quarta-feira, fevereiro 03, 2016

Manchetes do dia

Quarta-feira 3 / 02 / 2016

O Globo
"Dilma pede ajuda ao Congresso contra recessão"

Presidente é vaiada por oposicionistas ao defender volta da CPMF

Na abertura do ano legislativo, petista fez um apelo pela aprovação de medidas para o reequilíbrio financeiro, comprometeu-se com reformas, mas deixou de lado temas como a Educação

Com o Brasil enfrentando a pior recessão das últimas décadas, a presidente Dilma foi ontem ao Congresso, na abertura do ano legislativo, fazer um apelo por apoio a medidas que ajudem o país a retomar o crescimento. Dilma foi vaiada por oposicionistas ao pedir a aprovação da CPMF, que definiu como a “melhor solução disponível” para elevar a receita. Ela prometeu adotar limite para gastos públicos e se empenhar na aprovação de reformas, como a da Previdência. O discurso deixou para trás prioridades do primeiro ano de governo, como o lema “Pátria Educadora”.
 


Folha de S.Paulo
"Dilma pede apoio ao Congresso e é vaiada ao defender a CPMF"
Presidente considera a volta do tributo uma saída rápida para melhorar as contas do governo

Parte do plenário da Câmara, ocupado por deputados e senadores, vaiou a presidente Dilma, que esteve no Congresso para pedir apoio a ações contra a crise. Em discurso de 40 minutos na reabertura das atividades do Legislativo, a petista foi interrompida várias vezes, em especial ao defender a recriação da CPMF como saída rápida para melhorar as contas do governo. A presidente afirmou que a retomada do tributo seria uma medida “temporária” e “em favor do Brasil”. Alguns parlamentares, durante a fala de Dilma, ergueram placas que tinham os dizeres “Xô CPMF”. Houve oito momentos em que Dilma recebeu vaias. Ela pediu então aos parlamentares que formassem um juízo sobre o assunto, levando “em conta dados e não opiniões”.Em outros 13 momentos, foi aplaudida. A presidente defendeu também a reformada Previdência, a importância do combate ao vírus zika e a alteração da legislação de acordos de leniência. O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), disse que a Casa analisará as propostas enviadas pelo Executivo,mas lembrou das dificuldades políticas de 2015 e afirmou que 2016 será “mais difícil”.
       
O Estado de S.Paulo
"Dilma defende nova CPMF e é vaiada no Congresso"

A presidente Dilma Rousseff foi vaiada por oposição e base aliada ontem, ao pedir apoio de deputados e senadores para aprovação da CPMP e da reforma da Previdência, na abertura do Ano Legislativo. Ela não participava da cerimônia desde 2011. Parlamentares também reagiram quando Dilma falou de arrecadação, obra de transposição do Rio São Francisco e mudanças que mexeram em direitos trabalhistas e previdenciários. A interrupção de Mara Gabrilli (PSDB-SP), no entanto, foi o que mais incomodou a presidente. "O Brasil não consegue cuidar do seu povo", gritou ela, quando Dilma falava sobre adaptação do sistema de saúde para atender crianças com microcefalia. A presidente disse que esperava que a deputada contribuísse com "boas ideias".Na entrada do Congresso, Dilma cumprimentou a todos com beijinhos, exceto o presidente da Câmara, Eduardo Cunha,que recebeu aperto de mão. Em seu discurso, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), defendeu independência do Banco Central.
           

Nenhum comentário:

 
Free counter and web stats