sábado, setembro 09, 2006

Editorial

Democracia é mais do que um simples palavrório

"É um risco para a democracia se Lula for eleito no primeiro turno. Ele já se sente quase presidente. Isso significa quase ditador. A ditadura nunca chega de repente. Dá sinais".

O raciocínio é do "presidenciável" Cristovam Buarque, que suponho, tentou dizer alguma coisa e não conseguiu, foi infeliz. Teria sido melhor se tivesse falado de Educação, pretensamente a sua praia. Será desculpado, todos temos dias bons e ruins. Não há risco para a democracia enquanto o processo eleitoral transcorrer como está. Lula vai vencer ou perder, tudo é possivel, mas a vitória ou a derrota acontecerão dentro das regras do jogo. O que é preciso é fixar regras que não sejam mutáveis de acordo com as pretensões do dono momentâneo do poder. Dou exemplos: quem não se lembra das manobras excusas que resultaram nos "cinco anos para Sarney" e do "golpe branco" da reeleição de FHC? Em ambos os casos Lula - o velho Lula - quase morreu de apoplexia. Eu sou contra a reeleição por princípio, mas agora é tarde para mudar. Democracia é coisa séria. No Brasil a confundem com hímem complacente.

Sidney Borges

Orestes Quércia em Ubatuba



Na manhã de ontem, sexta-feira, 8 de setembro, o candidato ao governo do Estado de São Paulo, Orestes Quércia, do PMDB, visitou Ubatuba, onde participou de carreata. Depois foi recebido pelo ex-prefeito da cidade, Pedro Paulo Teixeira Pinto. O que deveria ter sido uma reunião política acabou por se transformar em agrádável café da manhã. No ambiente descontraído que se formou ao redor de Quércia e da candidata ao Senado, Alda Marco Antonio, pudemos colher as fotos que agora postamos para os leitores. (Sidney Borges)


Na casa de Pedro Paulo, o ex-governador tomou café ao lado da candidata ao Senado, Alda Marco Antônio e do ex-vereador de Ubatuba, André Luiz dos Santos.


Em seguida posou para fotografias...


Conversou com o Prefeito...


Até notar que na casa havia um violão. Nesse instante o governador empunhou o instrumento e mostrou aos presentes que tem alma de artista. Dedilhou algumas notas e aos poucos foi recuperando a familiaridade com as cordas. Depois levantou-se...


Empostou a voz, concentrou-se e...


Brindou a todos:

Pasaran mas de mil anos muchos mas
yo no se si tenga amor la eternida
pero alla tal como aqui
en la boca llevaras sabor a mi...

Os aplausos ecoaram demoradamente nos ares ubatubanos, misturando-se ao murmúrio das ondas do mar. Decididamente Orestes Quércia é um homem de talento.

Sidney Borges

Tirando dúvidas

Cláusula de Barreira

A eleição deste ano para a Câmara dos Deputados terá um impacto inédito no cenário político brasileiro. Pela primeira vez entrará em vigor a cláusula de barreira – dispositivo criado por lei em 1995 com a finalidade de garantir que os partidos que disputam as eleições tenham um mínimo de representatividade.
Para isso, a nova regra estabelece, entre outras coisas, que:
1) Só terão direito a representação na Câmara os partidos que conquistarem, pelo menos, 5% do total de votos válidos na eleição para deputado federal – hoje, esse índice é de 2%.

2) As legendas terão de eleger representantes em pelo menos nove estados, com um mínimo de 2% de votos em cada estado.

Os partidos que não conseguirem cumprir essas exigências perderão o acesso a dois instrumentos fundamentais para a sua sobrevivência: tempo na propaganda gratuita de rádio e TV e dinheiro do fundo partidário, recurso que sai dos cofres públicos.
Pela lei, as siglas que não obtiverem os 5% de votos exigidos terão direito a menos de 1% do dinheiro do fundo. Pelos parâmetros de hoje, isso daria algo em torno de 55.000 reais por ano para cada agremiação.
Partido nenhum sobrevive com tão pouco. (...)
Nas últimas eleições para a Câmara, em 2002, apenas sete dos dezenove partidos que elegeram deputados conseguiram atingir o mínimo de 5% dos votos válidos. Se a cláusula de barreira já estivesse em vigor naquela ocasião, partidos como PSB, PDT, PPS e PCdoB estariam hoje no limbo.
Para as próximas eleições, analistas políticos afirmam que apenas quatro partidos – PMDB, PT, PSDB e PFL – estão, seguramente, a salvo da guilhotina da cláusula. Quanto aos outros 25 partidos com registro no Tribunal Superior Eleitoral, seu destino é incerto.
Fonte: Marcelo Carneiro em Veja

Aves em crise...

Carta de FHC é golpe contra Alckmin, avaliam tucanos

Da Folha de S.Paulo, hoje:
"O comando da campanha do candidato do PSDB ao Palácio do Planalto, Geraldo Alckmin, enxergou na carta do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso um gesto que aponta para o cenário político pós-2006 e, nas entrelinhas, rifa o tucano da disputa presidencial em curso, dando como praticamente certa a reeleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) já no primeiro turno.
Apesar de FHC ter dedicado elogios a Alckmin e atacado duramente a gestão Lula, a "Carta aos Eleitores do PSDB" abriu nova crise na campanha do presidenciável tucano, 24 pontos atrás do petista, segundo pesquisa Datafolha desta semana.
Reservadamente, o candidato e seu grupo político avaliaram que o ex-presidente agiu deliberadamente para manter o espaço privilegiado na cúpula do partido e não teve grandes pretensões de influir no resultado da disputa ainda em curso.
De imediato, na opinião de Alckmin e de seu grupo, FHC, com o texto, estaria deixando claro que não pretende abrir mão da posição de principal voz entre os tucanos, conquistada com as duas vitórias em 1994 e 1998 à Presidência, e não aceitará, pelo menos não sem colocar empecilhos, uma negociação com Lula e o PT em torno de uma coalizão.
No entanto, caso Alckmin cresça nas pesquisas e chegue ao segundo turno, o ex-presidente poderá dizer que seus ataques a Lula o ajudaram."
Assinante da Folha
leia mais

Opinião

“Resgate do Nunca Antes”

Corsino Aliste Mezquita
A autodenominada “Administração do Resgate” e do “Nunca Antes” está fazendo jus aos qualificativos que se auto-atribui. Sobejamente nos aspectos negativos.


Resgate

Diversos escribas comentaram e apresentaram provas que indicam foram resgatados:
  • Ódio, perseguições, sindicâncias de todo tipo, calúnias, procura de pêlo em ovo.
  • Uso da imprensa para, com recursos e funcionários públicos, divulgar supostos delitos de improbidade administrativa que nunca foram praticados pelas pessoas acusadas, não foram provados por eles (administração) e julgados pela Justiça.
  • Dois pesos e duas medidas para uma mesma situação.
  • Verborragia para nada dizer e, freqüentemente, contraditória.
  • Publicação de obras, como acabadas, quando nem iniciadas ou projetadas foram.
  • Iniciar outras obras sem as devidas licenças que, posteriormente, foram embargadas e impedidas de serem executadas, etc. etc. etc...


“Nunca Antes”

Faz trinta e três anos e meio que residimos, prestamos alguns serviços voluntários e trabalhamos em Ubatuba. Trinta e três anos e meio como funcionário público municipal. Na ativa e aposentado. Em cargos de direção ou como professor. Sempre com pontos de observação privilegiados e, “nunca antes” tinha observado, presenciado ou ouvido comentar:

  • Em campanha política para deputados, estadual e federal, o Prefeito Municipal, apoiar abertamente candidato alienígena, de outro partido e, segundo publicações, já condenado, pela Justiça, por improbidade administrativa. Convidar servidores e funcionários, em horário de serviço, solicitando deles assinarem lista convite, para reuniões políticas, fora de serviço, e nelas solicitar apoio ao indigitado candidato, além de utilizar outros métodos menos democráticos.
  • Publicações do Poder Executivo, na imprensa regional e local, com criticas e desqualificações a vereadores, por eles tentarem exercer seu direito de fiscalização. Em outros tempos o debate político acontecia em níveis de Parlamento e de gabinetes.
  • Agressões verbais e até físicas, praticadas, por agentes políticos do executivo, a vereadores, como as fartamente divulgadas contra Edílson Félix, Jairo dos Santos, Charles Medeiros. Esta com alguém cavando sua própria cova, como já acontecido a outros seus colegas. Abre o olho comissionado!... Sempre o Executivo conduziu o debate político em níveis elevados, educados e respeitosos com os outros poderes. Mesmo quando alguns vereadores ultrapassavam a barreira do razoável.
  • Campanhas de difamação dos antecessores. Campanhas com tantos erros que acabam se configurando como sinais de incompetência dos agentes de plantão ou como indícios de ocultar outras mazelas.
  • Pedidos de explicação e processos judiciais contra aqueles que dentro da lei usam o sagrado direito da manifestação de pensamento. Direito garantido pelo inciso IV do Artigo 5° da Constituição Federal. Vítimas desses achaques já foram Luiz Roberto de Moura (GUARUÇÁ), Emílio Campi (LITORAL VIRTUAL), este escriba e...outros que tem coragem de discordar.
  • Suposta mordaça aos órgãos de imprensa financiados pela Prefeitura e conhecidos como “chapa branca” para nada publicar que contrarie os interesses da administração. Os conceitos “mordaça” e “chapa branca” são qualificativos de um funcionário, desses órgãos, quando, tempos passados, solicitei espaço para defender-me. Espaço negado alegando esses argumentos.
  • Supostamente usar funcionários como títeres a serviço de vinganças, difamações, criação de problemas a terceiros e até para agredi-los. O problema parece ser tão sério que um teve que dizer: “Ora Sr. Prefeito. Não sou títere a serviço de vingancinhas pessoais”. Esse tem personalidade. Outros deveriam seguir o exemplo.
  • Colocar veículos, equipamentos de multimídia, pagar horas extraordinárias de serviço, a motoristas e operadores de multimídia, da Secretaria Municipal de Educação, para prestarem serviço a congressos de igrejas, transporte de fieis, de particulares etc...Todas as administrações anteriores sempre respeitaram a separação de igreja e Estado como um dos mais cultuados valores da democracia.
  • Só lembramos os “RESGATES” e “NUNCA ANTES” que são de todos conhecidos e não exigem sofisticadas provas para que o sol da evidência não seja tampado com a névoa da hipocrisia. Todos estão nos olhos da comunidade e dos funcionários. Não revelamos segredos nem fazemos acusações temerárias. Provas e testemunhas existem.

Todos esses “nunca antes” e outros que podem ser acrescentados tem uma explicação. Nunca antes os encarregados de fiscalizar o Executivo estiveram tão passivos, coniventes e batedores de palmas nas costas. Dias passados li uma matéria, de um deles, que ocasiona náuseas. Tais os disparates.
Fazemos votos para que a administração planeje, reflita e respeite. Respeite lei, moral administrativa e cidadãos. Todos. A história e os que a fizeram não podem ser desprezados, agredidos, caluniados e indevidamente processados. Nunca antes isso tinha acontecido.

Água, cuidado com ela...

Ricos, mas sem água;
saiba como Europa, EUA e Ásia estão cuidando da água - Rets


No fim de junho, o prefeito de Londres, Ken Livingstone, fez uma declaração polêmica: "Não dêem descarga se forem apenas urinar". A frase foi manchete de todos jornais ingleses e entrou para o folclore político britânico, mas fazia parte de um contexto maior. Livingstone estava em meio a uma campanha pela economia de água na capital inglesa, uma das cidades que mais consomem recurso hídricos no mundo. Cada londrino gasta, em média, 165 litros de água por dia, 30% a mais do que a média das grandes cidades européias, de acordo com dados da própria administração pública britânica. Por isso a prefeitura de Londres chega a cogitar proibir o uso de mangueiras para lavar carros e de sprinklers para regar quintais caso uma campanha educacional recém-lançada não surta efeito. “Quero que os londrinos façam pequenas mudanças para economizar água sem afetar sua qualidade de vida", explica o prefeito, que teme a necessidade de racionamentos em um futuro próximo. Os britânicos não estão preocupados à toa e nem sozinhos na batalha contra o desperdício. São acompanhados, não por países pobres, com poucos recursos hídricos, como se poderia imaginar, mas por outros países ricos, que, assim como eles, gastam mais do que dispõem. É o que mostra o relatório "Países ricos, água pobre", lançado na semana passada pelo WWF. O documento afirma que, apesar de terem consumos altíssimos de água, as nações mais afortunadas no mundo não contam com fontes suficientes para atender sua demanda. Além disso, pouco vem sendo feito para mudar esse quadro. O aquecimento global, as secas, o desaparecimento de áreas úmidas, como pântanos, que agem como "esponjas", e a má gestão de recursos são apontados como principais causas desse problema. A conseqüência é que a água começa a ser um problema político e econômico em algumas regiões do Primeiro Mundo.

SAIBA MAIS EM www.agua.bio.br
Enviado por Rui Alves Grilo

Manchetes do dia

Sábado, 09 / 09 / 2006

Folha de São Paulo:
"Carta de FHC abre crise na campanha de Alckmin"
Sob a espuma criada pelo manifesto de Fernando Henrique Cardoso aos eleitores do PSDB existe um movimento para transformá-lo em presidente do partido no período que, a julgar pelo previsto nas pesquisas, deverá coincidir com o início do segundo mandato de Lula. A solução FHC é vista como resposta ao medo de desagregação da sigla pós-derrota eleitoral e da exploração a ser feita, por Lula e pelo PMDB, da disputa anunciada entre Aécio Neves e José Serra pela vaga tucana na sucessão de 2010. Geraldo Alckmin gostaria de ficar com a presidência do PSDB caso não consiga conquistar a da República. Mas os prováveis vitoriosos deste ano não têm nenhum motivo para lhe dar tamanho presente.

O Globo:

"BC avisa que os juros vão cair em ritmo mais lento"
Em ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), divulgada ontem, o Banco Central deu claros sinais de que pretende frear o ritmo de redução da taxa básica de juros, a Selic, hoje em 14,25% ao ano. O Copom fala em agir com "parcimônia" diante de uma preocupação com a alta dos preços internacionais do petróleo e com os efeitos dos últimos cortes de juros nos índices de inflação e na atividade econômica.
Os analistas entenderam que, pelo diagnóstico da economia feito pelo BC, a instituição pode cortar os juros em apenas 0,25 ponto percentual nos próximos encontros. Na última reunião, o BC pretendia reduzir em apenas 0,25 ponto percentual, mas acabou promovendo uma baixa de 0,5 ponto na taxa. O dólar fechou o dia ontem em ligeira alta, de 0,42%, a R$ 2,166.


O Estado de São Paulo:

"Lula compara oposição a Hitler: 'Querem outro povo'"
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, candidato à reeleição pelo PT, comparou ontem seus adversários aos nazistas, em resposta às críticas feitas anteontem ao seu governo pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB). "Tem gente até achando que pobre não pode votar, porque os pobres estão votando em mim", disse em discurso para 1,2 mil líderes da igreja evangélica Assembléia de Deus, no Rio. "Daqui a pouco vão propor mudança no povo. E nós sabemos que, quando as pessoas começam a duvidar do povo e querem criar um povo melhor do que o nosso povo, o Hitler serve como experiência de quem quer criar uma raça superior."
Sem citar nominalmente o ex-presidente, Lula insinuou que há setores "incomodados" pelos programas sociais de seu governo. "Um governo como o que estamos fazendo cria muitas vezes certos incômodos em alguns setores da sociedade brasileira", afirmou. "Porque saímos de R$ 7 bilhões que se gastavam com políticas sociais neste país para R$ 23 bilhões."
O encontro marcou a aproximação de Lula com as igrejas evangélicas, que, antes do seu governo, faziam oposição à sua candidatura. O senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG) também respondeu às críticas de FH de que o partido errou ao tentar "tapar o sol com a peneira" e protege-lo inicialmente das acusações de envolvimento com o valerioduto na campanha de reeleição ao governo de Minas, em 1998. Para Azeredo, as declarações foram "inoportunas, injustas e incorretas".

Jornal do Brasil:

"União contra selvageria de torcidas"
O confronto entre as torcidas organizadas de três clubes do Rio fez soar o alerta na Confederação Brasileira de Futebol. Dirigentes da CBF se uniram a promotores e, dia 29, em reunião, vão definir ações para combater a violência dentro e fora dos estádios. Três horas antes de Flamengo x Botafogo, amanhã, policiais vão cercar os grupos oficiais de torcedores.

sexta-feira, setembro 08, 2006

FHC solta o verbo...

Os erros do PSDB, por FHC

Fernando Henrique Cardoso fez hoje um importantíssimo mea-culpa na carta aos eleitores do PSDB, publicada no site do partido.
Um reconhecimento da parcela de culpa do PSDB na apatia do eleitor e dos erros cometidos por Geraldo Alckmin na campanha e no seu governo em São Paulo.
FHC deixa a impressão de quem passa a borracha nesta campanha e tenta assumir o leme do PSDB no pós-campanha.

Veja abaixo os principais trechos da carta:

- Pagar mensalão é crime e como crime deve ser tratado. Pagar mensalão para deputados, comprar seus votos, não é igual sequer a outra transgressão, a de não declarar dinheiro obtido para a campanha eleitoral, o "caixa dois".

- Pois bem, nós do PSDB não fomos suficientemente firmes na denúncia política de todo esse descalabro no momento adequado. Não será agora, durante a campanha eleitoral, que conseguiremos despertar a população. Mas, para nos diferenciarmos da podridão reinante, temos a obrigação moral de não calar.

- É verdade que também somos responsáveis pelo que hoje se vê: a cada dia mais corrupção; a cada dia, menor reação. Erramos no início, quando quisemos tapar o sol com a peneira no caso do senador Azeredo. Compreendo as razões: ele é pessoalmente decente; tudo se passou durante a campanha para sua reeleição como governador, que afinal ele perdeu. Mesmo assim, calamos muito tempo e sequer dissemos o que sabemos: entre os responsáveis pelas finanças de campanha do então governador estava seu vice, hoje ministro do Presidente Lula. Nem isso dissemos com força! Mas não por isso podemos calar diante do descalabro. Ainda que o eleitorado não nos acompanhe neste momento, deixaremos as marcas de nosso estilo, de nossas atitudes, para calçar um futuro melhor para o país.

- Para que o PSDB se justifique perante o eleitorado como uma força renovadora ele tem que se distinguir. A podridão que encobre "a política" está nos transformando em vultos. Precisamos reganhar nossa cara.

- Nosso candidato à Presidência tem as mãos limpas. Tem história de seriedade. Por que não bradar isso com força ? Por que não fazer o contraponto com o outro lado? Nada a temer nem a esconder. Geraldo Alckmim pode dizer o que Lula não pode porque sua história não passa por acusações de suborno a prefeituras. (...) Enfim: faltam condições morais a um e sobram a outro.

- O não à corrupção, não nos iludamos, é a condição para o futuro, tanto do país como nosso. Mas não basta a diferenciação moral. Há problemas urgentes que afligem o povo e sobre os quais não podemos calar. O mais angustiante é o medo: medo do crime, da violência. Também neste caso o PSDB tem responsabilidades e tem o que dizer. Em São Paulo, para cingir-me ao estado que foi governado por Alckmin, as taxas de homicídio e latrocínio caíram fortemente graças à ação da polícia. Nunca se prendeu tanto, a um ponto tal que a cada mês há mais 800 presos, descontando-se os que são liberados. Para atendê-los seria preciso construir uma penitenciária por mês! Resultado: o sistema prisional está abarrotado e, há que reconhecer, não foi capaz de dar tratamento adequado à massa de presos, criando um caldo de cultura para a criminalidade e deixando ao PCC espaço para demagogia em nome da melhoria de condições de vida dos prisioneiros. Sem falar no uso continuado de celulares, da cumplicidade entre criminosos e advogados, às vistas cúmplices, algumas vezes, das autoridades carcerárias. Reconhecer isso não é desmedro.

- Atravessamos um momento paradoxal: de aparente desconexão entre o que é o sentimento da opinião pública e o discurso eleitoral rotineiro; de tanta desfaçatez dos que ocupam o poder e de tanta informação sobre a corrupção e os desmandos de quem deveria dar as pautas de comportamento pensando mais na Nação que em seus umbigos e nada mais faz do que se jactar de grandezas inexistentes.

- Para que não pairem dúvidas: é do Presidente e de seu partido (ou deveria dizer ex-partido?) que falo acima, pois são eles, inquestionavelmente, os responsáveis por deixar que os piores setores da política ocupem a cena principal, expondo o país às misérias a que todos assistimos indignados.

(Fonte: Noblat)

Brinquedo perigoso

Cerol fere mulher em Ubatuba

A motociclista Maria Fátima de Barros, 46 anos, ficou gravemente ferida ao ser atingida ontem por uma linha de empinar pipa, supostamente com cerol. O acidente ocorreu no início da tarde, no bairro da Ressaca, a cerca de dois quilômetros do centro de Ubatuba.
Maria Fátima, que mora no bairro do Perequê-Açú, andava de moto levando a filha na garupa, quando teve a garganta atingida pela linha, que continha cerol -uma mistura de cola com cacos de vidro que deixa a linha cortante. Seu uso é proibido por lei.
O impacto com a linha feriu a motociclista, que perdeu o controle da moto e caiu. Maria Fátima ainda caminhou até a rodovia Rio-Santos para pedir socorro.
Ela e a filha foram socorridas por uma viatura da Polícia Rodoviária Federal até a Santa Casa da cidade.
A motociclista foi operada pelo médico Fernando Zambonini e encontra-se internada na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) devido à gravidade do ferimento provocado pela linha em sua garganta. O hospital informou que Maria Fátima corre risco de morte.
Segundo informou o hospital, a filha da motociclista, cujo nome e a idade não foram revelados, sofreu escoriações ao cair da moto, foi medicada e liberada.
INVESTIGAÇÃO - A Polícia Civil de Ubatuba informou ontem que irá tentar identificar a pessoa responsável pela linha que atingiu a motociclista.
Segundo a polícia, é proibido por lei utilizar este tipo de linha para empinar pipa.

Fonte: Vale Paraibano

Caiçaras, vida e cultura

“DIAS DE CAIÇARA
”Dialeto Latin American Documentary
Cinemateca Brasileira

Evento traz cultura litorânea para São Paulo

Ao longo da história brasileira a fusão dos povos originou novos grupos, um deles, fruto da miscigenação do índio, negro e europeu fez surgir o povo caiçara.

Um livro de arte, uma mostra de filmes e uma exposição multimídia formam “Dias de Caiçara” evento cultural que será apresentado a partir do dia 13 de setembro na Cinemateca Brasileira. De autoria da empresa Dialeto Latin American Documentary, o projeto é fruto de pesquisas e vivências nas regiões litorâneas de Ubatuba, São Sebastião e Paraty. Como em todo litoral brasileiro a região fronteiriça entre o Rio de Janeiro e São Paulo, foram os primeiros locais de significativa concentração demográfica onde se deram as primeiras fusões de índios, negros e europeus, genuína matriz genética e cultural de nosso povo que vem resistindo e se moldando a todos os ciclos econômicos desde o descobrimento. Tudo o que está relacionado ao caiçara é controverso: são comunidades únicas, com características singulares que, muitas vezes, injustamente, não são chamadas de cultura! Espalhados pelo litoral, a extensão de seu habitat pode variar em milhares de quilômetros e até mesmo sua real existência contemporânea está posta em xeque.

O livro “Dias de Caiçara”, produto central do projeto, surgiu a partir da observação do curioso hábito que o caiçara tem em contar histórias, pois para eles a palavra dita é infinitamente mais importante que a escrita. Os autores, Vito D´Alessio e Daniel Pascalicchio relatam crônicas e causos que preservam saberes restritos a ensinamentos orais num trabalho pioneiro de documentação deste precioso patrimônio. O registro se completa com fotografias de cenas cotidianas, manifestações folclóricas e religiosas resultando num delicado olhar sobre o universo caiçara.

Estas imagens serão exibidas em uma exposição multimídia que também irá apresentar objetos da cultura caiçara coletados durante o projeto: peças decorativas, utilitários, símbolos religiosos, instrumentos musicais e embarcações, além de vídeos documentais que acompanham estes elementos.

Uma rara mostra temática de filmes importantes da história do cinema brasileiro especialmente selecionada para o projeto completam o evento. Entre eles, um dos primeiros filmes do cinema novo, Arraial do Cabo, de Paulo César Saraceni e Mário Carneiro. Caiçara, de Adolfo Celi, sentimentaliza e enaltece a comunidade, enquanto Barravento, de Glauber Rocha, dá voz ao sincretismo religioso. Four men on a raft, de Orson Welles, em belíssimas panorâmicas, busca nesse povo a tradição contínua de resistência popular à opressão. A mostra traz ainda a exibição de trechos sobre o cotidiano dos caiçaras de cinejornais produzidos nas décadas de 40 e 50, respectivamente, Cine Jornal Brasileiro e Bandeirantes na Tela.

O projeto “Dias de Caiçara” apresenta um povo simples com os traços de um Brasil colonial na textura suave de sua intimidade cotidiana: missas entoadas em latim, crença em seres encantados, quintais de varas, pescarias solitárias na companhia cúmplice do mar e dos mistérios do dia seguinte regido pelas fases lunares. Preservam saberes sofisticados como o conhecimento da fauna marinha e da navegação orientada pelo vento e pelas estrelas. O escambo das raças, línguas, credos e costumes, legaram ao Brasil o orgulho desta mestiçagem encantadora que seguramente representa o nosso patrimônio imemorial. E os caiçaras, esta cultura vibrante, orgânica, que vai se adaptando ao mundo como os primeiros brasileiros que povoaram esta terra merecem esta celebração. A homenagem é justa.

Sobre a Dialeto: A qualidade do padrão editorial é a marca da Dialeto Latin American Documentary (
www.dialeto.com), empresa de produção cultural multimídia criada em 1995. Utilizando a multilinguagem, transforma pesquisa e conteúdo complexo em atraentes e poéticas produções de pertinência atemporal: livros, documentários para televisão, CDs e Dvds. É a única empresa do mundo especializada em documentar à América Latina, em temas relacionados à história e realidade do continente. Detentora de importantes Prêmios de comunicação dentre eles: Aberje, Prêmio Tim de Música, Jabuti entre outros.
Este projeto foi realizado com o patrocínio da empresa CARGLASS (
www.carglass.com.br), Lei de Incentivo à Cultura /MINC

SERVIÇO:

Projeto “Dias de Caiçara” – Exposição Multimídia
Quando: De 13 de Setembro a 01 de Outubro, terça a domingo, 15h às 22h
Onde: Cinemateca Brasileira
Largo Senador Raul Cardoso, 207 - Vila Mariana
Telefone: 11 5084-2177
Quanto: GRÁTIS
Acesso para deficientes pela entrada lateral

Mostra de Filmes “Dias de Caiçara”

Quando: De 20 a 24 de Setembro, 19h ( grade de programação anexa )
Onde: Sala Cinemateca
Largo Senador Raul Cardoso, 207 – Vila Mariana
próxima ao Metrô Vila Mariana
Informações: 5084-2177 (ramal 210) ou 5081-2954
ingressos: R$ 8,00 (inteira)
R$ 4,00 (meia-entrada)
Atenção: Entrada gratuita para Estudantes do Ensino Fundamental e Médio de Escolas Públicas mediante a apresentação da carteirinha.

Lançamento do livro Dias de Caiçara

Editora Dialeto Latin American Documentary, 2006
Fotografia: Vito D’Alessio
Textos: Daniel Pascalicchio e Vito D´Alessio
R$ 98,00, 120 páginas.

Quando: 26 de Setembro Horário: 20h
Mais informações: (11) 5575-4095
Onde: Cinemateca Brasileira
Sala BNDES
Largo Senador Raul Cardoso, 207 - Vila Mariana
Próximo ao Metrô Vila Mariana
Telefone: 11 5084-2177
Obs. Evento aberto ao público

Manchetes do dia

Sexta-feira, 08 / 09 / 2006

Folha de São Paulo:
"Arcebispo de SP faz críticas à corrupção e à insegurança"
As lideranças do Grito dos Excluídos aproveitaram o momento eleitoral para atacar a corrupção na política, mas sem especificar candidatos, governos ou partidos. Organizado pela Igreja Católica com o apoio de movimentos sociais como o MST, ONGs como a Educafro (que defende cotas para negros em universidades), sindicatos e associações de sem-teto, o Grito surgiu em 1995 com o apoio de dom Luciano Mendes de Almeida, ex-presidente da CNBB. O bispo, que morreu no mês passado, era um dos principais entusiastas do evento que ocorre em várias partes do país no Sete de Setembro.
Durante a missa que abriu o Grito dos Excluídos na Catedral da Sé, o arcebispo de São Paulo, cardeal dom Cláudio Hummes, condenou a corrupção e pediu que a população não vote em corruptos. "A gente não deve votar em corruptos, como as denúncias dos mensaleiros e sanguessugas. A gente deve votar em gente honesta", afirmou o cardeal. Dom Cláudio também criticou a política de segurança em São Paulo. O cardeal disse que há algo de errado em um Estado que "precisa construir uma cadeia por mês" e que é preciso "humanizar as cadeias".

O Globo:

"Alta velocidade é o maior abuso no trânsito do Rio"
O excesso de velocidade é a infração de trânsito mais freqüente no Estado do Rio. Das 876.744 multas aplicadas nos sete primeiros meses deste ano, 395.468 (45%) puniram motoristas que dirigiam acima do limite permitido, segundo o Detran. A segunda no período foi o avanço de sinal, com 67.125 ocorrências. Na capital, em 2005, foram cometidas 403.702 infrações por excesso de velocidade (43,3% das multas aplicadas pela prefeitura) e, de janeiro ao fim de abril de 2006, mais 123.408, segundo a Secretaria de Transportes. Ontem de madrugada, um acidente deixou seis feridos no Leblon.

O Estado de São Paulo:

"FHC ataca 'podridão' de Lula e critica tucanos"
O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso promoveu ontem seu ataque mais contundente e frontal ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a quem acusou de ser, junto com o PT, o responsável pela crise ética e a "podridão reinante no país". Em carta divulgada pelo site do PSDB, FHC adverte: "É só a conjuntura internacional mudar e pagaremos o custo da crise fiscal, das ineficiências acumuladas, da falta das reformas, tudo sempre revestido da maior empáfia dos que pensam que nunca neste País, se fez mais e melhor do que neste governo".
Afirma que a atitude de Lula no caso do mensalão justificaria a abertura de processo por crime de responsabilidade e assegura que as condições morais que faltam ao presidente sobram ao candidato tucano, Geraldo Alckmin. O documento é dirigido aos "militantes, simpatizantes e eleitores do PSDB". O ex-presidente pede engajamento e entusiasmo aos tucanos, e faz uma autocrítica, ao reconhecer que o PSDB foi vacilante em relação ao senador Eduardo Azeredo (MG), que era presidente do partido quando foi acusado de ter se beneficiado do valerioduto na campanha eleitoral de 1998. "Erramos quando quisemos tapar o sol com a peneira", avalia.

Jornal do Brasil:

"Torcidas duelam a bala"
Vascaínos e alvinegros combinaram, pelo Orkut, a invasão da sede da torcida organizada tricolor no Méier, antes do empate de 1 a 1 entre Fluminense e Botafogo pela Copa Sul-Americana. Avisados da operação adversária, tricolores se armaram. Um torcedor morreu e três estão feridos em estado grave - um espancado, dois baleados. Em outro ataque, bomba caseira feriu um guardador de carros no Maracanã.

quinta-feira, setembro 07, 2006

Entrevista

Para Caetano, Lula e FHC são a mesma coisa

Caetano Veloso na Folha de S. Paulo, hoje:

FOLHA - Ao contrário de Chico Buarque, você já disse que não votará em Lula. Por quê?

CAETANO - Não vou. Não me arrependo de ter votado nele, mas sou contra a reeleição. Não votei pela reeleição de Fernando Henrique, que nos deu de presente oito anos de esquerda marxista da USP. E como eu já estou com 64 anos e ele e Lula são a mesma coisa, eu acho que seria demais 16 anos com essa turma.

FOLHA - O sociólogo Gilberto Vasconcellos se referia a "essa turma", que veio a se dividir entre PT e PSDB, como a coalizão CUT-USP-Fiesp...

CAETANO - Eu acho essa expressão dele totalmente certa.

FOLHA - Em quem você vota?

CAETANO - Não sei em quem vou votar. Não gosto de votar nulo. Eu preferiria que Lula pelo menos não fosse eleito no primeiro turno.

FOLHA - Como você vê o escândalo do mensalão?

CAETANO - Eu acho que foi realmente vergonhoso e ruim. Há uma certa regressão no país -que fez o impeachment de Collor- quando se passa uma esponja no escândalo do mensalão. Lula e o PT afastaram os acusados, Lula se disse traído, mas a cada solenidade de despedida dos que cometeram delitos levantou a voz para dizer loas morais a essas figuras. E pôs a culpa num possível complô das elites através da mídia, o que eu acho completamente incongruente. Eu não sou burro, nem maluco, então não vou votar nele. Votei em Lula contra Collor no segundo turno, mas meu candidato não era ele. Era o Brizola. E continua sendo (risos). Na última eleição, eu achei que era a hora de um operário chegar ao poder, de o PT enfrentar a realidade e de se desmistificar tudo isso. Se o Serra tivesse ganhado, ele, que é um excelente candidato, seria massacrado por essa mitologia do Lula, da esquerda e do PT. Quando justifiquei meu voto em Lula, disse que esperava que ele fosse empossado, que governasse e que passasse a faixa para outro. Continuo pensando da mesma maneira.

FOLHA - É como naquela canção: "Mamãe eu quero ir a Cuba e quero voltar"?

CAETANO - Exatamente. E eu cantei isso em Cuba.

FOLHA - Por que há essa leniência em relação ao escândalo?

CAETANO - Eu acho que é por causa da esquerda. A esquerda é como torcida de futebol. As pessoas ficam cegas. Eu sou um simpatizante da esquerda por sede de harmonia, de dignidade e de Justiça. Mas vejo freqüentemente que a esquerda é quem mais ameaça essas coisas que me levaram a me aproximar dela."


Assinante da Folha leia mais aqui
Fonte: Noblat

Ziquizira retumbante...

Vereador acusa Prefeitura de improbidade administrativa

Cristiane Zarpelão
O vereador Charles Medeiros, candidato a deputado estadual pelo PSB, lavrou no dia 2 de setembro um boletim de ocorrência, de nº 3842/06, denunciando um suposto crime eleitoral, que se configuraria no uso de veículos da Prefeitura de Ubatuba em reunião política de campanha do candidato a deputado estadual pelo PFL, Gil Arantes. O vereador tirou fotos dos veículos e encaminhou a documentação diretamente ao procurador do Ministério Público Federal.
O vereador Charles Medeiros conta que soube da reunião e resolveu investigar. Foi até o local - a reunião estava acontecendo no bairro do Pereque-Açu -, e constatou o uso dos veículos, tirou fotos e acabou se envolvendo em uma discussão com um correligionário do candidato Arantes. O correligionário, Adriano Alves da Silva, é funcionário do setor de arquivos da Prefeitura de Ubatuba.
Se dizendo inconformado com a situação, Medeiros afirmou que é dever de um vereador, fiscalizar e mostrar os fatos. Por este motivo começou a fotografar o que estava ocorrendo.
Medeiros contou ainda que, ao deixar o local, onde diz ter encontrado vários funcioná-rios do PSF - Programa Saúde da Família e ouvido de um deles que os servidores teriam sido obrigados a comparecer ao evento político, o vereador afirma ter sido seguido por um veiculo e passado por maus momentos, quando “foi fechado por um carro”, próximo ao trevo do Indaiá.


Acusação

Passado o ocorrido, a sessão de Câmara desta terça-feira teve uma grande participação da população, como há muito tempo não se via.
Medeiros usou a tribuna e desabafou: “Cada dificuldade que passo na minha vida, faz com que eu tenha mais fé. Faz eu perceber que tenho amigos de verdade. Hoje vejo que há muito tempo a comunidade não se manifestava. Não se manifestava porque o legislativo deu paz para esta cidade. Matamos muitas situações no peito, não para defender o prefeito, que não merece, mas para defender o nosso povo”, disse.
Medeiros contou que já denunciou o crime eleitoral à Câmara, ao Ministério Público e à Policia Federal de São Sebastião, que irão investigar as verbas destinadas à saúde para depois encaminharem ao promotor Eleitoral de Ubatuba.

“Estamos discutindo como o dinheiro da máquina pública está sendo usado. O veiculo do PSF é para atender o povo necessitado e não para encaminhar pessoas para uma campanha política”, disse Medeiros.
“Não quero me promover e sequer prejudicar ninguém. A única coisa que quero é justiça” concluiu o vereador, sendo aplaudido pelos demais vereadores e pela população presente. Os demais vereadores solicitaram ao presidente da Câmara um pedido de informação ao Executivo sobre o assunto.


Outro lado

Procurado pela reportagem, o prefeito Eduardo César que estava em uma reunião em São Paulo, falou rapidamente e negou a acusação, se limitando a dizer que Medeiros está desequilibrado e inventando mentiras para tentar sensibilizar os eleitores da cidade. “Não está havendo e não houve nenhum tipo de coação. Os funcionários é que estão aderindo à candidatura de Arantes, que conta com o nosso apoio”, afirmou. O prefeito acrescentou que o veículo do PSF passou pelo comitê sim, mas não ficou estacionado no local.
Já Adriano Alves da Silva, informou em nota divulgada na internet que “Medeiros foi perturbar, em pleno sábado, uma reunião onde as pessoas que apóiam a candidatura de Gil Arantes a deputado estadual estavam tranqüilamente discutindo suas propostas políticas”. Segundo consta na nota, Adriano afirma que o vereador foi “fazer escândalo, agredindo as pessoas de bem que estavam na reunião”.
“Se não bastasse o papelão que o vereador fez na frente do comitê do candidato Gil Arantes, ele ainda saiu de lá falando aos quatro cantos que sofreu um atentado. Atentado, vereador? Que atentado? O que sabemos, é que o vereador, ao deixar o local, completamente atordoado, seguiu um carro de uma das pessoas que estava na reunião, que não é funcionário público, e ao alcançá-lo, chegou a jogar o seu carro contra o dele, talvez por acreditar que o prefeito estivesse neste carro”, acusa.
Em relação às acusações que o prefeito estaria usando máquina administrativa para apoiar uma candidatura, Adriano acusa Medeiros mais uma vez dizendo que “o vereador faz estas acusações porque tem experiência nesta área, já que na última eleição ele foi candidato a deputado estadual e obteve uma votação inexpressiva em Ubatuba e ainda sofreu um processo administrativo por transportar material de campanha em carro oficial. Porém, de uma forma estranha, tal processo foi arquivado”, aponta.

Fonte: Imprensa Livre

Mar bravo

Ressaca provoca estragos no Litoral Norte

A ressaca provocada pela agitação do mar causou estragos ontem no Litoral Norte. Na praia do Tenório, em Ubatuba, a mureta de proteção de um posto dos bombeiros foi parcialmente destruída pela maré. Já na costa sul de São Sebastião, a maré destruiu parte dos decks de madeira construídos por comerciantes na praia de Cambury.
Os danos provocados pelo avanço do mar na praia do Tenório foram avaliados ontem pela Defesa Civil de Ubatuba. A mureta de proteção terá que ser reconstruída para evitar que em uma nova ressaca o posto de guarda-vidas seja atingido pela maré.
Segundo a Defesa Civil, não houve danos aos seis quiosques na praia. A agitação do mar surpreendeu os comerciantes. "Estou aqui há 15 anos e nunca tinha visto coisa parecida. O mar chegou até a parede do meu quiosque", disse Alenita Andrade, proprietária do quiosque Festa do Sol.


Curiosidade

A agitação do mar levou vários turistas até a praia. "Trata-se de um fenômeno natural maravilhoso", disse Fábio Franckiewicz, de São Paulo.
Segundo o diretor da Defesa Civil de Ubatuba, Pedro Marciano, a ressaca também teria danificado um rancho de pesca na praia de Picinguaba. Na região central, o mar invadiu a ciclovia e o calçadão que estão sendo construídos na avenida Iperoig e o calçadão da praia do Itaguá.
Em São Sebastião, segundo o diretor da Defesa Civil, Paulo Galeano, a maré invadiu algumas casas no bairro do Canto do Mar e danificou parte dos decks de comerciantes na praia de Cambury.
A Defesa Civil de Caraguá informou que a maré atingiu alguns quiosques nas praias da região norte, entre elas, Tabatinga, Mococa e Cocanha.
Em Ilhabela, segundo a prefeitura, o avanço da maré provocou alagamentos em algumas ruas.

Fonte: Vale Paraibano

Notícias da Prefeitura

Notícias do dia 07 / 09 / 2006

Estudo sobre saúde bucal vira dissertação de mestrado
Famipa volta à cena, trazendo vitória para Ubatuba

Leia aqui

Manchetes do dia

Quinta-feira, 07 / 09 / 2006

Folha de São Paulo:
"Serra tem 31 pontos de vantagem em SP"
Mesmo sob intenso ataque de seus adversários após três semanas de horário eleitoral gratuito de rádio e TV, o candidato do PSDB ao governo de São Paulo, José Serra, se mantém em primeiro na disputa e venceria a eleição já no primeiro turno, revela pesquisa Datafolha divulgada ontem. De acordo com o levantamento, o tucano tem 49% das intenções de voto, 31 pontos à frente do segundo colocado, Aloizio Mercadante (PT), que tem 18% das preferências. Excluídos brancos, nulos e eleitores que se declararam indecisos, Serra teria 59% dos votos válidos, encerrando a corrida no primeiro turno.
Em comparação com a pesquisa anterior do Datafolha, realizada nos dias 21 e 22 do mês passado, Serra oscilou um ponto e foi de 48% para os atuais 49%, uma variação dentro da margem de erro da pesquisa, de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O senador Mercadante permaneceu estacionado em 18% . O terceiro colocado, o ex-governador Orestes Quércia (PMDB), oscilou de 10% para 11%. Carlos Apolinário (PDT) manteve 2%. Plínio de Arruda Sampaio (PSOL), Cunha Lima (PSDC) e Cláudio Mauro (PV) tiveram um 1% cada um. A pesquisa foi realizada entre os dias 4 e 5 deste mês. O Datafolha ouviu 2.026 eleitores em 64 municípios do Estado. Desde o início do horário eleitoral gratuito, no dia 15 de agosto, Mercadante e Quércia têm centrado seus programas em ataques a Serra. O peemedebista, em terceiro, praticamente não criticou o petista.


O Globo:
"Inflação fica perto de zero e PIB do país crescerá menos"
No momento em que os resultados da economia estão no centro do debate eleitoral, o IBGE anunciou ontem que a inflação medida pelo IPCA recuou de 0,19% em julho para 0,05% no mês passado, surpreendendo os analistas. Foi a menor taxa registrada em agosto em oito anos. O índice acumulado em 12 meses caiu para 3,84%, o menor desde agosto de 1998 - ano anterior ao da desvalorização cambial -, e ficou abaixo da meta fixada pelo governo (4,5%) para 2006.
O resultado, forte trunfo do governo Lula é atribuído à valorização do real e ao reajuste menor dos combustíveis. Já o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, do Ministério do Planejamento, reviu para baixo a projeção de crescimento do país este ano, notícia que deverá ser explorada ainda mais pela oposição. O PIB caiu de 3,8% para 3,3%, abaixo da previsão de 4% feita até anteontem pelo ministro Guido Mantega. O Ipea culpou o câmbio.


O Estado de São Paulo:
"Brasil terá inflação de 1° mundo e PIB de 3º
O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) baixou de 3,8% para 3,3% a previsão de aumento do Produto Interno Bruto (PIB) para 2006. O principal motivo foi o fraco desempenho da economia brasileira no segundo trimestre. Para o coordenador do Grupo de Acompanhamento Conjuntural do Instituto, Fábio Giambiagi, o Brasil ainda precisa vencer alguns desafios para crescer de maneira sustentada acima de 4% ao ano.
Alguns dos problemas a enfrentar, segundo ele, são a necessidade de reformas, como a previdenciária, o aumento dos investimentos públicos e a redução das despesas correntes. A idéia é que os investimentos públicos subam para algo entre 1% e 1,5% do PIB - atualmente, estão em torno de 0,45% do PIB. Paulo Levy, diretor de Macroeconomia do Ipea, avalia que o fraco desempenho econômico no segundo trimestre também teve como causa a desvalorização do dólar, especialmente no casa das exportações.
Entre os países emergentes, o PIB brasileiro está na lanterna. Já a inflação está se distanciando da de países emergentes e se aproximando da dos desenvolvidos. O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA, adotado pelo governo) foi de 0,05% em agosto, surpreendendo analistas, que agora projetam 3% para o ano. Segundo o Fundo Monetário Internacional (FMI), a média nas economias desenvolvidas é de 2,3% - nos Estados Unidos, a previsão é de 3,5% para 2006. Número: 6% deve ser o crescimento do investimento - a previsão anterior era de 7,8%; 3,84% é a inflação acumulada em 12 meses - a meta do governo é de 4,5% no ano.


Correio Braziliense:
"Só 269 mil servidores têm reajuste garantido"
O Senado aprovou ontem projetos de lei e medida provisória que beneficiam o pessoal do Judiciário, Banco Central, fiscais do Ministério da Agricultura e professores. Oito MPs que elevam o salário de 1,4 milhão de funcionários públicos do Executivo só devem ser apreciadas em outubro, depois das eleições. Se todas forem aprovadas, o impacto na folha de pagamento em 2007 será superior a R$ 10,8 bilhões.

quarta-feira, setembro 06, 2006

Burocracia

Lei Geral foi aprovada na Câmara

A Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas foi aprovada pela Câmara Municipal de São Paulo na tarde desta terça-feira, às 14h55.
A Lei representa um novo modelo de desenvolvimento ao oferecer soluções criativas para fazer justiça fiscal, simplificar os trâmites burocráticos, reduzir a informalidade e incrementar a produção nacional. Um acordo entre oposição e governo permitiu aprovar o projeto com um placar folgado: 308 votos a favor, 6 contra e 3 abstenções.
O presidente do Sebrae, Paulo Okamotto, que acompanhou a votação, disse que com a unificação de seis tributos, mais o ISS e o ICMS, previstos na lei, deverão ser gerados no país dois milhões de empregos com carteira assinada e 21 milhões de microfirmas nos próximos dois anos.

Okamotto aposta ainda que cinco milhões de empreendimentos poderão sair da informalidade nos próximos cinco anos. Mas embora considere que a nova lei é um avanço, Okamotto disse que ainda é preciso aperfeiçoá-la.
“Não é a lei ideal, mas a lei possível e temos que nos contentar com o que é possível e continuar trabalhando para melhorar”, afirmou.Além do Sebrae, a nova lei conta com o apoio da CNI (Confederação Nacional da Indústria). O projeto ainda precisa ser analisado pelo Senado.
A partir de agora, as micro e pequenas empresas terão inúmeros benefícios como por exemplo, o cadastro único; a arrecadação unificada de tributos federais, estaduais, distrital e municipal e o respeito às diferenças de enquadramento em relação especificidades de cada Estado.
A adesão ao regime será opcional para o contribuinte.
No dia 30 de setembro do ano passado, houve um Congresso-Debate sobre o assunto na UNIVAP em São José dos Campos. A Associação Comercial de Ubatuba em parceria com o Sebrae apoiaram a Lei Geral e disponibilizaram condução gratuita para que os empresários pudessem participar do evento.
Segundo o vice-presidente da Associação Comercial de Ubatuba, Marcos Fushimi Veloso, com as mudanças propostas, as micro e pequenas empresas passarão a desempenhar um papel chave no desenvolvimento do Brasil, alavancando questões prioritárias da agenda nacional. “Redução da informalidade e fortalecimento do tecido social e econômico do país, o combate à pobreza pela geração de trabalho, formalizando o pequeno empreendedor gerando mais empregos e melhor distribuição da renda, é a simplificação, a desburocratização com justiça fiscal, os grandes pilares e objetivos visados pela proposta de Reforma Tributária”, apontou Velloso.
"Precisamos de políticas de Estado e não de políticas de políticos, as ações são para o povo, não para meia dúzia" concluiu.
Fonte: Cristiane Zarpelão – Comunicação ACIU

Controvérsias

Vereador continua desequilibrado

Na última sessão de Câmara, eu estava presente e percebi mais uma vez que o vereador Charles Medeiros está totalmente desequilibrado. Atacou o público presente, dizendo que eram todos “paus mandados”, que “mamam na teta” do Poder Público esquecendo-se o vereador que ele também já foi funcionário comissionado da prefeitura e que não deixou boas lembranças por onde passou exatamente pelo seu jeito de tratar as pessoas.
Caro leitor, se vocês acham que estou exagerando, façam uma pesquisa com os funcionários da Câmara Municipal e os senhores irão perceber que estou falando a verdade. Ele humilha as pessoas, está sempre de mau-humor, de cara amarrada e pensa que o cargo que ocupa é eterno.
Torno a dizer que o vereador fica fazendo acusações porque sabe bem como se usa a máquina pública. Ele próprio, na época de sua campanha anterior a deputado, usou um carro oficial para transportar material eleitoral e acabou sofrendo um processo administrativo, que estranhamente não deu em nada.
Vereador, vamos deixar de picuinha!
Já ia me esquecendo: tem ainda um outro agravante na época em que o vereador Charles foi candidato a deputado e teve votação inexpressiva. Naquela época, descobriu-se uma conta de telefone altíssima na Câmara e que foi paga com dinheiro público. É vereador Charles, “funcionário tem memória”!
Aliás, o vereador Charles faz seguidores. Jairo dos Santos, muitas vezes chamado de ingrato pelo Charles e também de irresponsável por gastar R$ 18 mil com dedetização de cupim, valor dez vezes maior que de mercado, hoje ajuda a levantar a bandeira da mentira deslavada do vereador Charles.
Um outro vereador, Edílson Félix, tem visão política distorcida da realidade do município. Incentivou ferros-velhos clandestinos, é a favor do crescimento de favelas e para completar confessou em plenário da Câmara que mora em casa popular emprestada. Senhores vereadores, peço providências junto ao CDHU porque isto sim é um absurdo. Num município onde tem pessoas morando em áreas de risco e caiçaras que sonham com a casa própria o vereador Edílson Félix, que é muito bem remunerado pelo que faz, mora com sua família numa casa que deveria estar sendo ocupada pela população mais carente. Eu gostaria de finalizar dizendo: “peroba na cara, vereador”.


Adriano Alves da Silva

Queda de braço

Anac deflagra novo duelo no caso Varig

Agência questiona juíza que anulou redistribuição de rotas da empresa

Alberto Komatsu em O ESTADO DE S.PAULO
Três dias após ter anunciado que cumpriria determinações da Justiça do Rio para manter vôos da Varig, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) deflagrou nova queda de braço com juízes que cuidam da recuperação judicial da empresa, num duelo sem precedentes na aviação brasileira. A agência entrou ontem com representação no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) contra a juíza em exercício da 8ª Vara Empresarial do Rio, Márcia Cunha, que anulou todos os atos da Anac para redistribuir rotas da Varig.
"Como se não bastasse, a decisão da juíza prejudica a adequada prestação do serviço público uma vez que a restrição da oferta associada à pressão da demanda provoca inevitavelmente o aumento dos preços das passagens aéreas", informou a Anac, em comunicado.
A agência também pediu ao CNJ a abertura de investigação para "apurar a conduta da magistrada". A juíza Márcia disse ontem que se a Anac considera que sua decisão não é correta, deveria recorrer em vez de entrar com uma representação.
"Tenho plena confiança no CNJ. Essa representação não tem fundamento. É possível que seja arquivada", disse. Segundo ela, sua decisão foi baseada em outra determinação do juiz Luiz Roberto Ayoub, titular da 8ª Vara empresarial, que impede a redistribuição de rotas da Varig. A juíza também ressaltou que a multa aplicada na semana passada a três dirigentes da Anac, no valor de R$ 20 mil cada, está valendo.
Na sexta-feira, a Justiça chegou a multar a Anac em R$ 1 milhão por desobedecer decisões judiciais para impedir a redistribuição de vôos da Varig. Os cinco diretores da agência também foram multados em R$ 50 mil. A TAM, que informou publicamente a obtenção de vôos da rival, foi punida com multa de R$ 500 mil, mais R$ 300 mil por vôo que realizasse.
A juíza Márcia anulou as punições porque o poder concedente do setor aéreo recuou após a multa. "Nunca vi uma briga dessas. Aí tem um jogo de interesses absurdo. Deve ter pressão das concorrentes da Varig. Como é que a Anac está mudando as regras no meio do jogo?", questiona a presidente do Sindicato Nacional dos Aeroviários, Selma Balbino.

Serviço voluntário

Câmara de Ubatuba aprova criação de serviço voluntário

Cristiane Zarpelão
A Câmara Municipal de Ubatuba aprovou por unanimidade, na sessão de ontem o projeto de lei nº 77/06, do Executivo, que autoriza a instituição do serviço voluntário em atividades culturais, cívicas, científicas, recreativas, assistencial e turísticas, no âmbito da Administração Municipal direta e indireta.
A Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Cidadania, Kátia Regina Gomes, justificou seu projeto tendo em vista que a Lei Federal 9608/98 introduziu em âmbito Federal o trabalho voluntário.
“É certo que a administração pública é limitada em termos de recursos humanos para áreas especificas em que atua. Nesse sentido, o trabalho voluntário tem se constituído em uma grande alternativa para a implementação de inúmeros projetos em âmbito Federal”, disse a secretaria. Segundo Kátia, o presente projeto propiciará aos membros da sociedade que tem a intenção de prestar algum tipo de serviço à comunidade, mas que são impossibilitados de realizarem em função da inviabilidade jurídica, a partir de então, poderão disponibilizar suas habilidades pessoais em prol do bem comum.
“Cremos assim, que o projeto produzirá excelentes frutos à nossa sociedade, na medida em que possibilitará o desenvolvimento de inúmeros projetos que hoje, pela ausência de pessoal, estão prejudicados”, concluiu a secretaria.

Editorial

Sessão tranqüila

Ontem, na sessão da Câmara Municipal de Ubatuba, vereadores e platéia deram uma clara demonstração de que a democracia está avançando no município. O clima esperado era de confronto. Os acontecimentos do final de semana indicavam essa possibilidade. Felizmente os trabalhos transcorreram dentro da normalidade. Quando os temas conflitantes foram colocados, alguns aplaudiram, outros vaiaram, mas no final houve respeito e civilidade. Todos os presentes merecem aplausos, inclusive a turma que ficou na escada. Eram muitos, poderiam ter tumultuado o ambiente quando o discurso lhes era desfavorável. Agiram com maturidade. No final, quando a sessão já estava encerrada a discussão esquentou, mas nesse momento o presidente em exercício, vereador Marco Antonio Demo, agiu com presteza e tudo terminou bem. Passado o momento agudo da crise, a ordem é avançar. Como dizia o saudoso Ibrahim Sued, quem fica parado é poste. O Ubatuba Víbora deseja pronto restabelecimento ao presidente da Câmara, vereador Ricardo Cortes, que está indisposto. Força aí Doutor, isso logo passa.

Sidney Borges

Opinião

Abaixo o guarda-chuva para bandido

Por Lucia Hippolito
Parece que nem tudo está perdido. A Justiça Eleitoral e o Ministério Público compraram a briga do eleitor.
O procurador-geral da República, Antônio Fernando de Souza, depois de indiciar 40 pessoas envolvidas no escândalo do mensalão, depois de identificar a “sofisticada organização criminosa” que queria tomar de assalto o Estado brasileiro e perpetuar-se no poder, reconheceu a petição do deputado Miro Teixeira (PDT-RJ) e oficiou a todos os procuradores do Ministério Público nos estados para que comecem a construir os processos para impedir a posse de cidadãos que estão sendo processados pelos mais variados crimes.
Em São Paulo, o TRE impugnou, por unanimidade, a candidatura do petista João Paulo Cunha, um dos mais notórios envolvidos com o mensalão, indiciado pelo procurador-geral da República por formação de quadrilha. O TSE começa a julgar esses processos. Mas o sinal foi dado.
No Rio de Janeiro, o Ministério Público pediu indeferimento da candidatura de cinco dos 13 deputados fluminenses envolvidos no escândalo das sanguessugas. O TRE resolveu apoiar o MP e, numa decisão inédita, o pleno do Tribunal decidiu anexar aos processos que pedem registro de candidaturas a íntegra do relatório da CPI das sanguessugas.
A Justiça Eleitoral fluminense arregaçou as mangas e promete julgar com o maior rigor os pedidos de registro. A tal ponto que, num único dia, recusou 36 pedidos de candidaturas de políticos processados por homicídio, estupro, contrabando, entre outros crimes. Também foram recusadas as candidaturas de quatro ex-prefeitos que tiveram suas contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Estado. Hoje mais 14 pedidos de impugnação deverão ser julgados pelo TSE.
Claro que essas decisões ainda permitem recurso ao Tribunal Superior Eleitoral. Mas se valer a indignação demonstrada pelo presidente do TSE, ministro Marco Aurélio, na fala inaugural da campanha eleitoral, na semana passada, vem chumbo grosso por aí para os candidatos que contavam com o guarda-chuva do foro privilegiado para escapar da Justiça, mesmo que a decisão do TSE seja por validar as candidaturas.
Tudo muito bom, tudo muito bem. Justiça, MP e eleitores, de braços dados contra a eleição de gente suspeita. Mesmo que os bandoleiros sejam salvos, no primeiro momento.
E os partidos políticos, quando vão assumir sua responsabilidade na faxina que se faz cada dia mais urgente? Como é que vão se apresentar à sociedade os partidos que concedem legenda a pessoas que só querem se eleger para escapar da justiça?
Nunca é demais lembrar que o voto no Brasil é proporcional, em lista aberta, com a permissão de coligações em eleições proporcionais e um mecanismo perverso de distribuição de sobras.
Por isso, não basta pedir ao eleitor que escolha corretamente o seu candidato. Se o partido não nega legenda a mensaleiros, sanguessugas e outros criminosos de vários calibres, o eleitor pode votar num candidato corretíssimo e acabar contribuindo para eleger um criminoso.
É fácil sair por aí propondo reforma política. Mas o exemplo tem que começar em casa.
Cadê os partidos, que não assumem o seu papel?
Abaixo o guarda-chuvas para bandido.

(Do Blog do Noblat)

Onde há homens, há corrupção...

DOSSIÊ CORRUPÇÃO NO JUDICIÁRIO

"É preciso que existam homens particulares com espírito público, talvez para compensar a enorme quantidade de homens públicos com espírito particular".
Juíza Denise Frossard, citando Joaquim Nabuco durante palestra nos Seminários da Controladoria (Março de 2002)

Segundo dados do Banco Mundial apurados entre os participantes da Cúpula 2000 Anti-Corrupção, as categorias mais afetadas pela corrupção são: líderes e altos executivos (25%), Judiciário (22%), polícia (19%), orçamento (11%), burocracia (10%), Legislativo (9%), instituições financeiras (3%) e doadores (2%). Os números mostram que em qualquer instituição existem profissionais corruptos, ainda que geralmente constituam exceções. As denúncias que envolvem juízes em atos de corrupção, por exemplo, desgastam a imagem e abalam a credibilidade do Poder Judiciário, deixando-o em uma situação constrangedora. Em março de 2002, ao comentar os escândalos noticiados pela imprensa, o então Presidente do Superior Tribunal de Justiça, ministro Paulo Costa Leite, afirmou: "sobre um juiz não pode pairar suspeita – ou ele é honesto e temos de declarar isso prontamente, ou ele é desonesto e devemos aplicar uma pena que aplicaríamos a qualquer cidadão. Temos de deixar claro que a circunstância de uma pessoa ser juiz não faz com que seja um cidadão acima do bem e do mal". No caso do Brasil, a população acaba perdendo a confiança na Justiça ao constatar que o Poder Judiciário, que deve representar o reduto da cidadania brasileira e garantir o Estado democrático de direito, muitas vezes é falho. Ao longo dos anos 1990 registrou-se uma luta por parte de toda a sociedade brasileira para a redução da corrupção no Brasil, em todos os setores. A ampliação da cobertura jornalística sobre o tema contribuiu para localizar e identificar denúncias de corrupção no Judiciário.
Fonte: O material foi coletado em cinco jornais diários: O Globo, Jornal do Brasil, Folha de S.Paulo, Estado de S.Paulo, Valor Econômico e Jornal do Commercio entre os meses de janeiro e maio de 2002

Notícias da Prefeitura

Notícias do dia 06 / 09 / 2006

Estudantes e entidades fazem passeata contra poluição
Fundart sedia XIII Encontro Regional de Autores

Leia aqui

Manchetes do dia

Quarta-feira, 06 / 09 / 2006

Folha de São Paulo:
"Lula consolida vantagem no 1º turno"
Os ataques contra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva no horário eleitoral gratuito e as más notícias na economia divulgadas nos últimos dias não abalaram a candidatura do petista à reeleição. A 25 dias das eleições, ele consolidou suas chances de vencer já no primeiro turno. Pesquisa Datafolha divulgada ontem revela que, em uma semana, Lula oscilou de 50% para 51% nas intenções de voto. Seu principal adversário, Geraldo Alckmin (PSDB), se manteve com 27%.
Nos votos válidos, que definirão a eleição, Lula oscilou de 56% para 57%, um novo recorde. Alckmin ficou com 30%. No conjunto, a taxa de votos em branco ou nulos (4%) e de indecisos (6%) desceu ao seu menor patamar, 10%. A pesquisa mostrou também um esvaziamento da candidatura de Heloísa Helena (PSOL), que oscilou para baixo pela terceira vez seguida e agora tem 9%. Grande parte de seus eleitores, principalmente os mais instruídos, parece ter migrado para Lula. Embora os números gerais do levantamento tenham mudado pouco, dentro da margem de erro, alguns pontos mostram um novo fortalecimento do petista.
Na pesquisa espontânea, na qual o eleitor cita sua preferência antes de receber a lista de candidatos, o presidente atingiu o recorde de 41%. Lula também recuperou boa parte do terreno que vinha perdendo, até uma semana atrás, entre os eleitores mais ricos e escolarizados. Ganhou ainda novos pontos na região Sul. Por fim, o petista teve um ganho expressivo, de nove pontos percentuais, entre os eleitores de municípios que têm entre 35 mil e 100 mil votantes. Entre as más notícias econômicas dos últimos dias que não afetaram a candidatura Lula constam: a taxa de desemprego de julho (10,7%) subiu ao maior patamar em 15 meses; o PIB (Produto Interno Bruto) do segundo trimestre cresceu pífio 0,5%; foram anunciadas, com grande repercussão, as demissões de 1.800 operários da Volks em São Paulo (a empresa agora recuou e voltou a negociar com os funcionários).


O Globo:
"TSE abre caminho para candidatos sob suspeita"
Em sessão ontem à noite, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) começou a abrir caminho para assegurar a candidatos sanguessugas, mensaleiros e vampiros o direito de disputar as eleições de outubro. Dois ministros - entre eles o presidente do Tribunal, Marco Aurélio de Mello - votaram a favor do ex-deputado Eurico Miranda (PP), que tivera sua candidatura impugnada pelo TRE-RJ, com base no princípio da moralidade.
A votação foi suspensa por um pedido de vista, mas os votos indicam que o TSE vai se submeter ao argumento de que não pode ser impugnado o candidato que ainda não foi condenado em definitivo pela Justiça. Marco Aurélio chegou a admitir que a decisão receberá críticas: "Esse julgamento não será entendido pela sociedade que anseia pela correção de rumo. Mas como abandonar a Constituição e a lei das inelegibilidades em vigor?", perguntou. O relator, ministro Marcelo Ribeiro, também votou a favor de Eurico. O processo dos deputados sanguessugas deverá ter o mesmo resultado
.


O Estado de São Paulo:
"Câmara aprova o fim do voto secreto no Congresso"
A Câmara aprovou ontem em primeiro turno a emenda constitucional que acaba com o voto secreto em todas as decisões do Congresso. A proposta foi aprovada com 383 votos favoráveis e 4 abstenções. O voto secreto virou sinônimo de impunidade nos julgamentos de cassação na Câmara. No caso do mensalão, dois 11 pedidos de cassação aprovados pelo Conselho de Ética, onde o voto é aberto, o plenário da Câmara rejeitou 8.
Acabar com o voto secreto passou a ser prioridade também depois que a CPI dos Sanguessugas pediu a cassação de 69 deputados (2 renunciaram aos mandatos) e 3 senadores por suposto envolvimento no esquema de venda se ambulâncias superfaturadas a prefeituras. Em segundo turno, o projeto sobre voto aberto será votado pela Câmara só depois das eleições de outubro. Depois seguirá para votação, também em dois turnos, pelo Senado. Se for alterado pelos senadores, terá de voltar para análise da Câmara - tudo indica que isso ocorrerá, porque no Senado há mais resistências ao voto aberto para tudo. A proposta também se aplica às Assembléia Legislativa, às Câmaras municipais e à Câmara Legislativa do Distrito Federal.


Correio Braziliense
"Câmara acaba com voto secreto. Falta o Senado"
Os escândalos de corrupção protagonizados por sanguessugas e mensaleiros podem ter um efeito positivo na política brasileira. Numa ação para evitar que parlamentares corruptos fiquem impunes, a Câmara aprovou ontem, em primeiro turno, emenda constitucional que acaba com o voto secreto nas votações dos legislativos federal, estaduais e municipais.
Mas mesmo após a aprovação do projeto em segundo turno pelos deputados, o risco de impunidade dos sanguessugas - a exemplo do ocorrido com mensaleiros - não está afastado. Isso porque a emenda terá de passar pelo crivo do Senado, onde a oposição é maioria. Como o PFL e o PSDB fazem restrições ao fim do escrutínio secreto, é possível que o percurso do projeto até a aprovação final seja longo. "Não podemos aceitar uma decisão dessa natureza", diz o senador Marco Maciel (PFL-PE). "E contra a independência do Legislativo."

terça-feira, setembro 05, 2006

Tema para reflexão

É preciso agir

Normalmente, as pessoas não se envolvem quando a violência ou a injustiça é praticada contra o outro. Pensam que “isto é um problema dele, para que vou me envolver” e seguem sua vida sem nenhuma preocupação ou remorso.
Este pensamento egoísta, porém, se esgota quando estas pessoas são atingidas diretamente. Neste momento, em que a violência ou a arbitrariedade é perpetrada, querem a solidariedade, o companheirismo, que não praticaram com os outros. Mas quem é evoluído, quem acredita na justiça, não deve deixar de prestar solidariedade, mesmo que não tenha recebido da outra parte nenhuma atenção ou apoio.
O trabalho de fiscalização aos atos do Executivo, procedimento previsto constitucionalmente para ser executado pelos vereadores, pode gerar reações exageradas por parte de quem está sendo observado, que normalmente manda publicar notas e matérias direcionadas a tentar desqualificar quem está denunciando. Para a agressão física, pode ser um pulo. Nos anais da história brasileira, temos vários casos, um dos mais famosos perpetrado pelo segurança particular de Getúlio Vargas contra o jornalista Carlos Lacerda, praticado à revelia de seu chefe.
Não há como não enxergar - na violência da qual foi vítima o vereador Charles – os mesmos traços do totalitarismo que vem se impregnando, que emana de um segmento específico, e que cresce face à apatida de toda a nossa sociedade, que por estar diretamente preocupada com a sua sobrevivência direta e por falta de informação.
Deste totalitarismo já foram vítimas, entre outros, o fotógrafo e videografista Emílio Campi, o professor Corsino Aliste, o ambientalista Fabian Perez, os advogados Thomaz de Carle e Marcelo Mungioli, os pequenos pescadores e os caiçaras que viram suas casas sendo demolidas.
Para os mais religiosos, este é o jeito cristão de agir. Para os céticos, a lembrança deste texto, milhares de vezes traduzido e versionado, atribuído a Bertold Brecht:


É preciso agir
Primeiro levaram os comunistas,
mas eu não me importei com isso
Eu não era comunista.
Em seguida levaram alguns operários,
mas não me importei com isso
Eu também não era operário.
Depois prenderam os sindicalistas,
mas não me importei com isso
Porque não sou sindicalista.
Depois agarraram uns sacerdotes,
Mas eu não sou religioso
Também não me importei
Agora estão me levando,
mas já é tarde.


Bertold Brecht (1898-1956)

Edílson Félix
Vereador

Notícias da Unitau

Região será beneficiada com recursos para tratamento de esgoto

Sete municípios do Vale do Paraíba tiveram contratos aprovados pelo CEIVAP (Comitê para Integração das Bacias Hidrográficas do Rio Paraíba do Sul) para o desenvolvimento de projetos de tratamento de esgoto, controle de erosão, reflorestamento e recuperação de mata ciliar. A assinatura do convênio ocorreu durante a 3ª reunião extraordinária da entidade, realizada nos dias 28 e 29 de agosto, em Cataguases, Minas Gerais. No evento, também foram contemplados instituições e órgãos públicos da região. Os recursos serão disponibilizados aos empreendimentos através da Agevap (Agência Pró-Gestão da Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba do Sul).
Além das prefeituras de Jacareí, Caçapava, Tremembé e Lavrinhas, também assinaram contratos o SAEE de Aparecida, Jacareí e Guaratinguetá e a Fundação Cristhiano Rosa, entidade da sociedade civil, de Piquete. A soma total dos contratos é de mais de 3 milhões de reais. Outro assunto discutido no encontro, foi à revisão dos termos da cobrança pelo uso das águas do rio Paraíba do Sul de domínio da União. De acordo com o secretário-executivo do comitê, geólogo Edílson de Paula Andrade, em Cataguases foi aprovada uma nova metodologia para a cobrança pelo uso da água na área de domínio federal da bacia do Paraíba do Sul. O novo método prevê a cobrança pela carga de esgoto lançada, conhecida por kilo de DBO 5,20 (demanda bioquímica de oxigênio a 20° C e 5 dias consecutivos). Segundo Andrade, o novo procedimento implicará em um custo maior pela poluição causada, em relação à metodologia atual. Atualmente a cobrança pela diluição de esgoto é feita com base no percentual de redução da carga poluidora. Uma nova reunião foi agendada para o dia 28 de setembro, em Resende, no Rio de Janeiro, para definição final dos valores da cobrança. Neste período as empresas de saneamento, segmento que alegou mais dificuldades de adaptação, avaliarão as conseqüências que o impacto dos custos terá sobre o setor com a implantação do novo processo. O próximo passo será apresentar ao CNRH - Conselho Nacional de Recursos Hídricos-, no dia 28, as decisões para implantação a partir de janeiro de 2007.
Mais detalhes sobre o assunto podem ser obtidos com Edílson, no CBH-PS, pelos telefones (12) 3632-0100 e 3632-9133, ramal 8262. Para saber mais informações sobre o comitê acesse www.comiteps.sp.gov.br . Sobre os projetos e recursos destinados para os municípios e entidades da região, acesse http://www.ceivap.org.br/downloads/deliberacao60-06.pdf

ACI – Agência de Comunicação Integrada /UNITAU/ CBH-PS

Antes da reforma...


Dê um clique na foto para ampliar

Pesquisas

Lula e Heloísa caem, Alckmin sobe um pouquinho

A pesquisa diária feita para consumo interno da campanha de Lula registra uma queda de dois pontos percentuais dele e um crescimento de Alckmin de dois pontos. Registra também queda de Heloísa Helena. Nada, por ora, capaz de tirar o sono de Lula e dos que tocam sua campanha. (Noblat)

Notícias da Associação Comercial

Após 34 anos Associação Comercial terá sede própria

Cristiane Zarpelão
A Associação Comercial de Ubatuba foi fundada no dia 4 de abril de 1972. O responsável pela fundação foi o empresário Olney Valim, que foi até a Associação Comercial de São Paulo e obteve todas as informações necessárias para a criação da entidade. Valim trouxe tudo pronto para que já pudesse ser colocado em prática.
Olney Valim presidiu a Assembléia Geral de constituição da Aciu, que contou com a participação de aproximadamente 20 empresários da cidade, que nomearam Roberto Lanzoni como seu primeiro presidente.
Segundo o presidente atual da entidade, Ahmad Khalil Barakat, ao longo de 34 anos a Aciu passou por grandes modificações, “sempre procurando acompanhar o desenvolvimento do comércio local, adequando-se às necessidades dos seus associados, modernizando suas instalações e equipamentos, estando hoje entre as maiores associações da região”.
Na sexta-feira passada, a entidade deu um importante passo. “Nós completamos mais uma etapa do nosso compromisso na Aciu: assinamos o contrato da compra do imóvel que será a nova sede. Após 34 anos teremos uma sede própria, uma conquista de muito empenho e trabalho”, enfatizou Ahmad. O presidente contou que em breve dará início às obras da construção da nova sede que será na rua Esteves da Silva, 51, no Centro.

Acerca dos absurdos na Internet

Indignação

Fiquei indignado com o absurdo comentário do Sr. Adriano Alves da Silva, funcionário comissionado, lotado no setor de arquivos da Prefeitura Municipal de Ubatuba, acerca do ocorrido com o vereador Charles Medeiros, onde ele tece os seguintes comentários:


1- “Que o vereador Charles Medeiros foi perturbar, em pleno sábado, uma reunião onde as pessoas que apóiam a candidatura de Gil Arantes a deputado estadual estavam tranqüilamente discutindo suas propostas políticas (sic)”.

O vereador e candidato a deputado, Charles Medeiros - PSB foi constatar uma denúncia de uso de veículo da saúde (PSF), que estava sendo usado para transportar pessoas até o local da reunião, conforme fotos em poder do denunciante.

2- Que o vereador foi fazer escândalo, agredindo as pessoas de bem que estavam na reunião (sic).

Escândalo seria, se o vereador ao constatar o uso de equipamentos público para beneficiar o candidato a deputado Gil Arantes – PFL, chamasse as policias militar e federal, para prender a todos. Aí sim, o Senhor ia ver o que era escândalo.

3- Para que tudo isto não acabe em pizza, acabo de registrar um boletim de ocorrências (B.O. 3873/06) contra agressões que sofri do vereador Charles Medeiros (sic).
É lamentável tentar remediar o que não tem cura. Foi constatado o uso do veículo da Secretaria da Saúde (PSF), para transportar pessoas até o local da reunião. Portanto Sr. Adriano, o seu B.O, ao meu ver, não tem valor, pois caracteriza uma tentativa do Executivo Municipal, defender-se de uma futura Ação de Improbidade Administrativa.

Jairo dos Santos – PT
Vereador

Campanha política

Absurdos na Internet

Depois de ler tantos absurdos na Internet neste final de semana, gostaria dedizer o seguinte: o vereador Charles Medeiros foi perturbar, em pleno sábado, uma reunião onde as pessoas que apóiam a candidatura de Gil Arantes a deputado estadual estavam tranqüilamente discutindo suas propostas políticas. O vereador e candidato a deputado, Charles Medeiros, foi fazer escândalo, agredindo as pessoas de bem que estavam na reunião.

Se não bastasse o papelão que o vereador fez na frente do comitê do candidato Gil Arantes, ele ainda saiu de lá falando aos quatro cantos que sofreu um atentado. Atentado, vereador? Que atentado? O que sabemos, é que o vereador, ao deixar o local, completamente atordoado, seguiu um carro de uma das pessoas que estava na reunião, que não é funcionário público, e ao alcançá-lo, chegou a jogar o seu carro contra o dele, talvez por acreditar que o prefeito estivesse neste carro.
No escândalo que o vereador Charles deu em frente ao comitê, ele nos acusavade uso da máquina. Acho que o vereador faz estas acusações porque tem experiência nesta área, já que na última eleição ele foi candidato a deputado estadual e obteve uma votação inexpressiva em Ubatuba e ainda sofreu um processo administrativo por transportar material de campanha em carro oficial. Porém, de uma forma estranha, tal processo foi arquivado.
Para que tudo isto não acabe em pizza, acabo de registrar um boletim de ocorrências contra agressões que sofri do vereador Charles Medeiros. Ele me ameaçou gritando a seguinte frase: “Tome cuidado senão arrumo para sua cabeça”. Fico me perguntando como alguém pode votar numa pessoa tão desequilibrada, prepotente, arrogante, dono da verdade e o que é pior, agora também mostra seu lado agressor e violento.

Adriano Alves da Silva

Editorial

Esfriando cabeças

Hoje, terça-feira é dia de sessão na Câmara Municipal de Ubatuba. Vai ser uma sessão quente. Eu não a perderia por nada. Na pauta certamente estará o incidente de sábado que envolveu o vereador e candidato a deputado estadual, Charles Medeiros. Sobre o fato, não acredito que o Prefeito tenha tido qualquer responsabilidade. Para mim foi um ato isolado de um correligionário exaltado. Quando apóia Gil Arantes, Eduardo César está dentro das regras democráticas. Cada cidadão é livre para apoiar quem quiser. Nada há para contestar. Sobre o possível uso da máquina pública a coisa é diferente. Os que afirmam que isso está acontecendo devem obter provas e tomar as providências cabíveis na lei. Também é preciso que fique claro que fotografar é permitido. É deselegante e ilegal ameaçar fotógrafos. A tentativa de constrangimento constitui uma espécie de confissão de que algo errado está acontecendo. Posto isto, o negócio é esfriar a cabeça e seguir adiante que ainda falta quase um mês para a eleição. Que vençam os melhores. Em paz.

Sidney Borges
 
Free counter and web stats