segunda-feira, fevereiro 08, 2016

Manchetes do dia

Segunda-feira 8 / 02 / 2016

O Globo
"Rio, enfim, volta a mapear focos do ‘Aedes’"

A prefeitura do Rio voltarà a fazer semana que vem o Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypt (LIRAa). A Secretaria de Saúde alega que o mapeamento dos focos do vetor de dengue, zica e chikungunya foi interrompido no ano passado por orientação do Ministério da Saúde. Segundo especialistas, o levantamento é fundamental no combate à epidemia. 

Folha de S.Paulo
"Cortes de luz disparam com alta de tarifa e inadimplência"

O número de cortes de energia no país quase dobrou em um ano, de 1,6 milhão no primeiro semestre de 2014 para 3,1 milhões no mesmo período de 2015.

Entre os motivos estão a recessão, que tira poder de compra da população e eleva a inadimplência, e a alta no preço da energia.

As contas subiram 51% no país, em média, segundo o IPCA (índice oficial de inflação). O reajuste foi um dos principais responsáveis por levar a inflação brasileira a fechar o ano em 10,67%.

Para as distribuidoras, os cortes são o principal instrumento para forçar o cliente a pagar as faturas atrasadas.

O aumento de interrupções elevou custos do setor, que pede mudanças nos prazos fixados em lei. Hoje, se uma conta não for paga, a distribuidora tem prazo máximo de 90 dias para efetuar o corte da energia elétrica.

As empresas têm adotado outros instrumentos como denúncia de clientes inadimplentes aos serviços de proteção ao crédito.

Segundo a Serasa Experian, o número de pessoas que passou a ter o nome sujo em razão do não pagamento de conta de energia subiu 11% nos primeiros quatro primeiros meses de 2015 —em relação a esse período em 2014.  

O Estado de S.Paulo
"Oito em nove programas sociais perdem verba"

Oito dos nove principais programas sociais que entraram em vigor ou tiveram seu auge nos governos Lula e Dilma Rousseff perderam recursos no ano passado. Levantamento feito a partir de dados do Orçamento da União mostraa inflação como agravante: até programas que tiveram mais orçamento em termos nominais viram o valor ser corroído. O Bolsa Família, por exemplo, recebeu R$ 1 bilhão a mais em 2015. Corrigido pela inflação, o montante é 4,7% menor do que em 2014. Luz Para Todos, Brasil Sorridente e Pronaf estão na mesma situação. Em termos reais, Brasil Carinhoso,voltado à primeira infância, foi o mais atingido-perdeu 51% da verba. Novos cortes foram agendados para este ano. No orçamento aprovado em dezembro, o Pronatec caiu 44% em relação a 2015 e o Minha Casa Minha Vida,58%. O governo admite revisar os programas. O contingenciamento final será anunciado depois do carnaval. 
           

Nenhum comentário:

 
Free counter and web stats