quarta-feira, setembro 14, 2016

Manchetes do dia

Quarta-feira 14 / 09 / 2016

O Globo
"Plano de privatizações é lançado, mas só para 2017"

Programa do governo prevê R$ 30 bi para financiar infraestrutura

Projeto de parcerias é recebido com cautela por empresários e analistas, que aprovam menor intervencionismo do Planalto, mas dizem ter dúvidas sobre crédito maior via mercado

O governo lançou ontem seu programa de privatizações com 34 projetos de infraestrutura que serão leiloados a partir de 2017. Havia a expectativa de que ao menos alguns projetos fossem lançados ainda este ano. Estarão disponíveis R$ 30 bilhões do BNDES e do FI-FGTS para o financiamento. O anúncio foi recebido com otimismo moderado por analistas e empresários, que aprovam a política menos intervencionista do governo, mas têm dúvidas se haverá demanda de investidores para financiar os projetos via títulos no mercado.                    
 
O Estado de S.Paulo
"Governo Dilma agiu para abafar CPI, diz Léo Pinheiro"

Segundo ex-presidente da OAS, ex-ministro Berzoini participou de reunião para barrar avanço de investigações

O ex-presidente da OAS José Adelmário Pinheiro, o Léo Pinheiro, admitiu ao juiz federal Sérgio Moro pagamento de propinas para abafar a CPI mista da Petrobrás, em 2014. Pinheiro disse que repassou ao PMDB R$ 2,5 milhões – sendo R$ 1,5 milhão por caixa 2 – e que o petista Ricardo Berzoini, então ministro de Relações Institucionais de Dilma Rousseff, participou de reunião em que teria sido tratado o acerto para impedir o avanço das investigações da CPI. O empreiteiro afirmou ter se sentido extorquido pelos então ex-senadores Gim Argello (PTB-DF) e Vital do Rêgo (PMDB-PB) – que eram vice e presidente, respectivamente, da comissão – e pelo ex-ministro de Dilma. Declarou ainda que foi procurado na época pelo deputado Marco Maia (PTRS), relator da CPI, que lhe pediu “contribuição de R$ 1 milhão” para “proteger” a OAS no relatório final da comissão parlamentar.     

Folha de S. Paulo
"Temer oferece R$ 30 bilhões a projetos de infraestrutura"

Privatizações e concessões devem ter início no primeiro trimestre de 2017

O programa de concessões e privatizações lançado pelo presidente Michel Temer (PMDB) terá pelo menos R$ 30 bilhões em dinheiro com juros subsidiados por bancos públicos e pelo FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço). Batizado de Crescer, o programa inclui 34 projetos em rodovias, ferrovias, portos, aeroportos, mineração, petróleo e gás e energia elétrica, quase todos herdados da gestão Dilma Rousseff (PT). Entre os novos projetos, estão a privatização de três empresas estaduais de saneamento (RJ, PA e RO) e da loteria instantânea da Caixa. Os primeiros leilões estão marcados para o primeiro trimestre de 2017. O início das obras costuma demorar entre nove meses e um ano. Uma medida provisória será publicada para tentar recuperar concessões que hoje enfrentam dificuldades de obtenção de crédito para tocar obras contratadas. Moreira Franco, secretário responsável pelos projetos, não quis divulgar estimativas de investimentos e arrecadação. Seria ação de marketing semelhante à adotada pela gestão Dilma, disse. O modelo adotado continuará fundamentalmente na mão do Estado. As concessões vão ter entre 40% e 50% de empréstimos do BNDES com juros subsidiados. O restante será feito com 20% de recurso do vencedor da disputa e o que sobrar, com a e missão de títulos. 
 

Nenhum comentário:

 
Free counter and web stats