sábado, agosto 08, 2015

Manchetes do dia

Sábado 08 / 08 / 2015

O Globo
"Isolada, Dilma sofre pressão para reduzir espaço do PT"

Presidente diz que aguenta ameaças e que o voto é a fonte de sua legitimidade

Aliados pedem diminuição do número de petistas no Ministério, um dia após panelaço de protesto contra o governo e ao partido

Isolada, sem apoio parlamentar, a presidente Dilma Rousseff enfrenta agora a pressão dos partidos aliados para realizar uma reforma que reduza o espaço do PT no Ministério. Ao fim da mais conturbada semana de seu segundo mandato, Dilma reagiu. Em discurso enfático, na entrega de casas populares em Boa Vista (RR), disse que aguenta ameaças: "Ninguém vai tirar a legitimidade que o voto me deu." Já os petistas traçaram um quadro de desalento, em reunião com o ministro Ricardo Berzoini (Comunicações). "Estamos no fio da navalha", disse um parlamentar do partido. O vice-presidente Michel Temer, que defendera união para sair da crise, pediu para deixar a coordenação política do governo, após críticas de petistas. Dilma, porém, não aceitou. O vice conversou com empresários ontem.

Folha de S.Paulo
"'Ninguém tira a legitimidade que o voto me deu’, diz Dilma"

Temer colocou cargo de coordenador político à disposição da presidente, mas ela rejeitou saída

Em meio ao pior momento da crise política que atinge seu governo, a presidente Dilma Rousseff afirmou em Roraima que aguenta pressões e ameaças. Ela clamou por estabilidade e respeito ao processo eleitoral. “Podem ter certeza de que honrarei o voto que me deram. Ninguém vai tirar essa legitimidade que o voto me deu”, disse durante entrega de casas populares. Dilma defendeu o governo e falou abertamente sobre a crise. No discurso, a presidente voltou a fazer referências ao seu passado de perseguida política durante a ditadura militar, menção que tem sido recorrente. “[O Brasil hoje] é uma democracia que respeita a eleição direta.” Anteontem (6), o vice Michel Temer (PMDB) deixou à disposição de Dilma seu cargo de coordenador político do governo, mas ela rechaçou a saída. Em rede social, o peemedebista confirmou que continua na função. As tensões políticas afetaram o mercado. O Ibovespa desvalorizou 2,87% e a Bolsa teve o menor patamar desde março. Para especialistas, esse cenário deve levar a uma maior desvalorização do real.

O Estado de S.Paulo
"Dilma diz que 'ninguém vai tirar legitimidade do voto'"

Em seu discurso mais duro em defesa do mandato, presidente cobra do Congresso respeito à democracia

A presidente Dilma Rousseff fez ontem seu discurso mais duro contra a ameaça de impeachment que ronda seu governo e cobrou do Congresso respeito à democracia. Ao entregar casas do Programa Minha Casa, Minha Vida em Boa Vista, ela aproveitou a plateia favorável para defender seu mandato. "Ninguém vai tirar essa legitimidade que o voto me deu", disse. "Este país é uma democracia. E uma democracia respeita, sobretudo, a eleição direta pelo voto popular. Eu respeito a democracia do meu país. Eu sei o que é viver numa ditadura. Por isso, respeito a democracia e o voto. Podem ter certeza de que, além de respeitar, eu honrarei o voto que me deram." Num recado ao Congresso e oposição, cobrou compromisso com a "estabilidade institucional, econômica, política e social do País". "Nós devemos respeito entre os Poderes. Eu me disponho a trabalhar incansavelmente para assegurar a estabilidade política. Eu me dedicarei com grande empenho a isso nos próximos meses e anos do meu mandato."

Nenhum comentário:

 
Free counter and web stats