sexta-feira, outubro 14, 2016

Coluna do Celsinho

Bersou

Celso de Almeida Jr.

Soube do falecimento do Luiz Bersou, ocorrido nesta quinta-feira, 13/10/2016.

Uma fulminante doença consumiu a sua saúde em menos de dois meses.

Eu desconhecia a batalha final deste grande guerreiro.

Meu último contato com ele foi em fevereiro passado.

Nossa amizade nasceu há 17 anos.

Luis Bersou, engenheiro, consultor de empresas, conceituado estudioso de administração, atuou também em gerenciamento de planos estratégicos para o desenvolvimento de cidades, no Brasil e no exterior.

Extremamente bem relacionado, Bersou teve a generosidade de me apresentar vários de seus notáveis amigos.

Homens e mulheres muito cultos, muito éticos, muito preocupados com o nosso país.

Recordo-me de um contato extraordinário com um de seus amigos, o saudoso  professor Gilberto Dupas, escritor e cientista social, destacado intelectual brasileiro que presidiu o Instituto de Estudos Econômicos e Internacionais e que coordenava o Grupo de Conjuntura Internacional da USP.

Muito aprendizado, muita informação, muitas lições de Brasil e de mundo.

Eu ainda tive a possibilidade de atuar na BCA, consultoria de Luiz Bersou herdada de seu pai, possivelmente uma das mais antigas de São Paulo.

Dos milhares de documentos técnicos produzidos por seus consultores, ao longo de décadas, fui brindado com a oportunidade de estudar algumas centenas.

Um patrimônio inestimável que Bersou sempre compartilhou com os amigos e o público interessado.

Em Ubatuba, onde teve casa na praia Vermelha do Sul, conhecida como praia dos Arquitetos, Luiz Bersou sempre estava pronto para debater o presente e o futuro da cidade, provocando os interlocutores com ideias inovadoras, transformadoras.

Transformar...

Talvez esta palavra seja a que melhor sintetize a inspiração que garantiu energia ao privilegiado pensamento de Luiz Bersou.

Testemunhei muitas de suas ações, mas serei sempre muito grato às orientações estratégicas que ofereceu, voluntariamente, para auxiliar-me a superar as diversas crises que nossa escola enfrentou nestas quase quatro décadas.

Destaco também a organização definitiva do Instituto Salerno-Chieus, que sob a orientação de Luiz Bersou passou de organismo auxiliar do Colégio Dominique para instituição autônoma de fomento cultural e estímulo a estruturação de empreendimentos.

Percebem, prezado leitor, querida leitora?

Transformações que apontam para dias melhores, para novas conquistas.

Frutos consolidados a partir da boa vontade, inteligência e dedicação de um - agora - saudoso brasileiro.

Ao amigo que parte, o meu eterno agradecimento.

Visite: www.letrasdocelso.blogspot.com

Nenhum comentário:

 
Free counter and web stats