sábado, janeiro 09, 2016

Manchetes do dia

Sábado 9 / 01 / 2016

O Globo
"Inflação é a mais alta em 13 anos, e BC deve elevar juros"

Preços subiram 10,67% em 2015, puxados por luz, gasolina e alimentos

Tombini culpa política fiscal por sexto ano seguido de descumprimento da meta. Analistas preveem novo estouro este ano, com variação acima de 7%

Pressionada pelo aumento da conta de luz, dos combustíveis e dos alimentos, a inflação medida pelo IPCA teve alta de 10,67% em 2015, o maior patamar em 13 anos, segundo o IBGE. Para os mais pobres, o custo de vida subiu ainda mais: 11,28% pelo INPC. Foi o sexto ano seguido de descumprimento da meta de inflação. Para evitar nova escalada dos preços em 2016, o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, sinalizou que a instituição voltará a subir os juros. Analistas acreditam que, ainda assim, a taxa deverá superar o teto fixado, ficando acima de 7%. Em carta à Fazenda para explicar o estouro da meta, Tombini culpou a condução da política fiscal. 


Folha de S.Paulo
"Inflação em 2015, de 10,67%, é a mais elevada desde 2002"

Preços controlados e alimentos pressionam índice; tendência para 2016 é de novo estouro da meta

Pressionada pelos itens administrados pelo governo, como energia elétrica e gasolina, e pelos preços dos alimentos, a inflação fechou 2015 em 10,67%, bem acima do teto da meta fixada pelo governo, de 6,5%no ano. O IPCA, índice oficial do país, não era tão alto desde 2002, ano final do governo Fernando Henrique (PSDB), quando atingiu 12,53%. Os preços controlados por governos subiram 18%. São itens como energia (51%),gasolina (20%) e ônibus (15%), que haviam sido represados em 2014, ano de eleição. Alimentos e bebidas também tiveram forte reajuste (12%). O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, publicou carta com explicações sobre o não cumprimento da meta. Para analistas, a inflação deve continuar a subir em 2016, com intensidade menor, mas com novo estouro do teto.  

O Estado de S.Paulo
"Inflação vai a 10,67%; BC culpa governo por estouro da meta"

Taxa foi a maior em 13 anos; BC responsabiliza câmbio, correção de preços e indefinição da política fiscal

A inflação oficial encerrou 2015 no maior patamar em 13 anos por causa, sobretudo, da correção de preços de energia elétrica e combustíveis, represados em anos anteriores justamente para conter a inflação. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu para 10,67%, taxa mais elevada desde 2002 (12,53%).Em carta ao ministro da Fazenda para explicar por que não foi possível manter a inflação no limite de 6,5% estabelecido pelo governo, o Banco Central culpou o câmbio, a correção dos preços administrados pelo governo e as indefinições da política fiscal pelo aumento do índice. Para este ano, é previsto novo estouro da meta. Com a voltada inflação aos dois dígitos, a defasagem da tabela do Imposto de Renda alcançou 72,2% em 20 anos. Com rentabilidade de 8,07%, a poupança perdeu da inflação no ano passado pela primeira vez desde 2002.      
           

Nenhum comentário:

 
Free counter and web stats