sábado, novembro 26, 2016

Manchetes do dia

Sábado 26 / 11 / 2016

O Globo
"Contra crise, Temer acena com veto a anistia a caixa 2"

Acusação de tráfico de influência derruba Geddel, o 6º a cair em 6 meses

Demissão de ministro da Secretaria de Governo não encerra episódio, e procurador-geral da República pretende ouvir também Padilha, titular da Casa Civil, sobre pressão por liberação de imóvel polêmico

A demissão de Geddel Vieira Lima da Secretaria de Governo não foi suficiente para estancar a crise provocada pela denúncia de tráfico de influência feita pelo ex-ministro Marcelo Calero (Cultura), que envolveu também o presidente Michel Temer. Na tentativa de reduzir o impacto negativo da nova crise, Temer disse a interlocutores que vai vetar, caso seja aprovada no Congresso, a anistia a crimes eleitorais, como o de caixa dois. Também acusado por Calero de pressioná-lo, o ministro Eliseu Padilha (Casa Civil) será ouvido pela Procuradoria- Geral da República, que pode estender a investigação a Temer. O PSDB defendeu o presidente e criticou Calero.    

O Estado de S.Paulo
"Temer promete ‘alguém que não esteja metido em nada’ para lugar de Geddel"

Após saída de sexto ministro em seis meses, presidente nega ter ‘enquadrado’ Calero para ajudar aliado; mercado teme por reformas

Geddel Vieira Lima se tornou o sexto ministro a deixar o cargo em seis meses de governo Michel Temer. Ele se demitiu da Secretaria de Governo menos de 24 horas após ser divulgado o depoimento em que o ex-ministro da Cultura Marcelo Calero acusa Temer de tentar “enquadrá-lo” para favorecer o aliado num caso que envolve autorização para erguer em área histórica de Salvador um arranha-céu em que Geddel comprou apartamento. “Ora vejam, quem me conhece sabe que eu não sou de sair ‘enquadrando’ ninguém. O que eu falei a ele foram coisas absolutamente normais”, disse Temer a Eliane Cantanhêde. “Não sei por que esse rapaz (Calero) reagiu dessa forma.” Sobre o substituto de Geddel, disse que terá de ser “alguém que não esteja metido com nada de nada”. O presidente do PSDB, Aécio Neves, defendeu que Calero seja investigado. A crise política afetou ontem o mercado, preocupado com a capacidade de o governo avançar nas reformas.               

Folha de S. Paulo
"Geddel cai, e Temer perde o 6º ministro em 6 meses"

Demissão ocorre um dia após Folha revelar que presidente pediu solução para caso de imóvel embargado

Com o intuito de contornar a crise política, o presidente Michel Temer (PMDB) definiu nesta sexta (25) a saída de Geddel Vieira Lima, um de seus braços direitos, da Secretaria de Governo. O aliado cedeu ã pressão de membros do governo e se demitiu. Em carta, disse ter chegado ao “limite da dor”. É o sexto ministro a deixar a função em pouco mais de seis meses de gestão Temer. O afastamento ocorreu um dia após a Folha revelar que o ex-ministro da Cultura Marcelo Calero afirmou à PF que o presidente o pressionou a achar uma saída para um imóvel de Geddel. Na semana passada, Calero deixou o cargo e, em entrevista à Folha, disse que o colega lhe cobrou a reversão do veto de órgão federal a edifício na Bahia em que havia adquirido apartamento. Para o lugar do articulador político, Temer escolherá nome capaz de negociar no Congresso o avanço da reforma da Previdência e da emenda constitucional do teto dos gastos. 

Nenhum comentário:

 
Free counter and web stats