sábado, outubro 22, 2016

Manchetes do dia

Sábado 22 / 10 / 2016

O Globo
"Petrobras baixa preço, mas... Gasolina fica mais cara"

Após corte de 3,2% nas refinarias, valor do litro sobe 4,64% nas bombas

Aumento no Rio foi maior do que na média do Brasil. Postos elevaram margem de lucro depois da decisão da estatal. Combustível sofre impacto também da entressafra da cana-de-açúcar, que pressiona etanol

Na semana seguinte à redução de 3,2% no preço da gasolina nas refinarias pela Petrobras, o litro do combustível ficou 4,64% mais caro nos postos de gasolina da cidade do Rio, segundo levantamento da Agência Nacional do Petróleo (ANP). Na média do país, também houve aumento, embora menor, de 0,4%. Os preços sofreram influência do etanol, que representa 27% da composição da gasolina. Com a entressafra da cana-de-açúcar, o álcool subiu 9,9% desde o último dia 16. Além disso, segundo analistas, os postos aproveitaram a redução de preços da Petrobras para elevar suas margens de lucro.  

O Estado de S.Paulo
"Operação aumenta tensão entre Congresso e Lava Jato"

Prisão de quatro policiais legislativos também provocou troca de farpas entre ministro e presidente do Senado

A Polícia Federal prendeu quatro policiais legislativos do Senado, suspeitos de atrapalhar investigações da Lava Jato e de outras operações. Os agentes são acusados de fazer varreduras contra eventuais escutas colocadas pela PF em imóveis de políticos. Em reação, o presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse que “a Polícia Legislativa exerce atividades dentro do que preceitua a Constituição, as normas legais e o regulamento do Senado”. No fim do dia, ele e o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, trocaram farpas e três agentes foram liberados. Investigações mostraram que a Polícia Legislativa inspecionou casas de Fernando Collor (PTC-AL) e Gleisi Hoffmann (PT-PR), dias após mandados de busca e apreensão. Também houve “pente-fino” em endereços do ex-senador José Sarney (PMDB-AP), de Edison Lobão Filho (PMDB-MA) e até de terceiros.          

Folha de S. Paulo
"PF prende chefe da polícia do Senado e mais três agentes"

Um dos alvos é próximo a Renan Calheiros; investigação suspeita de esquema para obstruir Operação Lava Jato

A Polida Federal prendeu o diretor da polícia do Senado, Pedro Ricardo Carvalho,e mais três policiais legislativos sob suspeita de tentarem interferir nas investigações da Operação Lava Jato.

Segundo a PF, o grupo fez varreduras, contrariando as normas internas, para detecção de interceptação de conversas em endereços de Brasília, Curitiba e São Luís. 0 regulamento administrativo da Casa, entretanto, permite a atuação dos policiais fora do Congresso, “quando determinado pelo presidente do Senado”.

As operações teriam ocorrido em imóveis ligados aos senadores Fernando Collor (PTC-AL) e Gleisi Hoffmann (PT-PR) e aos ex-senadores José Sarney (PMDB-AP) e Lobão Filho (PMDB-MA). Carvalho é homem de confiança do chefe do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).


Renan disse que os policiais legislativos atuam dentro da lei e defendeu a “independência dos poderes”. Senadores decidiram fazer ofensiva contra o Judiciário, que avalizou a ação. 
 

Nenhum comentário:

 
Free counter and web stats