terça-feira, agosto 18, 2015

Manchetes do dia

Terça-feira 18 / 08 / 2015

O Globo
"FH surpreende, sugere renúncia e revolta o PT"

‘O sentimento é que o governo é ilegítimo’, diz ex-presidente na internet

Petistas no Congresso atacaram declarações do tucano, que vinha adotando discurso conciliador; ministro pediu fim da intolerância nas manifestações de rua e otimismo aos brasileiros descontentes

No dia seguinte aos protestos contra o governo Dilma, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso surpreendeu ao abandonar o tom conciliador e sugerir, numa rede social, que a presidente renuncie ou admita seus erros como “gesto de grandeza”. FH disse que as manifestações revelam “o sentimento popular de que o governo, embora legal, é ilegítimo”. A afirmação revoltou petistas. “Será que ele está girando bem?”, questionou o líder do governo na Câmara, José Guimarães (PTCE). O Planalto não comentou as declarações. Sobre as manifestações, o ministro Edinho Silva (Comunicação Social) pediu o fim da intolerância e otimismo. O PT, por sua vez, convocou a militância a participar de atos pró-governo nesta quinta-feira. 

Folha de S.Paulo
"Renúncia de Dilma seria um ‘gesto de grandeza’, diz FHC"

Para ex-presidente, manifestações demonstram que governo é ilegítimo; Planalto quer quebrar ‘clima de pessimismo’ no país

Um dia depois de manifestantes pedirem o impeachment de Dilma Rousseff, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) publicou texto em que afirma que a renúncia da petista poderia ser um gesto de “grandeza”. A declaração na internet foi avaliada como uma tentativa de unificar o discurso do partido e aproximá-lo do sentimento antigoverno. Após criticar acordo entre Planalto e senadores que atenuou a crise por ora, o ex-presidente se reuniu com o senador Aécio Neves e o governador Geraldo Alckmin. Ele pregou aos dois cotados à eleição de 2018 que defendam estratégias em comum contra Dilma. Em seguida, um aliado do mineiro sinalizou um recuo na defesa de novas eleições. O governo decidiu adotar tom cauteloso sobre os protestos ocorridos em ao menos 169 cidades. Para o ministro Edinho Silva (Comunicação Social), é preciso quebrar o “clima de pessimismo”. Manifestantes já planejam atos contra a petista no 7 de Setembro.

O Estado de S.Paulo
"Após protesto, PSDB eleva pressão por saída de Dilma"

FHC pede renúncia, Aloysio diz que partido votará por impeachment e Aécio fala em 'convergência'

Um dia depois de integrantes da cúpula tucana terem participado das manifestações contra a presidente Dilma Rousseff, líderes do PSDB aumentaram ontem a pressão. Numa rede social, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou que a renúncia de Dilma seria um gesto de "grandeza". No Senado, Aloysio Nunes Ferreira disse que o partido apoiará o impeachment se ele for pedido na Câmara. Para Aécio Neves, o PSDB agora está em "convergência" com a vontade expressa nas ruas. "Se a própria presidente não for capaz do gesto de grandeza -renúncia ou a voz franca de que errou e sabe apontar os caminhos da recuperação nacional -, assistiremos à desarticulação crescente do governo e do Congresso, a golpes de Lava Jato", escreveu FHC, que, para se proteger de acusações de "golpismo" por parte de petistas, disse que o governo Dilma, "embora legal, é ilegítimo" por ter perdido o apoio popular. O Planalto não se manifestou sobre as declarações.

Nenhum comentário:

 
Free counter and web stats