segunda-feira, outubro 03, 2016

Manchetes do dia

Segunda-feira 3 / 10 / 2016

O Globo
"Crivella e Freixo já buscam apoio, mas rejeitam o PMDB"

Candidatos do PRB, com 27,7%, e do PSOL, com 18,2%, vão para o 2º turno

Lançado pelo prefeito, Pedro Paulo obtém 16,1% dos votos e fica de fora, numa derrota para Eduardo Paes e o grupo peemedebista, que há dez anos não perdia eleição para a prefeitura da capital e para o governo do estado

O candidato do PSOL, Marcelo Freixo, cresceu na reta final e se credenciou para disputar o segundo turno no Rio com Marcelo Crivella, do PRB. Com 18,26% dos votos, Freixo superou Pedro Paulo, o candidato do prefeito Eduardo Paes, que obteve 16,12%. Já Crivella, líder desde o início da campanha, segundo as pesquisas, teve votação menor do que a prevista: 27,78%. A divisão da centro-direita pesou contra Paes e seus planos: juntos, Pedro Paulo, Indio da Costa (8,99%), Osorio (8,62%) e Flávio Bolsonaro (14%) tiveram cerca de 47% dos votos. Já Freixo pode ter sido beneficiado pelo votos que Jandira Feghali perdeu, pois ela acabou com só 3,34%, depois de comícios com os ex-presidentes Lula e Dilma. Crivella e Freixo anunciaram que buscam alianças, mas rechaçaram o PMDB. Em seu primeiro discurso, Freixo nacionalizou a campanha com o “Fora Temer” e assumiu posições polêmicas: “Escola sem partido é o cacete”. 

O Estado de S.Paulo
"Doria vence no 1º turno e lança Alckmin ao Planalto em 2018"

Candidato do PSDB representou voto anti-PT na capital
Governador de SP ganha peso político para eleição presidencial

Empurrado pelo voto anti-PT, o candidato do PSDB, João Doria, foi eleito ontem prefeito de São Paulo, com 53,29% dos votos. É a primeira vez em que uma eleição na maior cidade do País foi decidida no primeiro turno. O resultado fortalece o projeto presidencial do governador Geraldo Alckmin, que bancou a candidatura do empresário contra a vontade de Fernando Henrique e José Serra, duas das maiores lideranças do PSDB. “É legítima a vontade de ter Alckmin como presidente”, afirmou Doria no discurso da vitória, lançando o nome do governador para o Planalto em 2018. Segundo colocado, o prefeito Fernando Haddad (PT) teve a pior votação do partido na capital (16,70%). Nos 5.568 municípios com eleição, o PMDB se manteve com o maior número de prefeituras. O PSDB foi o partido que mais cresceu. O PT encolheu. Em 55 cidades haverá segundo turno no próximo dia 30.        

Folha de S. Paulo
"João Doria é eleito no 1° turno, fato inédito em SP"

TUCANO LANÇADO POR ALCKMIN RECEBE 53,3°/o DOS VOTOS 
NO RIO, CRIVELLA (PRB) E FREIXO (PSOL) VÃO AO SEGUNDO TURNO 
PT SAI COMO O MAIOR DERROTADO DAS URNAS

Na maior arrancada já registrada na cidade de São Paulo, o candidato do PSDB, João Doria, deixou quatro adversários para trás e venceu a disputa pela prefeitura paulistana no primeiro turno, feito inédito, com 53,3% dos votos válidos — ou 3.085.187 de um total de 6.945.741. A fatia de nulos e brancos (16,6%) foi recorde. O empresário João Agripino da Costa Doria Junior, 58, conseguiu atrair o voto útil de eleitores antes identificados com os rivais Celso Russomanno (PRB) e Marta Suplicy (PMDB) e de insatisfeitos com a política, em especial com o PT. Ele administrará um Orçamento de R$ 543 bilhões em 2017 e precisará compor com outros partidos para obter maioria na Câmara Municipal. O tucano disse que vai governar para todos e modernizar a cidade.

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), obteve 16,7% dos votos válidos. Ele havia dito que deixaria a política para se dedicar ao cargo de professor da USP (Universidade de São Paulo), caso não fosse reeleito. O resultado representa uma vitória política do governador Geraldo Alckmin (PSDB), o fiador da campanha de Doria. O tucano elegeu um aliado debutante em pleitos, o que o fortalece como possível candidato à Presidência em 2018. Sua sigla também saiu vitoriosa em metade das 28 maiores cidades de SP. Considerada a votação em 90% dos municípios, o PT foi o maior derrotado neste pleito sob novas regras, com campanha mais curta e sem doações empresariais. O PMDB, do presidente Michel Temer, também teve perdas. Entre as principais siglas, cresceram PSDB e PSD. Nas 26 capitais, 8 candidatos venceram no primeiro turno, sendo 7 deles prefeitos reeleitos. No Rio, Marcelo Crivella (PRB) e Marcelo Freixo (PSOL) disputarão o segundo turno, no próximo dia 30.
 

Nenhum comentário:

 
Free counter and web stats