segunda-feira, setembro 12, 2016

Manchetes do dia

Segunda-feira 12 / 09 / 2016

O Globo
"Após crítica de Temer, PMDB recua de reajuste"

Senadores entenderam que não é o momento para gastos, avalia Planalto

Valdir Raupp, um dos defensores do reajuste, diz que a mudança de posição ‘já está sendo analisada’; Gilmar Mendes critica efeito cascata

Após a declaração do presidente Michel Temer, em entrevista ao GLOBO, de que é contra o reajuste para ministros do Supremo, aumentaram ontem as chances de a proposta ser rejeitada no Senado. No PMDB, senadores que defendiam o aumento, como Valdir Raupp, começaram a recuar, e o líder do governo na Casa, Aloysio Nunes (PSDB), disse que já não existe disposição de aprová-lo. A nova presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, é contra o reajuste neste momento. O ministro Gilmar Mendes, também do STF, defendeu o fim do efeito cascata por todo o Judiciário.                    
 
O Estado de S.Paulo
"Montadoras e revendas de carros cortam 200 mil vagas"

Previsão é de que o número, que se refere aos últimos dois anos, continue crescendo no setor

A crise que levou à redução drástica nas vendas e na produção de veículos no Brasil provocou o fechamento, de 2014 até agora, de 31 mil vagas nas montadoras. Na esteira, também foram demitidos mais de 50 mil trabalhadores nas autopeças e mais de 124 mil nas concessionárias. A conta supera 200 mil cortes e os números vão seguir em alta, já que há ajustes a serem feitos em algumas fábricas, como as de Taubaté (SP) e São José dos Pinhais (PR), com abertura de programas de demissão voluntária pela Volks. “O ambiente é de muita pressão”, afirma um funcionário de montadora que aderiu ao PDV. O presidente da Anfavea, Antonio Megale, vê uma recuperação lenta, com expectativa de início da retomada do mercado em 2017. Neste ano, a entidade estima nova queda de 19% nas vendas em relação a 2015. A crise no setor no Brasil provocou prejuízos bilionários aos fabricantes.    

Folha de S. Paulo
"Gestão Temer quer licitar de novo rodovias e aeroportos"

Sem cumprir contratos, concessionárias dizem não ter obtido crédito já acertado

O governo Michel Temer (PMDB) decidiu refazer a licitação de concessões de rodovias e aeroportos realizadas pela gestão Dilma Rousseff (PT) que não estiverem cumprindo seus contratos. O plano, a ser levado nesta terça (13) à reunião inaugural do Conselho do Programa de Parceria em Investimentos, é editar medida provisória que permita ofertar essas concessões de novo. A maioria foi ganha entre 2013 e 2014 por grupos envolvidos na Operação Lava Jato. O objetivo é evitar que uma dívida de R$ 4 bilhões seja assumida por bancos privados e públicos garantidores do financiamento. A proposta prevê que os novos investidores indenizem as concessionárias pelos investimentos já realizados e que elas possam concorrer em novas disputas. As concessionárias dizem que o governo Dilma não cumpriu sua parte na oferta de crédito e que deixou de assumir despesas de sua responsabilidade. 
 

Nenhum comentário:

 
Free counter and web stats