quinta-feira, março 05, 2015

Manchetes do dia

Quinta-feira 5 / 03 / 2015

O Globo
"Derrota tira poder de Dilma para indicações no STF"

Câmara aprova ampliação da idade de aposentadoria de ministros de tribunais

Incluído junto com Eduardo Cunha na lista da Lava-Jato enviada ao STF , Renan Calheiros avisa ao Planalto que correção menor da tabela do IR não será aprovada

O descompasso entre o governo e o Congresso, agravado com a inclusão de Renan Calheiros e Eduardo Cunha, presidentes do Senado e da Câmara, na lista de políticos enviada ao STF para investigação da Lava-Jato, impôs ontem nova derrota ao Planalto. Apesar dos esforços do governo para evitar a votação, a emenda constitucional que amplia a idade máxima para a aposentadoria de ministros de tribunais superiores de 70 para 75 anos foi aprovada por 318 votos a 131. Com isso, se confirmada em outras votações, a presidente Dilma só fará mais indicações para o STF se algum ministro se aposentar voluntariamente. Renan avisou ao Planalto que, se insistir no veto à correção de 6,5% no Imposto de Renda, sofrerá outra derrota. Relator da Lava-Jato no Supremo, o ministro Teori Zavascki deve abrir o sigilo da lista de políticos até amanhã. 

Folha de S.Paulo
"Janot rejeita inquéritos sobre Dilma e Aécio"

Procurador sugere que petista e tucano não sejam investigados na Lava Jato

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, recomendou ao STF (Supremo Tribunal Federal) que não seja aberta investigação sobre a presidente Dilma Rousseff (PT), informam Severino Motta, Andréia Sadi e Gabriel Mascarenhas. Janot fez o mesmo em relação ao senador Aécio Neves (PSDB-MG), rival de Dilma na última eleição. Ambos foram citados em delação premiada na operação que apura desvios na Petrobras. O ministro do STF Teori Zavascki analisará os pedidos. Como os documentos enviados ao STF são sigilosos, não se sabe o teor das citações a Dilma e Aécio. Na terça (3), a Procuradoria pediu abertura de 28 inquéritos sobre 54 pessoas suspeitas de envolvimento no caso, incluindo políticos. Aécio afirmou que “setores do governo” tentaram envolvê-lo nas investigações. Janot também recomendou que o ex-presidente da Câmara, Henrique Alves (PMDB-RN), não seja investigado — ele pode assumir a pasta do Turismo.

Twitter  

Nenhum comentário:

 
Free counter and web stats