domingo, outubro 09, 2016

Manchetes do dia

Domingo 9 / 10 / 2016

O Globo
"Retrocesso na economia vai agravar pobreza até 2025"

Classes D e E devem aumentar mesmo com retomada do crescimento

Nos próximos nove anos, população de baixa renda crescerá em mais 1 milhão de famílias. Maior preocupação dos mais pobres é com o desemprego

Mesmo com a previsão de que a economia volte a crescer, a população de renda mais baixa deve aumentar em mais 1 milhão de famílias até 2025, quando chegará a 41 milhões, segundo a consultoria Tendências, informa DAIANE COSTA. “Há muita coisa errada para consertar na economia. As famílias vão ter de se acostumar a viver com menos por mais tempo”, diz Adriano Pitoli, autor da pesquisa. Desde 2014, com a recessão e a inflação, as classes D e E aumentaram em 3,5 milhões de famílias. Outro levantamento, do Ibase, mostra que o desemprego é a maior preocupação dos mais pobres. Na casa de Glória de Oliveira Brito e Anderson Ornelas, ambos desempregados, a solução foi alugar o térreo da casa para garantir a renda familiar. 

O Estado de S.Paulo
"Pelo menos 6 Estados e DF não têm dinheiro para pagar 13º salário"

Governos esperam ajuda da União e melhora da economia para amenizar crise

Em meio à grave crise fiscal, governos estaduais já preveem dificuldades para pagar o 13.º e o restante dos salários de servidores até o fim do ano. Os Estados evitam admitir oficialmente que não há caixa para pagar o benefício, mas pelo menos sete de 24 unidades da Federação consultadas pelo Estado reconhecem que não há definição de como e quando o 13.º será depositado na conta de 2 milhões de servidores. Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia, Distrito Federal, Sergipe e Roraima não teriam recursos hoje para pagar a gratificação, segundo os respectivos secretários de Fazenda. Alguns não conseguirão o feito mesmo com ajuda do governo federal. Além de socorro do Tesouro Nacional, eles contam com a recuperação da economia para aumentar a arrecadação. Apesar da situação geral delicada, outros 12 Estados, incluindo São Paulo, prometeram pagar o 13.º no prazo.        

Folha de S. Paulo
"Caixa ajudou Odebrecht no Itaquerãocom R$ 350mi"

Empreiteira fez transação sigilosa com banco relativa à arena do Corinthians

Investigada na Lava Jato, a Odebrecht fez transação sigilosa com a Caixa Econômica Federal, em 2014, para cobrir um rombo milionário na construção do Itaquerão, o palco da abertura da Copa no Brasil, informam Camila Mattoso e Julio Wiziack. Para ajudar a Odebrecht a recuperar o dinheiro gasto, o banco estatal comprou debêntures (títulos de crédito que funcionam como um empréstimo, sobre o qual incidem juros) emitidas pela empreiteira em um valor de pelo menos R$ 350 milhões. A Odebrecht foi contratada pelo Corinthians em 2011 para erguer o Itaquerão. O dinheiro sairia de financiamento de R$ 400 milhões do BNDES e de créditos de R$ 420 milhões cedidos pela Prefeitura de SP — estes emperraram em ação judicial. Mesmo sem essa verba, a empresa concluiu o estádio. Depois, acertou o negócio com a Caixa, estruturado porque não havia garantias suficientes para acerto com outro banco. Procurados, Caixa e Odebrecht não se manifestaram.
 

Nenhum comentário:

 
Free counter and web stats