sábado, dezembro 31, 2016

Manchetes do dia

Sábado 31 / 12 / 2016

O Globo
"Decisão sobre aumento de ônibus será de Crivella"

Paes suspende reajuste de passagens após crítica de seu sucessor

Coronel Paulo César Amêndola, que será secretário municipal de Ordem Pública, anuncia que nova gestão terá tolerância zero com camelôs e a falta de educação de motoristas no trânsito

O prefeito Eduardo Paes suspendeu o aumento da tarifa dos ônibus após seu sucessor, Marcelo Crivella, informar, por meio de seu vice, Mac Dowell, que é contra o reajuste. Paes já tinha anunciado que a passagem subiria amanhã de R$ 3,80 para R$ 3,95. O coronel Paulo César Amêndola, que assumirá a Secretaria de Ordem Pública, anunciou ontem que a gestão Crivella terá tolerância zero com camelôs e desrespeitos no trânsito.    

O Estado de S.Paulo
"Lava Jato prevê operações em mais 7 Estados em 2017"

Força-tarefa avalia que delações da Odebrecht podem levar investigação a obras do metrô e estádios da Copa

A força-tarefa composta por Polícia Federal e Ministério Público Federal prevê desdobramentos da investigação da Operação Lava Jato em pelo menos mais sete Estados em 2017. A conta leva em consideração as suspeitas sobre obras e desvios de dinheiro público. A expectativa dos investigadores é de que a delação de executivos e ex-executivos da Odebrecht dobre o número de operações. Quase três anos depois do início da Lava Jato, o acordo com a empreiteira agrega 77 delações às 71 já existentes no processo. Após o desmembramento imposto pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e o compartilhamento de informações com o Ministério Público de outros Estados, operações “filhotes” já foram deflagradas em São Paulo, Rio, Goiás, Pernambuco, Rondônia e no Distrito Federal. Apenas nos documentos apreendidos na 35.ª fase da operação, a Ommertá, foram encontrados e-mails e pedidos de pagamento via Setor de Operações Estruturadas, batizado como “departamento da propina”, atrelados a 27 projetos em 11 Estados – RJ, SP, BA, RS, PE, RN, PR, CE, PI, GO e ES. São obras que vão da expansão do metrô em São Paulo e no Rio aos estádios da Copa em Pernambuco, Rio e Bahia.                     

Folha de S. Paulo
"Prefeitos assumem com mais cortes e sem investir"

Redução de gastos e estrutura, dívidas e salários atrasados afetam capitais

Depois de dois anos de crise, os novos prefeitos iniciam seus mandatos, neste domingo (1º), num cenário de maior contenção de gastos e menos investimentos. Onze capitais tiveram queda real de receitas desde o início do mandato, e em só seis a arrecadação não caiu neste ano. Muitas iniciaram um rigoroso ajuste fiscal, que deve continuar em 2017. Em São Paulo, João Doria (PSDB) anunciou a venda da maior parte da frota municipal —mandou os servidores usarem Uber— e reduziu as secretarias de 27 para 22. A Prefeitura de Vitória (ES) não reajusta salários há dois anos, e atê o horário de expediente foi reduzido. Na capital capixaba, onde o prefeito Luciano Rezende (PPS) foi reeleito, servidores com celular tiveram verba para a conta reduzida a um terço —quem gasta mais tem o valor descontado em folha.

“Tem de saber lidar com a escassez”, diz o prefeito de Belo Horizonte, Mareio Lacerda (PSB), presidente da Frente Nacional de Prefeitos, que será sucedido por Alexandre Kalil (PHS). Mesmo com os cortes, alguns assumirão com salários atrasados. Em Porto Alegre, cuja dívida triplicou, a prefeitura parcelou o 13°. Especialistas veem risco de que as prefeituras encolham e a qualidade do serviço seja afetada.   

Nenhum comentário:

 
Free counter and web stats