sexta-feira, maio 13, 2016

Coluna do Celsinho

Joãozinho do PT

Celso de Almeida Jr.

Há um mês, o conheci.

Foi em Juiz de Fora, Minas Gerais.

Conversa muito agradável.

Em 90 minutos descobri sua trajetória política, desde jovem, a partir de ações sociais.

Atuou nas comunidades eclesiais de base.

Procurava integrar movimentos preferencialmente voltados para o auxílio aos mais pobres.

Trabalhou em estaleiro em Angra dos Reis; em cortume em JF; deu aula em curso técnico, ensinando como soldar.

Curioso, né?

Soldar é unir.

Unir por um boa causa...

Tudo a ver com o João Batista de Almeida.

Com este espírito, foi um dos grandes responsáveis pela criação do Centro de Formação de Liderança Cristã, em Juiz de Fora.

Sem dúvida, um homem muito dedicado aos que mais necessitam.

Sobre a preocupação com moradores de rua, destacou:

"Eles são invisíveis para a maior parte da sociedade. Tropeçamos neles."

Tamanho envolvimento social, com forte influência católica, abriu caminho para a política.

Foi fundador do PT em Juiz de Fora, Secretário Geral do Partido.

Coordenou o Grupo Fé e Política.

Fez parte do Conselho de Segurança Alimentar, ligado a Dom Mauro Morelli.

Conviveu com os mais influentes políticos e pensadores do Partido dos Trabalhadores.

Nutriu especial admiração por Lula, lembrando que nasceu no mesmo ano do ex-presidente, 1945.

Lutou pela implantação de um governo que ouvisse o povo.

Idealizou um governo em que o povo participasse.

Pois é...

Desejou um Brasil igual, um Brasil para todos, um Brasil para os brasileiros.

Num determinado momento, percebeu os rumos perigosos que o partido tomou.

Assustou-se quando ouviu de alto dirigente petista:

"Na América Latina, não tomaremos o poder pelas armas, mas pela boca".

Entendeu onde queriam chegar.

Por isso, deixou o partido, sentindo-se traído em seus sonhos.

Quando conversamos, ele comandava outra legenda, apesar de continuar sendo carinhosamente conhecido como o Joãozinho do PT.

Teríamos outro encontro, mas recebi a triste notícia.

Faleceu ontem, 12 de maio, mesmo dia de seu aniversário.

Curiosamente, na mesma data em que a presidente Dilma era afastada da Presidência da República.

Contrastes...

O PT perdeu o poder.

Os legítimos sonhos do brasileiro João Batista de Almeida não foram perdidos.

Diferente dos dirigentes da estância máxima do Partido dos Trabalhadores, o Joãozinho não ficou devendo nada ao Brasil.

Deixa-nos os melhores exemplos de dignidade, de luta por um amanhã melhor, de esperança e de fé.

Visite: www.letrasdocelso.blogspot.com

Nenhum comentário:

 
Free counter and web stats