quarta-feira, julho 29, 2015

Manchetes do dia

Quarta-feira 29 / 07 / 2015

O Globo
"Lava-Jato avança sobre o setor elétrico"

Força-tarefa faz devassa na Eletrobras, controlada por PT e PMDB

Em sua 16ª fase , operação prende presidente da Eletronuclear , que chefiou programa secreto e é acusado de receber R$ 4,5 milhões de propina

A Lava- Jato chegou de vez ao setor elétrico. Os contratos da Eletrobras e das empresas sob seu guarda-chuva, controladas por PT e PMDB, são investigados pelo TCU, pelo Ministério Público e pela PF. Um dos alvos é o presidente licenciado da Eletronuclear, Othon Luiz Pinheiro da Silva, preso ontem na 16ª fase da operação e acusado de receber R$ 4,5 milhões de propina em troca de um contrato de Angra 3. Othon foi responsável pelo programa nuclear secreto brasileiro.

Folha de S.Paulo
"Com 2 prisões, Lava Jato avança no setor elétrico"

Nova fase da operação investiga esquema de corrupção na Eletronuclear

A nova fase da Lava Jato, batizada de Radioatividade, agora avança sobre o setor elétrico do país, com investigações sobre contratos entre empreiteiras e a estatal Eletronuclear para construir a usina nuclear Angra 3. Para os procuradores, desvios identificados na Petrobras também ocorreram no setor. O almirante da reserva Othon Luiz Pinheiro da Silva, presidente licenciado da Eletronuclear , foi preso pela Polícia Federal acusado de receber R$ 4,5 milhões em propina de Andrade Gutierrez, Camargo Corrêa, Engevix, Techint e UTC, envolvidas nas obras da usina, orçada em R$ 15 bilhões. O dinheiro teria sido pago a uma firma de consultoria que pertenceu a Othon. Um executivo da Andrade Gutierrez também foi preso. A apuração começou depois que Dalton Avancini, ex-presidente da Camargo Corrêa, relatou pagamento de propina para obter contratos em Angra 3 e Belo Monte. A nova frente da operação pode criar riscos para o PMDB, que controla o Ministério de Minas e Energia. A Eletrobras, que controla a Eletronuclear, afirmou que busca informações sobre a operação para defender seus interesses. Os advogados dos detidos não quiseram comentar as acusações.

O Estado de S.Paulo
"Lava Jato avança e prende criador do programa nuclear"

Operação atinge setor elétrico; Planalto e cúpula do PMDB temem que aliados de Renan sejam investigados

A Polícia Federal prendeu ontem o presidente licenciado da Eletronuclear, almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva, e o presidente da Andrade Gutierrez Energia, Flávio David Barra, na 16.a fase da Operação Lava Jato, batizada de Radioatividade. É a primeira vez que a operação investe sobre o setor elétrico. Considerado o pai do programa nuclear brasileiro, Pinheiro da Silva é acusado de receber propina para que o consórcio Angramon vencesse a licitação de construção da Usina Nuclear de Angra 3. O consórcio é formado por empreiteiras já investigadas: Andrade Gutierrez, Queiroz Galvão, Odebrecht, Techint, MPE, Camargo Corrêa e UTC. PF e Procuradoria da República rastrearam R$ 4,5 milhões que teriam sido pagos ao almirante desde 2011. O Planalto e integrantes do PMDB temem que a nova fase da Lava Jato atinja lideranças do partido no Senado, particularmente o grupo ligado ao presidente Renan Calheiros. Advogados do almirante e das empresas dizem colaborar com as investigações.

Nenhum comentário:

 
Free counter and web stats