sábado, dezembro 22, 2007


O "A Semana" explica...

Jornal "A Semana"
Se tudo que o Prefeito fala fosse verdade...


Josias Sabóia - JIJA
Nesta quinta-feira, 21, o prefeito Eduardo Cesar, em entrevista na rádio Gaivota, acusou o site ubaweb.com, ubatubavibora.com e jornal A Semana de só publicarem coisas ruins de nossa cidade. Depois, ele voltou atrás sobre o ubatubavibora.com, que tudo que é publicado, exceto as matérias que a assessoria manda, é só falando mal da cidade.
Eu queria aqui responder para o prefeito - e não para o meu amigo Eduardo, pois na rádio ele falou que estava falando com o dono do jornal e não com o amigo Jija - que, infelizmente, ele não tem lido o jornal. E olha que ele me cobrava toda vez que me encontrava que o jornal fazia muita falta! Está certo que, na época, ele era vereador de oposição e hoje é prefeito.
A nossa diferença dos outros é que cobramos posturas, tanto do prefeito como dos vereadores, e o jornal está aberto para as pessoas tanto elogiarem como cobrarem. Mas como sempre acontece, ninguém gosta de ser cobrado.
Não somos contra a cidade, nenhum de nós é. Aqui eu nasci, tudo que tenho quem me deu foi Ubatuba e continuarei a defender minha cidade, mesmo que para isto algumas pessoas virem a cara para mim. Fazemos aqui jornalismo. Nestes anos todos em que estamos com o jornal, sempre fizemos jornalismo e não ’puxa-saquismo’ ou servimos de diário oficial.
Infelizmente, a mídia de Ubatuba é muito pequena e mal consegue sobreviver. Às vezes, alguns são obrigados a ficar calados, ou publicar e falar só o que os outros querem. Até os entendemos, pois sabemos que eles têm contas para pagar e, se abrirem os microfones ou os espaços, serão penalizados.
Quando o prefeito asfalta uma rua, tapa um buraco, limpa a cidade ou faz melhorias não está fazendo mais que sua obrigação.
Como ele mesmo diz, ele é nosso funcionário e merece elogios em tudo que fizer a mais que sua obrigação.
Quando ele fala que as únicas matérias boas da cidade são as da sua assessoria de comunicação, não queremos nem comentar nossa opinião a respeito, pois poderíamos ofender pessoas inocentes. Mas dizer que tudo que a prefeitura escreve é verdade e é tudo de bom para nossa cidade, é me chamar de cego. Não só a mim, como a todos os cidadãos que aqui vivem.
Nossos leitores que acompanham o jornal todas as semanas, com certeza, acompanham porque lêem a verdade, são formadores de opinião, enxergam o que é certo e o que é errado.
O prefeito ir à rádio e falar que tudo que escrevemos é contra a cidade é o mesmo que dar um tiro no pé, é mentir para ele mesmo. Ou ele quer enganar a quem? A ele mesmo.
Queremos agradecer a todos os amigos que nos ligaram, inclusive pessoas ligadas a ele, que não concordam nem compartilham com a opinião do prefeito.
O espaço do jornal A Semana é democrático e, enquanto conseguirmos mantê-lo na ativa, será assim.
O espaço está aberto até para o prefeito, pois foram inúmeras as vezes que entramos em contato com ele para que falasse sobre os assuntos. Mas ele sempre se recusou a responder para o jornal.
A última foi na semana passada, quando falamos pessoalmente na festa da ACIU e mandamos dois torpedos, pois ele não atende ligações do jornal A Semana.



Secretário não sabe que dia o navio vem

Na semana passada, após uma longa investigação, horas atrás do computador, diversos telefonemas, afirmamos que o navio Island Escape não estará em Ubatuba em 10 de janeiro, pois assim fomos informados. Publicamos a matéria, que deu o maior reboliço na cidade, e o jornal desapareceu das bancas.
Em primeiro lugar, queremos deixar claro para a cidade inteira que somos favoráveis a vinda não só de um navio, mas de muitos.
Até entendemos que não estamos preparados para recebê-los no meio da temporada mais curta dos últimos anos, e entendemos também que falta infra-estrutura para recebermos bem, agora em janeiro. Temos receio que com uma vinda corrida podemos estar queimando um cartucho e assim perdendo a possibilidade de bem recepcioná-los.
Em uma entrevista na rádio Gaivota, nesta quinta-feira, o prefeito deixou claro que o navio vem, mas não determinou data para sua chegada. Segundo as palavras dele, vem em Janeiro de 2008 e esta questão de data é o que mais nos incomoda.
Toda nossa preocupação com a vinda do navio se resume em data, pois, pelo que a prefeitura alega, serão oferecidos vários serviços às pessoas que possivelmente descerão do navio e usarão os serviços oferecidos pela cidade. Como a prefeitura anunciava a data de 10 de janeiro, a preocupação é que na empolgação de possíveis 1.800 clientes, vários serviços terão que ser parados para estar disponibilizados para os passageiros do navio, e o navio não vem na data que estava prevista.
É fácil! Vou a um restaurante, peço para prepararem uma festa para 500 pessoas. O dono se movimenta, contrata garçons extras, faz compras, prepara toda uma estrutura. Chegamos no restaurante no dia da festa e falamos que mudou de data.
Como este exemplo que usamos, entendemos o navio. Muitas pessoas acabam preparando uma estrutura para uma data e ele vem em outra.
Queremos a vinda do navio, mas os nossos governantes deveriam ter o cuidado de informar a data correta para não termos transtornos e prejuízos dos comerciantes.
Tanto o prefeito, como o secretário de Turismo, nesta semana deram entrevista e desconfirmaram a data de 10 de janeiro, da mesma forma que a empresa deixou claro que estará em Angra neste dia.


Contatos e respostas

Entramos em contato novamente com a assessoria de comunicação, pois estamos inconformados com as informações, muitas delas truncadas.
Em nossa investigação, descobrimos que uma pessoa da Sun & Sea esteve hospedada em nossa cidade, fazendo uma vistoria e conhecendo vários pontos da cidade, o sr Carlos Eduardo, para o qual mandamos um e-mail solicitando informações, mas não obtivemos respostas. Entramos em contato com a empresa que nos forneceu o número do celular dele, entramos em contato; ele não atendeu a ligação, mas logo em seguida nos retornou. Assim que nos identificamos, ele perguntou se tínhamos passado um e-mail, o que confirmamos. Ele nos informou que estava muito ocupado e que não poderia falar naquele momento, e não queria ser grosseiro, mas que quando tivesse tempo nos ligava, e desligou. Não ligou até no fechamento desta edição.
No sábado recebemos um e-mail da Srª Ellen Bileski como transcrevemos abaixo.

E-mail

Caro Josias,

Comunicados que a Island Cruises tem um acordo com a prefeitura de Ubatuba para uma parada experimental do navio Island Escape na cidade, durante a temporada 2008/2009, sem data definida. A efetivação do acordo depende das melhorias que estão sendo feitas pela prefeitura no píer e no entorno. Para isso, não serão necessárias alterações de quaisquer das atuais paradas, pois a chegada a Ubatuba ocorreria em algum dos dias de navegação programados nos itinerários do navio. Entre as datas possíveis estão 09 e 20 de Janeiro, e 12 de Fevereiro de 2008. A confirmação da data de parada está prevista para ocorrer antes do final do ano. Sobre a escala do Island Escape de 10 de Janeiro, esta acontecerá em Angra/Ilha Grande, conforme informa nosso site
www.islandcruises.com.br.

Atenciosamente,

Ellen


Mandamos outro e-mail, que não foi respondido, onde solicitávamos que nos informasse o que seriam as melhorias no entorno, as alterações que a prefeitura deveria fazer.
Ela nos mandou um e-mail, somente corrigindo a temporada do navio como 2007/2008, e não como respondeu no e-mail anterior.
Ligamos novamente e falamos com a Srª Ellen, pois a possível data de 12 de fevereiro nos parece inviável, pois o site da empresa informa que neste dia o navio estará em Santos, entre embarque e desembarque.
Na matéria da semana passada, mesmo antes de receber este e-mail, falávamos que a única data perto de 10 de janeiro que podíamos receber o navio seria 9 de e não 10 de janeiro, pois seria um dia que o navio estaria navegando.


A melhor data para a chegada

Mas, se o navio viesse após 10 de fevereiro, seria muito melhor para a cidade, pois já teria acabado a dita temporada, já teríamos passado o carnaval e tudo mais.
Certamente, seria uma excelente época para recebermos bem os turistas do navio, até para uma possível avaliação da própria cidade e dos comerciantes.
Numa vinda no meio de janeiro, sequer poderemos afirmar quem é do navio ou que é turista normal, pois eles se fundiriam em quase todas os comércios da cidade, não teríamos um levantamento bem feito de quanto, em média, o navio renderia para a cidade.
Fica aqui nossa sugestão até para que possamos fazer uma ótima recepção, pois a primeira impressão é a que fica.


Parada do navio

Uma simples busca na internet mostra que as paradas de navios em vários pontos do mundo duram, em media, de 10 a 12 horas.
Em alguns portos pode ficar menos tempo, em outros mais tempo.
Segundo estatísticas, como o navio oferece de tudo, não há necessidade das pessoas comprarem nada em terra. Por isso, 30% dos passageiros, no máximo, descem nos portos onde compram lembranças do local.


Navio, uma viagem barata

Hoje podemos afirmar que um cruzeiro marítimo é mais barato que hospedagens em qualquer cidade, pois quem compra a passagem leva junto alimentação, hospedagem, diversão e uma coisa que não temos no Brasil, que são os cassinos. Os cassinos são proibidos no Brasil, mas os navios que operam por aqui são autorizados a funcionar os cassinos quando saem das águas nacionais.
As viagens de navios são financiadas em até 10 pagamentos. Na grande maioria dos casos, um passeio de quatro noites tem preço a partir de US$ 269, dependendo da data da partida, em cabine interna. Nas cabines externas, os preços sobem, o que dá (com taxa de embarque mais gorjeta), por volta de US$ 429, menos de R$ 900,00.
Uma pousada, para 4 noites, mais 8 refeições, lanche da tarde, balada etc., em qualquer cidade, custa mais que a viagem do navio.


Como os passageiros vão à terra

Temos ouvido muitas pessoas perguntarem como o navio vai encostar-se ao píer do Itaguá, pois senão dá calado, o navio não chega lá.
Este é um grande equívoco, pois o navio fica ancorado. No caso de Ubatuba, talvez para fora da Ponta Grossa, de onde saem as lanchas que fazem o trajeto Navio-Terra. O navio não pára no cais. Em quase todas as paradas dos roteiros, ficam ancorados nas baías, só parando nos portos de saída e chegada.


Tópicos da entrevista do secretário de turismo à rádio Costa Azul

Secretário: "Lamentavelmente, se vê agora colocado um mar de dúvidas, feito por um tipo de imprensa, acho que o jargão que nós usamos é, pra quem mexe com jornalismo etc. e tal, a famosa ’imprensa marrom’. Ou seja, aquela imprensa parcial que você vê que tem uma conotação politiqueira, muito negativa, principalmente para o cidadão de bem. Então para as pessoas de bem, Luiz, é que eu respondo a vocês de maneira bastante clara. É é é é é, acabo de confidenciar a você, você acaba de presenciar aqui no meu escritório, a carta do presidente da empresa confirmando a vinda, a carta do presidente da empresa advertindo os seus diretores por passarem informações errôneas, não é?"

Comentário do jornal A Semana: Infelizmente, nosso secretário de turismo não sabe o que é imprensa, ele só conhece imprensa oficial, não sabe o que é jornalismo, mas um dia ele aprende.

Secretário: "A nossa segurança, Luiz, está absolutamente relacionada ao presidente da empresa. Se eu hoje entrar na sua casa e falar com um assessor seu lá debaixo, que nem conversou com você, perguntar alguma coisa pra ele, e esse assessor não conversar com você que é o presidente da empresa, então quer dizer este assessor não está autorizado a falar em seu nome, porque afinal de contas você é o dono da casa. E foi exatamente o que aconteceu com esta imprensa marrom, com esta imprensa absolutamente antiética, não preciso nem falar outros adjetivos com relação a este tipo de comportamento porque isso é um desrespeito a um cidadão de bem. Então, em hipótese nenhuma, uma empresa poderia afirmar uma coisa senão por determinação de seu comandante maior, exatamente neste caso aqui. Se existe alguém que possa responder pelos cruzeiros que hoje operam aqui... A Island Cruiser, pra começar, ela não confirma nem recusa absolutamente nada."

Comentário do jornal A Semana: Nem queremos fazer comentários a respeito da fala do cidadão, agora ele alegar que só o presidente nos Estados Unidos fala pela empresa. Seguindo esse raciocínio, ele não poderia falar por nada, só o prefeito.

Secretário: "A manchete do jornal começa de maneira absolutamente errada, falando que Island Cruises fala que não vai vir para o Brasil. Isso tá errado, completamente! A Internacional nem se comunica com imprensa nenhuma aqui no Brasil, não é da competência dela."

Comentário do jornal A Semana: Sequer o secretário sabe o que está falando, ele alega que a manchete do jornal fala que a empresa não virá para o Brasil.

Secretário: "Luizinho, você acaba de verificar o documento. Esta carta não vai ser divulgada, não é para a imprensa, é um documento interno. Quem tem acesso a este documento, logicamente aqui é a prefeitura, é o meu caso, o prefeito Eduardo César. E a nossa responsabilidade diz respeito à conclusão das obras do píer do Tamoios Iate Club. Então assim, pessoas que não têm o conhecimento, pessoas que nunca viajaram, não podem se dar ao luxo porque são, porque possuem ali um jornal apócrifo, que tem, acham que podem dar o tipo de informação errônea, com má fé. Olha, é uma atitude absolutamente inclassificável isso que aconteceu. Então assim, as atitudes legais, jurídicas já estão absolutamente tomadas, nós iremos tomar todo e qualquer tipo de ação cabível neste caso, porque isto é um desrespeito, insisto em falar, é um desrespeito à população."

Comentário do jornal A Semana: Não tivemos até hoje o prazer de viajar em um navio, pois trabalhamos, e muito, e não nos sobra muito tempo. Inclassificável mesmo é a entrevista do secretário, onde ele enrola todo mundo e não diz nada. Pelo que ele diz, seremos processados. Só não sabemos se por ele, pela empresa ou pela prefeitura.

Luiz Serpa: O Sr confirma o Cruzeiro pra quando? 10 de janeiro?

Secretário: "É, exatamente! Então, assim: nós temos um dia de navegação, que é dia 9 na realidade, é um dia antes do dia 10. Mas, é obvio que a decisão final fica por conta do presidente da empresa, é ele quem determina se vai ser dia 9, se vai ser dia 10, se vai ser dia 11."

Comentário do jornal A Semana: Está gravado! Esta é a resposta oficial do secretário sobre a vinda do navio!


Cada um entenda como quiser.



Papai Noel

Josias Sabóia - JIJA
Tenho 43 anos de idade, próximo de fazer 44. Nasci numa cidade maravilhosa, onde têm as maiores belezas naturais do mundo: praias, montanhas, ilhas, Mata Atlântica e um povo trabalhador.
Nestes meus 43 anos sempre procurei ser uma pessoa boa, sempre procurei ajudar ao próximo e, principalmente, sempre procurei elevar o nome da minha cidade, pois sei do potencial dela.
Procurei, como sempre faço, neste ano que passou ajudar as pessoas, muitas vezes com palavras, outras vezes com carinho outras vezes com amor e, quando podemos, fazemos nossas doações, para os que têm mais necessidades, não só aqueles que nos conhecem como o senhor também sabe do que estamos falando.
Mas, infelizmente, nossa cidade é movida muitas vezes não pela razão, mas sim pela teimosia de uns, que sentam numa cadeira e acham que estão acima de Deus, eles não acreditam no senhor, consideram que não existe, pois se acham acima de tudo.
Como eu sei que fiz tudo de bom neste ano, mereço um presente de Natal e gostaria de ser atendido o mais rápido possível.
Que minha cidade seja neste Natal iluminada pela Estrela Guia, a mesma que guiou os Reis Magos para a manjedoura onde Jesus nasceu. E que junto com a luz e o brilho dela nossa cidade volte a brilhar, que a luz dela ilumine as pessoas que estão à frente do nosso trenó, que todas as pessoas de nossa cidade encontrem seus caminhos, que seja o melhor e mais belo Natal que já vimos.
Como muita paz, alegria, felicidades e saúde para todas as pessoas de nossa cidade.

PS: Se não for pedir muito, poderia estender meu pedido para o mundo inteiro.



STTR em nova sede

O Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (STTR) teve um ano de grandes realizações, pois conseguiu estender sua base até Caraguatatuba, São Sebastião, Ilhabela e Bertioga, sendo representante dos agricultores familiares de toda a região. Além disso, ainda firmou parceria com a Cooperativa dos Produtores Rurais e Urbanos do Litoral Norte (Cooperlin).
Para coroar suas realizações, está bancando nova sede, onde foi realizada a última reunião ordinária do ano, com apresentação da prestação de contas de 2007 e planejamento financeiro para 2008.
Também foi relatado o porquê da sede nova, pelo administrador Tadeu Mendes.
A reunião foi encerrada com a palestra "Sindicato é ação" proferida pelo dr. Waldomiro Godoi, advogado do sindicato.


Inauguração

A cerimônia de inauguração contou com a presença de filiados, agricultores, parceiros, amigos e simpatizantes numa informal e alegre confraternização.
Na abertura, o presidente Niyama falou da satisfação do cumprimento dos objetivos propostos para o ano que se finda e do orgulho do sindicato poder arcar com as despesas de uma nova sede. "Ainda não é própria, mas estamos trabalhando para isso", prometeu.
A seguir, o dr. Godoi falou sobre as revoluções no mundo trabalhista. "Estamos passando pela terceira com tecnologia tão adiantada que exclui os trabalhadores, afetando todas as categorias profissionais", alertou.
A saída seria a tentativa de melhorar as relações de trabalho, buscando situações mais justas. Neste sentido, têm várias idéias defendidas por diversas correntes.
O advogado explicou as diferenças entre sindicato, federação e centrais reconhecidas (que reúnem vários sindicatos de diversas categorias) e que o sindicato tem que escolher aquela que é mais alinhada com seus objetivos para se filiar.
O dr. Maurício Moromizato, futuro parceiro em convênio odontológico e presidente do PT de Ubatuba, falou da luta entre capital e trabalho e de como conheceu o presidente do STTR. "Eu o conheci num curso do Sebrae, o Empretec, e achei notável um agricultor se interessar por empreendedorismo", parabenizou.
Ele lembrou que a luta do agricultor é mais social que a dos ambientalistas. "A força deles está no grupo que os sustentam, pois o capital é forte e insensível", disse.
Moromizato recomendou que todos procurem entender as relações políticas para não se deixarem levar pelas notícias tendenciosas de certas mídias, como a rede Globo, e se colocou à disposição para levar aos companheiros de partido as necessidades dos agricultores. "Precisamos deter o êxodo rural, isto é, buscar alternativas para que fiquem no campo", finalizou.
Tadeu Mendes falou sobre a atual situação do sindicato e o engº Eduardo Drolhe, da APTA (Agência Paulista de Tecnologia Avançada) levantou a possibilidade de captação de recursos.
O presidente do PTB local, Anderson José Rodrigues (Tato), grande parceiro do sindicato, propôs maior integração com os políticos.
Já o agricultor Washington Mourão pediu maior atenção para a agrofloresta com aprofundamento na prática, por que o turismo rural é a saída.
Lauristano Vieira Santos, conselheiro fiscal do STTR de São Sebastião, lembrou que tem muito agricultor assustado com as proibições dos órgãos ambientalistas por que não podem mais plantar. "O que vamos comer, se 50% dos alimentos saem da agricultura familiar, que está acabando", protestou.
O empresário Humbeto Miguez falou da importância do sindicato para seu projeto "Eu Floresto", que já tem um piloto no Sertão do Ubatumirim e será apresentado para a empresa Vale do Rio Doce, interessada em aplicá-lo.
Ele sugeriu uma pesquisa para saber o que o ubatubense consome para ser produzido aqui mesmo. "A solução é o ser humano vivendo no meio ambiente", afirmou.


Para o próximo qüinquênio (2007/2011), a diretoria do STTR está assim constituída:


Presidente: Luciano Seiti Niyama - Ubatuba

Vice: Ezupério Pereira de Jesus - Ubatuba
Secretária: Selma Ap. de Freitas - Caraguá
1º Secret. Lauristano V. Santos Fº - Caraguá
Tesoureiro: Milton Faustino de Freitas - Caraguá
1ª Tesour. Izaneide Sales Santos - S. Sebastião

Conselho Fiscal

Maria Souza Teixeira - Ubatuba
Lauristano Vieira Santos - S. Sebastião
Lucia Carlos Barbosa - Ubatuba

Os suplentes de diretoria e do conselho fiscal serão eleitos no próximo ano.
A nova sede está localizada à rua Maranhão, 139, esquina com a Conceição, no Centro.
Informações: (12) 3832-1721 ou
strubatuba@hotmail.com.

Crônica natalina

Em família

Os rubis dos relógios servem para evitar o desgaste de eixos metálicos girando sobre bases também metálicas. A colocação das pedras aumenta a vida útil e encarece as máquinas de medir o tempo. Quem já viu propagandas de antigamente, certamente reparou na ênfase aos rubis. Quanto mais, melhor. Nos anos da década de 1950 o mercado de relógios estava aquecido e logo surgiram imitações. Omega, Cyma, Tissot, Rolex e outras marcas, que não me vêm à cabeça eram vendidas por camelôs. Os clones eram iguais na aparência, mas no interior não havia rubis. Metal atritando em metal gera calor e desgaste. Em pouco tempo a jóia preciosa, comprada a preço de banana, abria o bico, começava a atrasar e o diagnóstico do relojoeiro era definitivo. Não tem conserto esse é um relógio “sistema”, sem rubis. Foi assim que ganhei o “Canhoteiro”, originalmente a tampa de um Omega que o meu avô comprou e jogou fora. Pintei com esmalte de unha e ele se tornou o melhor batedor de faltas da minha curta e vitoriosa carreira de botonista. A compra desse relógio foi uma das primeiras batalhas que travei com meu avô, bom homem, mas teimoso como uma centena de mulas empacadas em série. Ou em paralelo, dá no mesmo. Tudo começou com o florescimento de uma paixão e com ela a minha estréia na carreira de estafeta, que abandonei em tenra idade. João viu Adalgisa, Adalgisa fingiu que não viu João. No outro dia exatamente na hora em que João passou distribuindo correspondência, Adalgisa escolhia frutas na carroça do seu Amadeu. É mais polido fazer as apresentações. Adalgisa era uma moça muito bonita, cor de canela, que trabalhava como empregada da família Marçal, nossos vizinhos. João foi flechado por cupido, enamorou-se e me pediu que intercedesse. Nessa época eu estava ocupado construindo um avião, mas jamais negaria ajuda a um amigo, João era do peito. Levei um bilhetinho e trouxe outro. Depois de algumas semanas de árduo vai e vem o namoro começou e em três meses acabou. Em casamento. Adalgisa mudou-se feliz, como é possível alguém ser feliz, para o cômodo e cozinha que João construiu nos fundos da casa do pai. Eu ganhei a gratidão eterna do meu amigo, que passou a me presentear todos os meses com um exemplar de Seleções do Reader’s Digest. O pessoal da conceituada revista era um pouco atrapalhado. Quando um assinante mudava de endereço a revista era enviada para o endereço novo e para o antigo, demorava anos para que percebessem o engano. João tinha três ou quatro revistas nessa situação e uma passou a ser minha. Em tempo, nessa época eu estava no segundo ano primário, aluno da Dona Maura, uma moreninha de 19 anos que fazia com que os pais largassem qualquer coisa para buscar os filhos na escola. Um fenômeno, os alunos das outras professoras iam para casa com as mães, que fuzilavam dona Maura com os olhos. A nova fonte de conhecimento me fez saber dos relógios falsificados, com fotografias e dicas para identificar o gato e não comprá-lo por lebre. Naquela noite eu comentei no jantar sobre a falta dos rubis, minha mãe me olhou com admiração e perguntou se eu queria mais espinafre. Dias depois fui com meu avô pagar uma conta na cidade. Na Praça Clóvis, enquanto esperávamos o ônibus, um homem se aproximou e cochichou no ouvido do meu avô. Depois tirou um relógio do bolso e passou a falar das qualidades do produto. Logo outro homem se acercou e pediu para examinar a jóia. Aprovou na hora, tirou a carteira e pagou. Meu avô entrou na onda. Cutuquei o braço dele, mas nada ia demovê-lo. A intenção de compra estava estabelecida em sua alma. Pedi para ver o outro relógio que surgira nas mãos do vendedor. Todas as indicações estavam lá, era “sistema”, falso, imitação. Tentei argumentar, o homem me elogiou, menino esperto, mas olhe aqui, está escrito Omega. É a prova de que não é falso. Pode comprar. Assim ganhei o Canhoteiro, que encobria goleiros e me fez ganhar partidas dificílimas. Naquele Natal minha avó ficou com pena e deu um Omega de ouro para meu avô. Na hora da entrega dos presentes ele me chamou de lado e pediu para que examinasse o relógio. Era bonito, eu não sabia como identificar os verdadeiros. Pela falta de indícios e pelo brilho concluí pela autenticidade. Ele ficou feliz. Tomamos champanhe para comemorar. Só um pouquinho, para sentir as bolhinhas na língua. Meu avô não bebia, eu também não bebo. Foi um natal inesquecível.

Sidney Borges

Rio São Francisco e o Nordeste Setentrional

Transposição e concórdia

Geddel Vieira Lima
Escrevendo às vésperas do Natal e imbuído do espírito reflexivo do Réveillon, vejo 2008 como um ano propício a novas esperanças sobre a questão mais incompreendida de 2007 - o projeto de Interligação de uma pequena parte das águas do rio São Francisco com o Nordeste Setentrional.
As reflexões de fim de ano já me ajudaram a tomar uma importante decisão de Ano Novo: lutar para vencer a desinformação acerca deste que é um dos mais importantes projetos de desenvolvimento sustentado do Semi-árido brasileiro, nossa região mais pobre e desigual.
A greve de fome do bispo de Barra, Dom Luís Flávio Cappio, evidenciou ainda mais a necessidade de melhorarmos a comunicação sobre a obra. Prova disse é a carta de negociação para por fim à greve, assinada pelo religioso e movimentos sociais que o assessoram. A maioria dos oito pontos reivindicados já está sendo cumprida pelo governo, sobretudo no quesito principal da revitalização.
A “elaboração e implementação de um programa de revitalização”, um dos itens da carta, está em curso ao longo dos 2.800 quilômetros do São Francisco e também de seus afluentes, com as “ações amplas e diversificadas” requeridas pelo religioso e seguidores. Mais de 170 municípios da bacia estão fazendo saneamento ou já estão com licitações em curso para iniciar essas obras fundamentais de despoluição das águas. Além disso, há ações de replantio de mata ciliar, contenção de margens e controle de erosão, dragagem e educação ambiental, num conjunto de medidas abrangentes e de caráter continuado.
Dos oito pontos, apenas os dois primeiros são divergentes: a suspensão da obra e a redução do volume de água a ser transposta. Mas esses pontos se fundamentam na idéia equivocada dos signatários do contra, para os quais o projeto de Interligação vai matar o São Francisco. O Ibama licenciou e a ANA (Agência Nacional de Águas) outorgou que apenas 1,4% da vazão será retirada. A fração é mínima, mas suficiente para atender 12 milhões de pessoas que vivem em situação de insegurança hídrica nas cidades do semi-árido.
Uma comparação mostra o grau do preconceito. Agora em dezembro, reiniciamos na Bahia dois projetos de irrigação, o Salitre e o Baixio, que nada mais são do que transposições - também levam a água do São Francisco de um lugar para outro. Ocorre que a parte retirada pelo Salitre e Baixio soma o triplo do volume do projeto de Interligação. Neste caso, porém, não se ouviu nem dos baianos mais oposicionistas uma crítica sequer. Ao contrário, o Salitre e o Baixio, que vão gerar, quando concluídos, 200 mil empregos no demonizado agronegócio, foram recebidos com louvor ou pelo menos com silêncio reverente.
Fazer de 2008 um ano de esclarecimento e de combate aos preconceitos em torno do projeto de Interligação vai nos ajudar a aperfeiçoá-lo ainda mais. Estou irmanado a Dom Cappio e aos movimentos sociais na luta para aprovar no Congresso a emenda constitucional que assegura R$250 milhões por ano para investimentos na revitalização da bacia.
O Ministério da Integração Nacional também terá condições em 2008 de acelerar o ritmo do abastecimento para as populações difusas, como pediu o bispo e seus assessores. Em 2007 avançamos nos trâmites burocráticos para começar o Ano Novo aduzindo água a 1.800 comunidades dos cinco estados banhados pelo São Francisco, conforme o Programa Água para Todos.
Vamos também atender com mais cisternas e poços quem vive na zona rural de Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará. Enquanto realizamos o projeto estruturante de segurança hídrica, que é a Interligação, continuaremos cumprindo as ações complementares do Atlas do Nordeste, elaborado pela ANA em parceria com o Ministério da Integração.
Fui empossado ministro em março desde ano. Nestes nove meses, tiramos do papel o projeto de Interligação, aumentamos as obras de Revitalização e tocamos obras deixadas inacabadas há 10 anos, como o Salitre e o Baixio. Executamos e arrumamos a casa para fazer muito mais em 2008. Mas a maior obra que espero realizar é a da concórdia. Se, no passado, fui contrário à transposição porque antes o projeto retirava um volume muito maior da água do rio e não previa a revitalização, hoje sou seu grande defensor. O diálogo só o tem aprimorado. Por isso, estou sempre aberto a ouvir sugestões.
Vamos no Ano Novo desenvolver um ambiente de conhecimento compartilhado. Precisamos dividir crenças e visões de mundo numa relação de confiança. Um futuro melhor depende da nossa capacidade de desprendimento e solidariedade.
Geddel Vieira Lima é ministro da Integração Nacional e deputado licenciado do PMDB da Bahia. (Do Blog do Noblat)

Manchetes do dia

Sábado, 22 / 12 / 2007

Folha de São Paulo
"Segurança do Masp é feita por vigilantes improvisados"
Os vigilantes do Masp, o principal do gênero na América Latina, são contratados como orientadores de público, sem nenhuma formação em segurança ou registro na Polícia Federal. Anteontem de madrugada, dois importantes quadros do acervo do Masp, um do espanhol Pablo Picasso e outro do brasileiro Candido Portinari, foram furtados por três ladrões em apenas três minutos, durante a troca de turno dos vigilantes. (...)


O Globo
"Um terço dos vôos atrasa e Jobim diz que caos acabou"
No primeiro dia de funcionamento da nova malha aérea, os principais aeroportos do país tiveram transtornos, filas e, principalmente, atrasos: 29,4% dos vôos atrasaram mais de uma hora e 8,2% foram cancelados. O movimento nos terminais foi grande, por causa da saída para o feriadão de Natal. Mesmo assim, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, disse que a situação está sob controle e que não haverá novo caos aéreo. "Podem viajar tranqüilos e tomando um chimarrão, se quiserem." A Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) mandou seus novos diretores e mais 130 fiscais para acompanhar o movimento nos aeroportos. Até o vôo da presidente da agência, Solange Vieira, atrasou duas horas. Para ela, a crise já acabou, e houve problemas pontuais de adaptação das empresas à nova malha.


O Estado de São Paulo
"Descontada a CPMF, arrecadação sobe R$ 20 bi"
Entre janeiro e novembro deste ano, entraram R$ 54,16 bilhões a mais nos cofres do governo em comparação com o mesmo período de 2006. Assim, o ingresso de impostos e contribuições federais apresentou aumento real de 11,03% e chegou a R$ 537,16 bilhões em 2007. Se não houvesse o recolhimento da CPMF, o crescimento das receitas ainda seria de R$ 20,85 bilhões, pouco mais da metade do valor que o governo perderá em 2008 com o fim do tributo. No acumulado do ano, o recolhimento da CPMF representou 6,11% do bolo tributário. Eloi de Carvalho, coordenador-geral de Previsão e Análise da Receita Federal, disse que o aumento da arrecadação pode ser explicado por fatores como a expansão da economia e o trabalho de fiscalização. Os processos de abertura de capital provocaram arrecadação extra, superior a R$ 4,5 bilhões. Carvalho ressaltou que, com o fim da CPMF, retornarão para o mercado os R$ 40 bilhões equivalentes e isso também trará algum aumento de arrecadação em 2008 sob a forma de tributos como o Imposto de Renda da pessoa jurídica.


Jornal do Brasil
"País cresce e arrecada mais"
O acelerado crescimento da economia refletiu-se no recorde de arrecadação do governo, mesmo sem o aumento de impostos. A Receita informou ontem que entraram nos cofres do governo em impostos e contribuições federais R$ 537,161 bilhões de janeiro a novembro. O número é 15% maior que no mesmo período do ano passado. O salto é atribuído a setores como a metalurgia, que teve elevação de 42,92% no pagamento de impostos este ano, e indústria automobilística. Aquecidas pelo consumo interno e pela facilidade de crédito do brasileiro, só as montadoras pagaram R$ 20,22 bilhões. Outro fator que colaborou para o resultado inédito foi o processo de abertura de capital nas bolsas de valores. O governo recolheu R$ 4,5 bilhões só com as chamadas IPOs. Como um sinal de maior investimento, o superávit em novembro caiu 55,2% em relação ao mês anterior.

sexta-feira, dezembro 21, 2007


Ubatuba em foco

Esclarecimento ao público ubatubense

Com relação à “absolvição” do Prefeito, referente ao uso de bem público em campanha eleitoral, diga-se “Gil Arantes”, segundo “informe” enviado à imprensa pela Assessoria da PMU, advirto, cuidado. A sentença ainda não transitou em julgado, o MP recorreu para Brasília (TSE).

Charles Medeiros
Vereador

TV Víbora: Opinião

Transposição do Rio São Francisco - Washington Novaes.
O assunto merece um estudo mais profundo, veja o que diz um jornalista da maior competência.

Natal no Ipiranguinha

Convite

A SABI (Associação do Moradores do Ipiranguinha), convida a todos para sua 6ª Festa de Natal. Será neste sábado dia 22 de dezembro, na rua da Cascata, no bairro do Ipiranguinha, com a presença do Papai Noel e da Caravana da Alegria, com a Turma da Mônica, além de brincadeiras, sorteios de brinquedos, pipoca, algodão doce e muita música.

Será imperdível.

Adilson Lopes

O rio do meu país...

Sobre o jejum de dom Luiz, no Painel do Leitor da "Folha"

"Apoio incondicionalmente o gesto do bispo dom Luiz, mas registro minha indignação, porque não seria necessário mais um sacrifício humano de um religioso para defender suas idéias se estivéssemos em um país onde o direito do cidadão, a democracia e as promessas políticas fossem respeitadas.
Infelizmente, isso não aconteceu, porque as promessas feitas ao bispo quando de sua primeira greve de protesto não foram cumpridas pelos governantes.
Por outro lado, talvez o gesto extremo de dom Luiz leve o Brasil a tratar com mais seriedade os seus imensos problemas sociais e ambientais, como é o caso da transposição de águas do São Francisco -em que a falta de debate público e de projetos sérios e interdisciplinares é a causa primeira de impactos negativos a diferentes profundidades no futuro."


Aziz Nacib Ab'Saber
Geógrafo

Rio São Francisco

Carta do deputado Federal Ciro Gomes à atriz Letícia Sabatella publicada no O GLobo

20/12/2007
Letícia, ando meio quieto por estes tempos, mas, ao ver você visitando o bispo em greve de fome no interior da Bahia, pensei que você deveria considerar algumas informações e reflexões. Poderia começar lhe falando de República, democracia, personalismo, messianismo... Mas, sendo você a pessoa especial que é, desnecessário. O projeto de integração de bacias do rio São Francisco aos rios secos do Nordeste setentrional atingiu, depois de muitos debates e alguns aperfeiçoamentos, uma forma em que é possível afirmar que, ao beneficiar 12 milhões de pessoas da região mais pobre do país, não prejudicará rigorosamente nenhuma pessoa, qualquer que seja o ponto de vista que se queira considerar.
Séria e bem intencionada como você é, Letícia, além de grande artista, peço-lhe paciência para ler os seguintes números: o rio São Francisco tem uma vazão média de 3.850 metros cúbicos por segundo (!) e sua vazão mínima é de 1.850 metros cúbicos por segundo (!). Isto mesmo, a cada segundo de relógio, o Rio despeja no mar este imenso volume de água.
O projeto de integração de bacia, equivocadamente chamado de transposição, pretende retirar do Rio no máximo 63 metros cúbicos por segundo. Na verdade, só se retirará este volume se o rio estiver botando uma cheia, o que acontece numa média de cada cinco anos. Este pequeno volume é suficiente para garantia do abastecimento humano de 12 milhões de pessoas.

Leia mais

Detalhes...

O segredo das pesquisas eleitorais

Se alguém tinha dúvidas sobre como as pesquisas eleitorais podem ser manipuladas, uma pequena matéria da “Folha” (que merecia destaque maior) demonstra.
A matéria fala de duas pesquisas do IBOPE sobre as eleições municipais de São Paulo. Em um dos levantamentos, divulgado pela TV Globo, Martha vence por 46% a 35%. Em outro, encomendado pela Associação Comercial de São Paulo (ligada a Kassab) ele vence por 47% a 38%. A diferença entre as pesquisas é de menos de um mês.
Qual o truque? No caso da pesquisa da ACSP, antes de perguntar sobre as intenções de voto, a pesquisa tinha oito questões sobre as obras de Kassab na cidade. Depois de lembrar (ou informar ) o leitor sobre as boas obras, sapecava a pergunta: em quem votaria? (Do Blog do Nassif)

Pássaros

Ligações

Aintoine de Saint-Exupéry sabia da alma humana e gostava de aviões. Também gosto de aviões e aprendo com os escritos dele. Não somos responsáveis por nada ou ninguém, até o momento em que a vida nos joga uma batata quente nas mãos. Os pássaros são parecidos no ar, vêm, vão e a vida continua, até uma família de bem-te-vis escolher a viga da varanda para perpetuar a espécie. Seres vivos trazem uma informação primordial do desconhecido, reprodução. Água de morro abaixo, fogo de morro acima e mulher quando quer... Pobres mulheres, vítimas de preconceito, o chamado das células é a maior das compulsões, irresistível. Nasceu o pimpolho passarinho, feio como a mãe do sarampo, frágil, gritão, despenado. Um belo dia tentou voar e caiu do ninho. Nesse dia comecei a me sentir responsável. A tal da batata quente a que me referi acima. Minha tarefa passou a ser impedir que o pimpolho virasse repasto de cobras e lagartos, digo gaviões, que passaram a rondar o jardim atraídos pelos pedidos de comida. Foram dias de angústia, escondido nas helicônias e alimentado por uma ponte aérea digna da de Berlim de 1948, o pequerrucho ganhou penas e bateu asas. Fiquei orgulhoso. Por onde andará hoje, teria casado e mudado, entrado para alguma seita transcendental ou continua freqüentando minha casa? Sabe-se tão pouco de tudo... (Sidney Borges)

TV Víbora: A Galinha Magricela


Cidade

Feirinha ripe

Ontem fui ver a nova cobertura da feirinha ripe. Pra variar estava chovendo forte, não deu para descer do carro e fotografar. Quem sabe hoje dê. Eu gostei, gostei da cor, gostei da altura, vai de encontro à minha tese de minimizar a interferência na paisagem. Quando do imbróglio da árvore propus um projeto avançado, uma cobertura conversível, moderna, leve, diáfana, bonita, capaz de causar espanto, como deve ser a boa obra arquitetônica. Essa não é tudo isso, mas está anos luz à frente do mastodonte azul. Vou levar minha sobrinha para comprar coisinhas que meninas compram. (Sidney Borges)

Fisiologismo

Gelatinoso

Ao comentar a votação da CPMF, o jornal inglês " The Economist" teceu comentários pitorescos sobre o governo Lula:

"Seu governo deu empregos demais para o próprio partido de Lula, o PT, e para o maior aliado, o PMDB, um partido gelatinoso cuja filosofia principal é rastejar em direção ao poder e depois exigir recompensas pelo seu apoio."
Leia na íntegra

Andar de cima

Em carta, Diana diz que Charles planejava matá-la

Em trecho inédito de correspondência escrita em 1996, ela diz que objetivo do príncipe era casar-se com babá

Efe, Londres
Uma carta na qual Diana afirmava que o príncipe Charles planejava assassiná-la para se casar com a babá de seus filhos, Tiggy Legge-Bourke, foi divulgada durante o processo judicial que investiga a morte da princesa, num acidente de carro em Paris, em 31 de agosto de 1997. “Esta fase específica de minha vida é a mais perigosa - meu marido está planejando um ‘acidente’ com meu carro, uma falha nos freios e um ferimento grave na cabeça para casar-se com Tiggy”, escreveu a princesa de Gales.

No texto, Diana disse acreditar que Tiggy estaria grávida. “Estou sentada aqui na minha escrivaninha, desejando que alguém me abrace, me encoraje a ter forças e a manter a cabeça erguida”, disse. Charles e Diana casaram-se em 1981 e divorciaram-se em 1996, em meio a rumores de infidelidade de ambas as partes.
A carta, revelada na íntegra pela primeira vez na quarta-feira, foi escrita pela princesa em outubro de 1996, dez meses após o anúncio do divórcio do casal, e entregue a Paul Burrell, seu mordomo na época. Burrell revelou parte da carta num livro que publicou sobre Lady Di em 2003, mas manteve os trechos lidos na audiência ocultos por tarjas pretas.
Leia mais

Natal




Educação

Projeto Ubaturma se despede

Amigos. Foram 4 anos de muuuuito trabalho e aprendizado. Aprendemos a nos respeitar, a nos valorizar e, principalmente, a compartilhar nossas vidas. Realizamos oficinas de animação de bonecos, três espetáculos que, juntos, agregaram mais de 300 participantes entre alunos, professores, pais e responsáveis: "BONECOLÂNDIA - UMA CIDADE ANIMADA", "MEIO AMBIENTE OU O AMBIENTE INTEIRO?" e "À LUZ DO CANDEEIRO", e que foram assistidos por mais de 1.500 pessoas da comunidade. Aos alunos, peço que não fiquem tristes, pois já estou estudando uma forma de darmos continuidade às peças fora do sistema municipal de ensino. Por decisão do Sr. Arnaldo da Silva Alves, secretário de educação de Ubatuba, cumprindo ordens do prefeito, Sr. Eduardo de Souza Cesar, não haverá mais Projeto UBATURMA - Oficinas de Comunicação e Expressão na escola Tancredo ou em qualquer outra. Isso ocorre num momento em que nos aproximamos das eleições e no qual eu me posiciono contra qualquer tentativa de manipular minha vida particular em função de acordos. Tenho escrito sobre a questão da ética, da moralidadee da falta impiedosa de vergonha de alguns políticos brasileiros e isso parece estar incomodando a alguns ubatubenses e ubatubanos. Não cuspo no prato que como, mas também não como qualquer coisa. Decidi, desde muito cedo, não deixar-me violentar pela sordidez da política corruptiva e usurpadora dos cofres públicos que assistimos todos os dias na TV. Sinto-me feliz por não fazer parte de qualquer esquema que possa diminuir as chances de nossa gente de progredirem e serem felizes. Continuo afirmando: é uma vergonha que gastemos milhões para obtermos parcos resultados quenão geram empregos, progresso e esperança. Digo NÃO ao
esquema montado para ganhar eleição a qualquer preço! Sim, ajudei a eleger alguns que hoje faltam com humanidade e respeito pelo povo. Porém, da mesma forma, sei que junto à comunidade posso mudar essa situação. À direção e à equipe batalhadora da escola Tancredo só tenho a agradecer. Espero que, um dia, um diretor escolar possa decidir por seus próprios critérios quem fica e quem sai do seu time, de forma que a população seja beneficiada e não um candidato político. Aos pais, deixo um alerta: nossa cidade vive um descaso generalizado sobre a juventude. Não há interesse em proteger e amparar os jovens. As drogas, a prostituição e o latrocínio transitam com tal facilidade que não há pai ou mãe que durma sossegado quando um filho está fora de casa. Como os esportes, a ARTE e a CULTURA são caminhos naturais para a GERAÇÃO DE OPORTUNIDADES. Essa é a proposta do Projeto UBATURMA - ARTE E CULTURA PARA GERAR OPORTUNIDADES.

Aos artistas (todos), reafirmo que, se quisermos, somos uma força inabalável. Falta-nos a consciência da união e da política como ferramentas para sermos ouvidos e respeitados. Caso contrário, continuaremos reféns de representantes políticos que nos consideram sonhadores, prolixos, e que olham somente para os próprios umbigos e para suas contas bancárias no fim do mês. Ano novo, vida nova! RENOVAÇÃO DEPONTA-A-PONTA. Nossa cidade merece!

Jorge Lee
Comunicólogo
jorgesinglee@yahoo.com.br

Manchetes do dia

Sexta-feira, 21 / 12 / 2007

Folha de São Paulo
"Com pé-de-cabra, grupo furta Masp"
Na madrugada de ontem, ladrões furtaram do Masp (Museu de Arte de São Paulo), com a ajuda de um pé-de-cabra e um macaco hidráulico, os quadros "Retrato de Suzanne Bloch", de Pablo Picasso (1881-1973), e "O Lavrador de Café", de Candido Portinari (1903-1962), avaliados em até R$ 90 milhões e R$ 10 milhões, respectivamente. É o primeiro furto no museu em 60 anos.


O Globo
"Lula diz ter 'ojeriza a pacote' e rejeita medidas pós-CPMF"
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou ontem que não baixará qualquer pacote de medidas para compensar a perda de R$ 40 bilhões em 2008, com o fim da CPMF. Em café da manhã com jornalistas, Lula foi enfático e disse ter ojeriza à palavra. "O Brasil já foi vítima na história de muitos pacotes que não deram certo. Eu prefiro comprar unidade por unidade". O presidente, no entanto, evitou adiantar que providências adotará e admitiu cortar "gorduras" para ajustar a receita aos gastos. Ele atribuiu a derrota no Senado à "pobreza de espírito" de quem temia que ele ficasse forte para influir em sua sucessão, em 2010. "Isso me dá pena", afirmou.


O Estado de São Paulo
"Telas milionárias roubadas do Masp não tinham seguro"
Durou apenas 3 minutos o mais ousado roubo de obras de arte já ocorrido no Brasil. Foi o tempo que três homens levaram para entrar no Masp e sair com um Picasso e um Portinari avaliados em US$ 55 milhões. Eles entraram com facilidade porque os três vigias da noite haviam saído antes que os da manhã chegassem. Com um macaco hidráulico, um pé-de-cabra e uma marreta, abriram o portão que fechava a escada de acesso ao museu. Dirigiram-se diretamente até onde estavam os quadros, apanharam-nos e foram embora. Um filme de má qualidade registra a invasão. O Masp informou que não tem seguro específico para as obras. O sistema de alarme estava desligado havia quase dois meses, porque era antiquado e vivia disparando. O dispositivo, porém, tinha ajudado a impedir uma tentativa de roubo ocorrida no dia 29 de outubro. A polícia acredita que o furto das telas foi encomendado e que o destino delas seja o mercado internacional.


Jornal do Brasil
"Um desastre cultural em apenas três minutos"
Bastaram três minutos, um pé-de-cabra e um macaco hidráulico para três homens sem capuzes invadirem o Museu de Arte Moderno de São Paulo e, mesmo sob a mira de câmeras, furtarem dois dos quadros mais importantes em exposição no país. As avaliações de O lavrador de café, de Candido Portinari e Retrato de Suzanne Bloch, de Pablo Picasso, variam de US$ 27 milhões a US$ 55 milhões. Os quatro vigias, que trabalham desarmados, nada viram. Para a polícia, o receptador das obras de arte deve ser um colecionador.

quinta-feira, dezembro 20, 2007

TV Víbora: Maluco Beleza

Sessão nostalgia

Minhas músicas inesquecíveis

Chuvas de verão

Fernando Lobo

Podemos ser amigos simplesmente
Coisas do amor nunca mais
Amores do passado no presente
Refletem velhos temas tão banais

Ressentimentos passam com o vento

São coisas de momento
São chuvas de verão
Trazer uma aflição dentro do peito
É dar vida a um defeito
Que se extingue com a razão

Estranhas no meu peito

Estranhas na minha alma
Agora eu tenho calma
Não te desejo mais

Podemos ser amigos simplesmente
Amigos simplesmente nada mais

Santa Casa

Situação do Conselho Gestor da Santa Casa de Ubatuba

Em matéria, recentemente veiculada pela mídia eletrônica, sob o título “Cadê o Conselho Gestor da Santa Casa de Ubatuba”, deu-se esclarecimento à população de Ubatuba sobre a situação do Conselho Gestor face a uma pretensa suspensão pelo COMUS-UBATUBA e pelo decorrente impedimento imposto aos conselheiros de que acessem a sala do Conselho nas instalações da Santa Casa de Ubatuba, determinado por sua administradora, Mara Cibeli Fragnani.
Para que a população tenha conhecimento da realidade da situação, é importante que se esclareça o seguinte:

O mais importante sobre a situação do Conselho Gestor da Santa Casa de Ubatuba não é se tratar sobre “como” os fatos ocorreram ou a maneira como se deu a pretensa, suposta suspensão do Conselho Gestor, mas o que é realmente importante é questionar a legalidade dessa medida, questionar se o Conselho Municipal de Saúde - COMUS tem autoridade para intervir em um Conselho Gestor de uma entidade privada, portanto, fora de sua competência. O Conselho Municipal de Saúde - COMUS foi criado por Lei específica com a finalidade de fiscalizar as ações da Secretária de Saúde do Município e o cumprimento pelo Executivo Municipal das resoluções da Conferência Municipal de Saúde de Ubatuba, das quais deve ser elaborado o Plano de Saúde da Cidade. A Santa Casa da Irmandade do Senhor dos Passos de Ubatuba é uma entidade privada, beneficente e filantrópica criada pela comunidade de Ubatuba há 152 anos, a qual é, normalmente, administrada por Diretoria, denominada pela Lei que controla entidades filantrópicas, de “Provedoria”, portanto não está na área de atuação do Conselho Municipal de Saúde – COMUS.
O Conselho gestor foi criado pela Provedoria, de acordo com poderes a ela definidos em seus Estatutos, independente e autonomamente, como prevêem as normas do Direito Civil, exercendo assim suas prerrogativas constitucionais de decidir seu próprio destino, não dependendo de anuência ou fiscalização de qualquer entidade.

A atitude dos componentes da atual administração do Conselho Municipal de Saúde – COMUS demonstra total ignorância sobre quais são suas atribuições e um completo desrespeito à Constituição Federal da República e à Lei, por esta razão o assunto está “sub judice”, ou seja, em processo de julgamento pela Justiça, para que se re-estabeleça a ordem e respeito à legislação e para que sejam responsabilizados os autores de tal absurda decisão.

Elias Penteado Leopoldo Guerra
Conselheiro do Conselho Gestor da Santa Casa de Ubatuba

Transposição

Prefiro nordestinos a bispo em jejum, diz Lula

Jeferson Ribeiro
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou na manhã desta quinta-feira que o Estado não cederá na transposição do rio São Francisco, independente de manifestos ou da greve de fome do bispo d. Luiz Flávio Cappio. "É o projeto mais humanitário do meu governo. Entre a greve de fome e os 12 milhões de nordestinos que serão beneficiados pelo projeto, eu fico com os 12 milhões que serão beneficiados", disse durante café da manhã com jornalistas no Palácio do Planalto.

Leia mais

Editorial

Falando pelos cotovelos...

O prefeito Eduardo Cesar, em ataque de Luis XIV, confundiu alhos com bugalhos ao misturar administração e cidade. O prefeito não é a cidade, um dia ele não será mais prefeito e Ubatuba continuará sendo Ubatuba, bela e altaneira, apesar das últimas e desastrosas administrações. Viram, estou falando bem da cidade e mal de prefeitos. Em entrevista à rádio comunitária o Prefeito afirmou que ao criticar a administração estou indo contra a cidade. Vamos separar as coisas, eu vivo em Ubatuba, gosto de Ubatuba, cujo prefeito é o senhor Eduardo de Souza Cesar, com quem simpatizo, é um homem educado, mas de quem divirjo em muitas ocasiões. Não do homem, nem poderia, nunca conversamos tempo suficiente para que nascessem conflitos de opinião. Minhas divergências referem-se à condução da cidade. Devo lembrar ao Prefeito que o papel da imprensa não é aplaudir, para isso há o cordão que cada vez aumenta mais, como diz a marchinha carnavalesca. Estranhei as criticas à minha pessoa. Tenho me abstraído de comentar o que vai pela cidade. Prefiro o Lula, dá mais ibope. Alguns colaboradores criticam, é fato, no entanto nunca me neguei a publicar o outro lado. Desde que não seja propaganda explícita. Acho que estou na berlinda por causa dos navios. Quer saber Prefeito, sou a favor que venham, adoro navios. Se houve alguma confusão nas datas, não tenho nada a ver com isso, foi obra do seu secretário. Eu tentei avisar, fui ignorado. Quando o navio chegar, vou aplaudir e fotografar. Para terminar, desafio o Prefeito a encontrar críticas minhas à cidade. Críticas à administração Eduardo Cesar há muitas e haverá mais, mas volto a insistir, não é nada pessoal. Desculpe Luiz XIV, esse papo de "l’Etat, c’est moi" vai acabar mal, seu neto poderá perder a cabeça... E tem mais, Sidney Moura o escambau, sou o Sidney Borges. Parece coisa do Franco Montoro... Abraços e boa sorte.

Sidney Borges

Jingobel

Boas festas

O Ubatuba Víbora deseja aos leitores um ótimo 2008. Continuem nos prestigiando, temos compromisso apenas com os fatos, contra os quais não há argumentos. Que em 2008 a consciência do Universo ilumine os eleitores. Precisamos varrer a mentira sistemática da vida de Ubatuba. Feliz Natal.

Sidney Borges
Ubatuba Víbora

Boa idéia

Prefeitura implanta sistema de adoção de animais pela Internet

Depois de escolhido, é só ir ao Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), para interagir com o bichinho e levá-lo para a casa, ou então, escolher outro

Para quem tem interesse em adotar um animalzinho de estimação, a Prefeitura de Ubatuba está disponibilizando um sistema de adoção on line. Os interessados podem escolher o cão ou gato pela Internet, no site da prefeitura (
www.ubatuba.sp.gov.br). Neste endereço, o futuro dono poderá visualizar fotos, saber detalhes sobre as características do animal e imprimir uma ficha de adoção. Depois, é só ir ao Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), para interagir com o bichinho e levá-lo para a casa, ou então, escolher outro.
Todos os animais são vermifugados e recebem a garantia de castração gratuita pela Unidade Móvel de Esterilização de Cães e Gatos da Prefeitura de Ubatuba. O animal escolhido deve ser buscado no CCZ, das 9 às 17h, de segunda a sexta-feira. Para mais informações, ligue 3832-6810.


Animais perdidos

O site da prefeitura também está disponibilizando fotos dos bichinhos perdidos, que foram encontrados pela equipe do CCZ. Quem mora em Ubatuba ou está passando férias e perdeu o seu animal de estimação, pode acessar o mesmo site. O animal perdido ficará à disposição do dono durante quinze dias e depois, será entregue para adoção.
Segundo a veterinária do CCZ, Cláudia Ferraz, muitas pessoas que perdem seus animais não pensam em procurá-lo no CCZ. “Temos cães de raça, como poodles, cockers e pitbulls que, certamente, tinham donos, foram ensinados e tudo o mais. É uma pena, porque os animais sentem muito a falta do dono. A Adoção on line e a Galeria de Animais Encontrados são mais uma forma de facilitar a localização, tanto de novos amigos, quanto dos amigos desaparecidos.”

Posse responsável

Antes de adotar um animal de estimação, é preciso pensar que ele viverá uma média de 15 anos e necessitará de cuidados constantes, como alimentação diária, um local apropriado, protegido do sol e da chuva, vacinações e visitas ao veterinário sempre que necessário. A saúde psicológica do cão também é muito importante, por isso, ele precisará de carinho e atenção.
Os banhos devem ser freqüentes, assim como os passeios e a escovação dos pêlos. Cães soltos nas ruas podem provocar acidentes e brigas com outros animais. Por isso, eles nunca devem sair desacompanhados. Para saber mais informações, acesse o site da prefeitura (
www.ubatuba.sp.gov.br). PMU

Pois é, pra quê?



GM apresenta seu carro mais rápido

Segundo a empresa, o Corvette ZR1 é o mais poderoso veículo já produzido por ela. Espera-se que o veículo seja o primeiro modelo a ultrapassar os 320 km/h. (Do Portal G1)

Nota do Editor - Bom para subir a Rua Augusta a 0,32 km/h. Bestial, como dizem os portugueses. (Sidney Borges)

São Francisco

Transposição

Acabou a greve de fome do Bispo. O governo agiu certo, não cedeu à chantagem. Esse é um ponto, mas quanto à obra há opiniões divergentes. Alguns falam em comprometimento na geração de energia. O governo contra ataca dizendo que a qualquer instante poderá parar o bombeamento. A transposição consiste em bombear parte das águas do São Francisco para as bacias hidrográficas dos estados nordestinos, cujos rios não são permanentes e impedem que a agricultura se desenvolva. Os defensores da obra dizem que com apenas três por cento do volume o deserto vira oásis. A obra não é cara e se não der certo não compromete a lavoura. Torço para que funcione, torço para que o Nordeste se desenvolva e termine o êxodo de seu povo rumo à semi-escravidão no Sul. A seca precisa ser domada, controlada. Por enquanto é o instrumento de manobra que resta ao vetusto coronelato patrimonialista que só atrasa o país. (Sidney Borges)

Nota - Patrimonialismo é a substantivação de um termo de origem adjetiva: patrimonial, que qualifica e define um tipo específico de dominação. Sendo a dominação um tipo específico de poder, representado por uma vontade do dominador que faz com que os dominados ajam, em grau socialmente relevante, como se eles próprios fossem portadores de tal vontade, o que importa, para Weber, mais que a obediência real, é o sentido e o grau de sua aceitação como norma válida - tanto pelos dominadores, que afirmam e acreditam ter autoridade para o mando, quanto pelos dominados, que crêem nessa autoridade e interiorizam seu dever de obediência. (d'après Weber)

Políticos

Pimenta na cabeça

Se a política fosse a arte da memória, Paulo Maluf seria campeão e André Franco Montoro lanterninha. Ao contrário do líder do PPB, capaz de recordar nomes e datas com impressionante precisão, Franco Montoro, fundador do PSDB, sempre errava datas, trocava as bolas, misturava nomes e colecionava antipatias. Uma delas foi a do ex-ministro das Comunicações Pimenta da Veiga, no governo FHC. Ele ficou uma arara quando, certa vez, Montoro o saudou:- Meu caro deputado Pimenta do Reino... (Cláudio Humberto)

Acidente

Caixa-preta indica que Learjet caiu por falha no abastecimento

Diálogos mostram que pilotos perceberam tarde demais o desequilíbrio no volume de combustível nos tanques

A transcrição dos diálogos da caixa-preta do Learjet 35, que caiu sobre casas nas imediações do Campo de Marte, na zona norte de São Paulo, matando 8 pessoas, em 4 de novembro, sugere que o acidente foi motivado por um desequilíbrio na quantidade de combustível dentro dos tanques. Embora ainda não descartem outras linhas de investigação, peritos da Aeronáutica estão empenhados em reconstituir as últimas horas do jato em vôo e no solo. O objetivo é verificar se a possível falha ocorreu durante o abastecimento ou se houve pane nas bombas que transferem querosene de uma asa para outra.
Leia mais

Manchetes do dia

Quinta-feira, 20 / 12 / 2007

Folha de São Paulo
"STF libera obras no São Francisco"
O STF negou, por 6 votos a 3, um pedido do procurador-geral da República, Antonio Fernando Souza, de paralisação das obras de transposição do rio São Francisco. A maioria dos ministros disse que o governo cumpre satisfatoriamente os requisitos para realização da obra e que o Judiciário não pode interferir na escolha e na definição de políticas públicas.


O Globo
"PF desmonta quadrilha que armava 12 favelas"
A Polícia Federal desarticulou ontem uma quadrilha que fornecia armas e munição a traficantes de drogas de 12 favelas do Rio, entre elas o Complexo do Alemão, o conjunto de comunidades que oferece maior resistência armada às ações da polícia. Entre os seis presos, há dois atiradores esportivos credenciados pelo Exército, um deles escrivão aposentado da Polícia Federal, que trabalhou durante anos na Delegacia de Repressão a Entorpecentes. Eles tinham autorização para fazer recargas da munição usada em suas armas e forneciam o produto a bandidos. Em apenas uma semana, venderam cem caixas de munição (cada caixa com 50 projéteis de diversos calibres) para traficantes dos morros da Grota e Vila Cruzeiro.


O Estado de São Paulo
"Governo promete não subir impostos e vence no Senado"
Depois de prometer não aumentar impostos e conquistar assim a ajuda de 20 senadores do PSDB e do DEM, o governo conseguiu ontem aprovar em segundo turno a emenda constitucional que prorroga até 2011 a Desvinculação de Receitas da União (DRU). Ele fica assim livre para gastar R$ 84 bilhões sem vinculação a qualquer programa. Foi preciso fazer grandes concessões à oposição e também a alguns aliados, com a promessa de que não será baixa do nenhum pacote tributário, de que não haverá aumento de impostos e de que, nem de longe, será tentada uma reedição da CPMF. O Planalto se comprometeu ainda a chamar a oposição para, a partir de fevereiro, fazer uma reavaliação das despesas, verificar as contas e as receitas e trabalhar em um projeto de reforma tributária que possa ser aprovado pelo Congresso. Há até o compromisso de não promover "discursos pejorativos" no plenário contra a oposição. A oposição será chamada a ajudar a descobrir formas de tapar rombos fiscais, quando houver, e a encontrar uma saída para o financiamento da saúde.


Jornal do Brasil
"Jovens estão fora da escola"
O cruzamento de dados do IBGE e dos ministérios da Saúde e da Educação expôs uma realidade perversa: 53,1% dos 35 milhões de jovens entre 15 e 24 anos no país não freqüentam salas de aula, segundo a pesquisa produzida pela Rede de Informação Tecnológica Latino-Americana. Além disso, 19% deles não trabalham nem estudam, índice que passa a 34% quando analisadas apenas as classes mais pobres. As causas estão ligadas a fatores como raça, renda, gênero e localização geográfica, entre outros itens. O dado, denominado Índice de Desenvolvimento Jovem, segue os moldes do IDH da ONU e foi divulgado no mesmo dia em que o governo comemorou o crescimento do número de matrículas em cursos superiores.

quarta-feira, dezembro 19, 2007

TV Víbora: O barquinho

Colégio Objetivo


Formandos do Colegial, 2007. Jantar no restaurante Oásis. O Ubatuba Víbora dá parabéns e deseja felicidade a todos. Força aí moçada, o futuro é de vocês. (Sidney Borges)

Se a moda pega...

Justiça Eleitoral cassa mandato de "infiel"

O Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia (TRE-RO) cassou na noite de ontem, por unanimidade, o mandato do vereador Lourival Pereira de Oliveira (PV), do município de Buritis.
É o primeiro caso de cassação por infidelidade partidária. O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu em outubro deste ano que o mandato pertence ao partido e não ao parlamentar.
O vereador foi eleito pelo PSDB. Durante o mandato, pulou para o PPS, voltou para o PSDB e, em setembro último, filiou-se ao PV.
A Câmara de Vereadores de Buritis tem 10 dias para empossar o suplente.
Cabe recurso da decisão, mas o vereador cassado terá que aguardar o trâmite do processo fora do cargo. (Do Blog do Noblat)


Nota do Editor - Ainda bem que Rondônia é longe. (Sidney Borges)

Ubatubenses (D'après Joyce em Dublinenses)

Manhã chuvosa

Um dia eu conversava com um amigo sobre a inconveniência da dupla jornada para os cofres públicos, me empolguei e, suponho, falei demais. Por um breve instante senti que tinha tocado em nervo exposto. Ele contra atacou: escrever é fácil. Eu não estava escrevendo, estava falando, mas ele repetiu: é fácil ficar escrevendo, fazer é difícil. Eu ia perguntar: fazer o quê? Deixei pra lá. Há tantos fazeres possíveis, não cabia a pergunta, seria impertinência de minha parte. Na nobre arte do boxe há golpes estranhos, de efeito retardado, geralmente no fígado. Na hora nada acontece. Instantes depois o lutador desaba como se tivesse sido picado pela mamba negra. Escrever é fácil ecoava em minha cabeça. Só vim a sentir a intensidade do hook quando escolhia o sorvete. Chocolate light ou coco? Que encruzilhada, a vida é cheia de armadilhas. Como alguém pode dizer que escrever é fácil? Ao pensar na possibilidade minha cabeça rodou, comecei a me sentir fraco, a suar frio. Entrei em quase pânico. Fui salvo pelo gongo. Quando aprecio um gelado me detenho a contemplar a passagem do tempo, fluxo contínuo, rio invisível que arranca pedaços, solapa as margens. Leva a mocidade e forma sulcos em rostos e almas. Como todo fluxo contínuo um dia será fonte de energia, quem sabe capaz de devolver o que o tempo levou. Otimista eu sou e sempre serei. Não poderia ser diferente, há bilhões de anos meu ancestral era um pobre organismo unicelular, hoje me sinto uma metamorfose ambulante multicelular que fala ao telefone celular. Avancei. Nem gosto de tocar no assunto, meu antepassado simplório nasceu e morreu analfabeto. Deve ser dele a herança maldita, a dificuldade em escrever. Palmiro Togliatti cantava. A mezza notte será domani, espulsaremo Il americani. A mezza notte céu strelatto, Il santo papa será inforcatto... Desculpem o italiano, deixem por conta do novo jornalismo. Gay Talese escrevia como se fala nas ruas, coloquial. Será que achava fácil escrever? Uma folha de papel em branco é um terror, fico sem saber por onde começar, em certos dias nem começo, em outros começo, termino e jogo fora. Escrever é fácil para quem tem o dom. Eu não tenho. Apesar da falta de talento continuo tentando, um dia aprendo. É assim a vida, a repetição acaba por entortar o cachimbo e a boca do fumante, e como todos sabem, o cachimbo é de barro, bate no jarro, o jarro é de ouro, bate no touro, o touro é valente e mata a gente. Bulshit. (Sidney Borges)

Fim da polêmica



Island Escape em 10 de janeiro. Onde? Em Angra/Ilha Grande

O Ubatuba Víbora tem um lema: "parceria com os fatos". Quando saiu a notícia da vinda do Island Escape, em nota da ACIU, procurei na Internet a confirmação. Quero deixar claro, reiterar, que a intenção deste Blog é informar. Interpretações ficam por conta dos leitores. Quando o Blog opina o faz em editorial. A Internet exibia (e exibe) uma discrepância, o site da empresa operadora do navio não confirma a parada em Ubatuba, o comunicado da ACIU afirma que isso ocorrerá em 10 de janeiro próximo. Depois de muitas tentativas conseguimos nos comunicar com a assessora de imprensa da empresa Island Cruises, Ellen Bileski, que enviou o e-mail abaixo, que tira qualquer dúvida sobre o dia 10 de janeiro. Desta vez é oficial. O navio estará em Angra/Ilha Grande e ponto final. (Sidney Borges)


Caro Sidney,

comunicamos que a Island Cruises tem um acordo com a prefeitura de Ubatuba para uma parada experimental do navio Island Escape na cidade, durante a temporada 2008, sem data definida. A efetivação do acordo depende das melhorias que estão sendo feitas pela prefeitura no pier e no entorno. Para isso, não serão necessárias alterações de quaisquer das atuais paradas, pois a chegada a Ubatuba ocorreria em algum dos dias de navegação programados nos itinerários do navio. Entre as datas possíveis estão 09 e 20 de Janeiro, e 12 de Fevereiro de 2008. A confirmação da data de parada está prevista para ocorrer antes do final do ano. Sobre a escala do Island Escape de 10 de Janeiro, esta acontecerá em Angra/Ilha Grande, conforme informa nosso site www.islandcruises.com.br.

Atenciosamente,
Ellen

Angra 3

Comunicado

Ontem, dia 18 de dezembro, na plenária do Conselho Estadual do Meio Ambiente - CONSEMA-SP, o ambientalista Beto Francine, a pedido das entidades ambientalistas de Ubatuba e do Litoral Norte e também por deliberação do Conselho Consultivo do Mosaico da Bocaina, solicitou e obteve aprovação por unanimidade, que o CONSEMA oficialize ao IBAMA o pedido de uma Audiência Pública sobre Angra 3, na cidade de Ubatuba, antes da expedição de qualquer licença ambiental.
Tal solicitação se dá pelo fato que o IBAMA, não realizou qualquer AP na área de influência do empreendimento, em especial na cidade de Ubatuba, não esclarecendo, tampouco ouvido a comunidade deste local.
Resta saber agora se o IBAMA, que vem seguindo a orientação do governo Federal e atropelando diversos licenciamentos em nome do PAC, se dignará a ouvir e atender mais este clamor popular.

Beto Francine
Conselheiro do CONSEMA

Conheceu, papudo?

Juíza enquadra deputado acusado no Caso Mensalão

Acabou em rolo, e rolo feio, o interrogatório na 10a. Vara da Justiça Federal, em Brasília, do deputado Paulo Rocha (PT-PA), um dos 40 acusados do Caso do Mensalão.
Em certo momento, o procurador da República José Alfredo de Paula Silva, representante do Ministério Público, perguntou a Rocha se ele não achara estranho o fato de um publicitário, no caso o mineiro Marcos Valério, ter repassado dinheiro para que o PT do Pará pagasse dívidas de campanha.
- Quem está dizendo isso é você - respondeu, nervoso, Rocha, e pôs o dedo indicador da mão direita na frente do rosto do procurador.
- O senhor não me aponte o dedo. Isso aqui não é a Câmara dos Deputados - retrucou o procurador em voz alta.
Os dois estavam sentados frente a frente.
Aí foi a vez da juíza Maria de Fátima Costa, titular da Vara, intervir aos berros:
- O senhor não vai bagunçar a minha audiência. Aqui não é a Câmara dos Deputados. Você chegou aqui com uma carinha de coitadinho, de humildizinho, que veio do Pará ou não sei lá de onde. Mas aqui o senhor não manda. Fique quieto e responda às perguntas.
O advogado de Rocha pediu desculpas à juíza e ao procurador.
Rocha foi o quinto e último deputado a ser ouvido em Brasília sobre o pagamento de propinas a parlamentares para que em 2005 votassem na Câmara a favor de projetos do governo.
Ele era líder do PT quando estourou o escândalo. Renunciou ao mandato para escapar de ser cassado. Reelegeu-se no ano passado. (Do Blog do Noblat)

Fim de ano

“Alegria natalina”

Corsino Aliste Mezquita
Consciência tranqüila, em paz interior e com a circunstância, não há político corrupto, violento e intempestivo que faça perder a alegria de viver e de haver cumprido o dever,
aos que escolheram os caminhos da paz e da verdade para bem viver. Os homens bons sabem que a calúnia não maculará o que apregoa a verdade sincera e a realidade palpitante.
Com essa verdade sincera e a título de desagravo, pelos insultos e calúnias recebidos, publicamos o cartão de Natal com que encerramos as atividades, na Secretaria Municipal de Educação, no quadriênio 2001 – 2004.


“TROVAS POÉTICAS”
“Quatro anos caminhando”

Quatro anos caminhando,
Fizemos o caminho ao andar,
Administramos o ótimo, o bom,
O ruim e o regular.

Caminhamos distribuindo:
Compreensão, diversidade, amor,
Pluralidade, afeto, carinho,
Honestidade e paz.

Caminhamos semeando:
Conhecimento, cultura, ciência,
Sabedoria, alegria, conforto,
Alimento e bem-estar.

Milhares acompanharam esse nosso caminhar,
Que ao final desta jornada,
Em abraço fraternal,
Queremos agradecer e nunca os olvidar.

Uma estrela nos guiou nesse nosso caminhar,
Foi a ESTRELA DE BELÉM, iluminando nosso olhar,
Fazendo de nós instrumentos de SUA PAZ.

Nossos caminhos guiou do Camburi ao Araribá,
Conduzindo a EDUCAÇÃO a um novo patamar.

A todos, com carinho, neste instante singular,
Agradecemos e abraçamos com o ósculo da PAZ.

Nesse espírito de PAZ E ALEGRIA NATALINAS desejamos a todos os leitores, moradores e turistas: FELIZ NATAL e PRÓSPERO 2008. VIVA UBATUBA. Sem dengue e sem caluniadores.

 
Free counter and web stats