quinta-feira, fevereiro 04, 2016

Manchetes do dia

Quinta-feira 4 / 02 / 2016

O Globo
"Taxa extra na conta de luz será menor"

Bandeira vermelha acabará

Em março, custo adicional cairá de R$ 3 para R$ 1,50. Na média, tarifa terá redução de 3%

Em março, o governo substituirá a bandeira vermelha pela amarela nas contas de luz e, com isso, a taxa extra vai cair de R$ 3 para R$ 1,50 a cada cem quilowatts-hora consumidos. O valor da conta ficará, em média, 3% menor. É a quarta medida recentemente adotada para baratear a energia. No total, será um alívio de 10%, após aumentos que superaram 50% no ano passado.

Folha de S.Paulo
"Surto de zika e dengue gera corrida para atrair médicos"

Prefeituras recorrem a contratações temporárias e hospitais improvisados

Com o avanço da dengue e o medo da zika, prefeituras recorrem à contratação de médicos temporários e a hospitais de campanha para tratar pacientes infectados pelo mosquito Aedes aegypti, que transmite as doenças. Há prefeituras oferecendo até R$ 1.200 por dia para atrair profissionais temporários. Mas cidades com epidemia ou em estado de emergência enfrentam dificuldade para encontrar médicos. Medidas de emergência foram adotadas em cidades de São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Paraná. Especialistas classificam as ações como paliativas e defendem o combate a focos de proliferação do mosquito. Nesta semana, a OMS (Organização Mundial de Saúde) declarou emergência mundial devido à suspeita de ligação do vírus da zika com casos de microcefalia. O Brasil já registrou 404 casos confirmados de recém-nascidos com má- formação. Em pronunciamento, a presidente Dilma pediu engajamento de toda a sociedade contra o mosquito e disse que o combate à zika é uma “luta urgente”. 
       
O Estado de S.Paulo
"Dilma reduz meta do Minha Casa em 1 milhão de moradias"

Presidente admite que não cumprirá promessa de campanha de entregar 3 milhões de imóveis até 2018

A presidente Dilma Rousseff reconheceu oficialmente, pela primeira vez, que não cumprirá a meta de campanha à reeleição de construir 3 milhões de moradias na terceira etapa do Minha Casa Minha Vida até o fim de seu mandato, em 2018. “Nós tivemos de rever os valores. Nós também passamos por dificuldades.O Brasil passa por dificuldades. Nós estamos calculando que iremos fazer em torno de 2 milhões a mais de moradias”, disse ontem. A primeira promessa de Dilma de 3 milhões de moradias foi em julho de 2014, na véspera do começo da campanha eleitoral. De lá para cá, o início da nova fase do programa foi adiado sucessivas vezes. Em outubro, quando o Estado informou que não restaria saída ao governo a não ser rever a meta, o Ministério das Cidades disse que ela continuava de pé. Anteontem, no Congresso, a presidente voltou a prometer a retomada do programa.
           

Nenhum comentário:

 
Free counter and web stats