sábado, agosto 08, 2009

Brasil

Petróleo

Sidney Borges
Tenho acompanhado com interesse o noticiário sobre o petróleo das profundezas, conhecido como pré-sal. A alvissareira descoberta em certos momentos me faz lembrar de tio João, astrônomo amador que se dizia proprietário de Ganímedes, uma das luas de Júpiter, segundo ele abarrotada de ouro e diamantes.

Meu abilolado parente sonhava com a riqueza e os meios de viajar pelo Oriente Médio em busca da arca da aliança. Pena que Júpiter seja tão longe, quem sabe algum membro da família, no futuro, consiga tomar posse dos bens que nos pertencem por direito.

O pré-sal não está tão longe, apenas 20 bilhões de dólares nos separam do ouro negro. Há alguns problemas de ordem técnica, a profundidade significa pressão elevada e o sal nessas condições tem comportamento plástico, lembrando gelatina. Para manter aberto o canal de escoamento será preciso escorar as paredes, como num túnel de metrô. Obviamente nossos engenheiros acharão a solução, são craques, mas ninguém sabe se o investimento será compensador. Ou seja, poderemos gastar mais para tirar o óleo do será apurado com a venda.

O Brasil é diferente dos países que vivem da exploração petrolífera. Jamais seremos membros da OPEP, não é nossa vocação. Devemos tirar o óleo que precisarmos. E guardar o que sobrar como reserva estratégica. Claro que uma parte pode ser exportada e financiar projetos de educação e saúde, como quer o presidente Lula.

Vou finalizar lembrando do México que esgotou suas reservas a 2 dólares o barril e agora paga dezenas de vezes esse preço para impulsionar o país. O maior comprador do petróleo mexicano, os Estados Unidos, continuam mantendo suas reservas intocadas.

Twitter

Vida

Grandes epidemias de gripe

Gripe Asiática

A Europa conheceu a primeira epidemia continental em 1510 e a primeira pandemia de que se tem notícia ocorreu entre 1889-92 e foi conhecida como 'Gripe Asiática', que progrediu em três ondas sucessivas. Acreditava-se que fosse causada (e levada) pelo vento.

Gripe espanhola

A Primeira Guerra Mundial iniciou em 1914 e terminou no final de 1918. O saldo foi de oito milhões de mortos e 20 milhões de mutilados. Nessa mesma época, o mundo assistiu estarrecido e impotente a uma outra máquina de matar: a gripe espanhola. Ela atacou, entre setembro e novembro de 1918, o planeta inteiro e deixou mais de 20 milhões de mortos - 1% da população.

Gripe asiática

A eclosão de uma nova pandemia levaria quase 40 anos, mas de novo pegou os médicos e as autoridades de saúde de surpresa. Em 1957, a gripe asiática foi responsável pela morte de 1 milhão de pessoas, número que se repetiria 11 anos depois, com a gripe de Hong Kong (1968).

Gripe de Hong Kong

Rápida e destruidora, ela foi causada por um vírus transmitido pelas aves para os seres humanos. Aconteceu em 1968, em pouco tempo ganhou o mundo e matou mais de 46 mil pessoas.

O Vírus HSN1

Em 1997, um surto da doença foi causado pelo vírus HSN1. O primeiro caso foi registrado em maio e causou quatro mortes em Hong Kong. O vírus já era conhecido, mas só nos casos de infecção em aves. Quando uma mutação genética tornou-o transmissível também aos seres humanos, o governo foi obrigado, para evitar tragédias maiores, a sacrificar 1,4 milhão de aves.

Saiba mais sobre a gripe

O vírus da gripe tem 80 milhões de anos. A sua principal característica é a espantosa capacidade de mudar tão logo o organismo humano crie anticorpos. O vírus segue sua mutação de tal maneira que a cada 30 anos ressurge em uma nova versão, muitas vezes fatal. Em épocas pré-históricas, a gripe já atacava pequenos roedores, passando depois para mosquitos e carrapatos. Esses animais se tornaram imunes, mas o vírus seguiu se reproduzindo e se adaptando às mudanças climáticas do planeta.

Segundo pesquisas recentes, existem hoje por volta de 130 tipos de gripe, contra a qual nunca houve remédio, exatamente por causa da mutabilidade do vírus. Ao longo da História, a doença tem sido a causa de grandes mortandades.
Fonte: Almanaque Terra


Twitter

Opinião

Sob a regência de Lula

Editorial do Estadão
O presidente Lula recebeu no início dos trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobrás, na quinta-feira, os primeiros dividendos substanciais deste ano legislativo do seu investimento na montagem e sustentação de um esquema de controle do Congresso Nacional. Centrado no PMDB dos senadores José Sarney, Renan Calheiros, Romero Jucá e do deputado Michel Temer, o aparato se estrutura numa coalizão-ônibus que só não tem espaço para quem não queira nela embarcar. Rigorosamente dentro do previsto, Jucá, o líder do governo no Senado escolhido a dedo para relator da CPI - o que por si só escancara a subordinação do Legislativo ao Planalto -, propôs de uma tacada a rejeição de 66 dos 88 requerimentos apresentados, na maioria, pela oposição para dar sentido à sua iniciativa de promover a investigação sobre a estatal. Qualquer semelhança com o engavetamento das denúncias contra Sarney no Conselho de Ética do Senado não é coincidência.

Sarney foi o beneficiário imediato do zelo com que Jucá colocou em movimento a operação-abafa na CPI. O oligarca maranhense será poupado da apuração do convênio da fundação que leva o seu nome com a Petrobrás. A empresa patrocinou com R$ 1,3 milhão um projeto cultural da entidade que não saiu do papel. Desse total, R$ 500 mil foram parar em empresas fictícias ou da rede de comunicação da família de seu presidente vitalício. "Qual é a intenção: começar a discutir patrocínio por causa da Fundação Sarney ou discutir seriamente patrocínio?", perguntou retoricamente o relator, como se uma coisa e outra não tivessem a menor relação. Ele barrou também a convocação da ex-secretária da Receita Federal Lina Vieira, demitida pouco depois de considerar irregular, em nota oficial, o arranjo contábil pelo qual a Petrobrás modificou o seu regime tributário, no ano passado. Jucá alega que a questão poderá ser coberta pelo secretário interino da Receita, Octacílio Dantas Cartaxo, que deporá na terça-feira.

A CPI ouvirá o presidente da estatal, José Sérgio Gabrielli, oito dos seus diretores, o presidente da Agência Nacional do Petróleo (ANP), Haroldo Lima, e quatro dos seus diretores - mas não as sócias de uma empresa que teria recebido R$ 260 milhões em comissões de prefeituras que a contrataram e tiveram aumentados os respectivos repasses de royalties do petróleo. Uma das sócias é casada com um diretor da ANP. "O relator optou por convidar apenas aqueles que supostamente defenderão a causa governista", reclamou o senador tucano Álvaro Dias, autor do pedido de criação da CPI. "Teremos aqui um tribunal só com advogado de defesa e sem promotor." Ele está no seu papel de espernear, mas decerto não tinha ilusões sobre a conduta dos representantes do governo na comissão de 11 membros titulares. Eles somam 8 senadores, a começar do presidente do colegiado, o petista João Pedro. Foram escalados, em última análise, para desmentir o dito de que se sabe como uma CPI começa, mas não como termina.

Ontem foi a incolumidade do presidente do Senado. Hoje é o inquérito sobre a Petrobrás. Amanhã será o destino, entre outros, dos projetos para regulamentar a exploração do petróleo do pré-sal. Depois de amanhã será o desdobramento da coalizão de governo na coligação eleitoral em torno da candidatura Dilma Rousseff, com um vice do PMDB, ao qual o PT será forçado a ceder a primazia nas disputas para o governo de diversos Estados. O apoio a Sarney é peça-chave nessa formidável construção de poder que Lula rege pessoalmente porque considera a sua prioridade número um. No primeiro mandato, Lula não raro delegou as articulações políticas do governo a Dirceu e aos ministros Márcio Thomaz Bastos, da Justiça, e Antonio Palocci, da Fazenda. Neste segundo período, escaldado pelos tropeços no escândalo do mensalão, e até por falta de alternativas, tornou-se ele próprio o seu principal operador político.
Leia mais

Twitter


Manchetes do dia

Sábado, 08 / 08 / 2009

Folha de São Paulo
"Presidente do Conselho de Ética arquiva caso Sarney"

Oposição vai recorrer, mas depende dos votos do PT, que está dividido

O presidente do Conselho de Ética, Paulo Duque (PMDB-RJ), arquivou os últimos sete pedidos de abertura de processo por quebra de decoro contra o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), que poderiam, em tese, resultar na cassação de seu mandato.
Alegando estar rouco, Duque mandou um assessor entregar a decisão à Mesa Diretor. PSDB, DEM, PSB e PDT anunciam que vão recorrer, mas eles só terão êxito se obtiverem o apoio do PT, que ainda não decidiu o que fará. A divisão no partido se agravando ontem.
Os senadores Ideli Salvatti (PT-SC) e Delcídio Amaral (PT-MS) disseram que não querem ser titulares no Conselho de Ética para não terem de votar a favor de Sarney, pois temem desgaste em 2010: Ideli é candidata ao governo catarinense, e Delcídio, à reeleição.

O Globo
"Senador engaveta denúncias contra Sarney sem discussão"

‘Não temo a opinião pública. Adoro decidir sozinho’, diz presidente do Conselho de Ética

O presidente do Conselho de Ética do Senado, Paulo Duque (PMDB-RJ), Arquivou os últimos sete pedidos de investigação sobre o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP). Os casos engavetados apontavam suspeitas de envolvimento de Sarney em nepotismo, tráfico de influência, desvio de recursos e fraudes fiscal. Duque decidiu pelo arquivamento sozinho, sem convocar uma sessão do Conselho para deliberar sobre o caso. “Não temo a opinião pública. Adoro decidir sozinho”, disse Duque, que ontem nem foi ao Senado. DEM, PSOL e PSDB vão recorrer ao Conselho para tentar reabrir as investigações. Na sociedade civil, a reação ao baixo nível no Senado é de indignação.

O Estado de São Paulo
"Sarney se livra de todas as ações no Conselho de Ética"

De uma só vez, Paulo Duque, do PMDB, arquiva os sete processos que restavam

O presidente do Conselho de Ética, Paulo Duque (PMDB-RJ), mandou arquivar ontem mais quatro representações e três denúncias contra o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), todas por quebra de decoro parlamentar. Duque alega falta de legitimidade e de provas que comprovem acusações feitas pelo PSDB, PSOL e por Arthur Virgílio (PSDB-AM) e Cristovam Buarque (PDT-DF). Na quarta-feira, cinco ações haviam sido rejeitadas. A decisão já era esperada e atende orientação do PMDB. O presidente do Conselho de Ética não deu parecer sobre a representação contra Virgílio. O presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), vai propor pacto para tentar “pacificar” o Senado.

Jornal do Brasil
"Milícia se infiltra em todos os batalhões"
Investigações das corregedorias das polícias civil e militar – além do relatório da CPI das Milícias de Alerj – revelam que os 18 batalhões da PM no município têm ou tiveram pelo menos um integrante envolvido com grupos paramilitares. Quatro batalhões especiais – Bope, Rodoviária, Turístico e de Choque – também têm policiais citados nos relatórios. Nas unidades que fazem o policiamento da Zona Sul, onde não há registro oficial da existência de milícias, quatro PMs do 23º Batalhão (Leblon) são acusados de envolvimento com o grupo Liga da Justiça, que atua na Zona Oeste. Todos estão presos.


Twitter

sexta-feira, agosto 07, 2009

Lou Bega "You wanna be americano"

Fim de caso...



Mudança no comando da Santa Casa

Dr. Enos Arneiro irá substituir a atual diretora Mara Franhani após um período de transição

PMU
Nas próximas semanas o advogado Enos José Arneiro estará atuando junto à direção administrativa da Santa Casa. Após esse período de transição, Dr. Enos assumirá o comando da instituição, substituindo Mara Franhani, atual diretora administrativa do hospital.

Dr. Enos, como é conhecido, atua na Comtur (Companhia Municipal de Turismo) desde 2001 e é funcionário aposentado da Câmara Municipal de Aparecida, onde atuou 27 anos como contador e diretor da Casa. Além de advogado, Dr. Enos é bacharel em Ciências Contábeis.

Twitter

Saúde em questão



Será que temos a memória tão curta?

Mara Cibele Franhani
Não faz tanto tempo que o único hospital da cidade era vítima de verdadeiros desmandos. Vocês se lembram? Havia espera de até dez horas para atendimento no Pronto Socorro, médicos ganhavam verdadeiras fortunas à custa de um hospital em decadência, faltava remédios, materiais e até alimentos...

De acordo com o último relatório emitido pelo órgão fiscalizador do Sistema Único de Saúde, chamado Denasus, no primeiro mês de intervenção, foram encontradas as seguintes falhas: problemas das instalações e equipamentos, camas enferrujadas, colchões rasgados e cobertos com sacos de lixo, equipamentos vitais, como respiradores e monitores, totalmente sucateados.

Além disso, rede de oxigênio com problemas de vazamento, falta de cumprimento das escalas médicas, falta de equipamentos de segurança ao trabalhador, cobrança indevida de pacientes do SUS pelo laboratório, déficit na equipe de enfermagem, falta de estrutura física, como presença de mofo nas paredes, infiltrações e falta de ventilação, entre outras coisas.

Quem relata isso são os auditores do Denasus, cujo relatório está no hospital para quem quiser ver. Podemos relatar ainda que não se recolhia os encargos sociais dos funcionários como FGTS, INSS e IRRF, abandono de plantão sem responsabilização de ninguém, desleixo no atendimento médico, falta de produtos de limpeza, e dedetização. Tinha ratos e baratas na Santa Casa.

Era assim que o nosso hospital funcionava. Isso tudo, com a conivência de pessoas que hoje se dizem defensores do hospital. Na época do conselho gestor, tinha um tal ELIAS LEOPOLDO GUERRA que, esse sim, por estar em situação irregular na Santa Casa, foi afastado. Enquanto o hospital padecia na miséria, ele tinha uma secretária exclusiva, gastava fortunas com ligações telefônicas. A refeição dele era servida todos os dias, de graça, pela cozinha do hospital. E o que ele fez?

Hoje, a Santa Casa ainda tem problemas, claro. São diversas ações trabalhistas, um déficit de, aproximadamente, 19 milhões de reais (herança recebida de outras administrações) e um déficit mensal de aproximadamente 200 mil reais, mas com toda essa dificuldade - que não é segredo para ninguém - estamos conseguindo mudar a realidade do hospital.

Iniciamos o processo de compra os equipamentos da UTI, que funcionará na nova ala do hospital. Estamos na fase final da reforma da ala inferior, construção de uma capela ecumênica. O elevador de macas já está instalado, compramos inúmeros equipamentos de uso hospitalar, o hospital está com quase todos os seus débitos fiscais parcelados, como FGTS, IRRF e concluindo o INSS. O trabalho voluntário está fortalecido e organizado, não existe mais atraso de pagamento dos funcionários. Se isso não é melhora, o que devemos considerar como mudança?

O que acontece na verdade é que quem fala mal já teve a oportunidade de mudar e nada fez pelo hospital, muito pelo contrário. E agora se intitulam paladinos na justiça, não querem ver o bem da SANTA CASA e sim seu próprio bem.
Mara Cibele Franhani

Administradora

Twitter

From China

Por falar em epidemias

Sidney Borges
Leio intrigante notícia vinda da China: cachorro comeu marmota estragada e contaminou o dono. Parece brincadeira, mas é verdade. Ao deglutir o animal silvestre o cão adquiriu um vírus perigosíssimo que produz modalidade letal de pneumonia em humanos.

O cachorro morreu, o dono do cachorro, também morreu apesar de ser pastor d'almas e ter rezado bastante. A epidemia está se alastrando pela província. Caso saia de controle ocupará espaço na mídia, do contrário desaparecerá como surgiu. Epidemias são assim.

Os chineses estão preocupados, comparam o surto de pneumonia com a peste bubônica que ceifou mais de metade da humanidade, também transmitida por roedores. Se você tem cachorro não permita que vá a restaurantes chineses, mas se acontecer diga a ele para não pedir marmota laqueada.

Twitter

Ubatuba

Gripe

Sidney Borges
O que temíamos acabou acontecendo. A gripe suína chegou. Ubatuba é vulnerável, por aqui passam pessoas de todos os lugares, é impossível impedir que alguém contaminado visite a cidade. O que podemos fazer é tomar cuidado para não propagar a epidemia. O quadro acima mostra alguns procedimentos que dificultam o contágio. Vamos seguí-los enquanto a vacina não fica pronta.

Twitter

Cuidado com a gripe...

Saúde em questão



A CPI da Santa Casa...

Vereador Rogério Frediani

Muito se comenta que a CPI acabou, isso não é verdade, o que aconteceu foi que na terça feira dia da Sessão Plenária, o Presidente da Casa Vereador Ricardo Cortes e o Presidente da CPI, Vereador Claudinei Xavier foram surpreendidos com a intimação do mandato de segurança impetrado pelo Vereador Americano que liminarmente tornou suspensivo o andamento dos trabalhos da Comissão. O que nos surpreendeu e entristece é que o vereador Americano votou contra a CPI e não satisfeito foi para a justiça contra seus pares, contra a população, haja vista que fiscalizar é a maior prerrogativa do legislativo.

Devo informar à população que a CPI não acabou, as reuniões continuam entre os vereadores e hoje mais que nunca temos a certeza, diante dos últimos acontecimentos na Santa casa de Ubatuba, que a CPI é mais que necessária.

Foi preciso que a TV Vanguarda noticiasse que pessoas em Ubatuba, estavam com suspeita de terem contraído o vírus da gripe H1N1, que também havia tido 1 óbito com suspeita de ser por contaminação do vírus, e outros casos suspeitos sendo monitorado.

O que assusta é que tomamos conhecimentos do que está acontecendo em nossa cidade por meio de veículo de comunicação de outras cidades.

Em tempo, hoje em contato telefônico com a Vigilância Sanitária, meu gabinete foi informado que havia 2 óbitos e mais 4 pessoas sendo monitorada com suspeita de terem sido contaminadas com H1N1 (aguardando resultados dos exames).

Informações sobre doenças endêmicas é dever de todos, principalmente do PODER PÚBLICO.


Fica para a reflexão, para que a população faça seu julgamento.

Twitter

De onde veio a gripe?

Dr. Leonard Horowitz fala sobre Vírus A, supostamente fabricado em Laboratório. O vídeo mostra uma opinião polêmica sobre a origem da pandemia que está espalhando terror no mundo. Não significa que a teoria seja verdadeira, mas dá o que pensar, pois pode ser que seja verdadeira...

Acontece em Ubatuba

Visita ilustre

Sidney Borges
Ubatuba recebe hoje a visita do deputado Fernando Capez, do PSDB.

Após diversos compromissos agendados no município, o deputado, que também é Procurador de Justiça, fará uma palestra no plenário da Câmara Municipal de Ubatuba, com início previsto para as 19h00.

O PSDB convida a população a participar.

Twitter

Coluna do Celsinho

Argumento

Celso de Almeida Jr.
O Paulinho da Viola mandou fazer como o velho marinheiro, que durante o nevoeiro, leva o barco devagar.
Aliás, devagar se vai ao longe, quem espera sempre alcança.
Mas...
Meu respeitado leitor, minha querida leitora...
Olho nos olhos da minha filhinha.
É fabuloso o sentimento de perenidade.
Talvez aí esteja uma explicação sobre a continuidade da vida.
Naqueles olhos vejo um pouco dos meus.
Estou ali...continuando...
Um pedacinho de mim, da minha história.
E eis que a consciência me faz olhar para outros olhos.
As outras crianças - as muitas crianças - menos favorecidas, sofridas.
Sem leite, sem pão, sem cultura, sem perspectivas.
Afinal, quem sou eu?
Que aceita a hipocrisia reinante?
Que assiste – atônito - esse toma lá, dá cá, vergonhoso, repugnante?
Que vê - silencioso - as atitudes torpes de canalhas covardes?
Que não cospe na cara de um falso religioso aproveitador da inocência alheia?
É preciso acordar deste sono profundo.
Somos homens e mulheres, prezados leitores.
Temos argumentos de sobra.
Faltam ações cidadãs.
Revelemos a nossa coragem.
Por amor aos nossos filhos.
Por respeito à luta de nossos antepassados.
Por Ubatuba.


Twitter

Opinião

Em que planeta estamos vivendo?

Washington Novaes
Em certos momentos, no Brasil, tem-se a impressão de viver em outro mundo, desligado das realidades globais e até locais que nos cercam. É o caso neste momento.


Para ficar só no noticiário das últimas semanas, soubemos, todos, que o Vale do Itajaí - castigado pelos terríveis desastres climáticos no fim do ano passado - recebeu agora, em 24 horas, um volume de chuvas equivalente ao total que costuma cair no mês de julho, já com novos deslizamentos de encostas e topos de morros (Estado, 2/8). A Região Metropolitana de São Paulo teve em julho o maior volume de chuvas em 66 anos, com prejuízos também em outras áreas do Estado, para as culturas de café, cana, laranja e outras. Em Goiânia a temperatura média em julho foi a maior desde 1937, 3 graus acima da média normal, segundo o Inmetro. E o Painel Internacional de Especialistas em Megacidades, Vulnerabilidades e Mudança Climática Global advertiu que esses aglomerados urbanos já estão sofrendo muito com a intensificação das mudanças, principalmente porque formam "ilhas de calor" que atraem eventos extremos (Agência Fapesp, 24/7) e favorecem inundações, deslizamentos, congestionamentos, disseminação de doenças, veranicos e secas mais intensos, reflexos no abastecimento de água, maior demanda de serviços de saúde por idosos, aumento do número de mortos em consequência da poluição do ar. Chamou-se a atenção até para o fato de a temperatura da cidade de São Paulo ficar cerca de 3 graus acima da observada em seu entorno com mais vegetação.

Fora do Brasil, a Índia teve de novo dezenas de milhares de desabrigados por chuvas intensas e desmoronamento de barragem, as Filipinas enfrentaram problema semelhante, o Vietnã e a China passaram recentemente por dramas da mesma natureza, até a República Checa. O jornal The New York Times chegou a publicar capa informando que os índios camaiurás, do Xingu, estão sofrendo com mudanças climáticas, que tornam escassa sua alimentação.

Nada disso, entretanto, parece influenciar a posição brasileira nas negociações em busca de um acordo para reduzir as emissões de gases poluentes que intensificam as mudanças do clima. No II Encontro de Jornalismo, Política e Clima, promovido em Brasília pela Agência de Notícias dos Direitos da Infância e pela Embaixada da Dinamarca, o representante do Itamaraty reiterou que nosso país não aceitará em Copenhague, nas negociações de dezembro, compromissos obrigatórios para reduzir suas emissões, embora já esteja entre os cinco maiores emissores. E os argumentos são os que vêm sendo repetidos há mais de uma década: o compromisso primeiro e maior é dos países industrializados, que emitem mais e há muito mais tempo (o que é verdade); aceitar compromissos de redução significaria para os "emergentes" (como o Brasil) o risco de afetar o desenvolvimento econômico (depende do tipo de desenvolvimento). Além do mais, esses compromissos não estariam incluídos no "mandato combinado" para as discussões na Dinamarca. Os países desenvolvidos, sim, precisariam aceitar compromisso de reduzir suas emissões em pelo menos 20% até 2020 e 80% até 2050.
Leia mais

Twitter


Manchetes do dia

Sexta-feira, 09 / 08 / 2009

Folha de São Paulo
"Aliados de Sarney lançam novos ataques à oposição"

PMDB tenta arquivar hoje todas as ações contra o presidente do Senado

Após a primeira vitória de José Sarney (PMDB-AP) no Conselho de Ética, a tropa de choque do PMDB partiu para o ataque contra a oposição, o que provocou um bate-boca entre vários senadores. A bancada do PMDB tentará arquivar hoje os sete processos que restam contra Sarney no conselho.
Ao mesmo tempo, já encomendou parecer favorável à abertura de processo de quebra do decoro parlamentar contra o líder do PSDB, Arthur Virgílio (AM), alegando que ele é "réu confesso". O tucano admitiu em plenário que manteve por mais de um ano funcionário fantasma no seu gabinete.

O Globo
"Bate-boca com palavrão reabre guerra no Senado"

Manifesto assinado por 39 pede que Sarney deixe comando da Casa

Um dia após o arquivamento das acusações contra o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), um novo bate-boca no plenário da Casa, com xingamentos e até um palavrão, reacendeu a guerra entre oposição e governo. Um dos comandantes da tropa de choque de Sarney, o líder do PMDB, Renan Calheiros (AL), pediu a cassação do líder tucano, Arthur Virgílio (AM), e Tasso Jereissati (CE) defendeu o correligionário. Renan chamou Tasso de "coronel", e este rebateu chamando o peemedebista de "cangaceiro". Renan xingou o tucano com um palavrão. Sarney, que presidia a sessão, ficou impassível, sem condições de conter o tumulto. Quatro partidos contrários ao arquivamento das acusações contra Sarney divulgaram manifesto assinado por 39 senadores de vários partidos, pedindo seu afastamento. Na primeira reunião da CPI da Petrobras, os governistas barraram pedidos da oposição e adiaram votações sobre a Receita Federal e a Fundação José Sarney.

O Estado de São Paulo
"Políticos trocam insultos no pior dia da crise do Senado"

Em defesa de Sarney, Renan ataca oposição e instala clima de guerra

Um dia após o discurso de defesa do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), o plenário da Casa viu ressurgir a crise política. O confronto aconteceu após negociações entre setores da oposição e do PT para tentar encerrar denúncia do PMDB contra o líder do PSDB, Arthur Virgílio (AM), e em troca garantir a permanência de Sarney no comando do Senado. Insatisfeito com a insistência da oposição em pedir o afastamento de Sarney, o líder do PMDB, Renan Calheiros (AL), transformou a leitura da representação contra Virgílio em um discurso recheado de provocações e de ameaças à oposição. Ao final do discurso, Renan, já na bancada do plenário, chamou o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) de “seu merda”. Tasso, que antes havia pedido que Renan parasse de "apontar o dedo sujo" contra ele, reagiu chamando o senador alagoano de "cangaceiro de terceira categoria". Renan retrucou, chamando-o de “coronel”.

Jornal do Brasil
"Guerra no ciberespaço derruba gigantes da web"
“Uma extensão da ciberguerra entre Rússia e Geórgia”. Foi assim que Bill Woodcock, diretor de uma organização que mede o tráfego da internet, classificou a ação de hackers que ontem tirou do ar o serviço de microblogging Twitter e o Gmail, o e-mail do Google, e causou lentidão na rede social Facebook. Para o especialista, a ofensiva contra alguns dos sites mais populares do mundo não foi obra de hackers comuns, mas de pessoas com motivação política - a data escolhida, véspera do primeiro aniversário da guerra da Ossétia do Sul, é um indício. O Twitter confirma ter sido alvo de um "ataque malicioso". "Vamos investigá-lo", escreveu, em tweet, o cofundador do serviço, Biz Stone. Também cauteloso Google informou, à tarde, que estava normalizado.

Twitter

quinta-feira, agosto 06, 2009

Gripe suína

O que é gripe suína?

Como as pessoas, os porcos podem pegar influenza (gripe), mas os vírus que os atacam não são os mesmos que adoecem os seres humanos. Gripe suína, geralmente, não afeta as pessoas, e os raros casos que aconteceram no passado foram com pessoas que tiveram contato direto com suínos.

Porém, o surto atual de gripe suína é diferente. É causada por um novo vírus da gripe suína (H1N1), uma espécie de mutação que se propagou a partir de pessoa para pessoa, e isso está acontecendo entre quem não teve qualquer contato com suínos.

Quais são os sintomas da gripe suína?

Os sintomas da gripe suína são semelhantes aos de uma gripe comum, e incluem febre, tosse, garganta inflamada, dores no corpo, dores de cabeça, calafrios e fadiga. Algumas pessoas infectadas têm relatado diarréia e vômitos.
Estes sinais podem também ser causados por muitas outras doenças, logo, apenas a análise dos sintomas não podem diagnosticar a gripe suína, apenas exames laboratoriais. Como diferenciar entre gripe comum e gripe suína?

A gripe suína é uma doença grave?

Os casos de gripe suína estão bastante variados. Enquanto no México pessoas morreram ou estão em estado grave, alguns casos nos Estados Unidos são de gravidade média.
Mas isso pode mudar. O vírus pode se transformar, e se tornar mais ou menos perigoso.
Cientistas estão atentos, analisando o vírus para tentar prever o que irá acontecer futuramente, mas especialistas advertem que é difícil prever quando e como o vírus da gripe irá mudar.

O que uma pessoa que suspeita estar com gripe suína deve fazer? Quando deve marcar uma consulta médica?

Quem está com sintomas da gripe suína deve ficar em casa, e, quando tossir ou assoar o nariz, cobrir a boca e o nariz com um lenço. Após descartar o lenço, deve lavar as mãos cuidadosamente. Essas medidas podem prevenir a propagação da doença.
Consultas médicas devem ser marcadas o mais rápido possível por quem apresenta sintomas, principalmente se a pessoa esteve recentemente em alguma área de risco, ou após contato com alguém que esteve.
O médico não pode determinar se uma pessoa está ou não com gripe suína apenas observando sintomas, mas ele está habilitado para realizar exames laboratoriais que serão enviados para departamentos de saúde aptos para detectar a doença. Os exames estão sendo realizado somente em casos graves.

Reconheça os sintomas de gripe suína aqui.

Como a gripe suína se espalha? Através do ar?

O novo vírus da gripe suína aparentemente se espalha de maneira semelhante à gripe comum. Você pode se contaminar entrando em contato direto com uma pessoa doente ou após coçar os olhos, boca e nariz depois de tocar algum objeto que ela tocou recentemente, por exemplo. Por isso, lavar as mãos deve se tornar um hábito, mesmo entre quem não está doente.
Pessoas infectadas podem começar a propagar o vírus um dia após o aparecimento dos sintomas, e por sete dias após ficar doente, de acordo com o Centers for Disease Control (CDC).
O vírus da gripe suína pode se espalhar pelo ar se uma pessoa infectada tossir ou espirrar sem cobrir o nariz e a boca.

Como a gripe suína é tratada?

O novo vírus da gripe suína é sensível às substâncias fosfato de oseltamivir e zanamivir. O CDC informou que medicamentos para prevenir ou tratar a gripe suína são mais eficazes quando tomados dentro das primeiras 48 horas em que os sintomas foram percebidos. Mas nem todos necessitam desses medicamentos, muitas das primeiras pessoas nos Estados Unidos com casos confirmados de gripe suína se recuperaram sem tratamento. O Department of Homeland Security liberou 25% do seu estoque de medicamentos que combatem a gripe suína.
Especialistas de saúde têm solicitado que as pessoas não façam estoques dessas substâncias e não se auto-mediquem.

Existe uma vacina que combate a gripe suína?

Não existe. Mas a Organização Mundial de Saúde está pesquisando sobre o vírus, para que uma vacina possa ser elaborada. É um lento processo que pode durar meses.
Nesse momento, está sendo realizada no Brasil a Campanha Nacional de Vacinação contra Gripe (que irá até o dia 8 de maio), direcionada à população com mais de 60 anos. Porém, essa vacina destina-se somente à proteção contra a gripe comum e não protege contra a gripe suína.

É arriscado comer carne de porco?

Não. A carne de porco não pode transmitir gripe suína, já que a alta temperatura necessária para preparar o alimento mata o vírus.

O que eu posso fazer para me informar?

Acompanhe o que está acontecendo na sua cidade, no seu país, e no mundo.
Departamentos de saúde de onde você vive, e de outros lugares, estão sempre disponibilizando informações importantes a respeito da gripe suína, e do quanto a doença está se propagando. Você também pode ligar para o Disque Saúde - 0800 61 1997, a Central de Teleatendimento do Departamento de Ouvidoria Geral do SUS, para receber informações sobre doenças e registrar reclamações, denúncias e sugestões.
Não entre em pânico, mas tenha em mente que medidas preventivas são sempre úteis.


Quais as medidas de prevenção ao se visitar áreas afetadas?

Usar máscaras cirúrgicas descartáveis durante toda a permanência nas áreas afetadas.

Substituir sempre que necessário.

Ao tossir ou espirrar, cobrir o nariz e a boca com um lenço, preferencialmente descartável.

Evitar locais com aglomeração de pessoas.

Evitar o contato direto com pessoas doentes.

Não compartilhar alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal.

Evitar tocar olhos, nariz ou boca.

Lavar as mãos frequentemente com sabão e água, especialmente depois de tossir ou espirrar.

Em caso de adoecimento, procurar assistência médica e informar história de contato com doentes e roteiro de viagens recentes a esses países.

Não usar medicamentos sem orientação médica.

Já existiram surtos anteriores de gripe suína?

Sim. Houve um surto gripe suína em Fort Dix, Nova Jersey, em 1976, entre militares. Durou cerca de um mês e desapareceu misteriosamente, tal como apareceu. Uma pessoa morreu entre as 240 que foram infectadas.
A gripe suína que se espalhou em Fort Dix foi um tipo da H1N1. Essa variação também foi responsável pela catastrófica pandemia de 1918-1919, que resultou em milhões de mortes. (Fonte:Banco de Saúde)


Twitter

Pensata

Minhas vidas

Sidney Borges
Depois de um longo período de águas caindo em profusão o Sol voltou a brilhar em Ubatuba. Isso me alegra. Excesso de umidade é ruim, mofa roupas e embota espíritos.

Prefiro clima seco, como o de Brasília. Deputados, senadores e "Nosso Guia" são geniais devido ao ar do Planalto Central, seco como a múmia que vi no British Museum e que tenho certeza de já ter visto antes, em algum lugar do passado.

Acho que tivemos contato na minha primeira encarnação humana, quando conheci os rigores da escravidão na corte de Tutmes III. Na verdade, ser escravo não era de todo mau, comida farta, mas pouca perspectiva. No Egito antigo tudo era visto de perfil.

Passei anos cuidando de estábulos, até hoje sou alérgico a cavalos, não por causa do cheiro. Tenho arrepio quando me lembro das mordidas.

Quando morri tive a honra de ser mumificado. Fui enterrado no Vale dos Reis junto a servidores graduados da corte.

Anos depois, já longe da servidão, reencarnado na Europa, ganhando a vida como lanceiro do rei de França, fui acordado bruscamente enquanto dormia enrodilhado nos braços de gentil camareira austríaca.

Digo meu espírito foi acordado. Meus companheiros de tumba estavam apreensivos. Um egiptólogo havia descoberto nosso jazigo.

Pretestei com veemência quando vi minha múmia ser embarcada em um vapor com destino aos Estados Unidos. Tinham descoberto ouro no Oeste americano. Minha carreira de múmia acabou quando os depojos foram lançados na fornalha de uma locomotiva para fazer vapor. Ultraje!

Antes de ser humano fui urubu e, antes ainda, cachorro. São Bernardo, gostei dessa vida, conhaque de primeira.

Estou pensando em retomar a forma de urubu na próxima encarnação. Tirando a culinária exótica é a melhor forma de viver neste planeta.

Voar o dia inteiro sem impostos ou contas a pagar, apenas voar. E namorar, urubus são grandes namoradores, fazem magnificas estrepolias erótico-aéreas enquanto planejam urubuzinhos, que quando nascem são branquinhos e peludos.

Até nisso levam vantagem, quando o urubuzinho entra na adolescência muda de cor e vai-se embora. Nada de faculdade a pagar...

Twitter

Stardust - Nat "King" Cole

Acontece na cidade



Começa Festival Gastronômico em Ubatuba

A cidade de Ubatuba realiza até o dia 30 de Agosto a quinta edição do Festival Gastronômico.

O evento é promovido pela Associação de Bares e Restaurantes de Ubatuba (AREUBA/ ABRASEL).

Durante o mês inteiro acontecerão várias atividades e ações que envolvem a comunidade local e o desenvolvimento sustentável.

Serão realizados diversos festins culturais, o Seminário Internacional de Turismo Sustentável e projetos que dão apoio social. Um exemplo é a criação e formatação de um catálogo dos artesãos locais que praticam o consumo sustentável de produtos da floresta na confecção de seus trabalhos.

O concurso de receitas que leva o nome “A conservação da Mata Atlântica começa pela Boca” premiará pratos que utilizam ingredientes típicos e segredos provenientes da Mata Atlântica e do mar.

Oficinas de Gastronomia gratuitas sobre os pratos do festival serão promovidas no campus da Universidade de Taubaté, em Ubatuba.

E a grande novidade deste ano é a Vila Gastronômica, que acontecerá nos dias 14, 15 e 16. No local de frente para o mar será estruturado stands, cozinha show, saraus gastronômicos, palestras sobre gastronomia, exposições e espaço de negócios.

O festival também criou 5 roteiros turísticos diferentes que envolvem cultura, belezas naturais e, é claro, gastronomia. Destaque para as praias paradisíacas de Ubatuba, o projeto Tamar, aulas de mergulho, passeios de bote pelo Parque Estadual da Serra do Mar e uma visita a uma fazenda Marinha.

A programação completa está no site
www.gastronomiaubatuba.com.br

Os restaurantes credenciados no Festival “Mar e Mata, Saber e Sabor” são:


Bucaneiros Pizzaria, Jangada Restaurante, Pizzaria São Paulo, Restaurante Caju, Restaurante Malibu, Restaurante Oásis, Restaurante Peixe com Banana, Restaurante Perequim, Restaurante Raízes, Restaurante Rei do Peixe, Restaurante Senzala, Restaurante Spaghetto, Restaurante Tio Sam, Tachão, Ellen Pão de Queijo, Restaurante Todas as Luas, e Restaurante Vela Branca (Ubatuba Palace Hotel).

Twitter

Ubatuba Esportiva



Movimento Pista Pronta - Sobre a reforma embargada da pista de skate

Elton Herrerias Junior
Acontece dia 07/08, o "Movimento Pista Pronta", que será baseado diretamente no atraso de todo o processo de restruturação da pista de skate, que teve através do ministério do turismo, uma verba estimada em 97.500 + 20 % da PMU, verba essa direcionada em dezembro de 2007, e só agora estamos ressaltando, todos ciêntes de estarmos dentro da razão.

O processo que teve a prévia de 6 meses de reforma, já atrasou a data de término, fazendo com que através disso, não só os skatistas mas sim todos adeptos, simpatizantes e frequentadores da praça capricórnio, chegassem a conclusão de que a comunidade jovem deve sim ficar por dentro de toda situação, expondo a realidade de forma cultural, cívica e abordando um dos maiores valores que ainda temos "Liberdade de Expressão".

Tendo como atração principal uma das bandas mais inovadoras de rock do cenário municipal "Psycos Jam" com um hard rock de qualidade e inumeras composições próprias. Também estarão na pista o grupo de rap Conceito Mokozado, que derivado de uma união feita ali mesmo na praça, hoje tem conceito em boa parte da cidade carregando o rótulo de campeã do ultimo festival de bandas realizado no bairro da maranduba a semanas atrás.

O Evento conta com o apoio do site yesk8.com e de todos que ali estiverem presente, pois o ideal não é tratar de status e sim direito de cidadânia.

Contamos com sua presença nessa corrente de luta por nosso devido espaço.

Twitter

Opinião

O tamanho do Estado, o tema de Lula em 2010

Editorial do Estadão
Mais uma vez convertendo um evento oficial em comício político, o presidente Lula aproveitou a solenidade de sanção da lei que criou 230 Varas na Justiça Federal para defender a contratação de mais servidores públicos e refutar as críticas de que seu governo teria promovido o "inchaço" do Estado, comprometendo o equilíbrio das finanças públicas ao elevar com prodigalidade os gastos com funcionalismo.

Em 2009, a União gastará R$ 169,9 bilhões com pessoal e encargos - despesa essa que tem crescido mais do que a receita não só pela contratação de novos servidores, mas também pela generosa concessão de reajustes salariais apresentados, em alguns casos, como "reestruturação de carreiras".

"Vivemos um conflito e uma incompreensão. Quando resolvemos tomar medidas para melhorar o funcionamento das instituições, há sempre duas críticas: a de que o Estado está inchando e de que é preciso um ‘choque de gestão’. As pessoas ainda não se deram conta de que, quanto melhor funcionar o Estado, melhor fica para todo mundo", disse o presidente, depois de defender a nomeação de mais servidores para as "áreas de fiscalização" do governo.

Lula está confundindo as coisas. "Choque de gestão" é uma maneira de qualificar o funcionalismo e reformar a máquina governamental, para torná-la mais eficiente. Por sua vez, aumento do número de servidores não é sinônimo de melhoria automática de qualidade na prestação de serviços públicos - como mostramos, ontem, no editorial O serviço público reprovado. Se os novos funcionários não tiverem preparo, a burocracia apenas incha, gerando mais gastos com salários para o Tesouro sem elevar a produtividade do Estado.

Essa distinção consta de qualquer manual de introdução à administração pública - assunto que Lula conhece suficientemente bem. E se se refere, naqueles termos, ao tamanho do Estado, é apenas por interesse eleitoreiro. Como acredita que a campanha de 2010 será "plebiscitária" e está ciente de que o inchaço do Estado será um dos temas da oposição, ele age preventivamente quando defende a contratação de mais servidores e afirma que "um Estado maior é melhor para todos".

A estratégia é ardilosa. Na visão do governo, "Estado máximo" ou "Estado mínimo" é uma discussão que o eleitorado não compreende bem, mas intui exatamente aonde leva - em princípio, um Estado maior significaria mais pessoas atendidas pelo serviço público. Para se defender das críticas que sofrerá por ter multiplicado cargos em Ministérios, autarquias e estatais, com o objetivo de alojar a "companheirada", Lula desde já vem lembrando que o aumento do funcionalismo em seu governo se deve à contratação de professores, delegados federais, advogados da AGU e auditores da Controladoria-Geral da União - áreas que envolvem temas eleitoralmente atraentes, como educação, segurança e combate à corrupção.

Leia mais

Twitter


Manchetes do dia

Quinta-feira, 06 / 08 / 2009

Folha de São Paulo
"Sarney obtém 1ª vitória no Senado"

Presidente da Casa rebate acusações e diz que fica no cargo; Conselho de Ética arquiva quatro denúncias

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), discursou durante 50 minutos no plenário para rebater as denúncias contra ele.
Mesmo sem ter explicado vários pontos controversos, não chegou a ser contestado. No final, foi aplaudido por metade dos senadores.
Na sequência, o presidente do Conselho de Ética, Paulo Duque (PMDB-RJ), anunciou o arquivamento sumário de quatro das dez acusações contra Sarney.
A oposição pode recorrer da decisão; mas não tem votos para revertê-la, a não ser que consiga o apoio do PT.
Sarney disse que não sabia dos atos secretos, negou ser culpado pelo inchaço do Senado e só admitiu a contratação de uma sobrinha. Afirmou ser vítima de uma campanha da imprensa e descartou a renúncia: "Não tenho senão que resistir, foi a alternativa que me deram".
Antes do discurso, senadores de PSDB e DEM e rebeldes de PMDB e PT se prepararam para rebater um tom mais duro de Sarney. Foram surpreendidos por apelos pela pacificação da Casa. Ao final, os tucanos diziam que não há fatos suficientes para cassá-lo.

O Globo
"Sarney diz que acusações são 'menores' e não sai"

Senador divide responsabilidades pela crise; Conselho arquiva denúncias

No centro do maior escândalo da história recente do Senado, o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), ocupou a tribuna e discursou tentando minimizar as denúncias de nepotismo e tráfico de influência. Disse que não se licenciará da presidência e que as acusações são menores, baseadas em recortes de jornal, e "não representam queda de padrão ético". O Conselho de Ética do Senado já arquivou duas denúncias e duas representações contra ele, e as outras seis devem ter o mesmo destino. Sarney tentou dividir com os demais senadores a responsabilidade pelos atos secretos do Senado e pelas nomeações de seus parentes para cargos de confiança - que não teriam ocorrido, segundo ele, sem o aval dos parlamentares. "Todos aqui somos iguais. Nenhum senador é maior do que outro e por isso não pode exigir de mim que cumpra sua vontade política de renunciar. Permaneço pelo Senado, para que ele saiba que me fez presidente para cumprir o meu mandato", afirmou Sarney, que também se disse vítima de um complô da imprensa. O discurso esfriou o clima de acusações no plenário. A oposição vai protestar contra o arquivamento das denúncias no Conselho.

O Estado de São Paulo
"Conselho de Ética arquiva 4 denúncias contra Sarney"

Casos são engavetados sem ir a votação e oposição pretende recorrer

O Conselho de Ética do Senado arquivou, de uma só vez, três denúncias e uma representação contra o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), além de uma outra representação, contra o líder do PMDB, Renan Calheiros (AL), por também ter assinado atos secretos durante o período em que comandou o Congresso. Depois de suspender a sessão para que todos pudessem assistir ao discurso de Sarney no plenário, o presidente do Conselho, Paulo Duque (PMDB-RJ), apresentou seus “fundamentos jurídicos" para justificar o parecer contrário à admissibilidade das ações. Duque usou o mesmo argumento: alegou que as ações não poderiam ser aceitas porque tinham como base "uma mera coletânea de recortes ou citações de jornais". A cúpula do PMDB, no entanto, reconhece que a batalha está apenas começando - no total, são 12 as ações contra José Sarney. A oposição já esperava que Duque engavetasse as ações, mas não se dá por vencida. "Vamos reagir e reagir bem", disse o presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE).

Jornal do Brasil
"Volta às aulas só dia 17"

Já são 14 milhões em férias no país todo

Por causa da gripe suína, estão suspensas por mais uma semana - para o dia 17 - as aulas para 2,3 milhões de alunos da rede pública do Rio. Na quarta-feira, nova avaliação poderá decidir por outro adiamento. Recomendação às escolas e universidades particulares é para que também prorroguem as férias. Mas as aulas terão de ser repostas, pois precisam ser cumpridos 200 dias letivos ao ano.

Twitter

Clique sobre a imagem e saiba mais

quarta-feira, agosto 05, 2009

Brasil

Reflexões

Sidney Borges
Quando aconteceu a disputa entre Lula e Collor, em 1989, o mundo ainda estava dividido em dois blocos. O ainda foi proposital, pouco tempo depois o comunismo deixou de ter relevância, surpreendendo até espiões da CIA.

Eu sei que no Brasil há muitos comunistas de fé que dirão que Cuba e Coréia do Norte estão ai para invalidar meu raciocínio. É verdade, Cuba continua comunista, a Coréia do Norte também, mas são países de pouco significado econômico. A China mantém um regime teoricamente comunista, mas há muito tempo abriu os portos às nações amigas e já não é considerada estranha no ninho capitalista.

Volto à disputa entre o "Caçador de marajás" e o "Sapo barbudo". Na reta final da campanha o PT insistiu em manter o velho e desgastado discurso ameaçador. Vocês verão capitalistas, vamos encher seus apartamentos de indigentes. Os donos da banca davam de ombros, as contas na Suíça garantiriam champanhe e caviar, mas a classe média que os petistas chama de zelite ficou temerosa.

Esses loucos vão tirar meu apartamento de dois quartos adquirido em 20 anos pelo BNH. O partido deixava no ar a possibilidade de alterar o modo de produção capitalista.

Em 1989 votei no PT, no primeiro turno havia votado em Covas. Votei em Lula com a certeza de que nada mudaria nos fundamentos econômicos, não havia clima nem dinheiro para tanto, mas fui iludido pela perspectiva de que alguma coisa seria feita para mudar a cara deste país tão desigual.

Saneamento básico, Educação e Saúde teriam tratamento diferenciado nas mãos de Lula. Fiquei na esperança, o medo do comunismo colocou Collor na presidência, depois foi o fiasco que todos conhecem.

A base petista continua sonhando com o eldorado igualitário, mas a verdade é que o modo de produção capitalista está firme, forte e rijo. Os meus sonhos de avanços dentro do sistema se esgarçaram no ar feito a fumaça da música de Dick Farney.

Os recentes arroubos de paixão demonstrados aos antigos desafetos, Sarney e Collor, pouco ou nada farão contra a popularidade de Lula, mas certamente não o ajudarão a transferir votos para a candidata do PT à presidência da República.

O tempo passa rápido, dentro de um ano estaremos em plena campanha para escolher quem vai suceder Lula. O próximo presidente vai receber um país com 100 milhões vivendo sem captação de esgotos e 40 milhões sem água potável. Falta muito a ser feito antes de podermos dizer que este é um país desenvolvido.
X
Twitter

O povo e as eleições

Opinião pública é uma, opinião publicada é outra

Por Carlos Brickmann no Observatório da Imprensa (original aqui)
Severino Cavalcanti, lembra? Severino foi apanhado em flagrante recebendo um capilezinho por fora, para assegurar ao restaurante da Câmara dos Deputados o direito de continuar funcionando. Sofreu pesada campanha de imprensa, teve de renunciar para não ser cassado. E se elegeu prefeito de sua cidade, João Alfredo (PE).


Jader Barbalho, lembra? Teve de renunciar à presidência do Senado para não ser cassado, foi preso pela Polícia Federal acusado de envolvimento num escândalo da Sudam, sofreu pesada campanha de imprensa. E se elegeu novamente deputado federal, com toda a facilidade.

Fernando Collor, lembra? Foi afastado da presidência da República por impeachment, ficou com os direitos políticos suspensos, sofreu pesada campanha de imprensa. Depois, elegeu-se senador.

Antonio Carlos Magalhães, lembra? Teve de renunciar para não ser cassado e sofreu pesada campanha de imprensa. Elegeu-se novamente e ainda foi por muitos anos o grande cacique da política baiana.


Em português claro, a opinião do Centro-Sul, base dos maiores meios de comunicação, não é a mesma das outras regiões do país; e, mais importante ainda (já que muitas vezes o eleitor dá seu voto exatamente onde os grandes veículos movem suas campanhas), a opinião publicada não tem muito a ver com a opinião pública. Há diversos exemplos: Jânio Quadros se elegeu prefeito de São Paulo pela primeira vez contra todos os grandes jornais da cidade; Adhemar de Barros raras vezes teve um grande jornal a favor, e sempre desempenhou papel decisivo nas eleições paulistas. Leonel Brizola ganhou no Rio contra todos os meios de comunicação de importância.

Nós, jornalistas, temos uma certa tendência a magnificar a influência daquilo que publicamos. Não é bem assim. Certa vez, a deputada federal Ivete Vargas, que vencera a luta contra Leonel Brizola pela sigla PTB, foi interpelada por um repórter, que queria saber como ela se sentia estando contra a opinião pública.

Ela bateu duro: tinha 300 mil votos, falava em nome de 300 mil pessoas. E o repórter, quantos votos tinha tido para falar em nome da opinião pública?

O curioso é que mantenhamos essa tendência autoglorificadora apesar das sucessivas derrotas na batalha pela opinião pública. Este colunista, por exemplo, acha que José Sarney não conduziu o Maranhão, ao menos na velocidade necessária, para o desenvolvimento e a melhora nas condições de vida. Mas esta, definitivamente, não tem sido a opinião do eleitor maranhense.

Sarney, sua família e seus candidatos perderam algumas poucas disputas e cansaram de ganhar eleições. Não podemos lutar contra os fatos – a menos que queiramos transformar-nos nos guias geniais da Nação, evitando que o eleitor fique votando em gente que não recomendamos.

Twitter

Collor dizia de Sarney em 1989....

Política é como nuvem, você olha está de um jeito, daqui a pouco está de outro jeito. Collor voltou. Goste você, ou não, é a realidade brasileira. Agora só falta a Casa da Dinda, as camisetas com frases espertas e os boleros da Zélia. Socorro, precisamos de um Lula novo, o antigo está vencido e pelo jeito não tem conserto...

Pizza



X
Meio fora de foco, mas ainda é uma pizza

Sidney Borges
O vereador Gerson Biguá disse ontem na Câmara que é preciso haver entendimento em relação ao que está acontecendo na Santa Casa.

A cidade de Ubatuba concorda.

A conclusão do ilustre edil aconteceu depois de uma reunião a dois com o prefeito Eduardo Cesar.

O vereador Gerson Biguá também disse um dia que não será mais candidato a vereador e que vai abandonar a política.

Quanto à CPI da Santa Casa, tudo indica que é assunto morto.

Assim como é moribunda a carreira do vereador que assinou o mandado de segurança que paralisou os trabalhos. Dizem que ele queria ser prefeito.

Parabéns a Eduardo Cesar. Ganhou mais uma. Matou a cobra e mostrou o pau.

Em tempo: Biguá insinuou que se for do interesse do povo mudará de idéia sobre abandonar a política. Será que ele quer ser prefeito? Querer nem sempre é poder...

Twitter

Ressaca



X
Incidentes acontecem
Sidney Borges
O caminhão da coleta seletiva teve um pequeno contratempo nesta manhã, na esquina das ruas Garoupa e Pescada, no Sítio Ressaca. As ruas do bairro estão ruins, para não dizer muito ruins ou péssimas. As águas de julho fizeram grande estrago no leito carroçável, como se escrevia no Estadão quando Getúlio Vargas pilotava o Estado Novo. Acho que era por causa das carroças, havia muitas naquele tempo, algumas tracionadas por burros. Hoje os burros pagam impostos. E quebram a suspensão dos carros movidos a petróleo. Do pré-sal de Collor, Lulla e Sarney.

Opinião

O fermento da podridão

Editorial do Estadão
A República de Alagoas voltou. Acionados pelo senador José Sarney, os seus dois mais notórios representantes no Congresso Nacional, Fernando Collor e Renan Calheiros, protagonizaram segunda-feira no Senado um espetáculo de truculência e intimidação que logrou dar um sentido ainda mais degradante ao que já está implícito na expressão "tropa de choque". O ex-presidente da República, despejado do Planalto por corrupção, e o presidente do Senado, obrigado a renunciar ao cargo para conservar o mandato, investiram com fúria e brutalidade contra o peemedebista dissidente Pedro Simon porque ele teve a ousadia de pedir que Sarney deixasse a direção da Casa antes da reunião de hoje do Conselho de Ética, onde é alvo de 11 representações ou denúncias de partidos e parlamentares oposicionistas. O gaúcho comparou a situação de Sarney à de Getúlio Vargas na crise que o levou ao suicídio, em agosto de 1954.

Mostrando com palavras e esgares que continua o mesmo histrião que foi como presidente, Collor disse a Simon que engolisse e digerisse a referência que fizera ao seu nome, ao lembrar a Calheiros que desertou do então presidente na véspera de sua cassação. Em seguida, proclamou o seu alinhamento com Sarney, suposta vítima do "interesse da mídia". Em 1987, governador de Alagoas, ele dizia que o maranhense era "o corrupto do Planalto". Que diferença faz? O Collor que atingiu Lula com uma baixaria inominável na campanha de 1989 não é hoje seu admirador? E Lula não o acolhe como a um aliado fraternal? É nessa atmosfera irrespirável que prossegue a operação destinada a manter Sarney no posto do qual, na semana passada, ele insinuava abrir mão. Pelo visto, mudou de ideia. "Isso não existe", garantiu ao deixar o plenário antes do discurso de Simon e do vexame que se seguiu. Declarou-se ainda "firmíssimo" no cargo.

Se assim é, prepare-se a opinião pública para ver fermentar a podridão no Senado. Sarney e a sua tropa sabem que o presidente do Conselho de Ética, Paulo Duque, não acolherá nenhum dos pedidos para que ele seja processado por quebra do decoro parlamentar. Afinal, foi exatamente para isso que Calheiros, como líder do PMDB, indicou esse segundo suplente de senador pelo Rio de Janeiro para chefiar o colegiado. A oposição, por deter apenas 5 de suas 15 cadeiras, não conseguirá reverter a decisão. No máximo, poderá transferir o problema para o plenário, onde o sarneysismo permanece majoritário. De seu lado, Lula e a cúpula do PT tratam de conter o desassossego na bancada partidária, cujo líder Aloizio Mercadante se indispôs com os operadores políticos do Planalto por insistir no afastamento de Sarney. Nove dos seus 12 membros serão candidatos em 2010 e não escondem as pressões recebidas de eleitores indignados com o apoio lulista ao oligarca.

Sinal de que os velhos costumes prevalecem sobre a retórica da reforma no Senado, a diretoria-geral, orientada por Sarney, trata de adiar a demissão dos funcionários nomeados por atos secretos, contrariando a recomendação de seu desligamento sumário adotada pela comissão especial criada para examinar o escândalo. A fórmula encontrada foi a de pedir a abertura de processos administrativos individuais. Serão cerca de uma centena de ações, uma delas envolvendo o namorado da neta de Sarney, nomeado em abril do ano passado. O caso ficou conhecido depois que este jornal divulgou telefonemas gravados com autorização judicial em que o filho do senador, Fernando, pede ao pai que empregue o interessado. As interceptações foram feitas pela Polícia Federal, no curso da Operação Boi Barrica, que levou ao indiciamento de Fernando por tráfico de influência, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha.
Leia mais

Twitter


Manchetes do dia

Quarta-feira, 05 / 08 / 2009

Folha de São Paulo
"Governo pretende ficar com 80% do petróleo do pré-sal"

Percentual valerá nos campos de maior rentabilidade; Petrobras e empresas privadas dividirão o restante

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva quer que a União fique com pelo menos 80% do petróleo que será explorado na camada pré-sal nos campos de menor risco e maior rentabilidade, informam Kennedy Alencar e Valdo Cruz.
Na avaliação do governo federal, a maior parte da área do pré-sal deverá se encaixar nesse perfil.

O Globo
"Cerco à mídia venezuelana é condenado, menos no Brasil"

Assessor de Lula elogia liberdade de imprensa no governo Chávez

O ataque à TV Globovisión e o fechamento de 34 rádios na Venezuela receberam críticas de entidades como a Comissão Interamericana de Direitos Humanos da OEA e a Sociedade Interamericana de Imprensa e até de governantes pró-Chávez, como o paraguaio Fernando Lugo. Já o governo Lula, por meio do assessor da Presidência Marco Aurélio Garcia, defendeu Chávez. "Se acabou (a liberdade de imprensa), deve ter sido depois que eu saí. O que ouvi em programas de TV sendo dito sobre o presidente da Venezuela não está no gibi", disse Garcia, recém-chegado da Venezuela. Sob pressão, Chávez mandou prender a líder da invasão da Globovisión, e o Congresso adiou a discussão do projeto sobre delitos na mídia.

O Estado de São Paulo
"Decisão do PT fortalece Sarney"

Partido recusa proposta da oposição de pedir renúncia; Planalto já dá o caso como encerrado

O PT recusou ontem convite de DEM, PSDB, PDT e PSB para pedir a renúncia de José Sarney (PMDB-AP) do cargo de presidente do Senado. O partido, cuja liderança na Casa vinha pressionando Sarney e foi desautorizada pelo presidente Lula, preferiu manter sua posição a favor apenas da licença temporária. Dessa maneira, deu força a Sarney, isolando os que defendiam a saída definitiva. Ao final do dia, todos os partidos optaram por apoiar somente o pedido de afastamento. Agora, a ordem da tropa de choque pró-Sarney é obter saída negociada com os adversários ameaçados por dossiês para engavetar a maioria das representações contra o senador no Conselho de Ética, que se reúne hoje. Na avaliação do Planalto, os aliados venceram o primeiro tempo da luta para salvar o presidente do Senado, quando apostaram na estratégia do confronto. Mas o governo teme que, agora, a oposição tente criar outro fato político e invista na CPI da Petrobras.

Jornal do Brasil
"Desigualdade de renda caiu durante a crise"

Embora a distribuição ainda seja considerada "péssima", pobreza diminuiu nas regiões metropolitanas

Ao contrário de outras crises econômicas, quando a pobreza aumentou nas regiões metropolitanas do país, o Brasil vem conseguindo reduzir o número de pobres e aplacar o nível de desigualdade de renda. Com base em números do IBGE, um estudo divulgado ontem pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) mostra que entre março de 2002 e julho deste ano, a taxa de pobreza caiu quase 27%. Em números absolutos, foram 4 milhões de brasileiros que saíram da pobreza no período - a Região Metropolitana do Rio encabeça o ranking da maior queda, que ocorreu graças à redução do desemprego, o aumento do salário e programas de transferência de renda como o Bolsa Família. O presidente do Ipea, Marcio Pochmann, ressalta, no entanto, que a distribuição de renda ainda deve ser considerada péssima. Segundo o estudo, a desigualdade diminuiu porque os trabalhadores de maior remuneração, sobretudo da indústria, foram os mais afetados pela crise.

Twitter

terça-feira, agosto 04, 2009

Elle voltou!



Notem a expressão. É elle mesmo.

Sidney Borges
Olho a foto e recordo o final da campanha de 1989. Quanta polêmica foi levantada em torno das táticas usadas pelo candidato Collor contra Lula, que ainda não era Lulla. Quanta baixaria! Aquela história da proposta de aborto, depois a edição do debate, que teria tido papel preponderante na derrota do "Sapo Barbudo".
O tempo passa, o tempo voa, Collor que esteve no quinto dos infernos agarrou a mão amiga de Lulla e foi resgatado. Voltou com o mesmo olhar faiscante. Lulla, Collor, Sarney...


Twitter

Mão Santa?

Conto

Diálogo de metidos

Corsino Aliste Mezquita
Odracir: Alô Dr. Legumi. O senhor está bom?


Legumi: Estou ótimo, Odracir. Que se te oferece?

Odracir: Temos que rescindir o contrato com seus colegas advogados.

Legumi: Preciso conhecer o contrato. Você disse que mandaria. Não recebi nada, no anexo.

Odracir: Não consegui. São três folhas. Está muito pesado.

Legumi: Manda uma por vez.

Odracir: Vou tentar. Isso não vai criar problema para mim?

Legumi: Vai. Você não é diretor da área e não tem autoridade para fazer isso. A Presidente não pode ficar sabendo. Se ficar sabendo pode te suspender por enfiar o nariz onde não pode. Eu também não posso fazer o que você pede. O Código de Ética da OAB proíbe prejudicar contratos e trabalhos de colegas. Os advogados não podem saber destes e-mails e telefonemas. Eles, certamente irão me denunciar à OAB. Aí mela tudo! Não é melhor os próprios advogados fazerem o distrato?

Odracir: Não sabia que era tão complicado.

Legumi: Vocês ignoram quase tudo e complicam a gente que quer ajudar. O distrato cabe a Presidente e só a ela. Pelo que pude observar ela tem bom senso e educação mais aprimorada que a maior parte de vocês.

Odracir: Desculpa Dr. Legumi. Não faz nada não. Cópia de nosso e-mail já está nas mãos de todo mundo. Confesso que ando me metendo onde não devo e no que não entendo.

Legumi: Tira lição do fato e reflete sobre a frase: “As coisas mais desagradáveis que os nossos piores inimigos nos dizem pela frente não se comparam com as que nossos amigos dizem de nós pelas costas”.

Saudações.

Corsino aliste Mezquita
corsinoaliste@hotmail.com

Twitter
 
Free counter and web stats