sábado, julho 25, 2009

Pois é

Pensata twitteriana

Sidney Borges
Tenho uma rã de estimação. Duda é o nome dela. Mora num vaso da sala. Bicho tranqüilo, não incomoda ninguém. Vota no PMDB e ama Sarney.

Em Ubatuba e adjacências a chuva continua despencando em gotículas minúsculas, pleonásticas e gramaticalmente úmidas e digo mais...

Zelaya é amigo de Chávez, que é amigo de Lula, que é amigo de Sarney que é dono de lindas terras no norte do Brasil. Homem de esquerda...

Não vale editar o que escrevo. Vou criar o meu próprio "Blog da Petrobras". Não falem mal do Lula na minha presença. Nem do Sarney. Omessa.

O que fazer com um assessor quando ele te faz passar vergonha? Aceito sugestões... Compre um pelourinho usado e ate-o.

Twitter

Ubatuba em foco

Assaltante morre após trocar tiros com policiais no Itaguá

Do Imprensa livre (original aqui)
O jovem R.S.T., 16 anos, morreu após trocar tiros com três policiais da Força Tática no início da noite da última quarta-feira, por volta das 20h. A morte ocorreu enquanto ele e mais dois homens fugiam depois da realização de um assalto a uma residência, situada na Rua Verano Damas, na altura do número 630, na região central do município.

Apesar de ter recebido a denúncia, feita pelo próprio dono da casa, O.J.O., 45 anos, os policiais estavam em patrulhamento pelas imediações. Segundo informações da 3ª Companhia da Polícia Militar, os infratores estavam em duas bicicletas e tinham roubado quatro relógios, um par de tênis, bijuterias e mais R$ 400 em dinheiro. Eles tentavam fugir no sentido do bairro Estufa 2.

A troca de tiros teve início quando os policiais os abordaram e quando R.S.T. saltou da garupa de uma das bicicletas e efetuou os disparos. Para se defender, os policiais revidaram e o atingiram.

Em seguida, um dos assaltantes que conduzia uma das bicicletas também atirou contra os PM’s, porém, logo fugiram novamente. Ferido, o bandido foi levado pela viatura da corporação ao Pronto Socorro Central, mas não resistiu. Na unidade de saúde, ainda esteve A.G.C., proprietário de uma padaria, que também foi alvo da ação do infrator e de seus comparsas.

Já a arma, um revólver calibre 38, com seis polegadas, niquelado, com cabo de madeira e capacidade para seis munições, foi apresentada no 1º Distrito da Polícia Civil. Os outros dois comparsas, por sua vez, não foram localizados.

Nota do Editor - Triste fim de uma vida que mal começou. Qual é a perspectiva de grande parte dos jovens que vivem na periferia de Ubatuba? Faço uma sugestão. Visite a estrada do Rio Escuro com olhos de observador. O movimento é pequeno, dá para prestar atenção ao entorno. Faça o passeio num dia ensolarado de semana. Olhe os bares, há muitos e quase todos têm um puxadinho cobrindo a mesa de sinuca. Você verá o que eu chamo de desperdício de capital humano. Jovens que poderiam ajudar a melhorar o país desperdiçando tempo e cérebro em conversas inúteis, cerveja e maconha, quando não crack. Do ócio e do vício ao crime é um passo. Do crime ao cárcere ou ao cemitério é outro passo. Quem perde? O Brasil. (Sidney Borges)

Twitter

Opinião

A lição de Londres para Brasília

Editorial do Estadão
As reações dos governos britânico e brasileiro no episódio do envio irregular de lixo hospitalar e doméstico ao Brasil, disfarçado de importação de polímeros de etileno para reciclagem, não poderiam ter sido mais ilustrativas da diferença de mentalidade e seriedade dos dirigentes dos dois países. Colocados diante de problema de interesse público, que pode pôr em risco a saúde da população, no Brasil, a resposta foi basicamente midiática. Recorrendo mais uma vez à estratégia da "política-espetáculo", o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, protagonizou cenas da mais primária demagogia, deixando-se filmar e fotografar como pinto no lixo, entre os 26 contêineres interceptados pelas autoridades alfandegárias no Porto de Santos. E, na entrevista coletiva que concedeu depois da "vistoria", sob a luz de holofotes, valeu-se da velha retórica "politicamente correta", classificando a exportação de lixo como "racismo ambiental", acusando os países ricos de converterem os países pobres em "lixeiras" e prometendo criar um grupo de trabalho para investigar "os crimes e o passivo ambiental" que teriam sido causados no Brasil por empresas estrangeiras, nos últimos anos.

Por sua vez, o presidente Lula aproveitou o episódio para tentar fazer graça e para posar como estadista, procurando converter um problema policial em questão diplomática. "Eles (os países ricos), que são tão limpos e querem despoluir tanto, mandam para cá contêineres de lixo dizendo que é para reciclar. Mas quem é que vai reciclar uma camisinha?", disse ele no discurso de abertura da 5ª Feira Internacional de Produtos Orgânicos, depois de afirmar que pretende convocar uma "discussão mundial" sobre a questão ambiental. O discurso foi feito no mesmo dia em que o Itamaraty denunciou o governo britânico - que nada tem a ver com a exportação irregular - com base na Convenção de Basileia, que regula o transporte de materiais tóxicos pelo mundo, e pediu providências imediatas da Organização das Nações Unidas (ONU).

Enquanto isso, com a tradicional discrição britânica, o governo de Londres fazia o que se espera do poder público num caso como esse. Em apenas três dias, as autoridades abriram investigações, descobriram a origem do material exportado, identificaram as empresas responsáveis pela remessa ilegal de lixo para o Brasil, cuja sede fica na cidade de Swindon, na região de Wiltshire, e prenderam três suspeitos que, embora libertados ontem, continuam à disposição da Justiça.

Eles estão sendo interrogados pela Agência de Meio Ambiente e, segundo a chefe da Divisão de Lixo e Administração de Recursos do órgão, Liz Parkes, serão sumariamente denunciados à Justiça criminal britânica caso as investigações comprovem que agiram de maneira dolosa. A legislação do Reino Unido permite a exportação de materiais para reciclagem, mas proíbe a venda de lixo doméstico ou hospitalar - justamente o que foi encontrado nos 89 contêineres interceptados nos Portos de Rio Grande (RS) e Santos (SP) e no porto seco de Caxias do Sul (RS), num total de 1,7 mil toneladas. Além disso, Liz Parkes afirmou que está aguardando as investigações das autoridades alfandegárias e policiais brasileiras, que estão apenas no começo - embora o governo brasileiro disponha já de dados concretos sobre os empresários responsáveis pela importação irregular -, para autorizar a devolução desses contêineres para a Inglaterra, definir os locais apropriados quando chegarem ao País e tomar as providências para cobrar de todas as empresas britânicas envolvidas na transação o ressarcimento dos gastos com frete, taxas portuárias e custos administrativos.
Leia mais

Twitter

Manchetes do dia

Sábado, 25 / 07 / 2009

Folha de São Paulo
"Zelaya entra em Honduras, mas recua"

Presidente deposto é impedido pela 2ª vez de voltar a seu país; tentativa foi ‘temerária’, diz Hillary Clinton

Dirigindo um jipe e cercado de jornalistas, o presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, tentou pela segunda vez voltar ao país, mas foi impedido por milhares de policiais e militares, que bloquearam a área de fronteira com a Nicarágua.
Rodeado por militantes, Zelaya desceu do carro, cruzou a fronteira e ficou em Honduras por cerca de uma hora; depois disso, recuou.
Segundo o presidente deposto, que recebeu por celular apoio do presidente Lula, era preciso “respeitar” as ligações que os militares hondurenhos fariam para seus superiores. Às 18h50, ele deixou a fronteira e foi para a cidade de Ocotal (Nicarágua), onde passaria a noite.
A secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, chamou a tentativa de retorno de “temerária” e defendeu solução negociada.

O Globo
"PT desobedece a Lula e já vê envolvimento de Sarney"

Partido apoia reunião extraordinária de conselho; PSDB encampa denúncia
Um dia após o presidente Lula relativizar crimes para reforçar a defesa do aliado José Sarney, a bancada do PT divulgou nota, agora apoiando a proposta de antecipar a convocação do Conselho de Ética, ainda no recesso, para discutir as denúncias contra o presidente da Casa. Na nota, Aloizio Mercadante, líder do partido, diz que “é grave essa nova denúncia porque há indícios concretos da associação do presidente do Senado em ato secreto de nomeação do namorado de sua neta”. O PSDB decidiu encampar a proposta de seu líder, Arthur Virgílio, de representar formalmente contra Sarney no Conselho.

O Estado de São Paulo
"PT contraria Lula e pede que Sarney se licencie no Senado"

Bancada considera ‘grave’ a revelação de que senador ajudou namorado da neta

Na contramão da orientação do presidente Lula, a bancada do PT no Senado voltou a pedir ontem o afastamento do presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP). O líder Aloizio Mercadante (SP) emitiu nota na qual considera “grave” a revelação, feita pelo Estado, de que Sarney negociou, junto com o filho Fernando, a contratação do namorado de sua neta no Senado. Em nome da bancada, ele pede que o Conselho de Ética da Casa investigue “com rigor a possibilidade de participação direta” de Sarney na promulgação do ato secreto que serviu para concretizar a nomeação. A nota do PT também deu fôlego à proposta defendida pelos senadores Pedro Simon (PMDB-RS) e Cristovam Buarque (PDT-DF) de antecipar a próxima reunião do Conselho de Ética para avaliar o caso de Sarney.

Jornal do Brasil
"Lula propõe quebra das patentes da gripe suína"

Assunto será debatido entre ministros latinos. Mortes no Brasil são 33

O presidente Lula já considera a possibilidade de quebrar patentes de medicamentos e vacinas contra a gripe suína. Ele propôs a realização, daqui a três semanas, de uma reunião entre ministros da Saúde latinos, laboratórios farmacêuticos e a Organização Mundial da Saúde (OMS) para tratar do assunto. A intenção é respaldada pelas presidentes do Chile, Michelle Bachelet, e da Argentina, Cristina Kirchner – outros dois países muito afetados pela doença considerada pandemia global pela OMS. “Não é possível que nesta situação questões de investimentos e de propriedade tenham prioridade”, argumentou Lula. Ontem o Ministério da Saúde confirmou mais quatro mortes no Brasil, elevando o total para 33.

Twitter

sexta-feira, julho 24, 2009

Ronaldo

Chuva

Mensagem do Facebook

Sidney Borges
Meu Caro Carlos Rizzo. Quando a chuva passar passarinhos passarão a comer da ração do meu querido cão e nós, eu e o cão, estaremos a observá-los. Dizem que o hábito do cachimbo entorta a boca, no caso da ingestão de ração, entorta o bico. Os pássaros que aqui gorgeiam o fazem na forma de latidos. Em língua de passarinho. Para compensar dou alpiste ao Brasil (meu cachorro se chama Brasil). Ele cheira, abana o rabo e agradece educadamente. Desdenha fingindo estar sem fome e late pensando em osso...

Twitter

Muricy em questão

Recado futebolístico

Sidney Borges
Enviei um recado ao meu amigo Mauro Cícero, indignado com a contratação de Muricy pelo time suino. Ele se diz ex-palmeirense. Eu também não gostei da saída do treinador que tantas glórias deu ao tricolor, time que aprecio com ressalvas.

Caro Mauro: Como simpatizante do tricolor, não gostei da saída de Muricy, que reputo como competente. A diretoria do São Paulo errou ao contratar verdadeiros "bondes" e permitir que o elenco derrubasse o técnico. Você corre o risco de ver o seu ex-time campeão, Muricy costuma ganhar o nacional. Estou pensando em torcer para a Lusa, sofrimento proporcional à expectativa. Por falar em futebol, craques também erram. A furada de Ronaldo ontem, ao bater uma falta, foi antológica. Lembrei-me de meus dias de futebolista...

Twitter

Coluna do Celsinho

Drible

Celso de Almeida Jr.
Aguardo a minha vez.

Há um rito no procedimento.

Paciência, enquanto os primeiros argumentam.

O layout facilita ouvir os casos desabafados naquela mesa.

Carrego a convicção de que o gerente com vocação para escritor produziria textos maravilhosos, dada a criatividade da clientela.

Finalmente, ocupo a cadeira.

Mais uma vez, conto com a generosidade alheia.

Ele sempre me abençoa, pagando o cheque da madrugada com o depósito do amanhecer.
Claro que a indulgência aparece no extrato.


Simbólica, claro, na ótica do banco; mas prefiro-a, mil vezes, do que a extrema-unção.
E assim caminhamos...driblando!


Sou grato aos amigos de infância da rua Cunhambebe.

Juntos, na lateral do campo de aviação, jogávamos aquele futebolzinho inocente, ensaiando os primeiros dribles da vida.

Nossa vítima imediata, o saudoso Sr. Claudio - responsável pelo aeroporto - surpreendia-nos com sua motoneta; e corríamos daquela perigosa área de escape.

Era nosso drible mais difícil.

Não nos especializamos em dribles de outra natureza como os de José Sarney, Lula, Paulo Maluf, mas, por tabela, amargamos esse lado da brasilidade.

Nossa realidade marota exige mais esforço, mais trabalho, mais energia, para manter um padrão de vida cada vez mais simples.

Há dribles éticos?

Creio que só os do Robinho & Cia.

Os demais soam como um gesto de pouco brilho, sinalizando, lá no fundo, que ainda vivemos no país do jeitinho.

Twitter

Opinião

Sábios dizem como mudar nosso olhar

Washington Novaes
Há poucas semanas (3/7) foi mencionado aqui o relatório produzido pela chamada Comissão Stiglitz-Sen-Fitoussi, liderada pelos Prêmios Nobel Joseph Stiglitz e Amartya Sen e encarregada pelo presidente da França de definir novos caminhos para avaliar a situação do mundo que superem as limitações dos indicadores apenas econômicos e financeiros - cuja precariedade ficou evidenciada na não-previsão da atual crise global. Seria importante que muitas pessoas tomassem conhecimento dessa primeira versão já trabalhada durante mais de um ano e a discutissem, já que os autores pedem "contribuições da sociedade".


O texto começa pela afirmação de que "há grande distância" entre as medidas comumente usadas por especialistas para avaliar importantes variáveis socioeconômicas (como crescimento, inflação, desigualdades sociais, etc.) e a percepção que delas tem a sociedade. O "gap" é tão profundo e universal, diz a comissão, que não pode ser explicado apenas por ilusões monetárias ou pela psicologia humana. Por isso, enfatiza, "o aparato estatístico precisa ser revisto". A começar pela tendência de avaliar o progresso apenas pelo crescimento do produto interno bruto (PIB) - e aí é preciso ver quais são as limitações desse caminho para calcular o desempenho econômico e o progresso social. Em seu trabalho, a comissão tentou listar que informações adicionais precisam ser acrescentadas, de modo a poder apreciar igualmente o bem-estar social e a sustentabilidade (econômica, social, ambiental).

Tentar medir tudo isso com apenas um indicador, um número, é inadequado, diz. Adicionar muitos números pode simplesmente gerar confusão. Por isso a comissão escolheu três caminhos:

Avaliar as limitações do PIB como indicador de progresso socioeconômico;

incluir formatos de avaliação da qualidade de vida;

adicionar formatos de avaliação da sustentabilidade do desenvolvimento e do meio ambiente.

O problema com o PIB, afirma a comissão, começa em que ele só mede a produção em valores de mercado, mas é comumente encarado como se fosse medida de bem-estar econômico. É um critério que não leva em conta o fato de não existirem preços para certos bens e serviços, como a qualidade dos serviços de saúde e educação, o trabalho doméstico ou em lares que cuidam de crianças e muitos outros. Mas como avaliá-los? O PIB é também um indicador que não considera danos ambientais na produção ou no consumo que não estejam embutidos nos preços de mercado (neste ponto, é inevitável lembrar mais uma vez o falecido secretário nacional do Meio Ambiente José Lutzenberger, segundo quem não há nada melhor para o crescimento do PIB que um terremoto, porque os prejuízos não entram na conta, enquanto as obras de reconstrução o fazem subir). Além disso, há certas mudanças de qualidade muito rápidas - como nas áreas de comunicação e informação, entre outras - que são difíceis de medir e deixam de ser incorporadas. Isso ocorre também com transações por via eletrônica. O resultado final é que o PIB pode superestimar ou subestimar muitas coisas.

Cinco caminhos foram então escolhidos nessa tentativa de lidar com as deficiências do PIB:

Considerar nas contas nacionais outros indicadores além do PIB;

avaliar melhor o desempenho de atividades-chave hoje esquecidas, principalmente serviços de educação e saúde;

incorporar nos cálculos atividades domésticas e até valorar o padrão de vida;

levar em consideração informações sobre distribuição da riqueza e da renda;

e ampliar a avaliação de atividades fora do mercado que hoje não se refletem nas contas nacionais.

Um dos exemplos mencionados com mais ênfase é o dos serviços domésticos, que, para a comissão, podem equivaler a 30% do PIB. Atividades de lazer podem valer mais ainda. E seria preciso também levar em conta diferenças hoje esquecidas, como as que separam duas pessoas com a mesma renda - por exemplo, morar em casa própria ou em residência alugada. Ou a depreciação rápida de bens de vida curta, como computadores e softwares, que não podem ser avaliados pelos mesmos critérios de uma usina de fabricação de aço, por exemplo, em geral de vida longa.

Mais grave e complicado ainda é não levar em conta, hoje, a depleção de recursos naturais já escassos, assim como a deterioração do meio ambiente. São ângulos decisivos na grave crise ambiental enfrentada pelo planeta, mas que não se refletem nas contas do PIB. Como lembra essa comissão, há até lobbies em plena ação para impedir que essas contas sejam feitas, dada a repercussão que terão em certos setores de atividades econômicas.

Outro aspecto: as atuais contas, por exemplo, não consideram no PIB remessas de lucros para fora dos países onde foram gerados, que têm forte influência tanto nas contas nacionais como no cálculo da renda total e pessoal. É citado o caso da Irlanda, onde a contabilização desse tipo de remessa reduziria o PIB em 10%. Mais um aspecto: capital humano, que pode significar 80% de toda a riqueza, também não entra nas contas do PIB.
Leia mais

Twitter

Manchetes do dia

Sexta-feira, 24 / 07 / 2009

Folha de São Paulo
"Desemprego tem a menor taxa do ano"

Índice foi de 8,1% em junho, diz o IBGE; recuo deve-se à alta nas contratações e à desistência de procurar trabalho

A taxa de desemprego nas seis principais regiões metropolitanas do país recuou para 8,1% no mês passado, após ficar estagnada entre março e maio em razão da crise, segundo o IBGE. Em maio, ela havia sido de 8,8%.
Em junho, o desemprego recuou porque cresceram as contratações, mas também porque mais pessoas deixaram o mercado, no que especialistas chamam de desalento (desestímulo de procurar trabalho numa crise).
A queda do desemprego foi mais forte em São Paulo - de 10,2% para 9%. Na região, porém, a geração de vagas pesou menos que o crescimento do desalento para explicar a redução da taxa.
Para o IBGE, o resultado de junho foi a primeira melhora significativa no emprego neste ano. Outros indicadores apontam aumento no otimismo do empresariado - em sondagem feita pela CNI - e na confiança dos consumidores.

O Globo
"Lula relativiza crimes para reforçar a defesa de Sarney"

'Uma coisa é matar, outra é roubar, outra é pedir um emprego, outra é relação de influências e outra é lobby’

Depois de afirmar que o senador José Sarney não pode ser tratado como uma pessoa comum e pedir a procuradores cuidado com a biografia dos investigados, o presidente Lula reforçou ontem a defesa do presidente do Senado, minimizando as acusações que pesam contra o aliado. Alegando que nem todo julgamento é de pena de morte, Lula disse que, antes de punir, é preciso saber o tamanho do crime. "Uma coisa é você matar, outra coisa é roubar, outra coisa é você pedir um emprego, outra coisa é relação de influências, outra coisa é o lobby”, declarou Lula, defendendo que o Senado tem condições de investigar Sarney sem que ele deixe o cargo. Com as gravações que provam sua ligação com atos secretos, o senador começa a perder apoio. Até então sua ferrenha defensora, Ideli Salvatti (SC), líder do governo no Congresso, já admite que a situação se agravou e pode levar o PT a rever sua posição.

O Estado de São Paulo
"Brasil fecha acordo com Paraguai sobre Itaipu"

Taxa paga aos paraguaios vai triplicar, entre outras concessões

Os técnicos de Brasil e Paraguai finalizaram as negociações para um acordo sobre a usina de Itaipu, alvo de 11 meses de conflito entre os dois países, informa a repórter Raquel Landim. Pelo acerto, o Paraguai terá autorização para vender energia, de Itaipu e de outras usinas, no mercado livre brasileiro. Além disso, o valor pago pela cessão de energia subirá de US$ 120,3 milhões para US$ 360 milhões. O pacote brasileiro ao Paraguai inclui ainda a criação de fundo binacional e o financiamento da construção de uma linha de transmissão de energia de Itaipu a Assunção, orçada em US$ 450 milhões. Na prática, as mudanças e a conta para o consumidor brasileiro ainda são pequenas, comparadas com as demandas iniciais do Paraguai o país continuará impedido de vender energia para outros países. O acordo ainda depende da palavra final dos presidentes Lula e Fernando Lugo, que se encontram amanhã para discutir o assunto.

Jornal do Brasil
"Desemprego volta ao nível anterior à crise"

Taxa de emprego melhora e fica igual ao índice de julho do ano passado

Estudo realizado pelo IBGE revela que a taxa de desemprego do país caiu de 8,8%, em maio, para 8,1% da população economicamente ativa em junho. O índice iguala-se ao de julho do ano passado quando o indicador de desemprego iniciou uma queda livre até dezembro, só interrompida pela crise mundial. O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, estimula que o total de desempregados deve fechar o ano em um patamar entre 7% e 7,5%. Para 2010, a expectativa é ainda mais otimista: a volta do índice à casa dos 6,8% ou 6,9%. Segundo nota técnica do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), os trabalhadores com mais de 55 anos foram os mais atingidos pelo desemprego.

Twitter

quinta-feira, julho 23, 2009

Ubatuba em foco

Justiça condena ex-prefeito

Paulo Ramos contratou estrangeiro em sua administração

PMU
A Justiça de Ubatuba condenou esta semana, em primeira instância, o ex-prefeito Paulo Ramos por ter contratado em 2002, um estrangeiro para trabalhar na Prefeitura de Ubatuba, o que fere a legislação brasileira, em seu artigo 37, I da Constituição Federal.

A ação foi proposta pela Prefeitura contra o ex-prefeito e também contra o assessor de governo à época, Casemiro Galvão, já que a nomeação do argentino Fabian Alberto Perez, para ocupar um cargo em comissão na secretaria do meio ambiente, foi feita por eles.

Em sua sentença, o juiz condenou os réus ao ressarcimento integral do dano no valor de R$ 58.000,00, bem como à perda de função pública, suspensão dos direitos políticos por cinco anos, ao pagamento da multa civil e à proibição de contratar com o Poder Público ou receber incentivos fiscais ou creditícios diretamente ou indiretamente do Poder Público através de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de cinco anos.

Além disso, condenou os réus também ao pagamento das custas, despesas processuais e honorários advocatícios arbitrados em dez por cento sobre o valor da causa devidamente atualizado na forma legal. Aos réus, cabe recurso.

Twitter

Política

A culpa da imprensa

Carlos Brickmann no Observatório da Imprensa (original aqui)
O ministro da Comunicação, Franklin Martins, falando para o Ministério, ecoou uma idéia muito difundida: a de que a imprensa repercute apenas atos de oposição na crise do Senado. Franklin acha que a oposição aposta na crise como bandeira política e que se apóia na imprensa, que por sua vez se apóia na oposição.

Martins tem razão: a política no Brasil, hoje, não segue as normas americanas ou inglesas (onde a oposição se chama "Oposição de Sua Majestade", indicando que, como a situação, faz parte da elite dirigente do país). A política se transformou num exercício sangrento, onde o importante é vencer, não chegar a soluções que sejam as mais convenientes para o Brasil.

A única objeção que se pode fazer a Franklin Martins, um jornalista competente que sabe observar os fatos, é que esse tipo de política foi exercitado pelos atuais governistas, quando eram de oposição (o próprio senador Aloízio Mercadante, líder do PT no Senado, admitiu que seu partido procurou não permitir que o governo de Fernando Henrique Cardoso tivesse espaço de governabilidade); e, na época, eles não achavam que isso fosse ruim.

O fato é que, seja nos governos anteriores, seja no atual, esse tipo de postura é nocivo ao país. E cria, de um lado, o efeito-manada (os meios de comunicação, munidos por oposicionistas ou por dissidentes governistas de informações e provas sobre irregularidades, comem em suas mãos, abdicando de buscar outros temas e pautas); e, de outro, a tentativa de desmoralizar a imprensa, apontando-a como braço político da oposição. Os dois fenômenos são igualmente nocivos. Ambos conduzem o eleitorado a não acreditar no regime democrático. No caso da tentativa de minar a credibilidade da imprensa, o ataque é direto; no caso do efeito-manada, é indireto, porque conduz a uma enxurrada de escândalos que não se sustentam e não resultam em qualquer tipo de punição.

É engraçado que isso esteja acontecendo no Brasil. Afinal, muitos dos que denunciam hoje o comportamento da oposição fizeram parte de seus quadros, na época em que a oposição era governo. Nelson Jobim, Renan Calheiros, José Sarney, Jader Barbalho, Romero Jucá, Roseana Sarney, tantos outros estão no governo desde Fernando Henrique (e Fernando Collor, o mais recente lulista-desde-criancinha, vem de um governo ainda anterior). Ou talvez seja por isso mesmo que a luta seja tão feroz: eles sabem que, qualquer que seja o resultado, continuarão no poder. Eles são coerentes, estão sempre com o governo. E não têm culpa de que o eleitorado seja tão volúvel e eleja ora um, ora outro.

Twitter

Georges Braque

Pintura - Natureza Morta: Le Jour (1929)

O Cubismo se consolida teoricamente com dois livros: “Du Cubisme” (1912), de Albert Gleizes e Jean Metzinger e “Les peintres cubistes” (1913), de Guillaume Apollinaire. São o embasamento para a aceitação da criação de Picasso e Braque e para a evolução do estilo.

A fase seguinte é conhecida por cubismo sintético, porque busca uma síntese das formas, apoiadas por cores fortes, e figuras mais decorativas e amplas, aproveitando também colagens de vários materiais como jornais, fotografias, ou invólucros de tabaco. Estava aberto o caminho para a anulação do limite do real na pintura.

Nas artes não ficou restrito à pintura, estendeu-se a outras formas como a escultura (Alexander Archipenko, Raymond Duchamp-Villon e Jacques Lipchitz) e a arquitetura, (Le Corbusier).

Na literatura, vários escritores se associam ao movimento plástico, como Max Jacob, André Salmon e, sobretudo, o poeta Guillaume Apollinaire. O cubismo literário afirma-se a partir de um artigo de Georges Polti, aparecido na revista “Horizon” e durará até 1920, sendo divulgado em várias revistas literárias. Tornam-se obras de referência do cubismo literário títulos como “Le Cornet à dés” (1917), de Max Jacob, “Espirales” (1918), de P. Dermée, “Calligrames” (1918), de Apollinaire, e “Le Cap de Bonne-Espérance” (1919), de Jean Cocteau.

Depois do fim da Guerra, Braque passa dois anos em casa de sua família se recuperando do ferimento na cabeça e não pinta. Pouco a pouco, porém, vai se recuperando e retoma suas pesquisas, desenvolvendo um estilo mais pessoal. Nesse período, que foi longo, Braque pinta muitas naturezas-mortas, como a que apresentamos hoje. (Do Blog do Noblat, original aqui)

“Natureza-Morta: Le Jour”, óleo sobre tela, 115x 146,7cm.
Acervo Coleção Chester Dale
Fontes:
http://artista.guillaume-alexandre.com/braque.htm
www.centrepompidou.fr/musee/
Larousse

Twitter

Frases

"Concordo com tudo o que há no mundo, ou melhor, quase tudo. O tempo poderia ter mão e contramão."

Afonso Cordeiro

Twitter

Energia

TCU libera continuidade das obras de Angra 3

Eletronuclear
O Tribunal de Contas da União (TCU) liberou ontem, dia 22.07.09, a continuidade das obras para a conclusão da Usina Angra 3. Segundo a decisão, o valor pactuado entre a Eletronuclear e a construtora Andrade Gutierrez deve ser reduzido em aproximadamente R$ 120 milhões. O TCU já havia decidido sobre a possibilidade jurídica de manutenção do contrato da construtora Andrade Gutierrez para a conclusão das obras. A Eletronuclear terá prazo de 30 dias para cumprir as novas determinações de repactuação do contrato firmado com a construtora.

A íntegra do relatório do TCU está aqui.

Gloria Alvarez
Coordenadora de Imprensa da Eletronuclear
Contatos.: 21 2588.7606 / Cel. 9642.9910
E-mail: galvarez@eletronuclear.gov.br

Juliana Rezende
Assessoria de Imprensa
Contatos: 21 2588-7665
E-mail: jreze@eletronuclear.gov.br

Twitter

Imprensa

Jornais em busca de recuperação de leitores

(Meio & Mensagem-22) : "Jornais investem para atrair novos assinantes. Diários mudam posicionamento e lançam campanhas para ampliar o quadro de leitores e segurar seu espaço na mídia. Segundo o Projeto Inter-Meios, a queda no faturamento publicitário do setor como um todo foi de 9,2% no primeiro quadrimestre do ano. Entre os jornais mais vendidos, (janeiro-maio), do ranking, o popular Extra foi o que mais caiu (-22%), seguido pelo Estado de S. Paulo (-16,5%), Diário de SP (-9,4%), O Globo (-8,4%), Folha de S. Paulo (- 7,1%) e Super Notícia (-5,1%)."

Estado de SP: "Se hoje a informação é de graça, qual é o valor do conhecimento?" "É uma tendência mundial: os premium papers de maior circulação têm caído em função da substituição por outros meios". "O jornal será cada vez mais um espaço de profundidade e análise, mais do que simplesmente fonte noticiosa".

Folha de SP: "A sua assinatura faz a Folha ser cada vez mais Folha."

O Tempo e Super Notícia: "Não investiríamos R$ 50 milhões nesse projeto se achássemos que há um problema".

Extra: "E esse é um jornal que vive de promoções e bom jornalismo."

Globo: "Estamos preocupados com a rentabilidade do título. Então, deixamos de fazer vendas corporativas e ações de permuta para degustação, o que representa uma queda de 14 mil exemplares".

Diário de SP: "Acho que ele está acompanhando o mercado de São Paulo."

Nota do Editor - O futuro dos jornais foi o tema da minha caminhada matinal de hoje. Razão pela qual publiquei o texto do Ex-Blog do Cesar Maia. Gosto de experimentos mentais, hábito adquirido no estudo de Física. Eu me questiono e só me satisfaço com a resposta se os argumentos tiverem consistência. Caso não fique convencido recorro às pesquisas. A pergunta de hoje foi: os jornais vão acabar? Respondi a mim mesmo que há uma clara evidência no universo da mídia. Os jornais de papel perderam a capacidade de informar. A notícia publicada sempre está atrasada, os meios eletrônicos são mais rápidos e completos. O jornal que recebo pela manhã parece coisa antiga, estampa o que aconteceu ontem. No entanto, a repercussão é da maior importância, procuro nos jornais comentários, aprofundamento. Sinceramente, não tenho encontrado, na Internet as opções são maiores. Sou leitor de colunistas, gosto de Daniel Piza, Carlos Heitor Cony, Elio Gaspari, Nelson Motta, Angeli... Compro jornais por causa deles. Chego a imaginar que se não fossem os colunistas os jornais acabariam. Notícia imediata é com a Internet, cada dia mais completa e acessível. O quê? Quando? Onde? No Ubatuba Víbora. (Sidney Borges)

Twitter

Brasil, entenda se puder...

Em defesa do PT

Do Blog do Noblat (original aqui)
O que o PT fez de mal a Lula para que ele o humilhe dessa forma?

O partido jamais teve afinidade com o senador José Sarney (PMDB-AP).

Lula, contudo, obriga o partido a defender Sarney às custas de um tremendo desgaste.

O PT não escolheu Dilma Rousseff para ser candidata a presidente. Por iniciativa própria, jamais a escolheria.


Lula empurrou a candidatura de Dilma goela a baixo do PT. E exige que o PT se prejudique nas próximas eleições estaduais para poder assegurar o apoio do PMDB à Dilma.

O coração do PT é paulista. Foi ali que o partido nasceu. Ali vicejaram Lula e as demais estrelas de primeira grandeza do PT.

Lula está empenhado em fazer de Ciro Gomes (PSB-CE) o candidato do PT ao governo de São Paulo.

Sabe de antemão que Ciro perderá. Quer apenas infernizar a vida do arquiinimigo de Ciro, o governador José Serra (PSDB), para facilitar a eleição de Dilma.

Dane-se o PT mais uma vez.

Não é o PT que governa com Lula. É o ABC paulista. São os irmãos de fé, camaradas de Lula de sua época de sindicato. E o pessoal do Instituto da Cidadania que ele montou dentro do PT.

No final da ditadura militar de 64, ao se referir ao Serviço Nacional de Informações (SNI), o general Golbery do Couto e Silva reconhecia que criara um monstro. Acabou vítima dele.

Lula criou o PT para chegar à presidência da República e, em seguida, desfibrá-lo.

O PT acabou vítima dele.

Twitter

Meio Ambiente


Jorge Mesquita/IL As novas diretrizes para a descentralização do Licenciamento Ambiental foram aprovadas pelo Consema esta semana

Região não está preparada para assumir o licenciamento ambiental municipal

Raquel Salgado do Imprensa Livre (original aqui)
Apesar do interesse e das vantagens em assumir o licenciamento ambiental, os municípios da região ainda não atendem aos requisitos estabelecidos pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente. Segundo os secretários de meio ambiente da região, uma das maiores dificuldades é estruturar as equipes técnicas, pois isto depende da realização de concurso público.

As diretrizes para a descentralização do Licenciamento Ambiental foram aprovadas pelo Conselho Estadual de Meio Ambiente (Consema) esta semana. Elas estabelecem que os municípios interessados devem possuir equipe técnica com profissionais qualificados; devem ainda firmar convênio com a Cetesb; possuir Conselhos Municipais de Meio Ambiente deliberativos e paritários; e garantir ampla divulgação aos projetos licenciados.

João Milanelli, gerente regional da Cetesb no LN, diz que alguns municípios estão demonstrando grande interesse, especialmente São Sebastião e Caraguatatuba. Ele destaca, no entanto, que os interessados precisam antes montar e capacitar suas equipes técnicas para o que chama de “licenciamento de baixo impacto”. Ou seja, projetos cujos impactos ambientais sejam de âmbito local e não extrapolem as divisas do município.

“Penso que o maior desafio para os municípios é garantir a fiscalização dos empreendimentos licenciados. A vantagem, além de obter uma nova fonte de captação de recursos financeiros, é o empreendedorismo, é poder viabilizar o seu desenvolvimento sócio econômico”, afirma Milanelli.

Segundo ele, “mesmo com a implantação do licenciamento pelos municípios, a Cetesb não perderá seu poder de fiscalização e controle. Ela poderá ser acionada a qualquer momento, e por qualquer pessoa, quando um projeto suscitar dúvidas”, garante.

Veja a seguir a situação dos municípios da região no processo de implantação do licenciamento ambiental municipal, com exceção de Ubatuba, cuja secretária de Meio Ambiente não retornou as ligações da reportagem.

Caraguá

Este município já tem a autorização da Câmara Municipal para realizar o convênio com a Cetesb. “A assinatura deste convênio pode acontecer nos próximos dias”, diz Eugênio Campos Júnior, secretário municipal de Meio Ambiente.

Segundo ele, a dificuldade maior será montar a equipe de fiscalização, pois isto exigirá a realização de um concurso público. “Estamos planejando uma equipe com cerca de 13 fiscais, os gastos para isto já estão incluídos no orçamento do próximo ano e a prefeitura está viabilizando a realização do concurso”, garante o secretário.

Campos Júnior acredita que o licenciamento ambiental poderá ser uma realidade no município “ainda este ano”. Vencida a dificuldade do concurso para os fiscais, ele diz que faltará apenas a capacitação da equipe técnica, que poderá ser suprida dentro do amplo cronograma de capacitação estabelecido pela SMA.

São Sebastião

Além de também enfrentar as dificuldades comuns aos demais municípios, como definição e assinatura do convênio e capacitação da equipe, São Sebastião não atende a outro requisito básico: possuir um Conselho Municipal de Meio Ambiente que seja deliberativo. Traud Rossi, secretária de Meio Ambiente, diz que a mudança da lei que cria o Comdurb visando dar a este conselho o poder de deliberação é justamente um dos itens da reunião que acontece hoje, às 18h30, na Videoteca Municipal.

“O Comdurb já tinha criado uma comissão interna para discutir as alterações necessárias na legislação e o assunto está na pauta de hoje”. Traudi diz que não vê dificuldades em cumprir todas as exigências. Para ela, a grande vantagem do licenciamento municipal é agilizar os processos.

Paralelamente, no entanto, Traud expressa preocupação com “a enorme responsabilidade que o município vai assumir com o licenciamento. Estaremos lidando com supressão de vegetação, por exemplo. O que nos tranqüiliza é contar com o monitoramento da Cetesb”, afirma.

Ilhabela

Cristina Harikawa, secretária de Meio Ambiente de Ilhabela, diz que o município ainda não está preparado para assumir o licenciamento ambiental. “Não temos os recursos humanos e toda a equipe técnica necessária. Isto depende inclusive de uma reforma administrativa para a criação destes cargos. Os estudos para realizar a reforma já foram iniciados pela prefeitura e ela deve sair no próximo ano”, afirma a secretária.

“Ilhabela tem interesse nisto, mas não podemos perder qualidade. Esta é nossa preocupação maior, pois não adianta o município assumir o licenciamento ambiental sem ter condições técnicas de realizar isto, só para constar, aí a gente acaba retrocedendo numa área tão difícil de avançar como é o meio ambiente”, explica Harikawa.

Consema aprova diretrizes para o licenciamento municipal

Os membros do Conselho Estadual do Meio Ambiente (Consema) aprovaram na última terça-feira, as Diretrizes para a Descentralização do Licenciamento Ambiental no Estado de São Paulo. Foram aprovados alguns complementos ao texto original enviado pela SMA. Entre eles a necessidade de celebração dos convênios visando o licenciamento ambiental de empreendimentos e atividades de impacto local, entre a CETESB e os municípios, sendo que estes deverão demonstrar a existência e funcionamento de um Conselho Municipal de Meio Ambiente de caráter deliberativo e paritário.

Os municípios também deverão comprovar a existência de profissionais qualificados e legalmente habilitados pelos seus respectivos órgãos de classe. O texto aprovado afirma que, sempre que necessário, a Cetesb avocará o licenciamento ambiental dos empreendimentos e atividades que impliquem em impactos ambientais que ultrapassem os limites territoriais do município, “podendo qualquer interessado encaminhar questionamento acerca da abrangência dos impactos do empreendimento”.

Por fim, entre as diretrizes ressaltou-se que, no exercício do licenciamento, o município dará publicidade aos pedidos de licenças, assegurando à sociedade e a todos os municípios limítrofes informações técnicas, especialmente aquelas que permitam avaliar a extensão territorial dos impactos ambientais das atividades objeto de pedido de licenciamento, “inclusive publicando as informações no sistema de informação da Cetesb”.

Uma única pendência, que deverá ser apreciada para aprovação específica, pelos conselheiros, na próxima reunião mensal do plenário do Consema, é a relativa à lista de atividades e empreendimentos de impacto tipicamente local. O texto completo aprovado no encontro da última terça deverá ser disponibilizado nos próximos dias, no site do Consema http://www.ambiente.sp.gov.br/consema.php.

Twitter

Opinião

Linhas ocupadas

Editorial do Estadão
É material didático de primeira ordem para um curso introdutório de ciência política, quando se trata de explicar o conceito de patrimonialismo - a apropriação dos bens públicos por grupos enquistados em instâncias dos poderes de Estado -, descrever como o esquema funciona numa situação concreta e analisar a mentalidade dos envolvidos. O material são transcrições de telefonemas interceptados pela Polícia Federal, com autorização judicial, no curso da Operação Barrica. A investigação, por sinal, levou ao indiciamento, por lavagem de dinheiro, tráfico de influência e formação de quadrilha, do primogênito do presidente do Senado, o empresário Fernando Sarney, que cuida dos negócios da família no setor de comunicação. A nora do senador, Teresa Murad, e outros oito suspeitos também foram indiciados.

Na quarta-feira da semana passada este jornal revelou a existência de gravações nas quais Fernando, a sua filha Maria Beatriz e o senador José Sarney cuidam, a pedido dela, da nomeação do seu namorado Henrique Bernardes para o cargo de assessor parlamentar. O lugar tinha ficado vago porque o seu ocupante, Bernardo Brandão, meio-irmão de Maria Beatriz, mudara de emprego. Ontem, o Estado publicou o teor das conversas. Elas documentam mais do que um caso trivial de exercício do poder oligárquico e nepotismo. São uma amostra viva da absoluta naturalidade com que o clã opera para acertar o que, afinal, não passa de uma insignificância - o salário da vaga era de R$ 2,7 mil - perto dos valores com que os Sarneys lidam com desenvoltura, a julgar pelo retrospecto.

Mas o coronelato político também se mantém com miudezas - nomeações de parentes, pequenos favores a colegas, amigos e agregados, uma boa palavra junto ao interlocutor certo para aliviar a dor de cabeça de um apaniguado, entre outros procedimentos do gênero difíceis de entender longe dos costumes e da lógica dos grotões. Mais difíceis de entender, por exemplo, do que um desvio de R$ 500 mil de um patrocínio cultural de R$ 1,3 milhão, como o que a Petrobrás concedeu à Fundação José Sarney. O que importa, em todo caso, é o modus operandi. O episódio da boquinha no Senado começa em 30 de março do ano passado com uma ligação de Maria Beatriz para Fernando. "Você acha que dá pro Henrique entrar na vaga dele (Bernardo) ou não?", ela pergunta. "Podemos trabalhar isso sim", responde, evidentemente sem se dar conta da ironia que o verbo embute nas circunstâncias.

E já nesse primeiro movimento se descortinam as relações espúrias entre o filho do poderoso senador e o também poderoso, à sua maneira, Agaciel Maia, a quem o pai nomeara diretor-geral do Senado 13 anos antes. "Amanhã tu tem que me ligar, pra eu falar com o Agaciel", cobra Fernando. No dia seguinte, ele contará à filha que pediu ao outro, que alegara não ter autonomia para atendê-lo: "Pelo menos, ô Agaciel, segura a vaga." Promete "falar com papai ou mesmo com o Garibaldi (o então presidente do Senado Garibaldi Alves)". A relutância de Agaciel, que nem sequer aceitara ficar com o currículo do candidato da família, leva Maria Beatriz e Fernando a acionar o avô e pai. Telefona daqui, telefona dali, finalmente o empresário fala com um ajudante de ordem do senador e abre o jogo: "O irmão da Bia, quando papai era presidente do Senado, eu arrumei emprego pra ele lá. Ele agora tá saindo e eu liguei pro Agaciel pra ver a possibilidade de botar o namorado da Bia lá. Porque me ajuda, viu, é uma forma e tal de dar uma força pra mim." Pouco depois, filho e pai conversam. Sarney lhe pergunta se já tinha falado com Agaciel. Ao saber que sim, acede: "Tá bom. Eu vou falar com ele." E aproveita para informar que "ontem foi assinado o negócio da TV de Estreito, a repetidora (do grupo familiar)". O filho exulta: "Beleza, ótima notícia, tá, paizão, obrigado." Passados oito dias, Agaciel Maia assina o ato - secreto - de nomeação do namorado da filha do senador. Um entre 544, pela mais recente contagem. Outros serviram para nomear ou exonerar um irmão, uma cunhada, um neto e sobrinhas do cacique maranhense.
Leia mais

Twitter


Manchetes do dia

Quinta-feira, 23 / 07 / 2009

Folha de São Paulo
"AmBev leva multa recorde por concorrência desleal"

Cade condena empresa, que nega acusação, a pagar R$ 353 mi; cabe recurso

O Cade (Conselho Administrativo de Defesa da Concorrência), órgão do governo, condenou a AmBev a pagar R$ 352,69 milhões por concorrência desleal. A empresa detém 68,9% do mercado de cervejas no Brasil.
É a maior multa aplicada pelo órgão contra uma empresa e supera todas as já determinadas por agências reguladoras no país. Ela equivale a 2% do faturamento bruto da AmBev em 2003, descontados os impostos.
O processo fora aberto em 2004, pela rival Schincariol. O Cade considerou que um programa de fidelidade da AmBev levou donos de bares a acreditar que, ao aderir a ele, teriam que vender apenas as marcas da empresa.
A AmBev pode recorrer no Cade e na Justiça. Em nota, a empresa, que nega prática desleal, disse ter recebido com "surpresa" a decisão e afirmou que, quando conhecer seu teor, avaliará as medidas cabíveis.

O Globo
"Gravações complicam Sarney no Senado por falta de decoro"

PF descobre que filho de senador tinha informante até na Abin

Aumentaram os pedidos de abertura de processo contra o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), por quebra de decoro parlamentar, depois que foram divulgadas gravações que o ligam diretamente ao escândalo dos atos secretos. As conversas mostram Fernando Sarney, filho do senador, pedindo a interferência do pai junto ao então diretor-geral da Casa Agaciel Maia, para garantir a nomeação do namorado da filha Maria Beatriz Sarney, a Bia, para um cargo na instituição. O rapaz acabou nomeado por ato secreto. A PF requisitará as fitas para investigar o caso. Sarney culpou o PT pelas denúncias, e disse que não renuncia. Outras gravações mostram que Fernando Sarney tinha informantes até na Abin. Na posse do procurador-geral da República, Lula pediu cuidado com a biografia dos investigados.

O Estado de São Paulo
"Lula pede cuidado com 'biografia de investigados'"

Presidente já havia dito que Sarney não é uma 'pessoa comum'

Na solenidade de posse do novo procurador-geral da República, Roberto Gurgel, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu cuidado com a história dos investigados. "O Ministério Público tem o dever de agir com a máxima seriedade, não pensando apenas na biografia de quem está fazendo a investigação, mas pensando, da mesma forma, na biografia de quem está sendo investigado", afirmou. Lula já tinha declarado que o presidente do Senado, José Sarney, alvo de uma série de denúncias, não pode ser tratado como “pessoa comum”. O novo procurador-geral prometeu lutar contra propostas que limitem o poder de investigação do Ministério Público. "É preciso que o órgão continue tendo a liberdade para combater todas as ameaças aos direitos dos brasileiros", disse Gurgel.

Jornal do Brasil
"Brasil já é o 4º preferido das multinacionais"
Relatório da Unctad, braço da ONU para o comércio exterior e o desenvolvimento, mostra que o Brasil é o quarto país mais atraente para grandes investidores internacionais. Fica atrás de China, EUA e Índia, e à frente de Rússia e Reino Unido. Segundo o documento, que radiografa o interesse externo até 2011, o grupo dos Bric continua entre as prioridades por conta “do considerável crescimento de seu mercado, do acesso à mão de obra barata e, em alguns casos, a recursos naturais". Ásia e América Latina são as regiões tidas como mais atraentes.

Twitter

Clique sobre a imagem e saiba mais

quarta-feira, julho 22, 2009

Coluna do Moromizato

Copa do Mundo no Brasil – Projeto Ubatuba 2014

A CPI da Santa Casa de Ubatuba – Assistência Hospitalar

Maurício Moromizato
Dentro do tema que escolhi para produzir meus textos a partir de agora, ou seja, a oportunidade de aproveitar a copa do mundo no Brasil e desenvolver o projeto UBATUBA 2014, desenvolvi um roteiro em que o tema saúde seria abordado mais à frente. Os fatos, porém atropelam os planejamentos, com muita freqüência.

Como todos sabem, na semana passada tivemos aprovada a instalação da CPI da Santa Casa de Ubatuba, aprovada pelos nossos vereadores em sessão extraordinária. É o assunto do momento na política da cidade, e como a imprensa “chapa branca” não diz nada e nem investiga, as informações só chegam aos poucos e a poucas pessoas.

Mas agora, uma vez instalada, a CPI deixa de ser um desejo ou um reclamo de usuários insatisfeitos e da “oposição derrotada” e passa a ser uma obrigação dos nossos vereadores, principalmente levando em conta o sentimento reinante na cidade de que “a câmara dos vereadores não tem independência e só diz amém”.
A Santa Casa de Ubatuba encontra-se sob intervenção (requisição administrativa) da prefeitura municipal de Ubatuba, desde 2005. A responsabilidade pelos seus atos desde então é da secretaria de saúde e da prefeitura.

Entre os desmandos ocorridos, podemos citar alguns para que os leitores pesquisem e se informem melhor, para participar de maneira ativa nessa importante área de nossa vida comunitária, que diz respeito a todos nós, moradores e turistas, usuários e potenciais usuários da instituição:

A - A provedoria foi neutralizada, não foi reconduzida e perdeu-se a participação da comunidade nos atos da instituição.

B - O conselho gestor, democraticamente eleito, foi impedido de exercer suas funções. Como já citei aqui, tem como seu coordenador o Sr. Elias Guerra, pessoa altamente capacitada para exercer a função e permitir a participação dos usuários e trabalhadores nos destinos da entidade. Entre seus membros está o atual vereador Claudinei como representante dos usuários. No meu entender o conselho gestor eleito ainda é legítimo.

C - Acabaram-se os plantões e as equipes de várias especialidades, entre elas as de cardiologia e neurocirurgia.

D - Ninguém sabe o que acontece na entidade e na sua administração e muito menos com o dinheiro que a mesma arrecada e gasta. Uma administração que noticia tudo na imprensa “chapa branca” deveria também noticiar o que está acontecendo com a administração da entidade.

E - As Contas da Santa Casa foram reprovadas pelo COMUS.

Além da falta de transparência acima relatada, há na verdade a realidade sentida por todos nós.

Converse você mesmo, leitor e leitora, com alguns médicos de respeito na cidade. Converse com médicos que não atendem lá. Pergunte aos médicos a respeito da instituição e de sua credibilidade.

Quantas pessoas cada um de nós conhece que foram a outras cidades para fazerem parto, cirurgias eletivas? Eu mesmo conheço vários pacientes nessa situação.

Temos todos que estar muito preocupados com essa situação e aproveitar para exigir que essa CPI exerça corretamente sua função.

O problema maior da Santa Casa é a falta de credibilidade, que é assombrosa. Quem pode sai cidade para se tratar e não fala para não ser retaliado pela administração atual. Isso tem que acabar, pois todos podem precisar da instituição em caso de emergência e essa falta de credibilidade influi na nossa economia, no fluxo de turistas, no marketing da cidade, na nossa auto-estima, na nossa segurança enquanto cidadãos.

É hora de todos exigirmos transparência na questão. Dedicação, imparcialidade e independência dos vereadores que compõem a CPI. Informações sobre o que está sendo investigado e encontrado. Publicidade para tudo.

Deixo aqui, baseado no meu conhecimento como ex-presidente do COMUS, algumas perguntas para os leitores, cidadãos eleitores e que devem ser respondidas pela secretaria de saúde, pela prefeitura e pela CPI:

1 - Oficialmente, qual a dívida quando da intervenção, qual era o déficit e qual eram os serviços oferecidos?

2 - Atualmente, qual a dívida da instituição, qual o déficit e quais os serviços oferecidos?

3 – Qual avaliação a secretaria estadual de saúde faz da entidade?

4 – Qual a real situação dos indicadores de saúde pública e assistência hospitalar de Ubatuba?

5 – Qual a opinião dos médicos e funcionários, além dos pacientes, a respeito da instituição?

Algumas informações confiáveis que apurei dizem que já foi contratada uma firma de auditoria, pela câmara dos vereadores e não pela prefeitura. Há disposição de vários vereadores em levar o assunto com muita seriedade.

A bola agora está com a população e principalmente com os formadores de opinião, a exigir seriedade de todos. Não vai dar para aceitar que uma CPI seja instalada apenas para que se demita uma “funcionária desgastada”. Precisamos que se apurem os fatos, se torne pública a situação da entidade e se responsabilize quem de direito.

O tempo urge, nossa vida depende muito da assistência hospitalar, e da Santa Casa. O turismo será muito melhor com um hospital digno e confiável. Melhores médicos terão interesse em se juntar aos que aqui já se encontram para nos proporcionar melhores serviços. Ou seja, todos ganhamos.

E finalizo dizendo que todos estão se mobilizando e se preparando para 2014, na copa do mundo. Na revista “carreira & negócios” número 13, por exemplo, artigo de Marco Aurélio Klein diz que não podemos fazer como a África do Sul, que está com problemas para hospedagem em 2010 e está pedindo ajuda aos vizinhos para resolver o problema. Tirando a cidade de São Paulo, há falta de leitos em todas as cidades do País, visto que a previsão é de 500 mil turistas durante o evento. Para se ter idéia, o Rio de Janeiro tem apenas 11 mil quartos disponíveis. O artigo é finalizado ressaltando que o tempo é muito curto para as obras de infra-estrutura, mas é suficiente para aproveitar as oportunidades. Dentro das nossas oportunidades de absorver esses turistas, ter hospital confiável será uma vantagem competitiva considerável.


Por isso, CPI séria já! Todos por uma assistência hospitalar cada vez melhor!

Pelo projeto Ubatuba 2014.

Twitter



Frases

“Sou um cara que tem saudades da juventude - não do tempo em que fui jovem, mas da juventude em si, do equilíbrio e da elasticidade do corpo, da força dos cabelos, o jato de urina forte, as ereções firmes, a alegria física da juventude”.

Caetano Veloso

Twitter

Lá no cerrado...

Esquenta a frigideira de Sarney

Do Blog do Noblat (original aqui)
Logo mais, no Jornal Nacional, as gravações feitas pela Polícia Federal dos telefonemas que complicam mais ainda a permanência de José Sarney (PMDB-AP) na presidência do Senado.

Twitter

Acidente

Helicóptero, fotos dos destroços

Sidney Borges
As fotos postadas abaixo são de autoria de Ezequiel dos Santos, prestativo colaborador deste blog e ativo batalhador das causas da região sul de Ubatuba. Por telefone Ezequiel nos falou da destruição quase total do aparelho.

- Foi uma pancada e tanto, os ocupantes do helicóptero, João Verdi Carvalho Leite, presidente da Avibras, e sua mulher, Sônia Verdi, não tiveram a mínima chance.

Continuando o relato, Ezequiel informou que o local da queda é de dificil acesso e tem nevoeiro constante, o que dificulta a visibilidade. Mateiros da região encontraram os destroços e avisaram as autoridades.

Twitter








Frases

"Quem pergunta, é bobo por cinco minutos. Quem não pergunta, é bobo para sempre."

Confúcio

Twitter

Georges Braque


Pintura - Fruteira e Cartas de Baralho (1913)

Braque parecia questionar o tempo todo os padrões artísticos convencionais. Na sua aldeia, por exemplo, ele costumava reduzir uma estrutura arquitetônica a uma forma geométrica próxima de um cubo – ou mais precisamente – a um prisma retangular. Quer dizer, a estrutura parecia ser tanto plana quanto ter três dimensões.

Ele e Picasso são indubitavelmente os criadores do Cubismo que tem como traços principais a geometrização das formas e volumes; a renúncia à perspectiva; a ausência do claro-escuro; o volume colorido sobre superfícies planas; a sensação de objetos esculpidos na pintura, às vezes recorrendo a colagens; cores austeras, do branco ao negro, passando pelo cinza, por um ocre apagado, ou um castanho suave.

O nome cubismo tem uma história conhecida: o pintor francês Henri Matisse fazia parte do júri da exposição do Salão de Outono de Paris, em 1908, onde estava exposto o quadro de Braque, “Maisons à l'Estaque”, que Matisse chamou de "caprichos cúbicos". No entanto, o quadro que marcou definitivamente o Cubismo como escola artística foi “Les Demoiselles d‘Avignon”, que Picasso pintou em 1907.

O convívio dos dois amigos e o estreito intercâmbio de ideias e descobertas, conhecido como o período do Cubismo Analítico, só foram interrompidos pela eclosão da Primeira Guerra Mundial. Braque foi convocado e em 1915, devido a um ferimento grave na cabeça, foi dispensado, tendo recebido a Cruz de Guerra por bravura e a Legião de Honra por tão bem servir à França. Ele só voltaria a pintar em 1917. (Do Blog do Noblat, original aqui)


“A Fruteira” é óleo, lápis e carvão sobre tela. 81x60 cm
Acervo : Musée National D’Art Moderne – Centre Pompidou, Paris
Fontes :
http://artista.guillaume-alexandre.com/braque.htm
www.centrepompidou.fr/musee/

Twitter

Dinheiro voando

Recursos para Ubatuba

Sidney Borges
A propósito do release da Eletronuclear postado hoje no Ubatuba Víbora, com a retranca Central Nuclear, enviei a seguinte mensagem à empresa:

Exma. Coordenadora de Imprensa da Eletronuclear, Gloria Alvarez.

Acabei de postar no blog "Ubatuba Víbora" um texto de sua autoria. O título e o primeiro parágrafo estão reproduzidos abaixo.

Angra, Paraty e Rio Claro: foco dos investimentos socioambientais da Eletronuclear, em 2008

Em 2008 a Eletronuclear, investiu R$ 5.300.000,00 junto às prefeituras de Angra dos Reis, Paraty, Rio Claro e outras entidades, nas áreas de esporte, educação, saúde, meio ambiente e cultura, bem como na realização de eventos na comunidade da Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto (CNAAA).

Eu gostaria da sua ajuda para entrar em contato com o setor da Eletronuclear responsável pelos investimentos junto às prefeituras. Ubatuba faz parte das cidades do entorno da CNAAA e teoricamente deveria ser beneficiada.

Atenciosamente,

Sidney Borges

Editor
www.ubatubavibora.blogspot.com

Twitter

Central Nuclear

Angra, Paraty e Rio Claro: foco dos investimentos socioambientais da Eletronuclear, em 2008

Eletronuclear
Em 2008 a Eletronuclear, investiu R$ 5.300.000,00 junto às prefeituras de Angra dos Reis, Paraty, Rio Claro e outras entidades, nas áreas de esporte, educação, saúde, meio ambiente e cultura, bem como na realização de eventos na comunidade da Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto (CNAAA).

Para o programa Fome Zero, do Governo Federal, por exemplo, foram investidos diretamente R$ 73.400,00 através de doação de cestas de alimento e celebrações, como a Semana da Cidadania Infantil e o Natal sem Fome. Já os investimentos realizados para garantir geração de empregos e renda chegaram a R$ 42.900,00.

Os setores de saúde e educação receberam, somente de incentivos diretos, R$ 45.200,00 e R$ 47.700,00, respectivamente. O setor cultural foi beneficiado com R$ 545.000,00; o meio ambiente com R$ 92.000,00; e a infra estrutura com R$ 92.000,00.

Já em convênios firmados com as prefeituras, a Eletronuclear promoveu um aporte de R$ 3.900.000,00 de forma a atender ao Plano de Ação para Atendimento das Condicionantes da Licença Prévia n.279 do IBAMA. Entre eles estavam vigorando, em 2008, os seguintes convênios para beneficiar a comunidade:

· Implantação e manutenção do Centro de Informação sobre Câncer e Anomalias Congênitas na região;

· Implantação do projeto Desenvolvendo o Espírito Empreendedor, com a Associação Junior Achievement do Rio de Janeiro;

· Mútua colaboração com as secretarias estaduais de Saúde e de Defesa Civil;

· Reforma e obras de ampliação para implantar uma UTI neonatal no Hospital Municipal São Pedro de Alcântara, em Paraty;

· Reforma e ampliação do Posto de Saúde de Tarituba, em Paraty.

A empresa também apoiou uma série de comemorações regionais, dentre as quais se destacam os 35 anos do Clube Náutico de Praia Brava e o 5º Jogos Estudantis de Mambucaba. Datas históricas também tiveram o incentivo da empresa, entre elas o Dia da Consciência Negra e festas locais e tradicionais, como a Festa do Divino Espírito Santo, a Festa Junina da Vila Histórica de Mambucaba e a Festa Literária de Paraty (FLIP 2008).

No ano passado, a CNAAA recebeu visitas de comitivas internacionais da Rússia, Coréia, Índia e Inglaterra, assim como diplomatas sul americanos, empresários de Barra Mansa e professores de universidades do Rio de Janeiro. Dentre as autoridades brasileiras que estiveram no sítio destacam-se o deputado federal José Genoino e o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão.

O Espaço Cultural Eletronuclear, localizado no Centro de Angra dos Reis, abrigou exposições e lançamentos tais como: a do Calendário 2008 e do Livro Olhares, com apresentação do Grupo de Danças Folclóricas de Tarituba, e a II Exposição "PINTURAS DO CAIS", projeto que nasceu da necessidade de divulgar a produção de pinturas feitas por portadores de deficiência mental. Só no ano passado, o Espaço recebeu 15.718 visitantes. A fim de ampliar ainda mais a difusão cultural na região foi inaugurado o Espaço Cultural Eletronuclear em Lídice/Rio Claro, onde também estão sendo promovidas exposições e eventos apoiados pela empresa.

Gloria Alvarez
Coordenadora de Imprensa da Eletronuclear
Contatos.: 21 2588.7606 / Cel. 9642.9910
E-mail: galvarez@eletronuclear.gov.br

Juliana Rezende
Assessoria de Imprensa Contatos: 21 2588-7665
E-mail: jreze@eletronuclear.gov.br

Twitter
 
Free counter and web stats