segunda-feira, novembro 02, 2015

Manchetes do dia

Segunda-feira 2 / 11 / 2015

O Globo
"Detentos impõem 'código penal' próprio em presídios"

Punições incluem estupro coletivo, canibalismo e esquartejamento

Corte Interamericana de Direitos Humanos da OEA sobrou providências do governo brasileiro


Os detentos confinados nos presídios brasileiros criaram "códigos penais", com punições que incluem canibalismo, esquartejamento e estupro coletivo, informa Alessandra Duarte. O levantamento,feito com base em dados do Ministério Público, do Conselho Nacional de Justiça e da ONG Justiça Global, cita casos como o ocorrido em 2013 no Complexo de Pedrinhas (MA), onde um preso, após ter sido torturado e morto, teve pedaços do seu fígado assado e comido. Seu crime: ofender outro detento ligado a uma facção criminosa. A Corte Interamericana de Direitos Humanos da OEA cobrou que o Brasil garanta a integridade dos presos.    

Folha de S.Paulo
"Haddad tem sua pior avaliação"

Reprovação do prefeito petista chega a 49%, diz Datafolha; interdição da Paulista para carros divide paulistanos

Um em cada dois paulistanos reprova a administração de Fernando Haddad, aponta pesquisa Datafolha. O índice de “ruim” e “péssimo” do prefeito, que iniciou o mandato em 2013 e tentará se reeleger em 2016, é de 49%, recorde negativo para o petista. Apenas 15% aprovam a sua gestão. Em fevereiro, a reprovação de Haddad era de 44%. Desde então, o prefeito pouco avançou nas principais promessas: construção de creches, corredores de ônibus e moradias populares. Ele tem culpado o governo federal, também do PT, que freou os repasses de verbas.   

O Estado de S.Paulo
"Deputados reeleitos estão menos fiéis ao governo"

Dois de cada três parlamentares veteranos mudaram sua tendência de voto no atual mandato

Levantamento do Estadão Dados mostra que dois de cada três deputados federais reeleitos estão hoje menos governistas do que no começo do primeiro mandato da presidente Dilma Rousseff. Na última eleição, 299 deputados conseguiram renovar o mandato. Desse total, 40 trocaram de lado: votam agora mais com a oposição do que com o governo. Os demais ficaram apenas menos fiéis ao Palácio do Planalto. Há um claro padrão partidário na tendência de distanciamento: 26 dos 27 integrantes do PP que tinham mandato em 2011 estão menos governistas. No PMDB, dos 46 deputados reeleitos, 41 passaram a votar menos com o governo, dois mantiveram o padrão de voto e três ficaram mais fiéis ao Planalto. Houve afastamento significativo no PSB, no PTB e no PDT, partidos que abandonaram a base de apoio a Dilma.
           

Nenhum comentário:

 
Free counter and web stats