sábado, maio 15, 2010

De olho no Víbora

Clique na figura para ampliar

Visitantes ilustres

Sidney Borges
Ao fazer uma consulta trivial sobre acessos deparei-me com dois visitantes ilustres. Às 16h53 tive a honra de receber em minha humilde página o Ministério Público Federal - Procuradoria geral DA, Brasília, Distrito Federal, Brazil.

Às 17h07 outra visita memorável, desta vez da Embaixada da República Bolivariana da Venezuela, Brasília, Distrito Federal, Brazil.

Espero que tenham gostado. Os visitantes estão chegando para acompanhar a Copa do Mundo no Ubatuba Víbora, onde o futebol sustentável é mais sustentável e ecológico. Se eu soubesse teria enviado um abraço ao camarada Chávez que hoje bateu forte nas bolsas de valores. Ainda dá tempo. Ola Chávez, saludos.

O camarada tem razão em protestar contra a especulação que nada produz além de alguns milionários e muitos patos desiludidos, como Pato do Milan que não foi convocado. Até Chávez há de concordar comigo que se não foi Pato deveria ter ido Ganso. 

Acho que ainda vai, o Seteanão é teimoso mas não é bobo. Continue lendo o Ubatuba Víbora, um blog definitivamente compromissado com a notícia.

Cinema

Woody Allen rides again

Diego Assis
Do G1, em Cannes
"Não tem vantagem nenhuma em envelhecer. Você não fica mais esperto, mais sábio, mais doce ou mais educado. Você começa a sofrer com dor nas costas, indigestão, a visão fica pior, e vai precisar de ajuda para ouvir. É uma coisa muito ruim ficar velho. Recomendo que vocês não o façam". Aos 74 anos, o "velho" Woody Allen retornou a Cannes neste sábado (14), com a ironia de sempre, para apresentar seu mais recente filme, "You will meet a tall dark stranger", que entre outras coisas conta a história de dois casais cada vez mais infelizes na relação à medida que a idade avança.
Leia mais

Twitter

Santa Casa

Clingel Frota, secretário municipal de Saúde de Ubatuba e Vitor Ferreira, secretário geral da Cruz Vermelha do Brasil - filial do Maranhão

Panorama do diagnóstico

Sidney Borges
Ontem pela manhã assisti à apresentação do diagnóstico da "auditoria" da Cruz Vermelha na Santa Casa de Ubatuba. Clingel Frota, secretário de saúde do Município abriu os trabalhos fazendo a apresentação de Vitor Ferreira, representante da Cruz Vermelha do Maranhão. Em seguida foram projetadas telas mostrando os diversos problemas encontrados. A maior parte de conhecimento da população.

Vitor deixou claro que administração hospitalar é uma atividade de grande complexidade. Um hospital do porte da Santa Casa de Ubatuba abriga multiplas atividades sob o mesmo teto e todas precisam estar coordenadas para que os trabalhos fluam. Ele citou como exemplos a cozinha industrial, a lavanderia, e os serviços de hotelaria que devem atender os internados. Os profissionais envolvidos precisam estar preparados.

Esse foi um dos pontos importantes da explanação. Treinamento. Antes de assumir um determinado posto o profissional precisa conhecer nos mínimos detalhes a função que vai desempenhar. Perguntado se haverá cortes, Vitor não titubeou, mas também não se alongou, disse que são inevitáveis.

Não houve promessa de resultados imediatos, 36 meses foi o prazo estimado para a consultoria surtir efeito.

A situação financeira da Santa Casa não é boa, a dívida atinge a casa de 21 milhões de reais. Quando a prefeitura assumiu a administração do hospital o passivo montava em 11 milhões. Clingel atribuiu o fato às ações trabalhistas posteriores à intervenção e disse que o deficit mensal diminuiu de 550 mil reais mensais, em 2005, para 200 mil atualmente.

Na parte da tarde foi assinado o contrato entre as entidades, tendo Vitor Ferreira firmado pela Cruz Vermelha. Jair Antonio de Souza, gestor da Santa Casa, não esteve presente nos trabalhos matutinos e não aparece nas fotos da assinatura do contrato divulgadas no release da prefeitura. Quem assinou pela Santa Casa?

A contratação da Cruz Vermelha do Maranhão custará 50 mil reais mensais ao município. Após 36 meses e um milhão e oitocentos mil reais saberemos os resultados.

Clique aqui e saiba mais
Acesse aqui o "Blog do Ninja"

Opinião

A Europa continua em perigo

Editorial do Estadão
Por mais um ano - na melhor hipótese - a economia mundial terá de avançar com seu segundo maior motor quase parado. A produção europeia não crescerá mais que 1% em 2010, depois de uma contração de 4,1% no ano passado, segundo as novas projeções do FMI. Os mesmos números valem para a zona do euro, mas a projeção de crescimento parece otimista quando se examinam os dados preliminares do primeiro trimestre, divulgados pela agência Eurostat. Além disso, permanece a insegurança, nos mercados, quanto à eficácia dos pacotes de ajuda à Grécia e a outras economias em situação de risco. Na sexta-feira, nova onda de pessimismo dominou as bolsas, produzindo um cenário parecido com o de uma semana antes.

Mesmo sem esse novo susto o quadro já seria muito preocupante. Entre janeiro e março o produto bruto dos 16 países da zona do euro foi apenas 0,2% maior que o dos três meses finais de 2009 e 0,5% superior ao de 2008. O melhor desempenho, 1%, foi o de Portugal, mas o país terá de enfrentar um duríssimo ajuste das contas públicas. A maior economia europeia, a alemã, produziu apenas 0,2% mais que no trimestre anterior, de acordo com o governo da Alemanha.

O desempenho geral só não foi pior porque os governos gastaram muito em programas de estímulo e também no socorro a bancos. As contas públicas de muitos países estão em más condições e com dívidas crescentes.

Apesar disso, "tentar estabilizar a dívida pública no curto prazo não é exequível nem desejável, diante do risco de uma recaída na recessão e do tamanho do aperto fiscal necessário", segundo análise do FMI. Mas isso não vale para todos os países: para aqueles "com baixa credibilidade fiscal, uma consolidação mais pronta é indispensável".

O caso da Grécia é apenas o mais notório. Os governos da zona do euro e o FMI montaram um programa de 110 bilhões para salvar o país da insolvência. Um calote grego, hipótese não descartada por vários analistas, poderia desestabilizar o sistema financeiro e alguns dos governos mais endividados. O governo da Grécia já acertou com o FMI um duro programa de ajustes e de reformas. Sua economia deverá encolher 4% neste ano, 2,6% no próximo e em 2012 poderá crescer 1,1%, segundo as novas projeções. O desemprego, de 9,4% em 2009, subirá para 11,8% neste ano, 14,6% em 2011 e 14,8% em 2012. Será o custo da redução do déficit fiscal de 13,6% do PIB em 2009 para 6,5% em 2012.

Mas o governo tentará aplicar o programa em condições políticas muito desfavoráveis. As maiores centrais sindicais convocaram greve geral para o dia 20, contra o corte de gastos, a reforma da Previdência e outros ajustes. Se o governo for incapaz de aplicar pelo menos parte substancial do programa, provavelmente será forçado à moratória.
Leia mais

Twitter

Manchetes do dia

Sábado, 15 / 05 / 2010

Folha de São Paulo
"Usinas vão alagar áreas protegidas da Amazônia"

Projeto do governo no Pará afetará o equivalente a meia cidade de SP

As cinco hidrelétricas que o governo Lula quer construir na região do rio Tapajós (PA) afetarão diretamente 871 km2 de áreas protegidas de floresta, o equivalente a meia cidade de São Paulo, informa Claudio Angelo. O cálculo foi feito pela Folha com base em dados preliminares do estudo de inventário hidrelétrico dos rios Tapajós e Jamanxim, produzido pela Eletronorte e pela Camargo Corrêa. Segundo o relatório, os reservatórios das usinas devem alagar parte de dois parques e três florestas nacionais. Nos parques, só se permitem pesquisa e turismo; nas florestas, instalar hidrelétricas é proibido. Desde abril, porém, decreto federal autoriza estudos para hidrelétricas em unidades de conservação. O governo fala em fazer “usinas-plataforma”, o que minimizaria o desmate.

O Estado de São Paulo
"Recessão e crise de confiança na Europa derrubam bolsas"

Percepção é de que socorro não será suficiente de que austeridade ameaça recuperação; Ibovespa cai 2,12%

Apenas cinco dias depois de União Europeia e FMI apresentarem um pacote de quase US$ 1 trilhão para tentar debelar a crise europeia, os mercados voltaram a ser sacudidos ontem com preocupações sobre o futuro da zona de euro. Bolsas desabaram pelo mundo – o Ibovespa recuou 2,12% e houve forte queda em Paris (4,59%), Londres (3,14%), Frankfurt (3,12%) e Madri (6,64%). O euro chegou a ser negociado abaixo de us$ 1,24, a menor cotação em 18 meses. Para especialistas, o continente está à beira de uma crise de confiança, com alguns países afastando-se da moeda comum. Além do futuro do euro em si, investidores observam, segundo analistas, que os pacotes de cortes apresentados por alguns países, como Espanha e Portugal, devem gerar deflação e estagnação e reduzir ainda mais o ritmo da recuperação da região, que já é lento. No caso específico da Grécia, o estopim da crise, o presidente do Deutsche Bank, Josef Ackermann, colocou em dúvida que o país consiga pagar toda sua dívida, apesar do plano de socorro.

Twitter

sexta-feira, maio 14, 2010

Grafite Super GOL!



Rápido, a placa!

Sidney Borges
Grafite foi bem convocado. O Seteanão que não é bobo sabe ter nas mãos um problema que os outros técnicos adorariam. Em cada posição o futebol brasileiro tem dois, três, quatro ou mais talentos. Esse gol mereceu placa. Fico imaginando Ganso lançando Grafite. Claro que Ganso também poderia lançar Pato. O Seteanão não levou Pato? Nem Ganso? Questão de tempo, até Branca de Neve sabe que em time de soldados da pátria sempre cabe um craque.

Twitter

Pensata

Universo, uma história de erros

Hélio Schwartsman
Com algum atraso, comento o livro "Criação Imperfeita", do físico Marcelo Gleiser, lançado em março último. Gostei bastante. É uma obra de receita improvável: junte uma competente revisão da física de partículas com um panorama dos últimos trabalhos em cosmologia e salpique um pouco do que já se publicou sobre a origem da vida; acrescente à mistura um tom memorialista e extraia deliciosas conclusões epistemológicas, que, se não questionam a base da ciência ocidental, pelo menos lançam novos "insights" sobre as motivações dos que a escreveram e o tipo de busca em que se enredaram.

Como sou menos do que um aprendiz em física e biologia, não me aventuro muito nessa seara. Só o que posso dizer é que Gleiser, como bom professor --atualmente, ele dá aulas no Dartmouth College, em New Hampshire (EUA)--, é quase claro em suas explicações. Ao ler seus esclarecimentos sobre bárions, léptons e supercordas, ficamos com a sensação, certamente enganosa, de ter compreendido tudo.

Deixemos, entretanto, os quarks e bósons para os físicos. O que me interessa discutir aqui é a filosofia da ciência por trás do livro. A tese central de Gleiser é que, desde os primeiros filósofos gregos, sempre foi a busca por princípios de unificação e simetria que inspirou os cientistas. Desvendar o mundo equivalia a descobrir a ordem matemática por trás das coisas. "A matemática é o alfabeto no qual Deus escreveu o universo", disse certa vez Galileu Galilei. E o astrônomo de Pisa não foi o primeiro nem o último a tentar ler o divino na ordem natural. A tradição, com efeito, remonta aos gregos --especialmente os pitagóricos e a Platão--, mas prosperou, ecoando até mesmo em Einstein, para quem "o Senhor não joga dados".

(Diga-se, "en passant", que, embora muitos gostem de citar Einstein como exemplo de cientista religioso, este não é o caso. É certo que ele adorava metáforas envolvendo a imagem de Deus, mas, na verdade, era um judeu ateu de boa cepa. Numa carta

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ciencia/fe1505200804.htm

escrita em 1954 --ou seja, um ano antes de sua morte-- ao filósofo alemão Eric Gutkind, o físico não deixa margem a dúvidas: "A palavra Deus para mim nada mais é que expressão e produto da fraqueza humana, a Bíblia é uma coleção de lendas honradas, mas ainda assim primitivas, que são bastante infantis. Nenhuma interpretação, não importa quão sutil, pode mudar isso").

De volta a Gleiser, o autor sustenta que é em virtude desse amor pela simetria, ao qual chama de "encantamento jônico", que a física persegue até hoje uma teoria que unifique todas as quatro forças da natureza --eletromagnetismo, gravidade, e as forças nucleares forte e fraca. Só que é perfeitamente possível que essa supersimetria pela qual ansiamos com tanto ardor não exista. E, se é precipitado desde já abrir mão de buscá-la, é ainda mais errado erigir essa simetria em dogma.

E aí Gleiser se propõe a contar uma história um pouco diferente. Segundo ele, é possível interpretar a história do universo como uma história de assimetrias. Foi um ligeiro excesso das partículas de matéria sobre as de antimatéria nos primeiros instantes após o Big Bang --um desequilíbrio-- que tornou possível a existência de galáxias e estrelas. De modo análogo, ao que tudo indica, pequenas flutuações randômicas (térmicas, de radiação ou sabe-se lá o quê) --um desequilíbrio-- estão na origem das moléculas orgânicas das quais somos constituídos. Também as mutações, que permitiram a transformação de átomos de carbono ligados a meia dúzia de elementos químicos baratos em organismos complexos, são fruto de erros aleatórios de replicação.

Evidentemente, Gleiser não está propondo que viremos do avesso a forma de fazer ciência. Para sermos rigorosos, ele não está nem mesmo sugerindo que a narrativa dos desequilíbrios seja superior a uma outra, que enfatize as simetrias. (Mal e mal, foi a busca pela harmonia que nos legou todo o conhecimento que acumulamos até agora). No fundo, a diferença entre essas duas narrativas é de ordem estética. O que ele diz, e me parece ao mesmo tempo extremamente sensato e humilde, é que a ciência é uma busca sem fim. Não existem nem jamais existirão teorias finais. Nunca poderemos conhecer tudo, pois existem limitações para o que podemos medir. E, no que se torna um "Leitmotiv" ao longo do livro, só conhecemos o que podemos medir.
Leia mais

Twitter

Espaço do leitor


Prefeitura protegendo a Mata Atlântica

Valéria Corrêa
As imagens - de 08/05/2010 - mostram a retirada de areia e pedra rolada diretamente do leito do Rio Grande de Ubatuba, trabalho feito com máquinas da EMDURB.

Ainda no local, liguei imediatamente para a CETESB e a Policia Ambiental, relatando os fatos e aguardei as autoridades competentes comparecerem para registro da ocorrência.

Mandei e-mail com as imagens para os referidos órgãos e, para garantir o recebimento, imprimi as imagens e entreguei pessoalmente nas agências locais.

Aguardo providências.

Twitter

Coluna do Celsinho

Avistar

Celso de Almeida Jr.
De 14 a 16 de maio ocorre em São Paulo a Feira Avistar 2010, o Encontro Brasileiro de Observação de Aves. Trata-se da mais representativa mostra de observação de aves no Brasil e tem como objetivo fomentar o turismo, incentivar publicações e expandir o público de Observadores de Aves.

Ubatuba se fará presente e já conta, atualmente, com diversos interessados no assunto, contribuindo para consolidar a estratégia de atrair turistas apaixonados pela prática.

A feira acontece no Parque Villa Lobos, Avenida Professor Fonseca Rodrigues, 1.655, Alto de Pinheiros, zona oeste de São Paulo.

As crianças contarão com a Avistar Infantil, que traz arte e educação ambiental através de oficinas de qualidade.

Confira no site: www.avistarbrasil.com.br

Este segmento turístico é um bom exemplo do enorme potencial que dispomos.

Aliás, neste sentido, a Secretaria Municipal do Meio Ambiente está promovendo o 1º Festival da Mata Atlântica, com eventos durante todo o mês de maio, incluindo atividades de Observação de Aves.

Vale lembrar que dados do Instituto Florestal de São Paulo confirmam que Ubatuba preserva 89,9% de sua vegetação, liderando o ranking estadual. Este alto grau de riqueza natural deixa Ubatuba em posição estratégica quanto às políticas de desenvolvimento sócio-ambiental, educação e turismo sustentável.

Enfim, temos em mãos a “Jóia da Coroa”.

Resta, portanto, criar uma boa estratégia para colher os frutos desse patrimônio em nível internacional.

Exagero?

Tudo é uma questão de ousadia, confiança, capacidade de organização e, principalmente, elaboração de projetos de alto-nível.

Twitter
Clique aqui e saiba mais
Acesse aqui o "Blog do Ninja"

Opinião

O Golfo do México e o pré-sal

Editorial do Estadão
O enorme vazamento de petróleo da plataforma Deepwater Horizon, operada pela BP no Golfo do México, que afundou em 22 de abril, ainda não chega a ser o maior desastre ambiental já ocorrido nesse setor, mas está se mostrando o mais difícil de conter. O vazamento já passa de 16 milhões de litros de petróleo bruto, mas os técnicos admitem que não têm condições de avaliar a quanto pode chegar o volume. Os custos para barrar o avanço da vasta mancha negra são calculados, por enquanto, em US$ 350 milhões. Como o uso de produtos químicos, barreiras e absorventes não foi capaz de deter a maré negra, a BP montou uma estrutura para bombear o óleo para outra plataforma, mas sem resultado. A companhia prepara-se agora para fazer nova tentativa.

Representantes da BP, da Transocean e da Halliburton, empresas envolvidas na operação da fatídica plataforma, falando ao Congresso americano, não assumiram a responsabilidade pelo defeito no equipamento que provocou o desastre. A mancha de petróleo bruto afeta gravemente a vida marinha, invade manguezais, praias e áreas protegidas, causando vultosos prejuízos à indústria pesqueira, à navegação e ao turismo, que devem se prolongar por meses ou anos.

A ironia da história é que, pouco antes do desastre, o presidente Barack Obama liberara áreas do Golfo do México e do Alasca para exploração do petróleo, contrariando os ambientalistas. Agora a Casa Branca suspendeu indefinidamente a exploração de petróleo naquela região e o presidente Obama anunciou que vai alterar a legislação que regula a exploração de petróleo em todas as áreas offshore nos EUA, reforçando os mecanismos de controle.

Não tendo o vazamento resultado de falhas de um petroleiro, como ocorreu com o Exxon Valdez na costa do Alasca em 1989, que ficou limitado à capacidade do navio, a calamidade no Golfo do México terá efeitos que se estenderão muito além da questão ambiental, afetando toda a indústria petrolífera.

Como era de esperar, toda atividade de exploração de petróleo no mar está em xeque. No Brasil, que depende basicamente do petróleo da plataforma continental e que começa a explorar a camada do pré-sal, as preocupações já se fazem sentir. Como informou a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, técnicos da sua Pasta estão em contato com representantes da Marinha e da Petrobrás para avaliar a capacidade brasileira de lidar com emergências.

As estimativas de custo para exploração de petróleo no mar terão de ser revistas. As grandes seguradoras, que terão de arcar com uma parte substancial dos prejuízos sofridos pela BP e seus parceiros, devem, com certeza, aumentar o valor de seus prêmios para cobertura de eventuais acidentes em plataformas.

A Petrobrás e outras empresas com operações em alto-mar terão igualmente de reforçar seus esquemas de segurança, o que vai requerer tecnologia mais avançada e maiores dispêndios, uma vez que as exigências ambientais devem se tornar muito mais rigorosas.

Vazamentos de petróleo, de petroleiros, refinarias ou oleodutos têm sido bastante comuns, inclusive no Brasil. Mas de plataformas marítimas são relativamente raras. Nos Estados Unidos tem sido lembrada a explosão em uma plataforma na costa da Califórnia em 1969. Decorridos 40 anos daquele acidente, a tecnologia certamente avançou, mas agora surgem dúvidas de que o progresso nessa área tenha sido suficiente.

O cientista Villy Kourafalou, da Universidade de Miami, citado pela revista Newsweek (10/5), por exemplo, disse que as novas tecnologias existentes eram tidas como capazes de assegurar que novos vazamentos na exploração de petróleo não mais ocorreriam. Isso, comentou ele, parece agora demasiadamente otimista. O fato é que, depois do acidente do Golfo do México, todos os sistemas técnicos de segurança das plataformas, bem como os procedimentos adotados, devem passar por uma reavaliação.
Leia mais

Twitter

Manchetes do dia

Sexta-feira, 14 / 05 / 2010

Folha de São Paulo
"Governo faz cortes para tentar esfriar economia"

Retenção de gastos federais chega a R$ 31,8 bi, o equivalente a 1% do PIB

A equipe econômica do governo Lula anunciou corte adicional de R$ 10 bilhões nos gastos federais. O objetivo é tentar evitar o superaquecimento da economia, que gera pressão inflacionária, e reduzir a necessidade de subir ainda mais os juros. O novo bloqueio de gastos (contingenciamento) soma-se aos R$ 21,8 bilhões que já haviam sido anunciados em março. A retenção total será de R$ 31,8 bilhões, equivalentes a cerca de 1% do Produto Interno Bruto (bens e riquezas que o país produz). O valor é quase igual ao que o governo tem para gastar em 2010 no Programa de Aceleração do Crescimento, R$ 33,6 bilhões. A expectativa do Planalto é cumprir a meta de superavit primário (economia para pagar juros da dívida), de 3,3% do PIB. Ao anunciar a decisão, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse que o PAC e programas sociais como o Bolsa Família não serão afetados no ano eleitoral. "Mas é um sacrifício que os ministérios terão que fazer - postergar gastos."

O Estado de São Paulo
"Governo corta mais R$10 bi para conter crescimento"

Medida eleva contingenciamento para R$ 31,8 bi, e Mantega fala em teto de 7% para a expansão da economia

Depois de cortar R$ 21,8 bilhões nas despesas do Orçamento deste ano, o governo anunciou contingenciamento adicional de R$ 10 bilhões, para esfriar a economia. O ministro Guido Mantega (Fazenda) disse que a medida será menos dolorosa do que a elevação dos juros. Anteontem, em entrevista ao Estado, o ministro Paulo Bernardo (Planejamento) antecipou que haveria cortes. Segundo Mantega, será atingido o custeio da máquina administrativa, e não investimentos e programas sociais. No governo, a avaliação é que há espaço para reduções, sobretudo no Ministério da Educação. Para analistas, porém, o impacto no aquecimento da economia será baixo. Mantega afirmou que não deixará o País crescer 7% em 2010, diante do risco de aceleração da inflação. Projeções oficiais indicam expansão do PIB de até 10%. "A gente tem de ir observando porque não podemos fazer bobagem", disse Mantega.

Twitter

quinta-feira, maio 13, 2010

Copa do Mundo

Frases

“Críticas à ação administrativa do governo são inerentes à atividade política, não configurando propaganda eleitoral".

Sandra Cureau, vice-procuradora-geral Eleitoral, responsável pelo parecer contrário à retirada do ar do site gentequemente.org.br., alimentado pelo PSDB e que faz críticas a Dilma Roussef.

Twitter

Pesquisa

O seteanão Dunga durante anúncio da escalação para a Copa

Brasil tem mais chance de ganhar a Copa, diz banco

Sílvio Guedes Crespo
Não bastassem as projeções na área econômica, o Goldman Sachs, caso raro de um grande banco dos Estados Unidos que emergiu praticamente incólume da crise financeira internacional, mas que está sendo investigado por suposta venda de ativos podres a clientes, resolveu prever que o Brasil será o campeão da Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, informa o jornal Valor Econômico.

O documento de 67 páginas diz que, junto com o Brasil, os demais semifinalistas do torneio serão Argentina, Alemanha e Itália. O Valor lembra que o Goldman Sachs acertou apenas dois semifinalistas na Copa anterior (Itália e Alemanha) e nenhum na de 2002. Na primeira edição do estudo, no entanto, ele acertou três semifinalistas para a Copa de 1998.

A escolha do favorito, sempre segundo o Valor, é feita por meio de estatística; o banco faz um levantamento dos resultados dos jogos de seleções nos últimos anos e calcula a probabilidade que cada país tem de vencer. A do Brasil é a maior, de 13,76%.

Nota do Editor - Caro leitor, futebol não é planilha de economista. Não acredite em estatísticas antes da galinha botar o ovo. Esses caras sabem tudo que vai acontecer e nem chongas pra quebradeira que quase levou o capitalismo pras cucuias, como previram Nostradamus e Frei Betto. Não existe favorito para a Copa. Mas também não espere que alguma seleção cabeça-de-bagre levante o caneco. Honduras, por exemplo. Tem pouquissimas chances de ser campeã. Principalmente depois do golpe que derrubou Zelaya. (Sidney Borges)

Por falar em galeras



Twitter

Linda galera


Caixinha de surpresas

Sidney Borges
Ontem assisti Grêmio e Santos. O Santos lembrou tempos de futebol divertido. Acabou derrotado, contingência do esporte, perdeu muitos gols. Garrincha era divertido. Pelé, Canhoteiro, Zague, Gonçalo, Faustino e Luizinho eram divertidos, ou melhor, divertiam quem pagava ingresso.

Ganso jogou muito. Será que o Seteanão viu? Ganso é diferente, a bola faz reverência quando chega a seus pés. Aporta deformada pelos choques elásticos e sai redondinha, esférica como são as esferas perfeitas, cuja superfície é o lugar geométrico dos pontos situados a uma distância dada do centro.

Ganso é o nome. O futebol é de cisne. Tão bonito como o Cisne Branco da foto acima.

Antes passei pelo Maracanã para ver meu time carioca, o Mengão, urubu listrado de vermelho e negro. Silêncio quase que total. Alguns gatos pingados do país que tem o mapa parecido com Marco Maciel cantavam. Sambinhas chilenos. Deu dó.

Cadê?

Em cima Júpiter em junho de 2009 e, embaixo, em 8 de maio de 2010

Socorro, gatunos na Galáxia!

Sumiu uma listra da atmosfera de Júpiter

Sidney Borges d'après Carlos Orsi
Como dá para perceber na comparação das duas fotos (feitas pelo australiano Anthony Wesley) uma faixa escura do hemisfério sul sumiu nos últimos meses. De acordo com a NewScientist, a faixa sumiu durante o período em que Júpiter se encontrava perto demais do Sol para poder ser observado da Terra.

Explicação? Até agora nehuma. Experimente teorizar, é como coçar, basta começar e você nunca mais conseguirá parar. Eu tenho certeza de que foi coisa dos Incas Venusianos.

Espaço do leitor


Loteamento Ressaca IV

Prezado Sidney Borges.

Primeiramente, gostaria de demonstrar meu apreço por seu trabalho parabenizando-o pela qualidade e imparcialidade das notícias publicadas em seu blog. Isso é imprensa.

Ademais, escrevo-lhe para tornar pública minha indignação quanto ao descaso com nosso bairro (Ressaca).

Hoje pela manhã, como de costume, ao passar pela ponte recentemente inaugurada pela Prefeitura Municipal, pude constatar que além dos buracos indesejados que ali se formam, também teremos que nos acostumar com os novos imóveis edificados às margens do rio que passo a denominá-lo como RESSACA IV. Alguns estão no alicerce, outros até porta possuem.

Não bastasse, a galeria construída para dar vazão à água da chuva, que passa por debaixo da cabeceira da ponte, virou alojamento de desocupados.

Percebe-se que a obra que deveria trazer melhoria ao bairro acabou por nos trazer insegurança. Já que, conforme demonstrado nas fotos, a cada dia prolifera o número de Deks para a pesca. Nada contra a pesca. Somente a favor do meio ambiente, pois, sabe-se que a lei ambiental proíbe que qualquer estrutura seja edificada no leito do rio.

Se não adiantar de nada tornar público o início dessa ocupação no leito do tão sofrido rio, convido todo cidadão de bem, pagador de impostos para irmos correndo garantir nosso lugar ao leito, já que se demorarmos muito toda a margem estará ocupada por desocupados.

Daí fica a pergunta: E o poder Público o que faz?

Pelo que eu saiba deveria fiscalizar.

Bem, minha parte como cidadão eu já faço. Pago meus impostos, tento diminuir o impacto da minha existência nesse mundo com pequenas atitudes, ou seja, prefiro a bike do que o carro, quando no mercado prefiro as caixas de papelão do que sacolas e quando vou à padaria já levo minha sacolinha para evitar danos maiores ao meio ambiente. Não resolve, mas acredito que ajuda.

Atenciosamente,

Fábio Righetto

Twitter

Deu em O Globo

Ao invés de férias, Lula preferia que Tuma Jr. saísse

Presidente elogia secretário, que não deverá, porém, voltar ao governo

De Jailton de Carvalho e Roberto Maltchik
O secretário nacional de Justiça, Romeu Tuma Júnior, não poderá retornar das férias de 30 dias que tira a partir de hoje, para se defender das acusações de suposto envolvimento com o chinês Li Kwon Kwen, o Paulo Li, preso desde setembro passado por contrabando.

Está combinado entre o Ministério da Justiça e o Palácio do Planalto que Tuma será afastado do cargo em caráter definitivo, independentemente do resultado das três frentes de investigação que existem contra ele: um inquérito na PF, uma investigação interna da Controladoria Geral da União e procedimento da Comissão de Ética.

Ontem, o presidente Lula defendeu publicamente o afastamento do secretário, solução diferente das férias negociadas pelo Ministério da Justiça.

- Temos de ter clareza que o Tuma tem serviços prestados de forma extraordinária à polícia de São Paulo. Há indícios de conversas dele com pessoas que são suspeitas, mas não há nenhuma prova concreta de que ele cometeu qualquer ilícito. Nesta situação, prefiro que haja o afastamento dele e uma apuração correta. Se o ministro entendeu que as férias dariam o tempo suficiente para fazer a investigação, acho que o ministro tomou a atitude correta - disse Lula, em entrevista ao SBT.

Mas, enquanto o governo diz que a saída de Tuma Jr. é questão de tempo, o secretário continua disposto a resistir. Apesar das investigações em curso, ele mantém o discurso de que não cometeu sequer "uma imoralidade" nas conversas que travou com Paulo Li, e que foram interceptadas pela Polícia Federal:

- Não tirei férias para ser esquecido, mas para me defender. Quem está falando que vou sair está expressando um sentimento que não tem coragem de expor publicamente, e que não é o meu sentimento.

A saída de Tuma foi acertada pelo chefe de Gabinete da Presidência, Gilberto Carvalho, e pelo ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto. Segundo eles, a melhor saída seria a demissão em duas etapas: as férias com o pretexto de defesa e, depois, exoneração.

Eles entendem que a demissão sumária agora seria punição injusta, porque o primeiro inquérito da Operação Wei Jin - investigação sobre suposto esquema de contrabando da organização de Paulo Li - não aponta os crimes que, supostamente, teriam sido cometidos por Tuma.

Mas ambos acham que, mesmo sem provar crimes, a proximidade com Li deixou Tuma Jr. em situação insustentável.

- Não tem retorno - disse uma fonte do governo.

Dois dos principais auxiliares do secretário também estão sendo afastados em caráter definitivo. O chefe do Departamento de Estrangeiro, delegado Luciano Pestana, e o assessor especial Paulo Guilherme de Mello.

Eles voltarão a trabalhar na PF, em São Paulo, onde estavam lotados antes de serem chamados para Brasília. Pestana anunciou que também tiraria férias. Mas está acertado que ele também não retorna.

Ambos tiveram conversas interceptadas na Operação Wei Jin. (Do Blog do Noblat)

Twitter

Não me diga!

Dilma afirma que Irã "controla armas nucleares"

da Reuters
A pré-candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, classificou nesta quarta-feira como "humanitária" a tentativa do Brasil de dialogar com o governo iraniano e chegou a afirmar que a República Islâmica "controla armas nucleares".

A declaração se choca com a posição do Irã, que nega possuir armas atômicas e afirma que seu programa nuclear visa apenas fins pacíficos.

"O Irã não é uma civilização como a iraquiana. É um país com mais de 70 milhões de habitantes. Controla armas nucleares e tem posicionamento internacional expressivo na região", disse Dilma em entrevista à RBS.

Ela defendeu o uso pacífico da tecnologia. "A tentativa de construir um caminho em que haja o abandono de armas nucleares como armas de agressão e passe a ser pura e simplesmente pacífico (o uso) da energia nuclear é bom para o mundo inteiro", completou.
Leia mais

Twitter
Clique aqui e saiba mais
Acesse aqui o "Blog do Ninja"

Opinião

Afastamento tardio

Editorial do Estadão
O fato de o ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto, ter decidido afastar, por 30 dias, o delegado Romeu Tuma Júnior do comando da Secretaria Nacional de Justiça confirma que o governo só enfrenta o incômodo de cobrar obediência à lei e lisura ética de seus aliados políticos se a tanto for pressionado pela imprensa independente. Foi em 5 de maio que este jornal mostrou em reportagem as estreitas ligações do delegado Tuma Júnior com Li Kwok Kwen, também conhecido por Paulo Li, considerado um dos chefes da máfia chinesa especializada em contrabando no Brasil.

Matérias que se seguiram, baseadas em gravações judicialmente autorizadas da Polícia Federal (PF), davam conta de envolvimentos do secretário nacional de Justiça com tráfico de influência para a legalização de estrangeiros em situação irregular, liberação de dólares de origem ilegal apreendidos, tentativa de interferência em favor de candidato em concurso público, "central de favores" montada em seu gabinete para a solução de problemas de amigos, familiares, aliados e até de escritórios de advocacia com interesses no Ministério da Justiça - tudo isso a poucos metros de onde despacha o ministro da Justiça.

É, de fato, estranho que o governo não tenha afastado o delegado Tuma Júnior de suas importantes funções há muito tempo, tendo em vista o curso das investigações da Polícia Federal. Em setembro do ano passado, o então ministro da Justiça, Tarso Genro, aconselhou o delegado Romeu Tuma Júnior a prestar depoimento à Polícia Federal sobre suas ligações com Paulo Li e com episódios envolvendo seu nome nas gravações obtidas pela PF - depoimento esse que o delegado prestou. Apesar desses veementes indícios, Romeu Tuma Júnior não só continuou secretário nacional de Justiça, como foi nomeado - pasmem os leitores! - presidente do Conselho Nacional de Combate à Pirataria.

Além de o presidente do órgão nacional de combate à pirataria ser amigo íntimo - a ponto de convidá-lo a ficar no mesmo quarto de hotel, numa viagem ao interior - do cidadão apontado como chefe da operação de contrabando de telefones celulares falsificados provenientes da China, estão sob sua responsabilidade, como secretário nacional de Justiça, o Departamento de Recuperação de Ativos, cuja função é recuperar valores enviados ilegalmente para fora do País, e o Departamento de Estrangeiros, que dá cumprimento à legislação concernente à imigração. Pois foi nessas áreas que ocorreram os ilícitos investigados pela Polícia Federal.

Em nota oficial, a Polícia Federal relaciona as investigações para apurar aqueles ilícitos e destaca: "A análise do conjunto de indícios existentes contra o secretário nacional de Justiça nas investigações foi concluída pela Corregedoria Regional da Polícia Federal em São Paulo em fevereiro de 2010, com parecer favorável à instauração de inquérito policial." Quer dizer, pelo menos há cerca de três meses o governo federal tinha conhecimento de que Tuma, um alto funcionário, ocupando cargo de confiança, estava envolvido em graves irregularidades - o que tornava um imperativo ético o seu afastamento do cargo. Mas o ministro da Justiça nada fez e o presidente da República não lhe cobrou as providências saneadoras cabíveis.

E, assim, um assunto de altíssimo interesse público, por dizer respeito ao comprometimento da própria função do Estado de fazer cumprir as leis e preservar a ordem pública, foi abafado, em parte pela omissão das autoridades, em parte porque as investigações transcorriam em segredo de Justiça.
Leia mais

Twitter

Manchetes do dia

Quinta-feira, 13 / 05 / 2010

Folha de São Paulo
"Governo vê crescimento elevado no 1º trimestre"

PIB avançou ao ritmo de 8,5% ao ano no início de 2010, diz Fazenda

A turbulência na Europa e a alta dos juros não serão suficientes para impedir o crescimento da economia acima da média neste ano. Mantida a atividade do primeiro trimestre, a taxa anualizada projeta alta de até 8,5%, segundo a Secretaria de Política Econômica do Ministério da Fazenda. O secretário Nelson Barbosa prevê uma desaceleração nos próximos meses. Para a Febraban, o crescimento no ano será de 6,3%. Relatório do Itaú Unibanco traz expectativa de 7,5%. O número oficial do IEGE para o primeiro trimestre será divulgado em junho. Em março, o comércio varejista cresceu 1,6% em relação a fevereiro. Na comparação com março de 2009, a alta foi de 15,7%, variação recorde da série iniciada pelo IBGE em 2001. (págs. 1 e B9) A ANP anunciou ter encontrado na bacia de Santos o segundo maior reservatório de petróleo do país, com um volume estimado de 4,5 bilhões de barris.

O Estado de São Paulo
"Bernardo fala em corte de gastos e avisa: 'Vai doer'"

Ministro do Planejamento diz que medida visa a evitar superaquecimento da economia e alta do juro

O ministro Paulo Bernardo (Planejamento) disse em entrevista ao Estado que o governo pretende evitar que a economia do País registre superaquecimento neste ano e tenha de sofrer freada brusca em 2011. Para isso, haverá cortes de gastos, o que vai na contramão do que foi feito até aqui na gestão Lula. ''Vamos tentar fazer o menos dolorido possível, mas vai doer", afirmou Bernardo. O ministro disse que a ideia é evitar forte alta de juros, mas negou interesse eleitoral. "Aqui não nos preocupamos com eleição. Se fosse por causa disso, deixaríamos a economia crescer 8% (em 2010) e crescer pouco no ano que vem. Isso, sim, seria visão eleitoreira." Sobre as pressões por aumento para aposentados e servidores, ele disse: "Não temos condições de atender, nem de longe, todas essas coisas".

Twitter

quarta-feira, maio 12, 2010

Copa do Mundo

Fut

Dunga é Dunga

Sidney Borges
Prepare o seu coração. Torça. Mas não espere novidades. Dunga vai atrás do resultado. Vamos jogar como em 1994. Futebol burocrático. Foram jogos difíceis de assistir. Felizmente Romário salvou a pátria. Quando o baixinho sentia que estava na hora saia a correr e pimba. Gol do Brasil. Acabamos ficando com o caneco por obra e graça do não-gol de Baggio. Tributo ao não-futebol que praticamos.

O esporte bretão de Charles Miller não pode ser jogado com base em equações. Esquematizar demais tira a beleza, o espanto, a alegria. Dunga foi um jogador eficiente. E daí? Eu me lembro de Garrincha jogando. Cada drible valia um ingresso. Também me lembro de Canhoteiro, artista da bola. Não me lembro de ter visto Dunga, ou se vi, não me emocionei.

Feola dormia no banco, é o que dizem por aí. Pode ser, mas Feola levou para a Copa de 1958 um grupo que mesclava sabedoria e experiência com juventude e criatividade. Pelé tinha só 17 anos. No time de Dunga ele não jogaria. 

Enfim, o "Seteanão" tem cacife para fazer o que quiser. Tomara que esteja certo.

Twitter

Acontece em Ubatuba

Cruz Vermelha apresentará diagnóstico da Santa Casa de Ubatuba nesta sexta-feira, 14

Assessoria de Comunicação – PMU
Após ter assinado, em março, um protocolo de intenções com a prefeitura e a Santa Casa de Ubatuba, a Cruz Vermelha Brasileira apresentará, na sexta-feira, 14, o diagnóstico concluído pela entidade, com base em uma auditoria realizada no hospital. A exposição do diagnóstico acontecerá no gabinete da Prefeitura de Ubatuba, às 9h, e contará com a presença de membros do Conselho Municipal de Saúde (Comus) e de autoridades.

O objetivo da auditoria realizada pela Cruz Vermelha na Santa Casa de Ubatuba foi justamente realizar um profundo diagnóstico, analisando problemas e dificuldades para, a partir daí, buscar as soluções mais viáveis para ampliar e melhorar a prestação de serviços à população.

A Cruz Vermelha é uma entidade filantrópica que já responde pela gestão de diversos hospitais em vários estados brasileiros, ajudando inclusive na busca de mais recursos junto a órgãos nacionais e internacionais.

Nota do Editor - Conforme havia prometido publico a nota enviada pela prefeitura, minha única fonte nas negociações entre a Cruz Vermelha e a Prefeitura. Na sexta-feira estarei presente e na seqüência darei detalhes. Aguardem. (Sidney Borges)

Twitter

Espaço do leitor

E-mail de ontem

Sidney:

Vc viu que a tal da CIAP, que tá na embolação da Santa Casa com a Cruz Vermelha, acabou de cair inteira por desvio de mais de 300milhões?!

Abs.

F.

http://oglobo.globo.com/cidades/mat/2010/05/11/ong-com-sede-no-parana-desviou-pelo-menos-300-milhoes-de-verbas-federais-em-cinco-estados-916552786.asp
 
Nota do Editor - Não vejo motivo para preocupação. Em toda organização há bons e maus. Certamente a parte boa vai atuar em Ubatuba. (Sidney Borges)
 
Twitter
Clique aqui e saiba mais
Acesse aqui o "Blog do Ninja"

Opinião

'Polícia é polícia, bandido é bandido'

José Nêumanne - O Estado de S.Paulo
Com ofício, efígie e nome de policial, Romeu Tuma Jr. age como rebento mimado da elite civil que paira sobre nossa democracia. Do alto da torre de que aprecia a planície cá embaixo, onde dá duro quem banca seus vencimentos atuais e seus proventos futuros, ele esbravejou sem requintes de vernáculo nem cerimônias ensejadas pelo cargo público que ocupa, de secretário nacional de Justiça do Ministério da Justiça: "Podem tirar seu cavalinho da chuva que daqui ninguém me tira." No lar em que foi criado, nas classes que frequentou e nos expedientes que deu em delegacias, aprendeu que manda quem pode e obedece quem tem juízo. Neste reinado sob Lula, alguns ganham para mandar e quase todos pagam para obedecer.

Com os cavalos expostos aos eventuais temporais que já abandonaram São Paulo, mas vez por outra ainda perturbam o Rio de Janeiro, a resposta da plebe só pode ser: sim, é verdade! Não podemos nós nem pode ele. Quem pode mesmo é Sua Majestade el-rey e presidente da nada serena República brasileira, de posse de todos os poderes conferidos e emanados do povo, com o povo e pelo povo. E, sobretudo, bafejado por índices nunca antes alcançados por político algum de nenhum partido no para todo o sempre nestes tristes trópicos, onde mais que a lei imperam a chuva, o suor (o da canícula, não do próprio rosto) e a cerveja. Ao Tuminha delegado, filho de cardeal da polícia política paulista, foi ensinado na escola e no ofício que no Brasil a lei, ora, a lei é relativa. Poderosa só é a lei de Chico de Brito, como se diz no Agreste Pernambucano, do qual veio seu chefe e noço guia, Lula Único: elas são tantas que quem tem padrinho, além de não morrer pagão, passa incólume entre seus espinhos, que só alcançam e ferem os desvalidos da sorte.

Antigamente, no tempo em que os republicanos gaúchos amarraram seus pingos no obelisco do Rio de Janeiro, havia mais cerimônia com as formalidades. O dr. Getúlio, que havia liderado revolução e sido ditador antes de se consagrar presidente eleito pelo voto popular, meteu uma bala no peito, manchando de sangue o monograma do pijama, só para se livrar do opróbrio de renunciar por culpa das suspeitas que desabaram sobre um pródigo irmão chamado Beijo e o guarda-costas Gregório, que tinha a alcunha de Anjo Negro. Hoje, não! Hoje é diferente: basta se aboletar num cabide de altos coturnos para um delegado de polícia mandar a cidadania abandonar suas montarias às intempéries da natureza. E, se assim diz, é por estar a tanto autorizado, seja por omissão da chefia, seja pela notória certeza da impunidade sólida e certa.

Mas Sua Excelência o secretário nacional de Justiça foi além em seu desafio à cidadania preocupada com suas relações de amizade com um chefão da "máfia chinesa", ao garantir em alto e bom som que é amigo de quem quiser e não tem de dar satisfação a ninguém. Aí a coisa muda de figura, pois, se é verdade que aqui funciona um Estado Democrático de Direito, quem manda não é o delegado Tuminha, nem o ministro da Justiça, nem mesmo ? suprema blasfêmia - noço guia genial dos povos da floresta, do cerrado, da caatinga e do canavial. A democracia, ensinam os clássicos da ciência política, é o "império da lei". E onde impera a lei, a antiga musa da tirania cala, como já cantava outro Luís, o caolho Camões, quando inventou esta "última flor do Lácio, inculta e bela", ao mesmo tempo esplendor e sepultura. E sob as ordens frias e impessoais da norma jurídica não é permitido a agentes da lei, pagos e merecedores da confiança da cidadania para mantê-la, conviver em intimidade com quem fora dela prospera. Carcereiros não podem ficar amiguinhos de presidiários, não é sensato que juízes frequentem festas de traficantes, nem lícito que promotores recebam favores de acusados ou policiais obsequiem suspeitos. Da mesma forma, não convém ao interesse público que o secretário nacional de Justiça seja amigo de mafioso. O "passageiro da agonia" (título do livro de José Louzeiro e do filme de Héctor Babenco sobre ele) Lúcio Flávio Vilar Lírio dizia que "polícia é polícia, bandido é bandido". O Estado Democrático de Direito não se deve permitir a inconveniência de fechar os olhos e atar as mãos ante a promiscuidade intolerável de um agente encarregado de preservá-lo se tornar íntimo de um fora da lei.

O delegado Tuma Jr. age no legítimo exercício da própria cidadania ao reclamar que seu depoimento, apesar de ter sido tomado, não foi incluído no inquérito em que foi citado na Polícia Federal (PF), da qual o Tuma pai foi diretor-geral e, segundo consta, ainda influi sobre um grupo de agentes. Isso merece repúdio, por contrariar o mais elementar dos direitos da cidadania: o de defesa. O delegado Romeu Tuma Jr. não é imune ao poder de polícia de seus colegas federais. Mas por que excluíram o depoimento dele no inquérito, se aceitaram ouvi-lo?
Leia mais

Twitter

Manchetes do dia

Quarta-feira, 12 / 05 / 2010

Folha de S. Paulo
"Reino Unido tem premiê conservador depois de 13 anos"

Cameron, o mais jovem a ocupar o cargo em quase dois séculos, vai governar em coalizão com liberais

Após 13 anos de governo trabalhista, os conservadores retornaram ao poder no Reino Unido. O novo primeiro-ministro é David Cameron, 43, o mais jovem a ocupar o cargo desde 1812. Os conservadores chegaram ao poder graças ao que o próprio Cameron chamou, no primeiro discurso como premiê, de "coalizão plena" com os liberais-democratas. Seu partido tem 306 das 650 cadeiras do Parlamento. Os liberais, 57. A soma (363) dá a maioria para governar.Pela primeira vez em três décadas, uma coalizão definiu o primeiro-ministro no país. O líder liberal, Nick Clegg, será vice-premiê. Para Cameron, será preciso tomar "decisões difíceis" - entre elas sobre o déficit público em alta e a respeito de questões sociais.

O Estado de S. Paulo
"Suspeita de elo com mafioso faz governo afastar Tuma Jr."

Ministro da Justiça dá licença de 30 dias ao secretário em meio a indícios de sua ligação com criminoso chinês

O ministro Luiz Paulo Barreto (Justiça) decidiu afastar por 30 dias o delegado Romeu Tuma Júnior da Secretaria Nacional de Justiça. Informalmente, o secretário disse que decidiu "tirar férias" para se defender. Tuma Júnior sai uma semana depois de o Estado revelar suas ligações com Paulo Li, chefe da máfia chinesa paulista. A PF tem indícios que transformam o secretário em suspeito de tráfico de influência e de crimes contra a administração pública. Após receber relato detalhado da PF, o Planalto abandonou Tuma Júnior politicamente. Apesar do discurso de que não pode condenar ninguém a priori, o presidente Lula esperava que o secretário tomasse a iniciativa de deixar o cargo, o que não ocorreu. A solução intermediária foi a da licença.

Twitter

Papo do Editor

Edição de ontem

Sidney Borges
Em poucos segundos os mercados saltam da mais absoluta tristeza à completa euforia. Como meu cachorro. Basta um biscoito. A Grécia deu um suspiro. As bolsas despencaram. O dólar desembestou a subir. Bilhões foram para o espaço. Súbito entrou em cena o pacote grego. Não confundir com presente de grego. As bolsas subiram e o dólar afundou. Bilhões voltaram do espaço. Final feliz.

Fala-se por aí em bombas atômicas. Está na moda. Na conta do Irã. A revista Der Spiegel levanta suspeitas sobre as intenções do Brasil. Eu sei, a CIA sabe, a KGB sabia, desconfio que até o mundo mineral tem conhecimento de que Argentina e Brasil podem fazer a bomba quando bem entenderem.

Se farão ou não é outra questão.

A internet continua arisca. Quando mais precisamos dela, cadê? O gato comeu? É o que eu chamo de paradoxo. Sem a rede o mundo pára, o Brasil pára, até Cuba que está parada, pára mais um pouco. No entanto, o acesso continua limitado às elites. A internet rápida é rápida só no nome. E no preço. O serviço é ruim, para não dizer péssimo. O governo culpa a privatização. Depois de oito anos com a caneta na mão a desculpa não cola.

Dunga convocou a seleção. Na África do Sul o mundo não verá Ganso lançando Pato. Na chuva seríamos imbatíveis.

Twitter

Pane

Problema no Speedy

Sidney Borges
Sem mais nem menos o Speedy saiu do ar ontem. Liguei para a Telefonica, fizeram testes e disseram que o problema era na central da região. Ficaram de enviar um técnico. Uma hora depois da comunicação do defeito recebi uma ligação dizendo que o técnico viria hoje às 09h00. São 15h46. Ainda não veio. Seriam eles compreensivos se eu atrasasse o pagamento? De repente, como que por um passe de mágica, a luz do DSL acendeu. Milagre. Peço desculpas aos leitores pela falha da Telefonica. Assim mesmo, sem acento. Viva o Almirante Nelson!

Twitter

terça-feira, maio 11, 2010

Século XIX?

Brasil registra aumento de 80% nos casos de dengue

Do UOL:
O Ministério da Saúde registrou do dia 1º de janeiro até o dia 3 de abril, 447.769 casos de dengue em todo o país. O número representa um incremento de 79,85% em relação ao mesmo período de 2009, quando foram notificados 248.970 casos. O balanço foi divulgado na tarde desta segunda-feira (10).

O levantamento indica ainda que 81% das notificações de dengue nas 13 primeiras semanas de 2010 estão concentradas em sete Estados, sendo que seis deles apresentam alta incidência em relação ao total da população.

São eles: Acre (3.157,3 casos por 100 mil habitantes), Mato Grosso do Sul (2.507,8 casos/100 mil hab), Rondônia (1.585,1 casos/100 mil hab), Goiás (1.114,9 casos/100 mil hab), Mato Grosso (998,3 casos/100 mil hab) e Minas Gerais (490,5 casos/100 mil hab).

São Paulo também registrou incremento nos casos em relação ao ano passado. O Estado passou de incidência baixa (6,5 casos/100 mil hab) para média, com 152,6 casos/100 mil hab.
Leia mais

Nota do Editor - Só a vacina será capaz de acabar com esse resquício terceiro-mundista que espalha nesgas de escuridão sobre o manto azul celeste do governo de Deus, digo de Lula, o que vem a ser a mesma coisa na visão do Chefe. (Sidney Borges)

Twitter

Socialismo

Meteorito francês

Do Ex-Blog do Cesar Maia
Maximilian Sánchez é o novo embaixador da Venezuela no Brasil. Maximilian Sánchez nasceu e passou toda a sua vida na França. Nunca viveu na Venezuela. Em 2001, o inquieto jovem francês oferece seus serviços para a delegação diplomática bolivariana em Paris. Sua identificação com Hugo Chávez chega aos limites do fanatismo. Mas o francês não deseja outra coisa que não viver o processo revolucionário desde seu começo. Quer tostar sua branquíssima pele francesa ao sol de Caracas. Pelos seus militantes serviços, a embaixada da Venezuela em Paris entrega-lhe um passaporte bem “créole” (filho de europeu ou africano nascido na América). O documento foi obtido como quem compra um biscoito. Com o passaporte na mão, voa para o que será sua segunda pátria.

O Palácio Miraflores integra-o em sua célula internacional. Nesse mesmo ano, sua crise de identidade se atenua. Imediatamente o governo lhe entrega uma carteira de identidade e o eleva a condição de ilustre cidadão venezuelano. Resta a este "musiuito" um exercício linguístico. Deve excluir o “erre” gutural, que revela cada vez que fala suas origens francesas. Maximilian Sánchez aterrissa na Venezuela com um currículo precário.

Sua única experiência foi trabalhar como vigia em uma escola de idiomas. Em Paris, cursou Direito, mas nunca terminou. Na história da diplomacia venezuelana, Maximilian Sánchez é um caso atípico. Obtém a nacionalidade venezuelana em 2002, e oito anos depois é designado, nada mais, nada menos, que chefe da delegação diplomática no Brasil. Pela velocidade de sua ascensão, alguns chavistas - não sem razão - apelidaram-no o “meteorito francês".

Twitter

Acontece em Ubatuba

Clique aqui para saber mais

Espaço do leitor

Pagar e não chorar

Transmito este texto por se tratar de um bom resumo e um assunto que me revolta ainda com candidatos dizendo em aumentar o tamanho do Governo. Socorro!!!

Como contador não tenho mais argumentos para convencer meus clientes a pagar seus impostos.

Desejo me mudar para um País com segurança e Justiça. Como não tenho R$ terei que me contentar com Ubatuba, Talves venda Hot-Dogs, ou uma banca de jornal, com uma India bem apropriada na recepção.

att,
Klaus Lehmann
 
Imposto

Paulo César Caetano de Souza
Presidente do CRCPR
Os contribuintes têm percepção maior do impacto da tributação em dados momentos. Agora, por exemplo, que aproximadamente 24 milhões de brasileiros acabaram de entregar a Declaração de Renda Pessoa Física à Receita Federal, não poucos quase caíram de costas quando viram o Imposto a Pagar e vão levar dias furiosos.

A Receita está apertando o cerco! Mas o IRPF não é o único tributo que causa impacto. Desde o começo do ano, os contribuintes começam a receber o IPTU, o IPVA... esses são tributos que, a exemplo do IRPF, chocam mais porque cobrados de forma direta; mas, na realidade, pagamos imposto o ano todo, na maior parte das vezes, de forma indireta e às vezes em cascata. A situação para as empresas é ainda mais grave.

Embora tenhamos feito alguns esforços para simplificar o nosso sistema tributário – o que só ocorrerá por meio de uma reforma tributária -, ainda estamos sob o jugo de um conjunto extremamente complexo.

Os tributos mais conhecidos são: II – Imposto sobre a Importação de produtos estrangeiros; IE – Imposto sobre a exportação de produtos nacionais ou nacionalizados; IR – Imposto sobre a renda e proventos de qualquer natureza; IPI – Imposto sobre Produtos Industrializados; IOF – Imposto sobre Operações Financeiras; ITR – Imposto Territorial Rural; PIS/PASEP– Programa de Integração Social e Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Publico; COFINS – Contribuição Social para o Financiamento da Seguridade Social; CSLL – Contribuição Social sobre o Lucro Líquido; ICMS – Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços; IPVA – Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores; ITCD – Imposto sobre Transmissões Causa Mortis e Doações de Qualquer Bem ou Direito; IPTU – Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana; ITBI – Imposto sobre Transmissão Inter Vivos de Bens e Imóveis e de Direitos Reais a eles Relativos; ISS – Impostos sobre Serviços de Qualquer Natureza.

A lista completa, porém, soma várias dezenas de tributos, contribuições e taxas federais, estaduais e municipais. A conclusão mais séria, contudo, é que contribuintes não são apenas as empresas, os declarantes de renda de faixas tributadas, os proprietários de imóveis e veículos, mas virtualmente todos os brasileiros. Levando em conta a carga tributária média de 35% do Produto Interno Bruto, toda vez que gastamos R$ 100, R$ 35 vão para a arrecadação. Mas dependendo do produto, a parte do Fisco pode passar de 50%. Um dos aspectos que os tributaristas mais condenam em nosso sistema tributário é a incidência sobre o consumo – que também só será alterada com uma reforma tributária.

Não é apenas a carga que pesa. Motivos não faltam para mudanças. Os tributos federais representam mais de 60% da arrecadação nacional, enquanto os estaduais cerca de 25% e os municipais pouco mais de 5%. É nos municípios onde as pessoas vivem e trabalham, necessitando de infraestrutura e serviços.

Aqui chegamos ao ponto nevrálgico da questão: a cobrança de tributos é justificável, sem dúvida, desde que revertida em escolas, hospitais, policiamento, rodovias e ruas asfaltadas, pontes, viadutos, etc e com controles rígidos que impeçam desvios de recursos como vemos na Assembleia Legislativa do Paraná.

Twitter
 
Free counter and web stats