Postagens

Mostrando postagens de Setembro 6, 2015

Dominique

Imagem

Opinião

Corda em casa de enforcado

Gabeira
Temer falou que Dilma não se mantém no governo com o baixo índice de popularidade. Foi um deus-nos-acuda. Não se fala em corda em casa de enforcado.

O governo só pensa em sobreviver, e paradoxalmente, cava seu próprio abismo. Não me refiro apenas às notícias ruins que os dados econômicos nos transmitem. Refiro-me à performance autodestrutiva do governo. Dilma viveu um 7 de Setembro isolada por placas de ferro, não teve condições de se dirigir ao País, com hora marcada na televisão.

No entanto, na véspera, acordou com uma ideia genial: vou sacanear os militares. Eles estão muito quietos. E assinou um decreto reduzindo os poderes dos comandos das Forças Armadas. Às vezes fico pensando se não é uma tática. Mas não consigo entender sua lógica. Como Dilma não é uma articuladora diabólica, prefiro pensar que é só incapacidade. 

Levy, em Paris, disse que a elevação do Imposto de Renda pode ser um caminho para cobrir o rombo fiscal. É ou não é um caminho?

Ele vai …

U.V.

Imagem

Manchetes do dia

Sábado 12 / 09 / 2015

O Globo
"Dilma cortará gastos para conseguir criar imposto"

Planalto tenta conter resistência do Congresso, mas volta a cogitar CPMF

Ideia é aprovar novo tributo nos moldes da antiga taxa sobre movimentação financeira; ao falar publicamente pela primeira vez após rebaixamento do país, presidente disse que é preciso repudiar quem quer a catástrofe

Por exigência de líderes do Congresso, como o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), o governo Dilma anunciará propostas de criação e aumento de impostos apenas depois de divulgar cortes na máquina administrativa. A previsão é que um plano para reduzir gastos seja divulgado na semana que vem. O governo pretende cortar despesas com viagens, diárias e serviços terceirizados. Também está sendo estudada uma reforma ministerial. A defesa da volta da CPMF, descartada provisoriamente pelo governo há duas semanas depois de ser rechaçada por políticos e empresários, cresceu novamente no governo. Ao falar pela prime…

EMB 821 Carajá

Imagem

Coluna do Celsinho

Ninja na Ubatuba Expo Macchine

Celso de Almeida Jr.

A participação do Núcleo Infantojuvenil de Aviação (NINJA) na 1ª Ubatuba Expo Macchine, realizada no feriado da Independência, rendeu frutos.

Apesar do mau tempo, que inviabilizou a visita de aeronaves, o evento contou com a presença de muitos moradores e turistas, ajudando os integrantes do núcleo a levar a cultura aeronáutica para mais crianças e jovens.

Confira algumas fotos:

http://www.ninja-brasil.blogspot.com.br/2015/09/especial-de-domingo.html

Outra boa nova decidida por lá foi programar para o final de outubro uma exposição de aeromodelos no Centro de Convenções - coincidindo com a Semana da Asa e o aniversário de Ubatuba - novamente com o apoio da Companhia Municipal de Turismo - Comtur. A data exata e os detalhes serão divulgados em breve.

Foi combinado, também, que no 40º Café Voador (encontro mensal de entusiastas da aviação promovido pelo NINJA e que deu origem ao novo Aeroclube de Ubatuba) será inaugurada uma série de mini-pal…

Dominique

Imagem

Opinião

A Poliana desajeitada

Estadão
"Temos uma clara estratégia econômica.” Dita em entrevista ao jornal Valor, a propósito do rebaixamento da nota de crédito do Brasil pela Standard & Poor’s (S&P), essa inacreditável frase da presidente Dilma Rousseff resume por que razão devemos temer pelo futuro do País enquanto estiver sendo governado pela petista. Pois foi justamente em razão da falta de uma estratégia clara para enfrentar a crise, na qual o Brasil se encontra graças basicamente à incompetência de Dilma e a uma administração populista que se pautou apenas por interesses eleitoreiros, que a agência americana decidiu tirar do País o selo de bom pagador. Se alguém ainda tinha alguma dúvida sobre como chegamos a esse ponto, Dilma, nessa entrevista, tratou de explicar tudo de forma bem didática.

A respeito da decisão da S&P, que muito provavelmente será seguida pelas demais agências de classificação de risco, Dilma tentou demonstrar que, para o País, não faz nenhuma diferença …

U.V.

Imagem

Manchetes do dia

Sexta-feira 11 / 09 / 2015

O Globo
"Governo reage com resposta improvisada"

Dilma reúne ministros, mas não anuncia medidas concretas

Titular da Fazenda, Levy prometeu enviar propostas de ajuste fiscal ao Congresso até o fim deste mês e disse que os brasileiros deveriam encarar aumento de impostos como investimento

Um dia após a Standard & Poor's rebaixar a nota do Brasil, tirando o selo de bom pagador, a presidente Dilma convocou reunião de emergência para tentar unificar a reação e pediu pressa aos ministros nas sugestões de cortes de gastos, mas não anunciou medidas concretas. O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, disse que até o fim deste mês serão enviadas ao Congresso novas propostas para equilibrar as contas e apelou aos brasileiros para que aceitem aumentos de impostoscomo investimento. Pouco antes da entrevista de Levy, a Bolsa subiu e a alta do dólar perdeu fôlego, na expectativa de que o ministro anunciasse medidas para viabilizar o ajuste fiscal. Mas, diante d…

Dominique

Imagem

Opinião

Lula na oposição

Estadão
A clara improbabilidade de a atual crise econômica ser satisfatoriamente superada a tempo de permitir ao PT disputar com um mínimo de competitividade a eleição presidencial de 2018 sugere que a opção politicamente mais conveniente para o lulopetismo seria passar para a oposição, livrar-se da responsabilidade de consertar o estrago que fez no País e retomar com vigor o discurso populista que tem sustentado seu projeto de poder. Isso só seria possível, é claro, se o mandato de Dilma viesse a ser abreviado a tempo de Lula assumir, na oposição, seu papel predileto – o de salvador da Pátria em luta de peito aberto contra “eles”, os inimigos do povo. Inimigos que seriam responsabilizados por Lula pelo “golpe” contra Dilma que ele próprio, na intimidade, estaria comemorando.

Essa hipótese, mais de uma vez objeto de análise neste espaço, é claramente reforçada pelo pronunciamento feito por Lula na capital paraguaia, quando contestou declaração feita na véspera por Dilma …

U.V.

Imagem

Manchetes do dia

Quinta-feira 10 / 09 / 2015

O Globo
"Perda de selo de bom pagador agrava crise"

‘S&P rebaixa Brasil e cita déficit no Orçamento
Levy: projeto será alterado para incluir superávit
Oposição vê ‘desastre’ e empresários lamentam

A agência de classificação de risco Standard&Poor’s rebaixou a nota do Brasil, que, agora, não tem mais o selo de bom pagador e é considerado investimento especulativo. A decisão surpreendeu o governo e economistas porque foi tomada apenas dois meses após a agência ter piorado suas perspectivas para o país. Pesou na decisão, segundo a S&P, o déficit fiscal de R$ 30,5 bilhões previsto no Orçamento de 2016, que, se confirmado, levará o país a registrar três anos seguidos de rombo nas contas públicas. Analistas temem que as agências Fitch e Moody’ s repitam a S&P e alertam que o rebaixamento vai agravar a crise econômica no país. O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, prometeu ajustar o Orçamento de 2016 para obter superávit fiscal de 0,7% do PIB. P…

Embraer E170

Imagem

Eventos

Eletronuclear participa de seminário sobre física nuclear

Divulgação
O diretor de Planejamento, Gestão e Meio Ambiente da Eletronuclear, Leonam dos Santos Guimarães, participa amanhã (10 de setembro), da 38ª Reunião sobre Física Nuclear no Brasil, no Portobello Resort & Safari, em Mangaratiba.

No evento, promovido pela Sociedade Brasileira de Física, Guimarães é um dos convidados da mesa redonda que discutirá a criação da Agência Nacional de Segurança Nuclear. Além dele, participam: Ayrton José Caubit da Silva (ABDAN), Ivan Pedro Salati (CNEN), José Marcus Godoy (Sociedade Brasileira de Proteção Radiológica) e Ricardo Magnus Osório Galvão (Sociedade Brasileira de Física).

Evento: 38ª Reunião sobre Física Nuclear no Brasil

Horário: 16h30

Data: 10 de setembro de 2015

Local: Portobello Resort & Safari - Rodovia Rio Santos, Km 434 - Mangaratiba - RJ

Mais informações:

http://www1.sbfisica.org.br/

Twitter

Dominique

Imagem

Opinião

O petrolão chega ao Planalto

Estadão
O escândalo do petrolão chegou ao núcleo duro do governo de Dilma Rousseff. Estão sendo investigados dois dos principais ministros da presidente, os petistas Aloizio Mercadante, da Casa Civil, e Edinho Silva, da Comunicação Social – responsáveis diretos pela chamada “cozinha” do Planalto, onde todos os passos políticos do governo são decididos. Com o escândalo instalado na sala ao lado, Dilma, se tiver bom senso, pode afastar os dois imediatamente e proteger o mínimo que lhe resta de governabilidade ou então pode mantê-los e aceitar as consequências de ter assessores tão próximos sob o escrutínio da Justiça e da opinião pública, correndo o risco, ela mesma, de se ver salpicada de lama.

A pedido da Procuradoria-Geral da República, o ministro do Supremo Tribunal Federal Teori Zavascki autorizou a abertura de investigação contra Edinho, que foi tesoureiro da campanha de Dilma Rousseff à reeleição. Ele teria recebido R$ 7,5 milhões em propinas da UTC Enge…

U.V.

Imagem

Manchetes do dia

Quarta-feira 9 / 09 / 2015

O Globo
"Contra crise, Levy não descarta aumentar IR"

‘Governo planeja elevar Cide, IOF e IPI; Temer volta a divergir de Dilma

Ministro da Fazenda disse que aumento do tributo sobre a renda pode ser um caminho e precisa ser debatido rapidamente

O ministro Joaquim Levy (Fazenda) admitiu ontem a possibilidade de aumentar o Imposto de Renda “sobre rendas mais altas”. “Pode ser um caminho”, disse ele, para quem a discussão precisa ser amadurecida “rapidamente no Congresso”. A equipe econômica estuda elevar as alíquotas de três tributos (IPI, Cide e IOF) para arrecadar mais R$ 18 bilhões. Um dia depois de a presidente Dilma admitir ter de adotar “remédios amargos” contra a crise , o vice Michel Temer usou a mesma expressão, mas para descartar esse receituário.

Folha de S.Paulo
"Governo estuda aumentar Imposto de Renda, diz Levy"

Elevação do tributo ajudaria a reduzir deficit e reequilibrar contas

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, afirmou, após reuni…

Dominique

Imagem

Opinião

O regresso dos neoconservadores

João Pereira Coutinho
Quando os Estados Unidos sofreram os atentados terroristas de 11 de setembro de 2001, uma palavra erudita ocupou as atenções da mídia. "Neoconservadorismo". George W. Bush era influenciado pelos "neoconservadores" na resposta aos criminosos. E que resposta seria essa?

Simplificando uma ideologia complexa, o "neoconservadorismo" sempre defendeu que os interesses estratégicos dos Estados Unidos podem estar fora das suas fronteiras. De igual forma, as ameaças a esses interesses também.

Irving Kristol, um dos nomes mais importantes do movimento, gostava de lembrar que a participação americana na Segunda Guerra Mundial espelhava essa verdade: a rigor, o nazismo não era uma ameaça direta para Washington. Mas era uma ameaça para a Europa. E a segurança da América –econômica, estratégica, civilizacional– estava também no velho continente.

Igual raciocínio levou Bush para o Afeganistão e para o Iraque. Sobre o Afega…

U.V.

Imagem

Manchetes do dia

Terça-feira 8 / 09 / 2015

O Globo
"Dilma admite reavaliar até mesmo gastos sociais"

‘‘Se cometemos erros, e isso é possível, vamos superá-los’, diz presidente

Para evitar panelaços, pronunciamento só foi divulgado na internet, em vez de usar cadeia de rádio e de TV; cortes poderão atingir também investimentos e programas para emprego e renda

Com a popularidade em baixa, a presidente Dilma evitou ontem usar uma cadeia de rádio e televisão para o pronunciamento do Dia da Independência. Lançou mão, como no 1º de Maio, de discurso em vídeo, divulgado na internet, em que abriu a possibilidade de que programas sociais sejam “reavaliados”. Os projetos para garantir emprego, renda e investimentos também poderão ser reduzidos, segundo ela. “Temos que reavaliar todas essas medidas e reduzir as que devem ser reduzidas”, afirmou. Dilma ressaltou ainda que, se cometeu erros (“ e isso é possível”, disse ela), vai superá-los. Também reconheceu que as soluções necessárias para vencer a crise ser…

Dominique

Imagem

Opinião

Nó de marinheiro

Luiz Werneck Vianna
Deram um nó de marinheiro na política e na economia brasileiras e, ao que parece, ninguém se mostra capaz de desatá-lo. Quem se tem arriscado na empresa, longe de afrouxar o aperto excruciante que ele exerce, logo é obrigado a reconhecer a vanidade dos seus esforços, ao constatar que, malgrado seu empenho, ele o deixou ainda mais ajustado. O vice-presidente da República, Michel Temer, é o caso mais recente, e pelo andar da carruagem, não será o ultimo.

Amarrada por esse nó que compromete as esperanças de dias melhores que vinha acalentando desde a democratização do País, a sociedade, em movimentos contraditórios, recorre às ruas em manifestações de protesto, quando clama pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff – solução que depende da ação de um Parlamento a que quase todos dão as costas –, sem que faltem atos de massa em defesa do mandato presidencial, que, por sua vez, são críticos das políticas governamentais.

Há de tudo nessa barafunda em que…

U.V.

Imagem

Manchetes do dia

Segunda-feira 7 / 09 / 2015

O Globo
"Temer nega conspirar contra Dilma e prega união"

‘Vice tenta minimizar impacto de previsão sobre risco para o governo

Apesar da declaração, auxiliares da presidente continuam a desconfiar da atuação do peemedebista nos bastidores

Após afirmar que dificilmente a presidente Dilma Rousseff chegará ao fim do mandato se mantiver baixa popularidade, o vice-presidente Michel Temer divulgou nota ontem para negar as "teorias" de que conspire contra a petista. O peemedebista disse que "a hora é de trabalho e de união" e que atua para o Brasil chegar em 2018 em melhores condições do que as de hoje. Apesar da manifestação de Temer, auxiliares de Dilma mantêm desconfiança sobre as atitudes do vice, que recentemente deixou a articulação política do governo.

Folha de S.Paulo
"Em discurso de 7 de Setembro, Dilma defende 'remédios amargos' na crise"

A presidente Dilma Rousseff disse nesta segunda-feira (7) que as dificuldades…

Dominique

Imagem

Opinião

Boneco inflado, país quebrado

Reação ao boneco inflável Pixuleco mostra que o PT perdeu senso de humor

Gabeira
Um boneco inflado chamado Pixuleco tornou-se um ator da política nacional. Ele representa Lula com uniforme de presidiário. A prefeitura petista de São Paulo pensa em proibi-lo por ser “uma poluição visual”. Nem todos pensam assim. Como muitos símbolos vitoriosos, o Pixuleco ganhou contornos múltiplos, desempenha outros papéis além dos projetados por seus criadores. Nas redes sociais, o Pixuleco tornou-se um brinquedo fofo. Aparece ao lado das princesas da Disney e no jogo Onde Está Wally.

O Pixuleco, como tantos outros símbolos fortes, sofreu um atentado. Foi algo bem suave, comparado com a ação dos radicais muçulmanos. Uma jovem o furou com um estilete, em São Paulo. O boneco foi para a mesa de operações, de onde já saiu para reaparecer no dia 7 de setembro.

Nos atentados para valer nem sempre se atacam os símbolos, mas seus criadores. Os assassinatos no “Charlie Hebdo” foram o …

U.V.

Imagem

Manchetes do dia

Domingo 6 / 09 / 2015

O Globo
"Em seis anos, 40% dos professores vão se aposentar"

‘Responsável por estudo, secretário do MEC diz que quadro é preocupante

Quantidade de alunos se formando para dar aulas caiu 16% entre 2010 e 2012, segundo dados oficiais

Um relatório inédito feito pelo Ministério da Educação mostra que, ao longo dos próximos seis anos, 40% dos cerca de 507 mil professores do ensino médio brasileiro atingirão as condições de idade e tempo de contribuição para se aposentar, revela RENATA MARIZ. Responsável pelo estudo, o secretário de Educação Superior, Jesualdo Pereira Farias, diz que o governo deve se preocupar com a previsão. O quadro é agravado pela diminuição no número de formandos nos cursos de licenciatura em disciplinas da educação básica: segundo o Censo do MEC, houve uma queda de 16% entre 2010 e 2012.

Folha de S.Paulo
"Governo precisa de mais tempo, diz Mercadante"

Ministro da Casa Civil credita grande parte da crise à economia mundial, mas reconhe…