terça-feira, novembro 29, 2016

Manchetes do dia

Terça-feira 29 / 11 / 2016

O Globo
"Incerteza com reforma atrasa recuperação da economia"

Temer pede paciência: ‘Qualquer fatozinho abala as instituições’

Mercado agora prevê expansão de apenas 0,98% do PIB no ano que vem. Em encontro com empresários, presidente prega otimismo e afirma acreditar que o país voltará a crescer

Economistas já preveem que o PIB de 2017 vá crescer menos de 1%. No auge do otimismo após o impeachment de Dilma Rousseff, a projeção era de uma expansão de 1,36% no ano que vem. A demora na aprovação das reformas e a recente crise política ampliam as incertezas. O governo tentará hoje aprovar em primeiro turno, no Senado, a proposta que cria um teto para os gastos públicos. Em discurso ontem a empresários, o presidente Temer pediu paciência e disse que o país voltará a crescer. “Como não temos instituições sólidas, qualquer fatozinho abala as instituições”, lamentou.    

O Estado de S.Paulo
"Nordeste já quer rever acordo com União para ajuste fiscal"

Governadores pressionam para que liberação de recursos da repatriação não fique atrelada a pacto; governo resiste

Menos de uma semana após o anúncio de um “pacto” pela austeridade dos Estados em troca do dinheiro da multa da repatriação, governadores do Nordeste pressionam para que a liberação dos recursos seja tratada à parte, não mais como contrapartida. Além disso, pedem a possibilidade de escolher, entre diversas medidas de ajuste fiscal, as que melhor se enquadram na realidade de cada Estado. Na lista estariam o teto de gastos estaduais por 10 anos, elevação da alíquota da Previdência e criação de um fundo com parte dos benefícios fiscais concedidos pelos Estados, medidas já discutidas na semana passada. O pedido é de que haja flexibilidade na forma de aplicação. A equipe econômica do governo federal não abre mão de medidas de ajuste para transferir os R$ 5 bilhões da arrecadação com a multa cobrada dos contribuintes que aderiram ao programa de repatriação.               

Folha de S. Paulo
"Gestão Temer lança ofensiva para tentar reverter crise"

Estratégia envolve aprovação folgada do teto de gastos e leilão de aeroportos

O presidente Michel Temer (PMDB) fará nesta semana ofensiva na área econômica para tentar estancar a pior crise desde que assumiu o cargo, seis meses atrás. Ele busca também agradar ao mercado e a empresários. A estratégia envolve vitória folgada na votação no Senado do limite para gastos públicos e anúncio de medidas nos setores de aeroportos e petróleo. A reforma da Previdência também deve ser enviada ao Congresso. A investida tenta reverter a agenda negativa gerada pelas acusações do ex-ministro Marcelo Calero (Cultura). Ele disse ter sido pressionado por Temer a resolver o caso do empreendimento imobiliário embargado no qual o ex-ministro Geddel Vieira Lima( Governo) tinha interesse. O presidente nega. A operação começou neste domingo (27) com o anúncio de veto a qualquer tentativa de anistiar crimes de caixa dois, além de ataques ao ex-ministro da Cultura. Na quinta-feira (1º),Temer se reunirá com centrais sindicais no Planalto para discutir a reforma da Previdência. A PEC (Proposta de Emenda Constitucional) deve tramitar ainda neste ano. 

Nenhum comentário:

 
Free counter and web stats