sábado, maio 22, 2010

Luciano Pavarotti Mamma, son tanto felice

Fut

Inter 2 x Bayern 0

Sidney Borges
Terminou em Madrid a decisão da Liga dos Campeões. Prevaleceu a defesa do Inter, - para os italianos, da Inter - que é quase a defesa da Seleção Brasileira. Não aconteceram lances de causar espanto, mas sobrou tática e combatividade. Uma exceção, o segundo gol de Milito, craque argentino, foi obra de oportunismo e arte. O time do Inter tem poucos jogadores nativos, parece um combinado Argentina-Brasil com técnico português. No entanto, joga parecido com a Squadra Azzurra de outrora. Defesa cerrada e contra-ataques. O famoso catenaccio. Eu disse parecido, no futebol moderno todos devem atacar e defender. A Inter venceu, que fique com as batatas. O time alemão foi pouco eficiente. Sem conseguir penetrar na muralha verde-amarela passou a cruzar bolas na área. Não funcionou. Vai ficar sem as batatas, para os alemães um verdadeiro tormento.

Twitter 

Acidente


Bruxa à solta

Sidney Borges
O Boeing 737-800 da Air India Express saiu da pista e explodiu quando pousava no aeroporto de Mangalore, no sul da Índia. Apenas oito dos 166 passageiros sobreviveram. Não há o que comentar, a caixa preta foi recuperada e dará informações sobre as causas.

Clique aqui e saiba mais
Acesse aqui o "Blog do Ninja"

Opinião

Pirataria e contrabando

Editorial do Estadão
A atitude das autoridades brasileiras no que diz respeito à pirataria e ao contrabando é, no mínimo, comprometedora. Por toda parte, ambulantes ou camelôs vendem abertamente produtos pirateados ou contrabandeados e há conhecidos centros que se especializam nesse comércio ilegal, funcionam de portas abertas, não emitem nota fiscal e não fazem segredo da origem ilegal da grande variedade de mercadorias.

Os governos fazem vistas grossas. Há uma incompreensível tolerância com o que é furto, concorrência desleal, sonegação de impostos, desrespeito às leis e aos convênios internacionais dos quais o Brasil é signatário.

A isso se alia a falta de conscientização do consumidor. Dados da Fecomércio/RJ indicam que 46% dos brasileiros admitiram, em 2009, ter adquirido produtos falsificados. Nessa categoria há dois tipos de produtos: os que entram no País via contrabando e os que são baixados na internet por hackers e processados para a comercialização no mercado negro. Para milhares de pessoas é normal comprar por uma ninharia um CD ou DVD numa banca da esquina em locais movimentados, sem levar em conta o que isso significa para a economia formal.

Campanhas públicas de esclarecimento podem ajudar, mas falta, principalmente, fiscalização. Se são comuns as apreensões de drogas, que devem sempre ser conduzidas com rigor, são raras as blitze contra a comercialização ilegal de CDs, DVDs, softwares e outros produtos, que vão desde óculos escuros a roupas e sapatos produzidos na China.

A fiscalização deveria começar nas fronteiras terrestres, nos portos e aeroportos. As fronteiras do Brasil com dez países do continente são longas, é verdade, ermas e desguarnecidas. Existem pontos, porém, que se notabilizam pelo contrabando, e não há melhor exemplo que a fronteira com o Paraguai, em Foz do Iguaçu (PR). A presença ali da Polícia Federal e da Receita Federal é quase simbólica. Nos portos, a situação é semelhante. Como informava reportagem do Estado, o número de fiscais da Receita em todos os portos brasileiros é equivalente ao do Porto de Hamburgo, na Alemanha, com 3 mil funcionários.

Os prejuízos causados pela muamba ao comércio, à indústria e à arrecadação foram calculados em US$ 20 bilhões em 2009. Na lista de produtos que mais sofrem com a pirataria estão as autopeças, fabricadas no Brasil por uma indústria que, pelas estatísticas da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), registrou um déficit de US$ 634 milhões em sua balança comercial no primeiro trimestre de 2010. Se computados os valores de peças e componentes contrabandeados para uso em veículos importados, o prejuízo dessa indústria crescerá outros milhões.
Leia mais

Twitter 

Manchetes do dia

Sábado, 22 / 05 / 2010

Folha de São Paulo
"Dilma sobe e empata com Serra"

Petista cresceu 7 pontos e obteve 37%, mesmo índice do tucano, aponta Datafolha; Marina mantém 12%

A pré-candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, atingiu sua melhor marca até hoje numa pesquisa Datafolha e está empatada com seu concorrente direto, José Serra (PSDB). Ambos têm 37%, segundo levantamento nacional realizado ontem e anteontem. Na pesquisa anterior, feita em 15 e 16 de abril, Dilma tinha 30% - ou seja, a intenção de voto na petista subiu sete pontos. Serra, que estava com 42%, perdeu cinco pontos. A margem de erro é de dois pontos percentuais. Marina Silva, pré-candidata do PV, está em terceiro, com 12%. Para o diretor-geral do Datafolha, Mauro Paulino, o fato responsável pela alta foi o recente programa do PT na TV.

O Estado de São Paulo
"Lula e Dilma são multados mais uma vez pelo TSE"

Multa de R$ 10 mil por campanha eleitoral antecipada é a quarta aplicada pela Justiça ao presidente

O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Henrique Neves, multou em R$ 10 mil o presidente Lula por promover campanha eleitoral antecipada. A multa – a quarta aplicada a Lula – foi motivada pela participação do presidente no Encontro da Defesa do Trabalho Decente, evento realizado em 10 de abril no Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo.Também foram multados a pré-candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff (R$ 5 mil), o pré-candidato do partido ao governo de São Paulo, Aloizio Mercadante (R$ 7,5 mil), o ministro do Trabalho, Carlos Lupi (R$ 7,5 mil), o prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho (R$ 5 mil), o sindicalista Paulo Pereira da Silva (R$ 7,5 mil) e o presidente da Central Geral dos Trabalhadores do Brasil, Antonio Neto (R$ 6 mil). “A intenção de divulgar a candidatura (de Dilma) é manifesta”, registrou o ministro Neves em seu despacho, motivado por representação do PSDB. “O teor propagandístico foi explícito.”

Twitter

sexta-feira, maio 21, 2010

Espanha


A vez do touro

Sidney Borges
Touradas fazem parte do universo cultural da Espanha. Tenho em minhas veias grande dose de sangue espanhol, mas tenho profunda aversão a esse "esporte", que de esporte nada tem. Para mim não passa de sadismo primitivo. Coisa de bárbaros.

Olhando a foto dá para avaliar o sofrimento do animal. Os dardos nas costas doem. Imagine suas costas espetadas com dardos farpados. Na foto dá para ver cinco. São pesados e funcionam como alavancas. Quando o touro corre tentando livrar-se deles a carne é rasgada, o sangue esguicha. A dor cega o animal que não entende o porquê de tanta irracionalidade. Onde está a graça?

Toureiros não toureiam vacas pois estas não tiram os olhos do alvo, se o toureiro desviar elas também desviarão. Touros correm olhando para baixo. O toureiro desvia e crava um dardo, depois outro, depois outro.

A platéia sente o cheiro de sangue e ulula de prazer.

Com a perda de sangue e o terror da situação o pobre animal perde as forças e, antes de ser morto, ainda tem de ouvir os gritos sádicos dos irracionais da platéia. Além de sentir prazer com o sofrimento do animal, ainda o humilham com olés.

Em certos dias o touro vence.

Na foto o touro batizado como "Opíparo" crava o chifre no maxilar inferior do toureiro Julio Aparicio, causando ferimentos de grande extensão. Observe o detalhe da ponta do chifre saindo da boca do toureiro.


Clodovil (Saudades)

Pique no lugar...

Começa campeonato de futebol amador em Ubatuba

Saulo Gil
Sem esperanças de mudanças radicais na lista do técnico Dunga, as estrelas ubatubenses começam neste final de semana a disputa pela primeira e segunda divisão do futebol local. Ao contrário da equipe de Dunga, que se escondeu dos fãs e da imprensa na chegada ao Brasil, os jogadores de Ubatuba carecem de maior atenção. Ultimamente, o prestígio da população vem sendo muito baixo e os jogos perdem em emoção sem espectadores.

Apesar do baixo ibope, o futebol ubatubense não deixa nada devendo para outros pólos regionais. Inclusive, diversos atletas da cidade são convidados a subir a serra para disputar campeonatos mais assistidos no Vale do Paraíba e até na Capital paulista. Além disso, posso dizer com propriedade que temos uma boa qualidade de gramados nos campos espalhados pela cidade, o que proporciona a bola rolar (a várzea paulistana é repleta de terrões esburacados).

Os clubes da primeira e segunda divisão apresentam diretorias, assistentes, massagistas, técnicos. Juízes e bandeirinhas da Liga Ubatubense de Futebol completam ainda mais um cenário de seriedade de nosso campeonato. Lamentável apenas a desinformação e falta de platéia para o espetáculo.

Está na hora das famílias aproveitarem o domingo de sol para levarem seus filhos aos campos da cidade. O esporte é algo que cria e resgata sonhos possíveis de alterar a realidade de uma região. Para que comecemos a mudar nosso ambiente, convido a todos os leitores para prestigiarem a primeira rodada do campeonato amador de futebol. Serão jogos realizados desde o campo da Maranduba, até o Estádio Municipal no Perequê Açu. Até os turistas chegam a parar seus veículos na Avenida Capitão Felipe, para assistirem alguns lances no campo do Itaguá.

Portanto, motivos não faltam para que a cidade resolva dar uma chance aos nossos atletas que querem aparecer. Ao contrário do time de Dunga que, pelo jeito, acha que a torcida brasileira não tem comprometimento para fazer parte do grupo “seteanão“. Talvez o que falte aos jogadores ubatubenses seja um aplauso, para seguir em frente rumo aos sonhos de vida. Um simples reconhecimento significa que a arte pode vencer qualquer dificuldade. O futebol Amador de Ubatuba é, sem dúvida, a terapia pública com maior potencial de resultados positivos, tanto para os que jogam, quanto para os que assistem.

Enfim, compareça! Garanto que não haverá arrependimentos. No máximo, menor audiência do Faustão e Gugu.


Clique sobre as tabelas para ampliar

Beatles by Rita Lee

Brasil

Socorro!

Abaixo alguns títulos de matérias da Folha Online

Sidney Borges 
1. Padre suspeito de transformar igreja em "masmorra erótica" é procurado no Rio

2. Menino de 10 anos chefia quadrilha de tráfico em SP, diz PM

3. Comerciante é condenado por deixar noiva que não era virgem

Como diria Mussum: Cacildis! Deixaram a porta do hospício aberta!

Twitter

P-38 Lightning



Em patrulha

Sidney Borges
Decolei cedo, ainda não tinha clareado totalmente. Subi a plena potência, nivelando a 36 mil pés. Por mais de trinta minutos vasculhei a vastidão do Pacífico sem nada encontrar, até que alguns pontos no horizonte tomaram forma. Zeros. Eles não me viram, eu tinha o Sol nas costas e estava 5 mil pés acima. Voamos de encontro com velocidade relativa superior a 1300 km/h. Quando finalmente os "japs" notaram minha presença era tarde, as metralhadoras cuspiram fogo. Um explodiu na minha frente espalhando estilhaços no ar, o outro mergulhou, fui atrás, mais uma rajada e tudo estava terminado. Naquela noite brindei os inimigos mortos, depois consultei o relógio de aço, levantei a gola de pele e beijei a loura. Boa noite baby, amanhã quem sabe estarei disponível...

Twitter

Arte


Pega ladrão!

Sidney Borges
O quadro acima, Le Pigeon aux petits pois" ("O Pombo e as Ervilhas"), de Pablo Picasso, foi roubado. É bonito, ficaria bem na minha sala, mas é caro para o bolso de um mero escritor de provìncia. Acho que é caro até para o mago Paulo Coelho, que tem castelo na França com lago, jacaré e enguia defumada. 

Se um dia eu soltasse um gênio engarrafado e ele agradecido me concedesse um desejo, eu pediria inspiração. Preciso dela para terminar os livros que comecei e não consigo finalizar.

Picasso devia estar inspirado quando pintou o quadro. Não entendi o título, será que ele se referiu a pombos comendo ervilhas? Ou a pombos guarnecidos com ervilhas? Eu jamais comeria pombos. E detesto ervilhas.

O que será que o ladrão vai fazer com o quadro? Talvez venda para algum esteta rico e egoísta que terá o prazer da onano-contemplação solitária. Tudo pela arte.

Ditadura

Palavra difícil

Sidney Borges
Não me lembro o ano, sei que foi na década de 1970. Eu costumava assistir ao programa do colunista social Ibrahim Sued na Globo. Certa noite ele não deve ter lido o que iria comentar frente às câmeras. Por alguns instantes ficou surpreso, em silêncio, olhando o teleprompter como o batedor de pênalti que não corre quando o juiz apita. Naqueles décimos de segundo a torcida fica em suspense. Como eu fiquei.

Depois do branco o diligente Ibrahim continuou em seu estilo: Bomba! Bomba! Acaba de ser preso o mafioso Tommaso Bus,... Bus,... ho, ho, ho, digo Tommaso Busqueta, ho, ho, ho...

Só no outro dia entendi a razão do riso contido do jornalista. O mafioso era Tommaso Buscetta. A palavra Buscetta pronunciada em italiano soa buxéta, que não é elegante, mas não remete ao significado que tem quando lida em português. Buscetta ou buceta dá no mesmo. Nos anos de chumbo, pronunciar tal palavra, dependendo do humor do censor, podia dar cadeia.

Twitter

Reflexos

"Diplomacia Marota"
(Rogue Diplomacy) ou "Diplomacia Free Lancer"!

Newsweek
Lula parece empenhado em alimentar controvérsias e obsequiar demagogos. Lula se ofereceu para servir de intermediário entre Washington e Teerã, mas críticos advertem que a diplomacia nuclear não é lugar para freelancers. 'Tentar fazer o mundo prestar atenção em você é ótimo, mas depende de por que razão você quer ser notado', afirma Eric Farnsworth, vice-presidente do Conselho das Américas. Quase todas as 35 embaixadas que ele abriu desde que tomou posse estão na África, no Caribe e na Ásia. "A política externa exige capital intelectual", diz Matias Spektor, um especialista em assuntos do Brasil no exterior. "O Brasil ainda está mal preparado para participar em um mundo globalizado." Agora, enquanto a postura de Lula cresce em arrogância, o risco está em que ele está dando um corte de pouca coerência à política externa, assim desperdiçando o notável legado de pragmatismo e imparcialidade que foram as âncoras do país durante a maioria da década passada." (Do Ex-Blog do Cesar Maia)
 
Twitter

Coluna do Celsinho

Bravatas

Celso de Almeida Jr.
Não sei exatamente que bicho mordeu o assessor especial do presidente Lula, sr. Marco Aurélio Garcia.

Acredito que, possivelmente, o fato se deu na adolescência.

O grande jogo de cena internacional, tentando revelar que a diplomacia brasileira está atuando de forma mais ousada, dada a posição emergente do país, evidenciou o caráter anti-americano que domina a cúpula do governo federal.

Aquele eterno dogma juvenil pró extermínio do império.

Pergunte a um historiador dos Estados Unidos o que é que eles aprenderam com as guerras que participaram.

Como sofreram com atores não confiáveis no cenário internacional.

Que preço pagaram para liquidar com o nazismo na 2ª Guerra Mundial.

É preciso que nosso governo tenha um mínimo de compostura.

Aliás, a tradição de nossa diplomacia está associada à discrição.

Não tem nada a ver com este barulho infantil do acordo nuclear do Irã.

Por que o Brasil foi se meter nesta confusão?

Ora, nunca na história deste país...dirá o presidente!

Nunca mesmo!

Nunca fomos tão arrogantes a ponto de imaginar que a nossa “ginga” fosse sensibilizar o governo iraniano para rever a sua postura quanto ao desenvolvimento da energia atômica.

O que importa é que o mundo responsável não deve permitir que mãos inescrupulosas dominem a energia nuclear.

Se o Irã afirma que aspira fins pacíficos, que abra então as suas instalações para a comunidade internacional.

É a garantia que todos desejam.

Imaginar que as potências mundiais tenham se sentido diminuídas porque o acordo foi conduzido por nações emergentes é ter muita pretensão.

Aliás, esta tem sido a postura reincidente de Marco Garcia e, por tabela, do presidente Lula.

Em diversas frentes.

No trato com a imprensa.

No achincalhe desqualificado às vozes oponentes.

No repetitivo desrespeito à legislação eleitoral.

Nos ataques gratuitos ao poder judiciário.

Na vergonhosa verborragia vomitada nos depoimentos que dá pelo país.

Postura que, aliás, tem servido de modelo a diversos prefeitos Brasil afora...

Ora, lidar com a massa ignara não é tarefa difícil.

Lula incorporou o espírito generoso do povo brasileiro, mas não abriu mão das questionáveis benesses deste poder perdulário.

Ele e seus interlocutores mais fiéis.

Colocam-se acima do bem e do mal e iludem este povo despreparado, que vive feliz com grossos carnês de bens de consumo.

Povo que não aprendeu a fazer contas, que paga três vezes o valor do produto com prestação pequenina.

Francamente, prezado leitor.

Este circo merece ser desmontado.

Twitter
Clique aqui e saiba mais
Acesse aqui o "Blog do Ninja"

Opinião

Anistia aos fichas-sujas

Editorial do Estadão
O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), não precisa se preocupar. Depois de manobrar, inutilmente, para impedir a votação do Projeto Ficha Limpa "a toque de caixa", alegando que a proposta nem sequer era do governo, "mas da sociedade", ele teve uma reação característica quando, na quarta-feira, a proposta passou na Casa pelo voto unânime dos 76 senadores presentes, decerto a contragosto em diversos casos.

Jucá disse que o texto restringindo as candidaturas de condenados por um colegiado de juízes em razão de uma série de delitos especificados - eles só poderão disputar eleições 8 anos depois de cumprir a pena - precisará ser aperfeiçoado porque "ainda é muito genérico, pode cometer injustiças e não pegar quem tem que pegar". De fato, não pegará de imediato quem tem de pegar, embora o que ele e a sociedade entendam por isso decerto não seja a mesma coisa.

E não deverá pegar tão logo quanto a sociedade gostaria por causa de uma daquelas malandragens em que os políticos são especialistas. A esperteza contrasta com a euforia do veterano senador gaúcho Pedro Simon, da ala limpa do PMDB. Para ele, graças à aprovação final do projeto de iniciativa popular - apresentado com 1,6 milhão de assinaturas, a que aderiram pela internet outros 3,4 milhões de pessoas -, o Brasil deixava anteontem mesmo de ser conhecido como o país da impunidade.

O golpe se deu quando a Comissão de Constituição e Justiça examinava o texto aprovado na Câmara. O senador Francisco Dornelles, do PP fluminense, aproveitou o momento para introduzir uma "emenda de redação", alterando os tempos verbais em 5 artigos da proposta. Assim, onde constava que não poderiam se candidatar os políticos que "tenham sido condenados", passou a se ler "forem condenados". Ou seja, forem condenados depois da sanção da lei, o que se espera que aconteça até o início de junho.

A "emenda Maluf", como merece ser chamada, e não apenas por ser o deputado colega de sigla de Dornelles, anistia os fichas-sujas que conseguiram se eleger quando se entendia que a proibição somente poderia alcançar aqueles cuja condenação tivesse transitado em julgado. É, notoriamente, mas não exclusivamente, o caso do ex-prefeito Paulo Maluf. Mesmo que a Justiça decida que a lei valerá já para as próximas eleições - o assunto divide os juristas -, ele e outros políticos intrépidos, condenados em mais de uma instância, terão preservado o direito de se candidatar.

Das 4 condenações aplicadas a Maluf por órgãos judiciais colegiados, uma trata de delitos previstos no Projeto Ficha Limpa - que inclui crimes eleitorais, contra a economia popular, a administração, o patrimônio público e o mercado financeiro, tráfico de entorpecentes, homicídio, estupro e crimes ambientais graves. Políticos que renunciarem ao mandato para não ser cassados também ficarão inelegíveis. No caso que interessa, Maluf foi obrigado a devolver aos cofres públicos o valor gasto com uma compra, considerada superfaturada, de frangos congelados.
Leia mais

Twitter

Manchetes do dia

Sexta-feira, 21 / 05 / 2010

Folha de São Paulo
"Ciência cria primeira célula sintética"

Bactéria com DNA montado a partir de informações vindas de computador ganha vida e passa a se replicar

No passo mais próximo da vida artificial, cientistas nos EUA criaram a primeira célula viva controlada por DNA (código genético) montado com informações vindas de computadores. As pesquisas, feitas por 15 anos, provam que a vida não precisa de força especial para existir. O líder da pesquisa, Craig Venter, comparou o estudo com a computação. A Synthetic Genomics trocou o "software" de uma bactéria, pondo o genoma sintético na estrutura celular. O grande avanço foi "religar" a célula, transformando-a numa nova espécie. Para o bioeticista Arthur Caplan, esse é um dos "feitos mais importantes" da ciência. Mas, para o Prêmio Nobel David Baltimore, não se trata de uma revolução. Espera-se que os micróbios sirvam para produção de vacinas e combustíveis e para limpeza ambienta!. Mas também podem levar a toxinas poderosas.

O Estado de São Paulo
"Novo sistema de escuta da PF dispensa telefônicas"

Sinal da conversa será enviado de modo imediato à polícia por aparelho que a operadora não controlará

A Polícia Federal vai ter um novo sistema de escutas telefônicas com duas novidades: as operadoras de telefonia serão excluídas do processo de interceptação, e o Judiciário terá controle informatizado sobre todas as autorizações e sobre o início e o fim de cada escuta. O Conselho Nacional de Justiça (CNJ), com quem foi negociado o novo modelo, terá online o número de processos que envolvem os grampos. No modelo, chamado Sistema de Interceptação de Sinais (SIS), um aparelho ficará nas centrais das operadoras de telefonia para que o sinal das ligações seja transferido para a polícia que passará a estocar e a decodificar as ligações. O SIS começou a ser negociado há dois anos, quando chegou ao Congresso a informação de que as operadoras teriam realizado 407 mil escutas só em 2007. Ao final de uma CPI, descobriu-se que o número significava a quantidade de vezes que os telefones interceptados haviam sido acionados, e não a quantidade de autorizações judiciais para grampear 407 mil telefones.

Twitter

quinta-feira, maio 20, 2010

Tecnologia



Cientistas fazem borboleta artificial voar

Pesquisadores japoneses constroem réplica de borboleta rabo-de-andorinha para estudar movimentos

Redação Galileu (original aqui)
Da Vinci estava certo. É possível criar uma máquina de voar batendo asas. Pelo menos é isso o que concluíram pesquisadores japoneses ao criar uma borboleta artificial que imita os padrões de vôo incomuns da borboleta rabo-de-andorinha. Seu modelo é chamado de minúsculo ornitóptero (equipamento desenhado para voar batendo asas). Veja acima o vídeo do equipamento funcionando.

O que faz a rabo-de-andorinha ter um formato pouco comum entre as borboletas é o fato de possuir asas muito grandes em relação ao seu corpo pequeno. Dessa forma, ela precisa movimentar a asa menos vezes que as borboletas comuns, tendo um vôo num processo mais passivo. O projeto, dos cientistas Hiroto Tanaka e Isao Shimoyana, aproveitou o conceito para mostrar que é possível uma máquina voar simplesmente batendo asas, sem dependência de outras características aerodinâmicas das borboletas.


A borboleta rabo-de-andorinha real

Para fazer isso, a equipe de pesquisa construiu uma réplica realista da borboleta, até com membranas minúsculas e veias encontradas em suas asas. O vídeo mostra os resultados de seus esforços, com o ornitóptero voando brevemente para a frente. A ideia é que o experimento, publicado no periódico científico Bioinspiration & Biometrics, permita acumular conhecimento para que, no fututo, máquinas de bater asas sejam possíves para voar.

Papo do Editor

Você sabia?

Sidney Borges
O que está acontecendo de importante no mundo? Ou melhor, você seria capaz de continuar vivendo sem saber dos problemas da Grécia, da queda da Bolsa de Valores, da subida do dólar e do acordo do Irã? Certamente que sim mais de 100 milhões de brasileiros ignoram tais fatos e continuam tocando o barco. Não vá imaginar que isso acontece por que o brasileiro tem pouca escolaridade. No país mais rico do mundo, os Estados Unidos, a alienação é ídêntica, se não for maior. Na verdade, saber dos fatos não muda nada, talvez sirva para aumentar a taxa de angústia.

O Brasil assumiu papel de destaque no jogo diplomático quando chamou para sí a mediação dos acordos nucleares do Irã. Ainda não dá para avaliar se foi um bom lance. Logo saberemos. Vou repetir o que venho dizendo há tempo. Não faz sentido a posição iraniana. Os acordos poderiam muito bem ser feitos, inclusive com a abertura das instalações nucleares às inspeções da ONU e mesmo assim o programa bélico continuar. Em segredo. Os países que possuem a bomba fizeram assim, mas os esquisitos aiatolás gritam e esperneiam ameaçando Israel e o mundo com seu poderio futuro. Parecem não saber que não existe futuro. A vida é aqui e agora, amanhã ninguém sabe.

Em Ubatuba começaram os trabalhos da Cruz Vermelha na Santa Casa. Desde que a prefeitura resolveu arcar com a responsabilidade de administrar o hospital, pela primeira vez estamos diante da perspectiva de reformas de base. Batam na madeira, por causa de muito falar nas tais reformas de base João Goulart foi trocado por Castelo Branco. É fato notório que na administração do hospital sempre prevaleceram interesses políticos. Não deu certo, nem poderia. Vamos esquecer o passado, página virada. No momento é grande a esperança na Cruz Vermelha. Ubatuba precisa de um hospital que inspire confiança. Quem vive nesta cidade cercada de belezas naturais e aberrações arquitetônicas, depende da Santa Casa. Em caso de emergência é lá que todos batem. E ninguém o faz pensando em bater as botas. Auguri.

Twitter

Sonhos de verão

Acontece em Ubatuba

Quem não comparecer é mulher de padre

Sidney Borges
Hoje, a partir das 20h00, tem rodízio de pizza no Bucaneiros. Vamos dar uma força ao grande artista Benjamin Gonzalez, gente finíssima.

Apareça para comer redondas e falar mal de políticos. Tá cheio de fofocas por aí. Um aperitivo: estão dizendo que uma figura conhecida toma duas pílulas por dia. A primeira é a famosa azul e a segunda para lembrar o que fazer com o mastro armado.

Tem muito mais.

Twitter

Gato na tuba

Sudeste
Vox Populi: A soma das partes é diferente do todo!

Gustavo Acauan no Ex-Blog do Cesar Maia
Números do Vox Populi: São Paulo (que representa 53% do Sudeste): Serra 44% x 30% Dilma \ Minas Gerais (24% do Sudeste): Serra 38% x 35% Dilma \ Rio de Janeiro (19% do Sudeste): Serra 24% x 38% Dilma. Resultado ponderado pelos Estados: Serra 37% x 32% Dilma.

Para que o resultado na região Sudeste fosse o informado pelo Vox Populi, ou seja, Serra 35% x 36% Dilma, seria necessário que no Espírito Santo (4% da região) Dilma fizesse 105% (Cento e cinco) e Serra fizesse 1 milhão de votos negativos.

Veja a planilha

Twitter

Deu em O Globo

Visão nuclear

De Merval Pereira:
A reincidência do vice-presidente José Alencar na defesa da bomba atômica como arma de dissuasão, garantidora da paz, coloca uma questão política importante na discussão internacional sobre o programa nuclear iraniano e a posição do Brasil de negociador de um acordo que formalmente almeja recolocar o Irã nos trilhos institucionais, mas que na prática apenas lhe permite ganhar tempo para que continue com seu programa longe da supervisão dos organismos internacionais e a salvo das sanções da ONU.

Não se deve considerar uma mera irrelevância o repetido comentário de Alencar, a não ser que se queira que o governo brasileiro como instituição não seja responsabilizado por suas palavras e atos.

É sabido que há setores dentro do governo que avaliam como um erro estratégico a política que desaguou na assinatura pelo Brasil do Tratado de Não Proliferação de Armas Nucleares (TNP), em 1997, no primeiro governo de Fernando Henrique.

E nesse raciocínio político está a raiz do atual confronto do Brasil com os cinco países com poder de veto no Conselho de Segurança da ONU, especialmente os Estados Unidos.

O embaixador Samuel Pinheiro Guimarães, que até pouco tempo era o segundo homem do Itamaraty, e hoje é ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos, responsável portanto por prever as ações que levarão o país ao desenvolvimento no longo prazo, considera que o Brasil usou o pretexto de uma aliança estratégica com a Argentina para aderir a todas as iniciativas americanas, especialmente na área militar.

Nessa visão geopolítica está resumida a diretriz da atual política externa brasileira.

O que na ocasião foi considerado pelo Itamaraty um gesto de preservação de nossa liderança regional, ao não permitir que a desconfiança dos argentinos sobre nossas intenções nucleares, que foram verdadeiras na época dos governos militares, gerasse um ambiente de tensão política, hoje, pelo mesmo Itamaraty, é visto como uma capitulação diante do poder hegemônico dos Estados Unidos.

Já na campanha presidencial de 2002, Lula provocou grande polêmica quando criticou a adesão do Brasil ao Tratado de Não Proliferação de Armas Nucleares, e teve que voltar atrás.
Leia mais

Twitter
Clique aqui e saiba mais
Acesse aqui o "Blog do Ninja"

Opinião

A resposta americana

Editorial do Estadão
A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, ao anunciar que seu país e os demais membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU - China, França, Grã-Bretanha e Rússia - haviam se entendido sobre uma quarta rodada de sanções contra o Irã para frear o seu programa nuclear, fez um comentário revelador. "Este anúncio", avaliou, "é uma resposta convincente aos esforços realizados em Teerã nos últimos dias."

Na véspera, como se sabe, o Irã concordara com a proposta do Brasil e da Turquia para trocar 1.200 quilos de urânio com baixo teor de enriquecimento por 120 quilos do material enriquecido a 20% com fins medicinais. Em outubro passado, um acordo similar, de iniciativa americana, russa e francesa, no âmbito da AIEA, a agência nuclear das Nações Unidas sediada em Viena, foi aprovado pelos negociadores iranianos. Depois, o Irã impôs condições consideradas inaceitáveis para cumpri-lo.

Nem o acordo de Viena nem o de Teerã pretendiam dar conta do desafio da política nuclear da República Islâmica. Cercada de segredo e dissimulação, essa política justifica o temor de que o país, embora signatário do Tratado de Não-Proliferação (TNP), busca os meios de fabricar a bomba. O jogo de gato e rato com os fiscais da AIEA, a descoberta de instalações nucleares clandestinas no seu território e a decisão - reafirmada anteontem - de continuar enriquecendo urânio fizeram o colegiado impor-lhe 3 pacotes de sanções em 3 anos.

O acordo de Viena, no 10.º mês do governo Obama, foi imaginado como teste e ponto de partida para eventuais conversações amplas sobre o impasse nuclear. O recuo iraniano - o mais recente de uma exasperante série - levou os EUA a trabalhar por novas e mais incisivas sanções. Contra isso, o presidente Lula se engajou na intensa atividade diplomática que deu no acordo de Teerã. Em dupla com a Turquia, o Brasil ofereceu ao Irã a chave para reabrir a porta que batera na cara da comunidade internacional há 7 meses. E a oferta vingou, pelo menos por ora.

O fato novo seria uma oportunidade para Washington pôr na geladeira o projeto das sanções, o que por sua vez poderia vir a modificar a equação iraniana. Foi o equivalente a pedir que esperasse para ver. Mas os EUA não só recusaram a trégua, como ainda fizeram o que podiam para conseguir o apoio do mais recalcitrante membro com poder de veto do Conselho de Segurança - a China, que importa do Irã cerca de 14% do petróleo e gás que consome. "Não vemos a hora de saber o que fez Pequim mudar de ideia", espantou-se um editorial do New York Times.

Os chineses dizem defender a tática do "duplo trilho" - sanções com conversações. Como se os orgulhosos iranianos acedessem a sentar-se à mesa enquanto postos de castigo. É bem verdade que os EUA amenizaram as penas para fazê-las passar. Abandonaram, por exemplo, a pretensão de bloquear as exportações iranianas de óleo e as suas importações de gasolina, como Obama chegou a aventar na campanha (enquanto Hillary falava em "obliterar" o Irã). Agora, querem também que a ONU autorize a interceptação de embarcações suspeitas de transportar, de ou para o Irã, armamento e materiais para uso em instalações nucleares.

O aparente paradoxo da insistência dos EUA é que os próprios americanos confidenciam duvidar da eficácia das sanções. As três anteriores não retardaram o programa nuclear iraniano. Por que seria diferente hoje? E como as que estão em pauta no Conselho não serão aprovadas por unanimidade - Brasil, Turquia, Líbano, Nigéria, Uganda e Gabão deverão votar contra ou se abster - tampouco servirão para isolar diplomaticamente o regime dos aiatolás. Qual o ponto, portanto?
Leia mais

Twitter

Manchetes do dia

Quinta-feira, 20 / 05 / 2010

Folha de São Paulo
"Congresso veta 'ficha suja' em eleição"

Políticos condenados por mais de um juiz ficarão inelegíveis; TSE, porém, não definiu se lei já valerá neste ano

O Senado aprovou por unanimidade o projeto da "ficha limpa", que impede a candidatura de quem for condenado por decisão colegiada da Justiça (mais de um juiz). O texto segue para o presidente Lula, que vai ter 15 dias para sancioná-lo. Não há consenso, porém, sobre a validade da nova lei nas eleições deste ano. Questionado a respeito, o Tribunal Superior Eleitoral ainda não se manifestou. Da maneira como foi aprovada, a lei tomará inelegíveis os políticos que forem condenados a partir da sua vigência. Há dúvidas sobre sua aplicação no caso de processos já em andamento. O texto inclui a possibilidade de recurso suspensivo, que também tem de ser decidido por colegiado da Justiça. O projeto aprovado no Senado se originou de iniciativa popular, com 1,6 milhão de assinaturas.

O Estado de São Paulo
"Senado aprova Ficha Limpa, mas lei não deverá valer já"

Veto à candidatura de políticos condenados na Justiça tende a entrar em vigor só a partir da eleição de 2012

O Senado aprovou o projeto conhecido como Ficha Limpa, que impede a candidatura de políticos condenados pela Justiça. A proposta, de iniciativa popular, foi aprovada pelos 76 senadores que estavam no plenário. O presidente Lula tem agora 15 dias para sancioná-la. Caberá à Justiça definir quando a legislação passa a valer, se nas eleições de outubro deste ano ou apenas no pleito municipal de 2012. O PSDB já protocolou uma consulta no Tribunal Superior Eleitoral sobre o assunto. Uma emenda apresentada por Francisco Dornelles (PP-RJ) na Comissão de Constituição e Justiça do Senado deixou claro que somente quem for condenado depois da sanção da nova lei é que será impedido de se candidatar. Para o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral, autor do projeto de lei, o texto saiu "aperfeiçoado" do Congresso.

Twitter

quarta-feira, maio 19, 2010

Copa do Mundo

Santa Casa

Primeiras providências

Sidney Borges
A Cruz Vermelha do Maranhão assumiu a gestão administrativa da Santa Casa de Ubatuba e deu início ao processo de ajustes que implicam na reorganização dos serviços e dos processos hospitalares. Em face ao que foi apurado no periodo de diagnóstico, aconteceram demissões e certamente haverá contratações e remanejamentos.

Hoje entrei em contato com os novos administradores que não quiseram dar detalhes, mas prometeram que dentro de 10 dias os meandros do processo de ajustes serão disponibilizados ao público.

O espaço do Ubatuba Víbora está aberto a quem tiver algo a dizer sobre a transição.

Twitter

Assessores censores



Censura ao vídeo dos prefeitos - Pisada de bola feia

Comentário de Ricardo Noblat (original aqui)
Assista com atenção o vídeo produzido pela Confederação Nacional dos Municípios no post abaixo.

Ele mostra o calvário dos prefeitos para a construção de obras em suas cidades beneficiadas por emendas de parlamentares ao Orçamento da União.

Não há nenhuma referência ao governo atual - a nenhum governo.

Muito menos a candidatos, pré-candidatos ou aspirantes a candidato.

Deveria ter sido exibido durante o debate entre Serra, Dilma e Marina promovido, hoje, pela associação dos prefeitos.

Foi vetado por assessores de Dilma.

Por que?

A crítica, mesmo que genérica, sem um alvo identificado, está interditada?

Desde quando?

Com base em quê?

Certamente não é bom base na Constituição.

A censura ao vídeo fornece uma pista do comportamento de Dilma em relação a qualquer coisa que a incomode? Que ela imagine - e, no caso, sem razão alguma - que poderá prejudicá-la?

Não sei se a candidata assistiu ao vídeo.

Mas pessoas com autoridade para falarem por ela viram, sim. E o proibiram.

O episódio é grave. Deixa mal a candidata. E alimenta preocupações quanto ao seu grau de tolerância em relação a tudo que possa contrariá-la.

Se nada teve a ver com a censura ao vídeo, Dilma deveria dizê-lo com todas as letras. E desautorizar os assessores que se valeram do seu santo nome.

Twitter

São Paulo


Cine Marrocos

Antonio Ricardo Soriano (original aqui)
O Marrocos, em 1951, ano de sua inauguração, era apontado como o cinema mais luxuoso da América do Sul. O cinema situado na Rua Conselheiro Crispiniano, nº. 344, destacava-se pela sua arquitetura de estilo “Mourisco modernizado”, que apresentava grandiosidade e muito conforto. A sua fachada e escadarias de entrada eram revestidas pelo precioso mármore de Carrara.

O grande hall de entrada possuía um piso riquíssimo em desenhos orientais, tendo ao centro uma magnífica fonte luminosa. As paredes laterais do grande hall de entrada possuíam decorações inspiradas no Oriente de contos e fantasias. Havia, também, um interessante baixo relevo, cuja decoração descrevia, com detalhes admiráveis, a evolução da sétima arte através dos tempos, desde Carlitos em “Em busca do ouro” até os últimos lançamentos (dos anos 40) da indústria do cinema em todo o planeta. A sala de espera, de 400 metros quadrados, tinha móveis que constituíam a última palavra em conforto e ornamentação, além de grandes colunas revestidas com espelhos de cristal rosa e caríssimos tapetes. O cinema trazia, também, como uma das principais novidades, um magnífico bar.

A sala de projeções, com capacidade total de 1900 lugares, tinha todas as paredes ornamentadas com pinturas inspiradas nos contos orientais das “Mil e uma noites” e possuía dois balcões. Outra particularidade interessante eram as cadeiras recuáveis da platéia e balcões, que permitia passagem fácil às pessoas entre as fileiras de poltronas. A tela do cinema era de vidro e proporcionava visão brilhante e sem ofuscamento, com extraordinário efeito na projeção de filmes em cores. O Marrocos, também, possuía a maior cabine cinematográfica do Brasil, com equipamentos de projeção e áudio da marca Simplex.
 

Mundo

Diplomacia nuclear

Sidney Borges
O acordo firmado no Irã, em que pesem as boas intenções do presidente Lula, deixou em aberto algumas questões, como bem frisou o jornal O Globo em editorial. 

"A quantidade de urânio que o Irã se comprometeu a enviar ao exterior representa, hoje, percentual bem menor do estoque total do país do que quando o plano foi inicialmente apresentado pela AIEA, em outubro de 2009.

O acordo não faz qualquer menção à necessidade de o Irã abrir instalações nucleares à inspeção internacional, vital para constatar a finalidade do programa, se puramente civil ou também militar.

Imediatamente após o acordo ser fechado, o Irã anunciou que continuaria a enriquecer urânio."

Além do mais o urânio enriquecido a 20% não serve para finalidades bélicas. A comunidade internacional teme que caia em mãos de extremistas.

Em termos militares ter uma bomba ou duas não altera o jogo. No entanto, se usado em atividades terroristas, o urânio a 20% pode causar sérios transtornos. Uma bomba comum contendo pastilhas de combustível nuclear de 2 cm de altura e 1,5 cm de diâmetro, facilmente contrabandeáveis, pode causar tantos problemas quanto uma bomba atômica. No primeiro momento não haverá destruição de prédios nem matança generalizada. A conta será apresentada aos poucos. A contaminação radioativa tornara a região inabitável por dezenas, ou centenas de anos. As pessoas expostas terão problemas de saúde, morrerão de câncer. 

O quadro está esboçado, faltam retoques finais. Um dia as organizações terroristas terão acesso ao veneno nuclear. Só restará então gritar: salve-se quem puder.

Quando aportei neste planeta nem de longe me passou pela cabeça que estava chegando a um hospício lotado de "napoleões" furiosos.

Se soubesse continuaria no espaço...

Twitter
Clique aqui e saiba mais
Acesse aqui o "Blog do Ninja"

Opinião

A reforma da Justiça estadual

Editorial do Estadão
Apontada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) como a mais congestionada Corte do País, o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) está preparando a maior reforma nas Varas Criminais e de Execuções das últimas três décadas. O objetivo é agilizar a tramitação dos processos, aproximar o Judiciário estadual da população e criar as condições para que possam ser cumpridas as metas de produtividade fixadas pelo órgão encarregado de exercer o controle externo da instituição. Como algumas inovações são polêmicas, os setores interessados terão um período para apresentar sugestões e as mudanças precisarão ser aprovadas pelo Conselho Superior da Magistratura e pelo Órgão Especial do TJSP. Além disso, a legislação processual penal está sendo revista pelo Senado - o que significa que a reforma ainda deve demorar para começar a ser implantada.

As propostas já divulgadas parecem adequadas. Planejadas pela Corregedoria-Geral do TJSP, elas preveem medidas que há muito tempo são reivindicadas por juízes e promotores, tais como a utilização de recursos audiovisuais para realizar audiências e colher depoimentos de testemunhas e réus e a digitalização dos processos. Possibilitadas pelo avanço da tecnologia, essas medidas tornam desnecessário o transporte de presos entre os fóruns e as prisões e as gravações têm a vantagem de não precisarem ser passadas para o papel. Tudo isso propicia uma significativa economia de recursos humanos e materiais e permite que os PMs que trabalham na escolta de presos possam atuar em outras áreas da segurança pública. O recurso à internet também melhora a qualidade na comunicação entre juízes, promotores e advogados, permite a adoção da carta precatória eletrônica, aumenta a precisão dos bancos de dados, reduz o excesso de burocracia e formalismo e ajuda a padronizar a atuação das Varas Criminais e de Execuções.

Para agilizar a tramitação dos processos de homicídio, que, em média, demoram cerca de quatro anos para serem julgados, a Corregedoria-Geral quer promover mutirões e elevar de cinco para oito o número de Varas de Júri. A ideia é centralizar todas as Varas de Júri no Forum Criminal da Barra Funda, quando as ações passariam a ser distribuídas aleatoriamente entre elas - e não mais pelo critério territorial. Hoje, cada Vara atende a uma região da cidade. É desta maneira que a Corregedoria-Geral do TJSP pretende cumprir a recomendação do CNJ, que está pedindo às Justiças estaduais que concluam entre 2010 e 2011 os processos de homicídio iniciados até 2008.

Com o objetivo de conter a expansão da violência doméstica na capital, a Corregedoria está propondo a criação de cinco Varas especializadas nesse tipo de delito. Para descongestionar a Justiça Criminal, a ideia é criar cinco novos Juizados Especiais Criminais para julgar os delitos de menor potencial ofensivo. E existem ainda estudos para a criação de uma Vara especializada em acidentes de trânsito e de outra destinada exclusivamente aos crimes relacionados ao narcotráfico.

Os defensores da reforma argumentam que, quanto maior for a especialização das Varas Criminais, mais o julgamento tende a ser técnico, preciso e objetivo. Já os críticos questionam as medidas que reformulam as funções do Departamento de Inquéritos Policiais e afirmam que a centralização dos julgamentos dos crimes dolosos contra a vida no Fórum da Barra Funda é incompatível com a ideia de aproximar a Justiça Criminal da população. E, por fim, lembram que a criação de novas Varas só surtirá o efeito desejado se o Executivo expandir as Defensorias Públicas. Como grande parte da população não tem recursos para pagar advogados, a falta de defensores em número suficiente pode se converter em gargalo da reforma.
Leia mais

Twitter

Manchetes do dia

Quarta-feira, 19 / 05 / 2010

Folha de São Paulo
"Com nova Telebrás, teles temem perder R$ 20 bi"

Cerca de 20% do faturamento de companhias vem de contratos públicos

As companhias telefônicas temem perder R$ 20 bilhões por ano com a volta da Telebrás. O valor se refere aos contratos com a administração pública (federal, estadual e municipal e estatais) -20% do faturamento líquido das teles em 2009. Segundo a Folha apurou, a resistência das teles ao Plano Nacional de Banda Larga vem do receio de perder as contas de governo, não da eventual atuação da Telebrás na oferta de acesso à internet a usuários finais em locais remotos. As operadoras alegam que atender à administração pública foi determinante em seus planos de negócios quando participaram da privatização, em 1998. Para Rogério Santanna, presidente da estatal, as teles deveriam se preocupar com os valores que cobram dos outros clientes. Com a Telebrás no mercado, "terão que baixar".

O Estado de São Paulo
"BC projeta crescimento de 9,85% no trimestre"

Novo índice capta aceleração acima das previsões; arrecadação de impostos sobe 16,75% em abril

O índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), criado para tentar antecipar o resultado do PIB e subsidiar a política de juros, mostrou que a economia teve alta de 9,85% no primeiro trimestre ante igual período de 2009. O resultado é superior ao que a maioria dos analistas e a Fazenda estão projetando - na casa dos 8%. Em relação ao quarto trimestre do ano passado, o IBC-Br teve expansão de 2,38%, o que significa, em termos anualizados, crescimento próximo de 10%. O dado reforça a análise de que a economia está em um ritmo muito forte neste início de ano e que é necessário colocar um freio no nível de atividade. O crescimento fez a arrecadação da Receita Federal crescer 16,7S% em abril sobre igual período de 2009, atingindo R$ 70,9 bilhões, o melhor resultado para o mês.

Twitter

terça-feira, maio 18, 2010

(des)Educação


Assustados com as agressões entre os estudantes, pais pedem providências em Ubatuba

Em apenas duas semanas, aconteceram quatro brigas entre estudantes na cidade

Do VNews (original aqui)
Em Ubatuba, a violência envolvendo adolescentes preocupa pais e alunos de uma escola estadual. Eles estão assustados com o grande número de brigas entre os estudantes: foram quatro, em apenas duas semanas.

A filha de Eraldina dos Anjos, por exemplo, tem sido ameaçada na escola. “Cinco minutos depois que ela não chegou em casa, eu fico a ponto de sair de casa e vir pra escola ver oque está acontecendo", contou ela. A adolescente de 14 anos, Caroline Anjos Cordeiro, diz que é vítima de agressões verbais e já chegou a levar um tapa de uma colega. “São todos os dias, brigas, e não dá pra conviver num lugar desse. Você vem pra escola pra estudar e acaba apanhando sem ter motivo".

Outras estudantes relatam agressões que sofreram ou que presenciaram na escola estadual Dr. Esteves da Silva, que fica no centro de Ubatuba. Uma delas pediu transferência e a outra, por medo, quer mudar de escola. "Senão vai acabar sobrando pra mim. Qualquer um que entrar no meio, ele já quer bater".

Elas dizem que as provocações começam no pátio e nos corredores e terminam na rua. Quase sempre as ofensas partem de uma aluna e do grupo dela. A estudante diz que até o diretor se sente ameaçado. "Ele também é agredido na hora do recreio, com comida, pelos alunos, fisicamente, verbalmente. São muitos alunos, vários na hora do recreio, não é uma sala só, acaba saindo do controle".

Nos últimos 15 dias, quatro brigas foram registradas pela direção da escola. Elas acontecem no horário da saída dos alunos, e do lado de fora do colégio. Em duas delas, as alunas ficaram gravemente feridas. A dirigente regional de ensino, Edina Paula Roma, diz que vai tomar medidas para evitar a violência. "Vamos fazer um trabalho pedagógico, juntamente com os pais, com alunos, pra que isso mude, reflita de uma outra forma, num respeito mútuo, numa ocnvivência com mais harmonia".

A dirigente informou ainda que não tem conhecimento de agressões contra funcionários e que a escola deve ganhar, em breve, um circuito interno de câmeras de segurança.

Segundo o promotor da infância e da juventude, Percy José Cleve Kuster, se houver denúncia a Justiça pode intervir. "A promotoria tem uma parceria com o governo municipal, e criou um programa onde essas crianças são enviadas para esse programa e lá elas recebem um tratamento de uma equipe multidisciplinar. Então elas são assistidas por pedagogos e por psicólogos".

Nota do Editor - O Ubatuba Víbora já alertou para o problema. O caso é grave, alguém deve fazer a denúncia, o promotor está disposto a investigar. Sem denúncia tudo continuará como está. Até que um aluno, ou um professor, morra. Há registro de situações que passaram perto. (Sidney Borges)

Twitter

Luto no cinema

O ator Marcos Cesana, que morreu aos 44 anos

Ator de "Lula, o Filho do Brasil" morre aos 44 anos em SP

Folha Online
O ator Marcos Cesana, 44, morreu hoje em São Paulo, no Hospital Samaritano. Ele estava internado desde o dia 8 de maio.

Segundo informações do Hospital, a morte aconteceu em decorrência de "complicações cardiorrespiratórias secundárias a uma hemorragia por ruptura de aneurisma cerebral".

Há dois anos, Cesana interpretava o inspetor Tavares no seriado policial "9mm: São Paulo" (Fox), um dos principais personagens da trama.

Cesana participou recentemente do filme "Lula, o Filho do Brasil", como o sindicalista Feitosa. Também participou de "Bicho de Sete Cabeças" e "Chega de Saudades", longas dirigidos por Lais Bodanzky.


O cineasta Fábio Barreto, que teve alta para continuar tratamento em casa, voltou a ser internado no Rio

Cineasta Fábio Barreto volta a ser internado no Rio

O cineasta Fábio Barreto, que recebeu alta do hospital Copa D'or, no Rio, no último dia 22 para continuar o tratamento em casa, voltou a ser internado ontem.

De acordo com a assessoria de imprensa do hospital, a família do diretor optou por levá-lo de volta ao local após uma casa vizinha a sua correr o risco de desabar por conta das chuvas que atingem a cidade desde segunda-feira. Até que a inspeção seja feita, e a casa liberada, Barreto continuará internado.

Mesmo em casa, o cineasta continuava inconsciente desde o acidente que sofreu em dezembro do ano passado. Embora abra os olhos de vez em quando, ele não interage com o mundo exterior.
Leia mais

Twitter

Política

Ninguém suspeitava

Sidney Borges
Oh céus, estou chocado. A revelação me fez perder o equlíbrio, por alguns momentos pensei que iria desmaiar. Michel Temer, do PMDB, será o candidato a vice de Dilma Rosseff. Tal indicação jamais passou pela minha cabeça. O Brasil está surpreso. Esse Lula é mesmo de amargar. Vive pegando a gente no contrapé.

Twitter

QUE RESTE T-IL DE NOS AMOURS ?

 
Free counter and web stats