para amenizar o déficit de 230 mil. O programa foi orçado em R$ 1,2 bilhão, verba que deveria ter sido gasta até o fim de 2014. Entre as razões do atraso estão licitações canceladas e desistência de empresas. 

Folha de S.Paulo
"Haddad vai privatizar Anhembi"

Prefeitura de São Paulo planeja arrecadar R$ 1,5 bi com concessão do maior centro de convenções d…

Dominique

Imagem

Opinião

Aos que vão morrer

Gabeira
Apesar da leveza do domingo, não consigo deixar de falar deles, os náufragos do Mediterrâneo, africanos, árabes, católicos e muçulmanos que buscam uma nova vida e morrem no fundo do mar. Às vezes, tratamos essas notícias como sombras que passam. Mas elas se repetem, dramaticamente, sobretudo a partir do Oriente Médio esfacelado pela guerra. Os traficantes de gente preparam suas cargas humanas de tal maneira que afundá-las é um movimento de dispersão, que permite a fuga e a renovação do seu negócio letal.

Que importância tem deixá-los morrer acorrentados nos porões, se já pagaram pela viagem ao além? Tenho lido sobre a crise mundial. Não sei se existe uma saída durável nem lá fora nem aqui dentro do Brasil. Constato apenas que o capitalismo não consegue cumprir sua promessa de livre trânsito para mercadorias e pessoas.

Seus produtos circulam, mas exércitos estão a postos para evitar que os trabalhadores busquem livremente suas condições de trabalho. E há muros po…

U.V.

Imagem

Manchetes do dia

Domingo 26 / 04 / 2015

O Globo
"Lentidão do TSE livra partidos de punições"

60% das contas apresentadas desde 2004 ainda não foram julgadas

Apesar do descontrole, governo elevou as verbas do fundo que abastece as legendas de R$ 319 milhões para R$ 867 milhões

A lentidão no julgamento das contas partidárias pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) já gera impunidade. Das 89 prestações de contas apresentadas pelos maiores partidos desde 2004, 60% ainda não foram julgadas. Dessas, 13 não podem mais resultar em punições porque prescreveram, revela Eduardo Bresciani. A demora é causada, entre outras razões, pela falta de estrutura do tribunal e pelo longo processo de análise. Apesar do descontrole, e da crise econômica, os recursos do Fundo Partidário foram elevados neste ano de R$ 319 milhões para R$ 867 milhões. 

Folha de S.Paulo
"Manobras fiscais batem recorde sob gestão Dilma"

Adotado desde FHC, artifício usa verba de benefícios sociais para cobrir contas.

O governo usa recurs…