quarta-feira, outubro 26, 2016

Manchetes do dia

Quarta-feira 26 / 10 / 2016

O Globo
"Câmara conclui votação, e teto de gastos vai ao Senado"

Proposta do governo é aprovada em segundo turno por ampla maioria

Planalto já se articula para garantir aval dos senadores

O projeto que fixa um teto para despesas públicas foi aprovado em segundo turno na Câmara por ampla maioria: 359 votos a favor. O governo se articula para garantir tramitação tranquila também no Senado, já em novembro. O presidente Temer jantou na segunda-feira com o presidente Renan Calheiros, que ontem disse esperar que a crise do Senado com o STF e o ministro da Justiça por causa da Lava- Jato “não atrapalhe” o calendário das reformas.   

O Estado de S.Paulo
"Presidente do STF rebate Renan e crise de Poderes se agrava"

Michel Temer marca reunião para tentar conciliação, mas Cármen Lúcia alega não ter espaço em sua agenda; presidente do Senado mantém tom das críticas

A presidente do STF, Cármen Lúcia, reagiu às declarações do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDBAL), contra o juiz de Brasília Vallisney de Souza Oliveira, o que agravou a crise entre os representantes dos três Poderes deflagrada na sexta-feira após a PF prender quatro agentes da Polícia Legislativa. “Onde um juiz for destratado, eu também sou”, disse Cármen Lúcia menos de 24 horas após Renan chamar o juiz da 10.ª Vara Federal, que autorizou a ação no Senado, de “juizeco”. Na ocasião, o senador também criticou o ministro Alexandre de Moraes (Justiça), que apontou “excessos” na atuação dos policiais legislativos. O presidente Michel Temer tentou articular uma reunião, hoje, no Planalto, com Renan, Cármen e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). A presidente do STF, no entanto, recusou o convite alegando agenda comprometida. Renan manteve o tom das críticas.           

Folha de S. Paulo
"Em 2ª votação, Câmara aprova limite de gastos"

Governo Temer obtém vitória, mas apoio à proposta cai de 366 para 359 votos

A Câmara dos Deputados aprovou em segundo turno nesta terça-feira (25) o texto base da chamada PEC do Teto, proposta de emenda constitucional que congela os gastos do governo federal. Ainda seriam analisadas emendas ao projeto, que depois seguirá para o Senado. A proposta recebeu 359 votos favoráveis, 116 contrários, além de duas abstenções, o que frustrou o plano governista de ampliar a maioria alcançada no primeiro turno. Há duas semanas, 366 deputados votaram a favor. Eram necessários ao menos 308 votos para a aprovação. O governo de Michel Temer (PMDB) comemorou o avanço da medida, considerada prioridade no Congresso neste ano, mas reconheceu que foi uma “vitória menor” em função do placar. Ministros haviam sinalizado retaliações a deputados que não apoiaram a PEC. Partidos da base, PPS e PSB voltaram a trair o Planalto. A medida propõe restringir as despesas do governo à inflação dos 12 meses anteriores e tem duração de 20 anos. Há possibilidade de mudança na forma de limitar os gastos a partir do décimo ano.  
 

Nenhum comentário:

 
Free counter and web stats