quarta-feira, dezembro 14, 2016

Manchetes do dia

Quarta-feira 14 / 12 / 2016

O Globo
"Após teto de gastos, cresce urgência por Previdência"

Limite para aumento de despesas públicas entrará em vigor em 2017

Se mudanças na aposentadoria não forem aprovadas, Orçamento para outros setores deve ficar comprometido

O Senado aprovou, em segundo turno, a emenda constitucional que limita o crescimento dos gastos do governo por 20 anos. Economistas veem a medida como importante para equilibrar as contas públicas, mas destacam que, agora, será preciso aprovar a reforma da Previdência para evitar que os gastos com aposentadoria continuem crescendo e, assim, comprimam ainda mais outras despesas. O teto de gastos foi alvo de protestos em 14 estados e no Distrito Federal.    

O Estado de S.Paulo
"PEC do Teto passa e mercado prevê guerra na Previdência"

Considerado fundamental ao reequilíbrio das contas, projeto que limita o crescimento dos gastos da União por 20 anos foi aprovado com margem apertada no Senado e valerá a partir de 2017

Com placar mais apertado do que na votação anterior, o governo aprovou em segundo turno no Senado proposta de emenda à Constituição (PEC) que cria teto para crescimento de gastos da União nos próximos 20 anos. A base governista esperava pelo menos 61 votos favoráveis, mas obteve 53, apenas quatro a mais do que o mínimo necessário – 16 senadores votaram contra. A PEC já havia sido aprovada em dois turnos na Câmara. A proposta prevê que o aumento de despesas será limitado na primeira década pelo IPCA acumulado em 12 meses até junho do ano anterior. Após dez anos, o presidente poderá solicitar uma mudança no indexador por mandato. Segundo Michel Temer, o projeto “visa retirar o País da recessão”. Investidores já davam como certa a aprovação da PEC, mas ficaram insatisfeitos com o resultado por acreditarem que o governo precisará reorganizar a base para votar a reforma da Previdência. Para o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, a aprovação foi “histórica”. “A agenda econômica prossegue inabalável”, disse. “Nossa expectativa é de um cronograma normal para votação da Previdência.”                  

Folha de S. Paulo
"Ex-presidente da Odebrecht reitera versão sobre Temer"

Marcelo Odebrecht, ex-presidente do grupo, reiterou à Lava Jato a versão de um ex-executivo da empreiteira sobre pagamento de R$ 10 milhões ao PMDB que teria sido feito a pedido do presidente Michel Temer. Ele não deu detalhes sobre o suposto repasse para a campanha de 2014. Temer nega ter praticado qualquer irregularidade.   

Nenhum comentário:

 
Free counter and web stats