Intenção enrustida



Luiz Moura
A praia Grande, mais uma vez, vira notícia. Creio que isso será constante nesta temporada de verão. O desmando impera sem que a administração de Eduardo César (PL + PT) faça a lição de casa.
Impedidos legalmente de dar prosseguimento nas obras de ampliação dos quiosques, os permissionários, pura e simplesmente ignoraram a ordem. Continuam "tocando" as construções sem qualquer estorvo. Eduardo César, dá a nítida impressão de "estar do lado" dos infratores. A população chega a afirmar que só com a permissão tácita do prefeito os quiosqueiros transgridem livremente a ordem judicial e a legislação.
Para "cobrir os prejuízos", vários destes comerciantes puseram seus negócios para funcionar embaixo de lona, em frente às construções. Engenharia Sanitária, Corpo de Bombeiros e Prefeitura fazem vista grossa num total desrespeito para com a saúde pública. Se você soubesse o que é exigido para a abertura de um estabelecimento de manipulação e comércio de alimentos e o que está sendo desacatado, seu queixo cairia. Causa espanto o que acontece nas barbas de todos. E o Judiciário, continuará permitindo esta afronta?
Em total sintonia com nosso apedeuta maior, a população é taxada de burra. Isto se pode constatar pela forma com que a administração Eduardo César vem tratando os munícipes.
Em plena avenida Iperoig, num total desrespeito para com a legislação que regula o entorno de bens tombados (e com a nossa inteligência), Eduardo César inicia a construção do "Espaço de Convivência e Entretenimento - Feira Hippie". Bonito nome para angariar recursos do DADE (Departamento de Apoio e Desenvolvimento das Estâncias). Nome pomposo para, com a maior cara-de-pau, poder aumentar o tamanho da "feira de artesanato e produtos afins". Política mesquinha. O dinheiro da população, que poderia ser mais bem empregado, servindo para o ganho de caraminguados votos. Vai perder muito mais do que pensa ganhar. A população, de olho em Ubatuba, anota estes deslizes e saberá recompensá-los nas urnas. Se não antes...
Num total contra-senso vão "mudar" o sagrado Cruzeiro de lugar, vão cortar a centenária amendoeira e sei lá o que mais, para poderem ampliar a área da feirinha.
O quadro (foto acima) de Wladimir Ferreira da Silva, retratando a avenida Iperoig em 1940, mostra os dois ícones de Ubatuba que estão prestes a serem descaracterizados. Cá com meus botões, fico pensando se existe algum motivo religioso por trás de tudo o que está acontecendo e os feirantes estão apenas servindo de boi de piranha. Só agora entendi porque a Praça das Artes, após tanta luta (dos artistas), foi feita de uma hora para outra, na orla da praia de Iperoig, em frente a Câmara Municipal.
Se permitirmos a destruição do patrimônio público, histórico e paisagístico estaremos matando a nossa galinha dos ovos de ouro. Afinal, queremos ser uma cidade turística ou estamos fadados a ser uma cidade dormitório para Caraguatatuba e São Sebastião?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Manchetes do dia

Opinião