sábado, junho 04, 2005

Clodovil

Justiça condena Clodovil por crime ambiental

O ex-apresentador e estilista Clodovil Hernandez foi condenado a quatro anos de reclusão por crime ambiental em Ubatuba. O advogado de Clodovil, José Gilmar Giorgetto, informou ontem que irá recorrer da decisão. De acordo com ele, o ex-apresentador foi beneficiado por ser réu primário e vai aguardar o julgamento do recurso em liberdade.
Clodovil foi condenado por desmatar parte de uma mata próxima de sua casa.
Fonte: Folha Online

PIORQUEÉ

Investigando neologismos ubatubenses, resultantes da mesclagem cultural caiçaro-mineira-taubateana, Renato Nunes deixou passar um termo que há muito venho notando. É contraditório, porém pitoresco.

PIORQUEÉ
Muito falado nas bandas do Ipiranguinha. É uma interjeição afimativa. Por exemplo, se for feita a seguinte pergunta para um habitante local: ganhar na loteria é bom? A resposta poderá ser: piorqueé! Significando sim! Ao ler o texto de Renato Nunes, postado abaixo, o verbete final fez com que eu exclamasse mentalmente: piorqueé. Não tem nada a ver com outro neologismo: quiosqueé, cujo significado explicarei outro dia.

Sidney Borges

LOUCAS LOCAIS

Renato Nunes
BRIGADOEU
Estranha palavra nascida e criada em Ubatuba. Nunca ouvi nada parecido em lugar nenhum, o que demonstra minha falta de cultura. Aqui aprende-se muito. Suponho que seja uma espécie de senha ou coisa parecida e que tem alguma relação com a previsão do tempo porque na maior parte das vezes em que alguém diz essa palavra, levanta também o dedão em direção às nuvens. Como nossa cidade tem sua economia na dependência do que São Pedro fizer com a chuvarada, acho que descobriram uma forma de comunicação com o Santo. Deve ser isso.

POSSAKISEJA
Outra palavra misteriosa também muito ouvida. Pode ser que seja pode ser que seja, em formato pós-moderno. Vou investigar.

TAMENQUERO
Essa eu matei. É o nome de um grande movimento social de reivindicação de distribuição gratuita de áreas básicas, tradicionalmente apoiado por vereadores e prefeitos. Hoje está dividido, não está claro ainda quem o apóia, mas insista, participe. Depois que você receber sua área básica você pode ali instalar um carrinho de lanche, um carrinho multi-shopping, barraca ou quiosque. Se a área básica for pequena para o sustento de sua família, você pode crescer para os lados, para cima e para o sub-solo, desde que só o faça durante a noite.

Sétimo Troféu de Crueldade

Ronaldo Dias
Já esta disponível no site do PFL a lista dos candidatos.

“O Troféu Berzoini de crueldade foi criado há mais de um ano e tem periodicidade trimestral. O seu nome é uma falsa homenagem ao ministro do Trabalho, Ricardo Berzoini, que no período em que ocupou a Previdência Social estabeleceu o corte dos benefícios para os segurados do INSS com mais de 90 anos, com o objetivo de fazer um recadastramento destes aposentados e pensionistas”.
São candidatos:

Gilberto Gil - (Ministro da Cultura) por ter gastado R$ 10 milhões do orçamento da pasta na decoração do seu gabinete.
Humberto Costa - (Ministro da Saúde) por ter, segundo o PFL, estabelecido a "loteria da morte" na questão da escolha dos “eleitos pelo governo” aos leitos das UTIs.
Henrique Meirelles - (Banco Central), devido aos aumentos consecutivos da taxa básica de juros.
Luiz Dulci - (Secretaria Geral da Presidência da República), por patrocinar o encontro de gays e lésbicas de Manaus com os recursos do Fundo de Combate à Fome e Erradicação da Pobreza.
Patrus Ananias - (Desenvolvimento Social), por causa das mortes de 21 índios.

Os vencedores do troféu terão seus nomes inscritos no Livro do Tombo que conterá também documentos sobre os fatos que justificaram as indicações ao "prêmio". Ao final do prazo, o Livro do Tombo será doado para arquivo público, com a finalidade de retratar a era de "crueldade petista".

Vereador Edilson Félix

CPI DOS QUIOSQUES:
Se haviam dúvidas, porque não apurar?

A CPI dos Quiosques, apesar do apoio popular, acabou não saindo do papel. O, que votou favorável á instauração de uma Comissão para apurar possíveis irregularidades sobre o assunto, encara o fato da seguinte maneira: “A não aprovação da CPI mostra falta de senso de responsabilidade em alguns setores políticos importantes, tanto na Câmara, quanto no Executivo. A transparência em todos os processos é fundamental. Afinal, se há alguma dúvida, deve-se apurar os fatos até o final, para que as mesmas terminem”, afirmou.
Sobre os temores de uma “caça às bruxas” ou de “aproveitamento de uma situação política” no caso, Félix diz que não era esse o direcionamento dos vereadores favoráveis à CPI: “O que todos os que votaram favoráveis queriam era a transparência cobrada pela população, que compareceu em peso para acompanhar a votação e que saiu frustrada com o resultado”, afirmou
Entre as dúvidas, uma delas é razão de um pedido de informação do vereador para o Prefeito, é saber qual a situação dos cinco quiosques que foram destinados para entidades assistenciais do município.
“Os permissionários dos quiosques deveriam ser os primeiros a apoiar a CPI, pois dessa forma, o Legislativo teria um melhor embasamento para se posicionar sobre a questão”, diz Edilson.

EMARANHADO LEGAL
A legislação municipal sobre os quiosques, que remonta o ano de 1986, vem sendo alterada paulatinamente. Do projeto original, quase nada mais resta, apenas a certeza de que os quiosques são permissões de uso, de áreas municipais, propriedade do povo de Ubatuba, e que estas podem ser revogadas a qualquer momento pelo Executivo.
Fonte: ASCOM

"Mordida de cobra"

Dr. Alexandre de Abreu Sofiatti - Médico
Os acidentes com cobras são um motivo freqüente de procura por atendimento de urgência especialmente nos meses mais quentes do ano. Tratam-se de situações delicadas que exigem pronta avaliação médica, pois envenenamentos por serpentes podem ser graves e até fatais, como é de conhecimento popular.
É importante que o profissional esteja preparado para fazer um diagnóstico correto do que acontece à vítima do acidente. Para isso, conta com as informações que esta presta, como o que está sentindo e as condições do acidente, com a identificação do animal e com o mais importante aspecto a ser avaliado, a lesão. Através de um exame cuidadoso, é possível distinguir uma mordedura de serpente de uma de cobra não venenosa e estimar se houve ou não envenenamento e o seu grau. É certo que em uma considerável parcela destes acidentes não há inoculação de veneno. São as chamadas “mordeduras secas”, envolvendo cobras venenosas e não-venenosas.
Além das medidas gerais, o tratamento específico para envenenamentos é a administração do soro antiofídico. Embora seja a medida salvadora quando bem indicada, não é um tratamento benigno. Pode ter conseqüências graves e até fatais. As reações adversas não são raras. Dados científicos mostram que em torno de 25% dos pacientes tratados com soro podem apresentar reações anafiláticas (entre elas choque anafilático e óbito) e até 50%, doença do soro (febre, dor articular, reações cutâneas e acometimento renal). Portanto, o uso de soro não é bem indicado em situações em que não se suspeita de envenenamento. Até em casos de envenenamentos pequenos sua utilização é controversa e há uma grande tendência em se recomendar doses cada vez menores, visando um uso mais racional e seguro desta medicação.
A realidade é que toda decisão terapêutica requer uma ponderação de riscos e benefícios. As informações das quais um profissional dispõe para escolher o melhor para o doente, a boa formação e o cuidado com todos os pacientes é o que diferencia um médico bem preparado.
Na última edição deste jornal foi publicada a história de uma pessoa que atendi e, talvez por carência de informações, houve uma grande distorção que necessita ser corrigida.
A paciente procurou atendimento relatando um possível acidente com uma cobra de pequeno porte. Não sentia dor alguma. Apresentou o animal, o qual examinei atentamente, sem que fosse possível identificá-lo. Ao exame físico, a paciente não apresentava nenhuma alteração e o hálux, local onde informava que a cobra havia tocado, estava completamente íntegro. Não havia furos, inchaço nem vermelhidão.
Como já comentei, o diagnóstico, quando não é possível identificar o animal, se faz através do tipo de ferida que a mordedura provoca. Uma mordedura por cobra venenosa com inoculação de veneno causa alterações típicas pouco após o acidente, com dor, ardência, inchaço e vermelhidão, que podem progredir para comprometimento mais grave sem o tratamento adequado. Ferimentos puntiformes com dor mínima são típicos de “mordedura seca”. A paciente em questão não tinha dor, alterações locais nem qualquer outro sinal ou sintoma de envenenamento. Higienização, observação e posterior intervenção, em caso de suspeita de inoculação, eram as melhores condutas para o caso. Seria condenável, naquele momento, a administração do soro antiofídico, submetendo a paciente aos riscos do mesmo sem os benefícios terapêuticos. Optei, portanto, pela observação do quadro orientando a paciente a retornar ao hospital caso houvesse o surgimento de sintomas.
A boa prática médica não pode se basear no “que todo mundo sabe”. É necessário avançar no conhecimento para entender por que nem sempre o que é recomendável para um paciente, também serve para um caso parecido. Todo médico já tratou pessoas que se prejudicaram ao seguir as recomendações daquela vizinha bem intencionada que parece entender de tudo um pouco.
Não é raro, nos dias de hoje, um paciente sentir-se muito melhor tratado quando, ao procurar atendimento, é levado a realizar dois ou três exames desnecessários e vai para casa com uma receita de um “remédio forte”, do que quando é tratado com seriedade, sendo ouvido, examinado, orientado a observar-se, a medicar-se apenas para alívio dos sintomas e retornar se houver necessidade.
No entanto, esta inversão de valores não pode ditar a conduta de um médico que respeite seus pacientes. Além de tratar, também cabe ao médico aos poucos contribuir para a mudança deste modo de pensar equivocado e ajudar a população a aprender a diferenciar a boa medicina da má prática.
Quando me tornei médico, assumi um compromisso ético que pretendo honrar enquanto tiver o privilégio de atender às pessoas. Este compromisso é representado pelo juramento de Hipócrates, que ensinava a seus discípulos tratar seus pacientes como um ser humano completo e tinha entre seus principais aforismos “primo non nocere” (em primeiro lugar, não prejudicar).

OS CONSELHOS E O FUTURO DE UBATUBA

Hugo Gallo
Estou escrevendo estas linhas no intuito de manter aceso o interesse e o foco sobre a questão da nomeação e criação dos Conselhos Municipais de Turismo, Meio Ambiente e Desenvolvimento. Trata-se de matéria absolutamente prioritária para o futuro de nossa cidade e que deve estar no topo da lista de ações prioritárias do executivo municipal. Não só por ser promessa de campanha, mas sim pela importância prática e ética do assunto. Setores tão prioritários para o desenvolvimento econômico de nossa cidade como o de turismo e o de meio ambiente precisam ter suas ações respaldadas e co-orientadas pela participação de toda sociedade civil organizada, legitimamente representada nos conselhos, sob o risco de serem tomadas atitudes em dissonância com os interesses e anseios maiores da população, assim como aconteceu em gestões anteriores. Parece clara e transparente a intenção do atual Prefeito de instalar os Conselhos em questão. O problema é que já vamos para o 6º mês de gestão e os projetos de lei, que precisam do apoio da Câmara dos Vereadores ainda não foram encaminhados pelo Executivo. Se analisarmos simplesmente o tempo de mandato, veremos que cerca de 15% do mesmo já se foi, sem que nestes setores, a sociedade esteja participando da forma mais correta que seria através dos Conselhos. Os Conselhos ajudam a respaldar as ações corretas e a corrigir eventuais falhas. Em casos recentes como os da Comtur e dos quiosques da Praia Grande, teriam sido de grande valia. Legitimariam qualquer atitude que representasse a vontade da maioria e não de um ou outro grupo específico. Desta forma, fica aqui meu apelo para que seja agilizado o processo burocrático de forma a termos em breve um governo ainda mais participativo e conseqüentemente uma Ubatuba melhor.

Notícias da Prefeitura

divulgação

Só faltou o Papai Noel, que não aparece por ter esquecido a prancha

Surfistas entram na onda contra o frio em Ubatuba

Os surfistas de Ubatuba se engajaram na Campanha do Agasalho 2005, promovida pelo Fundo Social de Solidariedade de Ubatuba. Com o tema “Vamos juntos nessa onda contra o frio” eles posaram para fotos, gravaram um vídeo que deverá ser veiculado em emissoras de tevê e deram depoimentos que serão utilizados em spots de rádio.
Os surfistas Renato Galvão (atual campeão brasileiro), Suelen Naraísa (vice campeã brasileira), Ricardo Toledo, Zecão , Matheus Toledo, Filipe Toledo, Diego Santos e diversas crianças estavam animados em participar da campanha e atuaram como verdadeiros profissionais diante das câmeras. A campanha deverá ir ao ar nos próximos dias e servirá como incentivo para a população colaborar doando agasalhos. Os atletas aproveitaram e autografaram algumas camisetas que serão utilizadas pelo Fundo Social como um meio para estimular a arrecadação de agasalhos. PMU



Vacinação contra poliomielite começa mais cedo em Ubatuba

No próximo dia 11 de junho, acontece a Campanha Nacional de Vacinação Contra a Poliomielite. Em Ubatuba, as crianças de 0 a 5 anos começarão a ser vacinadas no dia 6, em diversos postos e unidades de saúde do município. Essa doença está sendo erradicada no mundo, mas o vírus ainda existe em alguns lugares, por isso, é fundamental que todas as crianças sejam vacinadas.
A poliomielite, ou paralisia infantil, como também é conhecida, é uma doença contagiosa, transmitida pelo pólio vírus através das vias aéreas superiores, caracterizada por causar uma paralisia de início súbito, geralmente em membros inferiores. Os sintomas da poliomielite são: febre, mal estar, dor de cabeça, acompanhada ou não de paralisia.
No início da década de 80, houve uma grande incidência da doença no Brasil, deixando milhares de deficientes físicos por ano. No fim dos anos 80, a doença foi controlada na maior parte do mundo, devido às ações de imunização. Ainda hoje, pode-se observar um grande número de pessoas com a síndrome pós-pólio, seqüelas deixadas pela infecção. O objetivo das campanhas de vacinação em massa é produzir uma extensa disseminação do vírus vacinal, que competirá com a circulação do vírus selvagem, interrompendo a cadeia de transmissão da doença. A coordenadora da vigilância epidemiológica, Eliana Arantes, diz que, “embora não tenhamos mais a doença em nosso país, a vacinação é o único meio de manter ausente a circulação do vírus no meio-ambiente.” PMU



Colônia Z-10 entrega administração do Mercado de Peixe à Prefeitura

Colônia de Pescadores Z-10 demite sete funcionários e obriga Prefeitura a assumir administração do Mercado de Peixe antes do prazo combinado

Por decisão do presidente da Colônia de Pescadores Z-10, a administração do Mercado de Peixe está a cargo da Prefeitura desde hoje, dia 4, quando a Colônia demitiu os sete funcionários que prestavam serviços no Mercado. Pelo decreto 4380 de 2 de maio de 2005, a Prefeitura nomeou uma comissão que iria conduzir os trabalhos de transição administrativa por no máximo 180 dias, até que a administração do Mercado Municipal de Peixe passasse definitivamente para as mãos da Prefeitura, já que o convênio existente entre a Prefeitura e a Colônia terminaria em 31 de dezembro desse ano. No entanto, apenas um mês após a edição do decreto, a colônia Z-10 demitiu os funcionários do Mercado, deixando a Prefeitura sem nenhuma alternativa, a não ser assumir já a administração do Mercado.
De acordo com o decreto, a Colônia de Pescadores Z-10 já havia manifestado sua intenção em não mais atuar como administradora do Mercado de Peixe, conforme ata de reunião realizada em 14 de abril. Aliado a essa vontade da Colônia, a Prefeitura também entendia que a administração do Mercado necessitava de uma ampla reestruturação, gerando regras normativas mais claras e precisas, que atendessem aos anseios da categoria dos pescadores e permissionários do Mercado. Por esse motivo foi editado o decreto de comum acordo entre as partes, porém, a atitude da Colônia acabou alterando os prazos e a partir de hoje, responde pela administração do Mercado a Prefeitura de Ubatuba. Nesse sentido, segundo o administrador do Mercado, Antônio César Ângelo da Silva, a Prefeitura não tem medido esforços para manter o funcionamento pleno do Mercado, garantindo a qualidade dos serviços prestados. PMU



Artes Marciais em alta no domingo em Ubatuba

O Ginásio de Esportes Tubão recebe neste domingo, 5, o Campeonato Regional de Kung Fu e Tai Chi Chuan. A competição contará com as modalidades Kung Fu, Tai Chi Chuan, Wu Shu Olímpico e Boxe Chinês, e serve como seletiva para o Campeonato Paulista.
O Campeonato Regional de Kung Fu e Tai Chi Chuan terá a presença de aproximadamente 160 competidores das cidades de Ubatuba, São José dos Campos, Taubaté, Caçapava, Lorena, Pindamonhangaba e Campos do Jordão, com presença confirmada de campeões paulistas e brasileiros.
A Prefeitura Municipal de Ubatuba, através da Secretaria de Esporte e Lazer não mediu esforços para a realização do Campeonato Regional, oferecendo gratuitamente as instalações do Ginásio de Esportes, aluguel do tatame e refeições para os vinte e cinco árbitros, alem de pessoal para organização estrutural num gasto aproximado de dois mil e quinhentos reais.
O evento conta ainda com o apoio do Posto Kamomê, Clínica de Acupuntura e Massagem, Pousada Taiwan, Restaurante Tortilhão, Colégio Objetivo e Dr Virgílio Barroso. As disputas começam às 9h e a entrada é franca.
Kung Fu - O Kung-Fu é originário da China e nasceu da necessidade de sobrevivência dos antepassados na luta contra animais ferozes e contra inimigos. Conta a lenda que certa vez, um monge chinês -Ta Mo - subiu numa montanha e se pôs a contemplar o movimento dos animais, as posições que tomavam para a luta e a maneira como se defendiam dos ataques. Observando tais movimentos, desenvolveu um trabalho de adaptação desses animais para o homem, estruturando-os de acordo com as possibilidades físicas do homem. Assim nasceu o Kung-Fu, como chamam os ocidentais esta luta chinesa.
Esta arte marcial milenar vem orientando as pessoas, bem como ajudando os jovens a se direcionarem em disciplina, respeito com os colegas. O Kung Fu era treinado pelos mongesShao Llin em seus templos que tinham como meta exercitar o corpo, purificar o espírito e a mente.Hoje em toda China, o Kung Fu é incorporado à educação nas escolas, seja como aspecto esportivo ou de treinos militares ou ainda de princípios culturais.
Tai Chi Chuan - O Tai Chi se baseou na natureza - da observação de animais, por exemplo - mas sua efetiva fonte de energia encontra-se totalmente em nosso interior.
Apesar de suas raízes estarem na antiga China, o Tai Chi Chuan é muito indicado para os ocidentais. Ele pode dar aos que vivem no ritmo veloz das cidades urbanas, um fator de compensação em suas vidas.
O Tai Chi Chuan é composto de movimentos circulares, concomitantes com respiratórios, que vão relaxando o corpo à medida que são efetuados, sem utilização de força física. A sequência aprendida dos movimentos são contínuas, delicadas e circulares, desenvolvendo o alongamento do corpo e ativando a circulação do praticante, além de relaxar os músculos. PMU



Ubatuba vira set de filmagem

Longa-metragem americano usa as belezas naturais de Ubatuba e gera empregos para a comunidade

A cidade de Ubatuba foi o cenário escolhido pela empresa cinematográfica norte-americana “2929 Entertainment” para as locações do filme “Tourists”, que tem lançamento previsto para janeiro de 2006 nos Estados Unidos. As filmagens, que têm duração de um mês - estão sendo realizadas nas praias do Promirim e Almada e nos bairros do Sumidouro, Taquaral e Rio Escuro. Cerca de 80 moradores de Ubatuba estão participando das locações como figurantes, apoio nas montagens dos cenários, na cozinha, como seguranças ou auxiliando nos transportes, e as diárias variam de R$ 40 a R$ 60.
O filme, uma mistura de suspense e aventura, conta a história de seis jovens que passam as férias num país tropical. Durante a viagem são roubados e acabam se perdendo, indo parar nas mãos de um psicopata especializado em tráfico de órgãos. Atores ingleses, australianos e brasileiros compõem o elenco do filme, que é dirigido por John Stockwell, que foi um dos astros de Top Gun (Ases Indomáveis). Ainda participam do filme os atores globais Agles Steib, Andréa Leal, Vanessa Bueno e Miguel Lunardi.
O longa-metragem ainda terá locações na Chapada Diamantina (Bahia) e será distribuído pela Warner Bros e pela Fox. PMU

sexta-feira, junho 03, 2005

Notícias do Legislativo

carmem de grammont

A deputada falou para uma platéia atenta aos compromissos assumidos

Deputada Federal traz injeção de ânimo para os pescadores artesanais de Ubatuba

Com a frase: “não vim fazer promessas e sim assumir compromissos”, a deputada federal Mariângela Duarte, PT - São Paulo, se colocou à disposição dos pescadores artesanais de Ubatuba, nesta segunda-feira, 30 de maio, na Câmara Municipal.
Incisiva, a deputada despertou a atenção de dezenas de profissionais que lotaram o plenário, principalmente, quando propôs um grande mutirão para desburocratizar o setor. A idéia é agilizar a documentação, como Carteira de Identidade, de Trabalho e o Registro Profissional, com carteira de Pescador definitiva, renovável anualmente. Ela é responsável pelo pedido de criação do GTI – Grupo de Trabalho Interministerial - junto ao Ministério do Trabalho e Emprego e Secretaria Especial de Aqüicultura e Pesca. O GTI pretende estudar e propor medidas para a revisão das normas que regulamentam a emissão de registro de pescador profissional e a concessão do seguro-desemprego.
Mariângela afirmou que a Colônia tem de se constituir com o máximo de rigor e idoneidade para acabar com as possíveis falcatruas. Só assim, segundo ela, será mais fácil dar um salto de qualidade, proporcionando, inclusive, cursos de formação e capacitação tanto para homens como para mulheres. Além disso, a deputada sugeriu a implantação do projeto do Governo Federal “Pescando Letras” de alfabetização e iniciação à matemática.
Mariângela se comprometeu a viabilizar verbas para o setor - “uma boa verba para Ubatuba”, - disse e pediu aos vereadores Jairo dos Santos, presidente da Câmara, (PT) e Claudinho Gulli, (PMDB), presentes na reunião, para decidirem a destinação do recurso.
De acordo com a parlamentar, o Litoral Norte não deveria pertencer ao Vale do Paraíba e sim ao Litoral Paulista, para não perder a identidade e resgatar a cultura caiçara.
A deputada federal é autora da Lei que criou o código de Pesca do Estado de São Paulo. Esta Lei, segundo ela, foi vetada pelo então governador Mário Covas e o veto acabou derrubado pela Assembléia Legislativa de São Paulo. Só que a Lei ainda não foi sancionada. A deputada pediu o apoio do presidente Jairo dos Santos para cobrar do governador Geraldo Alckmin a sanção da Lei.
Mariângela sugeriu também, a união dos Municípios do Litoral Norte para pressionar o Governo no sentido de se criar uma Secretaria Estadual da Pesca.Com isso, ficará mais fácil viabilizar financiamentos para o setor.
A deputada contou que São Paulo perdeu o gerenciamento da Região Sudeste para o Rio de Janeiro porque não possui um Departamento de Pesca.


Segunda Plenária da Câmara Setorial reúne vereadores e moradores da Regional norte de Ubatuba

Com uma dose de timidez e muita surpresa, representantes das comunidades da Regional Norte da cidade compareceram à segunda plenária da Câmara Setorial, no dia 30 de maio, no núcleo Picinguaba.
No começo eles estranharam, mas acabaram se sentindo prestigiados com a presença dos vereadores, Jairo dos Santos, PT, presidente da Câmara, Claudinho Gulli, PMDB e dos assessores parlamentares, Marlene Isaias de Amorim Santos, Mara E. de Souza, José Caboclo da Silva Filho e Fernando Furtado, representando os vereadores Osmar de Souza, PFL, Ricardo Cortes, PV, Edílson Félix, PSC e Luciana Machado, PDT.
A iniciativa agradou a todos. Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Ezupério Pereira de Jesus, ficou mais fácil e democrático, porque se fala com todos os vereadores de uma só vez.“No passado era difícil ter negociação com vereador”, concluiu Ezupério.
As maiores carências da Região são: atendimento à Saúde, Transporte, Luz e Telefonia.
“Se alguém ficar doente à noite, não tem como socorrer, por falta de transporte e telefone”, observou uma moradora.
Os representantes da comunidade da Fazenda da Caixa pediram a construção de uma Escola. Disseram que a única “Escolinha” que existia no bairro foi fechada. Eles também reivindicam a reforma da Casa da Farinha, que está com o telhado danificado, “com risco de desabar”.
Mas, a queixa geral é contra as normas do Meio Ambiente.De acordo com todos os líderes comunitários, as regras do Meio Ambiente representam “um paredão que não deixa nada ir para a frente. Nem Turismo Ecológico, nem Artesanato são permitidos”.”E a maior revolta – disseram - é que, para o Meio Ambiente, as famílias, os moradores tradicionais da Região, são considerados invasores e a grande maioria vive sem luz elétrica, sem transporte, ou qualquer benfeitoria”.
Como o objetivo da Câmara Setorial é juntar forças entre os vereadores e as comunidades, o presidente Jairo dos Santos, que sempre trabalhou para a proteção e a preservação das tradições caiçaras, afirmou que todos os parlamentares vão assinar as reivindicações dos moradores e buscar as soluções junto ao Executivo.
Fonte: ASCOM

Essa é a minha política

Romerson de Oliveira (Mico) - Vereador (PFL)
Venho neste momento, fazer um pequeno relato do meu trabalho ao longo dos 10 anos junto à comunidade de Ubatuba. Desde minha adolescência tenho uma preocupação com as causas sociais e de forma humilde e sempre contando com o apoio da comunidade, obtivemos grandes resultados em nome da coletividade.
É sabido por todos, que meus esforços foram sempre centrados no esporte, principalmente por ver os jovens sem um trabalho, perspectiva e perdidos nas ruas a procura de algo para fazer. Assim desta forma, com as mentes livres, dão oportunidade a pensamentos rebeldes e abomináveis pela sociedade.
Neste trabalho realizado principalmente no Bairro do Perequê-Mirim, nunca me esqueci de tantas outras necessidades da população como saúde, alimentação e infra-estrutura e tantas vezes, através de mutirões, procuramos resolver os problemas mais emergenciais que afetam as famílias caiçaras.
Hoje, estar vereador representa para mim uma conquista do povo, pois eles souberam responder com a confiança e dar-me esta grande, importante e responsável tarefa de estar na casa de leis. Aos 155 dias do meu mandato, tenho me esforçado em fazer um alicerce firme e forte e tornar a Política uma verdadeira ferramenta de administração e crescimento ao município.Digo isso, pois tenho certeza e convicção de que meus esforços têm sido canalizados em nome do desenvolvimento e estruturação da nossa cidade.Terei pulso forte e acatarei meus ideais construídos em minha vida junto à comunidade, que podem os senhores querer chamar de ideologia política.
Na última semana meu voto foi de rejeição ao pedido de instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito.Sei que não agradei a Gregos e Troianos, mas essa não foi minha intensão e usei meu poder de voto pensando exclusivamente no andamento da cidade e não meramente em questões políticas como se apresenta a proposta.
Por uma questão de princípios, mesmo que, às vezes contrariando alguns, irei expor minhas idéias e tentar através do Poder Legislativo criar uma política clara e embasada na seriedade e lealdade aos munícipes que me fizeram estar vereador. Assim, tenho por obrigação atender aos anseios da população e não vou permitir ser atacado por pessoas que nem ao certo sabem do que estão falando, mas sei também, que esse é o processo democrático.

Editorial

Uma CPI não resolveria a questão
Vou aqui esclarecer o porquê da minha posição contra a “CPI dos Quiosques”. Na verdade não me entusiasmam muito as CPIs. Cito dois exemplos recentes, um federal e outro municipal que acabaram em pizza e que reforçaram a minha aversão a esse expediente investigativo. No âmbito federal houve a CPI do Banestado, que seria o ponto final nos caixas dois do país e acabaria com a sangria das finanças brasileiras. Sua missão quase divina era apontar os culpados pelo envio de bilhões de dólares ao exterior, dinheiro suficiente para tirar o Brasil da incômoda posição de penúltimo colocado do planeta em distribuição de renda. Depois de todo estardalhaço que houve, nada se apurou, ou se algo foi apurado não foi dado à luz. Fora uma lavadeira aqui e um pintor de paredes ali, na rede não caíram peixes graúdos. Em Ubatuba aconteceu a CPI da Comtur. Cheguei a pensar que seria o fim dos desmandos na área turística. Finalmente teríamos planejamento adequado para o setor. A Comtur hoje está paralisada, imobilizada, a CPI serviu apenas para dar visibilidade política a alguns vereadores que dela fizeram uso para alavancar suas carreiras. Embora haja processos em curso, faço a pergunta: e daí? Resolveu? Vamos repetir a dose? Sugiro aos leitores que acessem o “Google” e procurem “CPI da Comtur”. Leiam e verão quem ganhou. De uma coisa eu tenho certeza, não foi a cidade. Nada contra as CPIs acabarem em pizzas, que aprecio muito. Há que se ressaltar o contraditório, como jornalista confesso gostar delas. No entanto, tenho certeza que do ponto de vista técnico, estão longe de ser um esquema adequado de investigações. O trabalho de polícia necessário para uma instrução processual é complexo e cheio de minúcias legais. Vereadores, com raras exceções, não têm formação nem experiência para exercê-lo. Muito menos os de nossa Câmara. Quem duvida disso que vá assistir a uma sessão. Enfim, a questão da Praia Grande é abrangente, seria bom que os envolvidos sentassem numa mesa de negociações, dispostos a negociar. Hoje querem apenas levar vantagem. Desta vez Ubatuba não vai tolerar protelações, existe um problema agudo que deve ser solucionado. Cabe ao Executivo fazê-lo. A sociedade não parece disposta a acatar a solução que está no ar. Uma simples adequação dos quiosques, feita por uma comissão que surgiu de repente, sem que a maioria fosse consultada. Tenho informações que setores organizados estão se preparando para entrar na Justiça. Com isso as obras serão embargadas “ad eternum” e o desgaste político decorrente da “omissão”, incomensurável. Antes que aconteça, seria importante resolver o problema racionalmente, não com o fígado, como querem alguns. A Praia Grande precisa ser urbanizada. Tudo o mais será inútil.

Sidney Borges

Caçandoca

Quilombolas de Caçandoca, no litoral paulista, podem perder terra para imobiliária

Enviado pelo professor Ruy Alves Grilo
As 60 famílias da comunidade que vive em Ubatuba vêm sendo ameaçadas de expulsão e podem perder a terra que há mais de um século pertenceu a seus antepassados. Manifestação no centro de São Paulo, realizada na última sexta-feira, 13/5, pediu que o governo estadual garanta a titulação da terra.
A Universidade de Brasília (UnB) divulgou no começo do mês o número atualizado de comunidades quilombolas no Brasil. De acordo com o Segundo Cadastro Municipal dos Territórios Quilombolas, produzido pelo Centro de Cartografia Aplicada e Informação Geográfica da universidade, existem hoje 2.228 comunidades remanescentes de quilombos no País. Deste total, apenas 70 estão com a situação fundiária regularizada. O placar desfavorável é recheado de casos emblemáticos das dificuldades dos territórios quilombolas em serem reconhecidos e titulados.
Uma das situações mais graves é a da comunidade de Caçandoca, localizada no município de Ubatuba, litoral de São Paulo. Apesar de o Instituto de Terras de São Paulo (Itesp) ter reconhecido a área como território quilombola, no ano de 2000, as 60 famílias que ali vivem - descendentes dos antigos trabalhadores de uma fazenda de café que havia na região, e cuja ocupação da terra remete às últimas décadas do século XIX - podem ser despejadas a qualquer momento de suas casas. Isso porque um juiz da comarca de Ubatuba, Antonio Mansur Filho, decidiu em abril passado revalidar uma liminar concedida em 1998 à Urbanizadora Continental, que reivindica a propriedade da terra. Caçandoca é uma praia localizada em um dos trechos mais valorizados no litoral norte de São Paulo, cercada de casas de veraneio e condomínios de luxo.
Na sexta-feira passada, 13 de maio, a situação dos quilombolas de Caçandoca foi denunciada em protesto no centro de São Paulo que reuniu cerca de 300 pessoas. Na ocasião, organizações e representantes do movimento quilombola entregaram ao secretário de Justiça do Estado, Alexandre de Moraes, uma carta reivindicado a titulação da terra. “A reintegração de posse é um abuso e uma concessão inaceitável à especulação imobiliária”, afirma o deputado estadual Simão Pedro (PT-SP). O secretário estadual de Justiça, em seu último dia no cargo, afirmou que a luta dos quilombolas é uma prioridade do governo do estado e que, por isso, o Itesp participa do processo em defesa da comunidade de Caçandoca. Diante da possibilidade de despejo das famílias, entretanto, o deputado Simão Pedro defende que o território seja desapropriado pelo Incra. “O governo federal deve tomar parte nesse processo com um decreto que acabe com o litígio”.

Em uma reunião na semana passada com representantes da Continental, diretores do Incra em São Paulo, acompanhados de membros da Secretaria Especial de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) e do governo estadual, estabeleceram uma negociação para a resolução do impasse. "A idéia é firmar um acordo judicial no qual a empresa fixe um valor para a compra da área pelo governo federal a fim de definir a permanência dos quilombolas", explica Carlos Eduardo Trindade, sub-secretário para Comunidades Tradicionais da Seppir. "O acordo visa agilizar o processo, mas caso a empresa se negue a negociar o Incra já se comprometeu com a desapropriação. A retirada da comunidade está fora de cogitação". A Continental deve dar uma resposta ainda esta semana. Para evitar a expulsão das famílias pela polícia antes desta definição, o governo federal tenta mobilizar a secretaria de Justiça de São Paulo.

Caso se arrasta na Justiça desde 1998

As ações do governo de São Paulo, contudo, pouco conseguiram além de postergar o desfecho desfavorável aos quilombolas. O caso de Caçandoca se arrasta na Justiça desde 1998, quando a imobiliária Continental - que havia construído em 1974 um condomínio de alto padrão na praia do Pulso, vizinha à de Caçandoca - conseguiu na Justiça Estadual em Ubatuba a liminar de reintegração de posse. A liminar só não foi cumprida porque, no ano seguinte, o governo estadual entrou com uma Ação Discriminatória para averiguar se a área em disputa é terra devoluta, ou seja, pública. "A Procuradoria Geral do Estado questiona a autenticidade do título de propriedade da empresa", afirma Carlos Henrique Gomes, assessor técnico do Itesp. O processo ficou suspenso por um ano. Até hoje, porém, a Ação Discriminatória não foi concluída e a Continental continua alegando ser a proprietária do imóvel.

Em 2001 o caso foi novamente paralisado quando o Ministério Público Federal (MPF) solicitou a transferência do processo à Justiça Federal. Após inúmeras idas e vindas entre os advogados da empresa, MPF e defensores da comunidade, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu no final de 2004 que a contenda deve permanecer na esfera da Justiça Estadual. A sentença do STF não pode mais ser contestada judicialmente. A analista de desenvolvimento fundiário do Itesp, Daniela Correa da Silva, que acompanha o caso de Caçandoca desde seu princípio, afirma que o Poder Judiciário se revela preconceituoso com a causa quilombola e que não vê chance para a comunidade da praia de Ubatuba sem a intervenção do governo federal.
Ao longo deste anos, o conflito entre os moradores e a incorporadora foi marcado por agressões, famílias expulsas, intimidações e até bloqueio de estrada para impedir o acesso da comunidade ao transporte público. Hoje, a comunidade de Caçandoca vive em precárias condições, muitas famílias em cabanas de lona, sem água ou esgoto. A advogada dos quilombolas de Caçandoca, Juliana Gracioli, afirma que os moradores vêm sofrendo novas ameaças nas últimas semanas por parte de oficiais de justiça que visitam as casas afirmando que todos serão expulsos se não forem embora por conta própria. "Isso tudo baseado em uma reintegração de posse concedida em liminar proferida há sete anos", destaca Juliana. "Trata-se de um resquício da ditadura atentando contra pessoas de idade e crianças".
ISA, Bruno Weis. www.socioambiental.org

"Nana nenê"

Ronaldo Dias
Dentre tantas mazelas oficiais, a mais perniciosa tem sido o descaso com a educação. O resultado é péssimo. Temos hordas de "alfabetizados" e (ditos) graduados, que não entendem absolutamente nada do que lêem. Graduados emitem pareceres baseados em fundamentos tão precários quanto sua lamentável formação intelectual. Estes, por óbvio, não conseguem colocação profissional em suas respectivas graduações e, engrossam as fileiras dos excluídos, muito mais pela simples incapacidade de exercer suas profissões, do que pelos altos índices do desemprego. Outro tipo de educação que está faltando, talvez pelo crescente índice de impunidade, é aquele simples, que não se aprende em nenhuma escola, construído durante a infância, pouco a pouco, no dia a dia, com carinho, afeto, compreensão e, principalmente com os exemplos "dentro de casa". Mais importante que a primeira, a educação do "berço", tem a função principal de formar o caráter do indivíduo. Apenas os formandos nos bons bancos escolares ou no "berço" é que serão diplomados pela vida. Àqueles que se enganam, resta apenas a frustração narcisa da contemplação. Ostentações sem conteúdo para sustentar. Discutem apenas pessoas. Vamos aguardar uma reviravolta no ensino. Ou, na educação!

NA ERA “DAS RÁDIOS”

Miriam Tabarro
Para anunciar um produto, resolvi ouvir com cuidado redobrado as rádios locais e escolher a mais adequada. Dentre todas, a Beira Mar FM, foi a que mais me impressionou pela negligência e falta de responsabilidade social em sua programação. Depois de ouvi-la fiquei me perguntando como é possível nos dias de hoje, com o mundo virado do avesso, onde valores como respeito e educação praticamente não existem mais, um veículo tão importante se dar ao luxo de desperdiçar tanto tempo com um programa chamado “os dedés” ou “os mano” (sic), como me disse um funcionário. Trata-se de um besteirol que tem como público alvo os jovens, transmitido 7 vezes ao dia, com duração de mais ou menos 2 minutos, tempo mais do que suficiente para transmitir, na forma e no conteúdo, o que há de pior: falta de respeito para com as pessoas em geral (amigos, professores, pais, etc.) e o meio ambiente; incentivo à violência, além de trucidar nossa gramática. Um programa que, a meu ver, mais do que inútil é perigosamente nocivo já que dirigido a um grupo etário em processo de educação, fixação de caráter, etc. e, portanto, como uma esponja, fácil de absorver sem muitas críticas, boas ou más influências.
O funcionário que me deu as informações sobre o programa argumentou que a responsabilidade direta não era deles, mas de uma rádio de São Paulo, a Jovem Pan, produtora dessa ignomínia, como se isso isentasse a rádio local. Sugeriu também que eu dirigisse minhas reclamações para lá, para os verdadeiros responsáveis, o que sem dúvida farei.
Como medida preventiva, proponho aos comerciantes que prestem atenção na programação das rádios antes de anunciar, lembrando que suas marcas vão estar vinculadas à improbidade que as rádios nos revelam. Cabe a nós anunciantes a decisão de custear ou não a baixaria.

Notícias da Prefeitura

divulgação

Prefeito e jornalista falam do livro que terá Ubatuba como tema

Prefeito recebe visita de autor de livro sobre Ubatuba

O prefeito Eduardo César recebeu na manhã de ontem (2) o jornalista Ricardo Arnt, que está escrevendo um livro sobre Ubatuba e Paraty. Segundo o jornalista, o livro foi encomendado pelo empresário Luis Roberto Silveira Pinto, do grupo Samcil, a maior rede privada de hospitais do Brasil, além de ser o quinto maior plano de saúde do país. Luis Roberto mantém uma casa de veraneio na Ilha dos Porcos Pequenos, próximo a Praia da Almada e é um grande apaixonado pela região norte de Ubatuba e sul de Paraty. “Estou ainda na fase de coleta de dados, mas o livro vai tratar exatamente desse último refúgio ecológico do nosso litoral”, disse Arnt, que durante vários anos respondeu pela edição do Jornal Nacional, da TV Globo. PMU



Fundart expõe obras selecionadas para o Mapa Cultural Paulista

Começa amanhã, dia 3, na Fundart (Fundação de Arte e Cultura de Ubatuba) a exposição da etapa municipal do Mapa Cultural Paulista, com obras de artistas ubatubenses. Serão apresentados os trabalhos de desenho de humor, fotografia e artes plásticas.
O Mapa Cultural Paulista representa um avanço na política cultural, seja pelo intercâmbio nas regiões, valorizando novos talentos, com um movimento que une as mais distantes e diferentes culturas regionais. Em 2003-2004 mobilizou 316 municípios com 1663 inscrições. Confira! PMU



Prefeitura orienta entrega dos cartões do Bolsa Família

94 famílias receberão os cartões na próxima semana

O prefeito de Ubatuba, Eduardo César (PL) participou na manhã de hoje da entrega do manual de instrução dos cartões do programa Bolsa Família e o encaminhamento para o atendimento na Caixa Econômica Federal (CEF) para 94 famílias. As famílias, já cadastradas, foram recebidas na escola municipal Tancredo Neves onde receberam instruções sobre o funcionamento do cartão. Estiveram presentes o Assessor de Governo Mauro Freitas, a secretária de Educação Isabel de Souza Leite e toda a coordenação do Cadastramento Único.
A Prefeitura de Ubatuba, em entendimento com CEF negociou um atendimento diferenciado para a entrega dos cartões, que será realizado nos dias 7, 8 e 9 de junho, das 9 às 11 horas. Em breve discurso, o prefeito Eduardo César ressaltou a importância das famílias controlarem a presença escolar de seus filhos para que elas possam receber o benefício. “Queremos o melhor para todos, queremos que cada cidadão que viva aqui tenha orgulho de sua cidade e para isso não estamos medindo esforços para melhorar a qualidade de vida da nossa comunidade”, enfatizou.
Como funciona - O Bolsa Família é um programa de transferência de renda destinado às famílias em situação de pobreza, com renda per capita de até R$ 100 mensais, que associa à transferência do benefício financeiro o acesso aos direitos sociais básicos - saúde, alimentação, educação e assistência social. Sendo assim, o Governo Federal impõe como condições para o recebimento do benefício: manter em dia a caderneta de vacinação, comprovar presença na escola, freqüentar os postos de saúde, participar de atividades de orientação alimentar e nutricional e participar de programas de alfabetização e cursos profissionalizantes
Benefícios - O Bolsa Família foi criado para atender duas finalidades básicas: enfrentar o maior desafio da sociedade brasileira, que é o de combater a miséria e a exclusão social, e também promover a emancipação das famílias mais pobres.
Por decisão do presidente da República, Luís Inácio Lula da Silva , o Bolsa Família unificou todos os benefícios sociais (Bolsa Escola, Bolsa Alimentação, Cartão Alimentação e o Auxílio Gás) do governo federal num único programa. A medida proporcionou mais agilidade na liberação do dinheiro a quem precisa, reduziu burocracias e criou mais facilidade no controle dos recursos, dando assim mais transparência ao programa. PMU



Secretaria de Assistência Social prepara para o primeiro emprego

A Secretaria de Assistência Social de Ubatuba promoveu no dia 31 de maio mais uma palestra para capacitação profissional das pessoas que estão cadastradas no Balcão de Empregos. Desta vez 48 pessoas assistiram à palestra “Preparando para o mercado de trabalho”, com a facilitadora Joyce Santos, que abordou temas como desempenho e carreira, empregabilidade, mercado de trabalho, curriculum e entrevista.
Segundo Eduardo Ilário, chefe de assuntos administrativos da Secretaria de Assistência Social e coordenador do projeto primeiro emprego, esses candidatos saem na frente quando entram em contato com o empregador. “Hoje em dia o empregador escolhe as pessoas mais capacitadas para ocupar as vagas. Um curso a mais sempre dá vantagem aos candidatos”, diz.
O coordenador salientou ainda que a maioria dos participantes era de jovens, que permaneceram após o término da palestra para obter ainda mais informações, tamanho o interesse pelo assunto. Ainda segundo Ilário foi entregue uma apostila aos participantes para a continuidade do estudo em casa. A entrega dos certificados de participação aconteceu no dia 1º de junho.
Para este mês estão programados os cursos de “Atendimento ao Cliente” (20/6) e “Motivados para vencer: buscando a capacitação profissional”(27/6). Para participar é necessário estar cadastrado no Balcão de Empregos da Secretaria.
Certificados – No dia 30 aconteceu a entrega dos certificados para os participantes do curso “Motivados para vencer: buscando a capacitação profissional”, realizado no início do mês. Estiveram presentes à cerimônia, o vice-prefeito Domingos dos Santos, a secretária de Assistência Social, Kátia Nunes e a presidente do Fundo Social Denise César.
A Secretaria de Assistência Social informa às pessoas que passaram pelos cursos de capacitação e não receberam seus certificados, que os mesmos podem ser retirados em horário comercial na Rua Paraná, 375. No primeiro semestre, oitenta e seis pessoas assistiram às palestras promovidas pelo Balcão de Empregos. PMU



Secretaria de Obras executa serviço em várias frentes

A Secretaria de Obras concluiu, nessa semana, os trabalhos na ponte da Avenida Mato Grosso com a Rua Paderewisk, no Perequê-Açu. A ponte é uma importante via de acesso ao bairro da Pedreira e no local foi feita uma nova cabeceira e serviços de reforço e prevenção para suportar chuvas pesadas. No bairro do Lázaro foram concluídos reparos no muro de arrimo da rua das Laranjeiras, que a exemplo da ponte, havia sido danificado devido às fortes chuvas de maio.
No centro, equipes da secretaria executam trabalhos de limpeza e pintura de sarjetas. Também o prédio do Mercado Municipal de Peixe recebeu uma nova pintura. Na Estufa II diversas ruas receberam nivelamento e limpeza de sarjetas. PMU



Secretaria de Esporte e Lazer divulga atividades para o fim de semana

A secretaria de Esporte e Lazer promoverá uma série de atividades a partir desta sexta-feira, 3. O campeonato da Escolinha Municipal de Basquete dá a largada, com a última rodada da fase classificatória, no Ginásio de Esporte Tubão. As partidas SurfNet X Eletro Norte e Ubatuba Automóveis X Mercado 24 horas serão realizadas à partir das 16h30. Os adultos também definem classificação para a semifinal à partir das 19h com as partidas Tortilhão X Clínica e Docelar X Tachão.
No sábado acontece a terceira rodada do torneio, à partir das 10h, com os seguintes jogos: Smidi Calçados X Varejão Santa Rita, Mercado 24 Horas X Ismael Comida Caseira, Rossi Calçados X Marconi, Jija Locadora X Irmãos Ribeiro e Rei do Camarão X Quiosque Vovô Almiro.
A equipe de recreação estará na Estufa II, na sede da SABE (Sociedade Amigos do Bairro da estufa) à partir das 9h com muitas atividades para toda a comunidade do bairro e adjacências. No domingo o Tubão será palco do Campeonato Regional de Kung Fu e Tai Chi Chuan, à partir das 9h.
A região Norte recebe no domingo o projeto Recreando em Seu Bairro, desta vez na Picinguaba, também à partir das 9h. PMU

quinta-feira, junho 02, 2005

Pinochet

Pinochet continua sendo desvendado. Depois da prisão européia, a direita radical pôde ver os pés de barro de seu ídolo máximo. Primeiro foram os milhões de dólares depositados em contas secretas no exterior. Dinheiro não declarado, portanto suspeito. Onde teria Pinochet conseguido o ervário maldito? Tráfico de drogas? De influência? Venda de órgãos de prisioneiros políticos mortos em suplício? Desde ontem jornais do mundo inteiro anunciam ter provas de que torturaram criancinhas no Chile de Pinochet. Pobres criancinhas. Se escapassem dos padres pedófilos seriam comidas por comunistas. Como é do conhecimento geral, os vermelhos adoram churrascos infanticidas regados com vodka e entremeados de gargalhadas. Outra opção macabra seria cair nas mãos dos gorilas torturadores, cuja diversão maior era arrancar unhinhas e umbiguinhos com alicates enferrujados. Uma cigana me disse que Pinochet vai reencarnar numa lagartixa manca. No Haiti. Tomara.

Sidney Borges

Da corrupção

Para haver qualquer tipo de interação é preciso dois participantes. Vou tentar ser mais preciso. Outrora disseram aos quatro ventos que PC Farias, falecido assessor do ex-presidente Fernando Collor de Mello, era um notório corrupto. Vamos analisar o termo com cuidado. Corrupto é um adjetivo originário do latim. Corruptu.
Eis o que diz o Aurélio:
Que sofreu corrupção; podre, estragado, infectado.
2. Devasso, depravado.
3. V. corruptível (2): 2
4. Errado, viciado (tratando-se de linguagem).
[Var.: corruto; sin. ger.: corrompido. ]
Ao observar o primeiro significado vemos que é corrupto aquele “que sofreu corrupção”. Nota-se aí a presença de um sujeito que costumeiramente prefere os bastidores. Ou seja, quem sofreu corrupção foi corrompido. Quem corrompe é corruptor. Portanto, inexiste a figura do corrupto absoluto. Assim como os seios andam aos pares, corrupto e corruptor também.
Entretanto, no país que vai se tornar uma grande potência graças aos juros altos, ninguém toca no assunto corruptor. Embora o daninho personagem participe ativamente do filme corrupção, é um ator ignorado que usualmente recebe a melhor fatia dos lucros.
Volto ao senhor PC Farias. Segundo diziam na época, PC extorquia fortunas de pobres (figura de linguagem) empresários, inocentes e incautos, que desde sempre só tiveram em mente uma coisa: o bem do Brasil. Como era mesmo o nome do general americano que ao ser instado à rendição em Bastogne, na França, na Segunda Guerra Mundial, respondeu ao ultimato alemão com a palavra lérias? É o que penso ao ouvir falar de corrupção. Lérias! Corrupção, embora pintada como ação unilateral, tem duas mãos. Onde estão os corruptores brasileiros? Quem deu grana para o Maluf é inocente? Quem corrompeu quem e quem foi corrompido no "affair" Praia Grande de Ubatuba? Essa pergunta está martelando nos meus ouvidos.


Sidney Borges

Regional Sul

carmem de grammont

A população recebeu toda a atenção dos vereadores, como se vê na foto

Câmara Setorial de Ubatuba leva, pela primeira vez, os vereadores juntos às comunidades.

Iniciativa do presidente Jairo dos Santos muito elogiada pela população e pelos parlamentares.

No dia 23 de maio, apesar da garoa e do friozinho, representantes de sete comunidades da Regional Sul, quatro vereadores e dois assessores parlamentares compareceram à primeira plenária da Câmara Setorial, no Centro de Eventos do Hotel Água Doce, na Praia Dura.
O presidente da Câmara, Jairo dos Santos, PT, os vereadores Claudinho Gulli, PMDB, Edílson Félix, PSC, Osmar de Souza, PFL e os assessores parlamentares Fernando Furtado, representando a vereadora Luciana Machado, PDT, e Mara E. de Souza, representando o vereador Ricardo Cortes, PV, compuseram a mesa e ouviram as reivindicações das comunidades.
As maiores queixas da população dos bairros são basicamente as mesmas: Ruas em péssimas condições de tráfego; Postos de Saúde em prédios danificados, sem estrutura de atendimento, com falta de médicos, dentistas, remédios, equipamentos e ambulância; novas Escolas, principalmente no bairro da Caçandoca que não tem nenhuma; Contratação de professor de Educação Física para a Rede Municipal; Cursos Profissionalizantes; Computadores nas Escolas; Curso Supletivo; Quadras poliesportivas; Centros de lazer; Controle dos animais, principalmente cachorros que ficam soltos sujando as ruas; Desassoreamento dos rios e Segurança.
Os representantes das Associações pediram a instalação de uma Delegacia de Polícia Civil na Região e sugeriram que as rondas sejam feitas por policiais que conheçam os bairros.
Os moradores da Maranduba pedem a urbanização do Porto da Cruz e da Praça da Maranduba.
Em relação à pavimentação das ruas do Balneário Santa Cruz, já existe um projeto aprovado na Prefeitura. Mas, segundo o representante da Associação, Fernando Pedreira, para que a obra seja iniciada, é necessário incluí-la no orçamento do próximo ano.Então, a luta da comunidade, que busca o empenho dos vereadores, é para que isso ocorra de fato.
Entre os inúmeros pedidos e queixas, uma denúncia provocou maior interesse dos vereadores: a possibilidade do campo de futebol da Maranduba, utilizado pela população há mais de 40 anos, retornar à Empresa de Loteamento local. De acordo com Maria Cruz, presidente da AMMA – Associação de Moradores da Maranduba, já houve uma investida frustrada neste sentido, há algum tempo. O vereador Edílson Félix sugeriu aos usuários do Campo que façam um abaixo assinado a fim de fortalecer o encaminhamento do pedido à Prefeitura.
Um outro fato que, segundo o presidente da SABARÁ – Sociedade de Amigos de Bairro do Araribá, Maurício R. de Andrade, causou indignação, revolta e transtorno na vida dos moradores e comerciantes locais foi a alteração do nome da Estrada do Araribá, por rua Pedro Amorim.Maurício afirmou que este projeto é inócuo, uma vez que “há tantos outros problemas graves e prioritários que precisam ser resolvidos”. O presidente da SABARÁ pediu para que os vereadores revissem a Lei.Ele e todos os moradores esperam que a rua volte ter o mesmo nome de antes. A falta de um representante da Prefeitura foi sentida e criticada por todos os participantes da reunião.
Fonte: ASCOM

Notícias do Legislativo

Claudinho Gulli entregou Moção de Congratulações ao presidente da FUNDAC

O presidente da FUNDAC – Fundação da Criança e do Adolescente, Luiz Bitetti da Silva recebeu Moção de Congratulações na Sessão de Câmara, na terça-feira, dia 31 de maio. O vereador Claudinho Gulli, PMDB, ao prestar a homenagem, destacou o “relevante trabalho” de Bitetti que, além de realizar obras na sede, mudou a filosofia da FUNDAC.
De acordo com Claudinho, Bitetti recuperou a dignidade da criança e do adolescente, que passaram a receber acompanhamento de Psicólogo, Assistente Social e Pedagogo, com orientação inclusive para os familiares dos menores, ajudando na reestruturação familiar.
Fonte: ASCOM

VIOLÊNCIA NO LITORAL NORTE

Rui Alves Grilo - Professor
A UNESCO – Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e a Cultura – divulgou na semana passada uma pesquisa que aponta os municípios de Itapecerica da Serra, São Sebastião e Caraguatatuba com a média mais alta de homicídios no período de 2001 a 2003. É um verdadeiro balde de água fria para quem procurou essa região, fugindo da violência da Capital, como é o meu caso.Na região de Interlagos, onde morava, era cada vez maior o número de casas fechadas devido à mudança dos proprietários e à dificuldade de vender ou alugar o imóvel.
Fiquei muito assustado e, ao mesmo tempo aliviado por Ubatuba ainda não estar entre as dez mais violentas. Como sou novo na região, não tenho muitas informações para explicar as causas dessa situação. Ontem, ao encontrar um morador de “Caraguá” perguntei a ele quais seriam as causas. Para ele, isso é a conseqüência de uma administração que não investe no social.
O senhor Secretário de Segurança Pública comentando esses dados afirmou que no Estado todo houve uma baixa de 12%. Então, por que aumentou nesses três municípios? Por que abaixou na Capital?
Durante vários anos o Jardim Ângela, na Capital, era apontado como um dos lugares mais violentos do mundo e o 1º da Capital. Hoje, ele está em 4º ou 5º na Capital. Enquanto o Estado abaixou 12%, o Jardim Ângela abaixou 33%, de acordo com os dados fornecidos pela equipe que desenvolve o Projeto RAC – Redescobrindo o Adolescente em Comunidade, que esteve aqui em Ubatuba no dia 13/05 para lançar o livro em que eles relatam o trabalho desenvolvido pela comunidade. Houve um grande esforço da comunidade que conseguiu articular mais de 100 instituições da região para debater o problema e encontrar soluções. No entanto, segundo a equipe, isso não seria possível sem o apoio da Prefeitura de São Paulo através de seus projetos sociais. A equipe teme não poder dar continuidade devido aos cortes nos gastos feitos pela nova administração.
É importante ressaltar que, tanto a Marta quanto a Erundina, que investiram mais na periferia não foram reeleitas, talvez devido ao tratamento que a grande imprensa deu aos seus governos. O governo da Erundina mais que duplicou a capacidade hospitalar; Marta, com os CÉUS triplicou as oportunidades culturais, com as instalações de teatros, cinemas e oficinas culturais. Com isso, ver os filmes da Mostra de Cinema de São Paulo, uma das mais importantes do mundo, ou tocar violino ou piano, deixou de ser um privilégio da burguesia.
Todas as pesquisas apontam a oferta de atividades culturais como uma das formas mais eficientes para reduzir a violência , mas isso não tem importância para a imprensa que está comprometida com os donos do poder.
Embora Ubatuba esteja entre os 20 municípios mais ricos, a disparidade social é imensa porque seu IDH – Índice de Desenvolvimento Humano é o pior do Litoral Norte e um dos piores do Estado. Muitos moradores vêem com certa inveja o desenvolvimento das cidades vizinhas; no entanto, esse desenvolvimento sem planejamento adequado e sem participação popular trouxe como conseqüências a perda de suas raízes culturais e a violência.
Talvez o que explique os baixos índices de violência de Ubatuba seja o seu isolamento e a valorização de sua cultura e de suas tradições. Recentemente, grupos populares de Ubatuba foram convidados a se apresentarem na vizinha “Caraguá”. Lá, eles têm um moderno teatro; aqui, não. Cultura pode gerar renda, empregos e melhor qualidade de vida. Senhores políticos e governantes, que tal investirem nessa idéia
.

EMPREGO E RENDA

Ronaldo Dias
Estes dois itens fazem a cabeça de qualquer eleitor. Do mais consciente ao mais necessitado. Quem não quer e quem não precisa? Cabe ao poder público planejar, desenvolver, programar e implementar políticas de desenvolvimento econômico, utilizando-se, para tanto, de todos os meios de que dispõe. Assim, somos testemunhas de verdadeiras batalhas interestaduais e municipais, disputando sedes e filiais de empresas de todos os setores econômicos. Indústrias, comércios e serviços. Os objetivos de criação de empregos e renda, justificam uma lista, muitas vezes, interminável de incentivos de toda ordem. De doação de áreas, facilidades de licenciamentos, isenções fiscais temporárias etc. São na verdade “investimentos” públicos em busca do desenvolvimento econômico local. Estas histórias tornaram-se tão corriqueiras na mídia que já nem mesmo chamam nossa atenção. Ubatuba, na contramão da lógica, sem inovação, sem ao menos “copiar” o que está dando certo, esta inerte há muitos anos, aguardando pela sua vocação. O turismo. Ter vocação, não significa ter o segmento econômico tão desejado por quem não tem. Não. Não se torna um DESTINO Turístico, apenas querendo ou, com sempre os mal informados propõem, fazendo “eventos”, muito menos propondo, simplesmente “divulgação”. Estes predicados poderão ser deixados para discussão em outra oportunidade. No momento, gostaria de insistir na crítica da inércia do poder público na aplicação de políticas econômicas desenvolvimentistas. A prefeitura é hoje é a maior empregadora do município. Há limitação do crescimento do seu quadro de funcionários, pela proporção orçamentária, por ordem legal. O possível crescimento do quadro funcional está diretamente ligado à arrecadação. Como a arrecadação é fundamentada em um único imposto, só poderá ocorrer (aumento do funcionalismo) mediante o AUMENTO DO IPTU, ou do crescimento imobiliário, construindo-se mais e mais, em áreas que já não temos. Este tipo de crescimento não garante crescimento proporcional da arrecadação. O nosso IPTU “um dos mais altos do Brasil” está ficando impagável, na medida da estagnação da nossa raquítica economia. Os índices de inadimplência, não baixam, pelo contrário, tenderão a subir, mesmo com as inoportunas e indelicadas ameaças de leilão, feitas aos estarrecidos devedores. Munícipes devedores sim, mas a grande maioria, devido a real impossibilidade do pagamento. Não há emprego. Não há renda. Muitos, ou comem ou pagam IPTU. Poderia formular uma frase para cada um dos segmentos. Todos, muitos insatisfeitos pela falta de oportunidades, pelo marasmo que entramos em cada baixa temporada, cada ano mais difícil e mais pobre. Qual a política mais insensata? A mais fácil? A que se justifica? Dar apenas doses, na medida da altura do “grito” de quem pede? Qual a moeda? Uma licença para carrinho? Uma para ambulante? Mais barraquinhas? Mais Churrasquinhos de coalho? Insensatez, inércia, má vontade ou incapacidade? Esperamos e ansiamos que esta nova administração que se propõe ao resgate se proponha “ao fazer”. Se proponha a ousar. Se proponha ir muito alem das conversinhas ao pé do ouvido para beneficio de poucos. Esta é a esperança de todos. De todos que creram no resgate e, de todos os demais que a ele aderiram. Estas esperanças, não se enganem não se contentam com meias-medidas. Para finalizar este longo texto, quero novamente defender e afirmar que a COMTUR, não veio para cobrar estacionamento com cordinhas que sobem e descem, muito menos para ser utilizada em falcatruas ou em favores pessoais ou políticos. Estes desserviços pertencem ao passado. Vamos defender uma total renovação no processo decisório da COMTUR. Vamos defender uma administração deliberativa, regida pelo Conselho Municipal. Assim ela poderá, finalmente, mostrar a que veio e, ser a principal ferramenta do desenvolvimento econômico do município, dirigida e fiscalizada pela representatividade dos munícipes, uma criadora de empregos e geradora de renda. Empregos e renda perenes e qualificados. Dignos e proporcionais a um destino turístico. Não se enganem, nem aceitem menos. A estrada pode ser longa e os caminhos conturbados, mas estamos acostumados às dificuldades e maldições e, com certeza chegaremos lá.

Notícias da Prefeitura

divulgação

Eduardo César, tenente José Nicodemos e Adilson Cordeiro

Prefeito toma posse como presidente da Junta Militar

Cerimônia aconteceu em Taubaté com a presença de diversas autoridades militares

O prefeito de Ubatuba, Eduardo César (PL), tomou posse ontem 31, como presidente da 82ª Junta de Serviço Militar de Ubatuba. A cerimônia aconteceu no CAVEX (Comando da Aviação do Exército), em Taubaté. Estiveram presentes na cerimônia o General de Brigada de Aviação Francisco Carlos Modesto, comandante do Comavex, o tenente coronel Robson José Vieira de Carvalho, chefe da 4ª CSM e 1º tenente José Nicodemos da Silva, delegado da 8ª DelSM-4ª CSM. Além do prefeito Eduardo César, outros 11 prefeitos também tomaram posse como presidentes das Juntas de Serviço Militar de seus municípios. Agora como presidente, o prefeito tem a competência de fornecer pessoal, material e condições estruturais para manter em andamento os trabalhos realizados pelo Exército, por meio da Junta Militar de Ubatuba.

Compromisso à Bandeira


A 82ª Junta de Serviço Militar de Ubatuba realizará no próximo dia 3 de junho a solenidade de Compromisso à Bandeira. Deverão se apresentar cerca de 400 jovens dispensados do Serviço Militar Inicial no ano de 2005. A cerimônia acontecerá no Ginásio Municipal de Esportes Tubão, à partir das 10h e deverá contar com a presença do prefeito Eduardo César e outras autoridades civis e militares. PMU


Ubatuba dá a largada para a Campanha do Agasalho 2005


Ubatuba - Foi realizada na terça feira, 31, a primeira reunião para acertar os detalhes da Campanha do Agasalho em Ubatuba. A presidente do Fundo Social de Solidariedade de Ubatuba. Denise César, recebeu na sala de reuniões da secretaria de Educação cerca de 20 entidades e órgãos governamentais que devem apoiar as ações da campanha. Já confirmaram participação Sabesp, Elektro, Correios, Polícia Rodoviária Federal, Corpo de Bombeiros, Associação Comercial, Guarda Mirim, Sociedade Amigos do Lázaro, Rede Utiyama (postos Kamomê, Samê e Utiyama), aléem das secretarias municipais.
A campanha deste ano prevê, para o dia 18 de junho, três carreatas para arrecadação (Norte – até Itamambuca; Sul – Maranduba até Perequê Mirim; e Centro-Oeste – Centro, Itaguá e Ipiranguinha) e também postos fixos de coleta. Todos os agasalhos arrecadados serão encaminhados ao Ginásio de Esportes Tubão e posteriormente destinados ao Fundo Social de Solidariedade de Ubatuba que fará a distribuição para as entidades assistenciais.
Atletas de Ubatuba aceitaram estrelar uma campanha semelhante a que foi desenvolvida pelo Fundo Social do Estado, com fotos que serão publicadas nos jornais e nos sites regionais.
O gerente da agência local da Sabesp, Iberê Fábio Horie Kuncevicius, acha interessante o município desenvolver uma campanha paralela à estadual. “Podemos assim criar outras campanhas durante o ano com esse mesmo grupo, que já se mostrou bastante interessado em colaborar”, disse Iberê, que já participou de várias campanhas via Sabesp.
A Guarda Mirim organizará uma gincana entre seus componentes e o Posto Kamomê já está oferecendo um pão de queijo a quem colabora com a campanha. Maiores informações podem ser obtidas com o Fundo Social através do telefone 3834-1055. Nesta sexta-feira, 3, acontece mais uma reunião para traçar as estratégias da campanha. PMU



Campeonato Interbairros 2005 movimenta futebol adulto em Ubatuba

Começa neste sábado, 4, o Interbairros de Futebol 2005, organizado pelo Departamento de Futebol da Secretaria de Esporte e Lazer de Ubatuba. As equipes foram divididas em quatro grupos, com partidas acontecendo nos campos do Itaguá, Itamambuca, Emdurb e Rio Escuro.
Os campeões de cada grupo passam às semifinais que acontecem no Estádio Municipal Ciccillo Matarazzo. A fase regional vai até o dia 2 de julho, com as partidas acontecendo sempre aos sábados pela manhã.
Confira a primeira rodada: Campo do Itaguá – 9h Praia Grande X Itaguá, 10h30 Silop X União dos Bairros. Campo Emdurb - 8h30 Vale do Sol x Lírio Bela Vista, 10h Valense X Ipiranguinha. Campo do Itamambuca – 9h Estufa X Itamambuca, 10h30 Pereque Açu X Sumidouro Campo do Rio Escuro – 9h Rio Escuro X Sertão da Quina, 10h30 Lagoinha X Saco da Ribeira. PMU



Vem aí a 1ª Copa Tortilhão de Futebol Society Feminino

O Departamento de Futebol da secretaria de Esporte e Lazer promoverá nos dias 18 e 19 a 1ª Copa Tortilhão de Futebol Society Feminino, na quadra da piscina. As inscrições estão abertas na Secretaria e as equipes podem ser compostas por até dez atletas. Damião Celestino, do Departamento de Futebol prevê um torneio bem movimentado. “Queremos reunir dezesseis equipes, com partidas no esquema mata-mata. Mais de cem garotas dando um show de futebol society”, garante Damião.
No sábado,18, as partidas devem começar as 16 horas e no domingo as 10 da manhã.
Haverá premiação para as três melhores classificadas, artilheira e goleira menos vazada, além de uma rodada de pizzas, oferecida pelo Restaurante Tortilhão à equipe campeã. PMU

quarta-feira, junho 01, 2005

Critérios para os quiosques

Comissão define os critérios para reforma de quiosques
A comissão instituída pelo prefeito Eduardo César para determinar os novos parâmetros a serem adotados nas obras de reformas dos quiosques da Praia Grande concluiu ontem (31) os seus trabalhos. De acordo com a ata da reunião da comissão julgadora, estabeleceu-se que o projeto de padronização, a ser elaborado pela Secretaria de Arquitetura e Urbanismo, obedecerá aos seguintes parâmetros: altura máxima da edificação – 5,40 metros contados do piso da varanda; área coberta fechada de no máximo 63,00 m² correspondendo a um módulo retangular de 9,50 m e comprimento por 6,50 m de largura e a largura máxima das varandas de 4,50 m.
A comissão definiu ainda que a construção dos novos módulos, dentro do padrão a ser fornecido, deverá obedecer aos critérios da melhor estética e menor agressão paisagística. Ficou acordado ainda que uma vez entregue aos permissionários o novo projeto padrão, pela Secretaria de Arquitetura e Urbanismo, eles o protocolarão junto à Prefeitura, para anexação aos processos de pedido de reforma já apresentados. Já para os permissionários que ainda não pediram autorização, estes protocolarão o pedido na forma da legislação vigente (lei 711/84 e legislação específica referente aos módulos de praia).

Projeto paisagístico
Por sugestão do representante da Secretaria do Meio Ambiente, ficou definido que deverá ser elaborado um estudo de arborização – uma espécie de “cortina vegetal” junto aos módulos para diminuir seu impacto na paisagem da orla - que será integrado ao projeto de urbanização e paisagismo. A Comissão definiu ainda que a contrapartida dos permissionários dos módulos da Praia Grande será definida em conjunto com a Secretaria de Arquitetura e Urbanismo, objetivando melhorar o acesso à praia e sua visibilidade.
Quanto aos embargos atualmente impostos somente serão levantados após a aprovação dos projetos e emissão dos respectivos alvarás de construção. Fizeram parte da comissão julgadora um representante da SAU (Eng. Carlos Augusto Malheiros), um representante da Secretaria de Meio Ambiente (Alexandre Nardi Vasconcelos), um representante da seção de fiscalização de obras (Clélio Teodorico Coutinho), um acionista da Comtur (Ronaldo Dias) e do presidente da Associação Comercial de Ubatuba (Ahmad Khalil Barakat), sendo que apenas o Sr. Ronaldo Dias não compareceu a reunião, porém com justificativa de sua ausência.

Nova lei
Pelo fato do projeto arquitetônico não ter sido anexado à Lei 2.648 que estipulou a nova padronização dos quiosques no final do ano passado, o prefeito Eduardo César encaminhou na tarde de ontem um novo projeto de lei, revogando a anterior e propondo os novos parâmetros de obras de reforma e /ou ampliação. PMU

FAST MONEY

Ronaldo Dias
Procurador acusa REDE DE FAST FOOD de "comprar lei" . O négócio foi por apenas R$ 4,45 milhões. Pergunto: Se alguém comprou, certamente, é porque alguem vendeu. Coisa FAST que alguém FOOD.

Editorial

Venceu o bom senso!
Em Ubatuba as coisas caminham lentamente. Pelo menos em certas cabeças. Depois de tantas mudanças no país há quem ainda aposte no denuncismo como forma de ação. Usar do expediente que colocou o atual governo no poder não funciona mais. Deu certo uma vez, mas como dizia Heráclito de Éfeso, uma vez é uma vez. Nessas águas não haverá outro banho. A Câmara rejeitou a “CPI dos Quiosques”. Viva a Câmara. A Praia Grande não precisa de CPIs, precisa de urbanização. Necessita urgentemente de um plano urbanístico. Assim como os países precisam de constituições, as cidades devem ser planejadas para orientar a ocupação do solo. Vou soletrar: U de Uniform, R de Romeu, B de Bravo, A de Alfa, N de November, I de Indian, Z de Zulu, A de Alfa, Ç de Charlie (com cedilha) Ã de Alfa novamente (com til) e O de Oscar. URBANIZAÇÃO. É isso que está faltando. Discutir o porquê das irregularidades existentes é perda de tempo. Ainda que as causas dos descaminhos viessem à luz, o problema Praia Grande permaneceria sem solução. O momento é de avançar, olhar para diante e trabalhar pelo município. Os tão falados quiosques devem ser adequados ao futuro plano urbanístico da praia. Além dos quiosques há mais em jogo. Há prédios com visíveis irregularidades, jardins invadindo calçadas, stands de vendas na via pública e coisas afins, além de congestionamentos monumentais e indecentes nas temporadas de férias. Só não é perceptível a presença do poder público. É aí que a verdadeira CPI surge, instalada na consciência de cada cidadão. A cidade espera as ações do Executivo. O julgamento virá nas futuras eleições. A Praia Grande deve ser pensada como um todo e resolvida por quem entende do assunto. Sem muitas reuniões, que só servem para consumir tempo. E, como sabemos, tempo é dinheiro!


Sidney Borges

Cultura de Paz

Rui Alves Grilo - Professor
“Alarmados pela intensificação atual da intolerância, da violência, do terrorismo, da xenofobia, do nacionalismo agressivo, do racismo, do anti-semitismo, da exclusão, da marginalização e da discriminação contra minorias nacionais, étnicas, religiosas e lingüísticas, dos refugiados, dos trabalhadores migrantes, dos imigrantes e dos grupos vulneráveis da sociedade e também pelo aumento dos atos de violência e de intimidação cometidos contra pessoas que exercem sua liberdade de opinião e de expressão, todos comportamentos que ameaçam a consolidação da paz e da democracia no plano nacional e internacional e constituem obstáculos para o desenvolvimento a UNESCO – Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, vem incentivando no mundo todo a educação para a tolerância.
Também vem sendo incentivado cada vez mais o protagonismo juvenil, ou seja, que os jovens sejam sujeitos de seus atos e de suas ações e não apenas cumpridores de ordens externas.
Assim, no dia 19 de maio de 2005, na Escola Estadual “Capitão Deolindo de Oliveira Santos” houve uma entrevista com um jovem participante do movimento punk para esclarecer o que é o movimento e quais são seus princípios.
Abrindo a entrevista ele fez um relato sobre o boicote à Rede MacDonalds que é feito todo dia 16/10, Dia da Alimentação, no mundo inteiro. O protesto é pacífico e consiste na ocupação de todas as mesas e esclarecimentos ao público sobre os danos à saúde causados por aquele tipo de alimento devido ao alto teor de gordura e calorias.
Ele também se manifestou contra o consumo de carne devido à forma cruel com que os animais são abatidos.
O movimento punk é contra o monopólio e o capitalismo devido à exploração dos trabalhadores. Lutam pela liberdade de expressão e são contra qualquer tipo de preconceito. Devido à sua irreverência e à sua maneira de vestir são freqüentemente discriminados e agredidos nas ruas.
Ele surgiu na Inglaterra, na década de 70 e se originou dos movimentos anarquistas e socialistas que surgiram no fim do século XVIII, no início da era industrial.
Durante o Império, D. Pedro II, que era uma pessoa muito culta, destinou aos anarquistas uma área de terra – a Colônia Cecília – no sul do Paraná, onde eles poderiam viver segundo seus princípios.
Quando se fala em PUNK, todos pensam em drogas, violência e loucura. As pessoas não deixam o preconceito de lado e não vêem que eles representam a crítica do povo ao mundo, para uma conscientização, para que todos acordem para a realidade e vejam que estão sendo manipulados por grandes empresas que fazem propaganda enganosa de seus produtos.
Os punks são confundidos com os skinheads, cabeças raspadas, que são extremamente violentos contra os judeus, homossexuais e negros.
De acordo com um dos alunos “A entrevista foi boa, nós respeitamos os dois e também tivemos respeito da parte deles. Tivemos uma aprendizagem diferente e divertida”.
Para mais informações vejam os sites:
www.comitepaz.og.br/tolerancia
www.anarko.hpg.ig.com.br
www.geografiaeduc.ubbi.com.br

Muda

Roberto de Mamede Costa Leite
Aos meus amigos, eventualmente preocupados com minha saúde, pois acometido de reação alérgica à vacina tomada, aviso ter o hábito de escrever, assumir e assinar o que seja de minha autoria e comporte assinatura.
Agradeço, de qualquer forma, a lembrança de minhas bissextas participações em problemas de cidadania.
Contudo, na minha idade, referência a fantasmas sempre dá a sensação arrepiante de que estão falando de corda em casa de enforcado...
Com bronquite alérgica, com as vias respiratórias irritadas e ânimo baixo, estou como canário na muda: não tenho cantado.
Mas não posso deixar de notar que a passarinhada está agitada, cantando, enfeitando nossa Ubatuba com grande gorjeio, demonstrando que quando há ambiente todos participam.
Alguns para tentar construir, outros para tentarem mistificar, alguns para tentarem encobrir velhos rastros, mas, sem dúvida, e é o que me impressiona positivamente, todos estão empenhados em participar.
As participações negativas são resultado à ação cidadã positiva de outros:
"À ação corresponde reação de mesma intensidade, em sentido contrário".
Será que a maldição de Cunhambebe deu algum sinal de enfraquecimento??? Será que, como já disse o grande bardo, “... outro canto mais alto se alevanta?”??
Até eu me descubro com esperança de redenção... Na minha idade é uma ilusão de juventude inesperada.
Que Deus nos ajude nesta jornada de participação social que explode nos jornais e que espero, seja o início da redenção cívica de nossa comunidade.
Antes tarde do que nunca...
r-mamede@uol.com.br

Nem tudo está perdido

Enviado por Miriam Tabarro
Esta é uma redação feita por uma aluna do curso de Letras, da UFPE (Universidade Federal de Pernambuco - Recife), e que obteve vitória em um concurso interno promovido pelo professor titular da cadeira de Gramática Portuguesa.

"Era a terceira vez que aquele substantivo e aquele artigo se encontravam no elevador. Um substantivo masculino, com um aspecto plural, com alguns anos bem vividos pelas preposições da vida. E o artigo era bem definido, feminino, singular: era ainda novinha, mas com um maravilhoso predicado nominal. Era ingênua, silábica, um pouco átona, até ao contrário dele: um sujeito oculto, com todos os vícios de linguagem, fanáticos por leituras e filmes ortográficos. O substantivo gostou dessa situação: os dois sozinhos, num lugar sem ninguém ver e ouvir. E sem perder essa oportunidade, começou a se insinuar, a perguntar, a conversar. O artigo feminino deixou as reticências de lado, e permitiu esse pequeno índice. De repente, o elevador pára, só com os dois lá dentro: ótimo, pensou o substantivo, mais um bom motivo para provocar alguns sinônimos. Pouco tempo depois, já estavam bem entre parênteses, quando o elevador recomeça a se movimentar: só que em vez de descer, sobe e pára justamente no andar do substantivo. Ele usou de toda a sua flexão verbal e entrou com ela em seu aposto. Ligou o fonema, e ficaram alguns instantes em silêncio, ouvindo uma fonética clássica, bem suave e gostosa.
Prepararam uma sintaxe dupla para ele e um hiato com gelo para ela. Ficaram conversando, sentados num vocativo, quando ele começou outra vez a se insinuar. Ela foi deixando, ele foi usando seu forte adjunto adverbial e, rapidamente, chegaram a um imperativo. Todos os vocábulos diziam que iriam terminar num transitivo direto.
Começaram a se aproximar, ela tremendo de vocabulário, e ele sentindo seu ditongo crescente: se abraçaram numa pontuação tão minúscula, que nem um período simples passaria entre os dois. Estavam nessa ênclise quando ela confessou que ainda era vírgula. Ele não perdeu o ritmo e sugeriu uma ou outra soletrada em seu apóstrofo. É claro que ela se deixou levar por essas palavras, estava totalmente oxítona às vontades dele, e foram para o comum de dois gêneros. Ela totalmente voz passiva, ele voz ativa. Entre beijos, carícias, parônimos e substantivos, ele foi avançando cada vez mais: ficaram uns minutos nessa próclise, e ele, com todo o seu predicativo do objeto, ia tomando conta.
Estavam na posição de primeiras e segundas pessoas do singular. Ela era um perfeito agente da passiva, ele todo paroxítono, sentindo o pronome do seu grande travessão forçando aquele hífen ainda singular.
Nisso, a porta abriu repentinamente. Era o verbo auxiliar do edifício. Ele tinha percebido tudo, e entrou dando conjunções e adjetivos nos dois, que se encolheram gramaticalmente, cheios de preposições, locuções e exclamativas. Mas ao ver aquele corpo jovem, numa acentuação tônica, ou melhor, subtônica, o verbo auxiliar diminuiu seus advérbios e declarou o seu particípio na história. Os dois se olharam, e viram que isso era melhor do que uma metáfora por todo o edifício. O verbo auxiliar se entusiasmou, e mostrou o seu adjunto adnominal. Que loucura, minha gente! Aquilo não era nem comparativo: era um superlativo absoluto. Foi se aproximando dos dois, com aquela coisa maiúscula, com aquele predicativo do sujeito apontado para seus objetos. Foi chegando cada vez mais perto, comparando o ditongo do substantivo ao seu tritongo, propondo claramente uma mesóclise-a-trois. Só que as condições eram estas: enquanto abusava de um ditongo nasal, penetraria ao gerúndio do substantivo, e culminaria com um complemento verbal no artigo feminino. O substantivo, vendo que poderia se transformar num artigo indefinido depois dessa, pensando em seu infinitivo, resolveu colocar um ponto final na história: agarrou o verbo auxiliar pelo seu conectivo, jogou-o pela janela e voltou ao seu trema, cada vez mais fiel à língua portuguesa, com o artigo feminino colocado em conjunção coordenativa conclusiva."

Programação de junho da Fundart

Fique atento!
Durante todo o mês de junho tem programação cultural
Aproveite o friozinho ameno de Ubatuba em junho, para prestigiar os eventos que a Fundart está realizando no município. Tem sempre um evento interessante acontecendo, seja exposição, filme, show, teatro ou dança, para todos os gostos e idades...

01 – QUARTA – 20h00 – Casarão do Porto
NOITE LITERÁRIA EM HOMENAGEM À ELIANA OLIVEIRA.

02 – QUINTA – 20h00 – Casarão do Porto
CINE CLUBE – “CARANDIRU”

03 a 12 – SEXTA A DOMINGO – Casarão do Porto
Exposição das Obras DE ARTISTAS UBATUBENSES SELECIONADAS PARA A ETAPA MUNICIPAL do Mapa Cultural Paulista.
. Desenho de Humor . Fotografia
. Artes Plásticas . Contos . Poesias

03 – SEXTA – 20h00 – Abertura
04 a 12 – Exposição dos trabalhos
Dias úteis, das 09h00 às 12h00 e das 14h00 às 18h00
Sábado e domingo, das 16h00 às 22h00

04 – SÁBADO – 20h00 - Casarão do Porto
CINE CLUBE - “Hans Staden. O filme” (legendado)
20h45 – Praça Exaltação da Santa Cruz
MÚSICA NA PRAÇA
RETRETA MAESTRO PEDRINHO

05 – DOMINGO – 09h00 às 13h00 – Picinguaba
TEATRO INTERATIVO INFANTIL
Participação da FUNDART no evento “Recreando em seu Bairro” da Secretaria de Esportes
O coelho Pimpão e o mágico Strogonoff convidam as crianças a montar o Grande Circo Pimpão entrando como personagens da história.
Com Aiyan Zack e Andréa Trevizan.
16h00 – Casarão do Porto
CINE CLUBE INFANTIL – “SHREK 1”

08 – QUARTA – 20h00 – Casarão do Porto
FUNDART JOVEM – Espaço de Livre Expressão da Juventude Ubatubense.
Convidados: grupo de Dança do Ventre e Senhor Lino (77 anos) poeta.

09 – QUINTA– 21h00 – Praça Anchieta
PARCEIROS DA CULTURA – Fundart e Bar do Pirata.
Sempre uma grande atração musical ao vivo.

10 – SEXTA – 20h00 – Praça Anchieta
APRESENTAÇÃO DO GRUPO “O GUARUÇÁ”
Lendas folclóricas da Sununga e do Boi de Conchas.

11 – SABADO – 20h00 – Praça Anchieta
SHOW ANDANÇAS
“UMA JORNADA CIGANA AO REINO DAS DANÇAS MÁGICAS”
Os ciganos, em suas andanças pelo mundo, incorporaram à sua dança alegre e apaixonante ritmos de todas as terras.
Com Aiyan Zack e Márcia Rhubiah
20h00 – FESTA DE SANTO ANTONIO – Sertão do Puruba e Itaguá
Tradicional festa de época com comidas típicas e atrações artísticas.

12 – DOMINGO – 21h00 – Praça Exaltação da Santa Cruz
MÚSICA NA PRAÇA – GRUPO TUPINAMBRÁS
Violão, baixo elétrico, sax, percussão e flauta.
16h00 – Casarão do Porto
CINE CLUBE INFANTIL – “MAMÃE VIREI UM PEIXE“
FESTA DE SANTO ANTONIO – SERTÃO DO PURUBA E ITAGUÁ
Tradicional festa de época com comidas típicas e atrações artísticas.

14 a 29 – TERÇA A QUARTA - EXPOSIÇÃO DE ARTESANATO
Os artesãos de Ubatuba, por meio do grupo setorial de artesanato se unem para retomar suas atividades e revitalizar a verdadeira arte popular. (continua até 30 de julho)
Sábado e domingo, das 16h00 às 22h00.

14 – TERÇA – 20h00 – Casarão do Porto
ATENEU ANTENADO – Encontro Literário
Palestra “Aprendendo com a Poesia”com a escritora Ruth Salles
Presença de François Henri Louis Guérin.

15 – QUARTA – 20h00 – Casarão do Porto
CINE CLUBE – “O Corinthiano” - Mazzaropi

17 – SEXTA – 20h00 – Casarão do Porto
CINE DEBATE - “ VILLA LOBOS ”
Coordenação do debate: Prof. Rui Alves Grilo
Participação de comentaristas convidados.

18 – SABADO – 09h00 – Ilha Anchieta
8ª ENCONTRO DOS SOBREVIVENTES DA REBELIÃO DA ILHA ANCHIETA
09h00 – Saída do Saco da Ribeira
10h00 – Culto ecumênico – Bom Jesus da Ilha Anchieta.
. Homenagem com flores na Capela do PM Laurindo Sta Cruz.
. Visita às celas do presídio.
. Intervalo para refeição
Integração do grupo com trocas de informações.
. Relatos de experiências vividas pelos participantes da rebelião.
. Participação da Banda Lira Padre Anchieta, com peças musicais que lembrarão a famosa Orquestra Tabajara.

20h00 – Casarão do Porto
SERESTAS E SERESTEIROS
Entre versos e prosas descontraídas é possível recordar bons tempos com canções da música genuinamente popular.
Apresentação: Sérgio e Regina

19 – DOMINGO – 21h00 – Praça Exaltação da Santa Cruz
MÚSICA NA PRAÇA
BANDA LIRA PADRE ANCHIETA
16h00 – Casarão do Porto
CINE CLUBE INFANTIL – “TARZAN”

22 – QUARTA – 20h00 – Casarão do Porto
FUNDART JOVEM - Espaço de Livre Expressão da Juventude Ubatubense.

21 – TERÇA – 20h00 – Casarão do Porto
CINECLUBE “MODIGLIANI”

23 – QUINTA – 20h00 – Itaguá
FESTA DE SÃO JOÃO
Tradicional festa de época com comidas típicas e atrações artísticas.
21h00 – Praça Anchieta
PARCEIROS DA CULTURA – Fundart e Bar do Pirata.
Sempre uma grande atração musical ao vivo.

24 a 29 – SEXTA A QUARTA – 19h00 – Aeroporto
82ª FESTA DE SÃO PEDRO PESCADOR
Tradicional festa dos pescadores de Ubatuba com procissão de barcos decorados, Comidas típicas, atrações folclóricas e artísticas.

30 – QUINTA – 19h00 – Casarão do Porto
LEITURA BRANCA
Leitura performática de textos de espetáculos teatrais clássicos e contemporâneos.
Com Aiyan Zack.
MÚSICA NAS ESCOLAS – CONCERTOS PEDAGÓGICOS
Grupo Metal Mania da Sociedade Lira Padre Anchieta
Os eventos serão confirmados pela Secretaria de Educação
PRESTIGIE O ARTISTA DE UBATUBA.
Adquira e indique obras da Praça das Artes.

DE 5ª A DOMINGO, A PARTIR DAS 15H00
Praça do Cruzeiro – Av. Iperoig – Centro
Grupo Setorial de Artes Plásticas – Fundart

PARTICIPE DOS GRUPOS SETORIAIS DA FUNDART COM O QUE VOCÊ TEM DE MELHOR: CULTURA.
REUNIÕES ORDINÁRIAS:
DIA 01 – QUARTA – 18h00 – História e Geografia
DIA 02 – QUINTA – 19h00 – Artes Cênicas e Dança
DIA 04 – SABADO –10h00 – Literatura
DIA 10 – SEXTA – 19h00 – Cine/Foto/Vídeo
DIA 21 – TERÇA – 19h00 – Folclore
DIA 24 – SEXTA – 18h00 – Artes Plásticas
QUARTAS-FEIRAS, às 18h00 – Artesanato

JULHO – Consultar edital sobre a reunião do grupo de Música
As pautas das reuniões são divulgadas em editais de convocação publicados nos principais jornais. A cultura de Ubatuba pode crescer com a sua colaboração. Divulgue esta programação para a comunidade. PMU
 
Free counter and web stats