sábado, abril 12, 2008


Informática

Windows está em colapso, dizem analistas

da Folha Online
Dois analistas do instituto Gartner classificaram como "insustentável" e em vias de um "colapso" a situação do Windows, sistema operacional da Microsoft. Segundo Michael Silver e Neil MacDonald, a Microsoft não tem correspondido às necessidades do mercado, apresenta uma imagem ruim em razão do legado de duas décadas de código fechado e enfrenta séria concorrência em várias frentes.
De acordo com o site da revista especializada
ComputerWorld, os especialistas apresentaram como um dos fatores críticos do Windows o fato de a base de códigos do programa crescer de maneira muito rápida, tornando praticamente impossível o lançamento ágil de novas versões, com mudanças significativas.
Os analistas apresentaram o caso do Windows Vista como exemplo disso: depois de cinco anos de desenvolvimento do produto, sem muito sucesso, a Microsoft teve de voltar atrás e utilizar o código do Windows Server 2003, mais estável, como alicerce do sistema operacional.
"Essa é grande parte da explicação para o fato de o Windows Vista ser apresentado principalmente por um apanhado de melhorias", afirmaram os analistas, durante palestra em Las Vegas.
"A maioria dos usuários não entende quais são os benefícios do Windows Vista ou não o vêem como algo melhor o suficiente que o Windows XP para justificar o custo e sofrimento da migração", disseram eles.

Leia mais

Acabando com a dengue


A charge do Amarildo, publicada originalmente no Blog do Noblat dá uma ótima sugestão aos leitores. Antes de votar, pense bem. Vote com consciência. Vote contra a dengue. (Sidney Borges)

Made in China



Chineses descobrem tartaruga 'viciada em cigarros'

Tartaruga fuma um cigarro em menos de quatro minutos


Da BBC
Uma tartaruga na China fuma os cigarros oferecidos pelo dono, de acordo com informações da agência de notícias oficial chinesa Xinhua.
A tartaruga fumante é o animal de estimação de um chinês identificado apenas pelo sobrenome Yun, que mora no condado de Yongji, no nordeste da China.
Yun, que é fumante, tem a tartaruga há quatro anos. Certa vez, ao brincar com o animal, colocou uma ponta de cigarro acesa em sua boca.
Para sua surpresa, o animal fumou o resto do cigarro, segundo o jornal da região City Evening News. Desde então, Yun divide seus cigarros com o bicho de estimação.

Leia mais

Nota do Editor - Espero que o Greenpeace tome providências. Onde já se viu? Pente de tartaruga, sopa de tartaruga, filé de tartaruga e agora tartaruga fumante. Sou contra isso, o bichinho pode ficar com tosse. (Sidney Borges)

Lupicínio Rodrigues - Nervos de Aço

Quase memórias...

Sidney Borges
Aconteceu em uma noite cujas lembranças chegam difusas à minha mente. Por volta de 1981 ou talvez 1982, fui parar no bar da putas, na Consolação, com ilustres companheiros. Na mesa estavam o Zé, garçon do Riviera, Alcy Linares, cartunista e arquiteto, Chico Caruso, aquele da Globo, Miklos, cineasta húngaro, apreciador de Fogo Paulista e torcedor do Ferencvaros, Junqueirinha, médico residente nos Estados Unidos de passagem por São Paulo e este escriba. Se bem me lembro chegamos aquecidos do Riviera, por volta das onze horas, o Zé juntou-se ao grupo depois do expediente. A conversa rolou solta enquanto bebíamos hectolitros de cerveja acompanhada de bistecas na brasa. Dos presentes apenas um estava casado sem problemas, eu, os outros viviam momentos de dor-de-cotovelo. O tema ficou patente quando as cervejas ensejaram o momento musical, fase anterior ao sono, em casos extremos à glicose na veia. Chico e Junqueirinha são excelentes músicos, o Zé também canta bem, quando o gerente da casa gentilmente pediu que nos retirássemos eram nove hora da manhã, as canções de Lupicínio brilhavam como o sol que nos ofuscou quando a porta foi levantada. Dias depois encontrei Alcy que me contou ter voltado de taxi para casa sem se dar conta que estava de carro. Felizmente lembrou-se do endereço.

Bad trip...

Viagem em torno do dossiê

Ruy Fabiano
Mais uma semana chega ao fim sem que o escândalo do dossiê sobre o governo FHC tenha saído de cena. O escândalo não está apenas no dossiê, mas na conduta governista diante dele.
Entre a primeira reação, a de negá-lo, até a última, a de não apenas admiti-lo, mas de considerá-lo “justo e necessário”, circularam diversas versões, uma negando ou modificando a outra. Todas proferidas por gente do primeiro escalão. Ministros.
Inicialmente, garantiu-se que o dossiê era uma ficção da revista Veja, empenhada em desgastar o governo. A versão, porém, não se sustentou. Diversas pessoas o haviam visto.
Diante de sua materialidade, o ministro da Justiça, Tarso Genro, admitiu então a existência de um “levantamento de dados”, feito pela Casa Civil da Presidência, a pedido do Tribunal de Contas da União. Não contava, porém, com um detalhe: que o TCU o desmentisse. O Tribunal disse à imprensa que jamais solicitara coisa alguma. O governo não se constrangeu com esse desmentido, o que é no mínimo espantoso.
Eis, então, que a ministra Dilma Roussef, chefe da Casa Civil, entra em cena para sustentar que o que havia não era dossiê algum, mas uma base de dados, que havia relacionado informações rotineiras para o Suprim (sistema oficial de controle de despesas com suprimentos de fundos do governo). Também essa versão naufragou.

Leia mais

Se não foi o mordomo...

A culpa é da madrasta

Nirlando Beirão em Carta Capital
Todo mundo se delicia diante de uma tragédia policial em que pontifica uma madrasta. Vocês sabem: a morte da menina Isabella Nardoni, de 5 anos, em São Paulo. Jornalistas, policiais e promotores. Uma vez que há uma madrasta na história, só pode ser ela a culpada. A fábula prevalece sobre a verdade dos fatos, seja ela qual for.(...)
Madrastas pagam o preço. São, como escreveu a junguiana Marie-Louise von Franz, arquétipos convenientes para emoldurar rancores profundos da psique infantil. Elas não são obrigatoriamente más. Embora, às vezes, sejam, sim.
Leia na íntegra

CineDebate

A Culpa é do Fidel!

Sindicato dos Bancários

Ubatuba em Rede
Ong Cidade & Cidadão

Convidam para o CineDebate


Todos os domingos às 18 horas
Local: Sindicato dos Bancários, rua Coronel Domiciano, 286 - sala 5

ENTRADA FRANCA

Dia 13/04
A Culpa é do Fidel! (La Faute à Fidel!). 2006. França

Direção e Roteiro: Julie Gavras
Com: Nina Kervel-Bey, Benjamin Feuillet, Julie Depardieu
Gênero: DramaDuração: 99 minutos
Produção: Sylvie Danton
SINOPSE: O filme mostra com muito humor e sensibilidade o amadurecimento de uma menina bombardeada por diferentes visões de adultos com os quais convive. Como pano de fundo o franquismo e a eleição e queda de Allende.


Dia 20/04
Cronicamente inviável - Direção: Sergio Bianchi. (Rui Alves Grilo)

Suspeitos


Alexandre Alves Nardoni e Anna Carolina Trotta Peixoto Jatobá

Pai e madrasta de menina são soltos

Depois de nove dias de prisão, o casal Alexandre Alves Nardoni, de 29 anos, e Anna Carolina Trotta Peixoto Jatobá, de 24, foi libertado ontem. Um habeas-corpus, em caráter liminar, foi concedido pelo desembargador Caio Eduardo Canguçu de Almeida, do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP).
Canguçu alegou que, pelo menos até o momento, não há indícios de que o pai e a madrasta desejem prejudicar a investigação da morte de Isabella de Oliveira Nardoni, de 5 anos, que foi atirada do 6º andar do Edifício Residencial London, na Vila Isolina Mazzei, zona norte de São Paulo, no dia 29. O magistrado destacou que mantê-los na cadeia agora seria uma “excepcional afronta ao princípio constitucional da liberdade e da presunção de inocência”.
A decisão, apoiada por juristas, contrariou o promotor Francisco Cembranelli, encarregado pelo Ministério Público de acompanhar o caso. Ele deu uma entrevista em que deixou transparecer que está adiantada a decisão de denunciar o casal à Justiça, pedindo a abertura de um processo criminal.
Leia mais

Opinião

O preço da comida

Editorial do Estadão
O Brasil é um dos países mais preparados para responder aos desafios da crise gerada pela alta de preços dos alimentos. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva acertou ao declarar, na Holanda, que a agricultura brasileira pode produzir mais e atender à demanda crescente de comida, gerada principalmente pela expansão econômica de grandes países emergentes e pela incorporação aos mercados de grandes massas de consumidores. A nova situação dos preços produz efeitos dramáticos nos países pobres e mais dependentes da importação de alimentos. Os problemas causados pelo encarecimento da comida podem equivaler à perda de sete anos dos programas de redução da pobreza, disse o presidente do Banco Mundial, Robert Zoellick. Também o diretor-gerente do FMI, Dominique Strauss-Kahn, está preocupado com o risco de se perder boa parte do esforço de resgate dos mais pobres. Ainda não se pode, a rigor, falar de escassez de comida. As cotações não dependem somente das quantidades de fato comercializadas, mas também dos estoques, que diminuíram depois de episódios de seca em algumas áreas produtoras, especialmente na Austrália. Outro fator importante, do lado da oferta, foi o aumento do uso do milho, nos Estados Unidos, para a produção de etanol. Do lado da procura, o grande fator tem sido o aumento da renda de milhões de trabalhadores na Ásia.
Ganhos maiores também resultaram em novos hábitos. Mais dinheiro no bolso tende a resultar em maior consumo de carne. Assim, a procura de alimentos de origem animal cresceu naqueles países. A nova demanda criou um desafio para os produtores de carne e também para os plantadores da soja e dos cereais usados na fabricação de rações.
Leia mais

Manchetes do dia

Sábado, 12 / 04 / 2008

Folha de São Paulo
"Lula dá aval a aumento de juros"
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva deu um aval, ainda que indireto, à alta dos juros na próxima reunião do Comitê de Política Monetária do BC (Banco Central). "Não será nem a redução de 0,25%, nem a manutenção de 11,25% [taxa atual], nem o aumento de 0,25% que trará qualquer transtorno à economia brasileira", afirmou Lula na Holanda.


O Globo
"Lula já admite que taxa de juros volte a subir"
O presidente Lula admitiu, na Holanda, que os juros podem voltar a subir na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, semana que vem. "Não será a redução de 0,25 (ponto percentual, hoje a taxa está em 11,25% ao ano) nem a manutenção, nem o aumento de 0,25 que trará qualquer transtorno à economia brasileira", disse Lula. Segundo ele, as taxas vão subir ou cair quando necessário. O BC vai se reunir no momento em que o país registra a maior inflação de um mês de março desde 2005, pressionada por reajustes de alimentos, e economistas prevêem alta dos juros. Para Lula, "essa é uma inflação boa", porque o povo está comendo mais e fará os países expandirem a produção. Mas ele cobrou dos ministros medidas para conter os preços dos alimentos.


O Estado de São Paulo
"STF pode reduzir extensão de reserva indígena de Roraima"
O Supremo Tribunal Federal (STF) vai rediscutir o processo de demarcação da reserva indígena Raposa Serra do Sol, em Roraima, informa Luciana Nunes Leal. A pedido do governo do estado, o tribunal já suspendeu, em caráter liminar, a expulsão dos agricultores instalados na reserva. Ministros do STF avaliam que é preciso debater o tamanho e o formato da reserva, uma faixa contínua de 1,7 milhão de hectares definida em 2006. Causa inquietação o fato de que 46% da área de Roraima é formada por reservas indígenas. "Nós perguntamos se não significaria intervenção branca", diz o ministro Carlos Ayres Brito, relator do processo. "Um território transformado em estado agora regride à situação de território. Ganha força a idéia de dividir a reserva em "ilhas", áreas menores separadas. "A demarcação contínua é algo inusitado", avalia Gilmar Mendes, futuro presidente do STF.


Jornal do Brasil
"Cidade da Música: R$ 1 milhão todo mês"
Além de custar R$ 430 milhões mais do que o previsto, a Cidade da Música pode exigir desembolso mensal da prefeitura de R$ 1 milhão para manutenção, caso nenhuma empresa se interesse pelo arrendamento por 25 anos, proposto pelo prefeito Cesar Maia. Um documento apresentado pela própria Secretaria Municipal de Fazenda à Câmara mostra que o empreendimento não é atraente economicamente. O estudo de viabilidade revela que o complexo vai gerar custos de R$ 21,5 milhões por ano, para uma arrecadação praticamente igual, de R$ 21 milhões. A secretária de Fazenda, Fátima Rosane Bastos, observa que a obra "não serve para especuladores" e admite a possibilidade de o município arcar com a despesa. Para vereadores, o projeto é de "alto risco".

sexta-feira, abril 11, 2008

Groovin' - The Young Rascals


Croniqueta

Noite de veranico outonal

Sidney Borges
Na noite passada tive um sonho estranho, bizarro, mas aterrorizante. Lembro-me de estar sendo perseguido por uma orca faminta. Por mais que eu nadasse não conseguia me afastar daquela boca imensa cheia de dentes. Felizmente encontrei um ponto raso, ufa, desta me safei passou pela minha cabeça, enquanto eu fechava a boca com auxílio das mãos para o coração não escapar. Deitei-me exausto e foi só nesse momento que percebi que o oceano de onde eu havia saído era apenas a cascata da Casa da Dinda. Fiquei apreensivo, como explicar minha presença aos gorilas de Collor? De longe uma gargalhada e um som de Ray Connif impressionaram os meus ouvidos, escondido atrás de uma palmeira acompanhei os passos de dança da ministra Zélia. Enquanto observava os volteios um grupo de seguranças se formou na varanda, olharam para onde eu estava, empunharam as armas, pensei em gritar, em correr, em mergulhar, mas a orca estava lá. Sem ter outra saída acordei. Que bela cascata tinha a Casa da Dinda. Já a ministra Zélia dançava mal...

Brasil

Por que e para que acabar com a reeleição?

Do blog do ex-ministro José Dirceu
É um erro, e dos grandes, acabar com a reeleição agora. Os que querem o seu fim já, nem dizem porque e para que pretendem exterminá-la e instituir o mandato de 5 anos. Acabar é um erro crasso porque a reeleição garante, hoje, a continuidade administrativa e a governabilidade importantíssimas para o Brasil.
Se o problema é o uso da "máquina" é só exigir a desincompatibilização do candidato 4 ou 6 meses antes do pleito. Sabemos que esse problema continuará a existir com ou sem reeleição. Solução: ter a lei a respeito e cobrar da Justiça eleitoral que faça a efetiva fiscalização.
O que o país precisa não é acabar com a reeleição e sim fazer a reforma política que institua a fidelidade partidária; voto em lista; financiamento público de campanha; regulamentação do fundo e do horário partidários na TV e no rádio; acabar com a permissão para coligação proporcional; instituir a cláusula de barreira; reduzir à metade o mandato de 8 anos do senador e extinguir o seu suplente. Aliás, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado teve ontem a excelente oportunidade de fazer essa extinção e a desperdiçou - rejeitou.
Só com a reforma política - uma das mais imprescindíveis para o país - se estará mudando o sistema partidário-eleitoral e pondo fim ao vazio legislativo, que permite ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) legislar no vácuo sobre essas questões em substituição ao Parlamento. Sair desse roteiro da reforma política, arvorar-se em paladinos da democracia contra a reeleição, o terceiro mandato e o plebiscito, é mera tergiversação. (Do blog do Noblat)


Nota do Editor - Faço minhas as palavras de Dirceu, concordo integralmente, o Brasil não pode ficar nesse vai-e-vem. Chega de mudanças oportunistas. (Sidney Borges)

A fera da Penha

De tempos em tempos algum maluco(a) pratica um ato de violência ignóbil contra uma criança. A história abaixo aconteceu em 1960, eu era criança e tenho lembrança dos comentários dos adultos. Com voces a versão da revista de maior tiragem do Brasil na época, O Cruzeiro. (Sidney Borges)

Tânia Maria é agora menina santa

Enquanto o povo chora a morte de uma inocente, autoridades pedem a reforma do Código Penal

Texto de ARLINDO SILVA Fotos de HENRI BALLOT
DIZEM que a memória do povo é fraca, mas o caso do assassino da menina Tânia Maria, pelo Frankenstein de saias, Neide Maia Lopes, duvido que o povo esqueça. O local onde a garotinha foi morta, um terreno baldio junto ao matadouro da Penha (Rio de Janeiro), está convertido num pequeno santuário, onde, diàriamente, milhares de pessoas fazem preces, levam flôres, acendem velas e pedem graças. O pequeno pedaço de chão onde a criança morreu queimada, após levar tiro na cabeça, foi cercado por barras de ferro, imitando um pequeno berço, por um popular anônimo. No dia seguinte à morte de Tânia, já se erguia no local uma cruz branca, e, desde então, a peregrinação não cessou. Começa de manhã e vai até altas horas da noite. Senhoras, moradoras nas imediações, contam que cêrca de 1.000 pessoas por dia, muitas vindas de longe ou em trânsito pelas rodovias Rio-São Paulo e Rio-Petrópolis, vão até o local onde morreu a “Flor do Campo”. Êste é o nome que poetas desconhecidos deram à pobre menina. À cruz estão pregados poemas de louvor e glorificação à pequena vítima. Êsses poemas falam: “Ó Santa menina - O mundo não era teu - Tu fôste predestinada - Para a glória do céu”. Também foi pregado à cruzinha branca o “Hino à Flor do Campo”, com estrofes assim: “Ó menina imaculada - Ó meu anjo salvador - Aqui, aqui te louvamos - Com a nossa imensa dor”. Continua: “Vamos todos para o campo - Lá morreu a nossa flor - Aqui, aqui te ofertamos - Todo nosso grande amor”. E o Hino termina: “Êste campo consagrado - É da filha do Senhor - Aqui, aqui nós rezamos - Ó meu anjo salvador”. Em volta do pequeno carneiro improvisado, oram, ajoelhadas, mulheres idosas, mocinhas e crianças, como se estivessem ante um altar. Velhas mães, não contendo sua indignação, dizem que a Polícia deveria deixar a mulher-fera nas mãos do povo. Quando a Polícia divulgou que iria fazer a reconstituição do crime, dezenas de mulheres ficaram de prontidão no local, esperando a chegada de Neide para liquidá-la. E muitas têm esperança de poderem ainda fazer justiça com as próprias mãos se a reconstituição vier a ser realizada. As próprias detentas de Penitenciária de Mulheres de Bangu, revoltadas, ameaçaram trucidar Neide. Elas que cometeram crimes de tôda espécie, acham que a perversidade da assassina de Tânia foi além dos limites. Enquanto a revolta da opinião pública não arrefece, volta-se a discutir a questão da pena de morte. Nesta reportagem, os leitores terão o ponto de vista de várias pessoas autorizadas no assunto. Da soma dessas opiniões, conclui-se uma coisa; com pena de morte ou prisão perpétua, ou sem uma coisa ou outra, o que urge é reformar o Código Penal, para que, através de castigos mais rigorosos, mais intimidativos, ponha-se um paradeiro à seqüência de crimes tão bárbaros.

Leia mais

Luiz Inácio falou

Sobre o 3º mandato

- As pessoas que estão preocupadas com o terceiro mandato são as pessoas que não achavam ruim quando os militares ficaram 23 anos no poder. E são as pessoas que aprovaram a reeleição.

- Oito anos na presidência de um país é tempo suficiente para a gente executar um programa de governo. Sou contra o terceiro mandato porque a democracia é um valor incomensurável com o qual não podemos brincar. E a alternância de poder é uma coisa extremamente saudável para o país.

- Qualquer pessoa que se ache imprescindível começa a colocar riscos à democracia. Pobre do governante que começa a achar que é insubstituível ou imprescindível. Está nascendo, dentro dele, uma pequena porção de autoritarismo ou de prepotência. E isso eu não carrego na minha bagagem política. (Lula na Holanda)

Crônica



Amizade sincera

Localizada a 25 km da Ilha de São Sebastião, a Ilha de Búzios é um verdadeiro paraíso para os praticantes de mergulho. Não é difícil avistar golfinhos, tartarugas e baleias passeando na área, também pródiga em peixes e lagostas que vivem nas tocas entre as pedras. A água límpida e a fauna marinha garantem belos visuais. Nesse recanto preservado de nosso litoral vivem famílias de pescadores em um ambiente quase isolado do mundo que conhecemos.
Há mais de vinte anos, quando eu era médico em Ilhabela participei de diversas expedições à Ilha de Búzios, cuja finalidade era dar atendimentos variados à população, desde vacinação das crianças contra a pólio à vacinação de cães contra a raiva. No barco iam médicos, paramédicos e enfermeiros e ao chegarmos a vila ficava em festa. Onde quase nada acontece qualquer alteração da rotina vira um grande acontecimento.
Em uma dessa visitas, bati à porta de uma casinha na areia, construída em meio a árvores e pedras que a protegiam dos ventos. Coberta de sapé e cercada por uma mureta baixa de bambu me fez imaginar que o projeto devia remontar ao período neolítico. Sem contato e intercâmbio as coisas não mudam.
Depois de bater palmas algumas vezes fui atendido por um homem de idade indefinida, mas seguramente entrado nos anos. Ao me ver vestido de branco ele ficou surpreso e antes que dissesse alguma coisa eu me adiantei:
- O senhor tem cachorro?
- Tem sim.
- Eu vou aplicar uma vacina nele?
- Vacina pra quê?
- Contra a raiva.
- Não bai não. Olha ele ali deitadinho tomando sol. Maruj é mansinho, está comigo há dez anos e nunca mordeu ninguém. Como ele pode ter raiva?
Tentei argumentar, mas foi inútil, enquanto conversávamos Maruj acordou e veio participar abanando o rabo satisfeito, era de fato muito simpático e só foi vacinado na outra visita, quando o dono estava pescando.
Anos depois atendi o velho pescador em Ilhabela. Lembrei-me do caso e perguntei do Maruj. Os olhos dele se encheram de lágrimas, o amigo tinha partido há um mês. Viveu vinte anos sem jamais ter sentido raiva.


Ricardo Cortes

O plantão do Ubatuba Víbora informa:

Desembargador decide libertar pai e madrasta de Isabella

ANDRÉ CARAMANTE da Folha de S.Paulo da Folha Online
O desembargador Caio Eduardo Canguçu de Almeida, do Tribunal de Justiça de São Paulo, concedeu habeas corpus para Alexandre Alves Nardoni, 29, e Anna Carolina Trotta Peixoto Jatobá, 24, respectivamente pai e madrasta da menina Isabella Nardoni, 5, morta no último dia 29 de março, em São Paulo. Eles são considerados pela Polícia Civil e pelo Ministério Público como suspeitos do crime e estavam presos desde quinta-feira (3).
Essa informação foi confirmada à Folha por um dos advogados do casal, Marco Polo Levorin. O habeas corpus foi concedido em caráter liminar (provisório) e tem aplicação imediata. O mérito da questão ainda será julgado.
Nardoni e Jatobá devem ser soltos ainda nesta sexta-feira. Ele está no 77º DP (Santa Cecília) e Jatobá, no 89º DP (Portal do Morumbi). O casal foi preso por força de um mandado de prisão temporária válido por 30 dias (porém prorrogáveis por mais 30 dias) concedido pelo Maurício Fossen, do 2º Tribunal do Júri.

Leia mais

Fábula

Minha contribuição

Modestamente ofereço minha contribuição ao processo eleitoral, uma fábula retirada do fundo do baú. É um simples conselho, mas para entender tem que prestar muita atenção no jogo todo

Renato Nunes

“O MACORVO E O CACO – Andesta na florando um enaco macorme avistorvo um cou com um beço pedalo de quico no beijo. “Vou comou aqueijo quele ou não me chaco macamo”, vangloriaco o macou-se de sara pigo consi. E berrorvo para o cou: “Oládre compá! Voçá estê bonoje hito! Loso, maravilhindo! Jami o vais tem bão! Nante, brilhio, luzidegro. Poje que enso, se quisasse canter, sua vém tamboz serela a mais bia de testa a floroda. Gostari-lo de ouvia, comporvo cadre, per podara dizodo a tundo mer que vocé ê o Rássaros dos Pei”. Caorvo na cantida o cado abico o briu afar de cantim sor melhão cansua. Naturalmeijo o quente caão no chiu e fente imediatamoi devoraco pelo astado macuto. “Obriqueijo pelo gado!”, gritiz o felaco macou. E a far de provim o mento agradecimeu var lhe delho um consou: Jamie Confais em Pacos-suxa.
(Fábula escrita na linguagem - aqui recuperada - do tempo em que os animais falavam. Millôr Fernandes 1 955)”

Ubatuba em foco

Ação discriminatória

Estudo da Prefeitura concluiu que a maior parte das áreas reivindicadas pelo Estado é composta por vazios urbanos; apenas 2% são habitadas

Assessoria de Comunicação PMU

Após a divulgação na imprensa de que grandes bairros de Ubatuba, a exemplo do Ipiranguinha e Ponta Grossa, poderiam estar incluídos nas glebas que o Estado reivindica através de uma Ação Discriminatória, a Prefeitura de Ubatuba apresentou um estudo que mostra que a maioria da população instalada nestes bairros não será afetada por esta ação.
Segundo a assessoria jurídica da prefeitura, o próprio edital do Estado faz uma delimitação das glebas excluindo áreas densamente povoadas, no entanto alguns políticos, por desconhecimento técnico jurídico ou falta de atenção, acabaram espalhando pânico entre os moradores daqueles bairros.

Angra 3

Eletronuclear prevê início das obras de Angra 3 para o 2º semestre

CIRILO JUNIOR da Folha Online, no Rio
A Eletronuclear prevê que as obras da usina nuclear Angra 3 serão iniciadas no segundo semestre deste ano caso a licença prévia de instalação seja concedida até o final deste mês, afirmou nesta quinta-feira o presidente da estatal, Othon Luiz Pinheiro. Ele explicou que todo o material exigido já foi entregue e as audiências públicas previstas, realizadas.
"Não há razão para não sair [o licenciamento ambiental]. Iniciando as obras agora, a usina poderá operar a partir de 2014", afirmou.
Pinheiro disse ainda que o custo estimado da usina foi revisto para baixo. A avaliação feita pela auditoria suíça Colenco estimou em R$ 7,3 bilhões --3% a menos do que o valor previsto anteriormente. Ele explicou que o novo valor foi definido depois de "ajustes simples e necessários" ao projeto.
O executivo frisou que a Eletrobrás vai fazer um adiantamento financeiro para garantir o andamento das obras de Angra 3. Enquanto isso, destacou que a Eletronuclear terá tempo para financiar crédito para o projeto junto a bancos internacionais.
Ele explicou que 70% do projeto será bancado por empréstimos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e aportes da Eletrobrás. O restante será buscado junto a bancos estrangeiros.
Sobre a tarifa pela energia de Angra 3, Pinheiro observou que ainda está sendo discutida a composição da cobrança. Está sendo avaliada a possibilidade de se embutir o custo de manutenção dos produtos já comprados para a usina, que demandam US$ 20 milhões anuais. Se isso for acrescido, a previsão de R$ 138,20 por MWh (megawatt/hora) fatalmente será elevada.
O segundo semestre deste ano também marcará o início do processo de escolha do local onde serão instaladas duas novas usinas nucleares, segundo previsão do governo. Está definido que as unidades serão erguidas na região Nordeste, e que o local terá capacidade para abrigar outras quatro possíveis usinas. A previsão é que as duas usinas do Nordeste comecem a operar em 2018.

Leia mais

Absurdo!

Conte outra!

Sidney Borges
Há coisas que passam em branco quando um crime bárbaro é cometido. Nossa atenção focada na vítima e no inusitado deixa passar fatos importantes e quando nos damos conta estamos vivenciando um absurdo digno da imaginação de Lewis Carrol. Fico a remoer os botões pensando na rara espécie de ladrão que entra em um apartamento espanca e asfixia uma criança e depois a lança pela janela. Com que finalidade? Ladrões roubam, não cometem assassinatos sem motivo. Sabem que a cana para esse tipo de crime é pesada. Com exceção do poderoso Pimenta Neves, que matou, foi condenado e permanece livre, leve e solto, provando a tese que para certo tipo de gente não existe cadeia. Pelo menos não no Brasil. Essa história é absolutamente fantástica, não vou dizer que não é verdadeira, mas não apostaria um centavo contra um milhão na veracidade. O que posso afirmar é que se eu fosse o delegado do caso teria perguntado:
- Foi um ladrão? Entrou no apartamento, espancou a menina, abriu um buraco na tela de proteção, lançou a pobrezinha pela janela e saiu assoviando com as mãos no bolso sem roubar nada?
Ante a confirmação de pai e madrasta eu diria:
- Perfeito. Proponho agora que vocês caminhem até a esquina para verificar se estou lá. Na volta contem outra.
Ainda bem que não sou delegado.

Briga pelas sobras

TSE analisa critérios para aplicação do quociente eleitoral

por Aline Pinheiro
O Tribunal Superior Eleitoral retomou ontem, quinta-feira (10/4), o julgamento que pode mudar o critério para preenchimento das vagas de deputado federal, estadual e vereador que ficaram vagas pelo critério do quociente eleitoral.
Até hoje, prevalece o entendimento de que participam da distribuição das sobras apenas os candidatos dos partidos que tiveram votos suficientes para eleger ao menos um candidato. A regra está baseada no artigo 109 do Código Eleitoral. Pela norma, o candidato mais votado nas eleições pode ficar sem mandato porque seu partido não obteve quociente eleitoral. Agora, o TSE pode mudar essa posição.
A discussão se trava no pedido de Mandado de Segurança 3.555 do candidato a deputado federal nas eleições de 2006 João Caldas. O quociente eleitoral necessário para ocupar vaga de deputado em 2006, em Alagoas, foi de 154,3 mil votos. A sua Coligação Alagoas Força do Povo obteve apenas 152 mil votos, o correspondente a 10,9% dos votos válidos do estado do Alagoas, mas abaixo do quociente eleitoral. Por isso, a coligação não participou da distribuição da sobras. Caldas foi candidato mais votado da coligação, com 34,3 mil, mas não teve direito a mandato. Foram eleitos deputados com menos votos, mas cujo partido atingiu o quociente eleitoral.

Leia mais

Nota do Editor - Quociente eleitoral, expressão mágica capaz de deixar os políticos ubatubenses excitados como um faminto diante da mesa posta para a feijoada completa. Partido com vereador campeão de votos então nem é bom falar. Todos querem, todos cobiçam, mas do jeito que a coisa vai a noiva poderá acabar solteirona, e pior, invicta, guardando para si o que a terra há de comer um dia. (Sidney Borges)

Opinião

Amazônia volta a atropelar

Washington Novaes
Por mais que se deseje, não se consegue manter à distância por muito tempo temas relacionados com a Amazônia. Eles atropelam. Nos últimos dias, a onda de notícias recrudesceu, principalmente depois de o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) informar que o desmatamento no bioma em fevereiro (725 km2) foi 13% maior que o de janeiro (639 km2), retomando uma tendência de alta, embora se esteja na temporada de inverno, quando as chuvas costumam dificultar muitas atividades, entre elas a agropecuária, que tem sido responsabilizada por grande parte do desmatamento mais recente. Estes últimos índices são mesmo superiores aos do período agosto-outubro (243, 611 e 457 km2), mais seco e mais favorável àquelas atividades. E o Inpe diz (Estado, 3/4) que o novo aumento pode ser até maior, porque nuvens intensas sobre Pará e Rondônia dificultaram uma avaliação mais precisa pelo satélite.

Quase simultaneamente, uma bateria de críticas caiu sobre o governo federal, por causa da Medida Provisória 422, que permitiu a regularização de terras na Amazônia com até 1.500 hectares. Uma das críticas mais fortes, do Greenpeace, diz que ela beneficia infratores e "autoriza, em ano eleitoral", legalizar áreas públicas invadidas por grileiros, fazendeiros, vereadores, prefeitos e posseiros. Segundo a ONG Amigos da Terra, ela "privatiza o patrimônio público na Amazônia", vai colocar no mercado milhares de lotes e estimular o desmatamento.
Outra crítica, também do Greenpeace, diz que não saíram do papel quase 70% das ações previstas no plano de ação de 13 Ministérios para prevenção e controle do desmatamento, de março de 2004. Só foram cumpridas integralmente ou quase 10 das 31 ações. E um dos motivos centrais para agravar a situação foi o repasse a Estados e municípios - mais frágeis e suscetíveis a pressões políticas e econômicas - da competência para licenciar desmatamentos e monitorar a floresta. Uma notícia dos últimos dias (Folha de S.Paulo, 4/4) diz que uma propriedade de empresa do governador de Mato Grosso e duas do governador de Rondônia estão entre as embargadas pelo Ibama por causa de desmatamentos e outras "atividades ilegais".
Mas há uma notícia boa: funcionou o acordo de ONGs com grandes exportadoras de soja para não trabalharem, a partir de julho de 2006, com grãos provenientes de áreas ilegalmente desmatadas. Em Rondônia, entretanto, o Estado está concedendo incentivos fiscais por dez anos a projetos de plantio de cana-de-açúcar.
Leia mais

Manchetes do dia

Sexta-feira, 11 / 04 / 2008

Folha de São Paulo
"Alta nos preços de alimentos preocupa líderes mundiais"
Líderes mundiais colocaram a disparada no preço dos alimentos no centro das prioridades globais. A alta, de 83% nos últimos três anos, vem reduzindo os estoques alimentares no mundo ao menor nível em mais de duas décadas e meia. Segundo as Nações Unidas, esse aumento ameaça ganhos obtidos no combate à fome. Gordon Brown propôs um pacote dos países do G8 contra a inflação dos alimentos.


O Globo
"Pressão de estudantes força a saída de reitor"
Pressionado por estudantes que ocupam a reitoria há uma semana, e sem apoio de professores e servidores, que também passaram a pedir sua saída, o reitor da Universidade de Brasília (UnB) se afastou do cargo por 60 dias. Ele é acusado de improbidade administrativa por usar recursos de um fundo de pesquisas para mobiliar seu apartamento funcional, ao custo de R$ 470 mil. Alunos e docentes querem a destituição de Mulholand, de seu vice e dos cinco decanos. Em pouco mais de um ano e meio, o reitor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) gastou R$ 75,5 mil com o seu cartão corporativo em 12 viagens ao exterior.


O Estado de São Paulo
"Investigação do dossiê abre guerra de facções no Planalto"
A apuração do vazamento do dossiê sobre gastos do governo FHC alimenta disputa no Palácio do Planalto entre dois grupos, chamados 'turma da Dilma'. A preocupação é apontar o quanto antes algum responsável pela entrega de dados a parlamentares de oposição. Assessores da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, concentram as suspeitas em subordinados do secretário de Controle Interno, José Aparecido Nunes Pires. Funcionário de carreira do Tribunal de Contas da União (TCU), Aparecido foi levado para a casa Civil em 2003, quando o titular da pasta era José Dirceu. Quando o PT era oposição, o secretário trabalhava em parceria com Waldomiro Diniz na assessoria do partido em CPIs. Petistas ligados a Dirceu mantêm o foco na secretária-executiva de Dilma, Erenice Guerra, que coordenou a coleta de informações sobre gastos da gestão tucana.


Jornal do Brasil
"Epidemia de dengue começa a ceder no Rio"
As autoridades falam com cautela para que a população não se desmobilize, mas acreditam que a epidemia de dengue no município do Rio começa a perder força apesar dos 47 mortes registradas. O governador Sérgio Cabral é taxativo: "Conseguimos mudar a curva dramática da situação. Mas ainda estamos na crise". Já o prefeito César Maia diz que a proporção de atingidos na capital caiu de 79% para 60%. Maia ainda quer esperar para ver se a tendência é consistente.
A média diária de notificações, que em março foi de 651,74 casos, nos nove primeiros dias de abril caiu para 108,66. Enquanto o quadro na capital muda, a doença avança para a Baixada. A Secretaria Estadual de Saúde estuda a transferência para lá de algumas das tendas de hidratação a fim de reforçar o atendimento aos pacientes. Além disso, 12 municípios da região farão um mutirão contra a dengue amanhã.

quinta-feira, abril 10, 2008


Caso Isabella

"Meu irmão fez uma besteira"

Do Blog do Noblat
Foi essa a frase que uma testemunha contou ontem à polícia ter ouvido de Cristiane Nardoni, 20 anos, irmã de Alexandre Nardoni, pai de Isabella, de cinco anos, espancada, esganada e depois jogada de cabeça para baixo da janela do apartamento onde morava no sexto andar do edifício London, zona norte da de São Paulo, no último dia 29.
A testemunha, cujo nome está sendo mantido em sigilo pela polícia, disse que estava com Cristiane em um bar do bairro de Santana quando ela recebeu um telefonema e abandonou nervosa o local. Havia ali uma festa. A polícia está à procura da promotora da festa, que também conversou com Cristiane na ocasião. Como a promotora está fora de São Paulo, só deverá ser ouvida na próxima semana.
Ao jornal Folha de S. Paulo, Cristiane confirmou que de fato recebeu uma ligação quando estava no bar. Que não conseguiu entender direito o que lhe disseram. Mas que soube que algo de grave aconteçara com a sobrinha.
A polícia encontrou manchas de sangue na camiseta usada na noite do crime por Anna Carolina Trotta Peixoto Jatobá, 24 anos, madastra de Isabella. A frente da camiseta foi lavada, mas as manchas foram detectadas na parte de detrás dela.

Energia

Eletronuclear: venda da energia de Angra deve mudar

Agência Estado
Rio - O governo está estudando como mudar o modelo de comercialização da energia produzida nas usinas de Angra, da Eletronuclear, atualmente vendida para Furnas Centrais Elétricas. "O sistema hoje não é muito lógico. Angra vende para outro produtor. Isso está sendo reavaliado", disse o presidente da Eletronuclear, Othon Luís Pinheiro.
Ele anunciou que haverá um "divórcio amistoso" entre as duas empresas, ambas do sistema Eletrobrás. A separação se dará "à medida que os contratos forem acabando", pela não-renovação. "Furnas pediu no passado que haja a separação e, para nós, não há problema", disse."A holding faz essa definição", afirmou.
Pinheiro informou que atualmente a Eletronuclear recebe de Furnas R$ 120,35 o megawatt-hora. "É um pouquinho apertado este valor", disse. De acordo com ele, a empresa foi formada diante do objetivo de privatizar Furnas e "a empresa começou com uma dívida um pouco pesada". Por isso, está negociando com o governo buscando "ou uma tarifa melhor ou condições que venham a aliviar (a empresa)".
O presidente da Eletronuclear, que participou do seminário "Meio Ambiente - Desenvolvimento Sustentável", não esclareceu na entrevista coletiva à imprensa que condições seriam essas ou como será o novo modelo novo modelo de comercialização. "Não está claro nem para você e nem para mim. Por isso é que estão estudando". (Adriana Chiarini)

O que todos desconfiavam...

Polícia considera caso de Isabella esclarecido

Deu há pouco no telejornal Hoje, da TV Globo, que a polícia considera o caso Isabella esclarecido "em 99%.

De O Globo Online:
A perícia encontrou vestígios de sangue na roupa usada por Anna Carolina Trotta Peixoto Jatobá, 24, no dia da morte de Isabella de Oliveira Nardoni, 5. A roupa seria a mesma utilizada pela madrasta no sábado em que Isabella foi arremessada por um buraco na tela de proteção do apartamento do casal, no sexto andar do edifício London, zona norte de São Paulo. Antes de serem entregues à polícia, as roupas de Anna Carolina e Alexandre Nardoni, pai da menina, teriam sido lavadas.
No inquérito policial, nenhuma testemunha afirmou ter visto Anna Carolina abraçando o corpo de Isabella depois que a menina caiu no gramado. A madrasta, segundo o porteiro do prédio, chegou ao local onde Isabella estava caída alguns minutos depois de Alexandre. Ela só gritava que não havia segurança no prédio, de acordo com a testemunha.
Alexandre Nardoni e Anna Carolina ligaram primeiro para seus pais antes de chamar o resgate do Corpo de Bombeiros ou a polícia. (Do Blog do Noblat)

Leia mais

Energia

Relatório da ABEN demonstra que nuclear é fonte de energia que menos emite CO2

Fonte Nuclear
A ABEN protocolou no Ibama relatório em que apresenta uma análise comparativa das emissões diretas e indiretas de CO2 das fontes de geração energética. O documento comprova que a energia nuclear é a alternativa que menos contribui para o aquecimento global. O documento é um contraponto a um relatório elaborado pelo Greenpeace, com dados não-comprovados e também protocolado no Ibama, em que a ONG contesta a afirmação de que o uso da energia nuclear não resulta na emissão de gases-estufa. O Ibama realizou entre os dias 25 e 28 de março quatro audiências públicas nos municípios de Angra dos Reis, Paraty e Rio Claro, no estado do Rio, e Ubatuba, em São Paulo, como parte do processo de licenciamento ambiental de Angra 3 e está recebendo documentos sobre o tema que integrarão o dossiê dos eventos.
A análise da ABEN foi feita com base em estudos de universidades da Alemanha e da Suíça e do Governo do Reino Unido e compara as emissões decorrentes de sete fontes de geração energética. A energia nuclear aparece juntamente com as usinas hidrelétricas como as alternativas que menos emitem CO2 para a atmosfera. As centrais nucleares emitem entre 5 e 33 gramas por quilowatt-hora (g/kWh) de CO2, enquanto as hidrelétricas emitem de 4 a 36 g/kWh. Logo depois, vêm as energias eólica e solar. A primeira resulta na emissão de 10 a 38 g/kWh. Já a segunda emite entre 78 e 217 g/kWh.
Os combustíveis fósseis ocupam as três últimas posições, sendo responsáveis por emissões que são muito superiores às das outras quatro fontes analisadas. A menos nociva para o meio ambiente é o gás natural, cujas usinas geradoras emitem entre 399 e 644 g/kWh. Em seguida, vem o óleo combustível, que resulta na emissão de 550 a 946 g/kWh. Em último lugar, está o carvão, cujas usinas emitem entre 838 e 1.231 g/kWh.
Para o presidente da ABEN, Francisco Rondinelli, a análise mostra claramente que a geração nuclear é de fato limpa e pode contribuir para a mitigação dos efeitos do aquecimento global. “Defendemos que não existe uma solução única para as necessidades energéticas e ambientais do país. Se o Brasil pretende manter o seu ritmo de desenvolvimento e atender as demandas da sociedade, todas as fontes viáveis para a geração elétrica serão imprescindíveis na composição de nossa matriz energética, entre elas a nuclear, que tem benefícios ambientais irrefutáveis”, ressalta.
Ele acrescenta que a discussão sobre os rumos do setor nuclear brasileiro é de extrema importância para o futuro do país e precisa ser embasada em informações isentas e qualificadas. “Temos grande potencial para a exploração desta fonte de geração e não podemos nos dar ao luxo de abrir mão de seu uso. Se fizermos isso, estaremos comprometendo nossa segurança energética”, complementa.
A Eletronuclear também protocolou dois documentos que refutam relatórios do Greenpeace sobre os custos de Angra 3 e supostas emissões de CO2 resultantes do uso da energia nuclear. O assistente da Presidência, Leonam Guimarães, afirma que, no documento divulgado sobre os custos da usina, a ONG utilizou impropriamente o nome da Universidade de São Paulo (USP). Ele diz que o estudo foi elaborado por pesquisadores ligados à universidade e não pela instituição propriamente dita.
Além disso, o trabalho dos pesquisadores corresponde a apenas um capítulo do documento do Greenpeace. Os demais são de autoria da entidade, como os próprios cientistas da USP ressaltam. “O Greenpeace fez interpretações e extrapolações dos dados técnicos que não guardam nenhuma relação com os resultados apresentados pelo grupo de pesquisadores ou foram feitas de forma capciosa, embutindo equívocos técnicos que levam o leitor desavisado a passar a crer nos pressupostos ideológicos defendidos por essa organização internacional”, diz Guimarães.

Equívocos do Greenpeace

O relatório apresentado pelo Greenpeace é parcialmente copiado de apresentação feita em dezembro pela Eletronuclear na USP, só que com trechos alterados, como no caso do valor total do investimento previsto. A entidade alterou o número de R$ 7,355 bilhões para R$ 9,22 bilhões. Para obter esse novo valor, a ONG adicionou os juros durante a construção (JDC) ao total a ser investido, o que não é feito para nenhuma análise de projeto de investimento. De acordo com a empresa, os JDC serão considerados e quitados durante a operação normal da planta, através dos valores arrecadados com a venda da energia elétrica. Não haveria, portanto, nenhum subsídio ou valor escondido, como quer fazer crer o Greenpeace.
Segundo Leonam Guimarães, outro equívoco da ONG é afirmar que a taxa interna de retorno (TIR) de 10% considerada pelo Governo seria uma forma de subsídio a Angra 3 e comparar essa taxa com a utilizada pela iniciativa privada para investimentos em geração elétrica. Ele frisa que são duas situações completamente diferentes, pois Angra 3 não faz parte do mercado de investimentos privados, na medida em que a geração nucleoelétrica é uma competência constitucional da União.
“Trata-se de um empreendimento público. O Governo não precisa remunerar a si próprio. O que ele tem que fazer é garantir a modicidade tarifária para o consumidor, evidentemente, sem prejuízos para o Tesouro. Uma remuneração de 10% é usual em projetos de grande porte e longo prazo de maturação. O prazo de amortização do investimento de um projeto como Angra 3 é de 46 anos. Não dá para comparar, por exemplo, com uma térmica a gás, cujo prazo de amortização é de 15 anos. Uma taxa maior de remuneração, como a praticada no Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica (Proinfa), tem o propósito de incentivar o investidor privado a assumir riscos e expandir a atividade no país”, explica Guimarães.
A Eletronuclear também rebateu as acusações de que o uso da energia nuclear resultaria na emissão de gases-estufa. Enquanto o Greenpeace afirma que a operação de Angra 3 resultaria em emissões equivalentes de até 150 g/kWh de CO2, estudos mostram que o valor considerado para uma usina nuclear é de até 40 g/kWh. No Brasil, esse número deve ser menor. “Aqui a energia elétrica gasta ao longo da cadeia produtiva do combustível nuclear é de origem hídrica, enquanto no resto do mundo é térmica. Então, a emissão de CO2 decorrente do uso dessa energia tende a ser menor que a média mundial por causa da característica da matriz elétrica brasileira”, conclui.

Cheiro de golpe

Juíza condena advogado que entrou com ação por má-fé

por Priscyla Costa
Utilizar processo judicial para obter vantagens ilícitas “é um claro ato atentatório à dignidade da Justiça” e deve ser punido com multa por litigância de má-fé. O entendimento é da juíza Tatiana Iykie Assao Garcia, do 5º Juizado Especial Cível de Brasília. Ela multou um advogado por entender que ele forçou uma situação de conflito para entrar com ação de indenização por danos morais.
O advogado pedia indenização de R$ 15,2 mil, mas foi condenado a pagar R$ 152 por litigância de má-fé. Motivo: ele foi até uma drogaria em busca de uma promoção de desodorantes. No dia da compra, a promoção havia terminado. De acordo com a decisão, em vez de esperar que o atendente tentasse resolver o impasse com o cliente, ele comprou o produto pelo preço mais alto do que foi anunciado e afirmou: “isso vai me render uns quatro mil”, insinuando o valor da indenização que poderia receber por causa da propaganda que entendia ser enganosa.

Leia mais

Nota do Editor - Há alguns anos minha cunhada teve uma loja em um shopping da cidade. Perto do natal contratou temporariamente uma auxiliar e dias depois recebeu a informação que a funcionária estava grávida. Depois de conversarem chegaram a um acordo, a garota ficaria até quando quisesse ou pudesse. Uma semana depois ela pediu para sair pois a gravidez era de risco e haveria necessidade de repouso. Passados dezoito meses chegou à loja uma intimação da Justiça. A garota reclamava ter sido demitida sem direitos e pedia uma indenização alta além de direitos trabalhistas que não teriam sido pagos. Um erro fatal foi cometido pelo rábula que preparou o processo. No dia da alegada demissão minha cunhada não estava no Brasil e no processo havia até palavras duras por ela proferidas. Frente à evidência a juiza anulou a causa. Um caso típico de tentativa de estelionato que ficou impune. O "advogado" em questão não está mais em Ubatuba, espero que esteja preso, é um perigo deixar gente assim em convívio com a sociedade. (Sidney Borges)

Crônica

O último engarrafamento

Luiz Fernando Veríssimo
A boa notícia é que nunca se viu tantos carros nas ruas. A má notícia é que nunca se viu tantos carros nas ruas. Carros sendo produzidos e comprados como nunca significam fábricas e fornecedores funcionando e empregando mais, mais gente com mais dinheiro ou crédito no mercado, uma classe média em expansão, uma economia em crescimento. Carros sendo produzidos e comprados como nunca significam engarrafamentos inéditos e acidentes de trânsito em níveis de massacre, sem falar no aumento da poluição do ar que respiramos e no agravamento generalizado das neuroses. É bom que muitas pessoas que não tinham condições de comprar seu carro agora tenham, é ruim que em todas as grandes cidades brasileiras hoje exista uma grande nostalgia pelas chamadas horas do rush, ou os horários de pique no trânsito, de antigamente, pois agora toda hora é hora do rush.
Leia mais

Wilson Simonal - Lobo Bobo (1969)


Sociedade

A separação aconteceu... Os filhos sim perdem mais

L.C.Ferraz

As brigas de um casal ou mesmo a separação dos pais sempre deveriam ser algo a ser tratado apenas entre o casal em particular, jamais diante dos filhos. Ainda mais quando a filhos que mesmo sem o conhecimento da separação tomam partidos que muitas vezes demoram anos para caírem ou visualizar que erraram isso geralmente acontecem com filhos adolescentes. É sempre bom manter um dialogo com eles explicando que para eles somente o pai e a mãe estarão separados mas não mudara nada para eles. Mas uma coisa é certo será difícil aceitação daquele que já tomou partido, certo seria a imparcialidade mais isso depende muito do filho.
Os pais desconhecem a profundidade do problema que as discussões e os conflitos entre ambos podem gerar para os filhos quando eles as presenciam, devido ao fato dos filhos sentirem-se na obrigação de tomar partido de um deles, quando na verdade eles não gostariam de tomar partido de nenhum dos dois. Em muitos casos, o pai ou a mãe fazem uso da criança para chantagear o outro ou para se fazerem de vítima. Hoje muito comum em muitos casos.
É comum ainda ouvir de casais, cujo relacionamento entre eles caminha de mal a pior, a importância de se manter o casamento para manter a saúde emocional dos filhos. Não que seja o melhor, mas lembrando que em muitos casos as medidas tomadas por uma das partes (Pai ou Mãe) seja prematura e no futuro isso virá a tona pois poderia ter sido superado na época. “O tempo muitas vezes e o juiz de todas as coisas” e quando acordarem já será tarde demais para uma conciliação.
É mais comum ainda vermos homens que se sujeitam a uma vida de sofrimento e desamor apenas para manter o contato diário com os filhos.
Ex-esposas, inconformadas com a separação, que se sentem inseguras pelo fim do relacionamento, magoadas por terem se doado tanto no casamento, achando que deve cobrar isso durante a vida toda, não sendo pelo amor da pessoa que se foi mas pelo dinheiro que isso pode render. Hoje com o Novo Código Civil(2002) isso mudou muito ate mesmo nas que procuram valores fácil que na verdade nunca ira conseguir. Isso tudo porque acabou o relacionamento de uma forma bruta, dele ter terminado,ou ate mesmo dela ter tomado uma decisão prematura e hoje a realidade mostra que era fácil ter superado. entre outros fatores, ainda não sabem separar a relação homem-mulher da relação pai e filhos. Muitas ainda chantageiam o ex-marido usando os filhos, tal como não deixar que o ex-marido os encontre enquanto não pagar a pensão ou mesmo obrigar seus filhos a visitarem o pai vestindo roupas velhas, rasgadas somente para pressionar o ex a gastar o seu dinheiro com os filhos, como se este gasto pudesse ser um empecilho para o pai não sair com uma outra mulher, por exemplo ou para que ele reconstrua a sua vida sozinho.
O problema se agrava quando elas tem conhecimento de que o pai está namorando: elas fazem uso dos filhos para saber detalhes da vida do pai ou mesmo da namorada e não é raro vermos ex-esposas falando mal do ex-marido para os filhos, deixando-os inseguros quanto ao afeto que o pai nutre por eles. Elas costumam dizer: “seu pai prefere sair com aquela sujeita a sair com vocês” ou “enquanto ele gasta fortunas com a namorada viajando, olha só o valor da pensão que ele dá para vocês” ou mesmo “hoje seria o dia de seu pai ver vocês e onde ele está? Com aquela “mulherzinha”! E ele nem ligou para se desculpar por não ter vindo!”
Ainda é comum mulheres conceberem filhos na tentativa de preservar um casamento e que passam a não se importar mais com os filhos quando seu casamento acaba, desprezando-os ou culpando-os pelo final do casamento.
Cito aqui o comportamento feminino mais comum de mulheres que não aceitam/admitem a separação, mulheres que foram submissas ao marido ou que agem desta forma por pura insegurança ao se verem sozinhas, sem um homem que as proteja e que as sustente!
É claro que há muitos casos também de mulheres que entendem que os filhos não tem culpa alguma de sua separação, que dialogam muito bem com os ex-maridos, inclusive tornando-se grandes amigas deles e que educam os filhos de forma conjunta com o ex-marido, mesmo vivendo separados.
E como se comportam pais separados? Eles tem o mesmo comportamento da mãe?
Em geral, os homens ainda tem dificuldade em mostrar seus sentimentos, em conviver com seus filhos, seja porque o convívio durante o casamento foi pequeno, seja porque evitam conviver com os filhos justamente para evitar qualquer contato com a ex-esposa em virtude de discussões ou conflitos que continuam após a separação.
Muitos pais até gostariam de manter um contato maior com os filhos, mas seu trabalho e seu tempo disponível nem sempre é compatível com o tempo disponível dos filhos, ou mesmo porque a lei os obriga a ver os filhos apenas a cada quinze dias,(hoje temos a guarda compartilhada) o que dificulta a construção mais efetiva dos laços afetivos entre eles ou até pela dificuldade de fazer acordos extra-judiciais com a mãe para ver os filhos em outros momentos por todos os motivos acima descritos. Ou até mesmo de filhos que tomaram partidos e foram parciais dificultando o contato com pai.
É comum vermos pais que, por terem dificuldade em mostrar seu afeto ou porque se sentem culpados com a separação, satisfazerem todos os gostos de seus filhos, tendo dificuldades em dizer não a eles e mimando-os excessivamente, como se isso fosse minimizar seu sentimento de culpa ou fazer com que seus filhos o amém. Isso é um erro muito grande.
Para que o pai possa estabelecer e manter um relacionamento saudável com seus filhos pela vida afora, é importante que esse contato seja de qualidade ou seja, que ele esteja presente e mantenha atividades junto com seus filhos: conversar, brincar, ver filme junto com eles, etc... Também é importante dialogar com eles a respeito do dia a dia deles, como estão na escola, verificar suas lições de casa, saber dos amiguinhos e, porque não, promover passeios junto com os filhos e os amiguinhos deles. No caso dos amiguinhos dos filhos terem pais separados, é interessante que todos estes pais se reúnam de vez em quando e troquem experiências entre eles e que estejam junto com os filhos. Uma idéia seria promover um churrasco, uma partida de futebol (time dos filhos contra o time dos pais), viagem no final de semana, etc... Reporto ainda que, mais importante do que o tempo dedicado aos filhos, é a qualidade deste tempo com eles. Muitas vezes, meia hora de conversa e atenção exclusiva para os filhos é muito mais efetivo do que passar um dia todo sem ao menos conversar com eles, apenas debaixo do mesmo teto.
L.C.Ferraz – Bacharel em Ciências Jurídicas pela Unitau – Juiz Arbitral pelo T.A.S.P.
Conciliador do J.E.C. de Ubatuba-SP.

Infanticídio

Conversa 79% fiada

Guilherme Fiuza
A delegada do caso Isabella informou que 70% do crime estão esclarecidos. Notícia importante.
Será interessante se os locutores de futebol adotarem essa metodologia. Se o time A termina o primeiro tempo vencendo o time B por um a zero, é anunciado que o jogo está 50% ganho. (Se no final o time B ganhar por quatro a um, bem, paciência…)
Seria importante que a doutora delegada revelasse ao Brasil os segredos da sua escala. Evidentemente, ninguém vai supor que a eminente autoridade policial jogou um número ao vento, apenas como um quitute aos jornalistas.
Se os tais 70% não são um número cabalístico, vale então especular sobre o valor percentual de cada descoberta. Quanto valerá o depoimento do porteiro? 20%? E o do pedreiro que trocou a porta do apartamento? 18%? E a perícia que aponta estrangulamento? 31,5%?
A delegada acredita que investigar a culpa de alguém por um crime é como correr uma maratona: só faltam 30% do percurso. Ou seja, é questão de tempo.
Mas, doutora delegada, e se nos últimos 30% aparecer um personagem novo confessando o assassinato? Nesse caso, doutora, seus atuais 70% serão iguais a zero.
Jamais se viu, em toda a história da investigação criminal, um caso 70% esclarecido. Das duas, uma: ou a delegada é uma revolucionária, ou é uma irresponsável.


Nota do Editor - O jornalista Guilherme Fiuza viveu um drama que guarda semelhanças com o caso Isabella. Sua ex-mulher tropeçou e a criança que carregava nos braços, filha do casal, caiu do vigésimo andar. A notável diferença é que o jornalista correu para o local da queda e tomou a criança nos braços. É o que a maioria dos pais faria, não é o que o pai de Isabella fez, segundo a imprensa. Para todo comportamento humano há uma razão. (Sidney Borges)

Opinião

Comunicação é diálogo

Eugênio Bucci
Ninguém é dono da razão final a priori. A razão não se impõe pela propaganda, pelo monólogo do proselitismo. Ela só adquire validade quando faz sentido natural para o conjunto dos interlocutores - e comunicar é justamente isto: tecer o sentido comum. Comunicar é buscar pontes de entendimento. É dialogar.

Os responsáveis pela mediação do debate público não podem mais ignorar o fato de que nada é mais danoso - e enganoso - do que pôr os meios de comunicação a serviço de ideários prontos e fechados. Esse tipo de prática - em meios públicos ou privados, tanto faz - não constrói confiança, não estimula a divergência e a participação crítica, não emancipa o cidadão. Nos dias atuais, de inovações tecnológicas e políticas que não cessam, nenhuma sociedade gera um espaço público saudável na base da obediência e da concordância. Foi-se o tempo em que comunicação era um alto-falante na pracinha da província. Foi-se o tempo em que a receita era adestrar as massas.
As técnicas de massificação corroem a credibilidade dos próprios meios. Não promovem o encontro de opiniões complementares, não respeitam nem assimilam os pontos de vista alternativos - apenas militam para fazer prevalecer o interesse de quem exerce poder econômico ou político sobre a mediação do debate. Não raro, poder abusivo. A massificação até consegue potencializar fanatismos de diversas naturezas, mas não gera sabedoria compartilhada. Pode compactar as maiorias em momentos específicos, mas no longo prazo conduz à destruição. O século 20 é pródigo em exemplos trágicos - e, no século 21, ainda há quem insista em retomar e reeditar as fórmulas ultrapassadas.
Aos mais ansiosos os três parágrafos acima talvez soem genéricos, abstratos, descolados das atualidades ditas jornalísticas, dos dossiês da vida, da dengue desgovernada, dos congestionamentos. E, no entanto, essas palavras, assim mesmo, aparentemente vagas, tocam no âmago da qualidade do debate público e na capacidade que ele tem ou não tem de encarar e superar seus impasses. Eis aqui um dos temas mais graves dos nossos tempos. Um dos mais urgentes, também. Eis aqui um tema visceralmente jornalístico.
Leia mais

Manchetes do dia

Quinta-feira, 10 / 04 / 2008

Folha de São Paulo
"PF prende 16 prefeitos suspeitos de corrupção"
A Polícia Federal prendeu em Minas, na Bahia e no DF 51 suspeitos de desvio ilegal de verbas do Fundo de Participação dos Municípios. Entre os detidos pela Operação Pasárgada, estão 16 prefeitos (14 de MG e 2 da BA), incluindo os de Juiz de Fora, Carlos Alberto Bejani (PTB), e de Divinópolis, Demetrius Pereira (PSC). O prejuízo aos cofres públicos seria de R$ 200 milhões.


O Globo
"Inflação vai além do previsto e BC poderá subir juros logo"
A inflação oficial do país, medida pelo IPCA, surpreendeu em março os analistas e até o Ministério da Fazenda, fechando em 0,48%, a maior taxa para o mês desde 2005 e acima da expectativa do mercado, de 0,35%. Nos últimos 12 meses, o índice acumula alta de 4,73% acima da meta de 4,5% fixada pelo Banco Central para 2008. Já a variação anual do INPC, que mede o custo de vida para as famílias mais pobres, atingiu 5,50%. Segundo economistas, o aumento dos preços, puxado pelos reajustes dos alimentos, que já subiram 11,2% em um ano, fará o Comitê de Política Monetária (Copom) do BC elevar a taxa básica de juros, hoje em 11,25% ao ano, já na próxima reunião, semana que vem, para 11,50% ou até 11,75%. Com a perspectiva de juros maiores no Brasil e de recessão nos EUA, prevista ontem pelo FMI, a Bolsa de Valores de São Paulo caiu 1,65%.


O Estado de São Paulo
"16 prefeitos são presos por desvio de verbas"
A Polícia Federal prendeu ontem 51 pessoas, entre elas 16 prefeitos, 1 juiz federal e 9 advogados, além de servidores federais e municipais. Eles são suspeitos de envolvimento com liberação irregular de verbas do Fundo de Participação dos Municípios para cidades em débito com a Previdência Social. O rombo nos cofres públicos é estimado em mais de R$ 200 milhões nos últimos três anos. A operação policial recebeu o nome de Pasárgada e foi deflagrada em Minas Gerais, Bahia e Brasília. Foram apreendidos documentos, veículos - entre eles dois aviões -, cerca de R$ 1,3 milhão e US$ 20 mil. Segundo o delegado que coordenou a operação, Mário Alexandre Aguiar, prefeituras que haviam firmado acordo para quitar débitos previdenciários eram procuradas por um escritório de advocacia, que lhes vendia um "pacote pronto", com"decisão judicial já ganha". O objetivo era liberar verba retida pela Previdência como garantia de pagamento da dívida dos municípios. As ações judiciais eram concentradas em apenas duas varas federais em Belo Horizonte. "A distribuição era viciada, não obedecia aos preceitos do Código de Processo Penal", disse Aguiar. Parte do pagamento pelos serviços do escritório retornava para os prefeitos na forma de propina.


Jornal do Brasil
"Bancos antecipam aumento de juros do cheque especial"
O Banco Central ameaça elevar a taxa básica de juros na próxima semana, mas as instituições financeiras já se anteciparam à alta. Pesquisa divulgada ontem pela Fundação Procon de São Paulo, constata aumento nos juros do cheque especial e dos empréstimos pessoais. O consumidor que precisa recorrer ao cheque especial paga em média 8,49% de taxa ao mês. É o maior índice desde setembro de 2003. Segundo especialistas, o consumidor paga a conta por uma atitude preventiva dos bancos, que dão como certa a elevação dos juros pelo Banco Central.

quarta-feira, abril 09, 2008

Brasil

Lula

Thomas Traumann em O Filtro
A principal sinalização política do dia ganhou apenas rodapé nos jornais: a ameaça do presidente Lula de romper com o PT se o partido insistir em levar adiante a tese do terceiro mandato. Em encontro ontem com a bancada do PDT, Lula ouviu de seu ex-ministro e senador Cristovam Buarque (PDT-DF) a informação de que iria “bater” na proposta da nova reeleição. “Batam o máximo na proposta. Isso é meio absurdo. Se o PT aprovar isso, eu rompo com o PT”, afirmou Lula, autorizando o senador a divulgar a frase. Até que a ameaça demorou. A idéia de um terceiro mandato para Lula – que chegou à imprensa, é bom lembrar, por meio de Fernando Henrique Cardoso – ganhou visibilidade com a movimentação do deputado Devanir Ribeiro (PT-SP). Devanir anunciou que começa, hoje, a reunir assinaturas para uma proposta de emenda à Constituição que acabe com a reeleição e amplie o mandato presidencial para cinco anos – manobra que, em tese, iria zerar o jogo eleitoral e permitir uma nova candidatura de Lula.

Devanir não é um deputado qualquer. Foi da diretoria do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC quando Lula era presidente, participou da histórica “turma do Mé” (o grupo pré-PT montado por Frei Betto para discutir política) e é um dos poucos políticos que dona Marisa Letícia deixa sentar no sofá da sala sem fazer cara feia. Lógico, seria mais fácil para o presidente ligar e dar uma bronca homérica em Devanir (o que, conhecendo o estilo de Lula, aposto que já fez um milhão de vezes), mas esse tempo já passou. A idéia do “queremismo” ganhou adeptos por uma turma que vai do prefeito do Recife, João Paulo, à governadora do Pará, Ana Júlia, passando pelo discreto presidente do PT, Ricardo Berzoini. Se o próprio Lula não tomar uma atitude, o medo de parte do PT de perder o poder em 2010 pode abaixar ao esgoto o nível pedestre do debate político do país.

Acusou ou não acusou?

Promotor do caso Isabella nega ter acusado pai

Agência Estado
São Paulo - O promotor do Ministério Público Estadual (MPE), Francisco Cembranelli, negou que tenha acusado Alexandre Alves Nardoni de ter matado a filha Isabella Nardoni, de 5 anos, em conversa reservada hoje com um grupo de repórteres. A informação foi divulgada no blog do jornalista Ricardo Noblat.
Conforme o blog, o promotor já deu aula para Alexandre e, com base no conhecimento que já tinha do suspeito, teria culpado o pai de Isabella e dito que ele "é um vagabundo, que sempre viveu às custas do pai, um playboy". Cembranelli reagiu: "Isso (a informação no blog) é irresponsabilidade, de um mau-caratismo sem tamanho." Ele negou ter sido professor de Alexandre. "É um completo absurdo", disse. "Eu nunca dei aula para ninguém, e em nenhum momento deste inquérito eu tive conversa informal com ninguém", afirmou. (Wladimir D'Andrade)


Nota do Editor - O jornalista Ricardo Noblat é macaco velho, tem muitos leitores porque é confiável e está sempre em cima do lance, para usar um jargão ao gosto do presidente Lula. Leia aqui a nota postada no blog e veja se o meu raciocínio não está correto: sem um ás na manga Noblat não postaria essa notícia. Não endosso as supostas acusações do promotor, enquanto não houver uma sentença transitada em julgado não há culpados, apenas suspeitos. (Sidney Borges)

Tibet

Levitação

Sidney Borges
Na adolescência li O despertar dos mágicos, A terceira visão, de Lobsang Rampa e a trilogia de Herman Hesse, Demian, O lobo da estepe e Siddharta. Nessa época circulava a história de um casal em férias no Rio Grande do Sul. Cansados encostaram o fusca para tirar uma pestana. Ao prosseguir viagem as placas da estrada tinham mudado de idioma, estavam em espanhol. Surpresos entraram na cidade do México pensando que fosse Bento Gonçalves. Constava do relato a compra do fusca pela Nasa. Os viajantes eram amigos do primo de um conhecido e a coisa não ficava por aí, logo alguém contava outra história. Algumas tinham grande conteúdo exotérico. Há quem continue na vida adulta buscando o conhecimento total, o santo graal e a pedra filosofal. Para eles – ingênuos - sempre haverá um Gurdjieff pronto a cobrar pelos ensinamentos. Confesso que cheguei a acreditar na existência de discos voadores, seriam os deuses astronautas? Felizmente a razão se apossou de meu espírito. Se valesse a cultura inútil que acumulei no verdor da existência, os problemas do Tibet não existiriam. Bastaria uma legião de monges levitando para fazer chover canivetes abertos sobre a China. Infelizmente para os crédulos, monges não levitam. E também não trabalham, apenas rezam. Mas comem, ninguém se alimenta de orações.

Corrupção

Suspeitos de fraude, 13 prefeitos são presos pela PF

Operação tem objetivo de pôr fim a um esquema de liberação irregular de verbas. Prejuízo aos cofres públicos pode ultrapassar R$ 200 milhões, segundo a PF.

Do G1, em São Paulo
A Polícia Federal informou que prendeu na manhã desta quarta (9) 13 prefeitos investigados pela Operação Pasárgada. Segundo a assessoria da PF, estão presos 11 prefeitos de municípios de Minas Gerais e dois da Bahia.
Cerca de 500 policiais federais participaram da operação nos dois estados e no Distrito Federal. O objetivo da operação é pôr fim a um esquema de liberação irregular de verbas do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). O prejuízo aos cofres públicos pode ultrapassar R$ 200 milhões.
Também foram presos pela Operação Pasárgada, de acordo com a PF, um juiz federal, nove advogados, quatro procuradores municipais, quatro funcionários do Judiciário, um gerente da Caixa Econômica Federal e um lobista.


Entre os prefeitos presos, segundo informou a Polícia Federal, estão Carlos Alberto Bejani (PTB), de Juiz de Fora-MG; Demetrius Arantes Pereira (PTB), de Divinópolis-MG; Júlio Cesar de Almeida Barros (PT), de Conselheiro Lafaiete-MG; José Eustáquio Ribeiro Pinto (DEM), de Cachoeira da Prata; Geraldo Nascimento (PT), de Timóteo-MG; Ernesto Peçanha da Silva (DEM), de Itabela (BA); e Gilberto Balbino (PR), de Sobradinho (BA).

Foram presos ainda, segundo a PF de Minas, prefeitos de outras seis cidades mineiras, cujas prisões ainda não foram confirmadas pelo G1.

Leia mais

Brasil

Queremismo

Murillo de Aragão
Dentre os aliados de Lula é natural o sentimento de "continuísmo". Quem está alojado no poder em um governo de sucesso não quer sair. Quanto mais tempo ficar, mais consolida seu poder ou o poder de seu grupo. São esses os que mais querem que Lula continue já que não sabem como será o futuro sem ele. O atual governo, acima de ser um governo do PT ou um governo de coalizão, é o governo de Lula e, mesmo que ele consiga fazer o sucessor, não terá a mesma configuração. Assim, a opção preferencial é a de prolongar ao máximo a atual situação. No meio sindical, a preferência por Lula também é indiscutível. Nunca tiveram tanto acesso e diálogo com um presidente que, afinal das contas, é um dos seus."
Leia mais

Central Nuclear



Geradores de vapor de Angra1 chegam à Central Nuclear

Gloria Alvarez

Na madrugada do dia 07/04/08, o segundo gerador de vapor (GV) da Usina Angra 1 chegou à Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto, em Angra dos Reis (RJ). As duas peças, de 343 toneladas cada e 21m de comprimento x 4,5m de diâmetro, foram fabricadas pela Nuclep, em Itaguaí (RJ), e estão viajando desde o dia 1º por terra e por mar. Uma carreta especial com 12 eixos e 12 rodas em cada eixo foi utilizada para os quatro quilômetros de transporte terrestre, da fábrica ao Terminal Marítimo da Nuclep, onde se encontrava uma balsa de 50m de comprimento x 16m de largura, que seguiu até a Central Nuclear.
O investimento foi de R$ 569 milhões, englobando aquisição, análise de segurança, licenciamento, substituição e armazenamento. A Nuclep foi responsável pela fabricação dos equipamentos, cabendo à empresa francesa Areva NP a engenharia, a aquisição dos materiais e a assistência técnica na fabricação. A Westinghouse foi a empresa contratada pela Eletronuclear, mediante licitação, para realizar os serviços de substituição, previstos para iniciar em setembro deste ano.
Os GVs são equipamentos responsáveis pela produção do vapor saturado seco para movimentar as turbinas geradoras de energia elétrica. A substituição dessas peças, em Angra 1, foi uma decisão tomada pela Eletronuclear, depois da identificação da predisposição para desgaste da liga metálica utilizada nos tubos dos equipamentos, o que exigia freqüentes testes de sua integridade. O mesmo problema também foi encontrado em outras usinas nucleares no mundo. Oitenta e cinco delas já realizaram substituições semelhantes e, até 2011, outras 20 usinas, incluindo Angra 1, farão a troca destes equipamentos.
A instalação dos novos equipamentos levará cerca de quatro meses de trabalho ininterrupto. Com a Usina desligada, será feita uma abertura provisória na parede do edifício do reator, por onde sairão os antigos GVs e entrarão os novos. Dispositivos especiais serão utilizados para o içamento e transporte destes equipamentos. Os antigos GVs serão armazenados, de maneira segura, no Depósito Inicial dos Geradores de Vapor, no próprio sítio da Central Nuclear, em Angra dos Reis. O local reunirá condições ambientais adequadas e, por estar próximo da usina, oferecerá facilidade e segurança para o transporte.
Em preparação para a substituição dos dois GVs, Angra 1 está realizando uma parada programada, tendo sido desligada do Sistema Elétrico Brasileiro no dia 16 de fevereiro, com previsão de retorno à operação no próximo dia 16 de abril. Neste período, os técnicos das Eletronuclear estão realizando a instalação de estruturas temporárias, além de medições, marcações, verificações nos equipamentos e, adicionalmente, a inspeção dos GVs em operação.
Gloria Alvarez / Assessora Técnica
 
Free counter and web stats