quarta-feira, outubro 12, 2016

Manchetes do dia

Quarta-feira 12 / 10 / 2016

O Globo
"De saída, Beltrame diz que UPPs ainda são desafio"

Roberto Sá assumirá o cargo e pretende reforçar policiamento nas ruas

Secretário de Segurança que implantou a política de pacificação no estado há quase dez anos diz acreditar que projeto terá continuidade porque homicídios caíram e moradores aprovam o programa

Após quase dez anos à frente da Segurança do estado, o secretário José Mariano Beltrame decidiu deixar o governo, como antecipou ontem ANCELMO GOIS, e disse ter certeza de que, apesar dos problemas, as UPPs, marco de sua gestão, provam que é possível pacificar territórios antes dominados pelo tráfico. “Poupamos muita vidas. Especificamente, 21.060 vidas em nove anos e nove meses”, disse, um dia após confrontos que aterrorizaram a Zona Sul. Na segunda, assumirá o cargo um de seus principais assessores, o delegado Roberto Sá, que quer reforçar o patrulhamento nas ruas. Favelas vão ganhar 25 bases blindadas.  

O Estado de S.Paulo
"BNDES bloqueia verba de empreiteiras para obra no exterior"

Banco suspende liberação de US$ 4,7 bi para construtoras investigadas na Lava Jato

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) suspendeu em maio o desembolso de recursos para 25 operações de exportação de serviços de engenharia prestados por empresas investigadas na Operação Lava Jato em nove países: Angola, Cuba, Venezuela, Moçambique, Argentina, Guatemala, Honduras, República Dominicana e Gana. Os projetos de Odebrecht, OAS, Queiroz Galvão, Camargo Corrêa e Andrade Gutierrez somam US$ 7 bilhões em financiamentos, dos quais US$ 4,7 bilhões tiveram a liberação congelada. A suspensão em bloco foi motivada por ação civil da Advocacia-Geral da União. Ontem, o diretor de Comércio Exterior do banco, Ricardo Ramos, anunciou que a instituição vai refazer a análise de crédito dos 25 empréstimos, que poderão ser cancelados definitivamente ou retomados.         

Folha de S. Paulo
"Total de acidentes com mortes nas marginais cai 52%"

Após redução da velocidade nas vias de SP, atropelamentos fatais passaram de 24 para 1; Doria promete reverter medida

Um ano após a implantação da redução de velocidade nas marginais Tietê e Pinheiros, a soma de acidentes fatais nas vias paulistanas caiu pela metade, segundo dados compilados pela CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) obtidos pela Folha. De julho de 2014 a junho de 2015, foram 64 acidentes com mortes, contra 31 ocorrências do tipo nos 12 meses seguintes, até junho de 2016. Com isso, a queda foi de 52%. Na mesma base de comparação, o número de colisões fatais passou de 40 para 30; o total de atropelamentos com mortes caiu de 24 para um. Não é incomum encontrar ambulantes em meio a veículos nos horários de pico ou pedestres atravessando as vias. A redução dos limites, em julho de 2015, dominou o debate eleitoral e ganhou força na transição entre as equipes do prefeito Fernando Haddad (PT) e de João Doria (PSDB). Na campanha, o tucano disse que daria fim “à indústria da multa” elevando os limites, em janeiro de 2017. Mesmo com a queda das mortes, as multas por excesso de velocidade —que podem variar de R$ 85 a R$574—triplicaram nas vias. Mas o tucano já admite rever a promessa. Em conversa com cicloativistas, disse que pode manter a velocidade reduzida em alguns trechos das marginais.
 

Nenhum comentário:

 
Free counter and web stats