sábado, maio 06, 2006

Silvinho conta tudo

A matéria da repórter Soraya Aggege, da sucursal do Globo em São Paulo, que conversou, em dos dias, oito horas com Sílvio Pereira começa assim:

SÃO PAULO
Submetido nos últimos 12 meses à “lei do silêncio” imposta pelo PT, o ex-secretário-geral do partido Silvio Pereira rompeu o pacto e relatou, em duas conversas exclusivas com O GLOBO, na quarta e na quinta-feira passadas, o que ainda não havia contado sobre o esquema do valerioduto.
Leia mais

Tirando da reta

"Não há santo nessa história toda"

O Globo escreveu que Sílvio "Land Rover" Pereira eximiu Lula de responsabilidade no esquema". Mas não há, atribuída a Sílvio e aspeada, declaração alguma dele nesse sentido.
- Não há santo nessa história toda, em nenhum partido, nem na direção do PT - afirma Sílvio a certa altura da entrevista.

Silvinho afirma: Lula sabia...

Bomba!
Sílvio Pereira, vulgo "Silvinho Land Rover", ex-secretário-geral do PT e uma das estrelas do mensalão, deu entrevista exclusiva ao jornal O Globo que será publicará na sua edição de amanhã.
Como a edição de domingo dos grandes jornais começa a circular no fim da tarde do sábado, logo mais saberemos o que ele disse.
Soube que ele jogou bonito e pesado no ventilador. E que depois do que ele disse, Lula não poderá insistir com a mentira de que nunca soube de nada, de que foi traído, etc e tal.

Bomba! (2)
Dado ao teor explosivo da entrevista de Sílvio "Land Rover" Pereira, a edição de amanhã de O Globo estará nas bancas do Rio de Janeiro a partir das 15h de hoje.

Bomba (3)
Lula e o ex-ministro José Dirceu comandaram o esquema de arrecadação de grana para o PT, diz Sílvio "Land Rover" Pereira na entrevista exclusiva que deu ao jornal O Globo. Silvinho diz que ele e o ex-tesoureirto Delúbio Soares executavam ordens.

Bomba! (4)
A meta do PT era arrecadar R$ 1 bilhão para pagar débitos e futuras despesas, segundo conta Silvinho "Land Rover" Pereira em entrevista exclusiva ao jornal O Globo de amanhã, logo mais nas bancas. Não só Lula e José Dirceu sabiam de tudo e comandavam tudo: o senador Aloizio Mercadante (PT), atual líder do governo, também sabia.

Bomba (5)
- Silvinho enlouqueceu - comentou há pouco o secretário particular do presidente da República, Gilberto Carvalho, ao tomar conhecimento em linhas gerais da entrevista exclusiva concedida ao jornal O Globo por Sílvio "Land Rover" Pereira, ex-secretário-geral do PT.
Fonte: Noblat

Dos mensalões...

Diogo Mainardi
O mensalão não é só para deputados. Há também o mensalão da imprensa. No último número da revista Carta Capital, quase 70% dos anúncios eram do governo federal. Lula sempre soube remunerar direito seus aliados. Carta Capital é o João Paulo Cunha dos semanários. O José Janene. O Valdemar Costa Neto. Lula, dois anos atrás, elogiou publicamente Carta Capital. Para ele, a revista não praticava "o denuncismo pelo denuncismo" porque "não se preocupava com o mercado". Quem conta com 70% de publicidade do Banco do Brasil, da Petrobras e da Caixa Econômica Federal realmente pode ignorar o mercado e os leitores. Carta Capital é de Mino Carta. Não dá para compará-lo a um João Paulo Cunha, a um José Janene, a um Valdemar Costa Neto. Ele está muito mais para alguém do porte de um Professor Luizinho. No fim do ano passado, Mino Carta publicou uma longa entrevista com Lula, e retribuiu os elogios do presidente, exaltando seus maiores atributos, como "Q.I. alto, bravura, carisma, belos propósitos, bom humor e ironia". Mino Carta costumava se referir a Lula em outros termos. Em 1994, entrevistado pela revista Interview, ele declarou o seguinte: "O principal defeito de Lula é a laborfobia. Lula não é suficientemente aplicado. Ele teve tempo para aprender algumas coisas e não o fez. Por exemplo, a falar melhor, a organizar seu raciocínio de forma sintaticamente mais consistente. Isso teria implicado leituras, estudo. Mas, a julgar pelo Lula que está aí hoje, ele não se aplicou. O melhor mesmo para ele é bater uma caixa no bar da esquina tomando uma pinga com cambuci". Mino Carta se aproximou de Lula apenas na campanha eleitoral de 2002, por meio do consultor Antoninho Marmo Trevisan. O mesmo Trevisan que intermediou a venda da empresa do filho de Lula à Telemar. O mesmo Trevisan que foi contratado para sanear as contas do PT. O mesmo Trevisan que prestou assessoria à CUT. O mesmo Trevisan que repassou trabalhos aos sócios de Luiz Gushiken. O mesmo Trevisan que selecionou o banco BMG para oferecer o crédito consignado. Carta Capital tem praticamente a mesma tiragem que a revista do acupunturista de Geraldo Alckmin, mas seu peso político é muito maior, assim como seu faturamento publicitário. Os anúncios das estatais deram o resultado esperado. No último ano, Carta Capital tentou ajudar a aplacar a crise. Uma de suas estratégias, seguida por todos os blogueiros lulistas, foi acompanhar o termo "mensalão" por alguma atenuante como "suposto", "pretenso", "enredo embolorado", "jogo sujo", "denúncia frágil" e "sem provas cabais". O melhor argumento que os lulistas encontraram para desmentir o mensalão também apareceu em Carta Capital, numa entrevista de Wanderley Guilherme dos Santos. Ele disse: "É uma denúncia genérica. Há pagamentos mensais feitos pelo tesoureiro do partido etc. etc.". Gilberto Gil, algumas semanas depois, sempre em Carta Capital, adotou o mesmo bordão: "Mensalão, caixa dois etc. são da prática do mundo". Os etc. etc. dos lulistas encobrem mais da metade do Código Penal. Lula venceu. O mensalão dos deputados e da imprensa foi esquecido. O que resta agora aos leitores é bater uma caixa no bar da esquina tomando uma pinga com cambuci.

Editorial

Conjuntura maluca

O Vale do Jequitinhonha é uma das regiões mais pobres e carentes do Brasil, quiçá do mundo. A região exporta gente, envia seres humanos para trabalhar onde existam condições favoráveis. Ubatuba conhece bem esse povo, de resto um povo trabalhador e honesto, que saiu de sua terra por não ter outra opção. É exatamente por isso que embora tendo total apreço pelos bolivianos e por todos os seres humanos que vivem em condições que possam ser classificadas de indignas, não concordo com a atitude inicial do governo brasileiro em relação ao enfrentamento do gás. O que me incomoda é o discurso, muito mais do que as ações. Sei que no final deverá prevalecer o bom senso. Antes de perdoarmos dívidas e aceitarmos confiscos de vizinhos pobres, seria importante eliminar a pobreza que assola parte considerável de nossa terra. Por outro lado, para que possamos viver em harmonia com as nações do mundo, das quais dependemos para existir, há que haver respeito por regras. Ou será o caos, a morte da civilização. Ninguém tem o direito de em nome de uma soberania que jamais foi contestada, infligir prejuízos aos outros. O líder venezuelano Chávez está por trás do embate. Recheado de dólares petrolíferos usa e abusa do direito de falar o que lhe vem à cabeça e interferir onde não é chamado. O Brasil não está em condições de arcar com o prejuízo que a Bolívia dá como certo. O dinheiro que a Petrobras investiu nas instalações bolivianas, mais de um bilhão e meio de dólares, estaria melhor se destinado ao desenvolvimento do Vale do Jequitinhonha. Vamos extrair logo o gás abundante do Litoral de São Paulo e dar uma banana para Evo Morales. E outra para o Chávez. E de quebra uma também para o velhinho Fidel não ficar triste.

Sidney Borges

A censura mora ao lado...

Jornal se diz perseguido por prefeito no litoral paulista

Dono do jornal diz que reportagens sobre um contrato da prefeitura com uma ONG por R$ 7 milhões motivaram a perseguição

Bárbara Souza
SÃO SEBASTIÃO - Uma seqüência de denúncias publicadas contra a administração municipal nos últimos meses e um jornal ameaçado de ter suas atividades encerradas por supostas irregularidades apontadas pela prefeitura. O que para a prefeitura de São Sebastião, no litoral norte paulista, é uma coincidência e a necessidade de se fazer cumprir a lei, para um dos donos do jornal Imprensa Livre, Igor Veltman, é uma tentativa do prefeito Juan Pons Garcia (PPS) de censurar o diário e desviar o foco das reportagens.

Leia mais

Queda-de-Braço

Justiça de Ubatuba lacra quiosques na Praia Grande

Estabelecimentos são acusados de ampliação irregular e podem pagar multa de até R$ 100 mil

O juiz da 2ª Vara de Ubatuba, Geraldo Fernandes Ribeiro do Vale, determinou a lacração de cinco quiosques na Praia Grande. Os estabelecimentos teriam desacatado decisão judicial que proibiu a continuidade das obras de reforma e ampliação.
A proibição foi comunicada aos permissionários dos quiosques em janeiro deste ano, após decisão da juíza Ana Lia Beal. Denúncias feitas por moradores e veranistas alertaram a Justiça que as obras continuavam sendo realizadas.
Leia mais

Esticando, esticando...



Varig dá cheque sem fundos de R$ 9 milhões à Infraero

Geralda Doca, Erica Ribeiro e Mirelle de França em "O Globo"
BRASÍLIA e RIO. A situação limite a que chegou a Varig — que deu cheque sem fundos à Infraero para pagar tarifas de embarque atrasadas no valor de R$ 9 milhões — levou o governo a bater o martelo sobre a sua participação na operação de salvamento da empresa, via BNDES. No encontro anteontem entre os ministros da Defesa, Waldir Pires, e da Casa Civil, Dilma Rousseff, houve consenso de que a situação da empresa é gravíssima e a solução não pode passar da próxima segunda-feira, quando será realizada a assembléia de credores.
Leia mais

Jairo dos Santos pede obras

Vereador Jairo dos Santos pede realização de obras em várias regiões da cidade, com verba do Orçamento Estadual

O vereador Jairo dos Santos, PT, enviou um ofício ao prefeito Eduardo César solicitando que parte da verba destinada à região e aprovada pela Comissão de Finanças e Orçamentos e pelos parlamentares da Assembléia Legislativa de São Paulo e sancionada pelo Governo do Estado, seja utilizada para a realização de algumas obras consideradas importantes para o município. Entre as prioridades, Jairo dos Santos destaca a ampliação e reforma da Unidade Mista de Saúde da Maranduba; construção da estrada do Araribá; construção da estrada do Camburi; construção da rede de esgoto no Parque Guarani-Umuarama; construção da rede de esgoto no bairro de Picinguaba e abertura de estrada na Praia do Ubatumirim. Estas reivindicações foram também apresentadas pelo vereador Jairo durante a plenária do Orçamento Participativo realizado, em 2005, na Câmara Municipal de Caraguatatuba.
A Comissão de Orçamento e Finanças do Estado de São Paulo realizou, no ano passado, 49 audiências públicas e recebeu mais de 3 mil e oitocentas sugestões para serem incorporadas à Lei Orçamentária do Estado. Para a região do Litoral Norte, ficou estabelecido o montante de 3 milhões e 420 mil reais: 684 mil reais para apoio financeiro para entidades Filantrópicas Municipais do Estado de São Paulo; Um milhão e 26 mil reais para construção, reforma, ampliação, aparelhamento, serviços, referência; 343 mil reais para rodovias vicinais e terminais rodoviários e 368 mil reais para saneamento básico.

Fonte: Assessoria do vereador Jairo dos Santos

Notícias da Associação Comercial

Jantar e show com o piano internacional de Pedrinho Mattar

Show “Um toque especial”

Local: Hotel Wembley Inn
Data: 13/05/06 às 20h00
Comemoração dos 15 anos da Associação dos Aposentados de Ubatuba
Convites: Na sede da Associação dos Aposentados (3832 5898) ou na Associação Comercial de Ubatuba.(3832 1449)


Calendário ACIU- maio

-Curso de velas artesanais na ACIU- de 08 à 11 de maio, das 8h00 às 12h00. (R$10,00)

-Curso Alimente-se bem por R$ 1,00: de 09 de maio à 03 de junho. (vários horários-gratuito)

-Palestra Empreender: 15 de maio às 19h00 (gratuito)

-Palestra: Entendendo custos e despesas: 17 de maio às 19h00 (gratuito)

-Oficina de Vitrine: de 22 à 25 de maio das 18h00 às 22h00.(R$ 10,00)

-Palestra Empreendedorismo: 29 de maio às 19h00. (gratuito)


Obtenha informações na Assessoria de Comunicação da ACIU, falar com Cristiane. (12) 3832 1449 (12) 9706 2924"
Fonte: Cristiane G. Zarpelão - Comunicação - ACIU

EVO & EVA

Ronaldo Dias
Evo deve ser o feminino de Eva e, como tal, sem Morales para continuar no paraíso. No "paraíso" proporcionado pela nossa (nem dele, muito menos do Lulla) Petrobrás. Digo paraíso porque a Bolívia, sem o que Petrobrás proporcionou , não é mais do que o próprio inferno. Castigo deles por terem um masculino da Eva dizendo-se o maioral. Evo é macho man! Colocou o temível exército boliviano (imagine o exército da Bolívia, se o nosso já é sofrível) tomando de assalto as instalações da nossa Petrobrás. Aprenderam a tomar assaltando com os mensaleiros. E o barbudo, que não sabe de nada, no papel de Abel babaca, acha que tem as Chaves do céu. Sonha que tem credenciais para Estadista e se vê (apenas no espelho do seu banheiro) como líder da América Latina. Pode? Só se for da latrina. Da reunião dos três, já se sabe qual é o maior pateta. O Brasil é muito mais, do que esse projetinho político partidário, com vistas a perpetuação no poder (para saquear o Estado), falseado pelo marketeiro fútil, irresponsável e apátrida. Melhor já ir preparando a forca no galho mais alto da primeira macieira. O índio, arrogante e larápio que vá apitar corrida de lhamas nos Andes. E a cobra da história? A cobra? Uma hora dessas, vai fumar!

Somos ricos e generosos...

A Petrobras paga

De Luiz Fernando Rocha e Ramona Ordoñez em O Globo, hoje:
"O presidente Luiz Inácio Lula da Silva garantiu ontem que um eventual reajuste nos preços do gás boliviano vendido ao Brasil será absorvido pela Petrobras, sem chegar ao consumidor. E, ao cogitar a possibilidade de aumento, reafirmou uma disposição de negociar com a Bolívia. Já a estatal brasileira, apesar de afirmar em uma nota que não há divergências entre sua posição e a do governo, avisou que mantém a postura de recusar reajustes, recorrer à Justiça americana contra a Bolívia e suspender investimentos no país vizinho".
Leia mais

Imperador do mundo...

Cena insólita: Chávez patrocina peça bolivariana em Teerã

N'O Estado:
"Agonizante em Paris, o general Rafael Urdaneta, herói da guerra de independência contra Espanha, sonha com sua amada. De repente, Dolores entra no palco, ao som de um tango. Com vestido e chapéu brancos, ela dança para o general. A platéia que lota o Teatro da Universidade Azat solta um murmúrio de espanto. 'É a primeira vez que vejo num teatro no Irã uma mulher dançando', comenta uma espectadora de 26 anos. A encenação do último dia da vida de Urdaneta, um fiel soldado do 'libertador' Simón Bolívar, por estudantes iranianos de espanhol, com patrocínio da Embaixada da Venezuela em Teerã, é mais um marco da vertiginosa aproximação entre os governos de Hugo Chávez e de Mahmoud Ahmadinejad. A mensagem venezuelana, mais até que o tango bailado por Dolores, é música para os ouvidos iranianos, neste momento de acirramento com os EUA, em razão de seu programa nuclear: 'Vemos que o pensamento emancipador de Bolívar, sobre o qual está fundada a República Bolivariana da Venezuela, tinha uma visão futurista, porque até hoje existem povos do mundo submetidos a países de caráter imperial', discursou o embaixador venezuelano em Teerã, Arturo Gallegos, antes da apresentação. Bem adaptado aos costumes locais, Gallegos começou o discurso, traduzido para o farsi, com a expressão 'em nome de Deus, o compassivo e miseriordioso', como sempre fazem os políticos iranianos. Para o iraniano médio, que tem pouca ou nenhuma informação sobre a América Latina, a solidariedade 'bolivariana' estendida pela Venezuela é recebida como uma iniciativa de todo o subcontinente americano, contra o inimigo comum intervencionista do norte."

Reação inexplicável

Reação do governo à Bolívia é inexplicável, diz Ricupero

N'O Estado:
"Para o ex-ministro da Fazenda Rubens Ricupero, ao se apoderar de 51% do capital da Petrobrás na Bolívia, o governo de Evo Morales viola o contrato da estatal brasileira com a estatal boliviana Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos (YPFB) e também acordos internacionais. 'É uma expropriação unilateral, que está vinculada ao contrato. Isso altera de uma maneira fundamental as condições do contrato', explicou Ricupero, em entrevista ao Estado. Antes de ser ministro no governo Itamar Franco, Ricupero chegou a ocupar a chefia do Departamento Brasil-Bolívia no Itamaraty e conhece especificamente o contrato que foi fechado entre a Petrobrás e a YPFB. Ricupero se mostrou indignado com a atitude do governo em relação ao episódio e com a posição da Bolívia com a Petrobrás. 'A reação do governo brasileiro é totalmente inexplicável. A Petrobrás foi para a Bolívia não como uma empresa privada qualquer, mas como agente do governo brasileiro. Posso testemunhar que a Petrobrás sempre teve muita relutância, ela não queria investir na Bolívia. Não tanto por temer o que aconteceu agora. Mas porque o gás natural iria concorrer com o óleo combustível para as indústrias de São Paulo. É até irônico que a Petrobrás seja apontada à execração pública, porque ela foi dentro de um projeto de cooperação entre os dois governos.'"

Manchetes do dia

Sábado, 06/ 05/ 2006

O Globo: “Bolívia: Lula e Petrobras não se entendem sobre alta de gás”
Folha de S.Paulo: “Petrobras pagará alta do gás, diz Lula”
Correio Braziliense: “Lula: Petrobras vai pagar a conta”
O Estado de S.Paulo: “Lula não quer endurecer com Bolívia: 'Melhor ser carinhoso´"

Notícias da Prefeitura

I Rali Ubatuba Pura Aventura
I Copa de Supino Amigos do Tico Sapão

sexta-feira, maio 05, 2006

Sei, sei...



A foto dispensa qualquer comentário.

Sidney Borges

"País do faz-de-conta"

Novo presidente do TSE diz que rotina de desfaçatez e indignidade parece não ter limites

"Perplexos, percebemos, na simples comparação entre o discurso oficial e as notícias jornalísticas, que o Brasil se tornou um país de faz-de-conta", disse. "Faz de conta que não se produziu o maior dos escândalos nacionais, que os culpados nada sabiam - o que lhes daria uma carta de alforria prévia para continuar agindo como se nada de mal tivessem feito. Faz de conta que não foram usadas as mais descaradas falcatruas para desviar milhões de reais, num prejuízo irreversível em país de tantos miseráveis. Faz de conta que tais tipos de abusos não continuam se reproduzindo à plena luz, num desafio cínico à supremacia da lei, cuja observação é tão necessária em momentos conturbados", afirmou o ministro, em seu discurso de posse no TSE.
Leia mais

Secretária da Justiça visita Quilombos

Secretária da Justiça inicia visita aos Quilombos por Caçandoca, em Ubatuba.

A Secretária da Justiça e da Defesa da Cidadania, Eunice Prudente, fará neste mês de maio uma série de visitas aos quilombos do Estado de São Paulo, como parte do processo pioneiro de titulação das áreas reconhecidas. As ações da SJDC para essas áreas também compreendem a regularização fundiárias, visando legitimar a posse, retirada de terceiros que invadiram as áreas, através de ações públicas, reconhecimento e identificação das comunidades e uma política de desenvolvimento humano, resgate cultura e sustentabilidade, além das obras básicas de saneamento e energia elétrica. Em Caçandoca, onde a presença do Estado é atuante, 29 famílias da Fazenda da Caixa e 18 da Cazanga estão no plano de trabalho desenvolvido pelo Itesp, órgão vinculado à Secretária da Justiça. Caçandoca tem 19 famílias reconhecidas desde o ano 2000 e Camburi, outras 39, a partir do ano passado. Segue agenda do mês relativa ao tema:
*Programação sujeita a alterações*

DIA 6 DE MAIO – SÁBADO
CAÇANDOCA/UBATUBA
Visita da Secretária ao Quilombo de Caçandoca Local: Município de Ubatuba
10 horas: Reunião com as lideranças na Sede da Associação.

DIA 10 DE MAIO – QUARTA
Audiência da Secretária com ADC e Fundação Itesp Local: Salão Nobre da SJDC – Horário: 10 às 16 horas
Pauta: Apresentação dos Programas de Desenvolvimento da Fundação Itesp para Comunidades Quilombolas.

DIA 13 DE MAIO – SÁBADO IV APORUNDUVA/ELDORADO
Visita e Audiência com os secretários da Justiça, Cultura, Habitação, Saúde e os procuradores do Estado com as comunidades Quilombolas do Vale do Ribeira.
Local: Eldorado
13 horas: almoço na Caverna do Diabo/Comunidade de André Lopes
14 às 15 horas: Visita às obras da balsa de São Pedro
15 às18horas: Audiência com as lideranças na Comunidade de Ivaporunduva

DIA 20 DE MAIO – SÁBADO QUILOMBO DE JAÓ – ITAPEVA
Chegada à Comunidade: 11horas

Fonte: Assessoria de Imprensa da Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania
Telefone: (11) 3291 2612

“Ora pro nobis”

Ronaldo Dias
Temos uma economia digamos severa e, demasiadamente econômica. Não poderia ser diferente, visto que nosso “mercado” só abre em raras oportunidades durante o ano comercial (temporada, feriados prolongados e, alguns, apenas alguns, inusitados finais de semana). Como então manter a “saúde” dos negócios, custear sua manutenção, poupar para algum investimento, manter os empregos, gerar renda e riquezas? Como sobreviver? Como continuar repartindo o “pão” feito com a mesma quantidade de farinha? As fatias, de tão finas, não sustentam. São migalhas. Na verdade a resposta destas perguntas está em uma equação, (de “n” variáveis”). Com os nossos “dados”, é insolúvel. Estamos cada vez mais dependentes, a Prefeitura (até quando?), do IPTU (apenas do IPTU), pago pelos proprietários, não residentes e, o comércio, de forma geral, dos minguados “carapicuás” (disputadíssimos) trazidos no bolso, dos rarefeitos veranistas. Assim, inertes, todos, aguardamos por ações e soluções. Soluções propostas por um alguém, que com uma super inteligência, com um super plano, tenha uma tempestade de superações, que supere este nosso estado de inércia e, ainda, imaginem, nos salve deste marasmo inebriante. É certo que ninguém fará por nós e, que a solução, está em nós. Em nós? O coro, aguardando pela salvação, canta que a culpa é do Mercado! “Ora por nobis”.

Tiro no pé. De canhão...

Acabou a candidatura Garotinho

O PMDB não é um partido de santos. Confederação de caciques regionais, trata-se de uma legenda que usa o seu tremendo poder congressual para obter cargos e verbas nos governos, quaisquer governos. Com bancadas expressivas na Câmara e no Senado, o PMDB é um partido essencial à chamada governabilidade de um presidente. Mas até entre peemedebistas há limites para a empulhação.
A cúpula do partido considera que o resultado da greve de fome do ex-governador do Rio Anthony Garotinho foi matá-lo politicamente na atual eleição presidencial. Sem consultar o partido, Garotinho tomou a decisão em resposta a acusações de uso de recursos financeiros irregulares na sua pré-campanha. A greve de fome foi reprovada pelos caciques peemedebistas, sejam eles das alas governista ou oposicionista.
leia mais

O gás é deles, a Petrobras é nossa...

Inépcia total ou parcial?

De Miriam Leitão em O Globo, hoje:
"O presidente Lula tem sido inepto durante toda esta crise. Ontem passou dos limites. Aceitou que Hugo Chávez comandasse a cena, solidarizou-se publicamente com o governo da Bolívia e ofereceu ajuda a um governo que rasgou contratos, feriu interesses brasileiros e desrespeitou acordos assinados com o Brasil. Na prática, o Brasil vai pagar à Bolívia por nos causar prejuízo.
A Bolívia é dona do seu subsolo e ninguém quer tirar isso dela, muito menos um país que comemora os 50 anos de uma campanha que transformou o nosso subsolo em nossa propriedade e soberania.
Mas não é isso que está em questão. O ponto é que a Bolívia, num ato hostil, ocupou com tropas as instalações de uma estatal brasileira, quer impor belicamente as condições da negociação e rompeu contratos. E recebe o aplauso, a solidariedade e a promessa de ajuda do governo brasileiro."

Leia mais

Malvado!

Movimento partidário

Novidades no PTB

Redação UV
Falando com exclusividade ao Ubatuba Víbora o presidente do PTB, Tato, disse que o crescimento vertiginoso da legenda faz prenunciar o lançamento de um candidato próprio à prefeitura de Ubatuba. Desde que assumiu o controle do partido, Tato está recebendo adesões diariamente. Hoje o PTB tem mais de quinhentos filiados, o que o qualifica a aspirar vôos maiores do que os realizados até hoje. Perguntado sobre possíveis coligações, Tato disse que isso é possível, mas ao contrário da prática comum em Ubatuba, onde acontecem candidaturas oportunistas que visam apenas ocupar espaço, o PTB é uma realidade, uma força a ser considerada por qualquer postulante ao cargo de prefeito.
Tato também anunciou a chegada de mais um jornal impresso na cidade, o informativo do PTB, que será distribuído a partir da próxima semana.

Querer nem sempre é poder.

Corinthians e torcida dão vexame e River avança

Time de Ademar Braga perdeu por 3 a 1 e o jogo foi encerrado aos 37 minutos do segundo tempo depois que a torcida ameaçou invadir o gramado

Bruno Chazan
SÃO PAULO - Mais uma vez o Corinthians não soube ganhar do River Plate e se classificar para as quartas-de-final da Libertadores. Como em 2003, o time brasileiro foi eliminado pelos argentinos após perder tanto em Buenos Aires como em São Paulo.
Só que o vexame de 2006 foi ainda pior. O Corinthians foi derrotado de virada por 3 a 1 no Pacaembu e o árbitro chileno Carlos Chandía encerrou a partida aos 37 minutos do segundo tempo, quando a torcida, revoltada, quebrou o alambrado do portão principal e entrou em conflito com a polícia.

Leia mais

Notícias da Associação Comercial

Unimed e ACIU trazem para Ubatuba vacinação contra gripe a preço de custo

A Unimed de São José dos Campos em parceria com a Associação Comercial de Ubatuba, iniciou no último dia 20, a Campanha de Vacinação contra a Gripe.
Segundo o gerente da ACIU, Célio Stefani, a campanha é dirigida somente para os clientes da Unimed filiados na ACIU e o valor da vacina é de R$ 25,00. "O custo da vacina é acrescido apenas de impostos, visto que, em outros lugares o valor da vacina pode chegar até R$ 60,00", enfatiza.
Os interessados em tomar a vacina devem ir até a ACIU, que por sua vez, marcará os nomes. Assim que completar 40 pessoas -número mínimo estipulado pela Unimed- será agendada uma data e horário para que a Unimed de São José dos Campos disponibilize uma equipe de enfermagem que fará a aplicação das vacinas na sede da ACIU.
“Esse é mais um dos benefícios que a Associação Comercial de Ubatuba oferece à seus filiados”, diz o presidente da ACIU, Ahmad Khalil Barakat.

Fonte: Cristiane G. Zarpelão - Comunicação ACIU

PT escolhe candidato

Marta e Mercadante disputam candidatura neste domingo

No Valor:
"O senador Aloizio Mercadante e a ex-prefeita de São Paulo Marta Suplicy fazem este domingo a única prévia para governador do PT este ano, sob clima de apreensão entre lideranças do partido. O resultado da disputa é imprevisível, as apostas são de que a vitória se dará por margem muito reduzida, o que deve acirrar os ânimos. (...) Um espaço privilegiado para o derrotado na campanha petista em São Paulo e no Brasil poderá ser uma alternativa para costurar a unidade depois do pleito interno. (...) A disputa envolverá 187 mil filiados petistas, dos quais a previsão é que aproximadamente a metade compareça para votar. Tanto Mercadante quanto Marta estão perdendo no primeiro turno nas pesquisas de intenção de voto para o tucano José Serra e ainda precisam costurar as alianças estaduais. O senador apóia-se no amplo apoio de dirigentes petistas e prefeitos do interior beneficiados com sua atuação no Senado. A ex-prefeita acredita na maciça votação dos filiados da capital, onde está concentrada a maioria dos eleitores, e em sua experiência administrativa. (...) Os defensores de Mercadante sabem que a vitória ainda está longe dos horizontes petistas no Estado. A prioridade, afirmam, é a defesa do governo federal e a campanha no Estado seria um instrumento de ajuda de Lula."

O alvo de Morales: Petrobras

Decreto de Evo foi feito sob medida para atingir Petrobras

Por Nicola Pamplona, n'O Estado:
"Apesar de já ter prometido tratamento diferenciado à Petrobrás, o governo boliviano limitou os aumentos de impostos aos campos operados pela estatal brasileira naquele país. Segundo o decreto supremo publicado na segunda-feira, jazidas com produção diária superior a 100 milhões de pés cúbicos (o equivalente a 3 milhões de metros cúbicos) terão uma taxa extra de 32% sobre o valor da produção, destinada a custear a estatal Yacimientos Petrolíferos Fiscales de Bolivia (YPFB). Nessa lista, enquadram-se apenas os campos de San Alberto e San Antonio, de onde a estatal brasileira retira metade do volume importado pelo Brasil. O primeiro produz cerca de 300 milhões de pés cúbicos por dia e o segundo, 400 milhões - volumes que equivalem a cerca de 8 e 11 milhões de metros cúbicos, respectivamente. O aumento dos impostos sobre os campos operados pela Petrobrás contraria declarações anteriores feitas pelo governo Evo Morales que, ao assumir o governo, prometeu dar atenção especial às negociações com a estatal brasileira em nome das relações entre os dois países. As declarações, segundo críticos da atuação do governo Luiz Inácio Lula da Silva no episódio, levaram a diplomacia brasileira a acreditar que a situação estaria sob controle."

Amorim inocenta Lula

Crise do gás: críticas a Lula são oportunistas, diz Amorim

Por Lisandra Paraguassú, n'O Estado:
"O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, classificou de oportunistas as críticas ao governo Lula pela condução da crise com a Bolívia. Ele defendeu a política externa e afirmou que o problema não foi causado por ações do atual governo. 'São críticas oportunistas. No caso específico da Bolívia, o que está sendo discutido hoje decorre de decisões tomadas há 8, 10, 12, 13 anos. Algumas vão até mais longe', afirmou. 'Então, não é dizer que porque este governo dá prioridade à América do Sul é que surgiu esse problema. Ao contrário, porque este governo dá prioridade à América do Sul é que temos uma boa chance de resolver esse problema.' Amorim repetiu a avaliação feita pelo presidente Lula, no dia anterior, de que o País deveria ter buscado outras alternativas e não ter centrado a importação no gás boliviano, apesar de considerar o uso do gás boliviano bom para o País. 'As alternativas de abastecimento tinham de ter sido pensadas antes', disse. 'Não estou criticando que tenham feito esses acordos, acho bom. Mas os que estão criticando participaram. Esses acordos específicos não foram firmados por este governo.' O chanceler afirmou que o governo tem duas preocupações para resolver com a Bolívia: a garantia do abastecimento de gás e o preço que os bolivianos pretendem cobrar, que seja viável para o Brasil. 'As outras questões são de diálogo, ver como s e faz a transição de contratos. Isso já foi feito com outros países, não acho um problema tão grave.' Sobre o preço dos ativos da Petrobrás nacionalizados pelo governo boliviano, Amorim diz que isso deve ser discutido 'de maneira razoável'."

Manchetes do dia

O Estado de S.Paulo: “Lula não obtém concessões e desautoriza a Petrobrás”
O Globo: “Morales acusa Petrobras de chantagem e Lula cede”
Correio Braziliense: “Brasil se curva a Morales”
Folha de S.Paulo: “Reunião mantém indefinições sobre gás”
Valor: “Custos têm queda recorde nos empréstimos externos”

Notícias da Prefeitura

Reunião esclarece ação do Ibama
Exposição na FUNDAC

quinta-feira, maio 04, 2006

Notícias da Associação Comercial

ACIU promove campanha para o Dia das Mães

A Associação Comercial de Ubatuba visando aquecer as vendas neste mês do Dia das Mães, está apresentando a campanha “Feliz Dia das Mães em Ubatuba”.
A campanha é uma ação promocional da entidade, que conta com o sorteio de 10 kits. Cada kit contém 1 secador de cabelo, um liquidificador e uma cafeteira.
Os comércios participantes podem ser percebidos por faixas, bandeirolas e banners. Os clientes que comprarem nesses locais preencherão um cupom que poderão concorrer ao kit.
Segundo o presidente da ACIU, Ahmad Khalil Barakat, a criação da campanha e a personalização são totalmente focadas na vocação turística da cidade, reforçando a identidade local. “O foco de nossa campanha é incentivar ao máximo o nosso consumidor. O intuito é que nesta data haja um fomento no comércio local, pois ao fazer suas compras em nossa cidade, o consumidor estará gerando renda e empregos e, além disso, estará motivado a isso, pois estará concorrendo à 1 kit, podendo assim, presentear sua mãe, nesta data tão especial”, acredita Ahmad.

Fonte: Cristiane G. Zarpelão - Comunicação ACIU

Reflexões

Enquanto o nosso gás não chega...

Definitivamente o tempo mudou, estamos entrando na época em que Ubatuba apresenta os dias mais bonitos do ano, claros e luminosos, seguidos de noites estreladas e frias. Teoricamente é o melhor período para tirar uns dias de sossego na praia. Desde que comecei a vir para o Litoral Norte, em maio de 1968, o outono sempre foi minha estação preferida, uma espécie de síntese, verão na hora de ir à praia e inverno nas noites, bom para encontrar amigos e tomar vinho. No Brasil nós temos o privilégio de não necessitar de aquecimento nas casas, salvo em poucas cidades do extremo sul, situadas em região serrana. Isso permite uma grande economia de energia, imaginem se cada casa precisasse de calefação, cujos sistemas consomem gás ou diesel, produtos da lavra petroleira e portanto caros. Por falar em gás, vamos ter turbulência pela frente. Evo Morales, que acabou de colocar tropas do exército nas dependências da Petrobras, vai aumentar o preço. Analistas internacionais dizem que há uma defasagem de até 45% nas tarifas que Brasil e Argentina pagam. Por que isso está acontecendo? Estaríamos agindo como imperialistas e tirando o pão da boca dos pobres e famintos vizinhos? É mais ou menos essa a retórica dos bolivianos, de Chávez e de parte do staff governamental, quando não de “Nosso Guia” em pessoa. Afinal de contas, os contratos assinados pelo governo boliviano com a Petrobras aconteceram no período tucano, época em que o paraíso socialista ainda não tinha sido implantado no Brasil, antes do advento da relatividade dialética tupiniquim. Primeiramente é preciso que fique claro que a Bolívia é pobre. Muito pobre. Paupérrima. O Brasil está longe de ser rico, mas perto da Bolívia é uma potência. O Brasil precisava de gás. A Bolívia tinha gás, mas não tinha tecnologia nem dinheiro para explorar e comercializar o produto. Foi feito um acordo entre os países. Acordo de comerciante judeu. Vocês sabem porque os judeus têm sucesso no comércio? Contrariando a fama de enganadores, fama injusta, o sucesso é fruto de negócios bons para os dois lados. Eles ganham dinheiro, o freguês fica satisfeito e volta para fazer mais negócios. A Petrobras agiu assim, entrou com dinheiro tecnologia e garantia de compra do gás a ser extraído. Nunca, em momento algum, a soberania da Bolívia foi ameaçada, decididamente o Brasil não é imperialista. O que foi contratado foi cumprido, pelo menos pela empresa brasileira. Obviamente, ninguém tira bilhões de dólares do bolso para ter prejuízo. A defasagem atual faz parte do negócio. Com o preço mais baixo do que o praticado internacionalmente, a Bolivia amortiza os investimentos em seu território. Tudo ia bem até que o “companheiro” Chávez entrou em cena. O que vai acontecer agora ninguém sabe, Lula corre o risco de sair chamuscado e com o prestígio abalado ao fim do entrevero. A soberania brasileira está em jogo. Nunca, em toda a nossa história, fomos afrontados dessa forma. O Brasil é uma nação pacífica, mas não tolera desaforos, jamais tolerou, nem mesmo da poderosa Inglaterra do século XIX. Está na hora de mandar o senhor Chávez calar a boca. Ele já falou demais e não tem cacife para tanto. É um bufão. Evo Morales, por sua vez, mostrou ser inconseqüente. Ao assustar os investidores internacionais acabou nas mãos do bufão. A conta logo vai chegar.


Sidney Borges

TRÊS RÁPIDOS COMENTÁRIOS !

1. Evo Morales caiu no colo de Chávez. Nenhum país/empresa - durante algum tempo - vai investir na Bolívia. Com exceção de um, que tem dinheiro para isso: Venezuela.

2. A greve de fome do Garotinho - como um gesto desesperado - o desqualificou definitivamente para concorrer à presidência. Um estresse desses sob pressão, mostrou uma faceta que agora todos conhecem: o desequilíbrio.

3. Chávez jogou Lula para fora do tabuleiro sul-americano, usando a Bolívia para isso. Lula sequer foi "chamado para o almoço" em Havana quando se decidia com a Bolívia sobre o Brasil.
Fonte: Ex-blog do César Maia

Arrependimento (?) eficaz

Roberto de Mamede Costa Leite
Manchete do Estadão de 01/05/06, 1ª pág., indicia: "PT SÓ INVESTIGA ESCÂNDALOS APÓS ELEIÇÕES".
Mais uma vez, maracutaiaram.
Com todo respeito que esta horda nos merece, tal significa um tarado, flagrado em pleno início de um estupro, pedir exercer seu arrependimento eficaz só após, neste caso, sua ejaculatória eleição. Há até fotos desta assembléia, onde do alto da mediocridade dos ali presentes e dos grandes ausentes de Brasília, jogam na hipótese de que os eleitores sejam idiotas impenitentes.
É de pasmar.
E agora, o ’hermano’ boliviano de Lulla arromba com nossas finanças, com nossos investimentos feitos sob contratos absolutamente legais, apropriando-se ’manu militari’ de nossos investimentos milionários tirados de magérrimo orçamento.
É uma família cara, esta do sr. Lulla.
A esperança, de momento, é que há um delirante projeto para construção de um gasoduto de custo entre ... 25 e 50 bilhões de dólares.
É proposta de outro ’hermano’, o venezuelano Chaves, elegantíssima figura.
O que dá grande confiabilidade ao conjunto da proposta é que o supra citado ’hermano coronel’ teria, com exclusividade, as chaves das torneiras do projeto e do gás, bem como a imposição do preço do mesmo.
Neste projeto teríamos, também, como sócios os ’hermanos’ argentinos, sócios que cumprem todo contratado no Mercosul, como qualquer criança está careca de saber.
Onde estamos? Que estamos fazendo parados? Para onde vamos??? O único arrependimento eficaz nosso será o repúdio eleitoral destes mensaleiros, que em Santo André e Campinas tomam feição mais sinistra.
Infelizmente, não há como deixar de se solidarizar com as conclusão de Mauro Chaves, em crônica do Estadão de sábado, 29/04/06, quando prenuncia: "Futere Brasília".
r-mamede@uol.com.br

A questão boliviana

"Nunca aceitamos negociar sob uma posição de força, nunca pautamos a política externa por questões ideológicas, nunca fomos frouxos ou mostramos falta de firmeza".
Embaixador Rubens Rícúpero

Esperamos que não seja desta vez que isso vá acontecer, como parece estar acontecendo. O Brasil é maior do que o projeto “natimorto” de liderança continental de Lula. Qual a razão de Chávez, articulador da tunga contra a Petrobras, estar presente na negociação que em princípio interessa apenas a Brasil e Bolívia?

Sidney Borges

Garotinho em greve de fome

Atitude de Garotinho ameaça liberdade de imprensa, diz ANJ

Por Evandro Éboli, n'O Globo:
"O presidente da Associação Nacional de Jornais (ANJ), Nelson Sirotsky, fez duras críticas ontem ao comportamento do ex-governador Anthony Garotinho (PMDB), que desde domingo faz uma greve de fome em protesto contra os meios de comunicação que vem divulgando reportagens com denúncias de irregularidades em sua pré-campanha presidencial e no governo do Estado do Rio, comandado por sua mulher, Rosinha. Sirotsky classificou de demagógica a atitude de Garotinho, que realiza seu protesto na sede regional do PMDB, no Centro do Rio. — Lamento profundamente. Essa não é a postura de um político que é candidato a presidente da República. É uma atitude demagógica. Não contribui em nada. Passa longe da nossa discussão sobre aperfeiçoamento da liberdade de imprensa — afirmou o presidente da ANJ. Para Sirotsky, a greve de fome do ex-governador é uma ameaça à liberdade de imprensa. Segundo o presidente da ANJ, a iniciativa do pré-candidato do PMDB à Presidência é uma forma de manipular a informação e de pressionar os meios de comunicação. — Em vez de greve de fome, Garotinho deveria dar explicações. O que ele está fazendo é um absurdo e um equívoco, é uma ameaça à liberdade de imprensa. Imagina se desse resultado essa pressão que ele está fazendo sobre os meios de comunicação. Seria um desastre, uma ameaça à democracia — afirmou o presidente da ANJ."N'O Estado: "Sirotsky afirmou ontem (...) que a principal fonte de censura à imprensa no País hoje é o Poder Judiciário. 'Nossa preocupação hoje recai nas formas mais sutis, sofisticadas e, portanto, mais insidiosas', afirmou. Sirotsky disse que não há mais censura nos moldes tradicionais: a censura truculenta, que empastelava jornais, própria das ditaduras declaradas. 'Essa censura, essa interferência nos conteúdos da imprensa, tem acontecido de forma geral por ação do Poder Judiciário.' Para ele, são freqüentes as decisões judiciais que impedem a veiculação de informações, opiniões e conteúdos de interesse público. Ele lembrou que as sentenças são tomadas pelas primeiras instâncias do Judiciário, sendo quase sempre reformadas por recursos, exatamente por ferir a Constituição, que proíbe a censura."

Waldomiro, a ponta do iceberg

Waldomiro comparece à delegacia, mas só vai falar em juízo

N'O Estado, por Fabiana Cimieri:
"O ex-subchefe de Assuntos Parlamentares da Casa Civil Waldomiro Diniz se recusou a depor ontem na Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Draco), usando a prerrogativa constitucional que lhe dá direito de só falar em juízo. Waldomiro chegou à delegacia às 11 horas, com atraso de 30 minutos. Ficou mais meia hora na sala do delegado Milton Olivier, que investiga irregularidades na sua gestão como presidente da Loteria Estadual do Rio (Loterj), entre 2001 e 2002. Entrou e saiu rapidamente, sem falar com jornalistas. O inquérito na Draco foi instaurado logo após a divulgação de fita de vídeo em que Waldomiro aparece pedindo propina e contribuição para campanhas eleitorais ao empresário do jogo Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira. A gravação é de 2002, quando Waldomiro presidia a Loterj, mas veio à tona no início do governo Lula. Waldomiro e Cachoeira foram indiciados por corrupção ativa e passiva e fraude na lei de licitações. O ex-assessor do então ministro José Dirceu ainda deve ser indiciado por formação de quadrilha. Também marcado para ontem, o depoimento de Cachoeira não ocorreu. Seu advogado, Jeovah Borges Júnior, disse que pedirá que o empresário seja ouvido por carta precatória, pois mora em Goiás. Uma das testemunhas do inquérito - Jorge Dias, chefe de gabinete do deputado estadual Marcos Abrahão (PSL) - acusou o então deputado federal Carlos Rodrigues (PL-RJ) de também atuar no esquema de corrupção, através da contratação de funcionários fantasmas. Em 2004, Rodrigues tinha foro privilegiado e, por isso, o inquérito foi remetido à Polícia Federal em Brasília. Em setembro do ano passado, ele renunciou para escapar do processo de cassação - foi acusado de envolvimento com o escândalo do mensalão. Com a renúncia, a competência para investigar retorna à polícia do Rio. O ex-deputado está intimado a prestar depoimento no dia 9."

PT: é assim, mas não é bem assim...

Advogados do PT apresentam nova versão sobre empréstimo

Na Folha, por Marta Salomon:
"Em documento encaminhado à Justiça para contestar o pagamento de cerca de R$ 110 milhões cobrados pelo publicitário Marcos Valério Fernandes de Souza, o PT aponta irregularidades nos supostos empréstimos bancários considerados até aqui pelo partido como a origem do dinheiro do caixa dois petista. Ao longo de 13 páginas da contestação à cobrança, os advogados do PT questionam a versão apresentada em conjunto por Marcos Valério e o ex-tesoureiro do partido Delúbio Soares ao afirmar que os supostos empréstimos foram concedidos 'ao arrepio das mais comezinhas regras bancárias' — como, aliás, já haviam concluído as investigações da CPI dos Correios e do Ministério Público. Desde que o escândalo do mensalão veio a público, em junho de 2005, após denúncia do então deputado Roberto Jeferson (PTB-RJ) em entrevista concedida à Folha, o PT se nega a assumir que deva às empresas do publicitário. Mas, até aqui, o partido não havia contestado que as operações das empresas de Valério com os bancos BMG e Rural fossem a fonte de recursos repassados a petistas e aliados políticos do governo. Taticamente, o PT endossou a versão de Delúbio e Valério sobre a origem de dinheiro. Mas na hora de contestar a cobrança, o partido mudou o discurso. (...) Confrontado com a contradição, o presidente do PT, Ricardo Berzoini, alegou que os advogados do partido tem 'ampla liberdade' para argumentar no processo de cobrança. 'Temos de separar o que é lide judicial do que é pensamento político', disse o deputado."

“QUALIDADE DAS CONSTRUÇÕES ESCOLARES”

Corsino Aliste Mezquita
A matéria publicada pela Prefeitura Municipal de Ubatuba sob o título: “PREFEITURA IRÁ PROCESSAR EX-SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO” (Ubatuba Víbora, Guaruçá e Litoral Virtual l8-04-06 e “A Cidade” 22-04-06 pag. 03) merece alguns esclarecimentos.

AMONTOADO DE FALÁCIAS

Quem conheça o nível técnico, para avaliar obras, das pessoas que lá se manifestaram, constata que aquela matéria é um amontoado de contradições, calúnias, ameaças infundadas e opiniões de quem não tem autoridade e conhecimentos técnicos para avaliar qualidade de obras e ciência jurídica e administrativa para julgar. Atribuir responsabilidades pela qualidade técnica de construções, ao Ex-Secretário de Educação, indica ignorância da estrutura administrativa da Prefeitura e das exigências do convênio PAC com o Governo do Estado. Consta no convênio PAC que, a Prefeitura, nomeará um engenheiro ou arquiteto como responsável técnico pelas obras conveniadas. Por sua vez o Estado tomará idêntica providência. Disparando as baterias contra o Ex-Secretário está atingindo outras pessoas que, como nós, não merecem esses insultos. São merecedoras e dignas de todo respeito.

ATITUDE INCORRETA E NOCIVA AO MUNICÍPIO

O teor das declarações do Sr. Marcelo dos Santos Mourão, na Rádio Bandeirantes, de São José dos Campos, e da Sra Patrícia Gomes Velloso Pereira, na matéria acima citada, é irresponsável, contraria interesses do município, denigre e coloca sob suspeita todos os funcionários da Secretaria de Estado da Educação, da Fundação para o Desenvolvimento da Educação –FDE- e de todas as repartições da Prefeitura e do Estado que participaram do processo. Colocar sob suspeita técnicos da qualidade, honestidade, seriedade e exigências do Eng. Manuel Loureiro, do FDE, que fiscalizou o nosso município, do ano 2000 a outubro de 2004, é atrevimento que não pode ser tolerado. Diatribes dirigidas ao Ex-Secretário atingiram, em cheio, pessoas honestas, competentes, amantes do município de Ubatuba e que com ele muito colaboraram. Essa virulência costuma ter conseqüências. Tudo de negativo que é publicado nos municípios, sobre o Governo do Estado, costuma chegar, em mala direta, aos interessados.

TABELA DO FDE

Afirma a Sra. Patrícia: “As obras realizadas na Educação durante a atual gestão respeitam a tabela de preços da FDE e passam por supervisões mensais”. Tivesse conhecimento dessa tabela e dos procedimentos de fiscalização do FDE não poderia afirmar isso sem desafiar a inteligência dos leitores a compararem o m² construído, de área coberta de escola, custando, aproximadamente, R$ 500,00 (quinhentos reais), na tabela da FDE, com os mais de R$ 1.100,00 constantes das placas do Horto-Figueira e do Bairro do Ipiranguinha. Algo está errado no pedaço.

ÓTIMA QUALIDADE DAS OBRAS DOS EXERCÍCIOS 2001 – 2004

Para provar a qualidade das obras construídas, na administração anterior, contarei um fato que surpreendeu todos os que ouvimos o depoimento. Nos últimos dias de 2004, como era nosso hábito, comparecemos à Secretaria de Estado da Educação para agradecer aqueles que com o município e conosco tinham colaborado e apresentar nossas despedidas. Uma alta funcionária da Secretaria nos disse: “Parabéns Secretário pela beleza de escolas que construiu e qualidade dos acabamentos. Visitei todas do convênio PAC e admirei o pé direto, as janelas de alumínio, o piso cerâmico e os espaços amplos e arejados. Ubatuba foi um dos melhores municípios, do Estado de São Paulo, na administração da Secretaria Municipal de Educação, nestes quatro anos”. Nunca poderia pensar que aquela autoridade viesse, em viagem particular, conferir o que estávamos fazendo em Ubatuba.
A esse testemunho podemos acrescentar o dos professores ou diretores que tanto durante o período 2001 –2004, como agora, não paravam de elogiar o que foi feito e a qualidade dos serviços. Caso a Sra. Patrícia comece a ouvir seus colegas de magistério, certamente, parará de falar tantas tolices e preocupar-se-á com seus colegas e em restaurar o ambiente de paz, concórdia, harmonia, respeito às diferenças, às crenças e à ideologia de cada um. Apesar do medo às perseguições muitos elogiam o que acontecia e lamentam o ambiente perdido.

Infra-estrutura

Saneamento já!

No último dia 2, o vereador Charles Medeiros PSB entregou ao Secretario Chefe da Casa Civil, Dr. Rubens Lara, Oficio Nº 160/06 acompanhado de abaixo-assinado dos moradores de Ubatuba, solicitando a retomada urgente das obras de saneamento básico no Município, aproveitando a oportunidade Medeiros solicitou o agendamento de audiência com o Exmo. Governador Dr. Cláudio Lembo, para que autoridades de Ubatuba possam reforçar o pedido da retomada das obras de saneamento.
Saneamento básico e sinônimo de Qualidade de vida, “não podemos falar de turismo de qualidade, com esgoto sendo jogado em nossos rios” afirma Charles Medeiros.

Fonte: Assessoria Charles Medeiros

Manchetes do dia

O Globo: “Petrobras rejeita alta de gás e pára investimentos na Bolívia”
O Estado de S.Paulo: “Petrobras recusa aumento e suspende planos na Bolívia”
Correio Braziliense: “Petrobras dá o troco à Bolívia”
Valor: “Lula encontra Morales e tenta conter preço do gás”
Folha de S.Paulo: “Petrobras desiste de investir na Bolívia"

Notícias da Prefeitura

Programa cicloviário
“6ª Festa do Trabalhador”
Ubatuba Surf Challenge 2006

quarta-feira, maio 03, 2006

O amigo do Lula aprontou...

Evo Morales que se f...

A pataquada esquerdo-nacionalista de Evo Morales poderá se transformar em um problema sério para o “Nosso Guia”, com respingos no projeto de reeleição. A Petrobras, que não é do PT, investiu bilhões de dólares no país “amigo”. Nossos técnicos estão lá trabalhando, produzindo gás para exportar e toda a gasolina que eles consomem. Os contratos estabelecidos entre o governo boliviano e a Petrobras, não podem ser jogados no lixo sem mais nem menos. O governo brasileiro não deve titubear e nem seus integrantes aplaudir a expropriação de bens que não são dele, não pertencem a nenhum governo e sim ao povo brasileiro. A Doença Infantil, do "Esquerdismo" no Comunismo foi escrito por Lênin em abril de 1920. Há muito desse mal assolando nosso país, esquerdismo demais gera estupidez. Tungaram o que é nosso. Nós, que não fazemos isso com os outros, não podemos calar. Está na hora de parar de dar importância a malucos como o tal de Chávez, que só existe em função dos dólares pagos pelos americanos, os maiores compradores do petróleo venezuelano. Como eu disse, Lula ainda não entendeu direito o que seus amigos aprontaram. Foi maquinação de Chávez e Fidel, Lula entrou de gaiato, não desconfiou de nada. Você já viu esse filme? Ele nunca sabe de nada.

Sidney Borges

Tragédia em Ibiúna

Em nome do amor

Começou hoje em Ibiúna o julgamento do jornalista Pimenta Neves, que matou a também jornalista Sandra Gomide no dia 20 de agosto de 2000. O motivo, segundo ele, foi traição dupla, pessoal e profissional. O fenômeno que acometeu o jornalista não é incomum entre homens poderosos de meia-idade. Acostumados a comandar, exercem fascínio sobre as mulheres, volta e meia acontece de um deles se apaixonar por uma jovem, paixão geralmente correspondida. Pelo menos durante a fase de encantamento. Segundo dizem os psicólogos, paixões desenvolvidas no ocaso da existência costumam ser tão intensas quanto às da adolescência. Ao se ver rejeitado o velho jornalista perdeu a cabeça e provavelmente estragou o pouco que lhe resta de hospedagem neste planeta esquisito. Cabe à Justiça julgar o que podemos classificar de tragédia. A jovem morreu, deixou de existir, o amante rejeitado também morreu de certa forma, está definitivamente marginalizado, nunca será aceito sem reservas onde quer que vá. Eis um exemplo de situação em que só houve perdedores. Tudo em nome do amor.

Sidney Borges

Bronca

Ciclofaixa

Boa tarde, venho mostrar minha indignação e de muitos moradores dessa cidade.
Sou ciclista, mais o nosso prefeito e sua turma estão achando que nosso dinheiro é capim.
Poe olho de gato, tira olho de gato.
Pinta faixa, tira faixa, passa uma cor, passa outra cor.
E as inaugurações, de que? Praça? ciclofaixa?
Onde que nem itinerário tem.
É de tamanha necessidade, que ele publique onde estará a faixa?
Pois todo dia muda de rua e os gastos vão aumentando e nosso dinheiro está sendo tratado como capim.
Vê se vc não concorda comigo, hoje ela está no começo da thomaz, ontem era a rua dos nazarenos...I sso já virou palaçada não seria melhor ele fazer um projeto?

Ellen
tininhaecg@hotmail.com

Quem sai pelo PT em São Paulo?

Prévia: 80 mil devem escolher entre Mercadante e Marta

Por Ana Paula Scinocca, n'O Estado:
"A quatro dias da prévia que vai definir o candidato do PT ao Palácio dos Bandeirantes, a ex-prefeita Marta Suplicy e o líder do governo no Senado, Aloizio Mercadante, apertam o passo em busca dos votos dos 192 mil petistas credenciados para a escolha. A expectativa do partido é que entre 80 mil e 85 mil filiados, pelo menos, compareçam no domingo a um dos 661 locais de votação no Estado de São Paulo - o único a ter prévias neste ano. Para a escolha do nome que vai representar o partido na corrida pelo governo paulista, estão habilitados todos os filiados do PT no Estado, inclusive os que não estão em dia com a mensalidade. 'Decidimos não exigir que o filiado apresente o recibo (de pagamento da anuidade). Foi um critério com que todos concordaram', afirmou ontem o presidente do PT estadual, Paulo Frateschi. A expectativa de comparecimento no domingo leva em consideração o número de filiados que foram às urnas em setembro do ano passado no Processo de Eleição Direta (PED), realizado para a renovação da direção nacional do partido. Em São Paulo, 71,5 mil petistas votaram. (...) Depois de a temperatura da disputa entre as duas pré-candidaturas ter esquentado, no mês passado, ganhando até ares de guerrilha e suspeitas de fraude, conforme noticiou o Estado, o clima às vésperas da prévia está mais ameno. 'Pedi que os dois grupos evitassem tensionamento', comentou Frateschi."

Voam penas no ninho...

Divergências internas marcam início de campanha tucana

Por Catia Seabra, na Folha:
"Um violento choque na área de comunicação trouxe à tona uma disputa no comando da campanha do tucano Geraldo Alckmin à Presidência da República: a de São Paulo versus Brasília. Contrariado com a contratação do sociólogo Antônio Lavareda para análise de pesquisas de opinião sobre o desempenho do candidato, o jornalista Luiz Gonzalez —cotado para assumir a comunicação da campanha — reclama da tentativa da cúpula do PSDB de interferir em seu trabalho. (...) No partido, Lavareda é associado ao presidente nacional do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), e ao PFL. (...) Ontem, Alckmin procurou minimizar a importância do confronto entre os marqueteiros. 'A campanha começa em agosto. Isso é bobagem', afirmou. A queda-de-braço também é visível na montagem da equipe de elaboração do programa de governo do candidato. Atendendo a recomendação do presidente do PFL, senador Jorge Bornhausen (SC), Tasso indicou o economista Samuel Pessoa para a equipe. No partido, a escolha foi recebida como uma sinalização de que o programa do partido poderia sugerir continuidade da atual política econômica. Dias depois, foi anunciada a indicação de Antonio Márcio Buainaim para a coordenação-executiva do programa, a convite do ex-secretário João Carlos Meirelles. Como era saído da Unicamp, seu nome poderia representar um equilíbrio de forças na equipe. 'O resultado pode ter sido esse. Mas o convidei para ajudar na consolidação das propostas', afirmou Meirelles. (...) Os tucanos de São Paulo também manifestam desconforto com a concentração de poder nas mãos de Tasso. Mas o senador tem o respaldo do candidato: 'Tasso é um craque', disse Alckmin, ontem à noite, em São Paulo."

Direito de resposta

Garotinho vai à Justiça contra Globo por direito de resposta

Na Folha, por Ítalo Nogueira:
"O ex-governador Anthony Garotinho disse que entrará hoje com 'notificação prévia, acompanhada de ampla documentação, exigindo direito de resposta' das Organizações Globo. O pré-candidato à Presidência, que leu nota no início da noite de ontem, afirmou que só quando conseguir o direito de resposta interromperá a greve de fome que começou às 17h15 de domingo, na sede do PMDB. Mais cedo, Garotinho recebeu oito jornalistas estrangeiros na sala em que faz a greve. De acordo com relatos dos repórteres, ele mostrou uma pasta que conteria documentos capazes de comprovar sua inocência em relação às suspeitas que pairam sobre as doações à sua pré-campanha. No entanto, ele se recusou a entregar os papéis, dizendo que os repassaria depois. 'Ele parece estar bem de saúde. E parece também que tem um plano', afirmou Shawn Blore, do jornal The Globe and Mail, do Canadá. Garotinho teria dito que vai 'até o fim' e estaria disposto a morrer para 'salvar sua honra', caso as condições que ele impõe para o fim da greve de fome não sejam atendidas: instituição de uma 'supervisão internacional no processo político-eleitoral brasileiro' e direito de resposta em publicações brasileiras.'"

Confusão bolivariana

Evo Morales sem eufemismos

Por Rui Nogueira
Diante do pandemônio político e informativo criado pelo presidente boliviano, Evo Morales, vale a pena clarear alguns pontos. Botar os pingos nos is em conceitos e fatos que estão ganhando contornos nebulosos com o intuito de dourar a pílula. A saber:

1. Invadiu: Evo Morales não mandou ocupar coisa nenhuma. Tomar um espaço livre é que é ocupar. O governo boliviano mandou o Exército boliviano invadir. A Petrobras e as demais empresas investidoras em petróleo e gás foram in-va-di-das.

2. “Negociação”: O governo Morales não negociou coisa nenhuma com ninguém. Desde o início, o presidente da Bolívia e seus ministros fizeram de conta que estavam querendo renegociar contratos existentes. Nesse faz-de-conta foram ajudados pelo saçarico diletante do presidente Lula e seus ministros, dizendo o tempo todo que as conversas com Morales estavam indo bem, que os “povos irmãos” da Bolívia e do Brasil caminhavam para o entendimento. Morales fazia de conta que negociava enquanto preparava a invasão das refinarias e dos campos de gás e petróleo. Na semana passada, por exemplo, argentinos e bolivianos se reuniram para “renegociar” os preços do contrato que vence no fim deste ano. Alguém fez alguém de bobo!

3. Nacionalização: O decreto de Evo Morales não nacionalizou coisíssima nenhuma. Com Morales ou sem Morales, com Lula ou sem Lula, com Chávez ou sem Chávez, os recursos naturais estavam tão nacionalizados na Bolívia quanto estão no Brasil, Venezuela, Argentina, Chile, França, Alemanha ou EUA. A Constituição desses países diz que os recursos naturais são do Estado, são nacionais. Estão nacionalizados. Dizem as Constituições, também, que o Estado, por meio de concessões legais, autoriza a exploração desses bens. Quando o governo boliviano falava em “nacionalização”, era evidente que estava a desviar o foco da discussão. Nunca foi isso que esteve em discussão.

4. Estatizar e expropriar: Falar em nacionalização era conversa mole. O que o governo Morales fez foi estatizar os campos de petróleo e gás e expropriar os investimentos. O decreto do presidente boliviano não diz nem como nem quando é que o governo dele vai indenizar as empresas pela parte abocanhada. Afinal, como é que a Bolívia vai indenizar uma empresa que responde por cerca de 15% do PIB do país?!

5. Confisco: O governo Morales mentiu ao fazer de conta que estava a renegociar contratos e mentiu ao dizer que a “política de nacionalização” seria tratada em um decreto que, na prática, não faria mais do que regulamentar a nova Lei dos Hidrocarbonetos aprovada ainda no governo de Carlos Mesa, antecessor de Morales. Essa lei, que aumentou o imposto sobre o gás e petróleo de 18% para 50%, teve o apoio do Movimento ao Socialismo (MAS), de Morales. Agora, com o decreto da estatização e expropriação, Morales elevou o imposto de 50% para 82%. Em qualquer lugar do mundo, isso tem nome: con-fis-co.

6. Arranca-rabo: Em qualquer lugar do mundo que se relaciona de maneira minimamente civilizada, uma medida de estatização-expropriação como a que foi adotada pelo governo boliviano de Morales seria precedida de um contato soberano e diplomático para um aviso prévio aos países com quem o país se relaciona economicamente. No caso brasileiro, Morales não só escondeu a medida como fez questão de anunciá-la durante visita a um campo de gás explorado pela Petrobras, em San Alberto, no departamento de Tarija. As relações presidenciais sul-americanas viraram um arranca-rabo que nem diplomático é. A diplomacia presidencial de palanque, praticada por Luiz Inácio Lula da Silva e seus "ministros", corrompeu o que de melhor o Estado brasileiro tem, a tradição profissional no trato das relações externas.

7. Eles sabiam: Lula e Néstor Kirchner foram surpreendidos, mas Hugo Chávez e Fidel Castro sabiam bem o que o companheiro Morales estavam aprontando. Alguém duvida?

8. As “certezas” de Gabrielli: Sem vergonha do ridículo, o presidente da Petrobras, Sérgio Gabrielli, garantiu a Lula que não há risco de desabastecimento do gás boliviano para o Brasil. Por que Gabrielli garante isso? Porque o decreto de estatização dos hidrocarbonetos e de expropriação dos investimentos estrangeiros na Bolívia não prevê a interrupção no fornecimento de gás. Foi a explicação dada no Planalto. Ora, por que o sr. Gabrielli tem tanta certeza disso se a Petrobras tem um contrato com a Bolívia até 2019, que foi simplesmente rasgado por Morales? Mais: a Bolívia pode não interromper o fornecimento, mas a questão é saber a que preço é que esse gás será exportado e chegará às empresas brasileiras. Também não estava previsto em nenhum documento que a Bolívia ocuparia com soldados as instalações da Petrobras, mas ocupou! Mais: o governo Lula mandou dizer, nesta terça, que o sobrepreço mais do que certo não será posto na conta do consumidor. Não?! Então quem vai pagar a conta?! É promessa ao estilo do velho populismo de todas as cores ideológicas, pois em algum lugar a conta do subsídio terá de ser espetada.

9. Líder da desintegração: O Lula líder da integração latino-americana virou piada. Se o presidente brasileiro é hoje líder de alguma coisa, então é líder inconteste da desintegração latina.

10. Piadas inevitáveis: Não resisto em reproduzir as duas piadas postas a circular em Brasília, nesta terça, sobre a relação Lula-Morales-Brasil-Bolívia:
1) é o que dá levar a sério o irmão mais novo que se mete com “drogas”;
2) é o que dá querer diversificar a pauta de exportações; enquanto só exportou coca, a Bolívia nunca faltou nem com o produto nem com os prazos. Em tempos politicamente corretos, faço questão de lembrar: são piadas.

Manchetes do dia

O Globo: “Lula reconhece direito de Bolívia nacionalizar o gás”
O Estado de S.Paulo: “Bolívia garante fornecimento, mas gás deve subir até 15%”
Folha de S.Paulo: “Brasil e Bolívia negociarão preço do gás”
Correio Braziliense: “O gás é deles. O prejuízo é nosso”

Notícias da Prefeitura

Ubatuba inaugura ciclofaixas
Transporte escolar

terça-feira, maio 02, 2006

Picasso e Lump

O que o eleitor quer?

Sucessão: o que pensam os institutos de pesquisa

Bob Fernandes
Eles vasculham, há décadas, os subterrâneos, a alma, os humores e instintos da população brasileira. Em especial nos tempos de eleições. Através de pesquisas eleitorais clássicas, ou nas mais fechadas, as qualitativas, conhecidas como "Qualis", eles buscam captar - antes de todos, de preferência antes ainda dos concorrentes, esse é o segredo do negócio - para onde se move, pode vir a se mover, o sentimento popular. O que quer, quem, o eleitor quer? Quem ele rejeita? Em que canoa ele vai terminar por embarcar?

Leia mais

Personagens

Te pegaram Serra...

Tiremos o chapéu. Há um gênio no Planalto. Só alguém ungido pelos deuses poderia unir o carisma de Aldo Rebelo e a credibilidade de Orestes Quércia.
Desista enquanto é tempo Serra, teu tempo acabou...

Sidney Borges

Mineirices

Historinha mineira

Sapassado era sessetembro, taveu na cuzinha tomando uma pincumel e cuzinhando um kidicarne com mastumate pra fazer uma macarronada com galinha assada.

Quascaí de susto, quando ouvi um barui vindo de dendoforno, parecendo um tidiguerra.
A receita mandopô midipipoca dentro da galinha prassá. O forno isquentô, o mistorô e o zóio da galinha isprudiu!
Nossinhora!
Fiquei branco quinein um lidileiti. Foi um trem doidimais! Quascaí dendapia! Fiquei sensabê doncovim, proncovô, oncotô. Oiprocevê quilocura!

Grazadeus ninguém semaxucô!
Circulando na Internet

Reflexão

PSDB mede força de Lula

A notícia com o título acima saiu na Folha de hoje, da lavra de Catia Seabra.
"O PSDB encomendou uma bateria de pesquisas qualitativas e quantitativa não só para avaliar o perfil de seu pré-candidato à Presidência, Geraldo Alckmin, mas também para analisar a origem do sucesso do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, candidato à reeleição.
Os institutos foram a campo na semana passada.
Segundo tucanos, a pesquisa quantitativa, a cargo do instituto Ibope, teria registrado um pequeno crescimento de Lula. A qualitativa, sob responsabilidade do Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe), reúne cem perguntas, incluindo as questões sobre a imagem do presidente. Até amanhã a análise será apresentada ao comando do partido pelo sociólogo Antônio Lavareda. A partir dela deverá ser traçada a estratégia de campanha de Alckmin."

Para alguém familiarizado com campanhas políticas não há nada de novo no front. As pesquisas sempre municiaram os estrategistas, sem elas é dar tiro no escuro.
O que está começando a pesar é a campanha subliminar que a mídia petista faz contra a candidatura tucana de Geraldo Alckmin. Para quem não sabe as redações são compostas majoritariamente por petistas. Se bem que essa campanha só cola na parcela mínima que lê jornais. De qualquer forma ainda é cedo para prognósticos, as turbinas estão em fase de aquecimento, a corrida para a decolagem vai demorar.
O que se nota é que o estilo comedido de Alckmin poderá encontrar forte resistência. O povo gosta de políticos expansivos, falastrões, falaciosos. O povo gosta de ser enganado. Nesse quesito Lula é imbatível. Além de ser carismático por natureza, dispõe da máquina governamental como apoio e da mídia na cobertura.
O meu amigo Gonzáles, que Ulisses Guimarães chamava de Hernandez, estrategista da campanha tucana terá um osso duro de roer pela frente. Vender um candidato sério e comedido ao estado de São Paulo é tarefa exeqüível, já vender o mesmo candidato aos grotões nordestinos, que esperam milagres do “Padim Çiço”, é mais complicado.
Se a candidatura de Geraldo Alckmin não decolar o PMDB voltará ao poder com força total, força que jamais teve, Lula será um mero êmulo da rainha da Inglaterra. O poder estará nas mãos do partido mais fisiológico de todos os tempos, encastelado no comando desde o descobrimento. Deu nisso que estamos acostumados, enquanto o mundo prospera andamos para trás, apesar de Lula afirmar que nunca houve no universo governo tão perfeito. Tem gente que acredita. Força aí Gonzáles.

Sidney Borges

Opinião

Suplicy na forca

Comentário da cientista política Lucia Hippolito na CBN:
"Mais um emocionante capítulo da guerra paulista vai se construindo, com motivações e repercussões nacionais.
Nas eleições de 2004, Lula jogou todas as suas fichas na reeleição de Marta Suplicy. São Paulo foi transformado pelo PT e pelo governo Lula na “mãe de todas as batalhas”.
Para enfrentar esse rolo compressor, o PSDB apresentou um de seus melhores quadros. E o resto é história. José Serra deu uma surra em Marta, e a derrota em São Paulo dói nos petistas até hoje.
Nessas eleições de 2006 o quadro é semelhante: apenas a disputa se transferiu para o governo estadual. Até os candidatos podem ser os mesmos: pelo PSDB, José Serra. No PT, disputam a vaga Marta Suplicy e Aloísio Mercadante, sendo que o presidente Lula parece preferir o senador Mercadante.
Mas as pesquisas estão dando uma vitória espetacular de Serra já no primeiro turno, independentemente do adversário.
É aí que o bicho pode pegar. O presidente Lula, que precisa desesperadamente da aliança com o PMDB para tentar se reeleger, se possível no primeiro turno, inventou agora a candidatura do deputado Aldo Rebelo ao governo de São Paulo. Lula ficaria com dois palanques no estado, um do PT e outro do PCdoB, e jogaria tudo para tentar levar a eleição paulista para o segundo turno.
Acontece que esta é uma operação delicada, porque passa por uma aliança entre Aldo Rebelo e... Orestes Quércia! Isto mesmo. Quando a gente pensa que já viu tudo, aparece esta possibilidade de aliança inteiramente esdrúxula.
Aldo seria o candidato ao governo, e Quércia ao Senado, apoiado pelo governo Lula. OK. Falta combinar com o eleitorado.
Mas falta, sobretudo, combinar com o senador Eduardo Suplicy. Em 2006, só haverá eleição para uma vaga de senador.
E o mandato que termina é o de Suplicy. Em outros tempos, seria duro encontrar alguém que se dispusesse a uma derrota certa, pois a eleição de Eduardo Suplicy sempre foi considerada uma barbada.
O senador Suplicy foi um dos poucos petistas que não saiu chamuscado pela crise do mensalão. Mas, talvez por isso, parece ter desagradado profundamente o presidente Lula e as principais lideranças do PT.
Assim, um político de boa reputação como Suplicy, petista histórico, fundador do partido e um de seus militantes mais ativos, pode ser atirado ao mar em favor de uma aliança entre o PT, o PCdoB e o PMDB de Orestes Quércia.
Não é por nada não, mas é muito estranho este modo petista de fazer política sacrificando um de seus melhores nomes."

Grupo Setorial de História e Geografia da FUNDART

EDITAL DE CONVOCAÇÃO

O Grupo Setorial de História e Geografia da FUNDART - Fundação de Arte e Cultura de Ubatuba, através do seu coordenador, convoca os senhores integrantes do Grupo e as pessoas interessadas para a Reunião Ordinária a ser realizada no dia 04 de maio de 2006, das 18:30 às 20 horas, na sede administrativa da Fundart, à rua Felix Guisard Filho, 06 – Centro com a seguinte pauta - Tomada de posição do Grupo Setorial em relação à Diretoria Executiva.

Ubatuba 02 de maio de 2006

Carlos Augusto Rizzo
Coordenador

PTB de Ubatuba na Internet

Estamos passando para a nossa 2ª fase de testes de nosso blogspot, no endereço "www.ubatubaemnoticia.blogspot.com" com notícias do PTB, de seu Diretório Municipal e seus filiados.
Prestigiem, acessem e mandem suas opiniões, críticas ou elogios, eles são muito importantes para aprimorarmos nosso endereço eletrônico.


Marcio Barbosa Gonçalves
Secretario Geral do Diretório Municipal do PTB de Ubatuba - SP
(12) 3832-3419 / 9148-6114.
marcio_ptb@yahoo.com.br

Garotinho diet

Perguntas que Garotinho ainda não conseguiu responder

N'O Globo de sexta-feira
O jornal enumera as questões divulgadas pela mídia e anda não esclarecidas pelo pré-candidato do PMDB à Presidência Anthony Garotinho:

1) Por que o governo do Rio contratou com dinheiro público três organizações não-governamentais (ONGs) que têm como dirigentes e integrantes os sócios de empresas que fizeram doações de R$ 650 mil para a pré-campanha de Garotinho?


2) Garotinho disse que devolverá as doações que segundo ele foram legais. Mas em nome de quem ele fará a devolução do dinheiro se as empresas doadoras estão sob investigação de inquérito na Polícia Federal e têm sedes de fachada com sócios supostamente usados como laranja?

3) Por que a Fundação Escola de Serviço Público (FESP) dispensou licitação, em 90% dos contratos, ao fechar contratos com 12 ONGs para prestar serviços ao estado?

4) Por que uma dessas ONGs — o Centro Brasileiro de Defesa dos Direitos da Cidadania (CBDDC), dirigido pelo presidente do PMDB de Petrópolis, Carlos Alberto Lopes — recebeu R$ 105 milhões para elaborar um diagnóstico sobre o setor de saúde, se não tem notório saber sobre o assunto?

5) Por que o CBDDC recebeu essa verba, se já havia sido condenada a devolver recursos por serviços não prestados à Fundação para a Infância e Adolescência (FIA), na gestão de Garotinho?

6) Por que a Construfert, que arrendou o jatinho do Comendador Arcanjo (preso por formação de quadrilha e lavagem de dinheiro entre outros crimes) usado por Garotinho, não consta na prestação de contas divulgada pelo candidato?

Dinheiro lavado no templo do consumo

Daslu é alvo de novas denúncias por lavagem de dinheiro

No Correio Braziliense, por Gilberto Nascimento:
"Está no Ministério Público Federal denúncia contra a proprietária da loja de artigos de luxo, Eliana Tranchesi , e o marqueteiro Nizan Guanaes, investigados por envio de recursos a paraísos fiscais. Templo do luxo e do consumo, a badalada Daslu (...) é acusada de crimes de formação de quadrilha, fraude em importações e falsidade ideológica. Em processo na 2ª Vara Criminal de Guarulhos (SP), a butique responde ainda por crime contra a ordem tributária e possível sonegação fiscal. A proprietária, Eliana Tranchesi, pode ser condenada a 21 anos de cadeia, a soma das penas mínimas pelos crimes já apontados. Agora, surgem novas e graves acusações de lavagem de dinheiro. O deputado estadual Renato Simões, do PT de São Paulo, encaminhou uma farta documentação ao Ministério Público Federal, na qual enumera vultosas transferências financeiras para o exterior que teriam sido feitas pela loja, entre 1997 e 2003. (...) Há registros do envio de R$ 15,024 milhões, pela butique, para conhecidos paraísos fiscais, como Bahamas e Uruguai. Embora sem vínculos oficiais com a Daslu, o publicitário baiano Nizan Guanaes (...) aparece na documentação do deputado petista como responsável pela transferência de R$ 23,2 milhões para duas das contas que também seriam utilizadas pela Daslu. Nizan, dono da agência Africa, é casado com Donata Meireles, diretora da sofisticada loja e tida como uma espécie de braço-direito de Eliana Tranchesi."

Saia justa para tucano

'Comendador' diz ter colaborado para caixa 2 de Antero

Por Hudson Corrêa, na Folha:
"O ex-policial civil João Arcanjo Ribeiro, 55, condenado a 37 anos de prisão por comandar o crime organizado em Mato Grosso, afirmou ontem à Folha que o senador Antero Paes de Barros (PSDB-MT) foi à sua fazenda em Cuiabá, em 2002, pedir dinheiro para a campanha eleitoral. Conhecido como "comendador", Arcanjo disse que não tratou de valores: encaminhou o senador ao seu ex-gerente de factoring Nilson Roberto Teixeira. O ex-policial não soube dizer se foi repassado dinheiro ao tucano. Em depoimento à Justiça em 2002, Luiz Alberto Dondo Gonçalves, ex-contador de Arcanjo, disse que a empresa Confiança Factoring liberou R$ 5,7 milhões para bancar a campanha de Antero por meio do Grupo Gazeta. A operação teria sido um caixa dois. O senador tucano, que presidiu a CPI do Banestado, nega a acusação. A PF (Polícia Federal) abriu inquérito para apurar o suposto caixa do PSDB em Mato Grosso nas eleições de 1998 e 2002. Nesse último ano, Antero disputou e perdeu o governo do Estado.(...) O senador Antero Paes de Barros (PSDB-MT) negou que tenha pedido dinheiro emprestado a João Arcanjo Ribeiro para sua campanha eleitoral de 2002. Admitiu, porém, que esteve na fazenda de Arcanjo para conhecer um projeto de piscicultura, mas isso em 1999. 'É uma espalhafatosa mentira isso. Nunca tratei desse assunto com Arcanjo. Aliás, fui lá a convite de um empresário que queria ver o projeto de piscicultura dele. Só foi uma vez lá', afirmou. 'Há um conluio entre os bandidos que estão presos e o PT. E juiz [federal Julier Sebastião da Silva] que é do PT', afirmou Antero. O juiz mandou abrir inquérito em 2005 para apurar o suposto caixa dois do PSDB."
 
Free counter and web stats