quinta-feira, agosto 06, 2015

Manchetes do dia

Quinta-feira 06 / 08 / 2015

O Globo
"Planalto faz apelo por união, mas até base começa a ruir"

Temer diz que alguém deve reunificar país
Mercadante elogia PSDB e pede pacto
PDT e PTB se rebelam; PMDB quer reforma

Em um dia que começou com apelos em série do Planalto à sociedade, à oposição e ao Congresso, dois partidos da base aliada, PDT e PTB, anunciaram rompimento com o governo na Câmara dos Deputados, enquanto PMDB e PCdoB subiram o tom e cobraram reforma ministerial. O vice-presidente da República, Michel Temer, pediu pela reunificação do país. A senadores, ele disse que, diante da crise política e econômica, é preciso ter o apoio da sociedade civil, dos movimentos sociais e do Congresso. Já o ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, elogiou o PSDB e defendeu um “acordo suprapartidário ” para questões como o controle da inflação. O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, pediu “conversa, paciência e persistência” para encontrar soluções para a situação econômica.

Folha de S.Paulo
"Dilma passa a ser presidente mais impopular, diz Datafolha"

Reprovação de petista supera a de Collor pré-impeachment e é a maior da série histórica do instituto, iniciada em 87

Pesquisa Datafolha realizada em 4 e 5 de agosto revela que Dilma Rousseff (PT) é a presidente mais reprovada pelos brasileiros na série histórica do instituto, iniciada em 1987. No levantamento, que ouviu 3.363 pessoas em 201 municípios, a reprovação a Dilma — avaliação do governo como ruim ou péssimo—subiu novamente e chegou a 71%, o maior índice desde a sua posse, em 2011. A taxa de aprovação (os que consideram o governo ótimo ou bom) também bateu recorde negativo, de 8%. Na última pesquisa, a reprovação era de 65% e a aprovação, de 10%. Até hoje, o posto de presidente mais impopular cabia a Fernando Collor, que, em setembro de 1992, pouco antes de sofrer impeachment, teve 68% de ruim/péssimo. Para 66% dos brasileiros, o Congresso Nacional deveria abrir processo de impeachment contra Dilma — em abril eram 63%. Entretanto, a maioria dos entrevistados (53%) avalia que a presidente não será afastada — o índice era de 64% em abril.

O Estado de S.Paulo
"MP referenda Janot no comando da Lava Jato"

Com 81% dos votos, atual procurador-geral deve ser indicado por Dilma, mas sofre resistência no Senado

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, foi o candidato mais votado na eleição do Ministério Público Federal e lidera a lista tríplice que será enviada à presidente Dilma Rousseff. Dos 983 procuradores que foram às urnas, 799 - ou 81,2% - votaram nele. Em segundo lugar, ficou o subprocurador Mario Bonsaglia, visto como aliado de Janot, e em terceiro a subprocuradora Raquel Dodge, tida como opositora moderada. Dilma deve indicar o primeiro nome da lista. Mas, para permanecer no cargo, Janot terá de passar por sabatina na Comissão de Constituição e Justiça do Senado e votação secreta no plenário da Casa. A Operação Lava Jato é vista como obstáculo à aprovação de Janot, já que 13 senadores são investigados. Na avaliação do Planalto, o clima político esquentará nos próximos dias pois Janot deve pedir punição do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, e incluir senadores na denúncia ao STF.

Nenhum comentário:

 
Free counter and web stats