sábado, julho 07, 2007


No Perequê-açu tem

Cientistas tentam encontrar "monstro da Amazônia"

Uma espécie de "monstro" lendário que habitaria a floresta Amazônica tem atraído um grande número de cientistas para a região. Nos últimos anos, eles realizaram diversas expedições para tentar encontrar a criatura, chamada de mapinguary.
Leia mais

Ele se diz injustiçado. Confira

Depois da prisão

Zuleido Veras, dono da Gautama, fala pela primeira vez sobre as acusações de corrupção em obras públicas e conta suas relações com políticos fisgados pela Operação Navalha da Polícia Federal.
Leia aqui

País da vergonha

Acaba a paciência da sociedade

Editorial do Jornal do Brasil, hoje:
"Governador quatro vezes do Distrito Federal, Joaquim Roriz foi embora do Senado pela penúltima porta, a da renúncia. Deixou o suplente Gim Argello pronto para assumir a vaga e mergulhar em processo idêntico, suspeito de envolvimento com grilagem de terras. Mais um a se perfilar com o presidente do Senado, Renan Calheiros, que insiste em se manter protagonista do mais vergonhoso espetáculo encenado naquela Casa."

Leia mais

Razões do eterno fracasso

Negócios milionários

Nos últimos anos, a fortuna de Renan Calheiros e de sua família não pára de crescer. Somenteuma transação com a cervejaria Schincariol rendeu 17 milhões de reais de lucro aos Calheiros, num negócio crivado de estranhezas

Por Octavio Cabral
O senador Renan Calheiros já presidiu mais de dez sessões do Senado desde que veio a público a revelação de suas relações promíscuas com um lobista de empreiteira. Nenhuma delas, porém, foi tão devastadora quanto a sessão de terça-feira passada. Durante duas horas e cinqüenta minutos, dezessete senadores pediram a palavra – e quinze exortaram Renan Calheiros a se afastar da presidência do Senado. Os pedidos em série começaram depois que o líder do PSDB, senador Arthur Virgílio, informou que seu partido decidira pedir o afastamento de Calheiros, tornando-se assim o quarto partido no Senado a fazê-lo.
"A posição decidida pelo PSDB é sugerir, e desta vez olhando nos seus olhos, que se afaste da presidência do Senado até o momento final das investigações", disse Arthur Virgílio, dirigindo-se a Renan Calheiros. Daí em diante, outros senadores, de sete partidos diferentes, engrossaram o coro. Sentado à cadeira de presidente, com o semblante constrangido mas simulando frieza, Calheiros falou duas vezes na sessão. Em ambas, disse que não arredaria pé do cargo e chegou a afirmar que não sabia nem do que era acusado.
"É de quebra de decoro", gritou, do plenário, o senador Demostenes Torres, do DEM de Goiás. Rememorando: Calheiros é suspeito de pedir a Cláudio Gontijo, lobista da Mendes Júnior, para pagar a pensão e o aluguel da jornalista Mônica Veloso, com quem tem uma filha de 3 anos. Para defender-se da suspeita, o senador apresentou um calhamaço de documentos dizendo que lucrara 1,9 milhão de reais nos últimos quatros anos. Com isso, queria provar que tinha dinheiro para pagar à jornalista. Os documentos, porém, eram inconsistentes e acabaram mostrando a excepcional evolução do seu patrimônio – estimado hoje em 10 milhões de reais.

Leia mais

Frases

Cotidiano brasileiro

"A corrupção é hoje, a mãe de todos os nossos males, impôs-se como matriz: alimenta a violência, facilita as transgressões, drena preciosos recursos, enfraquece a meritocracia, desestimula os talentos, desvirtua o processo representativo, torna iníqua a justiça, anestesia a capacidade de reação, favorece o individualismo insano, emascula o senso comunitário. "

Alberto Dines

Espaço do leitor

Dicas de sucesso para alguns administradores da cidade de Ubatuba

O sucesso é a opção de não desistir e o fracasso, é opção por desistir cedo demais. A verdade é clara, não existe sorte ou azar, o que existe é disposição para fazer, agir e com persistência, chegar aos resultados. Existem momentos no qual é preciso investir com confiança, ultrapassar a capacidade, ter prazer no que faz, para obter o sucesso.
Alguém chega e diz que você é um sujeito de sorte. Sorte é o que sobra de dedicação, e esta, se chama trabalho.
Acabo tendo certeza que aqueles que se posicionam como inimigos não destroem o outro – pelo contrário, eles empurram para a vida, para a vitória pessoal, para o sucesso. Assim,muitas vezes, grandes dificuldades, podem transformar-se em trampolim para um grande sucesso.
Com essas palavras, convido aos administradores da Cidade de Ubatuba (uma jóia da natureza que Deus, o todo poderoso, nos presenteou) a se unirem. Com certeza, farão mais uma vez, a diferença, pois ninguém é melhor de que ninguém e, portanto, “um mais um é sempre mais que dois”. O que falta é União.
Pensem... ainda é tempo de recuperar!
Creiam ou não, Ubatuba está ficando de cara nova, apesar de muitas pessoas não acreditarem. Recebo pessoas de toda parte do Brasil e através do site da empresa onde trabalho, vários são os e-mails recebidos do exterior e contam que ficam maravilhados com a beleza natural da Cidade.
Ficam algumas perguntas: “será que se todos os nossos representantes se unissem Ubatuba não seria melhor?” O que fiz ou faço para Ubatuba ser ainda melhor? O que vocês poderiam ganhar com o atraso de Ubatuba?
Atentem-se pelos princípios da moralidade, eficiência, humanidade, responsabilidade e tantos outros herdados pelos nossos antepassados, princípios estes, tão valiosos, que atualmente estão esquecidos pela sociedade e, principalmente por nossos representantes.
Não sou político nem futuro candidato, sou apenas um cidadão Ubatubense que torço pelo sucesso de nossa Cidade.
Um ótimo final de semana aos Ubatubenses, Visitantes, Atletas e toda Delegação esportiva presentes nos Jogos Regionais.


Ozéias Amaro de Oliveira
ozeias@creci.org.br

Manchetes do dia

Sábado, 07 / 07 / 2007

Folha de São Paulo
"Plano da Anac para crise poupa companhias aéreas"
A primeira etapa do plano da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), da FAB e da Infraero para desafogar o tráfego em Congonhas (São Paulo), estratégico na malha aérea do país, priorizará uma eficiência maior no aeroporto em vez de intervir nos vôos das empresas. As ações terão caráter operacional, como mais ônibus de transporte de usuários no embarque e no desembarque e redistribuição de espaços de check-in.


O Globo
"Governo pune controladores e negocia para evitar greve"
Para tentar evitar um novo caos aéreo às vésperas dos Jogos Pan-Americanos, o governo vai propor reajuste salarial de 5,5% aos funcionários da Infraero, que ameaçam parar no dia 11. A categoria pede 33,25%. Enquanto isso, o Comando da Aeronáutica tenta abafar novo foco de insurgência de controladores e decidiu pelo afastamento de mais seis profissionais militares do Cindacta 4 (Manaus), suspeitos de articular uma operação-padrão.


O Estado de São Paulo
"Falta de gás pára 300 indústrias argentinas"
Mais de 300 indústrias argentinas, de diversos setores, paralisaram atividades esta semana, por causa da falta de gás e energia elétrica. O número foi apresentado pela União Industrial Argentina e é considerado muito inferior ao real pelo ex-secretário nacional de Energia Daniel Montamat. Outras 4 mil empresas estão funcionando parcialmente, por causa da redução de 40% no abastecimento de eletricidade, e cerca de 900 operam com limitação pela falta de gás. Os cortes são programados pelo Comitê de Emergência de Energia, que aplica às empresas suspensões diárias por um período de 8 horas. A Argentina só tem oferecido 16 mil dos 18 mil megawatts/hora diários necessitados pelo mercado, mesmo importando energia do Brasil. Além disso, o país possui um déficit de 25 milhões de metros cúbicos de gás diários. Em um ano de eleição presidencial, o governo conteve as tarifas de serviços públicos, o que desestimulou investimentos no setor energético.


Jornal do Brasil
"Deputados do Rio: recorde em processo"
Levantamento da ONG Transparência Brasil revela que os deputados estaduais do Rio respondem a mais processos do que seus colegas das maiores assembléias do país e até da Câmara e do Senado. Trinta dos 70 parlamentares fluminenses são citados pela Justiça. Na lista, estão o presidente da Alerj, Jorge Picciani, o presidente da CCJ, Paulo Melo, o ex-chefe de Polícia Civil Álvaro Lins e outros ocupantes de postos-chave do Legislativo do Estado.

sexta-feira, julho 06, 2007


Bichanos



Gata viaja pelo Pacífico em contêiner por 18 dias

Uma gata passou quase três semanas dentro de um contêiner sem água e comida durante travessia do oceano Pacífico e sobreviveu. A gata de estimação de Pamela Escamilla, Spice, desapareceu enquanto ela empacotava uma grande contêiner com objetos de sua casa em Waikoloa Village, no Havaí, Estados Unidos. A carga embarcou em 15 de junho em direção ao sul da Califórnia. A americana de 39 anos e seu marido, prestes a embarcarem em avião para mudar de cidade, não encontravam a gata de 3 anos. Eles pediram que os vizinhos do Havaí os avisassem se Spice fosse vista.
Leia mais

Croniqueta

Tempos de esporte

Ao ver a rapaziada dos Jogos Regionais caminhando pela cidade não pude deixar de relembrar meus tempos de basquete, quando envergando a gloriosa camiseta da Lusa do Canindé conheci um pouco do interior paulista. Em 1964 ou 65 jogamos uma série de partidas em Bebedouro, para onde viajamos em um trem da Paulista. A impressão que guardo da cidade refere-se a uma enorme laranja de concreto, naquela época Bebedouro era a Terra da Laranja, assim como Ubatuba é a Capital do Surf. Não sei como ainda não fizeram um surfista gigante. Ficaria bem ao lado do pescador-remador que paira estático na entrada da cidade. Como sou apreciador de arte cinética fico imaginando a colocação de motores para que o pescador reme e de vez em quando coce o queixo e coloque a mão direita sobre os olhos para protegê-los do sol e assim contemplar melhor a cidade. Ele também poderia pigarrear, mas isso é pedir muito. Voltando a Bebedouro, nossa equipe ficou hospedada em uma pensão agradabilíssima, um casarão enorme com varanda de ladrilhos hidráulicos e antúrios ao lado de cadeiras brancas de madeira, aquelas poltronas clássicas de meia-cana, confortáveis, generosas, onde os hóspedes conversavam depois do café da tarde. Na verdade alguns ficavam por lá o dia inteiro. Jamais esquecerei a sala onde eram servidas as refeições, toda ladeada por cristaleiras de madeira escura. Sobre elas vidros de compotas de todas as frutas que eu conhecia e algumas inéditas, finíssimas compotas, frutas cuidadosamente preparadas e mergulhadas em espessa calda açucarada que cobria o queijo branco que acompanhava o doce. No primeiro dia tomamos o café da manhã e fomos treinar, treinávamos pela manhã e jogávamos à noite. Na hora do almoço a surpresa, cada um ganhou uma porção e quando demos pela coisa não havia como repetir, as travessas tinham ido embora. Quem comeu, comeu, quem não comeu não comeria mais. A sobremesa foi frustrante, meia laranja em calda e um pedacinho de queijo. Ao meu lado nosso pivô, o calmo e tranqüilo “Magirus”, de dois metros e cinco de altura e cento e dez quilos, fez um muxoxo que entendi como sendo de desaprovação. No jantar a coisa se repetiu. Uma sopinha, um prato econômico e um docinho. Jantávamos às seis horas para jogar às nove. Comer frugalmente antes de uma disputa esportiva é bom, mas depois do jogo a fome bate. Nos dois primeiros dias, sexta e sábado, havia o recurso da lanchonete, a única da cidade, lanchonetes eram novidade naquele tempo. Na sexta feira a fome foi saciada em baldes de suco de laranja quase de graça e hambúrgueres, cheeseburgueres, americanos, baurus e o que mais havia, pizzas, esfihas, quibes e churrasquinhos. De sobremesa o estoque de Kibamba foi devorado. Quando o dono da lanchonete nos viu chegando no sábado, abriu um enorme sorriso árabe e suponho que imaginou como seria bom se houvesse basquete todos os dias do ano. No domingo o jogo foi difícil, jogo de decisão, ganhamos na sexta, perdemos no sábado e a “negra” foi disputada com casa cheia de gente com roupa de festa. Ganhamos a duras penas, mas, como eu já disse, foi um jogo cansativo, com duas prorrogações. Saímos da quadra com o estômago nas costas. A lanchonete estava fechada, a cidade dormia cedo para enfrentar a segunda-feira de trabalho. Fomos dormir com fome. Durante a noite foi difícil conciliar o sono, havia um barulho constante, um sussurrar de conversas veladas, portas sendo fechadas com cuidado. Na manhã seguinte saímos sem tomar café, nosso diretor disse que tomaríamos no trem. Ele ficou um longo tempo conversando com o dono da pensão. Eu vi quando preencheu um cheque e entregou ao homem. Já na estação recebemos uma ligação dando conta de que alguém esquecera o relógio. Fui incumbido de buscar, todos riam, eu parecia ser o único sem motivo para rir. Quando entrei na pensão entendi tudo. Os vidros de compota tinham sumido. Deixar um time de basquete sem comer dá nisso. Ou coisa pior. O café da manhã do trem foi ótimo, podíamos pedir quanto quiséssemos. O garçom, com jeitão de Louis Armstrong, trazia sorrindo. Eram bons os tempos em que podíamos viajar nos trens da Paulista.

Sidney Borges

Acredite se quiser...

São José dos Campos inaugura velório virtual gratuito

Serviço será oferecido pela prefeitura. Conhecidos poderão acompanhar a cerimônia pela internet e enviar condolências.

O serviço gratuito de "Velório Virtual" será inaugurado na cidade de São José dos Campos, a 91 km de São Paulo, na próxima segunda-feira (9). Parentes e amigos que estiverem distantes poderão velar seus mortos pela internet.
A iniciativa é de responsabilidade da Urbanizadora Municipal de São José dos Campos (Urbam), responsável pela realização de todos os serviços funerários da cidade. A empresa instalou quatro câmeras em cada uma das quatro salas de velório que possui. As imagens serão transmitidas ao vivo pela internet através do
site da Urbam. Para receber o benefício, a família precisa autorizar a transmissão das imagens. Ao fazer o registro do óbito, os familiares serão informados sobre o serviço. Se aceitarem, um dos parentes assina um termo de compromisso. O serviço é gratuito.
Leia mais

Carta do vereador Charles Medeiros

Aos Cidadãos de Ubatuba
Ref. Jogos Regionais

Sabedor de que o Senhor Prefeito teima em tentar imputar sua incompetência administrativa a outras pessoas que não a si próprio, deixo aqui algumas considerações sobre a abertura dos Jogos Regionais em Ubatuba. No dia da abertura dos Jogos Regionais, tínhamos Sessão de Câmara convocada pelo Senhor Presidente, pois o Recesso Parlamentar só ocorrerá após a votação da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias), impossibilitando a participação na abertura oficial. Na condição de homem público e compromissado com a verdade somente com a verdade, venho a público repudiar a fala do Exmo. Senhor Prefeito na abertura dos Jogos Regionais ocorrida no Estádio Municipal no último dia 03. Primeiro porque acredito nos Jogos Regionais, “eu disse nos Jogos Regionais e não no Prefeito”, este eu perdi as esperanças, pois é muito rancoroso, guarda e multiplica as mágoas em seu coração. O Prefeito esqueceu que no ano de 2006, mais precisamente no dia em que “nosso Município” foi escolhido como sede dos Jogos de 2007, (23/07) na cidade de Lorena, eu estava lá, dando apoio político a Ubatuba, infelizmente a memória do Digníssimo é fraca. Os jogos além de proporcionar apoio ao esporte em nosso Município, fez com que um Governo titubeante também enxergasse o abandono de diversas ruas e praças de nossa querida cidade, atitude que não teria ocorrido sem á presença dos Jogos. Esclareço que no dia da abertura, eu estava na Câmara Municipal esperando nossa querida comunidade para a realização da 20ª Sessão Ordinária e por volta das 19h30min o Plenário já estava repleto, porém, faltaram diversos vereadores (???) e por falta de quorum, a Sessão foi aberta somente para votação do Expediente tendo que ser encerrada por volta das 21 horas, onde o Presidente informou a comunidade presente que nova Sessão ocorreria na quinta-feira às 20 horas.
Os jogos não são do Prefeito, mas sim da cidade, bem como o dinheiro empregado nos investimentos não é do Governo, mas sim do Povo de Ubatuba.
Agradeço a atenção deste povo maravilhoso e coloco-me disposição para os demais esclarecimentos que se fizerem necessário. Muito obrigado.


Vereador Charles Medeiros
1º Secretário da Câmara Municipal de Ubatuba

Brasil

Raio X da impunidade

De Mariângela Gallucci na Agência Estado:
"Um estudo da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), divulgado em Brasília nesta quinta-feira, 5, revela que desde 1988, ano da aprovação da Constituição brasileira, até maio passado, nenhuma autoridade foi condenada no Supremo Tribunal Federal (STF) nas 130 ações protocoladas e apenas cinco de um total de 333 processos sofreram condenação no STJ, o que equivale a apenas 1,5% de autoridades punidas.
O levantamento apresentado no lançamento da campanha Juízes contra a Corrupção, expõe o tamanho da impunidade das autoridades do País, que, por lei, só podem ser julgados por tribunais superiores".

Leia mais

Manchetes do dia

Sexta-feira, 06 / 07 / 2007

Folha de São Paulo
"Conselho investiga patrimônio de Renan"
O Conselho de Ética do Senado vai investigar o patrimônio de Renan Calheiros (PMDB-AL). O senador teve evolução patrimonial de 73% entre 2002 e 2006, chegando a R$ 1,7 milhão. O Conselho fará o cruzamento da evolução patrimonial do presidente do Senado com emendas para obras da construtora Mendes Júnior. O órgão apura se Renan teve gastos pagos pela empresa. (...)


O Globo
"Assembléias aprovam greve em aeroportos durante o Pan"
Funcionários da Infraero aprovaram em assembléia uma greve a partir de quarta-feira, dia 11, às vésperas dos Jogos Pan-Americanos. A decisão foi tomada por aeroportuários de Cumbica (São Paulo), Viracopos (Campinas-SP) e Manaus. Na próxima segunda-feira, haverá assembléia no Aeroporto Tom Jobim, no Rio. A expectativa é que a paralisação provoque efeito cascata em várias capitais. Desde março, os cerca de 10.600 funcionários da Infraero negociam com a estatal. Eles querem aumento de 33,25%, mas o governo oferece 4%. A greve atinge também 480 controladores de vôo da estatal. O pessoal da Infraero é responsável por fiscalização de bagagens, manobras de aeronaves e movimentação de cargas. Ontem, os atrasos chegaram a 11,6% dos vôos.


O Estado de São Paulo
"Justiça condena só 1% das autoridades processadas"
Estudo divulgado pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) revela a quase total impunidade das autoridades no País, que por lei só podem ser julgadas por tribunais superiores. Até agora, não houve condenação em nenhuma das 130 ações protocoladas contra elas desde 1988 no Supremo Tribunal Federal (STF). No mesmo período, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) recebeu 333 processos e até aqui apenas 5 resultaram em condenação. Os réus dessas ações receberam acusações variadas, como crimes contra a administração pública, a honra, a fé e o patrimônio público e delitos eleitoral e fiscal. "O foro privilegiado é acima de tudo o foro da impunidade. Não há julgamento", diz o presidente da AMB, Rodrigo Collaço. Ele defende a convocação de juízes e desembargadores para fazerem a instrução dos processos contra autoridades. Além de apresentar o levantamento sobre esses julgamentos, Collaço lançou ontem, em Brasília, a campanha Juízes contra a Corrupção.


Jornal do Brasil
"Conselho já investiga patrimônio de Renan"
O Conselho de Ética do Senado decidiu fazer o que o senador Renan Calheiros queria evitar: avaliar a evolução patrimonial do presidente do Senado entre 2002 e 2006 e comparar com a liberação de verbas para obras da Mendes Júnior. Decidiu também pedir à PF a conclusão da perícia em documentos apresentados pelo senador. O suplente do ex-senador Roriz, Gim Argello, informou que assumirá o cargo, apesar de ser alvo de denúncias de corrupção.

quinta-feira, julho 05, 2007


Eu já desconfiava...

Genoma da anêmona é parecido com humano

Estudo surpreendeu cientistas ao mostrar complexidade da espécie marinha. Pesquisadores agora sabem um pouco mais sobre o ancestral comum dos animais.

À primeira vista, ela não parece mais do que um bichinho meio estranho das profundezas do oceano. Mas a anêmona-do-mar surpreendeu os cientistas que decifraram seu genoma por se mostrar quase tão complexa quanto um ser humano - pelo menos no quesito "genética". O estudo ajudou os pesquisadores a compreender melhor o ancestral comum das duas espécies, e de quase todos os animais de mais de uma célula do mundo.
Leia mais

Não perca!


Imbróglio

Grande preocupação com o futuro da Santa Casa. Dispensa da gerente de Enfermagem foi imotivada. Teria havido quebra da palavra do Prefeito?

Mais uma vez graves decisões de interesses pessoais e não profissionais põem em risco o futuro da Santa Casa: a demissão da Gerente de Enfermagem, imotivada, sem explicações. Teria sido tomada por influência de interesses de alguém dentro da própria equipe, por pessoa com extrema e imotivada ambição pessoal?

A população tem o direito de saber do Prefeito Eduardo César qual o motivo dessa demissão, considerando que o cargo de gerente de enfermagem é um dos mais importantes em qualquer hospital, suporte do funcionamento de todos os hospitais, porque é a enfermagem que mantém o contato e atendimento direto a população e, além disto, a enfermeira Fabiana Volpe, por sua liderança, capacidade profissional e dedicação integral ao projeto de reconstrução da Santa Casa, é uma líder que vinha exercendo papel muito importante no projeto da reconstrução da Santa Casa, em um momento muito crítico.

Esta decisão absurda, contrariando o objetivo de reerguer a Santa Casa, confirma a preocupação do Deputado Clodovil em obter 3 milhões de reais para o projeto da reconstrução, pois, como bem colocou em sua nota à população, publicada em jornal desta cidade, sobre destinar verba federal de três milhões de reais para a Santa Casa:

“Porque é um dinheiro público de alto valor que necessita ser sabiamente administrado. Portanto preciso pensar e analisar o destino do mesmo.”

Assim há grande risco de que a Santa Casa, devido a uma decisão absurda, não receba essa verba de 3 milhões de reais, que muito contribuiria para o projeto de reconstrução e reequipamento da Santa Casa.

Por este motivo, a população tem o direito de exigir que o motivo desta demissão seja devidamente esclarecido publicamente. Conforme expresso em comunicação anterior, o Conselho Gestor demonstrou sua preocupação em que não houvessem decisões baseadas em interesses pessoais e não relacionadas com o destino da Santa Casa.

Assim na hipótese de que a Santa Casa perca a destinação dessa verba de 3 milhões, a população agora sabe que o responsável é o Prefeito Eduardo César em razão dessa decisão absurda. O Conselho Gestor não foi informado da intenção de se tomar essa decisão, diferentemente do que ocorria durante os trabalhos do Sr. Álvaro Spínola, que, conforme, ficou demonstrado, apresentou resultados positivos na direção do objetivo da profissionalização, humanização e reconstrução da Santa Casa.

Essa medida é um jato de água fria em toda a equipe, que está se desdobrando e se dedicando ao máximo a essa tarefa de corpo e alma.

Um decisão sem alma, esfria qualquer entusiasmo e assim decisões como estas põem em risco o futuro da Santa Casa, por esta razão devem ser explicadas claramente a população. Essa explicação é responsabilidade do prefeito Eduardo César, porque se comprometeu a manter o projeto de reconstrução e profissionalização da Santa Casa mantendo a equipe que o está realizando, em reunião, realizada em 21 de junho de 2007, com o coordenador do conselho gestor e os assessores parlamentares do Deputado Clodovil Hernandes, a Sra. Maria Regina Nascimento Ramos, o Sr. René Gatti e o Sr. Maurício Petiz. Fica assim a impressão de quebra da palavra pelo Prefeito e que, aquilo ele afirmou nessa reunião, não era verdade.

É desconhecida a posição do Diretor Técnico da Santa Casa, Dr. Eduardo Ferraz, que não se manifestou sobre a decisão tomada, a qual é necessária porque pela legislação, essa decisão é de sua responsabilidade, por ser o Diretor Técnico o responsável pela enfermagem do hospital.

Elias Penteado Leopoldo Guerra
Coordenador do Conselho Gestor da Santa Casa de Ubatuba
OAB – SP 16.213

Curso gratuito na ACIU

Curso prático e técnico de Modelagem e Corte para Costura

Para você que:


Costura, mas não sabe cortar;
Tira molde por uma roupa pronta;
Não tem tempo para fazer um curso longo;
Não freqüentou escola de corte e costura;
Não aprendeu com outros métodos;

APROVEITE ESTA OPORTUNIDADE PARA ENTRAR NO MERCADO DE TRABALHO

Agora chegou a sua vez. Aprenda a traçar e cortar vários modelos de roupas
Material para o curso: Fita métrica, lápis, borracha, régua de 60 cm, 10 folhas de papel pardo, uma caderneta e uma tesoura.

Local de inscrição e local do curso: Associação Comercial de Ubatuba- Rua Dr. Esteves da Silva, 51- Centro- tel: (12) 3834 1449.
Dias: 11, 12 e 13 de julho
Horários: 9h00 às 11h00 e 15h00 às 17h00
Inscrição: 2 caixinhas de leite (serão doadas para o Lar do Menor)

Cristiane G. Zarpelão
Assessora de Comunicação da ACIU
www.aciubatuba.com.br
(12) 3834 1449

Golpe

Todo cuidado é pouco

Todas às vezes que os senhores se envolverem em acidente de trânsito, cujo terceiro seja um motoqueiro, façam o BO (boletim de ocorrência) independente de serem culpados ou não. Tem ocorrido fatos em que o motoqueiro é o culpado e tenta fazer um acordo no local, diz que está bem e não quer socorro médico. Só que depois, ele vai a um distrito policial, registra o BO e alega que o veículo fugiu do local sem prestar socorro, cobrando, depois, na justiça, dias parados, conserto da moto e etc.. Na maioria dos casos, as testemunhas do motoqueiro são outros motoqueiros.

Rosana Teixeira Fonseca
Corretora de seguros

Nota do editor - O expediente é conhecido, dias atrás um motoqueiro estacionou de forma estratégica, em posição tal que quando minha mulher desse marcha à ré - não havia outra opção - inevitavelmente bateria na moto. Aconteceu no estacinamento de uma loja. Não havia como ver a moto pelo retrovisor, o estacionamento é elevado em relação à rua. Como previsto, a moto foi atingida e derrubada. Logo o proprietário e "testemunhas" se aproximaram pedindo indenização. Chamado ao local notei a esperteza e propus que fosse feita uma perícia, que me comprometi a pagar. Quando nos preparávamos para fazer o BO os espertinhos desistiram. Em tempo, meu sogro bateu em uma moto e propôs socorrer a vítima. Ante a negação desta, seguiu seu caminho. Dias depois foi processado e teve de desembolsar polpuda quantia. Cautela pois. (Sidney Borges)

Festa Literária

Flip começa com homenagem a Nelson Rodrigues

Teatro é um dos focos da Festa Literária Internacional de Paraty. Dramaturgo foi lembrado nesta quarta (4) pela crítica Barbara Heliodora.

Homenageado 46 anos após sua morte, o polêmico dramaturgo, escritor e jornalista Nelson Rodrigues estará em destaque durante toda a Flip, que abriu neste ano um generoso espaço para o teatro na sua programacão. Ele foi saudado pela crítica Barbara Heliodora na noite desta quarta-feira (4), na abertura do evento, como “o criador do teatro brasileiro moderno”.
Leia mais

Grileiros em ação

A ponta do iceberg

Rodrigo Rollemberg
Deputado federal (PSB-DF)
No início do governo Juscelino Kubitschek, o quadrilátero goiano onde hoje se encontra o Distrito Federal foi declarado de utilidade pública para fins de desapropriação para sediar a futura Capital da República. No entanto, essa desapropriação não foi concluída. Parte das terras foram desapropriadas, outras continuaram privadas e ainda outra parte foi desapropriada em comum. A inconclusão desse processo, aliada à conivência de autoridades do GDF com notórios grileiros, levou ao maior processo de grilagem que se tem notícia no país. Não o maior em extensão, mas em valores, pois trata-se do loteamento de áreas nobres da Capital da República, situadas no Lago Sul, Lago Norte, Sobradinho etc.
Já em 1995, uma Comissão Parlamentar de Inquérito, na Câmara Legislativa, desvendou os procedimentos utilizados para pilhar a terra pública, que começavam nos cartórios do Entorno do DF. Lá, com a certeza da impunidade, de forma descuidada, falsificavam-se procurações e escrituras. As falsificações eram tão grosseiras que ali apareciam crianças de 14 anos adquirindo terras, negócios feitos em mil réis quando a moeda já era cruzeiro e escrituras grafadas com caneta esferográfica, inexistente à época dos documentos.
Bilhete apreendido pela CPI, no computador da empresa Benvirá de propriedade do deputado distrital Pedro Passos (PMDB), que consta no relatório final da comissão, deixa claro a associação de prática de grilagem com então autoridade superior do GDF, Joaquim Roriz (PMDB). Em certo trecho, o bilhete diz: “Acho que é possível colocarmos em condições de viabilidade para regularizar até o final do ano mais de 8.000 a 10.000 terrenos. Em todos os empreendimentos, após deduzir os custos principais, ou seja, sobre a minha parte, é viável, e de extremo interesse lhe repassar algo em torno de 20%”. Vale ressaltar que o mesmo bilhete cita pedidos de empréstimos a Tarcísio Franklin de Moura, ex-presidente do Banco de Brasília (BRB), que era diretor de operações da instituição no período.
A cobiça do grupo não parou por aí. A sofisticação do esquema levou a práticas inimagináveis: a desapropriação de terras que já eram públicas. De terras desapropriadas anteriormente com matrículas registradas em cartório ou de terras públicas tornadas particulares por falsificação de documentos.
Se nesse caso as práticas foram mais sofisticadas, também foram mais rentáveis. Como mostra outro trecho do bilhete apreendido no computador do Sr. Pedro Passos: “Acho também muito viável nós conseguirmos viabilizar até o final do ano (1994) uma1 ou 2 desapropriações, é questão de darmos prioridade a essa ou aquela e trabalharmos nisso, em qualquer dos casos, é possível repassar 50%”.
E, sempre que se provava a falsificação de escrituras nos cartórios do Entorno, elas eram misteriosamente “roubadas”. O mais interessante é que não se furtava os livros, apenas as páginas falsificadas. Interessante também que todas as áreas listadas no computador do Sr. Pedro Passos como “aptas à desapropriação” foram efetivamente desapropriadas.

O prejuízo causado pela grilagem de terras no DF é avassalador. Não pode ser medido ou quantificado apenas pelas quantias bilionárias que envolveu. Ele se estende às pessoas que compraram lotes e que, agora, no processo de regularização, terão de pagar de novo. A ocupação desordenada do solo acarreta prejuízos no abastecimento de água, no custo de infra-estrutura urbana e de segurança pública, na qualidade de vida da população, atual e futura.
Posso assegurar que tudo isso é apenas a ponta de um iceberg. Esse esquema de desvio de recursos públicos vem de longe e precisa ser extirpado.
Em 2002, quando era deputado distrital, denunciei a falsificação de três projetos de lei que autorizavam a regularização de condomínios em áreas nobres do Distrito Federal. Emendas de autoria desconhecida foram incluídas em projetos já aprovados em plenário, autorizando a regularização de novos condomínios, ainda inexistentes, além daqueles verdadeiramente discutidos e votados pelos distritais. À época, o presidente da Câmara Legislativa era ninguém menos que Gim Argello, atual suplente do senador Joaquim Roriz. Pelo menos três condomínios foram beneficiados com a prática. Diante das denúncias, as leis foram anuladas.
Por isso, lamento em nome do povo de Brasília, que sofre ao ver a imagem da nossa cidade confundida com a imagem de maus políticos. Lamento mais uma vez um político poderoso de nossa cidade esteja envolvido em denúncia de corrupção e quebra de decoro parlamentar. Espero que o Senado Federal investigue a fundo, dando direito de defesa ao acusado, para que possamos acabar com a impunidade e construir uma nova prática política em nosso país.

Fonte: Blog do Noblat

Luiz Inácio falou...

"Meu Silva não é inglês nem alemão. É português."

Lula

Nota do editor - Está certo o presidente. Se o seu nome fosse Smith haveria alguma possibilidade de ser inglês e, Schultz, alemão. (Sidney Borges)

Crise na Santa Casa

Direito constitucional de resposta do Conselho Gestor da Santa Casa ao presidente da Câmara de Vereadores de Ubatuba

Na sessão ordinária do dia 26 de junho de 2007, conforme consta da respectiva ata:

“O Senhor Presidente solicitou a palavra a dizer que tiveram de ficar um bom tempo tentando modificar o próprio Conselho Gestor da Santa Casa que vinha impedindo que ela voltasse às atividades; que o Conselho Gestor é inoperante...”

Desta forma o Conselho Gestor da Santa Casa vem exercer o seu direito previsto na Constituição Federal:
“artigo 5º, inciso V:”

“- é assegurado o direito de resposta, proporcional ao agravo, além da indenização por dano material, moral ou à imagem”

O Conselho Gestor representa a comunidade na gestão da Santa Casa, por estabelecido no artigo 198, da Constituição Federal:
“art. 198: as ações e serviços públicos e saúde integram uma rede regionalizada e hierarquizada e constituem um sistema único, organizado com as seguintes diretrizes:”

“III – participação da comunidade”

O Conselho Gestor da Santa Casa de Ubatuba em respeito à população, que representa na gestão da Santa Casa de Ubatuba, vem responder o seguinte a essa população, e não do Sr. Ricardo Cortes, cuja afirmação nem merece resposta:

O Conselho Gestor atende à população na sala do Controle Social, ao lado da Administração da Santa Casa , onde está disponível para quaisquer informações e esclarecimentos, portanto Conselho vem, nesta oportunidade, comunicar a população somente uma das suas operações, a mais recente, tomada por unanimidade :

Foi encaminhada representação contra o Sr Ricardo Cortes ao CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DE SÃO PAULO, por mau atendimento médico, erros médicos graves, que expõem pacientes a risco de vida.

Face à gravidade das reclamações apresentadas ao Conselho, com a devida documentação, foi solicitada a suspensão cautelar do exercício das atividades profissionais do Sr Ricardo Cortes até a conclusão do devido processo disciplina.

Como conseqüência, e também por decisão unânime, o Conselho Gestor encaminhou à Delegacia de Polícia Federal pedido de instalação de inquérito policial na utilização de próteses na ortopedia da Santa Casa, bem como solicitou à Promotoria Publica de Comarca de Ubatuba a abertura do respectivo processo crime.

De acordo com a Constituição Federal caberá ao sr Ricardo Cortes comprovar a verdade de suas alegações, sob pena de sofrer as sanções legais criminais cabíveis, além de indenização por dano material, moral ou à imagem.

O Conselho Gestor permanece à disposição da população na sala do Controle Social, na Santa Casa e se propõe, oportunamente, a apresentar à população, relatório de suas atividades e soluções no atendimento à população pela Santa Casa de Ubatuba

Além de ser mau médico, o Sr. Ricardo demonstrou, na última sessão da Câmara dos Vereadores de Ubatuba, realizada em 3 de julho de 2007, ser mau político e desrespeitar os eleitores e a população, por negar palavra ao coordenador do Conselho Gestor da Santa Casa de Ubatuba, devidamente inscrito na Tribuna Popular, havendo vaga para sua palavra. Essa medida é antidemocrática, autoritária e inconstitucional, e contraria o regimento interno da Câmara.

Elias Penteado Leopoldo Guerra
Coordenador do Conselho Gestor da Santa Casa de Ubatuba
OAB – SP 16.213

Manchetes do dia

Quinta-feira, 05 / 07 / 2007

Folha de São Paulo
"Roriz renuncia ao Senado para evitar risco de cassação"
Joaquim Roriz (PMDB-DF) renunciou ontem à noite ao mandato de senador para evitar o risco de cassação. A Mesa do Senado ordenara ao Conselho de Ética, por unanimidade, a abertura de processo contra ele. Roriz foi flagrado em escuta negociando a partilha de R$ 2,23 milhões. Na sessão da Mesa, tentou convencer o órgão a adiar a decisão. (...)


O Globo
"Corrupção faz Roriz renunciar mas ele ainda nomeia na CEF"
Acusado de corrupção, o ex-governador do Distrito Federal Joaquim Roriz (PMDB) renunciou ontem ao mandato de senador, horas depois de a Mesa do Senado ter decidido, por unanimidade, enviar a denúncia contra ele ao Conselho de Ética para abertura de processo de cassação. Com a renúncia, Roriz espera poder concorrer a nova eleição que será convocada se seus dois suplentes também abrirem mão do mandato. Antes disso, espera resultado de investigação da Polícia Federal e do Ministério Público Federal. No mesmo dia em que a renúncia se consumou, o governo Lula formalizou o loteamento político da Caixa Econômica Federal (CEF), nomeando inclusive um afilhado de Roriz, Carlos Antônio de Brito, para a vice-presidência de Pessoa Jurídica. Brito foi diretor do BRB no governo Roriz. O PMDB nomeou ainda o ex-deputado Moreira Franco (RJ) para a vice-presidência de Fundos de Governo e Loteria da CEF.


O Estado de São Paulo
"Roriz renuncia e evita cassação pelo Senado"
O senador Joaquim Roriz (PMDB-DF) renunciou ao mandato para evitar a cassação, preservando assim os direitos políticos e a possibilidade de disputar as próximas eleições. Antes da apresentação da renúncia, a Mesa Diretora do Senado realizou manobra para ajudar Roriz - que é acusado de desviar dinheiro do Banco de Brasília. Em reunião comandada pelo presidente da Casa, Renan Calheiros, a Mesa decidiu abrir processo por quebra de decoro, mas atrasou deliberadamente a ação para que Roriz tivesse tempo de preparar a saída. O senador queria prazo para tentar convencer seus suplentes a renunciar também, o que levaria à realização de nova eleição para a vaga.


Jornal do Brasil
"Polícia não dará trégua no Pan"
O secretário estadual de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, avisou que as megaoperações da polícia serão mantidas durante os Jogos Pan-Americanos.

A medida foi apoiada pelo secretário nacional de Segurança, Luiz Fernando Corrêa, que defendeu o combate permanente ao tráfico de drogas. Entidades ligadas ao turismo temem o impacto que as ações podem ter. Especialistas se dividem. No Complexo do Alemão, as mulheres da Força, sem perder a vaidade, empunham fuzis e pistolas para proteger as entradas das favelas.

quarta-feira, julho 04, 2007


ACIU em movimento



Festa de inauguração do Clube ACIU foi um sucesso

Cerca de mil pessoas prestigiaram o evento

Um sucesso, está tudo ótimo, o clube é maravilhoso! Essas foram as expressões mais usadas pelos participantes que estavam na inauguração do Clube ACIU.
A Associação Comercial de Ubatuba promoveu nesta última terça-feira, 03, a festa de inauguração de sua sede social- o Clube ACIU.
Participaram de cerca de mil pessoas. Estiveram presentes empresários associados, vereadores e o prefeito Eduardo César.
Os 100 primeiros convidados que chegaram na festa foram presenteados com chapéus de palha e as crianças ganharam "biribinha".
A diretoria da ACIU fez o possível para proporcionar os seus associados uma noite muito especial e agradável.
A inauguração teve como tema a I Festa Junina da ACIU, e segundo os diretores da entidade e os participantes o Arraiá ACIU foi “festão”.
O evento contou com um show de banda ao vivo, a famosa quadrilha e barracas típicas.
A ACIU disponibilizou gratuitamente aos convidados quentão, vinho-quente, pipoca, doces típicos, churrasco, refrigerante e cachorro quente. A renda da barraca da cerveja foi toda destinada à APAE. O Tachão de Ubatuba e a Basfibra expuseram seus produtos em um estande também fornecido pela ACIU.
O presidente da ACIU, Ahmad Khalil Barakat disse que é gratificante para eles da diretoria ver que superaram as expectativas de todos que foram à festa. “Conseguimos trazer mais uma conquista do empresário de Ubatuba - o Clube da ACIU, que além da integração entre os empresários, vai qualificar a nossa mão de obra. Aqui com certeza é um espaço de respeito e conforto para os nossos associados, agradeço o apoio de todos aqueles que confiaram em nosso trabalho".
Já o vice-presidente da ACIU, Marcos Velloso, contou que essa é mais uma vitória do empresariado. “É uma sede social que todos merecem, um local para diversão, festas, para a descontração, cursos, enfim um local realmente fantástico”.
Em relação ao evento, Velloso disse que a festa foi muito calorosa e que o retorno foi ótimo “é gratificante ver o empresário feliz, recebemos muitos parabéns, muitas sugestões, agradecimentos. O interessante e o gostoso é ver o empresário satisfeito e contente. Uma pequena contribuição que o empresário faz sendo associado, olha o que podemos fazer e alcançar. Fica aqui meus parabéns para todo o empresariado associado, e sem modéstia, para essa diretoria também, que trabalha muito e não busca nenhum ônus político, trabalha para o empresariado sempre, basicamente é isso que nós precisamos”.
Já o diretor da ACIU, Otavio Mei Silveira se disse um pouco surpreso com o resultado da festa. “A festa surpreendeu um pouco sim. Achei que a festa seria boa, mas não tão boa”. E completou: “os associados agora têm um espaço para se reunir, bater um papo, tomar uma cerveja, enfim, interagir, pois o comerciante de Ubatuba não tinha esse espaço”.
Segundo o Prefeito Eduardo César, a iniciativa da ACIU foi fantástica. “Em relação a festa só não digo que é uma surpresa o número de pessoas, porque o que essa diretoria tem mostrado o tempo todo, a capacidade, a seriedade, o dinamismo, a forma como conduzem a Associação Comercial de Ubatuba é fantástica. Tanto que foram reconduzidos ao cargo, eu costumo brincar pelo chocolate. Esse chocolate se deu em virtude da unificação da nova visão que o empresariado de Ubatuba está tendo. Ubatuba tem que acreditar que é capaz, que é possível e que as coisas acontecem. E quando se tem condição, como está tendo a ACIU e essa diretoria, ela mostra do que é capaz. Saíram do aluguel, agora esse clube e com essa festa.”
O prefeito deixou bem claro que a festa de inauguração da ACIU em momento algum foi conflitante com a abertura dos jogos regionais, “muita gente que estava na abertura estava na festa. Os dois eventos tiveram o seu brilho, foram um sucesso pela forma positiva com que impressionaram a comunidade”, declarou na ocasião.
“Eu entendo que a ACIU está no caminho certo, o caminho é esse e muito mais está por vir no município de Ubatuba, porque cada vez mais o empresário está com o poder de aglutinação e no poder que tem a categoria. Com isso, teremos uma economia mais forte e conseqüentemente um município melhor. A Prefeitura só tem a agradecer. É muito bom ser prefeito de uma cidade que o empresariado começa a ter consciência através da diretoria da ACIU”, concluiu o prefeito Eduardo César.
O vereador Marcos Demo que é associado da ACIU, proprietário dos Restaurantes Tio Sam, parabenizou o presidente e toda a diretoria da ACIU por mais essa inovação. “Primeiro a sede, agora o clube com todo esse espaço para nós associados usufruirmos. Tudo isso é mais um avanço, mais um crescimento da ACIU. Deixo aqui um pedido para que todo empresário de Ubatuba esteja engajado nesta causa, pois quanto mais associados melhor. Estão todos de parabéns”.

Declarações de alguns associados sobre a festa

Moacir Ribeiro Couto - proprietário do Hotel Villa Di Rimini: “A festa estava excelente, o local é maravilhoso, espero que a ACIU realize mais festas. Parabéns a diretoria da Associação Comercial de Ubatuba”.


José Carlos Tadioto - proprietário do Tadioto Materiais de Construção: “A festa foi muito boa, a participação do empresariado foi muito boa também, surpreendente até, considerando que conciliou com a abertura dos jogos regionais. O clube era uma coisa que estava faltando em Ubatuba, parece que o empresariado está se conscientizando que nossa cidade precisava disso. Isso vai ser muito bom para Ubatuba daqui para frente. Parabéns a toda a diretoria. Eu não acreditava muito, mas agora estou vendo que foi muito boa essa gestão da ACIU e tomara que continuem assim”.

Valdir Zarpelão - proprietário do Quiosque Golfinhos: “A diretoria está de parabéns por mais um novo espaço, pois nesse aspecto, um clube, para realizar confraternizações entre os empresários, Ubatuba estava carente. Agora os associados têm o seu próprio espaço para isso. Ratifico que a diretoria e todos os associados estão de parabéns. O lugar é muito gostoso. A festa está maravilhosa, o pessoal está muito satisfeito e o São Pedro desta vez nos ajudou. Parabéns à todos”.

Simone Papp - proprietária da Pousada Portal da Palmeira: “A festa estava ótima, o clube é um espaço maravilhoso e que isso tudo não pode parar. Faltava um clube em Ubatuba”.

Oswaldo Matsumoto - proprietário da Matsumoto Imóveis: “A festa foi uma iniciativa muito produtiva da ACIU, estava um grande sucesso. A ACIU ter um clube é bastante interessante e Ubatuba estava precisando disso, precisava de um espaço para que os comerciantes possam interagir, se conhecer e trocar idéias”.

Alexandre Gomes - proprietário da Pousada Torre Del Mar: “A festa estava muito legal, o espaço é ótimo e espero que continuem com esse investimento para que possamos ter toda essa sociabilização, pois muitos empresários acabam ficando envolvidos com seus próprios negócios e acabam não tendo oportunidade de conhecer uns aos outros. Em relação o Clube ACIU contar com uma pousada-escola, é mais uma forma de capacitar a mão-de-obra do turismo, que é o nosso ganha-pão na verdade. Apoio totalmente em a ACIU transformar esses 22 apartamentos que o clube possui em uma pousada-escola”.

Rosana Carpineti Mian - gerente do Banespa: “A festa está ótima. O lugar é lindo. A ACIU fez um tremendo investimento que está valendo muito a pena”.

Jaime Rossi - proprietário da Rossi Calçados e Rossi Sport Wear: “A festa foi maravilhosa, tudo muito bonito, a ACIU está de parabéns e é isso aí, a ACIU tem que juntar todo mundo, trazer o pessoal para participar. Isso aqui vai ser um sucesso. Estão todos de parabéns. E na realidade a gente também faz parte disso, eu como conselheiro, essa chapa pelo 2o ano vem fazendo um excelente trabalho, a nossa aquisição da sede própria e agora em seguida um clube, pois o nosso presidente muito inteligentemente já fez esse grande empreendimento para a gente. Agora é só os associados prestigiarem”.


Leonardo Carvalho - proprietário do Restaurante Pecado da Gula: “Eu só tenho a agradecer tudo o que está sendo feito por essa diretoria. A Aquisição da nova sede, agora um clube e com uma festa dessas de inauguração. Só tenho a agradecer”.

Donizete de Lima - proprietário da Summer Vídeo Locadora: “A festa foi maravilhosa e o clube é um projeto no mínimo interessante. A nossa diretoria fez um trabalho excepcional na 1a administração e estava torcendo para que eles permanecessem e aí estao, está valendo muito a pena”.

Declaraçôes dos Expositores da Festa

André Matheus Parodi - proprietário Tachão de Ubatuba: “A ACIU obtendo um clube é uma ótima oportunidade de o comerciante se integrar, pois tendo esse espaço, podemos nos conhecer melhor, ter uma maior convivência. A festa está maravilhosa, está tudo muito bem organizado, as barracas estão super bem dispostas, o local é super bonito.
Em relação a expormos na festa, é uma oportunidade que nos foi dada e temos que aproveitar, pois é uma ótima maneira de incentivo ao comercio local e de fazer com que as pessoas conheçam nossos produtos”.

Anacleto Campos - proprietário da Basfibra: “A festa foi muito boa, melhor do que eu esperava, tudo muito bonito, bem trabalhado e bem organizado. A ACIU deu um grande passo em adquirir um clube e tenho certeza que com a cabeça dessa diretoria vamos melhorar muito mais. Expor meus produtos na festa foi muito positivo. Por
incrível que pareça até consegui vender alguma coisa, imagina só. É uma boa oportunidade para mostrar o que Ubatuba tem. Eu indico para que as outras empresas participem das próximas festas também”.

Ruth Machado - diretora da APAE de Ubatuba: “Nós estamos muito lisonjeados com o convite da Associação Comercial de Ubatuba para participamos da festa, agradecemos muito o presidente Ahmad por dar mais esta oportunidade para a APAE e em nome de nossa presidente Mia Mafalda que batalha muito pela APAE, agradeço a Vilma, o Raul da Sorveteria Rocha e mais todas as pessoas que nos auxiliam em todos os momentos e que sempre estão sempre com a gente para tudo. Estamos com uma obra nova, uma APAE renovada, com 102 alunos e esperamos que com a nova sede possamos atender toda a nossa demanda. Eu gostaria muito de frisar também que todo esse trabalho tem a colaboração da comunidade, de pessoas como o presidente da ACIU que são sensíveis à nossa causa. Todos estão vendo a importância da responsabilidade social. Só temos a agradecer”.

Estrutura do Clube


A estrutura do clube conta com uma área de aproximadamente 31.000 m2, que contém churrasqueira, salão de festas, cozinha, campo de futebol, quadra de volley, sala de jogos, piscina, playground e muita área verde.O clube possui 22 apartamentos que serão transformados em uma pousada-escola. "A nossa intenção é buscar parceiros para este novo projeto, para capacitar a nossa mão de obra, como cursos de camareira, recepcionista entre outros", diz Ahmad.
O presidente acrescentou ainda, que há a intenção de realizar na cozinha do clube, cursos de manipulação de alimentos transformando-a também em uma cozinha-escola.
O gerente da Associação Comercial, Célio Moraes Stefani disse que está sendo elaborado um estatuto para todo o funcionamento do clube e que estão sendo aceitas sugestões para melhor atender os associados.

Cristiane G. Zarpelão
Assessora de Comunicação da ACIU
www.aciubatuba.com.br
(12) 3834 1449

Locais

Festanças

Hoje é quatro de julho, dia da independência dos Estados Unidos. Ontem Ubatuba assistiu à abertura dos Jogos Regionais. O público compareceu em massa e assistiu a um belo espetáculo. Também foi muito concorrida a festa da Associação Comercial, que segundo informações dos correspondentes do Ubatuba Víbora, recebeu a visita de importantes figuras da política local e estadual. (Keila Ferreira e Flávio Médici para o Ubatuba Víbora)

Crise

Senadores contestam autoridade de Renan em plenário

Depois da derrota na reunião da Mesa Diretora e de dizer ao longo do dia que permaneceria como presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) comandou nessa terça (3) sessão plenária em que foi submetido a críticas com um recado explícito: a maioria dos senadores não reconhece mais sua autoridade como chefe do Poder Legislativo.
Renan leu um comunicado anunciando que não renunciaria e tentou chamar a “ordem do dia” para comandar uma sessão que provasse que ele mantém a normalidade institucional da Casa. À revelia dele, pedindo sucessivas “questões de ordem”, o plenário debateu a situação política de Renan, que assistiu a um bombardeio de críticas. Durante duas horas, sua autoridade foi contestada por colegas dos mais diversos partidos, que se revezaram na tribuna para dizer que a crise instalada no Senado está abalando a imagem da instituição e causando constrangimento a todos.
“A rua já o condenou e o que passa para as ruas é que as investigações estão sendo pilotadas pelo presidente investigado” disse o líder do DEM, senador José Agripino Maia (RN). “A instituição está sub judice”, enfatizou. Agripino anunciou que “não há clima para votar nada”.
“Estamos caminhando para um clima de desordem”, resumiu o senador Sérgio Guerra (PSDB-PE). Dos 16 senadores que usaram o microfone, pelo menos 14 deixaram Renan na berlinda, disparando o mesmo recado: ele perdeu as condições políticas para permanecer no cargo, apesar das tentativas de dar clima de normalidade às sessões. Na cota de defensores, apenas o líder do PMDB, senador Valdir Raupp (RO), e o senador Almeida Lima (PMDB-SE).
Fonte: Agência Estado

Parceria Público-Privada

São Paulo na frente

Com o projeto do Expresso Aeroporto, a ligação ferroviária entre o centro de São Paulo e o Aeroporto de Guarulhos, que deve ser lançado no início do ano que vem, o governo do Estado de São Paulo se adianta ainda mais em relação aos demais na utilização das Parcerias Público-Privadas (PPPs). A nova linha deverá ter extensão de 27 quilômetros, que serão percorridos em 15 minutos. No momento, como mostrou reportagem do Estado na sexta-feira, estão em fase de conclusão estudos sobre o valor da tarifa (que deve ficar em torno de R$ 25), a localização da estação inicial no centro da capital e o traçado definitivo.
O governo de São Paulo já assinou o contrato de PPP para a compra de material rodante e operação da Linha 4 do metrô. Tem em andamento o projeto de produção de 10 m³/s de água potável na Estação de Tratamento de Taiaçupeba (Alto Tietê). Agora, além do Expresso Aeroporto, analisa uma lista de projetos para novas parcerias.
Na área de transportes, segundo o jornal Valor, São Paulo poderá abrir para o investidor privado a participação no corredor de exportação que interligará Grande São Paulo, Campinas, Vale do Paraíba e Litoral Norte, com a utilização das Rodovias Ayrton Senna, Carvalho Pinto, Dom Pedro I e dos Tamoios. Na área de transporte metropolitano de passageiros, estuda a construção do Expresso Bandeirante, trem expresso entre Mauá e o centro da capital, com trilhos paralelos à linha atualmente operada pela EMTU e com custo estimado em R$ 1,1 bilhão.
O governo paulista está também revendo a modelagem do projeto do Sistema Automatizado de Identificação por Impressões Digitais no arquivo civil do Estado, que exigirá investimentos privados de R$ 555 milhões e poderá proporcionar retorno líquido de R$ 17,5 bilhões em 20 anos. Outro projeto é o da construção de uma fábrica de 26 mil m² da Fundação para o Remédio Popular, em Américo Brasiliense. Falta detalhar o projeto de parceria na construção e administração de presídios.
Mas São Paulo é uma exceção. Os projetos de Parceria Público-Privada em todos os níveis de governo mostram uma lentidão que não condiz com a realidade financeira do setor público brasileiro nem com a calamitosa situação da infra-estrutura do País. Instituídas por lei em dezembro de 2004, as PPPs foram saudadas como um dos principais instrumentos para viabilizar os investimentos de que o País necessita, mas praticamente não saíram do papel. É como se o governo não necessitasse do apoio de empresas e de capitais privados para realizar investimentos em infra-estrutura para os quais não dispõe de recursos suficientes ou que o País não precisasse desses investimentos.
O governo Lula viu nessas parcerias a grande solução para recuperar a infra-estrutura federal de transportes, propôs o projeto que resultou na Lei 11.079, demorou mas conseguiu concluir a regulamentação das PPPs, mas até agora não assinou nenhum contrato. Continua a afirmar que o primeiro deles será fechado em breve. Governos estaduais e prefeituras também citam obras e serviços que consideram adequados para receber investimentos particulares e públicos, mas seus projetos não avançam.
Os investidores privados dispõem de recursos e buscam com certa ansiedade onde aplicá-los. Mas, apesar das declarações de ministros, governadores e prefeitos sobre a criação de parcerias, os investidores privados não encontram projetos dos quais possam participar. Além do contrato da Linha 4 do metrô paulistano, só mais dois foram assinados no País, um no município de Rio Claro (operação do sistema de coleta de esgotos) e outro em Minas Gerais (recuperação e ampliação da Rodovia MG-050).
A complexidade de projetos de parceria de longa duração, que devem conter garantias adequadas para as partes contratantes, a falta de bons estudos de viabilidade, as mudanças de governo e o recurso à Justiça dos que se sentiram prejudicados pelas regras estabelecidas para esses contratos estão entre os fatores que explicam a lentidão das PPPs. Mas é possível fazê-las avançar mais depressa, como se observa em São Paulo.
Fonte: O Estado de S. Paulo - 3/7/2007

Brasil

Não merecemos isso. Ou merecemos?

Nunca antes neste país, como diria Lula, se viu e ouviu uma sessão tão explícita de constrangimento e vergonha como a do Senado esta tarde.
A última manobra de Renan - mandando o processo de volta para o Conselho de Ética sem passar pela aprovação do plenário para não configurar um pré-julgamento - deu errado de novo. A sessão virou uma pré-julgamento de voto e palavra aberta, exposta, ao vivo e a cores, sobre a impropriedade de Renan na presidência.
É um consenso nacional que só um político esquizofrênico, que hoje é a melhor definição de Renan, se recusaria a ouvir. Renan virou um kamikaze político, irresponsável, sem vergonha na cara, que resolveu arrastar o Senado Federal para suas desventuras extra-conjugais, empresariais, bovinas e pecuárias.
Nunca, antes, se viu um político usar de forma tão descarada o cargo e o encargo de presidente do Senado para se blindar politicamente. Quando Renan começou a se defender, nos discursos de Virgílio e Tasso, sentado impávido na sua cadeira, voltou a exorbitar de sua força e poder.
Isso nunca foi feito antes, na democracia ou na ditadura. Presidente nunca fala de sua cadeira. Só fala sobre o Regimento, arbitrando a sessão, dando e cortando palavras e oradores. Só, nada mais. Se quiser falar, além do Regimento, deve sair da cadeira e ocupar a tribuna, como fazem todos os outros 80 senadores.
Nem ACM, nem Jáder, nem Sarney, nem Passarinho, nem Auro de Moura Andrade, nem Filinto Muller, nem Moacyr Dalla, nem Humberto Lucena, nem Magalhães Pinto, nem Petrônio Portella, nenhum deles, ninguém teve a cara de pau que tem hoje Renan.
O estilo daqui-não-saio, daqui-ninguém-me-tira, é uma reação que contraria o senso, o bom-senso e o consenso nacional. Renan, hoje, é um motivo de vergonha nacional. O Brasil não merece isso. Ou merece? (Ricardo Noblat)

Manchetes do dia

Quarta-feira, 04 / 07 / 2007

Folha de São Paulo
"Governo e empresas entram em atrito sobre crise aérea"
Em reunião com diretores da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) e representantes da Aeronáutica, as companhias aéreas afirmaram que não se dispõem a aceitar mudanças na malha de vôos como opção para minorar a crise do setor e reduzir o caos nos aeroportos. As empresas argumentam que a Anac não tem o direito de impor mudanças na estrutura de vôos.


O Globo
"Caos aéreo volta a explodir com mais de 60% de atraso"
Duas semanas após o afastamento de 14 controladores de vôo que lideravam operações-padrão no Cindacta-1, em Brasília, e do reforço da militarização do setor aéreo, os passageiros voltaram a enfrentar ontem um dia de anarquia nos aeroportos do país. No Aeroporto Internacional de Cumbica (SP), fechado durante toda a madrugada em meio a um nevoeiro, os atrasos de vôos chegaram a 63% no fim da manhã. Diante do novo caos, governo e companhias aéreas mais uma vez trocaram acusações sobre a responsabilidade pela crise. A Aeronáutica indiciou, por crime de motim, seis líderes da paralisação do dia 30 de março.


O Estado de São Paulo
"Chávez ataca e dá ultimato ao Mercosul"
O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, afirmou em discurso que, se os Congressos de Brasil e Paraguai não ratificarem a adesão de seu país ao Mercosul nos próximos três meses, ele desistirá de entrar no bloco. "Se não for feito em três meses, nos retiraremos por dignidade, porque consideramos uma falta de respeito", disse. Segundo Chávez, os empresários brasileiros terão muito mais a perder do que os venezuelanos. O caso teve início quando senadores brasileiros repudiaram o fechamento de um canal venezuelano de TV. Chávez reagiu dizendo que o Congresso do Brasil era "papagaio" dos Estados Unidos e, em seguida, congressistas falaram em não aprovar a entrada da Venezuela no Mercosul. A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, rechaçou o ultimato de Chávez: "Ninguém vai estabelecer prazo para país nenhum. Ninguém estabelece prazo para nós nem nós estabelecemos prazo para ninguém". Mas ressaltou que interessa ao Brasil o relacionamento com a Venezuela do ponto de vista de integração energética e de parceria para desenvolvimento da região.


Jornal do Brasil
"Zona Sul conflagrada"
Um dia depois de o presidente Lula declarar guerra ao tráfico de drogas e a exatamente nove dias da abertura dos jogos Pan-Americanos, a Zona Sul viveu uma terça-feira violenta. Em Ipanema, três bandidos invadiram uma clínica de estética e fizeram sete reféns, em um edifício na Rua Visconde de Pirajá. Horas antes, pelo menos 10 carros foram arrombados na Rua Alberto de Campos. Ainda pela manhã, ladrões atiraram contra taxistas na Glória e policiais civis prenderam um criminoso no Morro do Chapéu Mangueira, no Leme, acusado de ter roubado as armas usadas em uma filmagem na comunidade. Na Barra, a polícia investiga o incêndio de seis quiosques da orla desde o início do ano.

terça-feira, julho 03, 2007


Besteirol

Das cumbucas...

John tinha fortes razões para desconfiar da tese. Não havia evidências, nem sequer indícios de que o pacato tintureiro fosse um terrorista, embora estranhasse a forma como ele imitava Perry Como no coro da igreja. Sinto muito meu bem, ele é apenas um tintureiro, disse sem ênfase, enquanto Mary, sua amante e de Sir Archibald, de quem era também governanta, servia o chá.
Mary olhou para John enquanto este colocava quatro cubos de açúcar na xícara, o que ela considerava uma heresia. Sua tia avó, Irmengard Stewart dizia que os verdadeiros cavalheiros colocam no máximo três, enquanto homens medíocres preferem quatro. Desequilibrados adoçam com cinco. Segundo ela, mais do que isso era caso de hospício, como constatou ao internar o terceiro marido, Sir Bull, que posteriormente foi atingido por um objeto caído dos céus, um raro meteorito que ricocheteou em sua cabeça e foi pousar na sopa do famoso astrônomo Lewis MacPerson em um restaurante próximo do local, o que fez com que fosse entrevistado em todos os programas de televisão do Reino Unido. Supõe-se que o artefato espacial tenha propiciado as circunstâncias que levaram Sir Bull a cair sob a moto niveladora, que naquele exato momento consertava o asfalto da Queensway Terrace. Mary continuou suas conjeturas. John era um homem sem brilho e jamais poderia compreender a maldade escondida nas entrelinhas daquele sinistro tintureiro, que era, além de tudo, membro do fã clube de Barry Manilow. Suspirou fundo.
-Você notou que ele imita Matt Monro?
-Perdão querida, mas a quem você está se referindo?
-Ora John ao tintureiro, a quem poderia ser?
- Desculpe querida, mas ele tenta imitar Perry Como, no que dá com os burros n’água.
- John, você está me pondo nervosa, não há como confundir Matt Monro e Perry Como, onde está a sua sensibilidade musical?
- Você é que está passando dos limites Darling. Eu tenho ouvido absoluto.
-Oh! Estou chocada.

Enquanto a digressão continuava, uma grande explosão sacudiu Londres. Desde esse dia o tintureiro nunca mais foi visto nas imediações de Regent Park, o que é causa de uma terrível dúvida. A quem ele imitava?
Se você souber, mande um e-mail para o senador Renan Calheiros, que deveria saber que quem mete a mão em cumbuca e não consegue tirar é macaco. Aliás, o que ele fez foi um pouco diferente, mas no fim dá no mesmo, pois quem nasceu para imitar Perry Como jamais chegará a plagiar Barry Manilow. Onde eu encaixo Matt Monro, que ficou fora deste final eletrizante? A propósito, o tintureiro hoje vive em Recife onde é dono de uma churrascaria. Ele não teve nada a ver com a bomba, que embora tenha explodido no Parlamento lotado, acabou vitimando apenas um faxineiro senegalês. Na Inglaterra, como no Brasil, nada atinge os membros do Parlamento, que aqui chamamos de Congresso. A autoria do atentado foi atribuída a dois médicos iraquianos, atualmente presos em Minnesota, sob identidade falsa. Um se diz veterinário e o outro técnico de futebol. São médicos, não se deixe enganar.


Sidney Borges (sob pseudônimo)

Sugestão sem escala


Clique sobre a imagem para ampliar

Editorial

Jogos Regionais

Hoje começam os Jogos Regionais, com grande expectativa na cidade. Para os jovens será um marco da maior importância. As novas instalações esportivas, construídas para os jogos, proporcionarão lazer e ajudarão a tirar das ruas adolescentes, que de outra forma ficariam desocupados. O esporte é uma das melhores formas de educar, esportistas convivem com vitórias e derrotas, com frustração, tristeza e sofrimento e assim moldam o espírito e enfrentam as vicissitudes da vida com serenidade. Cabe citar a dedicação dos que se prepararam arduamente para participar da cerimônia de abertura, principalmente as meninas da dança, que certamente encantarão o público presente. O Ubatuba Víbora faz votos de que os jogos transcorram em paz e sejam um sucesso, elevando o nome da cidade.

Sidney Borges

ACIU em movimento

ACIU em parceria com o Balcão de Empregos

A Associação Comercial de Ubatuba como integrante da Comissão Municipal de Emprego, solicita aos empresários associados ou não à ACIU que disponibilizam vagas em seu comércio, que entrem em contato com o Balcão de Empregos da cidade.
Segundo o chefe de Departamento de Capacitação do Balcão de Empregos, Edison Zerbinato, o número de pessoas à procura de um trabalho é bem maior do que o número de empresários interessados em contratá-los. “É preciso haver uma reaproximação entre o empregador e o Balcão, uma vez que esse órgão pode oferecer segurança à pessoa que deseja contratar os serviços de alguém”, explica Zerbinato.
Edison explicou ainda, que os próprios responsáveis pelo Balcão de Empregos realizam uma seleção de pessoas qualificadas para o serviço que está sendo oferecido. “Dessa forma, o empregador não precisa se preocupar em fazer dezenas de entrevistas para selecionar um candidato”, aponta.
Já o vice-presidente da Associação Comercial de Ubatuba, Marcos Fushimi Velloso diz que o desemprego, infelizmente ainda é um caso bastante preocupante em Ubatuba e a ACIU, através de seus associados, em parceria com o Balcão de Emprego, têm uma grande força na busca de, se não solucionar, pelo menos diminuir os números de pessoas sem um trabalho, facilitando a relação desempregado/empregador. “Esta parceria tem a função de atender tanto quem procura o emprego como o empresário que disponibiliza vagas, pois no balcão existem três funções básicas: a captação da vaga, a elaboração da ficha cadastral de quem procura emprego e do possível empregador e o encaminhamento do empregado à empresa. Tudo para facilitar ambos os lados”, ressalta Velloso.
Sendo assim, a ACIU busca uma participação mais intensa do empresariado, para que usem “essa ferramenta” como forma de selecionar candidatos para as vagas oferecidas em seu negócio.
Velloso ressalta que umas das maiores necessidades é a elaboração de um sistema integrado entre Balcão e ACIU e que essa implantação deve ser feita pela Prefeitura ou pelo Estado.
O vice-presidente da ACIU, contou ainda que, dentro de um mês, a entidade contará com um Posto do Sebrae de Atendimento ao Empreendedor que, dentre outros serviços, disponilizará dezenas de cursos e palestras de capacitação.
O Balcão de Empregos é um órgão estadual que trabalha em parceria com a Prefeitura, através da Secretaria de Cidadania e Desenvolvimento Social, que tem como princípio básico a busca de empregabilidade, procurando aumentar a oportunidade de trabalho e incluir o cidadão trabalhador no seu mercado de atuação.
Está situado à Rua Paraná, 375- Centro. O telefone de contato é (12) 3832 6038, falar com o chefe de Departamento de Capacitação, Edison Zerbinato.

Cristiane G. Zarpelão
Assessora de Comunicação da ACIU
www.aciubatuba.com.br
(12) 3834 1449

Intocáveis

Caso Roriz
O silêncio que compromete


De Bernardo Mello Franco em O Globo, hoje:
"O Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal (TRE-DF) optou pelo silêncio, na primeira sessão após as denúncias de que dois juízes teriam recebido suborno, em outubro passado, para absolver o senador Joaquim Roriz (PMDB-DF) de acusações de uso da máquina pública na campanha. Em clima de constrangimento, os juízes se reuniram por apenas três minutos, no fim da tarde de ontem, e deixaram o tribunal sem comentar as denúncias publicadas no fim de semana pela "Veja". Em nota, o TRE informou que repassará ao Ministério Público cópias do processo posto sob suspeita.
Aparentando nervosismo, o juiz José Luiz da Cunha passou a maior parte da sessão conversando com uma assessora e, ao sair do plenário, fez gestos indicando que não falaria sobre o caso. Ele votou pela cassação da candidatura de Roriz na sessão de 13 de outubro, mas, dez dias depois, voltou atrás alegando inexistência de provas e defendeu a absolvição do senador. Cunha foi para o tribunal às vésperas do início da campanha, em $de 2006, por indicação da seção regional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).
Roriz foi alvo de duas representações por adotar seu número na urna eletrônica, 151, no serviço de atendimento da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb). As denúncias, encaminhadas pelo PCdoB e pelo Ministério Público, foram rejeitadas por 4 votos a 2 pelo tribunal, mas apenas o partido recorreu ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Quando o placar estava em 3 a 2 contra Roriz, o julgamento foi adiado por um pedido de vista do juiz Romes Gonçalves Ribeiro". (Noblat)

Manchetes do dia

Terça-feira, 03 / 07 / 2007

Folha de São Paulo
"Processo contra Renan no Senado volta à estaca zero"
O presidente do Conselho de Ética do Senado, Leomar Quintanilha (PMDB-TO), devolveu à Mesa Diretora o processo contra o presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), apontando supostos erros de tramitação. A manobra pode levar até ao arquivamento do caso. Aliado de Renan, Quintanilha tomou a medida sem consultar o conselho.


O Globo
"Lula dá R$ 1,6 bi a favelas para 'competir' com tráfico"
Em solenidade realizada no Canecão, casa de shows na Zona Sul do Rio, ao lado do governador Sérgio Cabral Filho, o presidente Lula anunciou ontem que começa a liberar hoje R$ 1,6 bilhão para a reurbanização de favelas, num total de investimentos sociais de R$ 3,8 bilhões no Estado do Rio. Pouco antes, em São Bernardo do Campo (SP), em discurso repleto de metáforas esportivas relacionadas ao Pan, Lula afirmou que o governo vai "competir com o crime organizado", com a certeza de que só irá derrotá-lo na hora em que conseguir levar "os benefícios para dentro desses lugares mais pobres do Brasil". No Rio, Lula manifestou todo apoio à ofensiva do estado contra o tráfico no Complexo do Alemão e ressaltou que não se combate o crime organizado com "pétalas de rosas".


O Estado de São Paulo
"Escolas têm déficit de 246 mil professores"
As escolas públicas brasileiras apresentam déficit de 246 mil professores, levadas em conta as necessidades do segundo ciclo do ensino fundamental (da 5ª à 8ª série) e do ensino médio. A conclusão faz parte de um estudo que será apresentado hoje no Conselho Nacional de Educação (CNE). A situação é mais dramática na área de física. Para atender à demanda, precisariam ter sido formados 55.231 professores dessa disciplina ao longo da década de 90, mas apenas 7.216 foram licenciados. "Podemos dizer que já existe um apagão de professores", diz Mozart Neves Ramos, um dos autores do levantamento. Entre as sugestões para enfrentar o problema estão a criação de um piso salarial válido para os professores de ensino médio de todo o País e o aproveitamento de estudantes de licenciatura para dar aula das disciplinas em que o déficit é maior.


Jornal do Brasil"Lula:
"Não se pode enfrentar bandido com pétala de rosa""
Ao anunciar, no Rio, a liberação de R$ 3,8 bilhões em investimentos do PAC nas favelas da cidade, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva reforçou a política do confronto com as quadrilhas de traficantes. Reconhecendo o "time adversário mais bem preparado", Lula deixou claro que "não se pode enfrentar bandidos com pétalas de rosas", criticou o descaso do poder público "nos últimos 40, 50, 60 anos" e elogiou a ação da polícia no Complexo do Alemão. Mais cedo, em São Paulo, já havia afirmado que Estado tem de "competir com o crime organizado" levando benefícios aos mais pobres. A repetição de operações de grande porte na Rocinha e no Pavão-Pavãozinho preocupa a Zona Sul. Apesar disso, a necessidade da intervenção é reconhecida.
 
Free counter and web stats