sábado, setembro 19, 2015

Manchetes do dia

Sábado 19 / 09 / 2015

O Globo
"Lula pede a Cunha que ajude o governo"

Objetivo é impedir pautas-bomba e processos de impeachment

Depois do encontro em Brasília, presidente da Câmara, rompido com Dilma desde julho, voltou a criticar Planalto pela falta de plano B

O ex-presidente Lula se encontrou ontem com o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), que em julho rompeu com a presidente Dilma, para pedir ajuda para o governo. A preocupação principal de Lula é conseguir impedir o avanço das pautas-bomba e dos processos de impeachment da presidente, além de aprovar o ajuste. Cunha negou o encontro, confirmado por aliados dele e integrantes do governo.


Folha de S.Paulo
"Tucanos instam PMDB a liderar o impeachment"

Para Aécio, FHC e Serra, tucanos não devem estar à frente do processo, que beneficiaria peemedebistas

A cúpula do PSDB avisou ao vice-presidente Michel Temer que o êxito do processo de impeachment depende da liderança do PMDB, principal beneficiário do fim precoce do governo Dilma (PT). O recado foi dado pelos senadores Aécio Neves e José Serra e pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, informa Daniela Lima. O trio defende que o PSDB não pode ser o “protagonista” do processo e que só deve se colocar ao lado de Temer quando for chamado para uma “conversa às claras, à luz do dia” sobre o país. Outro nome forte da legenda, o governador Geraldo Alckmin (SP) teme que a articulação acabe transformando Dilma em vítima. Procurados pela Folha, os tucanos negam ter discutido a saída da presidente. Para peemedebistas próximos ao vice, não se deve esperar dele nenhum movimento categórico sobre o impeachment. Criticado por governistas e pressionado por oposicionistas, Temer diz não querer a pecha de conspirador ou golpista. 


O Estado de S.Paulo
"Lula faz apelo a Cunha para segurar impeachment"

Para ex-presidente, Dilma corre risco de não concluir mandato; já há 13 pedidos de impedimento na Câmara

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recorreu ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), para tentar segurar os pedidos de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff. Lula está convencido de que a sucessora corre sério risco de não conseguir concluir o mandato. Há hoje na Câmara 13 pedidos de impeachment e cabe a Cunha, que está rompido com o governo, decidir se dá sequência ao processo. O apelo, em caráter reservado, foi feito ontem em Brasília, um dia após o presidente da Câmara receber aditamento ao pedido de impeachment encaminhado pelos juristas Hélio Bicudo e Miguel Reale Júnior e apoiado por partidos de oposição e dissidentes da base aliada.

Nenhum comentário:

 
Free counter and web stats