sábado, setembro 20, 2008

Palavras

Palavra do dia: SUBSÍDIO (sub.sí.di : o)

Uma das razões do crescimento, tanto no número de produções quanto na qualidade dos filmes nacionais é o subsídio que o governo concede a diversas produções cinematográficas, rigorosamente selecionadas.
A palavra “subsídio” tem sua origem no latim ‘subsidium’ e designa a quantia ou benefício financeiro dado pelo Estado para obras de interesse da população, como na indústria, na agricultura , na cultura etc.


Definição do dicionário “Aulete Digital’:

SUBSÍDIO (sub.sí.di:o) [sí]
Substantivo masculino.
1 Quantia que o Estado fixa ou subscreve para obras de interesse público ou a setores (como a indústria, agricultura, etc.) de importância para a economia do país; SUBVENÇÃO: subsídio ao teatro.
2 Quantia dada por um Estado a outro devido a alguma aliança ou acordo.
3 Bras. Vencimentos dos membros do legislativo.
4 Informação ou elemento importante para a compreensão de um assunto, texto etc., ou para a realização de uma tarefa; DADO: Buscava subsídios para a defesa da ré. [M.us. no pl, nas acps. 4 e 5]
5 Ajuda pecuniária ou de outra ordem, dada a pessoas ou instituições em dificuldades: O governo estabeleceu um subsídio para as vítimas do terremoto.

[F.: Do lat. subsidium, i. Hom./Par.: subsídio (sm.), subsidio (fl. de subsidiar).]

Ubatuba em foco

Embratur dá destaque às aves de Ubatuba

Carlos Rizzo

Faço questão de dividir com vocês o folheto em PDF (disponível para download). Caminhamos a passos largos na divulgação da nossa maior riqueza turística que é a exuberante natureza que emoldura a nossa cidade.
Este folheto foi uma reivindicação feita no último Avistar Brasil, temos a necessidade de dizer ao mundo o nosso potencial de turismo de observação e a Embratur caprichou!
A Embratur é responsável pela divulgação do turismo no Brasil, no exterior e este folheto estará presente em todos os eventos, todas as feiras, todas as embaixadas e consulados. Onde houver o nome do Brasil lá estará este folheto para divulgar, e junto, o nome de Ubatuba.
Que me desculpem pela ignorância, mas não conheço nenhum outro material que tenha levado o nome de Ubatuba de maneira tão positiva a tantos milhões de pessoas.
Baixem o arquivo (1,1 MB de tamanho) em PDF e vejam o primor do trabalho, a qualidade do material e a importância do nome de Ubatuba estar destacada no mapa do Brasil e no destino “Floresta Atlântica”.

françoise hardy

sexta-feira, setembro 19, 2008

Aos leitores

Postagens difíceis

Caros amigos, o Blogger endoidou, as postagens não estão entrando na ordem e isso está transtornando o nosso trabalho. As "Manchetes do dia", por exemplo, aparecem abaixo dos últimos posts colocados ontem. Mistérios eletrônicos. Esperamos que a coisa se normalize durante o dia. Os novos textos vão aparecer abaixo deste até o mecânico consertar a chapuleta da grampola.

Sidney Borges

Brasil

Ninguém segura este país

Diogo Mainardi
Um empresário tinha um projeto para montar uma usina de biodiesel em Caarapó. O que ele fez para acelerar o licenciamento do governo? Telefonou para Marcelo Sato, genro de Lula, e disse:

– Nosso processo está na área jurídica da ANP. Preciso que você fale com o diretor ou o presidente.

O genro de Lula obedeceu:

– Estou ligando agora.

A conversa foi grampeada pela PF e vazada ilegalmente, na última quarta-feira, para a imprensa catarinense. O genro de Lula é mencionado em outros grampos. Num deles, o mesmo empresário manda um de seus funcionários comprar imediatamente um computador portátil para Marcelo Sato, argumentando que ele o punha "na frente do presidente, do ministro". Feche os olhos e reúna todos os elementos desse episódio: usina de biodiesel, Caarapó, genro de Lula, diretor ou presidente da ANP, grampos da PF, vazamentos ilegais, computador portátil, presidente da República, ministro. Qual é o resultado? O resultado é um retrato do nosso atraso, do nosso primarismo. É como se fosse o Mercado de Escravos na Rua do Valongo, de Debret, só que ainda mais tosco. Captura, numa única cena, com pinceladas esparsas, a nossa indolente selvageria. Na falta de um Debret, temos os grampos naturalistas da PF.

Duas semanas atrás, no Ministério da Fazenda, Dilma Rousseff anunciou o fim do neoliberalismo. Aparentemente, era a senha que o mercado financeiro internacional aguardava para implodir. Atendendo à peremptória palavra de ordem da ministra da Casa Civil, os maiores investidores do mundo venderam atabalhoadamente todos os seus ativos. A queda da Bolsa de Valores de Nova York foi comparada à de 1929. Os jornais americanos passaram a evocar imagens daquele tempo. Filas de desemprego. Mendigos nas ruas. Bancos falidos. Por alguns dias, os Estados Unidos sentiram-se num melodrama de Frank Capra, à espera do galante Mr. Deeds. Enquanto isso, Lula, o nosso Mr. Deeds, o Gary Cooper de Caetés, fazia chacota dos americanos, passando um pito no presidente George W. Bush e garantindo que o Brasil estava imunizado contra a crise financeira. O Brasil ainda é aquele retratado por Debret: arcaico, analfabeto, corrupto, piolhento, com sua economia baseada em matérias-primas. E nossos governantes ainda ostentam aquela triste pompa imperial, que se esfrangalha diante da realidade.

No número especial que comemora os 40 anos de VEJA, foram selecionadas as frases que melhor sintetizam o período. A primeira delas é o lema da ditadura militar: "Ninguém segura este país". A última foi pronunciada recentemente por Lula: "Ninguém segura este país". De quarenta em quarenta anos, o Brasil acredita que chegou a hora de sair da Rua do Valongo. Mas a gente sempre acaba sendo arrastado de volta para lá. (Do Trem Azul)

Objeto do desejo...


Palmer-Singer Model XXXIIC; Limousine, 28-30 h.p.

Energia

Centro de pesquisas nucleares abre suas portas para visitação pública

Evento realizado pelo CDTN, de Belo Horizonte, contará com a participação de instituições do setor nuclear de todo o Brasil

Fonte Nuclear
Nos dias 23 e 24 de setembro, o Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear (CDTN), em Belo Horizonte (MG), realizará mais uma edição do “CDTN Portas Abertas”. Durantes dois dias, o centro de pesquisas mineiro abrirá suas instalações à visitação pública. Os visitantes poderão conhecer os laboratórios da instituição e conversar com seus técnicos e pesquisadores. O objetivo do evento, que acontece desde 1997, é mostrar as atividades do centro à sociedade e sua contribuição para o desenvolvimento tecnológico do país, para a melhoria da qualidade de vida da população e o avanço da ciência brasileira.Entre 8h e 17h, os visitantes poderão conhecer 30 laboratórios do CDTN, como o reator de pesquisa nuclear, o laboratório de irradiação gama e os laboratórios de nanotecnologia. Já está programada a visita guiada de 45 escolas técnicas, de ensino médio e universidades. Também podem ser feitas visitas livres a qualquer hora. Haverá um mapa disponível na portaria para que os visitantes possam adequar a visita aos seus interesses. A expectativa é de que cerca de 2.500 pessoas passem pelos corredores do centro durante o evento.Para o coordenador do “CDTN Portas Abertas”, Paulo Ney de Araújo Barros, o evento é uma forma de aproximar a população da ciência. “Tão importante quando desenvolver a ciência e a tecnologia é difundi-las. O evento serve como uma prestação de contas à sociedade. Estamos buscando soluções em áreas como medicina nuclear, geração de energia elétrica e meio ambiente. Queremos mostrar tudo isso para a população”, ressalta.Barros afirma que a visita de um grande número de estudantes e instituições de ensino é importante, pois pode despertar o interesse dos jovens pela ciência. “É importante para mostrar que tudo aquilo que eles estudam tem uma aplicação. Serve para aproximar a teoria da prática”, destaca.Pelo segundo ano consecutivo, o “CDTN Portas Abertas” contará com a participação de instituições do país inteiro que trabalham com a tecnologia nuclear, reunidas em um espaço de 150 metros quadrados. Além do próprio CDTN, estarão presentes o Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen), de São Paulo; o Instituto de Engenharia Nuclear (IEN) e o Instituto de Radioproteção e Dosimetria (IRD), do Rio de Janeiro; e o Centro Regional de Ciências Nucleares do Centro-Oeste (CRCN-CO), de Goiás. Todos são vinculados à Comissão Nacional de Energia Nuclear (Cnen). Além disso, também estarão em Belo Horizonte a Eletronuclear, as Indústrias Nucleares do Brasil (INB), a Nuclebrás Equipamentos Pesados (Nuclep) e o Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo (CTMSP).Barros afirma que a presença dessas instituições – além da grande demanda por parte das escolas e universidades – motivou o CDTN a ampliar a duração do evento para dois dias. “É uma oportunidade única, pois, praticamente, todo o setor nuclear brasileiro estará reunido em um mesmo espaço. Os nossos visitantes poderão ter uma boa idéia do que é o uso da energia nuclear no Brasil e tirar qualquer dúvida”, conclui.

Abdib e Coppe-UFRJ lançam MBA em energia nuclear

Motivada pela retomada dos investimentos no programa nuclear brasileiro, a Associação Brasileira da Infra-estrutura e Indústrias de Base (Abdib) está oferecendo, em parceria com o Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Coppe-UFRJ), um MBA em energia nuclear. O curso é voltado para engenheiros e outros profissionais de ciências exatas. As aulas terão início no dia 29 de setembro, no Clube de Engenharia (Av. Rio Branco 124, 18º andar, Centro, Rio de Janeiro). As inscrições podem ser feitas no site da Abdib (www.abdib.org.br/educorp).

Manchetes do dia

Sábado, 20 / 09 / 2008

Folha de São Paulo
"Bolsas disparam à espera de megapacote"
A preparação, pelo governo Bush, de um pacote anticrise fez a semana dos mercados terminar em euforia. O índice Dow Jones, o principal da Bolsa de Nova York, subiu 3,35%. A Bovespa disparou 9,57%, maior alta desde janeiro de 1999. As Bolsas de Londres e Paris tiveram seus maiores avanços num único dia. Em Moscou, o pregão foi interrompido pela valorização repentina alta de 28,7%.

O Globo
"Após depressão socorro oficial leva euforia a bolsas"
Para enfrentar a alta da moeda americana, o presidente do BC, Henrique Meirelles, anunciou que voltará a vender dólares no mercado, o que não fazia desde fevereiro de 2003. A pressão de estrangeiros resgatando aplicações no Brasil para cobrir perdas no exterior fez a cotação subir 5%. No fechamento, o dólar recuou e ficou em R$ 1,93, com alta de 3,32%. Mas quem precisou de dólar turismo viu que a moeda já passa de R$ 2. Os bancos centrais de EUA, Suíça, Canadá, Inglaterra e Japão, junto com o Banco Central Europeu (BCE), fizeram ação conjunta de US$ 180 bilhões para socorrer instituições pelo mundo. Com isso, as bolsas reagiram bem. O índice Dow Jones subiu 3,86% e a Bovespa, 5,48%. Em Moscou, não houve negócios, pelo segundo dia.

O Estado de São Paulo
"Plano dos EUA para crise terá 'centenas de bilhões de dólares'"
O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Henry Paulson, anunciou ontem um plano de "centenas de bilhões de dólares" para comprar ativos podres de bancos e estabilizar o sistema financeiro. "O plano precisa ser grande o suficiente para fazer diferença e chegar ao âmago do problema." O projeto americano será um super-Proer - sigla do programa de socorro aos bancos criado em 1995 pelo governo brasileiro.

Jornal do Brasil
"Cofre aberto para a crise"
Tesouro americano promete pacote bilionário e bolsas de valores têm dia de altas recordes.

Meio Ambiente

Dia Mundial de Limpeza de Rios e Praias 2008

Andressa Derencius
Neste sábado, 20/9, acontecem as atividades do Dia Mundial de Limpeza de Rios e Praias 2008. O evento, conhecido como International Coastal Clean Up (ICC) promovido mundialmente pela ONG americana a Ocean Conservancy em 120 países, chega a sua 15ª edição como responsável pela maior mobilização de voluntários em todo o mundo por uma causa ambiental.
Durante a ação, que sempre ocorre no terceiro sábado de setembro, cerca de 35 milhões voluntários de todas as partes do mundo vão às praias e às margens dos rios, coletarem o lixo depositado diretamente pelos usuários locais ou por descargas no mar originadas de embarcações ou dos próprios rios.
Em São Paulo, coordenado pela ASSU-Ubatuba, o Dia Mundial de Limpeza de Rios e Praias 2008 contará com mais de 3800 voluntários, com atuação em 96 praias, costeiras, mangues e rios. Serão 40 ONGs participantes, instituições públicas e privadas, crianças a idosos, pequenas associações a empresas multinacionais. Todos em luta para efetivar mudanças na situação dos rios e mar.
A SABESP disponibilizará boa quantidade de luvas, sacos, faixas e água suficiente para as ações do Dia Mundial de Limpeza de Rios e Praias 2008.
As dez toneladas de resíduos encontrados em São Paulo em 2007, justificam estes esforços. Todo o volume de "lixo" foi catalogado de acordo com sua composição e atividade geradora. Foram registrados 251.279 itens diversificados. Dentre estes, se destacaram por quantidade as 68.605 bitucas de cigarro, as 20.124 sacolas plásticas e os 34.815 canudinhos.
"Aproveite o próximo sábado para viver uma experiência diferente. Colete, ainda que só por 10 minutinhos, um pouco do lixo que se encontra em sua praia ou rio favorito. Reflita sobre aquilo que encontrar" convida Caio M. Antonio da ASSU-Ubatuba e responsável pela coordenação estadual (SP). "Independente do vínculo com as equipes que estarão em ação, todos podem contribuir", conclui.
Os resultados obtidos com a atividade em todo o mundo são enviados para ONU, que é responsável pela IOC (Comissão Intergovernamental Oceanográfica). São esses resultados mundiais que permitem a IOC convencer os países a se tornarem signatários do "MARPOL Treaty" - Tratado Internacional de Controle de Poluição Marinha.
Marcelo Palma, coordenador das atividades em Ubatuba e do Instituto Bicho Preguiça, frisa a importância do trabalho na conscientização direta e indireta que o movimento proporciona, pois traz à tona a questão dos 5 R´s. "Esse s conceitos devem ser praticados no dia a dia de todos, e consistem em: Reduzir, Reutilizar, Reciclar, Repensar e Recusar. O primeiro passo é REDUZIR a quantidade de lixo que a gente produz. Depois REUTILIZAR tudo que pudermos e RECICLAR. REPENSAR nosso comportamento diário e RECUSAR produtos que agridem a saúde a ao meio ambiente também é colaborar com o processo de conservação."
A Associação Socioambientalista Somos Ubatuba está preocupada com a qualidade das águas de Ubatuba. A ONG prima por resultados inqüestionáveis e está empenhada a contribuir para a resolução do problema.

Região Sul

Cemitério da Maranduba

Maria Chagas Cancellier
Gostaria de perguntar aos vereadores que estão sempre a postos no cemitério da Maranduba: o que fizeram neste tempo todo que estamos questionando a esdrúxula situação em que o cemitério se encontra?
Dando continuidade aos trabalhos de bairros começados na Maranduba, sobre cemitérios, fui a uma reunião na Prefeitura de Ubatuba, onde estavam diversos secretários, vereadora, Cetesb, funerária, (11 pessoas) e todos foram unânimes na construção de um novo cemitério e de providência urgente no antigo. O secretário municipal de Arquitetura e Planejamento Urbano, encarregou-se de enviar naquele mesmo dia, ofício a CETESB, dando início a estudos sobre o novo.
Marcou também outra reunião para conhecer a realidade do velho cemitério, como de fato veio, viu e ficou horrorizado, prometendo a diversas pessoas presentes no local, que faria 60 gavetas para ossuário, por ser a situação mais prática em face da urgência presenciada por ele. Esta seria a primeira providência a ser tomada com relação ao velho cemitério.
Todos os presentes, ouviram, concordaram e tenho certeza, acreditaram nas palavras do secretário, que não as cumpriu.
Procurando notícias sobre a situação, um mês depois, a Cetesb, ainda não havia recebido nenhum documento. Igualmente o Encarregado de Cemitérios, não tinha conhecimento de novos fatos, não sendo ele procurado para nada, por parte do secretário.
A situação até agora, que eu saiba, não mudou em nada. Os enterros em covas alheias continuam e o que o secretariado endossou era tudo uma mentira. Talvez por isso só eu, do povo, estivesse presente àquela reunião.
Enfatizo que a vereadora, interessada, acompanhou estas conversas com a Prefeitura, mas parece que nada mais foi feito por ela também, e o caso está esquecido. Eu, presidente da Associação de Moradores, que está correndo atrás desta situação, não sei de mais nada. Não sei se outras o sabem.
Estas atitudes só comprovam que o povo não tem nenhum valor, a não ser na hora do voto.
Maria Chagas Cancellier

Presidente da Associação dos Moradores da Maranduba
assocamma@yahoo.com.br

Pensata

A propósito de homens indiferenciados

H. L. Mencken
O que aflige primariamente os jornais dos Estados Unidos é o fato de que o gigantesco desenvolvimento comercial destes jornais os obriga a atingir massas cada vez maiores de homens indiferenciados, e o de que a verdade é uma mercadoria que estas massas não podem ser induzidas a comprar.
As causas disto estão enraizadas na psicologia do Homo Boobus, ou homem inferior – ou seja, o cidadão normal, típico e predominante de uma sociedade democrática. Este homem, apesar de uma aparência superficial de inteligência, é, na realidade, incapaz de qualquer coisa que possa ser descrita como raciocínio.
As idéias que lhe entopem a cabeça são formuladas por um processo de pura emoção.
Como todos os outros mamíferos superiores, ele tem sentimentos muito intensos, mas, também como eles, falta-lhe capacidade de julgamento. O que o agrada mais no departamento de idéias – e, daí, o que ele tende a aceitar mais como verdadeiro – é apenas o que satisfaz os seus anseios principais.
Por exemplo, anseios por segurança física, tranqüilidade mental e subsistência farta e regular.
Em outras palavras, o que ele exige das idéias é o mesmo que exige das instituições – ou seja, que o deixem livre da dúvida, do perigo e daquilo que Nietzsche chamou de os acasos do labirinto. Acima de tudo, livre do medo, aquela emoção básica de todas as criaturas inferiores em todos os tempos e lugares.
Por isso este homem é geralmente religioso, porque a espécie de religião que conhece é apenas um vasto esquema para alivia-lo da luta vã e penosa contra os mistérios do Universo. E por isto ele é também um democrata, porque a democracia é um esquema para protegê-lo contra a exploração dos seus superiores em força e sagacidade.
E é também por isto que, na miscelânia de suas reações às idéias, ele abraça invariavelmente aquelas que lhe parecem mais simples, mais familiares, mais confortáveis – que se ajustam mais prontamente às suas emoções fundamentais e lhe exigem menos agilidade, resolução ou engenhosidade intelectuais.
Em suma, ele é uma besta. (Do Blog do Noblat)
(Do "Livro dos Insultos" de H. L. Mencken, jornalista cultural de sucesso nos anos 20 e 30 nos EUA).

Ubatuba

CURSOS GRATUITOS promovidos pelo STTR-Ubatuba/FETAESP/Senar:

O Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Ubatuba (STTR), com apoio da CATI (Coordenadoria de Assistência Técnica Integral) está com inscrições abertas para cursos e treinamentos. São 20 vagas cada, as quais podem ser reservadas com até 15 dias de antecedência.

O participante deve ser alfabetizado e levar xerox do RG e do CPF (CIC) no ato da inscrição.

As inscrições podem ser feitas na CATI-Ubatuba (Casa da Agricultura), na Ilha dos Pescadores (ao lado do Mercado de Peixe), fone: 3832.1253 ou na sede do STTR, rua Maranhão, 139 - centro; fone: 3832.1721.

Os cursos têm duração de oito horas/dia (das 8h às 17h), com café e almoço no local e serão ministrados na CATI-Ubatuba, onde há possibilidade de alojamento.

HIDRÁULICA - Instalações de água e esgoto em propriedades rurais (prática) Noções de saneamento e tratamento da água.
Módulo I: dias 27, 28, 29 e 30 de setembro (terça à sexta).
Módulo II: dias 14, 15, 16 e 17 de outubro (terça à sexta).

JARDINEIRO - como instalar e conservar um jardim, preparação das mudas, etc.
Módulo I: dias 4, 5, 6 e 7 de novembro.
Módulo II: dias 18, 19, 20 e 21 de novembro.

ELETRICISTA - Noções básicas de instalações de baixa tensão.
Dias 10, 11, 12, 13 e 14 de novembro.

PROCESSAMENTO ARTESANAL de CARNE de PEIXE - Transformar a carne de peixes em embutidos e defumados por meio de técnicas artesanais para o consumo familiar.
Dias: 8 e 9 de novembro, em local a ser definido.

São Franz?

Vale pode ter mais um santo

Valeparaibano

Após Frei Galvão, o Vale do Paraíba pode ganhar mais um santo. O Vaticano autorizou a abertura do processo de canonização do advogado Franz de Castro Holzwarth, morto a tiros em uma rebelião na Cadeia Pública de Jacareí, em 14 de fevereiro de 1981.
À época, Franz de Castro tinha 38 anos e era vice-presidente da Apac (Associação de Proteção e Assistência aos Condenados). Durante a motim, ele se propôs a ficar no lugar de um policial militar, que era feito refém pelos detentos.
Nascido em Barra do Piraí, no Rio de Janeiro, em 18 de maio de 1942, Franz de Castro veio para Jacareí aos 20 anos, em 1962, para estudar na Faculdade de Direito da antiga Fundação Valeparaibana de Ensino, em São José dos Campos.

Palavras

Palavra do dia: LEILÃO (lei.lão)

Não raro, a Receita Federal realiza leilões de mercadorias importadas irregularmente que são apreendidas durante ações de fiscalização.
A palavra “leilão” tem sua formação no idioma árabe vulgar, da palavra “ala’lam, que signifa “estandarte, aviso, tabuleta’. O termo designa uma venda pública de objetos, que são comprados, cada um deles, por quem oferecer o maior lance, ou seja, propor o maior preço.


Definição do dicionário Aulete Digital:

LEILÃO (lei.lão)
Substantivo masculino:
1 Venda pública de objetos que são arrematados por quem oferecer o maior lance; ALMOEDA; ARREMATAÇÃO; HASTA.
2 Bras. Jur. Hasta pública.
[Pl.: -lões.]
[Formação: Do árabe. vulgar “ala'lam”, 'estandarte, aviso, tabuleta'. Cf.: licitação.]

Justiça

TRE mantém Peixoto na briga

Valeparaibano
O TRE suspendeu na tarde de ontem a cassação da candidatura do prefeito Roberto Peixoto (PMDB) em Taubaté. A decisão permite a Peixoto tentar a sua reeleição, mas mantém a condenação do prefeito em relação à divulgação de propaganda institucional na internet durante período eleitoral, com o pagamento de multa no valor de R$ 5.320 e a obrigatoriedade da retirada da divulgação de obras e ações no site oficial da administração municipal, o que já foi feito. Os advogados de Peixoto devem entrar ainda hoje com um novo recurso no TRE com o objetivo de cancelar o pagamento da multa.

Poema

Namorados - Manuel Bandeira

“O rapaz chegou-se para junto da moça e disse:
- Antônia, ainda não me acostumei com o seu corpo, com a sua cara.
A moça olhou de lado e esperou.
- Você não sabe quando a gente é criança e de repente vê uma lagarta listada?
A moça se lembrava:
- A gente fica olhando...
A meninice brincou de novo nos olhos dela.
O rapaz prosseguiu com muita doçura:
- Antônia, você parece uma lagarta listada.
A moça arregalou os olhos, fez exclamações.
O rapaz concluiu:
- Antônia, você é engraçada. Você parece louca”.

Manuel Carneiro de Souza Bandeira Filho nasceu no Recife no dia 19 de abril de 1886, na Rua da Ventura, atual Joaquim Nabuco, filho de Manuel Carneiro de Souza Bandeira e Francelina Ribeiro de Souza Bandeira. Em 1890 a família se transfere para o Rio de Janeiro e a seguir para Santos - SP e, novamente, para o Rio de Janeiro. Passa dois verões em Petrópolis.
Leia mais sobre Manuel Bandeira

quinta-feira, setembro 18, 2008

Opinião

Para escapar à barbárie urbana

Washington Novaes
Às vésperas de eleições municipais, deveríamos meditar no significado dos números da contagem divulgada há duas semanas, que apontam uma população nacional de 189,6 milhões, quando se acreditava que ela já estaria próxima de 200 milhões. Mais ainda, a contagem mostra que o índice de fecundidade das mulheres já baixou para 1,8 filho, abaixo da taxa de reposição populacional, que é de 2 filhos por mulher (que substituirão mãe e pai, sem aumentar a população), e que se esperava só fosse atingido em meados do século, com uma população em torno de 245 milhões. Isso quer dizer que ultrapassamos o crescimento populacional "explosivo". A população só continuará aumentando nas próximas décadas porque ainda é alto o número de mulheres em idade fértil (por causa das altas taxas de natalidade nas décadas de 60 a 90 do século passado). A persistirem as atuais taxas de fecundidade, a população poderá até reduzir-se em poucas décadas.

É hora, então, de repensar as políticas urbanas. Para que os benefícios da mudança no quadro populacional não venham a ser anulados por políticas que continuem estimulando a concentração urbana e a formação de megalópoles próximas da ingovernabilidade, como nas últimas décadas. Os números expostos pelo caderno especial Megacidades (Estado, agosto de 2008) são assustadores, com a megarregião São Paulo-Campinas concentrando em 11.698 km2 (0,27% do território nacional) nada menos que 22 milhões de moradores, 22,1% do PIB brasileiro e 65% do PIB paulista. Para agravar, pouco mais de um quarto dos paulistanos, 3,2 milhões de pessoas, vive em 1.565 favelas e 1.128 loteamentos irregulares (4/8), além de 36,5 km2 de áreas de mananciais (500 mil pessoas).
O déficit habitacional ali é calculado em 1,5 milhão de moradias. Mas as contas são difíceis porque, ao mesmo tempo, é imenso o número de moradias vagas, com a degradação de certas áreas e a migração de pessoas em busca de segurança. Entre 1996 e 2007, dizem a Fundação Seade e o IBGE , o "centro expandido" perdeu 441 mil habitantes, enquanto áreas "extremas" da Região Metropolitana ganharam 1,21 milhão. É evidente que o deslocamento gera novas demandas. E, ao mesmo tempo, o fechamento progressivo, a "condominialização" de ruas ou setores inteiros em busca de segurança, é uma nova questão.
Leia mais

Manchetes do dia

Sexta-feira, 19 / 09 / 2008

Folha de São Paulo
"EUA estudam assumir papéis podres"
Informações de que o governo dos EUA deve criar agência federal para comprar papéis podres de instituições em dificuldades animaram as Bolsas. Na semana , os principais bancos centrais do mundo injetaram US$ 500 bilhões para dar liquidez ao mercado – só ontem, foram US$ 180 bilhões. A Bolsa de Nova York teve alta de 3,86%. A agência seria similar à Resolution Trust Corporation, criada em 1989, na crise de poupança e empréstimo, segundo o canal CNBC. Aqui, a Bovespa fechou com valorização de 5,48% - a maior desde 30 de abril. No dia em que o dólar superou R$ 1,96, o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, anunciou que a instituição voltará promover leilões de venda da moeda. Mesmo assim, o dólar fechou em alta de 3,32%, a R$ 1,93. Em setembro, já acumula valorização de 18% diante do real.


O Globo
"Dólar dispara e vai a R$ 2"
Para enfrentar a alta da moeda americana, o presidente do BC, Henrique Meirelles, anunciou que voltará a vender dólares no mercado, o que não fazia desde fevereiro de 2003. A pressão de estrangeiros resgatando aplicações no Brasil para cobrir perdas no exterior fez a cotação subir 5%. No fechamento, o dólar recuou e ficou em R$ 1,93, com alta de 3,32%. Mas quem precisou de dólar turismo viu que a moeda já passa de R$ 2. Os bancos centrais de EUA, Suíça, Canadá, Inglaterra e Japão, junto com o Banco Central Europeu (BCE), fizeram ação conjunta de US$ 180 bilhões para socorrer instituições pelo mundo. Com isso, as bolsas reagiram bem. O índice Dow Jones subiu 3,86% e a Bovespa, 5,48%. Em Moscou, não houve negócios, pelo segundo dia.


O Estado de São Paulo
"BC decide vender US$ 500 milhões"
A crise internacional de confiança que reduziu empréstimos entre bancos nos EUA e na Europa contaminou o câmbio no Brasil. O dólar chegou a R$ 1,96, o que levou o Banco Central a anunciar a retomada dos leilões de venda da moeda americana. A informação reduziu a tensão, e o dólar fechou a R$ 1,93. O primeiro leilão será hoje e pode atingir US$ 500 milhões. Segundo o presidente do BC, Henrique Meirelles, o objetivo da medida é prover liquidez ao mercado. A operação será do tipo “conjugada”, em que bancos compram dólares da autoridade monetária com o compromisso de revendê-los ao BC no mesmo montante, em prazo estabelecido. A instituição afirmou que se trata de uma medida temporária. A última vez que o BC vendeu dólares foi em 2003, em meio à tensão pela posse do presidente Lula. Mesmo com o agravamento da crise, o governo anunciou ontem que aumentará a meta das exportações para este ano, de US$ 190 bilhões para, “no mínimo”, US$ 200 bilhões. Para a OMC, no entanto, o saldo comercial brasileiro será afetado.


Jornal do Brasil
"Menos 3 milhões de pobres"
Quase 3 milhões deixaram a pobreza no ano passado, informa a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad), do IBGE. Houve melhorias no salário, no número de trabalhadores formais e no acesso a bens duráveis e no saneamento. A queda do analfabetismo foi outra boa notícia estampada no estudo, mas persistem mazelas como a desigualdade e o trabalho infantil.

Lixo a céu aberto

TJ paulista mantém interditado aterro de Caraguatatuba

por Fernando Porfírio - 18.09.08
A prefeitura de Caraguatatuba (no litoral norte de São Paulo) terá de encontrar uma solução para o problema do lixão na cidade. O Tribunal de Justiça, por maioria de votos, aceitou recurso da Cetesb (Companhia de Tecnologia e Saneamento Ambiental) para manter a interdição do aterro sanitário do município, que estava suspensa por medida cautelar. A decisão foi da Câmara Especial de Meio Ambiente. No período de temporada, a cidade produz cerca de 200 toneladas de lixo por dia.
Há 30 anos a prefeitura deposita o lixo na Fazenda Serramar, localizada a cerca de 8 km do centro da cidade. A Cetesb autuou o município e decretou a interdição definitiva do aterro sanitário. A interdição administrativa acabou na Justiça onde uma guerra de liminares acabou por suspender, temporariamente, a proibição. A Cetesb ingressou com recurso (agravo de instrumento) no tribunal onde pedia que a interdição fosse mantida.
O relator, desembargador Antonio Celso Aguilar Cortez, votou a favor da prefeitura com o argumento de que a interdição recomendaria um mínimo de provas. No entendimento do relator, a Cetesb não cumpriu esse requisito. Além disso, para Aguilar Cortez, a interdição do aterro colocaria em risco a saúde da população. “No caso do aterro sanitário ser interditado onde será depositado o lixo?”, questionou.
O desembargador Jacobina Rabello abriu divergência. “É hora de endurecer com esses governantes. A prefeitura de Caraguatatuba não cumpriu o dever de casa. Teve prazo para isso e há anos a sociedade aguarda pela retirada do depósito de lixo que funciona a céu aberto, nas proximidades da Serra da Mar. Isso não é admissível”, afirmou. Ele foi seguido pelo 3º juiz, Samuel Júnior.
A prefeitura de Caraguá cogita, junto com as cidades de Ubatuba, Ilhabela e São Sebastião, a criação de um aterro regional ou contratar aterros particulares. A proposta de criação de um Centro Integrado de Tratamento de Resíduos Sólidos para o Litoral Norte, que atenderia as quatro cidades, tem o apoio dos prefeitos, mas o projeto não saiu do papel.
De acordo com a proposta o centro seria instalado em Caraguá, mas a idéia esbarrou em laudo do Instituto Florestal. A área escolhida, cerca de 350 mil metros quadrados no bairro Pau D’Alho, não contou com a aprovação do instituto, porque fica no entorno do parque da Serra do Mar e colocaria em risco o meio ambiente.
Sem lugar para jogar seu lixo, Caraguá apelou para o Judiciário, caminho também escolhido pela cidade de Ubatuba. São Sebastião e Ilhabela exportam o lixo produzido nas cidades para o município de Tremembé, no Vale do Paraíba. Isso custa aos cofres públicos uma média mensal de R$ 1 milhão.
A Cetesb estima que as quatro cidades recolham, na temporada, cerca de 800 toneladas de lixo por dia. Os prefeitos sonham com recursos do Estado e da União para a construção de um aterro comum. (Consultor Jurídico)

Diaféria

HERÓI. MORTO. NÓS.
[Crônica publicada em 1º de setembro de 1977]
Neste texto foi mantida a grafia original da época

Lourenço Diaféria
Não me venham com besteiras de dizer que herói não existe. Passei metade do dia imaginando uma palavra menos desgastada para definir o gesto desse sargento Sílvio, que pulou no poço das ariranhas, para salvar o garoto de catorze anos, que estava sendo dilacerado pelos bichos.

O garoto está salvo. O sargento morreu e está sendo enterrado em sua terra.

Que nome devo dar a esse homem?

Escrevo com todas as letras: o sargento Silvio é um herói. Se não morreu na guerra, se não disparou nenhum tiro, se não foi enforcado, tanto melhor.

Podem me explicar que esse tipo de heroísmo é resultado de uma total inconsciência do perigo. Pois quero que se lixem as explicações. Para mim, o herói -como o santo- é aquele que vive sua vida até as últimas consequências.

O herói redime a humanidade à deriva.

Esse sargento Silvio podia estar vivo da silva com seus quatro filhos e sua mulher.

Acabaria capitão, major.

Está morto.

Um belíssimo sargento morto.

E todavia.

Todavia eu digo, com todas as letras: prefiro esse sargento herói ao duque de Caxias.

O duque de Caxias é um homem a cavalo reduzido a uma estátua. Aquela espada que o duque ergue ao ar aqui na Praça Princesa Isabel -onde se reúnem os ciganos e as pombas do entardecer- oxidou-se no coração do povo. O povo está cansado de espadas e de cavalos. O povo urina nos heróis de pedestal. Ao povo desgosta o herói de bronze, irretocável e irretorquível, como as enfadonhas lições repetidas por cansadas professoras que não acreditam no que mandam decorar.

O povo quer o herói sargento que seja como ele: povo. Um sargento que dê as mãos aos filhos e à mulher, e passeie incógnito e desfardado, sem divisas, entre seus irmãos.

No instante em que o sargento -apesar do grito de perigo e de alerta de sua mulher- salta no fosso das simpáticas e ferozes ariranhas, para salvar da morte o garoto que não era seu, ele está ensinando a este país, de heróis estáticos e fundidos em metal, que todos somos responsáveis pelos espinhos que machucam o couro de todos.

Esse sargento não é do grupo do cambalacho.

Esse sargento não pensou se, para ser honesto para consigo mesmo, um cidadão deve ser civil ou militar. Duvido, e faço pouco, que esse pobre sargento morto fez revoluções de bar, na base do uísque e da farolagem, e duvido que em algum instante ele imaginou que apareceria na primeira página dos jornais.

É apenas um homem que -como disse quando pressentiu as suas últimas quarenta e oito horas, quando pressentiu o roteiro de sua última viagem- não podia permanecer insensível diante de uma criança sem defesa.

O povo prefere esses heróis: de carne e sangue.

Mas, como sempre, o herói é reconhecido depois, muito depois. Tarde demais.

É isso, sargento: nestes tempos cruéis e embotados, a gente não teve o instante de te reconhecer entre o povo. A gente não distinguiu teu rosto na multidão. Éramos irmãos, e só descobrimos isso agora, quando o sangue verte, e quanto te enterramos. O herói e o santo é o que derrama seu sangue. Esse é o preço que deles cobramos.

Podíamos ter estendido nossas mãos e te arrancando do fosso das ariranhas -como você tirou o menino de catorze anos- mas queríamos que alguém fizesse o gesto de solidariedade em nosso lugar.

Sempre é assim: o herói e o santo é o que estende as mãos.

E este é o nosso grande remorso: o de fazer as coisas urgentes e inadiáveis -tarde demais.

Nota do Editor - Lourenço Diaféria foi meu colega na Rede Globo, em 1984. Lourenço era comentarista do SPTV terceira edição, do grande e saudoso Marquito. A crônica acima azedou a vida dele. Foi preso e processado pelos insensatos poderosos de então. Lembro-me do trocadilho: Lourenço Diaféria está em férias. Não tem muita graça, mas é uma sincera homenagem a mais um amigo que se vai. (Sidney Borges)

Região

Ortiz condenado na Justiça

Vale Paraibano
O ex-prefeito e atual candidato a vice-prefeito pela coligação Taubaté Nossa União, José Bernardo Ortiz (PSDB), foi condenado pela Justiça por atos de improbidade administrativa cometidos em seu penúltimo mandato e corre o risco de perder os direitos políticos por um prazo de três anos, além do pagamento de multa superior a R$ 100 mil. Ainda cabe recurso contra a decisão em primeira instância da 2º Vara Cível de Taubaté publicada no dia 11 de agosto, o que já foi feito pela defesa de Ortiz no Tribunal de Justiça do Estado.

Música

Stephane Grapelli e Michel Petrucciani Trio - "I Got Rhythm"

I Got Rhythm - Stephane Grapelli e Michel Petrucciani Trio. Ouça aqui.
A música I Got Rhythm foi gravada por Stephane Grappelli em 5 de novembro de 1973, no Queen Elizabeth Hall, em Londres. O violinista Grappelli nasceu em 26 de janeiro de 1908 e morreu em 1 de dezembro de 1997. Ele fundou o grupo Quintette du Hot Clube de France com o violonista Django Reinhardt. Ao longo da carreira lançou 40 discos e fez parcerias com músicos de rock, pop, música clássica e jazz. Várias pessoas cantaram I Got Rhythm com ele ao longo da carreira. Um deles foi o pianista Michel Petrucciani, que aprendeu a tocar jazz inspirado pelo trabalho de Duke Ellington.
(Do Blog do Noblat)

Clique sobre a imagem e saiba mais

Informática

Rumores indicam novo Windows em junho de 2009

Geek
A fraca adoção do Windows Vista está impulsionando rumores de maneira constante a respeito de uma solução mais
eficiente: o lançamento antecipado de seu sucessor, conhecido até o momento como Windows 7.
A nova onda de rumores, noticiou o site TG Daily, dá conta de que o novo sistema da Microsoft pode chegar ainda no primeiro semestre de 2009, com o seu primeiro beta disponível em outubro.

Em contato com a revista Computerworld, o analista Michael Cherry afirmou crer que a Microsoft mostrará o seu primeiro beta na Professional Developers Conference, convenção que acontece entre os dias 27 e 30 de outubro, ou na Windows Hardware Engineering Conference, que acontece entre 5 e 7 de novembro.
O site Internetnews publicou um artigo ainda mais intrigante informando que, baseado na atual agenda de lançamentos, o Windows 7 pode chegar no dia 3 de junho de 2009. Uma fabricante que pediu para não ser identificada teria afirmado que uma versão beta já está nas mãos de alguns desenvolvedores para certificação de hardware e software.
De acordo com os rumores, a chegada do novo sistema seria antecipada em pelo menos um semestre, já que o Windows 7 estava previsto para lançamento em 2010. Entretanto, nenhuma confirmação oficial foi dada pela Microsoft até o momento.
O próximo sistema operacional apresentará uma evolução do atual Windows Vista, sem mudanças drásticas, sendo provavelmente uma plataforma de transição para os usuários Microsoft. Em agosto a companhia prometeu em seu blog que em setembro apresentaria alguns recursos e funcionalidades do Windows 7.

Ubatuba em foco

Perseguições e Processos

Corsino Aliste Mezquita
“NUNCA ANTES”, UBATUBA viveu, na história dos últimos trinta e cinco anos, clima eleitoral tão agressivo e carregado de fluidos negativos e aterrorizantes. Impressão existe de pairar, uma “ESPADA DE DÉMOCLES”, sobre a cabeça de todos aqueles que adotam posicionamento político ou, simplesmente, manifestam inconformismo sobre o abandono da cidade, as inúmeras carências da saúde pública, da educação, dos cuidados das ruas e logradouros públicos, dos prédios abandonados (exemplo o antigo cinema Iperoig), das obras que não são concluídas nos prazos do contrato, dos supostos ou reais superfaturamentos, das repetidas promessas não cumpridas, (Centro de Convenções, Centro do Professorado Municipal, Centro de Triagem, Casas populares, Centro da Terceira Idade, na Praça 13 de Maio, etc) e outras inúmeras mazelas que complicam a vida dos cidadãos, os obrigam a emigrar ou os afastam da cidade. A cidadania está acuada. É proibido discordar.
Estou sentindo esses fluidos na própria pele. Mesmo afastado do pleito eleitoral e da procura de cargos (esta por motivos óbvios e de todos conhecidos) recebo constantemente avisos dos perigos que estou correndo, recomendações de amigos e de não tão amigos, para ter cuidado. Outros avisos chegaram, já como supostas perseguições.
Será que esqueceram os princípios pétreos da Constituição Federal?:
“É livre a manifestação de pensamento, sendo vedado o anonimato”(CF 5° IV).
“São invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas...”(CF 5° X).
“Ninguém será considerado culpado até transito em julgado de sentença penal condenatória” (CF 5° LVII).
Entre outros muitos que poderíamos citar e que são diuturnamente violados por aqueles que deveriam cuidar de seu respeito. Sobre isso já nos manifestamos em diversas oportunidades e de modo especial em “RESGATE DO NUNCA ANTES”(08-09-06). Todos os eleitores, perseguidos ou não, devem meditar sobre esse resgate do ódio e o desrespeito aos princípios mais sagrados da Constituição. Quem assim procede não é digno de governar um povo.
VIVA UBATUBA!. SEM DENGUE E SEM CALUNIADORES.

Eleições 2008

Justiça multa Eduardo Cesar, mas descarta pedido de cassação por propaganda irregular

Saulo Gomes no Imprensa Livre
A Justiça local negou o pedido de cassação de candidatura do prefeito Eduardo Cesar (DEM), por prática irregular de propaganda eleitoral. Um candidato a vereador de Ubatuba pelo Partido Social Liberal entrou com uma representação na Justiça ubatubense, pedindo a cassação da candidatura à reeleição, em função de um outdoor colocado em um terreno vizinho ao local de atendimento prestado pelo posto móvel de castração de animais do município.
Segundo a acusação do vereador, o ato é considerado propaganda política irregular em bens e serviços comunitários. No entanto, a Justiça considerou que a falha citada não previa a procedência de um processo de cassação de candidatura e decretou apenas uma multa de 1.500 UFIR.
O advogado da coligação Novo Tempo, Marcelo Mourão, relatou que já foi protocolado o recurso à sentença de multa. O advogado da equipe de Eduardo Cesar lembra que não existe mais a possibilidade de cassação da candidatura a reeleição do atual prefeito.
Marcelo Mourão argumenta que a oposição perdeu o prazo para recorrer à decisão. "No documento oficial está claro que o prazo estabelecido, para o recurso, expira 24 horas após a publicação da sentença. Portanto, o tempo acabou às 14 horas de hoje (ontem) e eu acabei de sair do cartório e nada foi protocolado sobre o caso", acrescenta o advogado, comemorando também a vitória em outro caso judicial, sobre o funcionamento do site oficial da prefeitura. A justiça local considerou improcedente o pedido feito pela Coligação do candidato Maurício Moromizato (PT). O petista adiantou que também já apresentou recurso ao Tribunal Regional Eleitoral, contra a decisão da comarca ubatubense. (Enviado por Rui Alves Grilo)

Palavras

Palavra do dia: GENÉRICO (ge.né.ri.co)

A partir do próximo ano, o Brasil passará a produzir o genérico de um dos medicamentos que compõem o coquetel utilizado no tratamento de pacientes com AIDS, após ter quebrado a patente do mesmo no último ano.
A palavra "genérico" tem sua origem na junção da palavra “gênero” com o sufixo “ico”, e como adjetivo, refere-se, no caso acima, a um medicamente designado por seu princípio ativo, não por sua marca ou nome comercial. É comum utilizar a mesma palavra como um substantivo, para se referir a tais medicamentos.


Definição do dicionário Aulete Digital

GENÉRICO (ge.né.ri.co)
adjetivo.
1 Ref. a gênero
2 Que abrange várias coisas, sem especificar: Você precisa ser menos genérico em relação a esse assunto. [ Antôn.: específico.]
3 Que se expressa em termos vagos, imprecisos: Fez apenas um resumo genérico dos acontecimentos. [ Antôn.: detalhado, exato.]
4 Designado por seu princípio ativo, não por sua marca (diz-se de medicamento)
Substantivo masculino.
5 Esse medicamento: Prefere comprar genéricos, que são mais baratos.
[Formação: gênero + -ico]

Opinião

Internet ruim e cara

Editorial do Estadão
O uso da internet no Brasil se expande com grande rapidez. Em julho, o número de pessoas que utilizam a conexão residencial chegou a 23,7 milhões e o tempo médio de navegação doméstica por mês foi de 24 horas e 54 minutos. No primeiro semestre, o Brasil registrou 10,04 milhões de usuários conectados à rede de alta velocidade, a banda larga, com aumento de 48% em um ano. Esse número, de acordo com projeções das empresas do setor, só seria alcançado em 2010. Agora, elas prevêem que, em dois anos, a banda larga terá 15 milhões de usuários.
No entanto, essa notável expansão vem impondo ônus ao usuário brasileiro. Baixa qualidade e tarifa exagerada são duas das conseqüências mais notórias do rápido aumento do número de internautas que utilizam a banda larga e da falta de concorrência.
Estudo feito por duas universidades européias sobre a qualidade da internet de alta velocidade mostra o Brasil à frente apenas de outros quatro países, numa lista de 42 pesquisados. "O Brasil está pior do que a gente gostaria", disse ao Estado o presidente no País da Cisco (empresa de equipamentos de rede de comunicações que patrocinou o estudo), Pedro Ripper.
O estudo tomou como base um índice de qualidade da banda larga que leva em conta as velocidades de recebimento e de envio de dados e do percurso de um conjunto de dados de sua fonte até o destino. Não foram considerados o custo da banda larga nem a disseminação de seu uso.
Numa classificação de 0 a 100, o Brasil ganhou a nota 13, que lhe deu a 38ª classificação. Ficou à frente apenas de Chipre, México, China e Índia (entre os países que formam o Bric, o Brasil só ficou atrás da Rússia, que obteve a 17ª posição). Os cinco países que oferecem a melhor internet de banda larga são Japão, Suécia, Holanda, Letônia e Coréia do Sul.
A presença da Letônia entre os cinco melhores países quanto à internet rápida não é a única surpresa do estudo. Outros países do Leste Europeu também aparecem em boa classificação (Lituânia, em 7º e Eslovênia, em 10º). Os EUA aparecem apenas na 16ª posição. Países industrializados, como Espanha, Itália e Reino Unido, tiveram nota abaixo da necessária para assegurar o uso adequado dos serviços disponíveis na internet, como vídeos, bate-papo com vídeo e troca de arquivos, que é de 35 pontos. Para novos aplicativos, como vídeo de alta definição, a nota exigida é de 75 pontos, que só o Japão alcançou.
Leia mais

Manchetes do dia

Quinta-feira, 18 / 09 / 2008

Folha de São Paulo
"Crise financeira derruba Bolsas e paralisa crédito"
A crise de confiança nos mercados abalou as Bolsa e provocou corrida para investimentos livres de riscos – uma fuga ruma à segurança não vista no mercado de crédito desde a segunda Guerra (1939-45) de acordo com o “Financial Times”. A busca do baixo risco gerou alta de 9,03% do ouro em Nova York, onde o índice Dow Jones caiu 4,06%. Os juros dos empréstimos entre bancos dispararam. A Bovespa teve queda de 6,74%, com 45.908 pontos. O dólar fechou a R$ 1,868, com valorização de 2,41%. Em meio à desconfiança sobre a saúde financeira dos bancos de investimentos como Morgan Stanley e Goldman Sachs, fundos de pensão e investidores se refugiaram em papéis da dívida americana de curto prazo. A procura foi tão alta que houve negociações com os menores juros desde 1941. Em ação inédita, o tesouro dos EUA venderá títulos para aumentar os recursos do Fed. Na primeira operação devem ser negociados US$ 40 bilhões. O Morgan Stanley informou que não descarta uma fusão.


O Globo
"Brasil e Rússia perdem mais"
Um dia depois de o presidente Lula dizer que a crise econômica dos EUA não afeta o Brasil ("Que Crise? Vai perguntar para o Bush"), a Bovespa despencou 6,74%. O tombo só não foi pior que o da bolsa russa, que chegou a ter negócios interrompidos após queda de 10%. Só esta semana, a bolsa de brasileira perdeu 12,38%. O dólar fechou no Brasil a R$ 1,868, com alta de 2,41%. Apesar da estatização da maior seguradora dos EUA, a AIG, os investidores em todo mundo não estão convencidos de que a crise financeira está longe do fim. Em Nova York, o índice Dow Jones caiu 4,06% e o Nasdaq recuou 4,94%. Houve quedas em quase todos os mercados de Europa e Ásia. O ouro e o petróleo registraram as maiores altas, em dólares, da História. O banco americano Washington Mutual, que teve queda de 10% em suas ações, era oferecido ontem para a venda. Outra instituição, o Morgan Stanley, estudava uma fusão com Wachovia.


O Estado de São Paulo
"Fuga de investidores provoca queda de 6,74% na Bovespa"
O temor de quebra de instituições financeiras americanas em cascata causou mais um dia de pânico nos mercados. Em Nova York, a queda foi de 4,06%, e o Tesouro dos EUA injetou US$ 40 bilhões no Fed para que o banco central possa resgatar outras instituições. Já o Ibovespa caiu 6,74%, e o dólar subiu 2,64%, para R$ 1,868, o maior valor em um ano. Investidores estrangeiros estão saindo em peso do Brasil – em setembro, o déficit na Bovespa chega a quase US$ 700 milhões, e desde janeiro a conta está negativa em US$ 17 bilhões. A fuga visa a cobrir perdas ou buscar refúgio em investimentos mais seguros, com o ouro, que ontem subiu 10,84%. Segundo o ministro da Fazenda, Guido Mantega, já está faltando crédito internacional para as empresas no Brasil, e haverá “medidas de estímulo ao investimento” se a situação persistir. Para o crédito ao consumidor, os efeitos da crise deverão ser limitados, segundo a Febraban.


Jornal do Brasil
"Desconfiança anula socorro aos mercados"
Os US$ 375 bilhões despejados pelos maiores bancos centrais do mundo revelaram-se insuficientes para aplacar a tensão dos mercados: o socorro do dia anterior foi anulado ontem pela desconfiança e pela especulação. As bolsas voltaram a despencar, sob o temor de que vai mal a saúde de outros gigantes financeiros. No Brasil, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, promete agir, via BNDES, contra a possível falta de crédito internacional. Mas o ex-presidente do banco, Carlos Lessa, alfineta: o país, diz ele, vai entrar pelo cano.

quarta-feira, setembro 17, 2008

Justiça

TRE-SP autoriza manifestações de apoio a candidatos no Orkut

BOL Notícias
Em decisão unânime, o TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral) de São Paulo autorizou a divulgação de manifestações de apoio a candidatos no site de relacionamento Orkut.
Em seu voto, o juiz Flávio Yarshell, relator do processo, ressaltou que "embora a legislação tenha procurado limitar a propaganda eleitoral para evitar abusos, não parece lícito reputar que referida norma tenha impedido toda e qualquer forma de comunicação de candidatos que, de alguma forma, passem pela rede mundial".
Yarshell entendeu que a propaganda eleitoral só se configura quando dirigida com generalidade e amplitude, extrapolando o simples âmbito das relações pessoais, como é o caso do Orkut.
A resolução 22.718/2008 do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) determina em seu artigo 18 que a propaganda eleitoral na internet somente é permitida na página do candidato. Porém, na semana passada, o TSE alterou a resolução e liberou os candidatos para divulgar suas campanhas na página de seus partidos na internet.

Ubatuba


Arquivo Georg Mascarenhas

A reforma da praça Dr Alberto Santos

Georg Mascarenhas
A praça foi construída na administração do prefeito Basílio de Moraes Cavalheiro Filho, em 1976, e em homenagem ao ilustre homem brasileiro recebeu seu nome: “Alberto Santos Dumont”. O projeto foi elaborado pelo Eng. Roberto de Carvalho Rezende.
Um busto de Santos Dumont sobre a cauda em concreto armado de um avião, em local de destaque na praça, por muitas décadas, enalteceu o feito do inventor de uma das maiores realizações da humanidade.
A história do próprio bairro “Itaguá” e do povo de Ubatuba tem muitas memórias gravadas nesta praça, mesmo a despeito de ter sido rebatizada de nome, em 1991.
Nada foi respeitado pelo atual prefeito. Nem as tradições, nem a história, nem a reverência a um ilustre homem brasileiro. Nem tampouco o respeito a um ato e feito de seu antecessor. Nem a opinião da população. Infelizmente, tudo foi demolido pelo atual prefeito Eduardo de Souza Cesar em nome de uma pífia justificativa de modernização da praça.
Diz a sabedoria que “um povo que não preserva o seu passado também não faz a sua história”.
Outrossim, pelo que é demonstrado, o elevado custo dessa reforma mais atende aos interesses de favorecimentos à empreiteira e às preferências do prefeito, que os da própria população.
Um projeto, em execução, cheio de irregularidades e excessos, como a rua de entrada ao estacionamento, irregular, que disfarça a intenção de por aí continuar uma avenida que cruzará sobre o rio e seguirá pela orla no sentido ao centro da cidade e destruirá o único jardim à beira-mar.
Em tempo de corrigir esses abusos, a comunidade reclamou. A prefeitura fez pouco caso e deu andamento às obras.


Esclarecimentos

1) Ofício protocolado na Prefeitura, em 29/02/2008, SO/3176/08.

SOCIEDADE AMIGOS DE BAIRRO DO ITAGUÁ E ACARAÚ – SABIÁ
Fundação: 07 de dezembro de 1.990
Estatuto Reformado de acordo com a Lei 10.460 de 10/01/02
CNPJ 65.511.032/0001-05
Endereço da sede: rua Saturno, 111 – Itaguá.CEP 11.680-000

OFÍCIO – 01/08
À Prefeitura Municipal de Ubatuba
Ac. Secretário de Obras

Eng. João Paulo Rolim
Assunto: Obras de Reurbanização da Praça Alberto Santos / Santos Dumont.


Pedido de vistas ao projeto.

Em data que não sabemos precisar, no segundo semestre de 2007. Atendendo a convite formulado por essa Secretaria, reuniu-se nas dependências do hotel Maré a população residente e os comerciantes do bairro do Itaguá, para que tivessem conhecimento e opinassem a respeito do projeto de reurbanização da Praça. Foi consenso de todos, que o projeto, à aquela época apresentado pela Prefeitura, deveria sofrer alterações para melhor se adequar aos interesses e necessidades da população, e preservando as características fundamentais, paisagísticas e históricas da praça pública, cuja destinação é para servir ao laser e descontração das pessoas; e histórica, onde se homenageia com um monumento, a Santos Dumont. Assim também, quanto a preservação e revitalização das árvores existentes. Foi-nos garantido que seriam consideradas as observações feitas pelos presentes e, que, antes que as obras se iniciassem nos seria apresentado o projeto final. Ocorre senhor secretário, que as obras se iniciaram e não se cumpriu o acordo, pois a Prefeitura não nos apresentou antecipadamente o projeto final. Portanto, não só as pessoas presentes àquela reunião, assim como, a população em geral, não tem conhecimento do que está por ser construído no espaço da praça que já está parcialmente em obras.
Estamos de total acordo que algo se faça para a sua revitalização. Já, que esta mesma praça, não teve das administrações públicas a atenção necessária, para que ela cumprisse seu papel social. Só se mantendo em face da dedicação de algumas pessoas.
Assim é que, a SABIÁ, na qualidade de entidade representativa dessa mesma população, vem mui respeitosamente, solicitar vistas ao projeto de reurbanização da praça, antes que as obras se concretizem.
Certos da atenção e do pronto atendimento que V.S. dará ao nosso pedido.
Firmamo-nos. Atenciosamente.


Sociedade Amigos de Bairro do Itaguá e Acaraú

Georg Mascarenhas

Presidente do Conselho Executivo
Marly Manolio
Secretária Geral

Telefones para contato: 3832.1688

Correspondência: Av. Bernardino Querido, 311 – Itaguá
2)
Praça Santos Dumont / Dr. Alberto Santos, publicado n’O Guaruçá, em 04/03/2008.

Chuva

Ubatubenses e ubatubanas

Sidney Borges
Quando em Ubatuba se dá a “ubachuva” o céu fica cinzento, o mar fica cinzento, a vida fica cinzenta e os políticos prometem tempos ensolarados e navios. Se eu fosse meteorologista diria que a precipitação pluviométrica que grassa abundante na Terra Tamoia foi feita de encomenda. Para atrapalhar políticos pobres. A eleição ao que tudo indica vai parar nas mãos do rico. Tão rico quanto o Plínio Raposo da Luluzinha. Ou o Tio Patinhas. Dizem por aí que o candidato rico tem uma banheira cheia de dobrões de ouro. Logo pela manhã, antes do dia começar ele reza para a nota de cem dólares e mergulha no ouro. Eu não acredito nisso, é lenda. Mas que em Ubatuba um dos candidatos é rico isso é. Olhe em volta e você saberá de quem estou falando. Espero que a cidade também fique rica, com emprego para todos, vagas nos hospitais e um time de futebol na segundona. Que maravilha seria termos o Corinthians disputando taça contra o “Destemidos do Perequê-Açu”. Na ocasião em que tal fato acontecer o Estádio Ciccillo Matarazzo não vai comportar a multidão ensandecida e ululante gritando: U-ba-tu-ba, U-ba-tu-ba, U-ba-tu-ba. Com ênfase no u.

terça-feira, setembro 16, 2008

Perigo no front...

Mais um tombo na Bovespa

Na Folha Online:
A Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) mantém o ritmo acentuado de quedas nas operações desta quarta-feira, em meio a um pessimismo generalizado dos investidores a respeito da economia global. O "salvamento" da seguradora AIG, afetada pela crise dos créditos "subprime", propiciou um alívio momentâneo para o mercado financeiro, que teme um um cenário de piora da crise.
O termômetro da Bolsa paulista, o Ibovespa, desvaloriza 6,45% e desce para os 46.051 pontos. O giro financeiro é de R$ 3,69 bilhões.
Uma queda dessa magnitude significa ações desabando: no topo das piores perdas (considerando os papéis preferidos pelos investidores), a ação ordinária do grupo varejista B2W (vendas on-line) despenca 11,40%; a ação preferencial da companhia aérea Gol cai 9,06%, enquanto a ação ordinária da Rossi (imóveis) retrocede 11%.
Entre os papéis carro-chefe da Bolsa, ação preferencial da Petrobras sofre baixa de 4,44%, enquanto o papel da Vale do Rio Doce desvaloriza 7,36%.
O dólar comercial é cotado a R$ 1,876 na venda, em alta de 2,90%. Trata-se do preço mais alto da moeda americana desde setembro de 2007. Já a taxa de risco-país marca 378 pontos, número 11,2% mais alto que a pontuação anterior.
O socorro financeiro do Federal Reserve, o banco central americano, à AIG, foi bem recebido por investidores e analistas, dando impulso para as Bolsas asiáticas e ajudando na abertura das Bolsas européias. Logo, no entanto, esse entusiasmo inicial arrefeceu: profissionais do mercado salientaram que o Fed apenas "ganhou tempo" num cenário ainda marcado pela incerteza: qual deve ser a próxima "bola da vez" é a questão bilionária hoje nas mesas de corretoras e bancos.
Nessa conjuntura, as principais Bolsas européias amargaram perdas no fechamento, a exemplo de Londres (declínio de 2,25%), Paris (baixa de 2,26%) e Frankfurt (queda de 1,74%). Nos EUA, a mundialmente influente Bolsa de Nova York retrai 3,12%, sem compradores à vista.

Lehman, AIG e a "bola da vez"

Os grandes investidores globais já estavam bastante sensíveis a risco nas últimas semanas, mas essa aversão ganhou novos patamares com a quebra do Lehman Brothers, quarto maior banco de investimentos dos EUA. O desastre do Lehman acentuou a expectativa pela próxima 'bola da vez'. Nesse sentido, a seguradora AIG passou o ocupar a posição central entre as preocupações do setor financeiro.A iniciativa de socorro do Federal Reserve (Fed, banco central americano) teve o efeito de propiciar algum alívio ao mercado financeiro, mas ao mesmo tempo, também despertou temores de que mais episódios como os do banco Lehman ainda possam ocorrer.
O mercado tem uma lista de motivos para temer o pior. Em pouco mais de uma semana, o governo dos EUA também preparou uma ajuda de até US$ 200 bilhões para as gigantes hipotecárias Fannie Mae e Freddie Mac, e o Merrill Lynch, outro importante banco de investimentos, foi vendido ao Bank of America, por US$ 50 bilhões. Na Europa, o banco britânico de hipotecas HBOS enfrenta a possibilidade de quebra.
Também afeta o humor do investidor nos EUA a queda de mais de 6% na atividade de construção residencial de julho para agosto, dado recebido como sinal de que não há solução à vista para os problemas econômicos do país. Entre agosto deste ano e o mesmo mês do ano passado, a queda supera os 33%.
Com o cenário externo tão tenso, o noticiário econômico doméstico mostra pouca força para sustentar uma recuperação da Bolsa. Ontem, o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) revelou que as vendas do comércio caíram 0,2% frente ao mês anterior. Na comparação com julho de 2007, houve incremento de 11%. Hoje, a Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) divulgou um incremento de 0,32% no nível de emprego da indústria paulista.

Pulo do gato!

Pesquisa espontânea: Para quê? Para distorcer?

Do Ex-Blog do Cesar Maia
1. Em 1982 firmou-se no Brasil a idéia da importância da pesquisa espontânea, porque “El Brujo", um especialista que trabalhava em pesquisas para a TVG, teria antecipado a competitividade do Brizola com a pesquisa espontânea. Apenas autopromoção.

2. Este Ex-Blog afirma que a pesquisa espontânea de opção de voto não serve para nada no Brasil. Apenas para confundir e distorcer -na margem- a pesquisa. Esta distorção vem da tendência de se escolher espontaneamente os mais conhecidos ou de maior visibilidade. Na margem quer dizer: uma parte dos que marcam espontaneamente o fazem sem ter tomado nenhuma decisão de voto, mas na pesquisa com nomes -induzida- repetem o que marcaram na espontânea, dando um acréscimo no resultado da pesquisa a estes por esta razão.

3. Num quadro pluripartidário, inorgânico, personalista como o brasileiro, isso se agrava. Dizem que o espontâneo é o voto decidido. Na última pesquisa Ibope em SP, Marta e Alckmin caem na pesquisa espontânea. Portanto o eleitor não estava nada decidido.

4. Pode ser no máximo um indicador geral de probabilidade de decisão. Em SP os que não marcaram na espontânea foram 11%. No Rio foram 43%. Isso apenas confirma o dito atrás e demonstra que a pergunta sobre escolha espontânea deve desaparecer e rápido, pois distorção de 3 ou 4 pontos, contra uns e a favor de outros pode mudar completamente a expectativa eleitoral.

5. Quem quer checar tendência de voto decidido, no final da pesquisa, pode perguntar se o eleitor “está absolutamente decidido de seu voto, se pode mudar e se não vota de jeito nenhum. E depois cruzar com os nomes dos candidatos.

Palavras

Palavra do dia: JURO (ju.ro)

Em meio à turbulência mundial no mercado financeiro na última semana, o Banco Central dos EUA manteve a taxa de juros em 2% ao ano.
A palavra “juro” tem sua origem no latim, ‘jus, juris’, que significam “direito”. Apesar de usualmente usar-se a forma “juros”, ela é o plural da palavra “juro”, que se entende como a porcentagem que se acrescenta ao total de uma compra a prazo (e que depende do prazo) ou ao pagamento de um empréstimo pelo devedor ao credor, e também como o rendimento do capital aplicado em determinado investimento.


Definição do dicionário “Aulete Digital”:

JURO (ju.ro)
Substantivo masculino.

1 Porcentagem acrescentada ao total de um empréstimo ou de uma compra a prazo, a ser paga pelo devedor: juros de 4% ao mês.
2 Rendimento de capital investido (juros da poupança) [Tb. fig. (receber o amor de volta com juros). Nas duas acp., mais us. no pl.]
[Formação: Do latim ‘jus,juris’ “direito”]

Música

Sylvain Luc e Biréli Lagrène - "Stompin' at the Savoy"

Stompin' at the Savoy - Sylvain Luc e Biréli Lagrène. Ouça aqui.
Os violonistas franceses Sylvain Luc e Biréli Lagrène gravaram o CD de jazz Duet em janeiro de 2000. Esta foi a primeira vez em que os dois se apresentaram junos. Sylvain nasceu em 1965. Ele toca violão desde pequeno por influência da família e já se apresentou com grandes nomes do jazz, como Philippe Léotard e Catherine Lara. Biréli Lagrène nasceu em 4 de setembro de 1966. Lagrène aprendeu a tocar violão aos quatro anos e mais tarde também aprendeu a tocar baixo. A música dele é considerada inovadora por misturar swing e jazz. (Do Blog do Noblat)

Opinião

A oposição não sabe onde o galo canta

José Nêumanne
Diz o presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), que "a oposição foi revogada, saiu da moda". O reconhecimento prévio do malogro neste ano eleitoral reproduz, com exatidão e sinceridade, a situação política esdrúxula que o País vive. E também ajuda a explicar tal fiasco, pois a autocondenação à morte mostra que o prócer, a exemplo dos colegas de bancada, sabe que o galo canta, mas não tem idéia de onde fica o poleiro do qual todo dia este saúda o Sol. O desabafo de Guerra traduz desalento e é também uma confissão de impotência, que resulta da própria incompetência, não apenas para combater o fenômeno que a tirou de moda, mas também para compreender a cena política, condição básica para que a partir de tal compreensão se esbocem as linhas-mestras para enfrentar e resolver o problema. A maior tragédia da oposição brasileira hoje não é a eficiência do governo, mas a própria ineficiência para perceber e atuar.

O patamar a que galgou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva - de 64% de popularidade, segundo a última pesquisa Datafolha - não pode ser produto apenas de sua inegável sorte: resulta também de sua capacidade rara de se comunicar com os segmentos mais pobres e numerosos da população. Para isso usa a própria vivência e, da mesma forma, recorre a uma intuição admirável. Além da fortuna, a virtude de saber conciliar o levou ao governo depois de três derrotas seguidas em duas disputas contra o tucano Fernando Henrique e outra com o alagoano Fernando Collor. Isso não é inusitado na história política do Brasil independente. À capacidade de dom Pedro II de atender a liberais e conservadores - facilitada pelo fato de que, segundo glosava uma quadrinha popular no século 19, nada mais igual a um saquarema que um luzia no poder, apelidos jocosos dados pelo povo aos grupos que se revezavam no poder no Segundo Império - deveu-se a longevidade de seu reinado. Do talento do gaúcho Getúlio Vargas para reunir grupos na aparência antagônicos sob seu tacão - os latifundiários do PSD com os proletários do PTB - dependeu outra bem-sucedida aliança, tal como a primeira fundida no chumbo em que se imprimia o Diário Oficial: a conciliação pela via da nomeação.
A diferença entre nosso atual caudilho e os modelos históricos aqui lembrados é que ele realizou a primeira conciliação antes de alcançar o poder, ao submeter à disciplina partidária e a seu comando carismático grupos antes irreconciliáveis da esquerda armada, ao lado de lideranças sindicais e líderes da esquerda eclesiástica. Sob o estandarte socialista da mudança de "tudo o que está aí", mas com um discurso conservador na economia, para não afugentar o voto da classe média e da classe operária especializada, ele subiu a rampa do Palácio do Planalto. No poder, mesmo não sendo um profundo conhecedor da história política nacional, aproveitou-se magistralmente das lições dos grandes conciliadores, radicalizando experiências de união nacional que já tinham sido ensaiadas, mas nunca levadas a cabo até o ponto em que ele as praticou. Foi além de Eurico Dutra e do próprio Getúlio, que montaram Gabinetes de união nacional. E conseguiu de antigos adversários políticos aparentemente inconciliáveis - de egressos da ditadura, como Paulo Maluf, José Sarney e Delfim Netto, a fisiológicos notórios, como Severino Cavalcanti, Jader Barbalho e Renan Calheiros - o que negara a Itamar Franco no grande acordo feito na pós-queda da República de Alagoas. De fato, essa mentalidade de mosqueteiros de fancaria ("todos por cada um e ninguém pelo povo") se repete monotonamente nos palácios brasileiros desde a Independência. Mas Lula lhe deu consistência e vigor: Fernando Henrique, seu antecessor também nisso (os quadros de seus dois governos se repetem no atual, numa monotonia enervante), jamais teria estômago para fazer a defesa vigorosa que o presidente faz de políticos e práticas inconfessáveis - de Severino Cavalcanti aos "mensaleiros".
Leia mais

Manchetes do dia

Quarta-feira, 17 / 09 / 2008

Folha de São Paulo
"Com US$ 85 bi, EUA salvam seguradora"
Como os grandes bancos americanos se recusaram a emprestar dinheiro para AIG, o governo dos EUA, depois de afirmar que não voltaria a ajudar o setor privado, decidiu emprestar US$ 85 bilhões para a maior seguradora mundial por meio do Fed (o banco central do país). Em troca, o governo terá como garantia 79,9% das ações da empresa. Segundo o “Financial Times”, o governo quer impedir que os atuais acionistas lucrem com o resgate. Pelo acordo, a direção da seguradora deverá ser demitida. O empréstimo será garantido por todos os ativos da seguradora (avaliados em US$ 1 trilhão em junho).Mesmo antes do anúncio, os mercados tiveram trégua relativa ao pessimismo. Em Nova York, O Dow Jones avançou 13%. No Brasil, a Bovespa subiu 1,68%. O dólar fechou em R$1,824. Bancos centrais ao redor do globo injetaram ao menos US$ 250 bilhões nos mercados. Os bancos Goldman Sachs e Morgan Stanley anunciaram queda nos lucros, mas superaram as expectativas de analistas.


O Globo

"EUA estatizam 3ª maior seguradora do mundo"
Em mais um capítulo da crise americana, o Federal Reserve decidiu injetar US$ 85 bilhões para salvar o AIG, a maior seguradora dos EUA e a terceira naior do mundo, com US$ 1,06 trilhão de ativos. Em troca, ficará com 80% das ações da empresa. A estatização foi o caminho escolhido após tentativas de tranferir a AIG para o Goldmam Sachs ou o JP MOrgan. No Brasil, o Unibanco AIG é a quarta maior seguradora do país com 600 mil clientes de planos de previdência e três milhões de apólices de seguro de vida. Antes do anúncio do Fed, o Unibanco informava que poderia assumir a participação da AIG no Brasil. O banco britânico Barclays concluiu a operação de compra de algumas operações do Lehmam Brothers por US$ 2 bilhões, mas os detalhes devem ser conhecidos hoje. Ontem o dia foi de recuperação de mercado: a Bovespa subiu 1,68% e o Dow Jones, em Nova York, 1,30%.


O Estado de São Paulo
"BCs socorrem bancos com US$ 210 bi"
Os bancos centrais dos países mais ricos do mundo tiveram de injetar ontem US$ 210 bilhões para acalmar o mercado, um dia após o anúncio da concordata do banco americano Lehman Brothers. O objetivo do socorro é dar aos bancos condições de honrar compromissos e manter o crédito, evitando uma seqüência de quebras das instituições. Apesar do socorro, o dia foi de intensa oscilação e pessimismo, ajudado pela decisão do Fed de manter os juros em 2%. O Ibovespa, que chegou a cair 4,45%, fechou em alta de 1,68%. O Dow Jones, em Nova York, teve recuo de 1,60% e depois se recuperou, subindo 1,30%.A tendência negativa no mercado mudou diante da informação de que o governo americano estuda salvar a seguradora AIG, a maior do país. Para os próximos dias, a previsão é de mais volatilidade. Analistas dizem que o clima em Nova York é de pânico.


Jornal do Brasil
"US$ 375 bi contra a crise"
Um dia depois de o pânico espalhar-se no mundo do mercado financeiro, os maiores bancos centrais injetaram US$ 375 bilhões para conter os efeitos da crise que afetou grandes companhias do Wall Street. O Banco Central Europeu despejou mais de US$ 120 bilhões. O Federal Reserve, dos EUA, US$ 155 bilhões – só para a seguradora AIG foram R$ 85 bilhões. No Brasil, o presidente Lula desdenhou da turbulência: “Que crise? Vai perguntar para o Bush”, disse a jornalistas. No histórico recente, porém, o Brasil jamais ficou impune.
 
Free counter and web stats