sexta-feira, fevereiro 26, 2016

Manchetes do dia

Sexta-feira 26 / 02 / 2016

O Globo
"Para Lava-Jato, propina da Petrobras pagou marqueteiro"

João Santana diz que não sabe origem dos US$ 7,5 milhões

Procurador acredita que US$ 4,5 milhões recebidos por casal em conta no exterior foram destinados a quitar dívida de campanhas do PT. Iniciativa teria sido do ex-tesoureiro do partido João Vaccari Neto

A força-tarefa da Lava-Jato suspeita que o PT usou dinheiro desviado da Petrobras para quitar dívidas que o partido tinha com o marqueteiro João Santana, responsável por campanhas do ex-presidente Lula e da presidente Dilma. “Vaccari mais de uma vez disse a operadores: ‘Paga lá que estou devendo a tal pessoa e você abate aqui.’ Suspeito que isso aconteceu”, disse o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, referindo-se ao ex-tesoureiro do PT. À PF, Santana negou que o dinheiro na Suíça tenha relação com campanhas no Brasil e afirmou não saber a origem dos recursos. Para a Lava-Jato, depósito de US$ 4,5 milhões que o lobista Zwi Skornicki fez na conta do marqueteiro era propina da Petrobras. 

Folha de S.Paulo
"Operação da PF sobre sonegação atinge a Gerdau"

Ministério Público no DF suspeita de envolvimento de multinacional em esquema de suborno; empresa nega

A Operação Zelotes, que investiga possível compra de decisões no Carf— o conselho do governo federal que julga recursos de empresas autuadas pela Receita Federal—, atingiu a Gerdau, multinacional de aços. Segundo o Ministério Público no DF, há suposto esquema que visa a obter julgamentos favoráveis a empresas, entre elas a Gerdau. O diretor-presidente da empresa, André Gerdau Johannpeter, esteve na Polícia Federal em São Paulo para prestar depoimento, no qual negou o envolvimento em atos de corrupção no Carf. O esquema funcionava, de acordo com investigadores, com a contratação de firmas responsáveis por intermediar a negociação do suborno aos conselheiros. A Gerdau pode ter recorrido à SGR Consultoria, empresa do lobista José Ricardo da Silva, ex-conselheiro do Carf, para ganhar recurso que discutia autuação de R$ 1,5 bilhão. Silva não fez comentários sobre o caso. No total, sete processos movidos pela Gerdau no Carf, que tramitaram ou ainda são analisados, estão sob a mira da Zelotes.        

O Estado de S.Paulo
"Gerdau é alvo de operação da PF por suspeita de propina"

Nova fase da Zelotes investiga pagamentos da empresa para tentar reduzir dívida de R$ 1,5 bi no Carf

A Polícia Federal fez ontem buscas em 17 endereços do Grupo Gerdau e levou para depoimento quatro de seus executivos, entre eles o diretor-presidente, André Gerdau. O grupo é suspeito de pagar propina para reduzir débitos que somariam R$ 1,5 bilhão no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), espécie de “tribunal” que julga recursos de contribuintes autuados pela Receita. Segundo investigadores da Operação Zelotes, a Gerdau teria autorizado a subcontratação de empresas de consultoria e advocacia com objetivo de “dissimular” pagamentos ilegais a representantes do Carf. Em nota,a empresa diz que “jamais concedeu qualquer autorização para que seu nome fosse usado em pretensas negociações ilegais”. À PF, André Gerdau negou irregularidades. Ele é filho de Jorge Gerdau, presidente do Conselho Consultivo do grupo siderúrgico e integrante do “Conselhão” dos governos Lula e Dilma Rousseff.
           

Nenhum comentário:

 
Free counter and web stats