sábado, fevereiro 04, 2006

A visita do "Cavaleiro"

Em 1988 o “Cavaleiro da Esperança”, Luiz Carlos Prestes, lendário combatente da causa comunista e líder da maior marcha militar da história da humanidade, esteve em Ubatuba para proferir palestra na Câmara Municipal, a convite do presidente da casa, vereador Cícero Assunção. Na ocasião, o prefeito Pedro Paulo Teixeira Pinto se encontrava acamado com forte gripe, por isso não compareceu ao evento. Sabendo da importância do visitante desculpou-se através de uma mensagem de próprio punho, escrita em cartão pessoal. Dias depois recebeu a resposta de Prestes, escrita também de próprio punho no simpático cartão que mostramos aos leitores com exclusividade e que a partir de agora faz parte do acervo histórico da cidade.

Sidney Borges


Rio, 9 / 06 / 88

LUIZ CARLOS PRESTES

Sr. Pedro Paulo Teixeira Pinto
DD. Prefeito do Município de Ubatuba – SP.

Prezado Senhor Prefeito

Quando de minha visita a Ubatuba tive ocasião de receber seu amável cartão em que se refere aos motivos que impediram de comparecer à reunião em que a convite pronunciei uma palestra.
Grato pela sua atenção, aproveito o ensejo para desejar-lhe pronto restabelecimento de sua saúde e continuados êxitos em sua administração. Receba meu cordial abraço.

Luiz Carlos Prestes

Dúvida...

No começo dos anos setenta eu era aluno da FAU e freqüentava o CAOC, que para quem não sabe é o clubinho dos estudantes da Medicina. Fica em Pinheiros, pertinho do HC. Lá surgiram grandes amizades, algumas se perderam pelos caminhos da vida, outras perduram até hoje, ainda que à distância. Uma vez, tomando cerveja no Riviera, um colega falou de um maluco que aparecia no pronto-socorro constantemente, reclamando de fios invisíveis que lhe tolhiam os movimentos. Os médicos resolveram “operá-lo” para retirar o incômodo. A cirurgia foi marcada e seguiu os ritos normais. Se fossem apanhados, os estudantes teriam sérios problemas pela proa. Terminado o procedimento, o paciente acordou e se viu enfaixado, tendo ao lado da cama uma caixa cheia de fios ensangüentados. Recebeu parabéns dos médicos e foi levado para um PF num restaurante próximo, onde lhe permitiram tomar apenas uma cinqüenta e um e dois copos de cerveja. Algumas horas depois o recém operado se despediu e quando imaginou estar longe das vistas dos médicos tirou a faixa e começou a desenrolar novos fios, que provavelmente tinham crescido depois da cirurgia. Manhã de sábado ensolarada. Estou na frente do computador desde as oito horas. Ubatuba Víbora, fios invisíveis...

Sidney Borges

FUNDART dá notícia como nunca!!!

Graças as habilidades políticas o povo ainda tem que engolir algumas coisas...
Mas mudando de assunto, vamos salientar o mais importante, que são as notícias que a FUNDART vem divulgando em relação ao seu trabalho.
Sob pressão as coisas parecem funcionar, vamos esperar para ver se isso tudo sai do papel, pois já são quase 400 dias de trabalho e só agora saiu alguma coisa sobre uma possível verba para um possível projeto de restauro. Será?
Vamos esperar, já esperamos tanto!!!
Enfim, o possível está na moda como nunca, então vamos adotar!!!
Povo, pelo amor de Deus, abra os olhos!!!
Será POSSÍVEL o Lula outra vez? Quem sabe?

Por favor não me processem, respondam com trabalho, é isso que o povo quer!!! Mas se quiserem me processar, sem problemas, o povo saberá!!! Cada um que vista sua carapuça...

Abraços,

Marcelo Mittestaner Rezende

Carta de Agradecimento

A Santa Casa de Misericórdia Irmandade Senhor dos Passos de Ubatuba vem agradecer às seguintes conceituadas empresas pela boa vontade com relação a esta instituição: Hotel Porto Di Mare, na pessoa da Sra. Alba Pagliacci e ao Quiosque Cantão, na pessoa do Sr. Anuar Chaar pela doação do toldo para a janela da enfermaria 15 da ala da Maternidade.

Atenciosamente,

Dr. Jair Antonio de Souza
Gestor Administrativo Fiance

Saudades de Dom Helder

"Dom Hélder, nesta semana, faria 97 anos; durante toda sua vida, teve como farol a seguir a luta em defesa dos menos favorecidos, dos despreparados, dos excluídos, dos esquecidos. Agiu, destarte, não somente com suas palavras, mas também com ações concretas através de organismos que fundou, projetos que executou, campanhas que promoveu.
Foi acusado de assistencialista, mas como não o ser, ao ver seu povo em miséria, sofrendo de uma das maiores e mais humilhantes privações que um ser humano pode sofrer: falta do que comer.
Certamente, se mais pessoas tivessem este pensamento "assistencialista", a situação de fome e miséria no mundo teria hoje uma realidade diferente. Sua preocupação não parou por aí, e contradizendo aqueles que o tarjam de assistencialista, sempre buscou diferentes e eficazes formas de conscientizar o povo de sua situação, de seus deveres, mas também de seus direitos, seus poderes para decidir quanto às suas vidas, enquanto pessoas livres, e para cobrar de quem deve ser cobrado, enquanto cidadãos, em busca de um mundo socialmente mais justo. Difícil resumir e até mesmo reunir tudo que Dom Hélder Câmara fez em todo sua vida”.

Jairo dos Santos - PT
vereador

Notícias da Prefeitura


Reunião para discutir a situação do Casarão do Porto e entorno

Prefeitura discute com IPHAN regras para entorno do Casarão do Porto

Por iniciativa da Prefeitura de Ubatuba, o Secretário Municipal de Arquitetura e Planejamento Urbano, Rafael Ricardi Irineu, esteve reunido na manhã desta sexta-feira, 3, com o arquiteto José Saia, representante do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) para discutir sobre a situação do Casarão do Porto e entorno.
A intenção foi avaliar a possibilidade de incluir regras de uso e ocupação do solo na região citada no Plano Diretor do município. O Plano Diretor trata da orientação e planejamento territorial da cidade, onde são definidas as condições de ocupação e utilização das áreas urbanas e rurais, a fim de garantir a função social da cidade e da propriedade. Todos os municípios turísticos que possuem mais de 20 mil habitantes devem aprovar seus Planos Diretores até outubro deste ano.
Para Irineu, a região que engloba o Casarão do Porto, a Igreja Exaltação à Santa Cruz e a Ilha dos Pescadores, é o local onde o município tem mais potencial para crescer culturalmente e num padrão mais evoluído. “Sem regras definidas, Ubatuba vai perdendo suas características de raíz caiçara”, acrescentou o secretário.
A reunião tratou de questões técnicas para a inclusão das ações para esta região no próximo Plano Diretor. “Poderíamos criar um pequeno oásis, com muita arborização e preocupação com o meio ambiente. A intenção é tornar esta parte da cidade um atrativo por si só, já que muitas pessoas ainda vêm a Ubatuba apenas para usufruir das praias ou das opções noturnas”, sugeriu o arquiteto José Saia. Descontrole ocupacional, tratamento de afluentes dos principais rios da região, reforma de praças e restauração foram tratados como assuntos primordiais para interromper o processo de degradação ambiental e transformar o centro da cidade em um local onde seja mostrada a personalidade da cidade.
Também participaram da reunião o presidente e o vice da Associação dos Arquitetos e Engenheiros de Ubatuba, Carlos Alberto Mendes e Mauro Bezerra, respectivamente; o presidente da Fundação de Arte e Cultura, Martiniano Vianna; os ex-secretários de Arquitetura e Urbanismo, Gilmar Rocha e Renato Nunes; o Chefe de Fiscalização, engenheiro Armindo Fernandes e o presidente do Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB), Daniel Correa.
“Ter um órgão federal como o IPHAN participando de uma discussão como essa é raro e uma grande oportunidade para obter o sucesso nas negociações”, disse Rafael Ricardi Irineu, que deve marcar novas datas para futuras reuniões que definirão dados referentes à uma proposta de legalização para ocupação do local, com regras claras e definidas. PMU

Criando Cidadão


...tirar das ruas crianças e adolescentes em situação de risco

Projeto Criando Cidadão encerra atividades de verão neste sábado

O projeto Criando Cidadão encerra suas atividades neste sábado, 4, com muita festa, à partir das 9 da manhã na escola Padre Anchieta. O principal objetivo do Criando Cidadão, promovido pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) de Ubatuba, foi tirar das ruas da cidade, crianças e adolescentes em situação de risco, evitando que os menores perambulassem pelas ruas, guardando veículos ou exercendo outra atividade de trabalho irregular durante o período de férias escolares, cumprindo-se assim o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).
Desde dezembro passado, aproximadamente 70 crianças participaram do projeto que proporcionou atividades esportivas e de recreação com passeios e atividades lúdicas e culturais, como música e teatro.
As crianças do projeto Criando Cidadão eram transportadas à partir das 7h de suas casas até a Escola Olga Gil, onde era servido o café da manhã. Na seqüência, atividades até a pausa para o almoço. Às 13h as atividades eram retomadas até às 17h, quando eles tomavam o lanche da tarde e voltavam para suas casas.
Nos dias 2 e 3 as crianças participaram de gincanas e campeonatos de futebol, judô e karatê, além de apresentação de danças e capoeira. PMU

Geração de renda

Prefeitura abre inscrições para cursos de geração de renda

A partir da próxima segunda-feira, 6, a Prefeitura, através da Secretaria de Cidadania e Desenvolvimento Social aceitará inscrições para os cursos de geração de renda em 2006. Serão diversos cursos nas áreas de alimentação e artesanato. A lista completa dos cursos e locais onde as aulas serão ministradas estará afixada a partir de segunda-feira, na sede da Secretaria, que fica na rua Paraná, 375, no centro. Mais informações podem ser obtidas através do telefone 3832-6038.
Em 2005 aproximadamente 700 famílias, em situação de vulnerabilidade social, foram atendidas com os cursos e cada participante recebeu um kit para dar início à sua produção. PMU

Transporte

Alunos do Rio da Prata e Rio das Pedras terão transporte coletivo

A prefeitura de Ubatuba conseguiu junto à empresa Cidade de Ubatuba a criação de uma linha que atenderá estudantes dos bairros Rio da Prata e Rio das Pedras, na região Sul.
Esta era uma antiga reivindicação da comunidade, como relata a presidente da Associação Comunidade em Ação RDP, Maria do Carmo da Cruz Santos Comende. “Há mais de 15 anos estamos solicitando essa linha e agora ganhamos esse presente. Agradeço a prefeitura e ao Cláudio da empresa Cidade de Ubatuba, que se mobilizaram para atender a esse pedido de nossa comunidade”, disse Maria do Carmo.
O transporte deve benificiar mais de 100 alunos e a empresa disponibilizou três horários de saída do terminal urbano: 6h, 11h e 16h. PMU

Festival

I Festival de Marchinhas promete agitar o público no Tubão

Mensalinho, O Dólar da Cueca, O Sumiço do Corrupto, Sou Deputado e Daputada são algumas marchinhas que devem mexer com o público no “I Festival de Marchinhas Carnavalescas” da Fundart

Trinta participantes vão disputar os troféus e premiação em dinheiro do I Festival de Marchinhas produzido pela Fundart. O evento acontecerá no Tubão durante os dias 10, 11 e 12 de fevereiro, a partir das 20h, com a presença do público e do corpo de jurados. As músicas estão sendo arranjadas pelo maestro Valdecy dos Santos, da Banda Lira Padre Anchieta, que também acompanhará os participantes nos dias do festival.
Das 30 marchinhas inscritas, 15 serão apresentadas no primeiro dia e 6 serão escolhidas. O mesmo procedimento acontecerá no segundo dia, totalizando 12 finalistas. No terceiro e último dia, serão escolhidas cinco marchinhas, que serão premiadas de acordo com a sua colocação. Os critérios de avaliação serão: melhor letra e melhor interpretação.
“Queremos resgatar o carnaval tradicional do interior de São Paulo, trazendo novos compositores e criando aquele clima gostoso com máscaras, blocos e marchinhas em que toda a família pode participar”, diz Ney Martins, idealizador do concurso. Ele lembra que nos antigos carnavais ubatubenses, era comum os foliões comporem suas próprias marchinhas e que na década de 70, esse costume foi sendo deixado de lado.
Dentre os participantes do I Festival de Marchinhas Carnavalescas, estão nomes conhecidos em Ubatuba, como Dona Ophélia, Capop, Benetti, Zezinho Marques, Cláudio Serra, Arcélio Manoel e muitos outros. O público terá entrada franca. Participe! PMU

Jogos Regionais

Ubatuba define alojamento para Jogos Regionais

Ubatuba foi a primeira cidade a definir o local de alojamento para os 50º Jogos Regionais, que serão realizados de 17 a 39 de julho na cidade de Lorena. Após percorrer as escolas disponíveis, o coordenador de competições da Secretaria de Esportes e Lazer, Nicrano Gomes Jr, optou pela EMEF Climério Galvão César. A escola, localizada no bairro do Olaria, dispõe de onze salas, quadra coberta para treinamento das equipes e pátio coberto com refeitório, além de uma cozinha bem equipada.
“Escolhemos a escola devido a boa localização e por termos na proximidade um campo de futebol e um ginásio. Vamos agora entrar em contato com o comitê organizador dos Jogos e verificar a possibilidade de disputarmos nossas partidas nessas praças de esporte”, disse Nicrano. PMU

Natação

Natação de Ubatuba estréia no Paulista de Maratonas Aquáticas

A equipe de natação de Ubatuba participa neste sábado, 4, da primeira etapa do Campeonato Paulista de Maratonas Aquáticas. A prova acontecerá no Lago do Parque Aquático Wet’n Wild, em Vinhedo, e será disputada em percursos de 800 metros, 2 e 4 quilometros. Ubatuba enviará uma equipe de 35 atletas, que conta com o apoio da Cimentuba, materiais para construção.


A ordem de largada da competição será a seguinte:

1º Largada - Juvenil I e II. Junior I e II, Sênior, Master A - Masculino
2º Largada - Mirim, Petiz I e II, Infantil I e II e PPD - Masculino/Feminino
3º Largada - Juvenil I e II, Junior I e II, Sênior e Todos os Master - Feminino
4º Largada - Master B,C,D,E,F,G,H,I,J,K,L - Masculino

O Campeonato Paulista de Maratonas Aquáticas é uma realização da Federação Aquática Paulista e Igor de Souza Eventos e Promoções, com apoio da Secretaria da Juventude, Esporte e Lazer do Estado de São Paulo, HTH e MOSCONI
Alteração de data – Os organizadores do Campeonato Paulista de Maratonas Aquáticas alteraram para o dia 16 de julho a Travessia Internacional de Ubatuba, etapa que aconteceria em maio. PMU

sexta-feira, fevereiro 03, 2006

Edilson no Félix


Verador Edilson Félix parlamentando com ambulantes na Praia do Félix

Comunidade da Praia do Félix promete lutar por amplo acesso à praia

Ambulantes querem direitos iguais: se um pode entrar na praia de carro, todos podem

Após conseguir derrubar a cobrança da Zona Azul no estacionamento que dá acesso à Praia do Félix, ambulantes, moradores e usuários realizaram reunião, na quinta-feira, 02 de fevereiro, para discutir sobre o amplo acesso de todos àquela praia.
Estiveram presentes representantes da Prefeitura, da Colônia de pesca Z-10 e o vereador Edílson Félix, a pedido daquela comunidade.
O principal assunto da reunião foi o amplo uso de um corredor público, que dá acesso à praia e que vem sendo utilizada por um dos ambulantes locais, o Sr. Mamede, com exclusividade para acesso dos veículos dele, impedindo que os outros ambulantes da praia possam ter os mesmos direitos.
Moradores antigos da área contaram que o corredor público foi aberto no final dos anos 60, pela Prefeitura Municipal.
Para Edílson Félix, o ideal seria que a Prefeitura interviesse, permitindo que toda a comunidade possa acessar a praia por aquele caminho, inclusive de forma motorizada. “Acredito que os direitos são iguais. Pelo que ouvimos dos moradores antigos, o corredor público foi aberto pela Prefeitura Municipal, há mais de trinta anos, para que se pudesse ter acesso à praia. O que deve ser feito é a legalização deste corredor, para que todos possam utilizá-lo, de forma isonômica”.
Os ambulantes e pescadores artesanais relataram suas dificuldades para trabalhar naquele local, em contraste com as facilidades encontradas pelo Sr. Mamede. Explicaram que tem que percorrer o caminho, sob sol ou sob chuva, carregando isopores com mercadorias ou motores de popa, pois são impedidos de circular com seus carros por aquele caminho pelo Sr. Mamede.
Há também a questão do acesso de pessoas idosas e portadoras de deficiência à praia, uma vez que é necessário caminhar por vários minutos para chegar até a mesma, o que inviabiliza o passeio para as pessoas portadoras de necessidades especiais.
Edílson Félix entende que a comunidade da praia do Félix está se organizando e buscando lutar pelos seus direitos: “Em um determinado momento da reunião, fiquei preocupado com posicionamentos mais radicais, sobre quem é natural de onde, como se isto desse mais ou menos direitos. Somos todos brasileiros e temos que lutar por justiça social. A Constituição brasileira tem como um de seus valores fundamentais, o valor social do trabalho e da livre iniciativa. É com organização, com objetivos comuns que se constroem as grandes vitórias. Temos que construir uma sociedade mais justa, mais solidária, que vise erradicar as diferenças econômicas e sociais. Todos tem o direito de progredir! Não vivemos em uma sociedade de castas onde todos são obrigados a permanecer onde estão na escala social. Somos livres, temos sonhos e juntos, podemos concretizá-los”.
Fonte: Assessoria do vereador Edílson Félix

Correção

Ontem encontrei o senhor Jorge Lee na frente do prédio da Câmara Municipal e na ocasião fui solidário na sua luta pela arte em Ubatuba. Falei da confusão havida na eleição do Conselho e disse a ele que sempre que houve oportunidade, nas reuniões do dito Conselho, fui favorável à sua pessoa. Ao expressar publicamente agradecimento à minha atitude, o senhor Jorge Lee cometeu um engano. Colocou como minha uma palavra que não proferi. Bandalheira. Dificilmente uso esse termo, não faz parte do meu vocabulário cotidiano. E mesmo que usasse, não o faria em relação à Fundart, pois jamais imaginei a hipótese de lá haver desonestidade, ou seja, bandalheira. Posto isto, também devo esclarecer que durante o tempo em que fui membro do Conselho, nunca vi qualquer tipo de manobra que visasse impedir a eleição do senhor Lee. No caso do recurso por ele apresentado, o Conselho votou contra de forma democrática, os argumentos eram inconsistentes. A despeito do engano, desejo ao senhor Jorge Lee boa sorte no seu intento de fomentar a arte e a cultura em Ubatuba.

Sidney Borges

Verdades divinas

Os grandes conflitos e revoluções do mundo foram movidos em nome de ideais de ordem política ou religiosa. Depois de ultrapassada a lei do mais forte (fisicamente falando), lá nos primórdios, a liderança de um povo foi atribuída, por séculos, àqueles supostamente dotados de poderes divinos, muitos dos quais foram considerados os próprios deuses de seus povos.Note-se que a fé, que nada mais é do que a confiança que se tem em algo ou alguém e é um instrumento ainda utilizado pelos poderosos. Ora, prescinde-se de explicações e de satisfações, governa-se da forma que bem entende, pois é a "vontade de Deus" e este deverá ser indiscutivelmente obedecida.Neste prumo, a criação do Estado (ente para o qual o povo transfere grande parte de sua liberdade em troca da prestação de elementos mínimos para a concretização do bem-comum) esteve diretamente ligada à Igreja. Na verdade, a política e a religião nasceram juntas e, assim, permaneceram durante todo o desenrolar da história.O fato é que a autoridade, seja disfarçada por pseudo-divindade, seduz de tal forma que leva a si e aos seus comandados a praticar verdadeiros absurdos contra o povo. O poder corrompe e, não raro, leva à insanidade.E não me venham como essa de vontade divina. Esse é tão-somente pretexto, infelizmente aceitos por uma parte de um povo cego pela crença em seus representantes, que em nada os representam. Representam eles mesmos e as suas ganâncias.

Jairo dos Santos – PT
vereador

Notícias da ACIU

Associação Comercial de Ubatuba quer implantar Posto do Sebrae

Cristiane Zarpelão
No último dia 31, o presidente e o secretário da Associação Comercial de Ubatuba (ACIU), respectivamente Ahmad Khalil Barakat e Alfredo Luiz Filho, participaram de um almoço de negócios com o secretário de Turismo de Ubatuba, Luiz Felipe de Azevedo, o secretário de Finanças, Gilson Ferreira de Silva e o gerente regional do Sebrae de São José dos Campos, Mauro Medeiros.
Na reunião foram colocadas várias propostas de projetos para o fomento turístico e comercial da cidade e a finalização da instalação do Posto do Sebrae em Ubatuba.
Segundo Mauro Medeiros, o Sebrae oferece apoio a partir da necessidade dos empresários, desde que haja uma contrapartida. “Para projetos, os empresários precisam se organizar para buscar o apoio do Sebrae, que verá a possibilidade de viabilizá-lo ou não”. Medeiros acrescenta que o ideal para o apoio em projetos é ser em grupos. “Informamos para os empresários que têm um mesmo objetivo, sempre nos procurar de forma coletiva, resultando em um trabalho mais rápido. O Posto do Sebrae é especialmente para atendimento individual”, esclarece o gerente do Sebrae.
Para o secretário de Turismo, Luiz Felipe de Azevedo, o Sebrae tem o mesmo foco que a Secretaria de Turismo e a ACIU para o Litoral Norte. “Buscamos o fomento, geração de renda e a capacitação profissional do turismo de Ubatuba. Conquistamos uma parceria muito oportuna e bastante viável para o momento que estamos vivendo hoje em Ubatuba”, diz o secretário.
O presidente da Associação Comercial, Ahmad Khalil Barakat, entusiasmado com as perspectivas para a cidade, disse que a idéia é aproveitar as oportunidades e tentar implantá-las. “O município precisa dessa parceria, que tem como foco o desenvolvimento. Faremos o possível para ser a primeira cidade do Litoral Norte a implantar o Posto do Sebrae”, diz.
Ahmad ressalta que já tem o local para o posto e as pes-soas para trabalhar já foram selecionadas pelo Sebrae e que o outro parceiro para o posto do Sebrae é a Associação de Engenheiros e Arquitetos. “Só falta o apoio da Prefeitura para começar a funcionar”, diz Ahmad. O secretário de Finanças, Gilson Ferreira, disse que a Prefeitura estudará as possibilidades para poder implantar o posto.

A FOTO E OS FATOS



Na notícia do UV “Comtur suspende cobrança de estacionamento na praia do Félix” há foto com a seguinte legenda: “Moradores do Félix comemoram a decisão da Comtur”.
Em primeiro lugar, há que saber que na foto não aparece nenhum morador da praia do Felix.
A grande maioria dos que ali aparece são moradores da invasão do parque, do lado contrário da estrada Rio Santos, acima da praia do Felix.
A exceção é do Sr. Administrador da Regional Norte e do Sr. Benedito Jerônimo dos Santos, conhecido como Berico.
À exceção dos dois acima e do Sr. Edmilson, todos os demais são membros da mesma família, mineiros do Vale do Jequitinhonha, especificamente da cidade de Nova Cruzeiro.
Berico, da comunidade do Promirim, mora no lado sul de Itamambuca.
Walter, mineiro, membro da família que aparece na foto, mora no Pereque Açu.
Em matéria anterior consignei que achava que a COMTUR tinha suspendido a cobrança da zona azul por ser, depois de domingo, deficitária (COMTUR E ZONA AZUL – UV – 020206).
Mas, como a difícil certeza do que acabou com tamanha injustiça e cobrança sem fundamentos legais, éticos e morais e como as razões ou falta delas se confundem, há que levar em conta a colaboração do movimento composto, entre tantos outros, pelo grupo fotografado.
Inebriados por uma vitória que, tudo indica, tem grande e diversa estória e paternidade, resolveram tentar a invasão motorizada da praia do Felix, via propriedade e portão privado, que prestam serviços à comunidade há mais de 25 anos.
Tudo indica que pretendam intitular-se titulares de ‘direitos naturais’ à posse e propriedade da praia do Felix.
Estão tentando, como já o fizeram, até agora com sucesso, mais uma invasão, como as que fazem no parque acima do Felix.
Vale aqui ressalvar que para a invasão no parque já há antigas providências do MP estadual em andamento.
Fico temeroso que para o esbulho ora tentado consigam um laudo (está na moda) atestando que aqui no Felix há água do Jequitinhonha e que a grande família seja membro do grupo dos ‘jequitinhonholas’, movimento até agora na obscuridade.
Não é demasia, pois no dia de hoje estes candidatos a invasores motorizados estavam acompanhados de membro da Secretaria Municipal de Assistência Social, o qual, apesar do meu pedido, não se identificou. Estaria em missão secreta ???
Aqui vale explicar a expressão “INVASORES MOTORIZADOS”.
O grupo tem, como sempre teve, amplo e profícuo acesso à praia do Felix. Têm todas as barracas da praia no lado direito de quem da praia olha para o mar.
É família que, praticamente, dominou todo o comércio ambulante da praia, sendo este escriba o último baluarte à dominação.
Eles acreditam que impedindo o fato de eu adentrar a praia por minha propriedade, com meu carro, estarei, em face de minha idade, problemas familiares e saúde, incapacitado de trabalhar.
Em conseqüência deste raciocínio, teriam o monopólio da exploração do ‘negócio’, sem o paralelo comparativo de qualidade e educação no trato dos turistas nosso, o que tanto os incomoda.
O objetivo imediato deste grupo é acessar, com carros, a praia do Felix, onde há estacionamento para 6 veículos, no máximo e onde se acessa por caminho privado, magnificamente conservado e limpo, que é usado há mais de 25 anos por todos os transeuntes e que é conservado e limpo pela sociedade de proprietários do local, a qual fundei e que presta serviços comunitários há mais de 25 anos neste município.
É esta mesma sociedade que fez todo pavimento de todas ruas do Felix, manutenção de todos bueiros e condução de águas pluviais, bem como contenção de encostas. Nem vale falar no sistema de água que mantemos, também, às nossas contas exclusivas.
Voltando ao alvo da nova invasão, é caminho que serve, também, para o acesso de deficientes motores, inclusive da senhora mãe e avó do grupo, quando acessa a praia em auto dos filhos.
Quando se afirma que há lugar para estacionar seis veículos, se fala de parar carros sem destruição do entorno vegetal existente.
É importante, mesmo fundamental, lembrar que o acesso à praia é constitucionalmente feito.
É de ver que a foto é feita no local da praia, onde todos os membros estão reunidos, felizes ao que parece, tendo acessado a praia confortavelmente. Assim, os proto-invasores não têm qualquer direito à propriedade de terceiros aqui no Felix, que a usam criteriosamente, em favor da população e do turismo e da cidadania de boa qualidade.
Ainda aqui falta verificar os ‘direitos’ do meu antigo conhecido Berico, com quem convivo harmoniosamente há anos: o único caiçara reivindicante da foto é pescador, oriundo da comunidade do Promirim, hoje residente ao sul de Itamambuca.
Foi presidente da Colônia de Pescadores aqui da terra, donde foi prematuramente afastado por CPI da Câmara.
Isto sabido, preto no branco, com a clareza que torna as soluções e reivindicações legítimas e não produto da força, da demagogia e da violência, chegamos às perguntas que não calam à cidadania.
Que fazermos, nós que amamos o Felix e o mantemos como o cartão de visitas de Ubatuba?
Como nos conformarmos com a previsão do futuro, caso os invasores alienígenas obtenham sucesso em sua destruição?
Nós freqüentamos a praia e conversamos cada vez mais com moradores e ex-freqüentadores do Tenório: é o que quer o poder público, caso espose a tentativa dos invasores –
criar um Tenório em lugar do Felix ?
Creio que, por mera curiosidade, deveria o Sr. Representante da Assistência Social perguntar à comunidade do Tenório o que acha da perda da freqüência de ótimos turistas para o Felix ?
Ou então, que apontem outra praia no município que apresente iguais ou melhores condições de freqüência que o Felix.
Caso haja boa vontade de parte de quem de direito do poder público, que providenciem um banheiro químico aqui para a praia.
É o que precisamos, nós da comunidade e Ubatuba para atender bem seus turistas.

P.S. – TEATRO MAMBEMBE.

Avisamos ao distinto público que amanhã, diretamente da Praia do Felix, em comemoração aos 25 anos de semanal trabalho anônimo de limpeza e varrição de terceiros (nós), o grupo INVASORES MOTORIZADOS apresentará o mesmo espetáculo, só que devida e adredemente ( SARAIVA = (ê). Adv. De propósito; de caso pensado; de estudo; intencionalmente. ) instrumentalizado, com a possível presença da mídia que ditos comediantes conseguirem.
Queremos, nesta magnífica oportunidade, ressaltar a grande habilidade (de desfrutar) do grupo que aproveitou, por anos, os resultados de tão bom trabalho anônimo (o nosso), sem nunca se coçar para perguntar quanto deveriam pagar pela parte que lhes toca (pois sujaram e como)... neste latifúndio (e como latem).

Roberto de Mamede Costa Leite
r-mamede@uol.com.br

Na contramão? Quem?

Sr. Aguinaldo Munhoz, vamos ser mais reais em nossos comentários, basta termos coragem de nos identificar sem vergonha de nossas siglas partidárias, até compreendo que o senhor tenha motivo para tal, mas anarquia é isso...
Quem o conhece sabe que o senhor é um militante municipal do PT e que por isso vem fazendo oposições ao processo de municipalização da eucação, através de um conhecimento parcial e limitado sobre o projeto, justamente pelo fato de o mesmo partir do governo PSDB. Acho mais produtivo o PT municipal parar com esses discursos paralelos e passar a sugerir uma conduta descente ao PT nacional através da ética e de um verdadeiro projeto desenvolvimentista. Acredito que seria de bom tom o senhor aproveitar o ensejo e cobrar uma postura diferenciada deste PT municipal, principalmente através da condenação aos supostos casos de nepotismo, fato esse que é de conhecimento do senhor presidente do PT municipal. Antes de mais nada, moralizem a própria casa através de uma verdadeira faxina e parem de picuinha, sejam mais objetivos e produzam, se for o caso, tragam o Tuzino devolta.


CONVOCAÇÃO

Convoco todas as pessoas interessadas nos rumos do dinheiro público, a atuarem com um papel investigativo através de constatações. Sugiro a todos que exerçam um papel de cidadão através de um simples gesto. Basta ligar nos estabelecimentos públicos municipais, em horário de expediente, a fim de averiguar se os profissionais contratados se encontram no local de trabalho ou se estão distantes do ambiente no qual eles ganham seus salários através dos impostos pagos por nós. Será que eles trabalham? Cumprem seus horários? Cabe a nós investigar!!!
Vou fazer uma sugestão, vocês podem ligar para a FUNDART, Fundação de Arte e Cultura de Ubatuba, no fone: 3833 7000 ou 3833 7001 e perguntarem pelo Sr. Presidente, pela Sr. Isabela (Assessora Administrativa), pelas chefias e assessorias de modo geral.

Saibam os cargos:

Martiniano - Presidente
Isabela - Assessora Administrativa
Ney Martins - Assessor Cultural
Pupi - Assessora Juridica
Jorge Basso - Chefe de Eventos
Paulo - Chefe de Manutenção
Quincas - Setorial
Nadja - Secretária da Presidência

Liguem, vamos exercer nosso papel e acabar com os possíveis cabides de emprego, basta agirmos. Denunciem!!!

Abraços,
Marcelo Rezende

Fundart

A arte afunda... Afunda a arte. Ilicitudes de domínio público.

Jorge Lee
Ora, vejam o que aconteceu nas eleições para coordenador e suplente dos grupos setoriais da FUNDART.
Duas listas cadastrais distintas com os nomes dos integrantes do Grupo Setorial de Artes Cênicas e Danças foram utilizadas. Isso é caso para a Promotoria Pública ficar perplexa. Nesta sexta-feira estarei impetrando Mandado de Segurança a partir de cópias das duas listas rubricadas e datadas por representante da FUNDART.
Leia mais

Notícias da Prefeitura


O Casarão do Porto que será restaurado em breve

Fundart busca recursos para restaurar Casarão

“Trata-se de um edifício interessantíssimo, tanto do ponto de vista histórico, como arquitetônico, de caráter apalaçado. É tradição que seu traço e cantaria vieram trazidos do Portugal”
Mário de Andrade

A Fundação de Arte e Cultura de Ubatuba (Fundart) encaminhou, no início de janeiro, um pré-projeto para o Programa Petrobrás Cultural para concorrer a uma verba de R$ 300 mil. O recurso será utilizado na elaboração de um projeto executivo que possibilitará a busca por patrocínio para restaurar o Casarão do Porto, um dos mais importantes patrimônios históricos do município.
O Projeto Executivo é um conjunto dos elementos necessários à execução de uma obra completa, de acordo com as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (
ABNT). Estão previstos diversos estudos preliminares e diagnósticos que permitam uma noção global da situação do prédio. Para tanto, serão realizadas uma série de ações, tais como levantamento dos danos, incluindo sondagens e prospecções para verificar a situação das estruturas, instalações elétricas e hidráulicas, descupinização e pesquisas históricas e iconográficas, entre outras.
O pré-projeto apresentado ao Programa Petrobrás Cultural chama-se “Reconversão do Casarão do Porto” e tem como responsável o arquiteto Fábio das Neves Donádio. Se aprovado, o recurso para a realização do projeto executivo deve sair até maio deste ano.

A história

O Casarão do Porto foi construído em 1846 e representa a materialização de uma época de prosperidade em Ubatuba. No tempo em que a cafeicultura marcava a economia do Vale do Paraíba e Ubatuba fazia parte da rota do café, o comerciante português, Manoel Baltazar da Cunha Fortes, mandou erguê-lo, misturando técnicas da arquitetura colonial e caiçara.
A técnica caiçara da construção em pau-a-pique foi curiosamente utilizada nos andares superiores do edifício. Esse fator colabora com a manutenção do prédio, uma vez que deixa paredes mais leves e assim, comprometem menos a estrutura do Sobradão. Composto de três andares, o térreo servia de armazém, onde se guardavam e negociavam mercadorias produzidas em Ubatuba e no Vale. O segundo e terceiro andares eram utilizados como residência da família Fortes.
Quando a estrada da "rota do café" que ligava o sul de Minas ao porto de Ubatuba perdeu importância, por conta da construção de ferrovias entre São Paulo e Rio de Janeiro; São Paulo e Santos, a economia de Ubatuba ficou comprometida. Esse foi também o início da degradação do Sobradão do Porto. Ele passou por diversas mãos até chegar à atualidade. Sem condições de mantê-lo, o neto de Baltazar, Oscar Batista da Costa, primeiramente alugou-o e o casarão virou o Hotel Budapest, em 1923. Em 1934, a família Félix Guizard, proprietária do CTI (Companhia Taubaté Industrial), comprou o edifício, utilizando-o inicialmente como colônia de férias. Em 1959, o Sobradão foi tombado pela IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). Depois disso, abrigou a casa de artesanato de Ubatuba, foi desapropriado pela prefeitura, passando a ser sede da Fundart desde 1987. Em 2005, a Administração da Fundart deixou o Casarão para dar início ao processo de restauro. PMU



Fundart elege coordenadores de grupos setoriais para 2006

Além da responsabilidade de criar eventos e discussões dentro das áreas em que atuam, os coordenadores, enquanto componentes de um conselho deliberativo, tem poder para opinar e decidir a respeito dos rumos culturais no município

A Fundação de Arte e Cultura de Ubatuba (Fundart) realizou, no último dia 30, a eleição dos coordenadores e suplentes dos grupos setoriais que integrarão o conselho deliberativo do ano de 2006. Foram eleitos representantes de seis dos oito grupos existentes na Fundação. Os outros dois, de chapa única, foram recusados pelos votos dos eleitores dos grupos setoriais terão novas eleições no próximo dia 20.
O Conselho formado pelos coordenadores é de natureza deliberativa, ou seja, tem poder para opinar e decidir. É também sua função fiscalizar as ações administrativas da entidade. O presidente da Fundart, Martiniano Viana, diz que o grande desafio e o objetivo do conselho é democratizar o acesso da população às manifestações culturais da cidade. “A população tem a oportunidade de participar ativamente das decisões da Fundart, através dos grupos setoriais. Para isso, é preciso que as pessoas se envolvam, criem uma dinâmica de participação nas áreas artísticas das quais elas mais se identificam. Somente dessa forma, o cidadão pode se candidatar à vaga de coordenadoria e interferir nos rumos culturais da nossa cidade”, afirmou.
Os grupos que não tiveram seus candidatos a coordenadores eleitos são os de Artes Cênicas e Dança e Fotografia, Cinema e Vídeo. O edital de convocação para nova eleição sairá no Jornal “A Cidade” no próximo dia 4. As inscrições para os candidatos estarão abertas de 6 a 10 de fevereiro. O critério exigido aos candidatos é a participação de reuniões e cadastro nos grupos setoriais em questão. No próximo dia 13, o conselho se reúne para homologar as candidaturas e as eleições acontecerão no dia 20, das 8 às 18h no auditório da Fundart.

Confira os coordenadores eleitos para o ano de 2006:

Grupo Setorial de Artes Plásticas:
Ademar Costa Simões – coordenador
Bruno Pizzutto – vice-coordenador

Grupo Setorial de Artesanato:
Helena Ottoni Tracchi – coordenadora
José Cláudio da Mota Brito – vice-coordenador

Grupo Setorial de Folclore e Tradições Populares:
Luiz Gustavo Balio de Moraes – coordenador
Júlio César Mendes – vice-coordenador

Grupo Setorial de História e Geografia:
Carlos Augusto Rizzo – coordenador
Denique Moreira Rezende - vice-coordenador

Grupo Setorial de Literatura:
Luis Roberto de Moura – coordenador
Eduardo A. Souza Neto – vice-coordenador

Grupo Setorial de Música:
Aurora Novello Medina – coordenadora
Márcia Fernandes dos Santos – vice-cordenadora PMU

Rio Grande


Equipe da prefeitura acompanhou a explosão da rocha

Prefeitura completa retirada de rocha que atrapalhava passagem no Rio Grande

Com a explosão da pedra que dificultava a passagem de barcos na Barra dos Pescadores foi atendida uma antiga reivindicação do setor pesqueiro

A Prefeitura, por meio da Secretaria de Obras de Ubatuba, realizou na tarde da última quinta-feira, 2, a implosão controlada de rochas que obstruíam a passagem das embarcações na entrada da Barra dos Pescadores, principal e maior porto de pesca do município. De acordo com técnicos da empresa que realizou a implosão, a rocha possuía cerca de 3 m³ e para o desmonte foi utilizado um quilo de explosivo, distribuído em seis diferentes pontos. Ainda segundo os técnicos, o resultado foi excelente e até melhor do que o esperado.
O prefeito Eduardo César, acompanhado do Secretário de Obras, João Paulo Rolim e da Secretária de Agricultura, Pesca e Abastecimento, Valéria Gelli, foi conferir de perto a ação. “Para os pescadores é uma grande conquista, pois trata-se de uma reivindicação antiga. Esta é uma obra polêmica, que exigiu coragem por parte da Prefeitura, mas que vai proporcionar maior segurança para as embarcações e impulsionar o setor pesqueiro, que é uma das principais atividades econômicas do município. Os pescadores merecem o nosso maior respeito”, disse Eduardo César.
Para Valéria Gelli, a necessidade de segurança para navegação é primordial. “Deve haver também o desassoreamento para retirada dos bancos de areia. Um estudo oceanográfico deve ser realizado para adequar o local e não haver acúmulo de sedimentos. Essa ação é um marco para mostrar que esta gestão tem uma grande preocupação com o setor pesqueiro”, completou a secretária.

Auto de infração cancelado, obra efetivada

A ação de desobstrução do rio foi complicada, pois em outubro passado a Polícia Ambiental impediu a continuidade das obras, alegando falta de licenciamento. No entanto, por não provocar dano ambiental, já havia sido dispensada a necessidade de licenciamento pela Secretaria Estadual do Meio Ambiente. No começo de janeiro a Coordenadoria de Licenciamento Ambiental e Proteção de Recursos Naturais cancelou o auto de infração e embargo da obra, liberando a continuidade da obra de desassoreamento do Rio Grande.

Prevenção de acidentes

A retirada das obstruções no Rio Grande deve prevenir acidentes com as embarcações. O pescador Josias Vieira de Oliveira já sofreu as conseqüências de ter que passar pelo banco de areia e as pedras do Rio Grande. “Meu irmão bateu com o barco, perdeu o hélice e quase teve que construir outra embarcação. Agora a passagem deve melhorar bastante, não só para nós como para as próximas gerações de pescadores”. PMU

Volta às aulas


O professor José Francisco Aparecido falou sobre criatividade

Aula inaugural prepara professores da rede pública para o início do ano letivo

Educação para jovens e adultos, Educação Especial e terceirização da merenda foram alguns dos assuntos abordados pelos educadores na Aula Inaugural

A Prefeitura, por meio da Secretaria de Educação de Ubatuba realizou na última quarta-feira, 1, a Aula Inaugural do ano letivo de 2006, na Escola Municipal Tancredo Neves. O evento contou com a participação do prefeito Eduardo César, da secretária de Educação, Patrícia Pereira e da maioria dos professores da rede municipal de ensino.
Na abertura da cerimônia a secretária de educação apresentou sua equipe de trabalho e os parâmetros curriculares para o ensino de Ubatuba, um trabalho desenvolvido pelos professores durante o ano de 2005 e que servirá de base para o planejamento das aulas em 2006.
Outro trabalho feito durante o ano passado e que será de grande valia no ano letivo de 2006, é o mapeamento da Educação Especial. Através dos dados obtidos, os alunos poderão receber maior cuidado dos professores. Patrícia também falou sobre o assunto que movimentou a opinião pública nos últimos dias, a terceirização da merenda escolar. “Acreditamos que optamos pela melhor alternativa. Vamos até o fim, tendo a certeza que estamos fazendo o melhor para as crianças e para o município”, declarou a secretária.
Outras novidades apresentadas foram a implantação do EJA (Educação para Jovens e Adultos) no período diurno na Escola Padre Anchieta e a implantação do Programa Letra e Vida, em parceria com o Governo Estadual, que visa a formação de professores alfabetizadores. O prefeito Eduardo César também se manifestou sobre a mudança na merenda escolar. “Acreditamos que a terceirização vai funcionar em Ubatuba, assim como funciona em outros municípios, inclusive na capital”, disse Eduardo. “Peço um voto de confiança a todo vocês”, disse o prefeito.
A noite terminou com a palestra “Criatividade – segredos de uma aula inesquecível”, proferida pelo professor José Francisco Aparecido, de São Paulo, que mostrou diversas facetas dos professores, dando também dicas para melhorar o relacionamento com os alunos e buscar o enriquecimento das aulas. José Francisco é atualmente diretor presidente da Educar com Arte – consultoria pedagógica e eventos culturais.
No dia 2 e 3 os professores estariam participando, em suas escolas, de reuniões para planejamento de aulas. Na segunda-feira, 6, as 45 escolas da Rede Municipal de Ensino de Ubatuba receberão mais de 12 mil alunos para o primeiro dia do ano letivo. PMU

Fest Fish

“1º Fest Fish 2006” acontece neste domingo na Associação Comercial

A Associação de Mães de Atletas da Natação de Ubatuba (AMAN) realiza neste domingo, 5, o “1º Fest Fish 2006”. O evento visa arrecadar fundos para a associação, criada em 2001 para ajudar os atletas da natação como o custeio de inscrições para provas, alimentação e transporte para as viagens.
O convite para a “1º Fest Fish 2006” custa R$10,00 e dá direito a um peixe assado (carapau, para duas pessoas), acompanhado de arroz branco, farofa e maionese, e também a uma lata de cerveja ou refrigerante.
“Mais da metade dos convites já foram vendidos e espero que até domingo possamos receber mais amigos em nossa festa”, conta Kátia Mattos, presidente da AMAN. “Já temos amigos que prestigiam nossa barraca na Feira das Nações e na Festa de São Pedro, vamos agora começar uma nova tradição para ficar no calendário da cidade”, diz a presidente.
O “1º Fest Fish 2006” acontecerá na Associação Comercial de Ubatuba à partir das 11 horas e os convites podem ser adquiridos através dos telefones 3833-2773 ou 9721-6110, com Kátia. PMU

Merenda escolar

Conselhos aprovam terceirização da merenda escolar em Ubatuba

CME e CAE referendaram o planejamento administrativo de terceirização como melhor critério para o bom funcionamento da merenda

O prefeito Eduardo César e a secretária de Educação, Patrícia Gomes Veloso Pereira estiveram reunidos, na última segunda-feira, 30, com representantes do Conselho Municipal de Educação - CME e do Conselho de Alimentação Escolar – CAE para que fosse tomada uma decisão quanto à terceirização da merenda escolar.
Os dois conselhos referendaram a terceirização, com apenas um voto contra. “Os Conselhos demonstraram grande maturidade, pois o que estava de fato em jogo não era a formalidade do procedimento da terceirização e sim a melhoria na alimentação das nossas crianças”, elogiou o prefeito. Eduardo César ressaltou que a questão da terceirização da merenda não é partidária, já que vários partidos políticos em diversos municípios brasileiros estão utilizando a mesma idéia como forma de melhorar a qualidade ao educando.

Compras de pequenos produtores

A medida deve favorecer a compra de alimentos de pequenos produtores locais, já que uma empresa privada pode comprar de forma muito mais direta e simples, sem a burocracia de uma licitação, enfrentada pelos órgãos públicos. “Os processos de compras que envolvem órgãos públicos são complexos, burocráticos e possuem uma infinidade de exigências. Já a empresa privada adquire produtos de comunidades e/ou cooperativas com muito mais facilidade”, explica a


Secretária de Educação.

O cardápio escolhido para as merendas deve passar pela aprovação da nutricionista da Secretaria de Educação e por ambos os conselhos que referendaram a terceirização. A decisão pela terceirização da merenda foi tomada após auditoria do engenheiro, pedagogo e professor Olavo Egídio Ozzeti, que realizou um levantamento e diagnóstico da merenda servida em Ubatuba.

Menor custo e mais calorias

O edital de licitação prevê um contrato inicial de um ano, com preço máximo de R$ 1,37 por refeição para o ensino fundamental, estadual e emeis, o que significa uma redução de R$0,22, quando comparado ao preço pago em anos anteriores. Nas creches o custo deve ser de R$ 4,88 por quatro refeições.
Haverá também um acréscimo médio de mais de 120 calorias por período, já que no edital de licitação é exigido o mínimo de 376 calorias por período, contra os 251 registrados até então. A empresa que vencer a licitação tem também a obrigação de absorver todos os funcionários envolvidos na merenda hoje, com exceção dos concursados.
O prefeito Eduardo César, que disse ter sido criticado pelo fato de a terceirização da merenda não constar em seu programa de governo, explicou: “meu programa de governo não fica estagnado e pode mudar de acordo com as necessidades do município. A intervenção na Santa Casa, por exemplo, também não estava no programa e foi uma necessidade que tivemos que atender”, reafirmou. “E, além do mais, em nenhum momento eu disse que não terceirizaria a merenda", completou o prefeito.

Transparência e fiscalização

“Tudo foi feito na maior transparência e com oportunidades de debates. Agradeço o voto de confiança dos Conselhos, que fecha o ciclo de discussões sobre o assunto. Mesmo assim a administração continua aberta a qualquer esclarecimento necessário”, disse o prefeito. Ele lembrou também que a empresa que vencer a licitação será diuturnamente fiscalizada pela Secretaria de Educação e pelos conselhos e caso haja um pai de aluno sequer, insatisfeito ou com críticas, que a administração estará sempre com as portas abertas. PMU

quinta-feira, fevereiro 02, 2006

Fábula V

Rogério Frediani
A cidadezinha dos sonhos que infelizmente transformou-se em pesadelo. Novidades na pequena cercada por matas, praias e cachoeiras. Pena que geralmente nunca são boas. Os aventureiros continuam cercando a cidade e se dando bem. Os que têm prestígio, raiz há muitos anos, sempre penam, não tem valor. Um comerciante conhecidíssimo que há muito tempo está na cidadezinha e muito fez por ela está sendo prejudicado por uma perseguição política descarada e suja. Começou a “caça as bruxas” e os honestos sempre pagam. Vamos lá: diz a famosa lenda novamente, que no loteamento (que pertence ao bom comerciante), localizado num bairro movimentado, onde o mesmo pretende reativar seu comércio, do nada apareceu uma planta (no lugar onde se comanda a cidadezinha) que “sugere” que um dos lotes da quadra é área institucional. Jesus amado! Há muitos anos o comércio está lá e agora que o bom comerciante quer reativá-lo, gerando mais empregos, trazendo divisas, criam os mais incríveis, esdrúxulos e inimagináveis obstáculos para impedi-lo. Ninguém merece. O descaramento assusta. O bom comerciante dirigiu-se aos representantes das leis da cidadezinha, pois foi intimado (pasmem). Para o espanto do bom comerciante e de quem o acompanhou, o processo estava nas mãos de um funcionário do “SHA” (Homem Sem Ação) que comanda a cidadezinha. A documentação está correta e registrada em cartório da cidadezinha e tudo demonstra a idoneidade do comércio. Documentos antigos, chegam até ser históricos, de terrenos vendidos por ex comandantes da cidadezinha, por seus filhos, uma geração. É, estão duvidando dos cartórios da cidadezinha. Onde vamos parar? Não é válido por quê? Se essa documentação não tem validade, a planta que existe (no lugar onde se comanda a cidadezinha) e não é nem registrada em cartório é a que tem validade? Como fica o resto da cidadezinha? Acredito que os governantes terão muito trabalho pela frente. Tudo não passa de uma perseguição política nojenta para silenciar quem quer o melhor para cidadezinha. Para calar as pessoas que querem o melhor para ela. Para exterminar o questionamento de um povo que luta por melhores condições e que muitas vezes são iludidos com falsas e baratas promessas de uma vida melhor que nunca são cumpridas. A miséria continua; o asfalto sumiu; o saneamento básico nunca chega. Vamos vivendo. Um alerta, as férias acabaram; o dinheiro se foi. E agora? Vamos sobreviver por mais um ano. Fé e esperança cidadezinha.

Cruzeiro em perigo!


A imensa cratera das fundações colocou em risco o Cruzeiro

Charles Medeiros solicita ação emergencial para recuperação da base do Cruzeiro

O vereador Charles Medeiros encaminhou neste último dia 01, Oficio N. 55/06 ao Executivo, solicitando providencias urgentes quanto à conservação e preservação da integridade do Monumento do Cruzeiro na Avenida Iperoig. Através da solicitação do vereador, o Secretario de Turismo Luiz Felipe Azevedo, esteve no local, se colocando a disposição para as devidas providências. Cópia do ofício foi encaminhado ao Pároco da cidade Frei Aldo Pietrobon.
Fonte: Laura Ennes - ASCOM

Na contramão

Aguinaldo Munhoz
Em qualquer município do Estado de São Paulo as mães e pais de alunos preferem as escolas municipais e rejeitam as estaduais. O governo Alckmin vem progressivamente abandonando a educação e passando a responsabilidade para municípios. Em 2004 foram municipalizados 62.000 alunos e, para 2005, por volta de 60.000.
Sem investimentos e sem manutenção a Educação deixou de ser prioridade para o governo tucano.
Somente nos últimos 5 anos o governo Alckmin foi responsável pelo fechamento de aproximadamente 140 escolas e mantém ainda cerca de 200 escolas e salas de lata. Estima-se que só na cidade de São Paulo foram fechadas 200 mil vagas no ensino fundamental.
Todo cidadão sabe que quanto mais se investe em educação menos se gasta com prisão. Mas, na contramão, os tucanos prometeram em 2005, aumentar de 77 para 118 o número de unidades da Febem no estado.
Um interno da Febem custa aos cofres públicos R$ 1.600,00, mas o índice de retorno dos jovens à criminalidade continua subindo para patamares alarmantes.
Recentemente, o garoto símbolo da instituição, que foi apresentado para a sociedade como prova de que o modelo de ressocialização da Febem dá certo, retornou ao noticiário, mas desta vez em noticias que não eram nadas boas.
Ele foi preso, acusado de matar a tiros um jovem de 15 anos em sua cidade natal, assassinato ocorrido dias antes de ser apresentado pelo governador no lançamento de seu livro na bienal de São Paulo.
Se o governador e seus assessores insistirem em desviar os recursos da educação- como os R$ 4,1 bilhões utilizados indevidamente em outras áreas e que já foi intimado a devolver- e continuar a investir na construção de presídios para a infância e juventude, verdadeiras escolas para o crime, vamos permanecer lamentando o aumento da criminalidade juvenil.
E o Governador Alckmin ainda quer ser o “ gerente do Brasil “!

E agora José?

A Câmara dos Deputados deixou para a semana que vem a votação do projeto de lei que reduz gastos de campanha em 2006.
Os líderes dos partidos decidiram agora há pouco que o projeto será pequeno, com algumas determinações:


*Empresas podem doar no máximo 2% de sua receita bruta anual.

*Proibida a divulgação de propaganda eleitoral em cartazes, camisas, bonés e broches.

*Proibida a distribuição de camisetas, bonés, chaveiros, canetas e qualquer tipo de brinde.

*Proibida a propaganda em passarelas, pontes, viadutos e parada de ônibus.

*Proibida a realização de showmícios.

*Fica mantida a possibilidade de cenas externas na propaganda na televisão.

“É proibida a apresentação, remunerada ou não, de artistas com o fim de animar comícios e reuniões eleitorais e a referência a candidatos ou partidos, durante a realização de apresentações artísticas”.

Uma nova reunião entre os líderes foi marcada para a próxima terça-feira.
Fonte: Blog do Noblat

As amendoeiras e suas mazelas

Prezado Sidney Borges

Conforme mencionado em e-mail anterior, segue abaixo, a pesquisa efetuada pela Bióloga Rosmari Lazarini acerca das doenças que podem acometer as amendoeiras e, em anexo, uma lenda a respeito delas.


Sucesso
respondeambiente-owner@yahoogrupos.com.br


Amendoeiras

Família botânica: Rosaceae
Nome científico: Prunus dulcis (Mill.) D.A. Webb
Nome popular: Amendoeira
Sinônimos botânicos: Amygdalus communis; Amygdalus dulcis; Prunus amygdalus; Prunus communis

A Amêndoa é cultivada desde a antiguidade na região do Mediterrâneo. Atualmente é cultivada na Espanha, Itália, Portugal, Irã e Estados Unidos (Califórnia). No Brasil é mais encontrado em pomares da região sul.

Trazidas da Índia, de onde são nativas, adaptaram-se bem ao nosso clima. São caducifólias, isto é, suas folhas caducam, caem, no inverno. Seus frutos são muito apreciados por morcegos.

Diversas frutas consumidas no Brasil pertencem ao gênero Prunus, incluindo o pêssego, a nectarina, a ameixa, a cereja, o abricó e a amêndoa.

Alguns nematóides, vírus e bactérias podem atacar as amendoeiras e causar algumas doenças. A detecção de certas doenças pode ser realizada através de inspeção visual. Em muitos casos, a doença em estágio inicial não apresenta sintomas visíveis. Muitas vezes, a árvore pode estar acometida por uma doença sem que se perceba os sintomas (aparentemente sã). Neste caso pode ocorrer queda súbita da árvore.


Segue algumas informações a respeito dos agentes promotores de doenças:

- Por nematóides:

Diferentes gêneros e espécies de fitonematóides são responsáveis pelo ataque fruteiras, incluindo Prunus.

Plantas atacadas por Xiphinema americanum, na ausência de vírus, geralmente não exibem sintomas característicos na parte aérea. No entanto, sob alta densidade populacional observa-se redução do vigor da planta atacada, podendo ocorrer necrose e destruição das raízes de culturas suscetíveis. Há dificuldade encontrada pelos taxonomistas na sua correta identificação, constituindo-se um dos aspectos que aumentam, sobremaneira, a sua significância fitossanitária como praga quarentenária para um país.

Alguns indivíduos apresentam altos níveis de resistência a nematóides como certos clones de amendoeiras. Por se tratarem de cultivos perenes, a melhor forma de controlar os nematóides é evitar que sejam introduzidos.
Entre os métodos mais eficazes para o controle de nematóides fitoparasitos estão a resistência genética de plantas, a rotação de culturas e o controle químico.

- Por vírus:

A doença conhecida como “Plum Pox” e também por “Sharka” é causada por um vírus que tem como uma de suas plantas hospedeiras a amendoeira. O vírus pode ser encontrado em brotações jovens, folhas, raízes, botões florais, flores, frutos, caule, no xilema e citoplasma dos tecidos internos. Os sintomas, em folhas, são de manchas verde-claras, anéis ou linhas cloróticas, clareamento das nervuras e distorção das folhas primárias. Os frutos apresentam baixo teor de açúcar, queda prematura e deformações. As sementes podem apresentar anéis e manchas.

- Por bactérias:

Uma variante da bactéria Xylella fastidiosa que destrói as videiras ataca a amendoeira. Esta linhagem da Xylella está sendo submetida ao seqüenciamento e analise de nucleotídeos, sendo fundamental para descobrir os mecanismos de infecção e as causas da praga que afeta plantações.

- Por ácaros:

Ácaros em pomares de amendoeiras têm sido controlados pela aplicação tanto de um pesticida como de ácaros predadores, selecionados em laboratório pela resistência a pesticidas.

O Instituto Biológico (IB) (
http://www.biologico.sp.gov.br/) realiza pesquisas e serviços de sanidade em culturas de importância econômica para a região, destacando-se as pragas e doenças.

Lenda das Amendoeiras em Flor

Há muitos e muitos séculos, antes de Portugal existir e quando o Al-Gharb pertencia aos árabes, reinava em Chelb, a futura Silves, o famoso e jovem rei Ibn-Almundim que nunca tinha conhecido uma derrota. Um dia, entre os prisioneiros de uma batalha, viu a linda Gilda, uma princesa loira de olhos azuis e porte altivo. Impressionado, o rei mouro deu-lhe a liberdade, conquistou-lhe progressivamente a confiança e um dia confessou-lhe o seu amor e pediu-lhe para ser sua mulher. Foram felizes durante algum tempo, mas um dia a bela princesa do Norte caiu doente sem razão aparente. Um velho cativo das terras do Norte pediu para ser recebido pelo desesperado rei e revelou-lhe que a princesa sofria de nostalgia da neve do seu país distante. A solução estava ao alcance do rei mouro, pois bastaria mandar plantar por todo o seu reino muitas amendoeiras que quando florissem as suas brancas flores dariam à princesa a ilusão da neve e ela ficaria curada da sua saudade. Na Primavera seguinte, o rei levou Gilda à janela do terraço do castelo e a princesa sentiu que as suas forças regressavam ao ver aquela visão indiscritível das flores brancas que se estendiam sob o seu olhar. O rei mouro e a princesa viveram longos anos de um intenso amor esperando ansiosos, ano após ano, a Primavera que trazia o maravilhoso espectáculo das amendoeiras em flor.
Fonte: Canto da Terra - Portugal

Tucanos

Alckmin repensa seus planos

"Com o fortalecimento do nome do prefeito José Serra dentro do PSDB, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, reavalia a decisão já declarada de deixar o Palácio dos Bandeirantes a qualquer custo.

Em janeiro, ao anunciar a disposição de concorrer, Alckmin disse que renunciaria até o dia 31 de março, mesmo que não fosse o escolhido do partido para disputar a Presidência.

Segundo seus interlocutores, Alckmin tem dito, porém, que sairá apenas para a disputa presidencial e já estaria admitindo a hipótese de ficar no cargo. Nesse caso, trabalharia para eleger seu sucessor e colaboraria, formalmente, na campanha de Serra."

Fonte: Catia Seabra, Folha de S. Paulo, hoje

Plano Diretor

Segundo a assessora de Assuntos Comunitários, Denise Martins Silveira, a Prefeitura estará presente no evento participativo para discutir o Plano Diretor da cidade. “É neste evento que, junto com os representantes da cidade, apresentaremos propostas e veremos os caminhos que devemos percorrer para a ter uma cidade como queremos”, diz a assessora.

Participação

Os pontos que devem ser abordados no Plano Diretor decorrem dos princípios básicos do Estatuto das Cidades, entre eles, como reduzir as desigualdades sociais, priorizar os interesses coletivos, democratizar as oportunidades da cidade, criar condições de financiamento para a promoção do desenvolvimento local sustentável e melhorar a qualidade da gestão pública, através da participação e controle social. As discussões começam no próximo sábado, dia 4, no auditório da Colônia de Férias do Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté, no Perequê-Açú.

Cristiane Zarpelão

COMTUR EM AÇÃO

Para ciência dos desavisados e, incautos, para não alegarem ignorância: Tenho visto muito e, ouvido outros tantos que a COMTUR isso ou aquilo. A COMTUR, é uma empresa de economia mista, com sua administração regida pela lei das S/A. A empresa tem estatuto que rege seu funcionamento e, determina os requisitos, ritos, normas e, procedimentos formais para sua administração e funcionamento. Tudo o que a COMTUR "fez", "diz" ter feito e, da forma que tem "feito" agido e, noticiado, foge totalmente do previsto em seus estatutos. Tratam-se de ações baseadas em decisões unilaterais, a revelia dos acionistas minoritários, e por esta razão, de inteira e, exclusiva responsabilidade legal, administrativa, financeira, fiscal e moral da acionista majoritária, A Prefeitura, conjuntamente com seu (s) administrador (es) que, em nome dela, ou a seu mando, se manifestam.


De Volta para o Passado!

Sem demérito, dos "direitos" dos indígenas e, outros espoliados e, das suas (concedidas) reservas territoriais, mas, pelos fundamentos sustentados, são donos de todo o territorio que ocupamos. Imagine a hora que reividicarem a Av. Paulista? Fico, além de constrangido pelo uso, com uma tremenda dúvida: Se eu tiver que pagar por todas essas "indenizações", a quem as reivindica, por ações ou danos passados a tantos e, durante séculos, onde posso comprar um ingresso para voltar a 1500 a.c e, optar por ficar na Europa?


Ronaldo Dias

Reparações urgentes.

A demanda por reparações visa a que o Estado e a sociedade tomem medidas urgentes para ressarcir aos descendentes de africanos negros, dos danos psicológicos, materiais, sociais, políticos, educacionais sofridos sob o regime escravista. Cabe ao Estado promover e incentivar políticas de reparações.
É necessário exigir a valorização e respeito às pessoas negras, à sua descendência africana, sua cultura e história, buscar e compreender seus valores e lutas.
Também é preciso criar programas de ações afirmativas para corrigir as desigualdades raciais e sociais, orientada para oferta de tratamento diferenciado com vistas a corrigir desvantagens e marginalização criadas e mantidas por estruturas social excludente e discriminatória, precisamos reparar as injustiças praticadas ao longo de mais de trezentos anos às comunidades afro-descendentes.
Para que isso aconteça é necessário primeiramente que o governo reconheça, demarque e titule suas terras de moradias, roças e extrativismo; depois é necessário que o executivo municipal possa mapear todas as regiões onde se encontram fixado estas comunidades e fazer cumprir nossa Lei Orgânica Municipal.
As comunidades quilombolas da Caçandoca, Camburí, Ponta da Cabessuda, Sertão da Fazenda, Cassanga e Caçandoca agradecem.

Jairo dos Santos – PT
Vereador

Comtur suspende cobrança...

Li a notícia do Ubatuba Víbora, “Comtur suspende cobrança de estacionamento na praia do Félix”, dando como principal razão a sensibilização do poder público pelas necessidades da população do Felix e na melhora do turismo, que passa a não ser extorquido sem reciprocidade.
A notícia da suspensão seria acontecimento que, à primeira vista, emociona os eleitores, não fosse a realidade de que, desde domingo, a cobrança não mais interessa à COMTUR, pois é deficitária.
A cobrança não cobre os custos dos arrecadadores, que custam mais do que a receita que geram ...
Havia notícia de que a COMTUR ou a Prefeitura daria reciprocidade à Praia do Felix pela cobrança que tantos problemas e injustiças gerou.
Assim, é hora de que COMTUR e/ou Prefeitura esclareçam em alto e bom som o que fará pela Praia do Felix, conforme prometido.
Não é demais lembrar que Prefeitura não faz favores em levar serviços e trabalho em favor de seu município: é de sua natureza e de sua obrigação de ofício.
Assim, aguardemos alguma notícia que seja, efetivamente, positiva, mesmo que seja a efetivação de promessa que consta ter sido feita à sociedade de bairro que ajudou na cobrança, tão contestada pela comunidade e constatada, de fato, pela fúria que acometia todos os turistas que foram extorquidos com a cobrança.

Roberto de Mamede Costa Leite
r-mamede@uol.com.br

Cortesias & chapéus

Ronaldo Dias
Amigo Ricardo, com todo respeito a você, as suas idéias, opiniões e manifestações, gostaria, se me permite, de "emendar" sua matéria "Sonho, utopia". Todos podemos sonhar e, sonhamos! Sonhar, faz parte, da natureza humana. O que seria da vida sem os sonhos? No "plano" zen, os sonhos são infinitos em suas formas e temas. Diferente de "sonhar", agora no plano material, é preciso "acordar" para a realidade de que, não podemos ter, como nosso, o que é de outrem, sem cumprir os pré-requisitos legais da aquisição, em suas diferentes formas. Aqueles ritos, que sabemos, até intuitivamente que nem em sonhos, podemos deixar de lado. Agora, quando o "sonhar" é ter como seu, o alheio (particular ou coletivo) só mesmo em sonhos! Quando "acordarmos" e voltarmos ao mundo "real" poderemos constatar que, se não cumprirmos as tais pré condições (legais) para tornar "aqueles" sonhos em realidade, estaremos "fora da lei". As conseqüências de estar fora da lei, não são nada utópicas! Portanto, estar fora da lei, nem em "sonhos"! Também, no Marxismo houveram dificuldades nas distribuições. Muitos reclamavam, da má distribuição de "sonhos" entre os companheiros. Pessoalzinho insatisfeitos aqueles! Imagine, até no marxismo! Com certeza, quando a "distribuição de sonhos" é feita por erro, dolo, omissão, nepotismo e, outras formas de realização utópicas de "sonhos", distribuídos à privilegiados ou eleitos "sonhadores", os preteridos, insones e acordados para a realidade, reclamam. - Houve sorteio? - Não? - Porque só "sonhos" para uns e insônia para outros? Claro, quando a "distribuição" destes "sonhos", passa pela ação de distribuir o que é de outrem ou do que é coletivo (público) (o que é uma tremenda sacanagem), resta, no mundo civilizado, aos tais preteridos, o aparo legal. Este amparo, é a garantia deles, do direito de também poder "sonhar". Igualdade perante a lei, no estado democrático, não é uma utopia. Sonhar sim, em igualdade de condições! Está previsto na Lei Maior. Insistir na forma "utópica" de se "distribuir sonhos" para alguns, em detrimento de outros, sob qualquer alegação ou justificativa, amigo, será sempre um pesadelo.

“UM ANO DEPOIS”

Corsino Aliste Mezquita
O tempo passa. O governo municipal já completou treze meses. Só faltam trinta e cinco. O progresso planejado e harmônico prometido para nossa bela e querida Ubatuba não decola. O “resgate” está por vir.
Em Janeiro de 2005 publicamos artigo sob o título: “INCOMPÊTENCIA MATA”. Apoiados em conceitos do especialista em recursos humanos, Sr. Luis Marins, afirmávamos que: “As empresas públicas ou privadas que não possuam um quadro de funcionários estáveis, bem treinados e eficientes nunca terão funcionamento satisfatório”.
A seguir comentávamos que, Ubatuba, não progredia por seguir no rumo oposto às diretrizes de Luis Marins, da própria legislação municipal e das cobranças e orientações do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo e do Tribunal Regional do Trabalho de Campinas.
Exemplificávamos com a nomeação abusiva de cargos em comissão atribuídos a pessoas despreparadas e sem a formação acadêmica, técnica e de experiência para desenvolver um trabalho produtivo e eficiente, como determina o artigo 37 da Constituição Federal.
Concluíamos:
“São casos preocupantes que nos levam a pensar que, o Sr. Prefeito, não conhece as pessoas ou não está controlando o que está sendo feito nas diversas repartições municipais”.
“Esses cargos entregues a despreparados poderão matar a administração e, certamente, matarão as secretarias, serviços, seções e setores a eles atribuídos”.
O espírito assumido do cognome com que é conhecido, o Sr. Prefeito, não lhe permitiu entender a mensagem e a finalidade do artigo. Viu nele “INJÚRIA, CALÚNIA E DIFAMAÇÃO” e solicitou, da Primeira Vara Criminal de Ubatuba: “Pedido de explicações n° 66/05”. As explicações foram fáceis, breves e, prontamente, aceitas pela Justiça. O Sr. Prefeito não conseguiu silenciar, de pronto, uma das vozes discordantes. Outras vezes o tentou, com métodos pouco recomendáveis a um administrador. Sem sucesso. A frase de Luis Marins fica, cada vez, mais evidenciada. Também não tem conseguido silenciar outras vozes mais estridentes, competentes, qualificadas e numerosas. Que tem tentado, tem tentado!.
A frase de Luis Marins: “Incompetência mata” ficou provada, à saciedade, durante o exercício de 2005. Conflitos, contradições, agressões, ausência de planejamento, desmentidos, demissão de secretários e funcionários, etc, etc. As provas e conseqüências negativas ultrapassaram as previsões do mais pessimista cidadão. Observando a realidade, após treze meses de administração, não podemos deixar de lembrar outra frase do mesmo autor: “Quem, ao assumir um cargo de chefia não consegue resolver os conflitos preexistentes e evitar que outros sejam criados, é incompetente para administrar”. Sendo a frase verdadeira não podemos acalentar grandes esperanças. Neste momento, Ubatuba, é uma terra de conflitos. Só citarei aqueles públicos, notórios e com abrangência para toda a sociedade: Conflito COMTUR e estacionamento, Conflito Quiosques, Conflito Parque Trombini, Conflito Feira Hippie, Conflito Terceirização da Merenda Escolar, Conflito Amendoeira Centenária, Conflito PT, Conflito Secretária do Meio Ambiente, Conflito Congelamento. Difícil administrar uma cidade com tanto conflito.
Deixamos para parágrafo aparte o que nos parece o maior conflito: “CONFLITO CARGOS EM COMISSÃO”. A administração municipal não atendeu as orientações do Tribunal Regional do Trabalho de Campinas, consolidadas no Termo de Ajuste de Conduta n°1339/04 e, além das conseqüência jurídicas, pela criação de mais de cento e cinqüenta cargos que não podem ser lotados em comissão, o município, fica exposto às práticas mais reprováveis da administração pública brasileira, quais sejam: Apadrinhamento, nepotismo, nomeação de despreparados, de pessoas que não comparecem ao serviço, de ignorantes que não conhecem as suas funções, os seus limites e criam outros problemas funcionais e sociais, etc. A essas mazelas temos que acrescentar que, com a política adotada pela atual administração, nomeando indiscriminadamente em comissão, criando empregos celetistas, terceirizando serviços e não nomeando funcionários em caráter efetivo, nunca a Administração Municipal terá um quadro funcional estável, bem treinado, eficiente, seguro de si e satisfeito. Isso criará clima de insegurança, insatisfação e constantes crises a cada mudança de governo ou a cada problema político por insignificante que seja. Um planejamento municipal sério e responsável não pode esquecer que, Ubatuba, tem um Instituto de Previdência sólido, estável, com notável patrimônio que tem que ser mantido por ser mais econômico, fazer circular seus recursos dentro do município e conceder garantias de segurança aos servidores que dele dependem ou por ele recebem aposentadorias ou pensões. Planejar é preciso!.
Um ano depois temos que confirmar as frases de Luis Marins: “Incompetência mata”. “Quem cria conflitos, que não sabe resolver, é incompetente para governar”.

O peixe morre pela boca



Luiz Moura
Como é impossível para uma pessoa acompanhar tudo o que acontece na Internet, há algum tempo, o portal UbaWeb tem uma equipe de colaboradores que o ajuda. Um desses colaboradores está encarregado de acompanhar o orkut "
Eduardo De Souza Cesar" e das pessoas que fazem questionamentos naquele espaço.
Surpreso, recebi cópia da mensagem acima (destacada com o meu grifo em vermelho), postada neste último fim de semana. Para referenciar, transcrevo abaixo, três scraps dos orkuts "Eduardo De Souza Cesar" e "J_E_H_U T_0_Z_A_K_I".
A afirmação do prefeito Eduardo César (?), em resposta a uma mensagem postada em seu orkut, demonstra imaturidade política (apesar de ter permanecido vereador por 12 anos consecutivos), desconhecimento da inter-relação entre os usuários da "grande rede" (Internet) e falta de compromisso com a verdade, citando apenas três dos pontos negativos que encontramos em sua conduta. Falta de pulso na condução de seus subordinados, insegurança (que gera a morosidade) na tomada de decisões e desconhecimento do que acontece "sob as suas barbas" são outros três pontos, mas o objetivo deste repúdio não é mostrar a quantidade de pontos negativos que Eduardo César carrega em suas costas.
Eduardo César afirma que os sites A Semana, Jornal Agito Ubatuba, Litoral Virtual, O Guaruçá, Revista Local, Ubatuba News e Ubatuba Víbora, citando apenas alguns dos que mantêm os internautas atualizados sobre o que acontece em Ubatuba, "são compostos por pessoas que só pensam em derrubar quem está na administração".
Nenhum dos responsáveis pelos sites citados pretende "derrubar" o prefeito Eduardo César. Primeiro, porque os sites não foram criados com este propósito e, finalmente por saber que, pelas atitudes que o prefeito vem tomando e pelo que fala, é só esperar para vê-lo "cair de maduro".
A revista UbaWeb, de atualização mensal, foi editada de 27 de outubro de 1997 até 08 de março de 2004, quando O Guaruçá deu continuidade ao seu objetivo de divulgar a cultura caiçara, fazendo-o diariamente e, sem uma única interrupção desde aquela data.
O Conselho Editorial d’O Guaruçá repudia o conceito imposto por Eduardo César a toda a revista, hoje composta por mais de 1000 colaboradores espalhados por todo o planeta.
Aproveitando, pergunto ao internauta Jehu Tozaki, como ele soube que "a Assistência Social está realizando um ótimo trabalho junto a população e com isso diminuindo significativamente o desemprego"? Se possível, gostaria que ele explicitasse que trabalho é este.
... e como diz o ditado: "Quem viver, verá!"


Scraps do orkut

28/01/2006 - 01:35
J_E_H_U: oi Eduardo, como já havia dito antes, estou longe de Ubatuba, mas me mantenho informado do que ocorre na cidade. não sou do tipo de pessoa que apenas fala mal da administração municipal, quando vejo algo que foi realizado em prol da cidade me vejo na obrigação de parabenizar a prefeitura. fiquei muito feliz em saber que a Assistencia Social está realizando um ótimo trabalho junto a população e com isso diminuindo significativamente o desemprego, deixo aqui então meus parabéns a Assistência social de Ubatuba.
imagino q esse scrap não será apagado, gostaria muito que nenhum deles seja, pois não pretendo gerar debates em seu orkut, mas deixar relatado que de erros e acertos podemos caminhar em frente... um passo a frente e dois pra traz, dois passos a frente e um a traz, o ideal são todos os passos em direção a uma cidade muito melhor!


28/01/2006 - 07:26
Eduardo: Jehu, tenho certeza que se vc pudesse conhecer, e vai poder, os bastidores da prefeitura , verá como se tarbalha e como é difícil, mas saiba onde se trabalha sério e com amor, mesmo que demorem os frutos o que nos conforta é que são boas as sementes, e em pouco tempo veremos, Ah! um pedido não se baseie pelos sites de nossa cidade que são compostos por pessoas que só pensam em derrubar quem está na administração, e a prova disso é que vc de longe viu um ponto positivo, será que eles aqui não conseguem ver nada? um abraço.

28/01/2006 - 19:46
J_E_H_U: oi Eduardo, com certeza não me baseio apenas nos sites de Ubatuba, tenho muitos outros meios de me manter atualizado, mesmo que as vezes as informações cheguem tardias, elas chegam! e quanto a conhecer os bastidores de uma prefeitura, bom, eu conheço, e sei que não é fácil se administrar uma cidade, sei também que quem se dispôs a tal cargo tem que ter isso em mente desde o início; é difícil sim, mas não impossível. administre com seriedade e competência, quando os aspéctos positivos de sua administração superarem os erros bobos certamente até os sites que até então apenas souberam malhar a prefeitura serão obrigados a admitir isso.utilize as críticas feitas por esses sites como aprendizado, algo que nenhum prefeito de ubatuba até então fez, por pior que sejam as críticas, sempre existe algo a se aprender, se criticaram é porque algo de errado foi feito, então algo terá que ser revisado, afinal o prefeito, os vereadores e toda a administração pública não são nada mais que funcionários do povo. um abraço.

Notícias da Prefeitura


Moradores do Félix comemoram a decisão da Comtur

Comtur suspende cobrança de estacionamento na praia do Félix

A Comtur (Companhia Municipal de Turismo) e a administração municipal acataram a reivindicação dos moradores da praia do Félix, região norte do município e decidiram suspender a cobrança do estacionamento naquela localidade. De acordo com o administrador da regional norte, José Roberto Júnior, a comunidade local sobrevive praticamente do comércio ambulante e da cobrança do estacionamento feita até então pelos guardadores de carro que vivem na localidade. “A população alega que com a cobrança da zona azul pela Comtur, além de diminuir o número de turistas na praia, diminuiu também a renda do pessoal que guardava os carros”, afirma José Roberto. Segundo ele, sensibilizado com a situação o prefeito decidiu, em conjunto com a Comtur, suspender a zona azul daquela praia. Em reunião realizada na manhã de quarta-feira, 1, o administrador da região norte, acompanhado de seu “Berico”, um dos líderes do bairro, deu a notícia da suspensão da cobrança da zona azul aos moradores. PMU

Fundart



Fundart prepara um Carnaval para balançar o coreto

A programação do mês de fevereiro da Fundart, como não poderia deixar de ser, dará ênfase para as festividades carnavalescas. Durante os dias 10, 11 e 12, acontece o “I Festival de Marchinhas”, no Ginásio de Esportes Tubão. Considerando que este é o primeiro evento, o número de participantes superou as expectativas dos organizadores, totalizando 30 inscrições.
Já nos dias 26, 27 e 28, a alegria fica por conta do Baile Carnavalesco que acontecerá na
Praça Exaltação da Santa Cruz, a partir das 21h. A Fundart programou um carnaval à moda antiga, com máscaras, bonecões, fantasias de melindrosas, marinheiros, pierrot, ciganos e havaianos. Os bailes contarão com a presença de blocos tais como “O Guaruçá” e “Recordar é Viver", que irão mostrar sambas, brincadeiras e marchinhas tradicionais. Para isso, as ruas laterais serão bloqueadas e a Banda Lira, sob o comando do regente Valdeci dos Santos, animará a festa de momo. PMU

quarta-feira, fevereiro 01, 2006

Para dar certo...

Editorial

O Irã é a bola da vez

Os Estados Unidos tem sede de petróleo. Afirmação sincera do presidente americano George W. Bush. O petróleo do Oriente Médio é a grande obsessão do stablishment energético da grande nação do norte. Apesar das evidências gritantes dos malefícios da queima de combustíveis fósseis, a sanha irracional em busca do controle absoluto do ouro negro não vai arrefecer. Não tenham dúvidas os leitores, depois do Iraque, chegou a vez do Irã, cujas jazidas de petróleo são cobiçadas pelos americanos há muito tempo. A lenda das armas de destruição em massa de Saddam Hussein - criatura forjada nos Estados Unidos - resultou na guerra que depôs o ditador e que parece nunca terá fim. O pretexto para a nova aventura bélica é a construção de artefatos nucleares pela nação dos aiatolás. Piada de mau gosto. O que eles poderiam fazer com uma ou duas bombas contra o poderio nuclear de Israel? Além do mais, pagando bem é possível comprar bombas atômicas da máfia russa. A questão do petróleo vai gerar ainda muita confusão, mas o terrorismo que advirá da insanidade americana já começou a tomar forma com os furacões que atacaram este ano. Outros virão. Cada vez mais devastadores. Quero saber em quem os "falcões" vão colocar a culpa. Alguém pode imaginar que será no fanfarrão Chávez, o bufão venezuelano. Engano, Chávez está blindado. Condoleeza Rice e José Dirceu negociaram a blindagem. Enquanto queimar bandeiras listradas e enforcar bonecos do "Tio Sam", será tolerado. A pantomima é para o consumo das esquerdas míopes da América do Sul. Caso avance a linha vermelha imposta pelo "Grande Satã", com qualquer menção ao corte no fornecimento de petróleo, terá os testículos "machacados". Chávez é bufão, mas não é bobo, não vai querer perder a boquinha. Quanto ao Irã, logo os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU - Estados Unidos, China, Rússia, França e Reino Unido, decidirão que deverá ser feita uma intervenção militar. O Irã precisa de energia nuclear, os Estados Unidos precisam de petróleo enquanto o planeta Terra precisa respirar. Equação sem solução, não foi computada a variável Israel, que precisa existir.

Sidney Borges

Não é o que parece...



Segredos da natureza

A foto foi tirada no exato momento em que a sapa, desgostosa da vida, tentava o suicídio, atirando-se da folha para o infinito dos abismos imponderáveis do universo. Foi salva no último instante pelo abnegado sapo - não é nenhum príncipe, é sapo sapo - que é visto segurando a doidivanas num abraço capaz de tirar da cabeça de qualquer fêmea a idéia de suicídio. Pelo menos temporariamente. Depois disso ela desistiu da morte e passa os dias cantarolando a canção dos Beatles "The fool on the hill", sem que ninguém saiba o porquê.

Sidney Borges
 
Free counter and web stats