sábado, fevereiro 17, 2007

Choque aéreo

Diálogos revelam erros cometidos no maior acidente aéreo do país

Folha Online e Folha de S.Paulo
A edição deste domingo da Folha de S.Paulo traz uma reportagem exclusiva da colunista da Eliane Cantanhêde que revela os erros cometidos pelos envolvidos na queda do Boeing da Gol ocorrida em 29 de setembro do ano passado. O acidente, que matou 154 pessoas, é considerado o maior da história aeronáutica brasileira.
Cantanhêde teve acesso às 290 páginas de transcrições das conversas dos pilotos do Legacy e dos controladores de tráfego aéreo brasileiros e concluiu que "uma sucessão de erros, mal-entendidos e uma certa inexperiência ou incompetência" causaram o acidente.
Para ela, as transcrições "deixam claro" que a dificuldade de comunicação entre os pilotos do Legacy e o controlador responsável pelo vôo impediu a dupla - por três vezes - de esclarecer se deveria seguir a 37 mil pés de altitude. O plano de vôo previa uma mudança para 36 mil pés, exatamente na região onde o acidente ocorreu.
Leia mais

Nota do editor - A transcrição das conversas que agora é liberada ao público era de conhecimento das autoridades desde o dia em que aconteceu o acidente. Não revelaram antes por que não quiseram. Mistério sempre há de pintar por aí...

Aviação



A frota da Air Canada estava em processo de passagem para o sistema métrico; todos os demais aviões tinham os instrumentos indicando metros e quilos. A Boeing estava para entregar este avião, mas demoraria para modificá-lo para o sistema métrico. A Air Canada resolveu aceitá-lo assim como estava - libras, pés, etc. O sistema de indicação de quantidade de combustível estava com problemas, mas o MEL (Minimum Equipment List) permitia que se voasse com algum indicador inoperante, desde que se fizesse a medição por "vareta de nível" (por baixo das asas, sob cada tanque, puxa-se uma vareta com escala e lê-se a quantidade de combustível). Só que as varetas estavam calibradas em libras, o caminhão de abastecimento em galões ingleses e os instrumentos do painel em libras... Feitas as contas com os parâmetros errados, colocou-se a metade do combustível necessário para a etapa!


O vôo do maior planador do mundo

Se um Boeing 767 ficar sem combustível a 41.000 pés (12.500 metros), o que você terá?
Resposta: um planador de cento e trinta e duas toneladas com um índice de planeio de 11:1.
O avião sem as duas turbinas principais funcionando e também sem a turbina de serviço, passa a contar com uma pressão hidráulica fornecida por uma ventoinha que mal permite o comando do leme, profundor e ailerons. Na cabina de comando estão os pilotos Robert (Bob) Pearson e Maurice Quintal voando o que passou a ser conhecido como o Planador de Gimli. Esta é a incrível e real história do vôo 142 da Air Canadá que transformou o enorme Boeing no maior planador do mundo, num percurso de 83 Km.

Leia mais

Cuidado, ele vem aí...


O vazio infinito do nada...

Discussão Bizantina

O termo “bizantino” se refere a Bizâncio, cidade européia, situada às margens do Bósforo, fundada pelos gregos no séc. VII a.C. e que se tornou a capital do Império Romano do Oriente, ou Império Bizantino (330 a 1453), tomando o nome de Constantinopla, atualmente Istambul, um dos pontos preferidos do turismo mundial.
O grau de humanidade de Jesus sempre foi um dos temas mais polêmicos dos primórdios do cristianismo, discutido exaustivamente nos principais centros da cristandade. (como essa discussão gerava embates intermináveis no Império Cristão de Bizâncio, teria surgido daí a expressão “discussão bizantina”). Perceberam o xis da questão? Discutir se Jesus é humano ou divino pode demorar anos, séculos, milênios e no final ninguém terá chegado a uma conclusão. A resposta da Igreja está na fé, sentimento que não pode ser discutido racionalmente. Ou se tem ou não se tem e ponto final. Espero que tenha ficado claro aos leitores que toda discussão bizantina significa perda de tempo. Sempre que a feirinha hippie volta à baila, Bizâncio me vem à cabeça. Ubatuba tem uma porção bizantina, disso não há a menor dúvida. (Sidney Borges)

Entregue às baratas...




Vereador Osmar solicita dedetização na Santa Casa

Preocupado com a saúde dos munícipes e atendendo uma denúncia de pacientes internados na Santa Casa o vereador Osmar de Souza (PFL) solicitou, através de uma Indicação, que a prefeitura providencie, junto a Vigilância Sanitária, uma dedetização no hospital.
De acordo com os pacientes insetos nocivos, como baratas, estão por toda parte e descem pelas paredes junto aos leitos. Nesta semana o vereador esteve visitando o hospital para ouvir as reclamações a fim de elaborar a Indicação solicitando uma solução urgente, “A Santa Casa, que trata da saúde dos munícipes e visitantes deve ser um ambiente extremamente higiênico e a presença de baratas circulando pelo prédio pode trazer outras infecções, agravando ainda mais o estado dos pacientes”, disse Osmar.
Além de ouvir as reivindicações dos internados, Osmar ainda constatou que os armários localizados ao lado dos leitos também precisam ser trocados, pois estão enferrujados e sujos, “não são apenas detalhes que podem passar desapercebidos. Estes móveis, nestas condições, são propícios para a procriação de fungos e insetos nocivos à saúde. Por isso estou enviando esta Indicação, para que o problema seja resolvido com urgência, garantindo a saúde e tranqüilidade dos pacientes”, finalizou.

Fonte: Laura Ennes - ASCOM

Aviação

O apagão que o governo não vê

Jornal do Brasil
"A noite da sexta-feira, véspera do feriado de Carnaval, começou com 535 vôos atrasados em mais de 45 minutos nos aeroportos de todo o país, de acordo com boletim divulgado às 19h pela Infraero. Todos os vôos de Brasília em direção ao aeroporto de Congonhas (SP) foram cancelados no início da noite. A despeito das promessas do ministro da Defesa, Waldir Pires, e da Agência Nacional de Aviação Civil, que garantiam tranqüilidade nos aeroportos durante este período, as filas nos salões de embarque e os aviões parados nas pistas se multiplicaram."

Leia mais

"Nova decisão judicial, adotada ontem, restabeleceu a proibição de pousos e decolagens de aviões de grande porte - Fokker 100 e Boeings 737-700 e 737-800 - no aeroporto de Congonhas (SP). A desembargadora Cecília Marcondes, do Tribunal Regional Federal de São Paulo, fixou prazo até o próximo dia 26 para a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) apresentar à Justiça um relatório com dados sobre peso e capacidade de frenagem desses aviões. Caso a desembargadora entenda que as aeronaves representam ameaça à segurança naquele aeroporto, a restrição em Congonhas passará a valer a partir da 0h de 28 de fevereiro."
Leia mais

Educação não...

Lula resiste a trocar Haddad por Marta

Presidente agora cogita levar a ex-prefeita para a pasta de Cidades e deixar o PP com o comando da Agricultura

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse ontem, em conversas reservadas, que não dispensará o ministro da Educação, Fernando Haddad, como chegou a pleitear o PT para abrigar a ex-prefeita de São Paulo Marta Suplicy. Mas a solução do impasse parece próxima: Lula afirmou a interlocutores que vai chamar Marta para comandar Cidades, ministério hoje controlado pelo PP. Para evitar a rebelião dos aliados, no entanto, sua intenção é transferir Márcio Fortes, atual titular do cargo, para Agricultura.

No cenário exposto pelo presidente para a reforma ministerial, o PT perderá as pastas de Agricultura e Previdência - já que esta deve ir para o PDT. Pode, ainda, deixar a articulação política, se Lula conseguir convencer Walfrido dos Mares Guia (Turismo), do PTB, a assumir a missão. Nos últimos dias, o presidente começou a planejar nova jogada: enviar Walfrido para Relações Institucionais no lugar de Tarso Genro, que será remanejado para Justiça.
Leia mais

Som em pauta

Ubatuba já tem uma nova Lei do Som

Músicos e comerciantes de Ubatuba já podem comemorar a nova Lei do Som que foi enviada hoje para publicação

Até que enfim! Depois de tanta luta, reuniões e audiência pública com representantes das categorias envolvidas, consultas em todas as áreas técnicas ligadas ao setor, para a confecção do projeto 139/06 do vereador Jairo dos Santos – PT - a comemoração é mais do que justa. A espera vem desde 12 de setembro do ano passado, quando o projeto foi lido pela primeira vez no expediente da Sessão Ordinária. Depois de muitas discussões e estudos, foi aprovado por unanimidade na Câmara e enviado para a sanção do Prefeito, no dia 08 de novembro. Só quando o prazo para a resposta já estava se esgotando é que o prefeito mandou o projeto - com veto total - de volta para a Câmara. Isto, quando a Câmara já estava entrando em recesso, para tristeza dos interessados, que acabaram em prejuízo durante a temporada. Mas, na primeira Sessão Ordinária do ano, o veto do prefeito foi derrubado por todos os vereadores. Hoje, o presidente da Câmara, Ricardo Cortes –PP - promulgou a Lei, que já começa a vigorar a partir da publicação. Portanto, músicos, comerciantes, moradores e turistas, além do carnaval na Avenida e nas ruas, todos poderão curtir um som ao vivo, nos estabelecimentos autorizados da cidade.

Jairo dos Santos
Vereador

Notícias da Prefeitura

Notícias do dia 17 / 02 / 2007
  • Prefeitura de Ubatuba negocia transporte escolar com o Estado
  • Prefeitura de Ubatuba terá plantões durante o Carnaval
  • Ingressos para "Neversário do Nerso" estão à venda em diversos pontos da cidade
  • Prefeitura de Ubatuba divulga novos números da dengue no município
  • Prefeitura realiza curso de "Agregação de Valor ao Pescado"
  • Rede municipal de ensino de Ubatuba retorna as aulas no dia 26
  • Prefeitura de Ubatuba promove encontro das escolas municipais da região oeste
  • Escolinha de Natação da Prefeitura tem 2,8 candidatos por vaga
Leia aqui

Manchetes do dia

Sábado, 17 / 02 / 2007

Folha de São Paulo:
"Atrazos nos aeroportos do país afeta 38% dos vôos"
Apesar de a ameaça de protesto dos controladores de vôo não ter se concretizado, atrasos afetaram, até as 22h de ontem, 37,7% dos 1.662 vôos programados. Para autoridades do setor, a média, que se refere a atrasos de mais de 45 minutos, é 'normal' no feriado, com maior fluxo de vôos. Não houve registro de confusão.


O Globo:
"Lula troca comando aéreo para tentar conter o caos"
A troca do comandante da Aeronáutica, brigadeiro Luiz Carlos Bueno, anunciada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, foi bem recebida pelos controladores de Vôo, que cogitavam a realização de uma operação padrão no carnaval. Bueno foi substituído pelo brigadeiro Juniti Saito, que tem boa relação com os profissionais do controle aéreo e é simpático à desmilitarização parcial do setor.


O Estado de São Paulo:
"'Vão tentar punir até o feto', diz Lula"
Em meio à comoção causada pela morte do menino João Hélio Fernandes, no dia 7, no Rio, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez ontem em São Paulo um discurso inflamado contra a redução da maioridade penal. 'Eu fico imaginando que, se a gente aceitar a diminuição da idade para puni-los, para 16 anos, amanhã estarão pedindo para 15, depois para 9, depois para 10, quem sabe algum dia queiram punir até um feto se já soubermos o que vai acontecer no futuro', disse o presidente.


Jornal do Brasil:
"Polícia sufoca tráfico e bandido desce o morro"
Sem mercadoria nem dinheiro, traficantes estão desviando a pouca droga que têm para atender a usuários vip que passam o carnaval fora do Rio. diante da ameaça dos bandidos de tomarem o asfalto e aterrorizar foliões e turistas com assaltos, a PM reforçou o contingente em torno dos morros junto ao Sambódromo e da Zona Sul. Depois do feriado o Getam vai combater o crime no varejo. A Força nacional de Segurança tranca hoje as saídas da cidade.

sexta-feira, fevereiro 16, 2007

Jamais verás...

Palavras

No Brasil a prisão é vista como instrumento de reeducação. Não é punitiva, apenas confina quem age de forma anti-social. Nossos presos estão temporariamente fora de circulação para refletir e mudar o comportamento. Um dia voltarão reeducados e cheios de cidadania ao convívio da sociedade. Nada mais cristão. Nada mais justo. Concordo totalmente com a tese. Não concordo apenas com o termo reeducação. Nossas leis são avançadíssimas, dão inveja aos suecos. Suas aplicações, no entanto, não resistem a quaisquer questionamentos. Como falar em reeducação se não houve antes educação? Os exames de suficiência mostram que o sistema educacional brasileiro não funciona. É gigantesco, caro e ineficiente. Nossos rapazes perdem anos preciosos de suas vidas e saem do colegial semi-analfabetos. É uma lástima. Reeducar sem antes educar é como alguém fazer mestrado antes de ter feito o primário. Washington Luís dizia que “governar é abrir estradas”, reducionismo com o qual não concordo. Governar é fazer discursos. Preferencialmente sem nexo. (Sidney Borges)

Aviação

Controladores dão ultimato ao governo

Do Jornal do Brasil, hoje:
"Irritados com a lentidão das negociações com o governo, os controladores de vôo ameaçam fazer operação-padrão durante o feriado de Carnaval, a exemplo do movimento que provocou o caos no setor aéreo durante o Natal e o Ano novo. Decididos a pressionar o governo, os controladores se reuniram ontem, em Brasília, para definir novas paralisações durante o ano. A categoria ameaça cruzar os braços também durante o período da realização dos Jogos Panamericanos, que começam em 13 de julho."

Leia mais

"A Agência Nacional da Aviação Civil (Anac) reuniu ontem um grupo de empresas convocadas para preparar estratégia com o objetivo de evitar nova crise no tráfego aéreo a partir de março, por conta do início das obras de reforma da segunda pista do Aeroporto de Congonhas (SP)."
Leia mais

Coisa de louco

Viagra salva a vida de recém-nascido na Inglaterra

da Efe, em Londres
O medicamento contra impotência sexual Viagra salvou a vida de um recém-nascido no nordeste da Inglaterra, depois de os médicos recorrerem a ele para facilitar a entrada de oxigênio nos pulmões do bebê.
Segundo a imprensa londrina, Lewis Goodfellow, que nasceu prematuro e com um peso de 680 gramas, tinha problemas para respirar porque não tinha oxigênio suficiente em sua corrente sangüínea.
Os médicos do hospital Royal Victoria Infirmary de Newcastle recorreram ao Sildenafil, também conhecido como Viagra, que permitiu a abertura dos pequenos vasos sanguíneos dos pulmões de Lewis.
Os pais do recém-nascido, Jade Goodfellow e John Barclay, tinham ficado tão preocupados que até planejaram o funeral, segundo a imprensa local.
Jane disse aos meios de comunicação britânicos que os médicos tinham advertido que poderiam optar pelo Viagra como último recurso, mas destacaram que se tratava de um tratamento experimental.
"O problema que vemos em prematuros com dificuldades respiratórias é que, apesar de se poder fazer chegar oxigênio a seus pulmões para ajudá-los, não há fornecimento suficiente de sangue a várias áreas pulmonares capazes de levar oxigênio ao resto do corpo", disse o especialista em neonatologia Alan Fenton.
"O que o Sildenafil faz é dilatar os vasos sangüíneos de modo que possam captar o oxigênio e levá-lo a todo o organismo", explicou.
Lewis nasceu em agosto de 2006, mas só deixou o hospital em janeiro deste ano, segundo a imprensa britânica.

Nota do editor - Obelix se tornou invulnerável após cair na poção mágica do druida Panoramix. Tal fato poderá se repetir, embora com nuances diferentes. O pequeno Lewis, dizem os médicos, depois do Viagra passou a exibir um sorriso maroto, ficar agitado e piscar, sempre que a enfermeira-chefe, que é muito bonita, entra no berçário. Viagra é fogo...

Ubatuba em foco

Mentiras e traições

Há mais de mil anos Sun Tzu escreveu um livro que se tornou clássico e continua sendo editado hoje, sob o título de “A ARTE DA GUERRA”, uma verdadeira obra-prima de estratégia política, militar ou mesmo empresarial.
Da mesma forma, há quase quinhentos anos o pensador italiano MAQUIAVEL escreveu outra obra que se tornou clássica e muito conhecida na área da ciência política, uma verdadeira bíblia de como agir para conquistar e manter-se no poder. O Príncipe, como é denominada esta obra, representou uma verdadeira revolução na forma de pensar e orientar as ações políticas e, em certo sentido, maquiavelismo resume o que muita gente considera a essência da matreirice que marca a ação política em todos os países, inclusive o nosso.
Pessoalmente não conheço nenhuma obra que trace orientações práticas de como os políticos e governantes devem fazer para se aperfeiçoarem na arte de enganar o povo, mas deve haver alguma obra secreta, que apenas os “iniciados” na política tenham acesso, pois o aprendizado nesta área parece passar de pai para filho ou de cacique para cacique, de geração para geração.
Os seus ensinamentos devem ser muito preciosos a candidatos, principalmente em época de campanhas eleitorais, quando os demagogos e mentirosos costumam falar, discursar e prometer tudo o que no passado não conseguiram realizar e sabem que não realizarão no futuro, mas aproveitam os momentos críticos e o desespero do povo para infundir-lhes alguma dose de esperança em coisas que desejam, mesmo que isto não seja realizado e, em troca, acabam recebendo os votos necessários para serem eleitos e permanecerem à sombra do poder para tudo o que a população já sabe.
Vamos a alguns exemplos: em plena campanha para as eleições de 2004, Eduardo César dizia em seus discursos que, se eleito, ia administrar nossa cidade com responsabilidade e seriedade e com a participação popular. Foi eleito. Levou à saúde ao caos, distribuiu todas as construções e reformas das obras públicas para as empreiteiras de seus amigos e parentes, terceirizou a gestão das creches, merenda escolar e quase a da saúde. Distribuiu os cargos da administração e de chefias aos ex-vereadores que estão envolvidos com ele no processo de corrupção (Processo nº. 642.01.2000.000647-4 - 1ª Vara Cível). Criou condições adequadas para proliferar a epidemia de dengue, abandonou todos os nossos bairros pobres, perseguiu comerciantes, atrasou os salários dos funcionários da saúde, não pagou fornecedores, traiu os partidos e as pessoas que o elegeram. Enfim, dilapidou o nosso patrimônio público e entregou nossa cidade aos ratos.
Apenas mais uma referência às mentiras de Eduardo César. Foi durante a inauguração da nova ala da Santa Casa, onde compareceu o Ministro da Saúde, Agenor Álvares. Depois de terminada a inauguração e depois dos discursos “inflamados”, a nova ala que deveria funcionar imediatamente está fechada e os equipamentos, como telefone, mesas e computadores e móveis foram retirados, pois lá estavam apenas para “mobiliar” os recintos e impressionar o Ministro da Saúde e as outras autoridades e convidados. A solenidade, longe de ser alguma coisa banal, revela como nosso Prefeito Eduardo César engana e mente para o povo, da forma mais descarada possível.
É triste ver espetáculos como esses acontecendo ainda em nossa cidade. É a razão pela qual imagino e continuo pesquisando para ver se consigo encontrar esta obra secreta que contém os ensinamentos que o prefeito Eduardo César tanto utiliza quando se trata de manipular e enganar o povo.
Acorda povo, antes que seja tarde.


Jairo dos Santos – PT
vereador

Notícias da Prefeitura

Notícias do dia 16 / 02 / 2007
  • Bloco "Cuca Legal" leva alegria para as ruas de Ubatuba
  • Ubatuba aguarda a visita de 250 mil turistas no Carnaval
Leia aqui

Manchetes do dia

Sexta-feira, 16 / 02 / 2007

Folha de São Paulo:
"Câmara dobra pena para uso de menor em crime"
A Câmara dos Deputados aprovou nesta quinta-feira o projeto que aumenta a pena para os adultos que envolverem crianças e adolescentes em crimes. Ao mesmo tempo, a Comissão de Direitos Humanos do Senado também aprovou projeto com semelhante teor.
A diferença é que o projeto dos deputados altera o Código Penal, portanto é mais abrangente. O aprovado pelo Senado é relativo apenas aos crimes previstos no ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente).

O Globo:

"Adulto que usar menor em crime terá punição maior"
A Câmara e o Senado aprovaram dois projetos que aumentam a pena dos bandidos que usarem menores para cometer crimes. o projeto da Câmara altera o Código penal e classifica o aliciamento de menores como agravante de qualquer crime.


O Estado de São Paulo:
"Governo congela R$ 8 bi do orçamento na área social"
Metade do corte de R$ 16,4 bilhões anunciado ontem pelo governo em suas despesas de custeio e investimento vai sair da área social. Só o Ministério da Saúde vai perder R$ 5,8 bilhões com o chamado contingenciamento. Das pastas da Previdência, Educação, Desenvolvimento Social, Trabalho, Cultura e Esportes vão sair outros R$ 2,35 bilhões. Até mesmo os ministérios responsáveis pelas obras de infra-estrutura, como Cidades e Transportes, carros-chefe do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), foram afetados pelo bloqueio orçamentário, mas nesse caso os cortes têm um destino certo: as emendas parlamentares.


Jornal do Brasil:
"Invasão a prédio público com garantia da PM"
"É o descrédito total da ordem policial. Vivemos uma barbárie aqui", reagiu o secretário municipal de Assistência Social, Marcelo Garcia, ao criticar a não colaboração da PM para evitar que o prédio de uma antiga fábrica de refrigerantes, onde será construído o Centro de Cidadania Braguinha, fosse totalmente depredado por moradores do Complexo do Alemão.

quinta-feira, fevereiro 15, 2007


Ação e reação

Menores com atitudes "Maiores"

"Ou o menor é consciente de seu ato, e, portanto, imputável como um adulto; ou seu desenvolvimento é incompleto, e, nesse caso, nada garante que ele se complete num máximo de três anos.
Ou, então, o jovem sofre de um Transtorno da Personalidade Anti-Social (psicopatia), cuja cura (quando acontece) exige raramente menos de uma década de esforços". (Contardo Calligaris, na Folha)

Santa Casa

Respondendo a um leitor

Hoje fui cobrado por um leitor, que me enviou um e-mail cheio de gentilezas e com uma sutileza nas entrelinhas. Perguntava por que não estou escrevendo sobre a Santa Casa. Caro senhor D... (ele pede discrição, teme pelo emprego), eu tenho muita vontade de abordar o tema, mas me faltam subsídios. Para informar, preciso estar informado. Preciso de números e esses são difíceis de conseguir. Como o senhor já deve ter notado, eu tenho por hábito me posicionar, porém escrevo apenas sobre fatos, não sobre hipóteses. Neste caso estou de mãos abanando. Eu preciso dos dados da Santa Casa. A quantas ia a instituição antes da intervenção da Prefeitura? Como ficou depois? O senhor deve ter notado que sem essas informações não é possível traçar um quadro evolutivo, não há como mostrar a verdade. Dizem que os médicos ganham muito. Quero saber quanto, quais são os salários, por que são altos, se é que são. Os números não mentem e contra fatos não há discursos que tenham eficácia. Já pedi essas informações publicamente ao COMUS. O presidente da entidade prometeu que assim que tivesse me daria. Não deve ter conseguido. Felizmente surgiu uma luz no fim do túnel. O vereador Charles Medeiros, presidente da comissão da Câmara que apura o que está acontecendo em nosso único hospital. Charles, um democrata, adepto da transparência no trato da coisa pública, me prometeu pessoalmente que as informações logo estariam disponíveis. Vamos finalmente ter um diagnóstico do porquê da Santa Casa estar na situação em que se encontra. Assim que receber do vereador Charles Medeiros os números, que há muito deveriam ter sido tornados públicos, tratarei disso. De qualquer forma, cedo ou tarde a verdade aparecerá, sempre é assim. Nada mais a acrescentar. Um abraço caro D... Continue lendo o Ubatuba Víbora. (Sidney Borges)

Editorial

Crimes e castigos

O que é a vida? Pergunta de difícil resposta, eu sinceramente não sei. Sei apenas que é uma situação transitória, de curta duração. Ocupados na luta pela sobrevivência acabamos nos esquecendo de que é o único bem que realmente possuímos. Quando ela termina de nada adianta ser famoso, rico, bonito ou jovem. Acaba tudo, sonhos, projetos, já não há arrebatamento, já não há ilusão. Já não há. Tenho pensado no bárbaro assassinato ocorrido no Rio de Janeiro, onde um menino foi arrastado por sete quilômetros até ficar reduzido a um amontoado de carne e sangue, irreconhecível como um ser humano. Não dá para mudar de estação, está em todos os jornais, no rádio, na televisão, na Internet, é do que se fala. Durante muito tempo teremos o desprazer de assistir intermináveis discussões sobre maioridade e penalidades. Sempre iguais, com os mesmos argumentos a favor e contra. Enquanto se discute, a barbárie vai sendo assimilada e os assassinos que comemoraram o trucidamento como uma façanha, acabarão reduzidos a vítimas do sistema. O fulcro da questão é que um ser humano foi morto, roubado, espoliado, perdeu tudo. Dele foi tirada a chance de crescer, de amar, de sofrer, de ter filhos, até de morrer naturalmente. Ele já não existe, restam despojos, átomos indestrutíveis que se combinarão em outras formas, quem sabe em outras vidas. Onde tudo isso vai parar?

Sidney Borges

Notícias da Prefeitura

Notícias do dia 15 / 02 / 2007
  • Prefeitura reforça busca de criadouros de Aedes Aegypti em áreas públicas
  • Prefeito Eduardo Cesar reúne-se com médicos da Santa Casa
  • Projeto "Folia com Saúde" faz mudanças no roteiro de apresentações
  • Feras do BMX voltam a Ubatuba em junho
  • Candidatos aguardam sorteio de vagas na natação
Leia aqui

Manchetes do dia

Quinta-feira, 15 / 02 / 2007

Folha de São Paulo:
"Câmara dificulta saída de preso da cadeia"
A Câmara dos Deputados aprovou na noite de ontem em votação simbólica - sem registro nominal de votos - dois projetos de lei que endurecem a legislação penal. O primeiro dificulta a obtenção da progressão da pena (transferência do regime fechado de detenção para um mais brando, como o semi-aberto) para os condenados por crime hediondo.


O Globo:
"Câmara aumenta rigor com presos por crime hediondo"
Uma semana após o assassinato do menino João Hélio, no Rio, a Câmara aprovou o primeiro dos projetos sobre segurança incluídos na pauta de votação após a barbárie: o que aumenta o tempo em que condenados por crime hediondo devem ficar em regime fechado. De última hora, os deputados tornaram o projeto mais rigoroso: o preso só terá direito a progressão de regime após cumprir dois quintos da pena - e não um terço, como no texto original. Hoje, basta cumprir um terço. Os deputados tiraram de pauta outros oito projetos e planejavam votar mais dois: o que dobra a pena de bandidos que usam menores em crimes e o que torna crime o uso de celulares por presidiários. No Senado, o governo impediu a votação na CCJ do projeto que antecipa a maioridade penal de 18 para 16 anos.


O Estado de São Paulo:
"Governo evita controle de verba de segurança"
A Câmara dos Deputados deverá engavetar o projeto de lei, aprovado anteontem pelo Senado, que proíbe o bloqueio de verbas do Orçamento da União para planos da área de segurança pública. O presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), disse ontem que a proposta será analisada e aperfeiçoada pelos deputados sem "prioridade". Na avaliação do vice-líder do PT, deputado Maurício Rands (PE), existem outros projetos que devem ser votados antes. Sem tramitar em regime de urgência, o projeto que proíbe o contingenciamento de verbas levará cerca de três meses para chegar ao plenário da Câmara. Aprovado anteontem pelos 65 senadores presentes no plenário, a proposta enfrenta resistência no Planalto. Nos quatro primeiros anos do governo Luiz Inácio Lula da Silva, 62% das verbas previstas para a área de segurança pública foram contingenciadas. Anteontem o ministro da Fazenda, Guido Mantega, criticou o projeto, argumentando que o Orçamento ficaria mais engessado do que já está. A proposta foi a primeira a ser aprovada no Congresso em reação ao choque provocado pelo assassinato do menino João Hélio, de 6 anos, há uma semana, no Rio.


Jornal do Brasil:
"PT impede a redução da maioridade penal"
Enquanto mais de mil pessoas gritavam por socorro, em coro, na Igreja da Candelária, durante a missa em homenagem a João Hélio, em Brasília uma manobra da bancada governista impedia que a Comissão de Constituição e Justiça do Senado aprovasse o projeto que reduz para 16 anos a maioridade penal. O senador petista Aloizio Mercadante pediu vista do projeto, para impedir a sua aprovação. A base aliada obedeceu à orientação do presidente Lula, que é radicalmente contrário à modificação da lei. O assunto só será discutido de novo dia 28.

quarta-feira, fevereiro 14, 2007

Carnaval

Folheto de Momo

O folheto do carnaval que a Prefeitura está distribuindo é muito bonito e merece ser elogiado, além de vir ao encontro do que acredito deveria ser a motivação predominante em todas as atividades. Se é para fazer, melhor fazer bem feito. Parabéns ao pessoal da criação. Eu só diminuiria um pouco o fundo colorido para realçar o texto, mas isso é um mero detalhe que não compromete a qualidade do trabalho. Valeu rapaziada. (Sidney Borges)

Ubatuba

Falando de política

Noite dessas, em agradibilíssimo jantar, cometi a indiscrição suprema. Teci uma crítica pessoal, o que só é tolerável em redações e estúdios e mesmo assim por motivos profissionais, muitas vezes para colher a devolutiva. Homens educados falam de idéias, homens que aparentam educação falam de posses e há quem só saiba falar mal dos outros. Não se deve confundir as coisas, falar mal consiste em difamar, inventar histórias. Falar de fatos reais e comprovados é parte integrante da vida política. Bem, de certa forma. Na vida política de Ubatuba a difamação também é parte integrante, embora eu seja contra isso. Como eu disse anteriormente, teci algumas críticas a uma administração municipal do passado, no que fui prontamente interpelado por um ex-secretário de então. Meu indignado interlocutor quis saber o que houve de errado? O ambiente não propiciava discussões, desconversei. Depois, no caminho de casa, rememorei o que gostaria de ter dito, mas que teria sido inconveniente, dadas as circunstâncias. O que faltou nas administrações ubatubenses dos últimos vinte anos? Uma palavra pode resumir. Imaginação. Faltou imaginação. E tudo indica, vai continuar faltando. (Sidney Borges)

Creme rugol

Cleópatra não era tão bela, sugere moeda
O autor se esquece que a beleza da mulher não está na cara, como diz a músiquinha do Juca Chaves. Tá na jura...

da Folha de S.Paulo
A bela Cleópatra, talvez, não tenha sido tão bela assim. Estudiosos da Universidade de Newcastle analisaram uma moeda de prata com mais de 2.000 anos que mostra uma rainha com traços bem diferentes dos apresentados por Hollywood.
A figura tem uma testa estreita, queixo pontudo, nariz anguloso e um lábio fino. Os arqueólogos consideram o estudo de moedas uma importante fonte de informação sobre a fisionomia de soberanos."Os escritos romanos diziam que Cleópatra era inteligente e carismática e tinha uma voz sedutora. Não havia menção à beleza", disse Lindsay Allason-Jones, diretora do Museu de Arqueologia da universidade britânica.Para Clare Pickersgill, da Newcastle, foi o cinema que ajudou a criar esse mito de beleza da rainha.
Legenda da foto: Moeda de 32 a.C. mostra a rainha egípcia Cleópatra, que não era tão bonita assim

Jamais verás...

Uma idéia para avacalhar (ainda mais) o Brasil

Murillo de Aragão
O super-bem informado Jorge Moreno publicou, em sua coluna no O Globo, de sábado, de que já funciona o comitê pró terceiro mandato de Lula em um dos gabinetes do Anexo IV da Câmara.
O prédio foi palco de muitos eventos exóticos. Corrupção, “amassos” de deputados com funcionárias, “amassos” entre funcionários, tráfico e consumo de drogas, traições políticas e conjugais, negociatas, subornos, trens da alegria, complôs, planos mirabolantes de golpes de estados, entre outras paradas.
Agora, sem fugir do exótico, abriga um “comitê central” clandestino, segundo Moreno, da “re-reeleição” de Lula.
Ainda que não exista impedimento para que se apresente uma emenda constitucional com tal propósito, a proposta de um terceiro mandato para Lula é inconveniente.
Na prática, o tal comitê poderia ser aberto ao público, distribuindo adesivos e bonés e mostrando os motivos de sua campanha. Deveria mesmo deixar de ser clandestino.
No entanto, a idéia em si é inoportuna por lutar por uma causa que, se vencedora, vai fragilizar o já esculhambado processo democrático brasileiro.
Imaginem o Brasil constitucionalizando a possibilidade de alguém vir a ser presidente por doze anos seguidos!!! É a consagração do personalismo e o fracasso das instituições partidárias.
A própria reeleição, da qual fui simpático, no Brasil mostra-se um fracasso na medida em que o uso da máquina pública nas campanhas não é adequadamente combatido e a justiça eleitoral é ineficaz, complacente e, até mesmo, cúmplice do quadro caótico existente.
Lamentavelmente, a mistura do papel de presidente e candidato mostrou-se inoportuna para o comando do país.
A combinação de clientelismo com assistencialismo, baixa consciência política e imprensa parcialmente livre é terreno fértil para a perpetuação de caciques e clãs políticos.
Vitoriosa, mesmo em tese, a re-reeleição seria a prova cabal da incompetência de o Brasil produzir candidatos viáveis e de se organizar politicamente em torno de partidos, idéias e programas.
É inadequada por emperrar o andamento político de um governo politicamente confuso. Vai atrapalhar o debate do PAC, da reforma tributária, da CPMF, da DRU e de tantos outros temas capitais para o país. Enfim, o debate do terceiro mandato de Lula poderá desarrumar o seu atual mandato.
Poderá ter um efeito semelhante à movimentação em torno da emenda da reeleição dos presidentes da Câmara e do Senado. A proposta – que fracassou – dividiu o PT e o PMDB, secou a agenda do Congresso, deu espaço para o mensalão e culminou com a eleição de Severino Cavalcanti.
É irreal pela insuficiência de votos para tal. Uma operação de "aquisição" e "leasing" de votos para a re-reeleição teria um custo astronômico! Enfim, para compor uma maioria constitucional estável capaz de aprovar a re-reeleição, Lula terá que jogar no lixo qualquer pudor.
Finalmente daria uma bandeira de oposição a uma oposição "desbandeirada"! Ou seja, tudo o que Lula não precisa no momento.
De tão ruim, a re-reeleição lembra outro despropósito: a prorrogação do mandato do general João Figueiredo em troca das eleições diretas para presidente. Algo que encantou Leonel Brizola que, à época, poderia ganhar no voto a Presidência.
O instituto da re-reeleição deve ser considerado como uma medida excepcional de união nacional em situações de caos total ou guerra, como foi com Franklin Roosevelt nos Estados Unidos na Segunda Grande Guerra. (Fonte: Noblat)


Murillo de Aragão é mestre em ciência política e doutor em sociologia pela UnB. Foi professor da UnB, pesquisador do Social Science Research Council (Nova York) e é presidente da Arko Advice –Análise Política.

Frediani versus Cesar (1º Round)



A luta do ano! Não percam...

O ex-vereador Rogério Frediani protocolou ontem, no TJSP, em Ubatuba, uma Ação Popular por Improbidade Administrativa com pedido de Medida liminar.
A ação, de Nº 200 702 131 249 - 642. 01. 2007, pede o afastamento do prefeito Eduardo César e de alguns secretários e está centrada no problema da Saúde do município, que segundo o denunciante é fruto de má gestão do Executivo.
Para saber mais, clique aqui.

Sidney Borges

Cidadania

Eleição do Conselho Tutelar de Ubatuba

O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente - CMDCA/Ubatuba - tem a honra de convidar toda a comunidade para participar das duas etapas finais do processo de eleição dos novos membros do Conselho Tutelar:

- Apresentação dos candidatos, no dia 15 de fevereiro, quinta-feira, às 20 horas, no salão da Igreja São Francisco.

- Eleição, no dia 25 de fevereiro, domingo, das 08 às 17 horas, no Ginásio de Esportes Benedito Pinho Filho. (Tubão)

A eleição para o Conselho Tutelar acontece a cada três anos e dá a cada cidadão o direito de exercer sua cidadania em defesa de nossas crianças e adolescentes.

VOTE! PARTICIPE DESSA FESTA!


Notícias da Prefeitura

Notícias do dia 14 / 02 / 2007
  • II Festival de Marchinhas antecipa alegria do carnaval em Ubatuba
  • Prefeitura participa de reunião com comunidade do Taquaral
  • Prefeito Eduardo Cesar e Luiza Mell inauguram Unidade Móvel de Esterilização de Cães e Gatos
  • Escolinha de natação de Ubatuba faz avaliação para vagas remanescentes
  • Prazo para renovações de matrículas nas escolinhas de esporte encerra-se nesta quinta
  • Surfistas de Ubatuba não competirão em Natal
Leia aqui

Manchetes do dia

Quarta-feira, 14 / 02 / 2007

Folha de São Paulo:
"Governistas tentam adiar debate sobre maioridade"
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu ontem a líderes de sua base no Congresso que derrubem o debate sobre a redução da maioridade penal. Para ele, a redução da idade mínima para punições penais, hoje em 18 anos, pode "desproteger os adolescentes". (...)


O Globo:
"Governadores pedem mais tempo de prisão para menor"
O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), anunciou ontem que, logo após o carnaval, ele e os demais governadores da Região Sudeste apresentarão ao Congresso uma série de propostas para a segurança pública. Entre elas, está a de ampliar de três para até dez anos o prazo de internação de menores que cometerem delitos graves. No Senado, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) debate hoje as propostas de emenda constitucional (PECs) que antecipam a maioridade penal de 18 anos para 16 anos. O relator das PECs, Demóstenes Torres (PFL-GO), disse ontem que seu parecer será favorável à antecipação, para os casos de menores envolvidos em tráfico de drogas, tortura e crimes hediondos. A votação do parecer, porém, deverá ser adiada devido à manobra da senadora Patrícia Saboya (PSB-CE) e de outros colegas que, contrários à proposta, pedirão vista coletiva. Um acordo de líderes no Senado prevê a criação de uma comissão especial que discutirá a antecipação da maioridade penal, retardando ainda mais a tramitação da proposta. Ontem, em reunião com líderes dos partidos da base, o presidente Lula afirmou que esse assunto não pode ser discutido de forma açodada.


O Estado de São Paulo:
"Senado proíbe o bloqueio de verbas para segurança"
O Senado aprovou ontem projeto de lei que proíbe o bloqueio de verbas do Orçamento da União destinadas a projetos de segurança pública. Caso isso ocorra, os ministros da Fazenda e da Justiça poderão ser responsabilizados penalmente. O governo só poderá reter essas verbas em casos extremos, como calamidade pública, impossibilidade de executar o orçamento ou redução expressiva de arrecadação. A proposta foi aprovada por unanimidade e é uma reação à comoção provocada pelo assassinato brutal do menino João Hélio Fernandes, na semana passada. A medida, que agora precisa ser votada na Câmara, se refere só aos recursos federais. No primeiro governo Lula, foram aplicados em segurança pouco mais de R$ 2,4 bilhões, o que significa 62% do que estava previsto no Orçamento. Em ação coordenada com o Palácio do Planalto, parlamentares governistas tentarão hoje impedir que a Comissão de Constituição e Justiça do Senado vote a proposta de emenda à Constituição que permite a redução da maioridade penal para 16 anos, em caso de crime grave.


Jornal do Brasil:
"Bandidos festejaram a morte de João Hélio"
A polícia revelou, com base em depoimento de testemunhas, que os assassinos de João Hélio Fernandes foram a uma festa depois de cometer o crime. Informou também que os cinco envolvidos participaram diretamente do assalto e do assassinato.

terça-feira, fevereiro 13, 2007

Luiz Inácio falou...

Enigma enigmático

"Não há momento na história econômica do Brasil em que a gente esteja vivendo um momento tão auspicioso para que a gente possa atrair investimentos, seja do capital interno, seja do capital externo."
(Lula durante a inauguração de uma fabrica da Nestlé na Bahia.)

Sinuca...

Das aves

Águias, patos e galinhas II

São poucas e raras as águias. Bicho intrigante e selvagem! Sua população é reduzidíssima. Poucos indivíduos usufruem de muito espaço. Vivem na fartura. Ermitãs, procriam (pouco) em locais de difícil acesso. São discretas. Sem vizinhos (há muito espaço nas alturas) e sem cultivar qualquer amizade, bastam-se. Tem no vôo alto e repleto de manobras radicais, seu passatempo preferido. Passatempo que lhes permite incisões cirúrgicas nas investidas contra suas presas. São felizes! Não sofrem estresses nem tem aflições. Os humanos também são bichos (racionais?) muito mais intrigantes do que elas. São estressados e, não conseguem solução (inteligente e funcional) para qualquer dos os assuntos que afligem sua sociedade em seus aglomerados: segurança, saúde, educação, distribuição de renda, trabalho, aquecimento global, poluição, moradia, sem terras, sem tetos, violência etc. Quanto mais "apertados" mais agravam seus problemas. Uma progressão geométrica! Talvez na observação do comportamento social das águias se possa concluir que há solução simples e comum a todos estes males humanos. A solução, não requer nada que tenha complexidade de entendimento ou dificuldade de aplicação. Trata-se do controle do crescimento da população (leia-se planejamento familiar). Porque será este assunto nunca vem à pauta? Tabu? O crescimento demográfico é o veneno letal das populações confinadas. O planeta terra mostra e transpira seus limites. O resultado dos amontoados humanos assistimos, diariamente, nos noticiários. Plim! Plim! O "barco" está muito cheio e é preciso adequar o número de passageiros à sua capacidade física de flutuação. O resto todo é coisa de galinhas. Ciscos. Ciscam daqui, ciscam dali... Quando alguma galinha parte para a ação, vira pato. Cada passo...

Ronaldo Dias

Vida silvestre



Mata Atlântica

Apresento aos leitores Madame Ssilvia. Assim mesmo, com dois esses sibilantes. A sinuosa criatura silvestre resolveu morar em minha casa, desconfio que já faz algum tempo. Ela gosta de lugares altos. Atualmente pode ser encontrada nas vigas do telhado da varanda, onde vez por outra saboreia uma rã distraída. Hoje resolveu tomar a fresca na lixeira e a pedidos posou para a foto. Qualquer dia desses fotografarei Salomão, o lagarto que também mora em minha casa. Anteontem ele entrou em conflito com meu fiel cão, Brasil, a quem mordeu a língua. Depois se escondeu embaixo da máquina de lavar pratos. Deu um rebu danado. Tive de espantá-lo com vinagre, seguindo a receita de um amigo que é expert em seres da mata. Não deu muito certo, mas de um jeito ou de outro Salomão não está mais no esconderijo. Viver na floresta tropical tem suas peculiaridades, embora eu tenha de falar isso baixo. O Brasil detesta bichos peçonhentos. Principalmente os que mordem. (Sidney Borges)

Editorial

Compre, logo exista...

Houve tempo em que era bom ter muitos filhos. Na verdade, necessário. A maior parte das atividades humanas era feita com as mãos. Novos braços eram sempre bem-vindos. Tempos difíceis em que se vivia pouco e morria-se com facilidade. Na Alemanha do compositor Johan Sebastian Bach. (1685-1750) a expectativa de vida não ultrapassava vinte e dois anos. Famílias que começavam numerosas logo estavam reduzidas a alguns sobreviventes. Hoje vivemos mais graças aos conhecimentos que adquirimos matando semelhantes. O ser humano é assim, tem um defeito de fabricação que o impele a matar. Experimente assistir à programação da TV paga, que exibe séries feitas nos Estados Unidos, país mais rico do planeta. É só violência, o tempo todo uns matando os outros em nome da liberdade. De matar. Dessa compulsão nasceu uma indústria farmacêutica que, para curar os feridos de guerra e torná-los aptos a continuar matando e sendo feridos ou mortos, acabou beneficiando a espécie. Os antibióticos nos livraram de morrer de espinhas infeccionadas, como o filho da rainha Vitória. Atualmente os humanos têm o privilégio de ficar velhos para morrer de Alzheimer, moléstia que antigamente era confundida com possessão demoníaca e condenava ao hospício. Na verdade a sina do homem é essa, se sobreviver aos ímpetos juvenis e escapar das balas perdidas e dos excessos das baladas, não haverá com evitar o câncer, a demência ou o infarto. Estamos irremediavelmente condenados. Neste planeta quem não está para nascer está para morrer, o que pode até demorar um pouco, mas é certo e inevitável. Voltando às famílias numerosas, hoje não há sentido em ter uma. Criar filhos é difícil e caro. A mãe de dois dos rapazes envolvidos no assassinato do menino, no Rio de Janeiro, gerou cinco filhos. O mais velho e possível mentor da barbárie tem vinte e três anos e algumas passagens pela polícia. Cursou até a sexta série e abandonou a escola. Não tem profissão nem ocupação definida. Vive perambulando pelas ruas. Seu irmão, de dezesseis anos, cursou até e quinta série e está fazendo capacitação com o “brother” para ingressar no sistema prisional e tirar diploma de delinqüente. Quantos mais estão nesta situação? Milhões, certamente, embora a maioria tenha boa-índole e viva honestamente, o que nos dá esperança. Dificuldades econômicas e sociais não são desculpas para arrastar alguém até a morte. A contradição maior do sistema está na industria do marketing que impele compulsivamente ao consumo, mas não fornece subsídios para que este se materialize. Quem não consome não é ninguém diz o anúncio do “American Express”. Mostre o seu cartão, compre, exista. Como consumir sem ter de onde tirar dinheiro? Trabalhando não dá. Os empregos são raros e pagam pouco. Simples, tirando dinheiro de quem tem dinheiro. Bingo. Fico imaginando o que aconteceria com a Austrália, onde um lixeiro ganha mil e duzentos reais por semana, se, de repente, cento e cinqüenta milhões de brasileiros desembarcassem por lá. Não sobraria canguru para contar a história. Resolver a questão social do Brasil não é tarefa fácil. Melhor empurrar para baixo do tapete, como vem sendo feito desde que os escravos foram libertados. Libertados?

Sidney Borges

Brasil

Adolescente suspeito de matar menino acobertou irmão, diz mãe

A mãe de dois dos cinco presos acusados pela morte do garoto João Hélio Fernandes Vieites - Carlos Eduardo Toledo de Lima, 23, e um adolescente de 16 anos - afirmou que o mais jovem contou a ela que assumiu o crime a pedido do irmão mais velho, já que, por ser menor de 18 anos, ficaria preso apenas "uns dois meses".
O adolescente estudou até a sexta série e Carlos Eduardo, até a quinta. Segundo a polícia, o jovem assumiu o crime, mas depois voltou atrás.
"Preferia estar no lugar dessa mãe e ter meus filhos mortos e enterrados [a vê-los presos acusados de crime tão bárbaro]", disse a evangélica e técnica de enfermagem de 43 anos, que prefere ser identificada apenas como Maria. "Não criei monstros, sempre os criei dentro da igreja", disse. Ela tem outros três filhos, dois meninos (12 e 17) e uma menina (14). Moram numa casa no morro São José da Pedra.
Leia mais

Caso de polícia

São todos uns filhos... de Deus

Por Angélica Santa Cruz, no Estadão On Line:
Integrante do grupo que fundou a Renascer em Cristo, membro da cúpula da igreja por 25 anos e eleita em São Paulo com 45.295 votos, a vereadora Lenice Lemos São Bernardo (PFL) - conhecida como Bispa Lenice - foi expulsa da denominação no ano passado em meio a um barraco apocalíptico. Acusada por Estevam e Sônia Hernandes de desviar dinheiro de doações, ela foi denunciada na 1 ª Delegacia Seccional de Polícia, mas revidou atacando. A troca de insultos resultou na abertura de um inquérito policial que começa a ouvir testemunhas nesta semana - e que mostra a versão de Lenice de como a segunda maior igreja neopentecostal do País exaure uma máquina financeira mantida por fiéis.
Formalmente acusada de embolsar R$ 15 mil em contribuições de freqüentadores da igreja e usá-los para pagar contas pessoais e diárias de um apart-hotel, a vereadora diz que foi expulsa da denominação porque se recusou a continuar loteando seu gabinete na Câmara dos Vereadores com indicações de Estevam Hernandes Filho - uma maneira de pagar com dinheiro público o salário de pessoas ligadas à Renascer por vínculo trabalhista ou parentesco.
Ao avisar Hernandes de que queria montar sua própria equipe, teria ouvido: “Se a senhora insistir em ter controle do seu gabinete, vou acabar com a sua carreira política”. Ela exonerou os funcionários e, como retaliação, teve documentos de seu escritório residencial roubados e foi expelida da igreja sob a explicação pública de que se recusara a participar de um “tratamento anticorrupção”.
Em um relatório de 12 páginas, a vereadora anexa o depoimento de uma ex-secretária dos Hernandes, que trabalhava para 13 empresas do grupo Renascer. A ex-funcionária conta que as empresas maquiavam saldos negativos por meio de operações de factoring feitas com cheques emitidos em nome do filho mais velho do casal, Felippe Daniel Hernandes, o Bispo Tid. Diz ainda que era orientada a falsificar a assinatura de Felippe Hernandes em cheques para comprar cavalos, pagar despesas de um helicóptero e de um haras e cobrir mensalidades de financiamentos imobiliários.

Notícias da Prefeitura

Notícias do dia 13 / 02 / 2007
  • Novos temas entram na pauta dos estudos sobre a Lei de Uso e Ocupação do Solo
  • Candidatos a Conselheiros Tutelares de Ubatuba apresentarão candidaturas à comunidade
  • Sebrae na Praia orienta empreendedores em Ubatuba
  • Campeonato de BMX em Ubatuba foi adiado devido às chuvas
  • Começam as inscrições para triatlo em Ubatuba
Leia aqui

Manchetes do dia

Terça-feira, 13 / 02 / 2007

Folha de São Paulo:
"Senado retorna debate sobre maioridade penal"
O Senado vai reabrir, por meio da Comissão de Constituição e Justiça, a discussão de propostas de redução da maioridade penal, motivada pela reação à morte do menino João Hélio, no Rio. O presidente da CCJ, Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA), disse que deve nomear amanhã relator para as seis propostas sobre o assunto. Das propostas, quatro reduzem a idade penal para 16 anos. (...)
Clóvis Rossi: Mudar idade penal não é bala de prata contra a violência - Reduzir a maioridade penal teria toda a lógica: se adolescentes de 16 anos podem escolher o presidente da República é porque estão suficientemente maduros. Devem, pois, responder por seus crimes. (...)


O Globo:
"Câmara apressa votação de lei mais rígida contra o crime
Numa reação ao assassinato do menino João Hélio, a Câmara incluiu na pauta de votação de amanhã oito projetos que podem reduzir a impunidade, entre eles o que aumenta o prazo em que condenados por crime hediondo devem ficar em regime fechado. Outros projetos dão maior rapidez aos processos e facilitam condenações. A presidente do STF, Ellen Gracie, disse que momentos de comoção nacional não são apropriados para discutir mudanças na lei penal.


O Estado de São Paulo:
"Governo vai congelar até R$ 19 bi de gastos"
O governo anunciará hoje um corte entre R$ 15 bilhões e R$ 19 bilhões nos investimentos e nos gastos de custeio previstos no Orçamento da União de 2007, sancionado na semana passada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A medida, a ser apresentada pelos ministros Guido Mantega, da Fazenda, e Paulo Bernardo, do Planejamento, está prevista na Lei de Responsabilidade Fiscal e será tomada, como em anos anteriores, diante de uma expectativa menos otimista para a arrecadação do que o previsto pelo Congresso - o orçamento prevê receita de R$ 615,9 bilhões em 2007, mas o governo só conta com R$ 600 bilhões. Dos R$ 27,3 bilhões previstos para investimentos no orçamento, o governo só deverá liberar inicialmente R$ 18 bilhões. O principal efeito do contingenciamento será impedir o início das obras propostas pelas emendas de parlamentares ao orçamento, que este ano somam R$ 11,2 bilhões. Para o ministro Paulo Bernardo, o contingenciamento não deve atrapalhar as negociações com os parlamentares para a aprovação do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Segundo Bernardo, os recursos destinados ao PAC estão fora do corte.

Jornal do Brasil:

"Cabral defende lei mais dura"
O governador Sérgio Cabral defendeu ontem a redução da maioridade penal para crimes como o assassinato do menino João Hélio. "No caso dos menores infratores, para determinados crimes, a legislação tem que ser revista", disse o governador durante a Conferência Parceiros na Segurança, promovida pelo Jornal do Brasil e pela Casa Brasil, na Fecomércio. O procurador-geral de justiça, Marfan Vieira, também propôs mudanças na legislação.

segunda-feira, fevereiro 12, 2007

Folguedos...



Eu preferiria...

I’d rather be a hammer than a nail. Traduzindo, quer dizer: eu preferiria ser um martelo a um prego. A frase óbvia - ninguém gosta de levar marteladas na cabeça - faz parte da música “El Condor Pasa”, uma das preferidas de Evo Morales. O termo I’d rather, - eu preferiria – era comum nos anos setenta e apareceu por aqui em adesivos exibidos nos vidros traseiros de alguns carros. I’d rather be sailing era o mais comum e talvez o pioneiro. Quem viveu aqueles tempos deve se lembrar da frase. Eu ficava irritado com o anglicismo. Por que não dizer “eu preferiria estar velejando?” Aos poucos fui entendendo. Era uma questão de copiar o andar de cima, afinal de contas as elites sempre exibiram com orgulho o domínio de línguas estrangeiras. Tive colegas na faculdade, dois primos, que quando crianças falavam Francês no café da manhã. Um professor ia diariamente à casa exercitá-los no idioma de Françoise Hardy, uma francesinha linda de voz suave com quem imaginei trocar palavras e, quem sabe, alguns fluidos. Na verdade ao ver a foto acima me passou a idéia de estar voando em um planador, seguramente uma das melhores coisas para se fazer na atmosfera terrestre. (Sidney Borges)

Saúde

A todos envolvidos na questão da saúde, em especial na relação Santa Casa/Prefeitura.

Está prevista votação de projeto de lei 09/07 do executivo, pautado para terça-feira, 13 de fevereiro, de autoria do executivo, autorizando o pagamento financeiro dos encargos fiscais de responsabilidade da Santa Casa de Misericórdia Irmandade Senhor dos Passos, e dá outras providências

Peço a todos que atentem para o fato desse projeto sequer ter sido mencionado nas tantas reuniões do COMUS e nos pronunciamentos públicos dos responsáveis pela saúde no executivo municipal, bem como pelo Sr. administrador da Santa Casa, novamente causando surpresa a todos.
Faço os seguintes questionamentos e gostaria de reflexão e possível apoio de todos no sentido de que tal projeto não seja votado, pois corremos sérios riscos com ele (nós, cidadãos, pagadores de impostos e eleitores).

a - Tal projeto deveria ter passado pelo crivo do COMUS, antes de ser encaminhado à câmara, bem como tem que estar previsto no Plano Municipal de Saúde, que não existe e está em elaboração, segundo a secretaria de saúde, portanto, a aprovação de tal projeto coloca o "carro na frente dos bois"; o COMUS, por exemplo, passou modificações em sua composição na Conferência Municipal de Saúde, aprovou novo regimento interno em votação plenária e aguarda desde meados do ano passado que a administração então envie o projeto de lei para a câmara municipal. Esse é o trâmite correto nas ações em saúde.


b - No projeto deve constar o valor do repasse, se se dará por convênio ou em parcela única, a qual encargo fiscal se destina e desde que data, visto que em recente reunião com o COMUS, o atual administrador se posicionou que a dívida total da Santa Casa é de aproximadamente R% 17.000.000,00 (dezessete milhões de reais), e mais, que a maior parte é de encargos fiscais, trabalhistas, previdenciários. Ou seja, a administração municipal assumirá todo esse ônus com recursos municipais, tirando-os de onde?

c - Deve constar também do projeto em questão a OBRIGATORIEDADE de que tanto a maneira do repasse quanto o valor do repasse sejam previamente discutidos e aprovados pelo conselho municipal de saúde.

d - O atual administrador, também disse publicamente, em reunião com o COMUS, que houve um ERRO da administração municipal, enquanto interventora, quando contratou todos os médicos, à partir de meados de 2006 pela CLT, visto que acrescentou um enorme passivo trabalhista à municipalidade, já que o ato foi feito durante o período da intervenção. O repasse de DINHEIRO PÚBLICO será para cobrir esse ERRO?

e - Há Comissão Especial (CE), instalada pela câmara municipal, iniciando seus trabalhos, e portanto, mostra-se precipitado aprovar esse projeto sem sequer aparecerem os primeiros resultados das investigações da comissão.

f - O COMUS fez uma série de questionamentos à municipalidade, ainda não respondidos, que dizem respeito à relação entre a Santa Casa e a Prefeitura Municipal, que uma vez respondidos com documentos ajudariam a dar credibilidade a tal lei de repasse à Santa Casa, a saber:

- Qual foi o meio usado para aportar recursos na Santa Casa para o pagamento do “décimo terceiro” e do salário de dezembro dos convênios, visto que não há previsão de repasse para esse fim, e a dívida é de 2006? Há gravação do sr. prefeito dizendo que o recurso viria do IPTU de 2007. Como esse dinheiro entrou na Santa Casa? Qual o valor do repasse feito, pois há informações de que o sr. Prefeito disse na rádio que enviou R$ 1.200,000,00 (um milhão e duzentos mil reais) para a Santa Casa?

- A Santa Casa ainda não respondeu à solicitação de Extrato bancário da destinação dos recursos da parcela de dezembro/2006 dos convênios e sua distribuição entre os funcionários desses convênios (b) e a justificativa para o não pagamento de parte do décimo - terceiro salário e do salário referente à Dezembro de 2006, dos funcionários dos referidos convênios;

- Ainda não foi respondida a questão das folhas de pagamento dos convênios, visto haver a informação de que há estouro mensal de R$ 40.000,00 só no PSF, e que os encargos trabalhistas deixaram de ser pagos desde meados de 2005, época da intervenção. O COMUS e a população querem e tem o direito de saber se tal estouro é motivado por possível "inchaço" da folha de pagamentos à partir da intervenção e se há funcionários nos convênios trabalhando fora do objeto dos convênios (pelo PSF só devem ser contratados médicos, dentistas, enfermeiros, técnicos de enfermagem e agentes comunitários de saúde). Será que o repasse é para pagar tais encargos atrasados e assim esconder um possível "inchaço" das folhas de pagamento?

- Solicitamos o extrato bancário da Santa Casa referentes aos convênios porque o dinheiro dos convênios só pode ser gasto com os convênios. É ilegal e ato de improbidade usar dinheiro dos convênios para outros gastos. Há informações, que podem ser esclarecidas com a movimentação bancária da Santa Casa, de que à partir da intervenção todo o dinheiro da Santa Casa foi juntado em uma única conta, e precisamos verificar se é verdadeira essa informação e se tal procedimento é legal. Ainda não nos foi dada essa resposta.


Tais questões não respondidas somadas às dúvidas que decorrem naturalmente de uma atitude dessas ser tomada sem discussão e explicação prévia no fórum adequado e legítimo que é o COMUS mostram que o mais prudente para o município, para seus cofres e para nós que somos cidadãos é o adiamento da votação de tal projeto ou melhor ainda, a rejeição do mesmo, remetendo ao executivo a obrigatoriedade de que cumpra os passos previstos na lei, ou seja: elaboração, discussão e aprovação de Plano Municipal de Saúde onde conste tal medida, justificativa clara e objetiva da necessidade de tal ato e resposta aos questionamentos feitos, em forma de documentos. Aí sim, se tornará legítima e legal a ajuda que a Santa Casa precisa, e que a nova administração da mesma poderá contar sem precisar se preocupar se tal repasse não será questionado e se tornará um passivo a mais para nosso único hospital.

Sempre à disposição para qualquer esclarecimento necessário e já esclarecendo esse manifesto é pessoal,

Maurício Moromizato
Representante da Associação dos Cirurgiões Dentistas de Ubatuba no COMUS

Jamais verás...

Crimes sem castigo

Acontecimentos insólitos, como o assassinato do menino arrastado por bandidos no Rio de Janeiro, estão se tornando comuns. Ontem uma adolescente em Campinas esfaqueou e matou a vizinha de vinte e cinco anos, além de esfaquear outra pessoa. A sanha da assassina deveu-se única e exclusivamente ao fato de ter sido contrariada. Ousadia! Pediram que diminuísse o volume do bate-estaca que impedia o sono de um recém nascido. O bebê ficou órfão, sua mãe foi condenada à morte em processo sumário. A criminosa vai ser internada em alguma instituição de proteção ao menor e logo estará solta. Terá liberdade para matar novamente. Alguém se lembra do Champinha? Matou, foi solto, matou novamente e está em vias de ser posto em liberdade. Não posso afirmar que vai matar outra vez, só desejo que ele nunca chegue perto de mim e de minha família. Ontem os que trucidaram o menino foram apresentados à Imprensa. São frios arrogantes e desafiadores, Foram treinados para ser assim. Eles sabem que no máximo em seis anos estarão nas ruas, livres para praticar “bondades”. Enquanto isso a população do Rio faz passeatas pela paz. O que mais podemos fazer? O esperado e anunciado “Espetáculo do Crescimento” continua não comparecendo. Faltoso, mudou de nome, agora chama-se PAC. Podemos nos unir e pedir aos gestores do universo que apóiem o PAC e que o país cresça, saia do marasmo dos últimos doze anos. O tecido social está esgarçado, o sangue vai continuar jorrando, cada dia mais. Sem nenhum propósito. (Sidney Borges)

Lembranças

Ao mar

Luis Fernado Veríssimo
Minha mãe não gostava de andar de avião. Tinha más lembranças da primeira vez em que fomos para os Estados Unidos, quando a viagem aérea entre Rio e Miami levava três dias. Eu disse três dias.
Pernoitava-se em Recife e em Trinidad e o que chegava a Miami era o que sobrava da gente depois de tantas horas de vômito. Por isso todas as subseqüentes idas e vindas da família foram de navio. A começar pela volta dos Estados Unidos naquela primeira vez, quando logo depois do fim da Segunda Guerra Mundial pegamos, em Nova York, um cargueiro argentino chamado "Jose Menendez", caindo aos pedaços, que nos deixaria no Rio um mês depois. O "Jose Menendez" dava a impressão de que sobrevivera à guerra porque nenhum submarino inimigo pensaria em desperdiçar torpedos com um navio que estava prestes a ir a pique sozinho. Mas o "Jose Menendez" não afundou conosco. Levava um defunto argentino no porão e a viúva e as filhas do falecido foram as que mais se divertiram durante a viagem. Fiz aniversário a bordo. Aliás, já fiz aniversário a bordo de três navios diferentes.
Até hoje espero que uma tarefa de gincana seja descobrir alguém que passou três aniversários ao mar sem ser marinheiro, mas ainda não me procuraram.
Mais tarde fomos fregueses dos navios da Mooe-McCormack entre Rio e Nova York. Fizemos uma travessia para a Europa no "Federico C", com uma parada em Las Palmas. Atravessamos o Atlântico Norte no que era, na época, o maior navio do mundo, o "United States". Neste eu dividi uma cabine com um simpático velhinho americano que compartilhava uma mesa do restaurante com três simpáticas americanas da sua idade, todas de cabelos azuis, e que levou uma a uma para a cabine e papou-as, enquanto eu fingia que dormia. A viagem levava só cinco dias, o velhinho tinha pouco tempo para se recuperar entre uma e outra, era um fenômeno. A última vez que andei de navio foi há alguns anos, entre ilhas do mar Egeu, num navio grego em que toda a tripulação, parece, se chamava Dimitri. Ainda não andei num desses super-navios que, dizem, tem até corrida de cavalo a bordo.
As lembranças náuticas são só porque li que tem gente - bom, não gente exatamente, milionários que em vez de ir para clínicas geriátricas está alugando cabines em luxuosos navios de cruzeiros, permanentemente. Emendam um cruzeiro no outro ou trocam de navios da mesma companhia para variar de roteiro, pagam menos do que pagariam numa clínica de igual categoria mas que não sai do lugar, têm cinco ou seis refeições grátis por dia (e em alguns casos bebida também) e – mas acho que isto não deve ser verdade - a garantia de um enterro no mar, envoltos na bandeira que escolherem, quando morrerem.
(Fonte: Noblat)

Opinião

“Alerta dos cientistas”

Corsino Aliste Mezquita
A Folha de São Paulo publicou matéria sobre as praias do Litoral Paulista. (Folha C-4 – Cotidiano de 04-02-07).
No estudo, elaborado por cientistas e ambientalistas, consta que, 18 (dezoito) praias, do Litoral Paulista, são classificadas de “ALTO RISCO” de desaparecimento. Cinco ou 26,6% são do município de Ubatuba. O Litoral possui 13 (treze) municípios. Ubatuba está sendo premiada com mais esse Record. Por que será?. São elas:
1 – Barra Seca;
2 – Praia Grande;
3 – Toninhas;
4 – Fortaleza;
5 – Tabatinga.
O estudo nada fala das que já desapareceram, parcial e totalmente, como: Itaguá, Perequê Mirim, Saco da Ribeira, etc.
Uma frase é reveladora: “Quando o nível do mar sobe, as águas empurram a praia para o continente. Se ela encontra uma mureta, entra em desequilíbrio, acaba sumindo”. (Célia Regina de Gouveia Souza).
A frase aplica-se à: Praia Grande, Iperoig, Toninhas, Enseada, etc... Agora, a Prefeitura, está colocando, nessa relação, a Praia do Perequê Açu. (ver : “De olho em Ubatuba”. Guaruçá 08-02-07).
Os crimes ecológicos e econômicos praticados, na Praia Grande, contra a Praia e o Município de Ubatuba, iniciaram-se, em 1984-1985. Em menos de 25 anos a praia foi levada para a UTI da sobrevivência. Até quando sobreviverá se não forem removidos os obstáculos que a levaram à situação em que se encontra?.
O processo seguido, na Praia Grande, está sendo copiado no Perequê Açu e em outras praias, de modo inaceitável e contrário a todos os interesses da comunidade e da cidadania. Na propalada reforma da Av. Abreu Sodré, a PREFEITURA, comandada pelo Sr. Eduardo de Souza César, estreitou, em três pontos, o leito carroçável da Avenida para desviar dos quiosques que se encontram sobre a areia da praia. Na qualidade de cidadão qualifico, como improbidade administrativa, absurdo, desrespeito à sociedade, o ato praticada pela Prefeitura. Os interesses particulares não podem prevalecer sobre os públicos. Os quiosques não podem atrapalhar a praia e o transito.Cabe à sociedade reagir contra esses desmandos para que em vinte anos, a Praia do Perequê Açu, não se encontre em situação pior que a sofrida pela Praia Grande.
Outras praias do município estão sofrendo invasão, na sua área de marina, sob olhar complacente e omisso dos poderes constituídos. Supostamente, em alguns casos, parece existir cumplicidade desses poderes. Nesses absurdos não podemos esquecer a remoção da AMENDOEIRA, a favela criada na Av. Iperoig, com FEIRA HIPPE, carrinhos de lanches, vendedores de produtos diversos etc. etc. Que podemos esperar de quem tentou impor o mostrengo da cobertura, da Feira Hippe, pela força, em área de marina?.
O alerta que aqui estamos registrando é dado por cientistas de fama renomada. O mundo está em pânico com o aquecimento global e o aumento dos níveis da água do mar. Não podemos ter comportamento de avestruz. É necessário que o poder público cumpra com seu dever e, o interesse público, prevaleça sobre interesses particulares, muitas vezes, egoístas, mesquinhos e escusos.

Manchetes do dia

Segunda-feira, 12 / 02 / 2007

Folha de São Paulo:
"Déficit do INSS piora até em conta nova"
No cálculo que exclui despesas assistenciais, saldo negativo crescente da Previdência começou em 2003.


O Globo:
"Guerra entre milícia, tráfico e polícia deixa mais 9 mortos"
Nove pessoas foram mortas ontem numa nova guerra envolvendo traficantes, integrantes de milícias e policiais militares. Traficantes invadiram pela manhã a Favela Kelson's, na Penha, numa tentativa de tomar o controle dos paramilitares, e mataram três pessoas. Uma das vítimas seria o pedreiro que construiu um muro na favela para a milícia. Os bandidos teriam matado ainda um PM, que estava de licença médica. Logo após deixarem a favela, já na Avenida Brasil, cinco dos traficantes foram mortos por policiais do 16° BPM (Olaria). A PM abrirá sindicância para investigar se o policial morto tinha ligação com a milícia.


O Estado de São Paulo:
"Brasil é campeão em ações trabalhistas"
Com cerca de 2 milhões de processos por ano, o Brasil é campeão mundial em ações trabalhistas. Em 2005, foram pagos aos reclamantes R$ 7,19 bilhões. No ano passado, a conta, até setembro, foi de R$ 6,13 bilhões. Na média mensal, o volume de 2006 superou em 13% o período anterior, segundo números do Tribunal Superior do Trabalho (TST). A indústria foi responsável por 21% das ações. A realidade brasileira impressiona na comparação com outros países. Nos EUA, o número de processos não passa de 75 mil por ano; na França, 70 mil; no Japão, apenas 2,5 mil.
Segundo cálculo do sociólogo José Pastore, especialista em relações do trabalho e autor do levantamento, para cada R$ 1.000 julgados a Justiça do Trabalho gasta cerca de R$ 1.300. Na opinião de especialistas, o quadro é resultado de inúmeras falhas. Uma delas é a qualidade da legislação trabalhista, considerada anacrônica, ultrapassada, detalhista e irreal. "Quando vejo dois milhões de ações na Justiça, começo a achar que há alguma inadequação na nossa lei", diz o advogado e ex-ministro do TST Almir Pazzianotto.


Jornal do Brasil:
"Conselho investiga corrupção na Justiça"
Documento preparado pela Corregedoria do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) abre a caixa-preta do Judiciário e radiografa os processos disciplinares contra magistrados. Cobrança de propinas em troca de sentenças, tráfico de influência e outras irregularidades estão sendo apuradas nos tribunais de Norte a Sul do país. São Paulo lidera o ranking de denúncias. Os nomes dos investigados só podem vir a público depois de condenação definitiva.

domingo, fevereiro 11, 2007

Obras

Mosquitos

A vegetação que cresce na praça 13 de Maio, cercada por tapumes, pode abrigar criadouros de Aedes aegypti, o mosquito transmissor da dengue e da febre amarela urbana. Esse foi o tema predominante das conversas desta manhã, quando saí para comprar pão. A população começa a mostrar impaciência com a demora. No próximo dia 27 vence o prazo de conclusão da obra, digo o segundo prazo. Na verdade a praça deveria ter sido entregue no dia 27 de novembro de 2006, segundo o cronograma inicial. (Sidney Borges)
 
Free counter and web stats