sexta-feira, setembro 02, 2016

Manchetes do dia

Sexta-feira 2 / 09 / 2016

O Globo
"Aliados de Temer recorrem para tornar Dilma inelegível "

Ex-presidente também apela ao STF, mas para anular julgamento

Ministros do Supremo, Gilmar Mendes e Celso de Mello criticaram a decisão do Senado, chancelada pelo ministro Lewandowski, que permitiu a divisão do processo e beneficiou a petista

PSDB, DEM, PPS e também o PMDB do presidente Michel Temer decidiram recorrer ao Supremo Tribunal Federal contra o fatiamento do julgamento da ex-presidente Dilma Rousseff pelo Senado, que a livrou da pena de proibição de ocupar cargo público. A divisão do processo foi criticada pelos ministros do STF Gilmar Mendes e Celso de Mello. “É, no mínimo, bizarro”, atacou Gilmar. Para o decano Celso de Mello, o impeachment “não pode ser dissociado” do veto a futuras candidaturas. A defesa de Dilma também recorreu ao Supremo, mas para tentar anular todo o julgamento do Senado.                 
 
O Estado de S.Paulo
"Cresce reação de partidos e ministros do STF a ‘acordão’"

PSDB, DEM, PMDB e outras três legendas vão ao Supremo contra fatiamento de votação no Senado

Aliados de Michel Temer no Senado decidiram protocolar recurso STF contra o fatiamento da votação do impeachment de Dilma Rousseff. Encabeçado pelo PSDB, o documento será assinado por DEM, PPS e parte do PMDB, partido que registrou votação expressiva contra a inabilitação da petista por 8 anos. Além de abrandar a pena de Dilma, a votação abriu precedente que pode beneficiar Eduardo Cunha e outros parlamentares. Seis mandados de segurança foram protocolados no STF para tentar anular o fatiamento. A defesa de Dilma entrou com pedido para reverter todo o impeachment. Para o ministro Gilmar Mendes, do STF, fatiamento foi “no mínimo, bizarro”. Celso de Mello o chamou de “pouco ortodoxo”. Na China, Temer disse estar acostumado a “pequenos embaraços” na base. Segundo ele, a questão “sai do plano exclusivamente político para um quadro de avaliação de natureza jurídica, o que convém às instituições”.  

Folha de S. Paulo
"Coalizão de Temer lidera arrecadação eleitoral pelo país"

Na dianteira em 2012, candidatos do PT estão até agora em sétimo lugar, segundo dados da Justiça Eleitoral

Partidos que formam a base aliada do governo Michel Temer (PMDB) lideram a arrecadação de verba para as eleições municipais, de acordo com dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Atingido pelo impeachment de Dilma Rousseff e a Lava Jato, o PT ficou na dianteira em 2012 e agora é sétimo. Os dados tabulados pela Folha correspondem às informações entregues por candidatos até o último dia 31. O PMDB é o partido com mais receita entre os postulantes a prefeito e vereador, com cerca de R$ 44 milhões. Em relação à arrecadação total de 2012, a fatia continua em cerca de 14% do total. Em seguida vem o PSDB, que voltou ao governo após 14 anos, com R$ 35 milhões, ou quase 12% na eleição anterior e na atual, até agora. Afatia do PP, aliado do PT durante as gestões Dilma e Lula, foi a que mais cresceu. Diretórios de campanha da sigla que comanda a pasta da Saúde no governo Temer arrecadaram R$ 26 milhões até agora. Em quatro anos, o PP passou de 5,4% para 7,8% da receita total. Em 2012, os petistas concentravam 15% dos recursos. Neste ano, eles têm 5,97%. Segundo o presidente do PT-SP, Paulo Fiorilo, a sigla optou por reduzir o número de candidatos e o uso do fundo partidário em eleições. 
 

Nenhum comentário:

 
Free counter and web stats