quarta-feira, junho 08, 2016

Manchetes do dia

Quarta-feira 8 / 06 / 2016

O Globo
"Partidos se unem contra prisões"

Para Renan, pedido de Janot é abusivo; Sarney se diz ‘perplexo e revoltado’

Além do PMDB, integrantes de PT e PSDB criticam pedido do procurador-geral

O pedido de prisão do presidente do Senado, Renan Calheiros, do ex-presidente José Sarney e do senador Romero Jucá, todos do PMDB e acusados de tentarem atrapalhar a Lava-Jato, provocou forte reação deles e dos partidos. A decisão está nas mãos do ministro do STF Teori Zavascki, que analisará o pedido do procurador-geral, Rodrigo Janot, revelado ontem pelo GLOBO. Janot também requereu a prisão do presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha, como mostrou a TV Globo. Renan chamou o pedido de “desproporcional e abusivo”. Sarney se disse “perplexo, indignado e revoltado”. A notícia deixou alarmado o Senado, onde tramita pedido de impeachment da presidente afastada, Dilma Rousseff. Partidos de campos opostos, como PT e PSDB, defenderam os peemedebistas.      

Folha de S.Paulo
"Pedidos de prisão de Renan, Cunha, Jucá e Sarney geram crise com STF"

Vazamento do caso é crime, diz ministro Gilmar Mendes; políticos do PMDB negam acusação de tentar obstruir Lava Jato

Em ato inédito, a Procuradoria- Geral da República enviou ao Supremo Tribunal Federal pedidos de prisão de um ex-presidente da República, José Sarney, e de um presidente do Senado, Renan Calheiros. Ambos são do PMDB. O procurador-geral, Rodrigo Janot, também pediu a prisão de outros dois peemedebistas, o senador Romero Jucá e o deputado afastado Eduardo Cunha. Os quatro são acusados de tentar obstruir a Operação Lava Jato. A divulgação dos pedidos sigilosos pelo jornal “O Globo” causou crise com o STF. Para o ministro Gilmar Mendes, o vazamento é brincadeira e abuso de autoridade. Outro membro do tribunal falou em pressão sobre a corte. Os processos esperam, sem prazo, decisão do ministro relator, Teori Zavascki. No caso de Renan e Cunha, as medidas precisam ser discutidas pelo plenário do STF e, caso recebam aval, também do Senado e da Câmara. Já Sarney e Jucá estão no âmbito da segunda turma da corte, que trata da Lava Jato. Gravações feitas pelo delator Sérgio Machado, que sugerem articulação contra a investigação, baseiam os pedidos, exceto o de Cunha. Renan negou ter tentado obstruir a Justiça. A defesa de Jucá disse que a medida não se justifica. Sarney, alvo de pedido de prisão domiciliar e uso de tornozeleira, se disse “indignado”. Para Cunha, o pedido é “abusivo”.
 
O Estado de S.Paulo
"Planalto teme que pedido de prisão de Renan atrapalhe impeachment"

Os pedidos de prisão de líderes do PMDB feitos pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, por tentativa de obstrução da Justiça, causaram apreensão no Palácio do Planalto. A avaliação é que o episódio pode ter impacto na definição do processo de impeachment de Dilma Rousseff e na agenda legislativa de Michel Temer. Estão na lista de Janot o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), o senador e ex-ministro Romero Jucá (PMDB-RR), o presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ),e o ex-presidente da República José Sarney (PMDB-AP). A solicitação também abalou o Congresso, onde parlamentares governistas e de oposição foram da cautela a duras críticas ao procurador. A decisão agora caberá ao relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki, que deve levar o caso a plenário. Ministros da Corte criticaram vazamento.        
           

Nenhum comentário:

 
Free counter and web stats