sábado, janeiro 07, 2006

Do além...

Bomba, bomba.

Ibrahim Sued via médium.
Litoral de São Paulo - E atenção, um vereador marreteiro foi apanhado com a boca na botija. Surpreendido vendendo óculos contrabandeados o “nobre edil” exclamou:
- Ninguém me avisou que hoje tinha fiscalização!
Heavenews

Ó aqui proceis...


corrupto

Paraíso dos Borges


Nada se compara ao ambiente de uma livraria, pelo menos para mim

Uma vez perguntaram a Jorge Luiz Borges como ele imaginava o Paraíso. Uma espécie de biblioteca, foi a resposta. Para quem gosta de livros, Ubatuba agora dispõe de uma filial da Nobel. Já era tempo...

Sidney Borges

Boas Festas



Os verdadeiros amigos nunca nos esquecem. Acabaram de me enviar esse mimo de Boas Festas. Fico imaginando o que receberei dos inimigos.

Sidney Borges

Oportunidades Perdidas

São de dar pena as oportunidades perdidas de Ubatuba, e principalmente a diferença do nível de vida de nossa população frente a outros Municípios.
O Brasil não esta vivendo um mar de rosas, o próprio presidente Lula, esta perdendo uma grande oportunidade, enquanto China cresce 10% ao ano, Rússia 8%, Argentina 5% e Chile 4%, aqui no país do futuro 2%, Ubatuba não esta longe, não é necessário falar de Caraguatatuba, mas e os outros Municípios, até São Luiz do Paraitinga vai começar cobrar zona azul, de tantos veículos que o visitam no carnaval.
Ubatuba tinha um evento, JOGOS PARAOLÍMPICOS DE UBATUBA, esse evento tinha um apoio pequeno, mas existia da Prefeitura, resultado mais de 200 atletas, mais de 150 inserções na TV Globo, e Ubatuba sendo vista como cidade do bem, que cuida bem de seu povo, agora o Portador de Deficiência não tem mais seu evento principal quebrando 3 anos consecutivos, não tem mais a amendoeira, talvez perca a cruz, afinal diziam que a arvore não iria e foi, e sei lá.
Não leio posicionamentos por parte do Executivo sempre na Câmara certos ou errados perante a opinião dos grupos ali representados, nos pronunciávamos, saudades do Amigo e Vereador Eduardo César, mas quanto ao Maurinho, não me surpreende, nem a todos que o conhecem, ou ao Eduardo, nem aos seus amigos, nem a população que freqüentavam o seu Gabinete na Câmara, agora na Prefeitura, embora seja difícil dizer não, e esta é a posição política do Maurinho, dizer o mesmo não é uma arte, mas não arte marcial viu Maurinho, espero que não queira bater em mim também, afinal como dizia, sempre teve vontade.

André Luiz dos Santos
Ex-Presidente ADUBA

Quiosques em revista

Justiça proíbe mesas em praias de Ubatuba

Uma decisão da Justiça proíbe desde anteontem que os quiosques de Ubatuba (224 km de SP), no litoral norte do Estado, mantenham mesas e cadeiras nas areias das praias para uso dos clientes.A proibição atende a um pedido do Ministério Público, que entrou com a ação após turistas denunciarem que quiosques na cidade estavam cobrando consumação mínima de até R$ 50 dos fregueses para que tivessem o direito a utilizar as mesas e cadeiras na areia.Segundo a promotora regional de Meio Ambiente, Elaine Taborda, o Ministério Público pediu a proibição na Justiça depois que turistas procuraram o Procon para reclamar da cobrança. "Trata-se de uma cobrança ilegal e abusiva. Por causa disso pedimos ao juiz essa punição", disse. Segundo ela, "as areias das praias, que estavam sendo ocupadas pelas mesas e cadeiras dos quiosques, são área pública. Ninguém pode ser obrigado a pagar para permanecer em área pública". A decisão foi do juiz Geraldo Fernandes Ribeiro do Vale, da 2ª Vara Cível de Ubatuba. A pena pelo descumprimento é de R$ 100 mil. Ubatuba tem 98 quiosques cadastrados pela prefeitura, que autoriza a cada um deles instalar, no máximo, 30 mesas e 120 cadeiras num trecho de areia próximo.Carlos Roberto dos Lagos, presidente da Associação dos Proprietários de Quiosques de Ubatuba, chamou a proibição de "injusta" e disse que os comerciantes terão prejuízo. Segundo ele, a entidade irá recorrer da decisão: "Ninguém ainda provou que a cobrança de consumação mínima realmente existiu". "Em princípio, nós vamos respeitar a decisão da Justiça. Mas tenho certeza de que, sem mesas e cadeiras, os turistas vão se afastar dos quiosques, e nós, comerciantes, teremos um grande prejuízo."
Fonte: FÁBIO AMATO da Agência Folha, em São José dos Campos

Próxima parada:

Pela finada

Miriam Tabarro
Ainda está em tempo de eu expressar meu veemente protesto pelo corte da amendoeira, na praia do Cruzeiro que, segundo um laudo apresentado pela Prefeitura, estava doente, ameaçando o enooooorme número de pessoas que se abrigavam sob ela.
Estranho é que, com as ruas esburacadas, o clima que não ajuda, os quiosqueiros em polvorosa e outros tantos problemas, a atual administração resolveu se dedicar à saúde de nosso verde.Tal iniciativa poderia ser louvável se: a pobre árvore não tivesse o azar de estar onde estava; se, em lugar de assassiná-la resolvessem tratá-la; se esse "exame clínico" tivesse sido feito em outra época, e um monte de outros “se”. Mas a pobre coitada deu o azar de se mostrar "doente" no lugar e momento errados.
O motivo do crime? O assentamento da feira de artesanato (que de artesanato não tem nada), também chamada de “feirinha ripe” que, acho eu, com o devido respeito ao bairro, deveria ser instalada no sertão do Ubatumirim.
A frase recorrente que me vem à cabeça nessas ocasiões é: Ubatuba anda para trás, Ubatuba anda para trás, Ubatuba anda... Bom, logo mais teremos eleições.

Não é dando, que se recebe.

Ronaldo Dias
Ubatuba é o que é, pelo que tem. O que tem, tem oferecido e, do melhor. Oferece sua paisagem, suas praias, sua orla, sua Mata, suas cachoeiras, seus rios, suas trilhas, seus mangues, sua fauna, sua flora, oferece enfim, sua natureza. Oferece também seus espaços públicos, suas calçadas, suas ruas, praças, logradouros, oferece e, coloca a disposição de todos seus visitantes, o melhor do seu meio ambiente. A cada ano, a cada final de semana, a cada feriado, a cada temporada, a cada período, nós, moradores, e demais apaixonados por Ubatuba, podemos ver, sentir, perceber e, concluir que, neste caso, não é dando, pela menos desta forma, que se recebe. Quando tudo é dado e oferecido de graça, quem da valor? me digam um exemplo! Quando tudo acabar, não haverá mais o que oferecer. Quem virá? Quem ficará?

E-mails à redação

Senhor Editor,

Venho manifestar minha solidariedade a esse órgão informativo e à sua pessoa, prestigioso jornalista, e indignação contra a atitude arbitrária do representante oficial da Prefeitura Municipal de Ubatuba, que mesmo contra todos os preceitos de preservação do meio ambiente, decidiu abater a amendoeira.
Como freqëentadora dessa cidade, usufruindo das delícias de suas praias, convivendo com moradores simples e amáveis, e indicando-a a diversos amigos que vivem no exterior, já tomei providências no sentido de informá-los sobre o acontecido, indicando outras localidades para passarem suas férias, onde há respeito à natureza e à imprensa.


Maria Aparecida Amalfi Meca Ferraz de Campos,
Assistente social do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo.

Notícias da Prefeitura

Audiência Pública

A prefeitura de Ubatuba convida a população para a Audiência Pública relativa à Urbanização da Praia Grande, que será realizada no próximo dia 18, na Câmara Municipal, a partir das 19:30h. O objetivo da audiência é mostrar o projeto e discuti-lo com a população.Toda a sociedade local está convidada a participar. PMU


Prefeitura consegue cancelamento de multa e autorização para retirada de rochas no Rio Grande

Obra para facilitar passagem de barcos deverá ser retomada em breve

A Prefeitura de Ubatuba recebeu na última quarta-feira, 4, um comunicado da Coordenadoria de Licenciamento Ambiental e Proteção de Recursos Naturais informando que foi cancelado o auto de infração elaborado em outubro passado por ocasião da tentativa, por parte da prefeitura, da retirada de algumas rochas que dificultam a passagem dos barcos na Foz do Rio Grande. Na ocasião, a Polícia Ambiental impediu a continuidade da obra, que teve início com a retirada de terra e aprofundamento do leito do rio, alegando falta de licenciamento ambiental. No entanto, a desobstrução, por não provocar dano ambiental, já havia sido dispensada da necessidade de licenciamento pela Secretaria Estadual do Meio Ambiente.
A notificação da Coordenadoria de Licenciamento Ambiental, além do cancelamento do auto de infração, informa também que os argumentos de defesa constantes do recurso apresentado pela Prefeitura “são suficientes para abalar a convicção da imposição da multa” e ainda faz uma observação de que todos os órgãos ambientais - DAEE, DAIA, DPRN, Cetesb, Ibama, além da própria Secretaria Estadual do Meio Ambiente – se posicionaram pela não necessidade do licenciamento.
“A Prefeitura deverá em breve dar continuidade a obra de desassoreamento do Rio Grande, um problema antigo da comunidade pesqueira que há muitos anos reivindica e espera a solução por parte do Poder Público”, afirma o prefeito Eduardo César. A obra tem inclusive recursos estaduais através do Fehidro, Fundo Estadual de Recursos Hídricos. PMU


Prefeitura realiza demolição de casa construída em área congelada

A Prefeitura Municipal de Ubatuba, através da Comissão de Congelamento de Núcleos Habitacionais Irregulares realizou na última quinta-feira, dia 5, a demolição de uma casa na região do Ranário, próximo à Praia da Itamambuca. A casa havia sido construída após o congelamento da área. Foi necessário reforço policial para a retirada dos moradores do local.
O dono da área já havia sido notificado do embargo, porém, ele ignorou a notificação da Prefeitura e continuou a construção até a conclusão da obra. O coordenador do projeto de congelamento da prefeitura, Claudinei Salgado afirma que um longo processo de conversação vinha acontecendo desde dezembro, porém, o proprietário se recusou a tomar as medidas necessárias para que o processo se desenrolasse de forma menos traumática. “Fomos obrigados a desocupar e demolir a casa com dor no coração, mas essa uma atitude necessária para manter a credibilidade desse projeto que tem fundamental importância para o crescimento ordenado do município.”
Hoje, em Ubatuba estão congelados 15 bairros no total. Essas áreas podem ser identificadas por placas instaladas no local, que indicam o número de casas já existentes. Claudinei aconselha às pessoas que têm interesse em construir que primeiro consultem a prefeitura para saber sobre a regularidade do terreno, para evitar demolições. PMU


Ubatuba ganha destaque em revista de turismo de circulação nacional

Revista Viagem, da Editora Abril, mostra as oito praias perfeitas de Ubatuba

Ubatuba mais uma vez ganha destaque em revista de circulação nacional. A edição deste mês da revista Viagem traz como chamada de capa as “18 praias perfeitas do litoral norte paulista”, sendo que oito destas praias estão em Ubatuba. Nas páginas centrais Ubatuba é destacada com as praias do Cedro, Bonete, Vermelha do Sul, Vermelha do Centro, Itamambuca, Poruba, Almada e Promirim.
A repórter Claúdia Carmello percorreu as praias citadas e mostrou as pecualiaridades de cada local, enaltecendo a Mata Atlântica que recorta o município. São dicas de charmosas pousadas, locais para trilhas e praias para todos os gostos, desde para os praticantes de surfe, como a Vermelha do Centro e Itamambuca até a praia do Poruba, para quem prefere ficar horas sem a companhia de ninguém.
Além de praias a matéria ainda oferece dicas de serviços apontando os melhores lugares para se hospedar, comer , fazer compras e passear.


Outras praias

Em Bertioga e São Sebastião são destacadas as praias da Riviera de São Lourenço, Juréia, Barra do Uma, Brava de Boiçucanga, Camburi, Maresias e Toque-Toque Pequeno. Em Ilhabela são citadas as praias do Bonete, Castelhanos e Armação. PMU


Execução Fiscal está em novo endereço

O Serviço de Execução Fiscal da Prefeitura de Ubatuba está à partir desta sexta-feira, 6, atendendo em novo endereço. O Serviço passa a funcionar agora na avenida Dona Maria Alves, 880, com entrada pela rua Alfredo de Araújo, s/n, no centro. Os novos telefones são (12) 3832-6652 e 3832-6693. O horário de funcionamento é das 8 às 18 horas. PMU

A ADMINISTRAÇÃO JÁ PENSADA

Ernesto F. Cardoso Jr.
Administrar é, em suma, como GERIR e GERAR. No âmbito do GERIR estão as responsabilidades de rotina que ao administrador cabe supervisionar, mas, cuja responsabilidade operacional ele incumbe aos seus diretos auxiliares. No âmbito do GERAR é que se situa a específica arena do administrador, na qual ele deve deixar sua marca pessoal, criativa, inovadora e tanto mais quanto ele se aproxime do topo da pirâmide.
Administrar é ciência seguida de prática e experiência. Este é o ordenamento moderno de todas as profissões técnicas. Em nosso meio, onde o ensino da ciência da administração é relativamente recente, aqueles que amealharam sucesso administrando a seu modo, tendem a valorizar a experiência e prática acima da ciência, invertendo e desorganizando o processo. Nos paises desenvolvidos, onde a pesquisa científica é o mote de seu progresso em todas as áreas, na administração, os cursos de MBA são condição necessária ao ingresso nos altos postos da carreira de Executivo. As melhores universidades americanas, há mais de século, imitadas depois pelas européias, seguidas das asiáticas e atualmente, também, pelas sul-americanas, comprovam pelo currículo multidisciplinar de seus cursos de graduação e pós-graduação - MBA, para cuja admissão exige-se formação acadêmica prévia, que a administração é ciência composta, ou derivada, de diversas ciências e técnicas e que como tal enriquece-se com a prática e a experiência do acadêmico, do graduado, do pesquisador, do cientista e, também, do executivo formal. É exigência corrente na admissão aos cursos de pós-graduação – MBA, ser um “undergraduate”, (bacharelato, diríamos aqui) em áreas afins – engenharia, matemática, fimamças, contabilidade, psicologia, estatística, economia, relações internacionais, etc. O que se almeja é, exatamente, mesclar todo o conhecimento acadêmico pertinente e fundi-lo de molde a produzir um executivo de amplo espectro, de larga visão, de abalizados conhecimentos, de aguda e perspicaz inteligência.
Como comumente se apregoa, administrar é alcançar resultados através da ação de terceiros. O executivo, todavia, não está sozinho neste afã. Na realidade todo aquele que lidera pessoas em busca de determinados objetivos, em qualquer área da atuação humana, da mesma forma busca obter resultados através delas. Daí a necessidade de se ter bons conhecimentos de Psicologia, em especial Social. Saber lidar com pessoas e em equipe pode ser intuitivo, mas, será bem mais produtivo e consistente se houver ciência.
No mundo globalizado em que as empresas hoje se situam, não importa se seus mercados são locais, regionais, nacionais ou multinacionais, ao administrador incumbe entender solidamente macro e microeconomia. Quanto mais sólidos forem seus conhecimentos destas variantes da Economia, tanto mais capaz será de entender a equação em que se situa sua empresa, as forças que o constrangem, os fatores que o limitam, as incógnitas que precisa aquilatar e daí derivar as oportunidades que se apresentem e o futuro que se delineie. Será, assim, capaz de esmiuçar esse futuro, transpondo-o para um planejamento sólido de médio e longo prazos, capaz de traçar caminhos, objetivos, planos e estratégias, para o desenvolvimento sólido da empresa e de seus negócios. Sem esse instrumental lhe será muito difícil abarcar, por exemplo, as conseqüências e implicações das negociações que se desenvolvem atualmente no âmbito das Relações Internacionais de comércio na criação das zonas aduaneiras, das áreas de livre comércio; as intrincadas negociações na OMC – Organização Mundial do Comércio, nas constantes rodadas de abertura comercial para produtos e serviços. Tudo isto tem implicações diretas sobre negócios em geral.
Assim como em Economia, o conhecimento de matemática avançada – cálculo integral e diferencial, programação linear, análise combinatória, estatística, são ferramentas indispensáveis à análise econômica, na administração de grandes conglomerados que atuam em acirrada concorrência, essas ferramentas tem de fazer parte do acervo de conhecimentos do administrador, atualmente facilitadas pela aplicação na informática de softwares analíticos, outro área de conhecimento indispensável à tomada de decisões em base científica, longe do empirismo de antanho.
Na confluência destas e de outras ciências e técnicas desponta o marketing científico, como que síntese de tudo o que o administrador deve saber, ciência imprescindível ao bom desempenho de qualquer empresa mercantil.
GERAR é, pois, fazer nascer, criar, dar condições de crescimento, expandir mercados, ganhar o bom combate da concorrência.
Por tudo isto e muito mais, administrar é como GERIR e GERAR. Os que apenas GEREM (gerir), ocupam os escalões subalternos. Os que se capacitam para GERAR, adquirindo conhecimento científico fundamentando sua experiência, prática e talento, são os que assumirão o topo da pirâmide. Mais que os governantes, no mundo atual, os Executivos de conhecimento e talento são os maiores promotores do progresso e bem-estar dos povos.
efcardosojr@uol.com.br
MBA e Bacharel em Economia
Ex-Executivo em várias grandes empresas e projetos

sexta-feira, janeiro 06, 2006

Absurdos acontecem...

Gerson Florindo
Lembro nestes últimos acontecimentos equivocados do Hotel Jangadeiro, que pelo meu amigo proprietário descaracterizou uma arquitetura antiga, que acredito ser melhor do que a que substituiu, do ponto de vista turístico e histórico. Hoje mais parece uma agência do Unibanco, ou qualquer banco, deste que não é novidade nenhuma e que também não tem nenhum vínculo bom com a historia do Brasil, nem do nosso povo. Depois fiquei sabendo pelos meus conterrâneos mais antigo, que ali também tinha um ranchão de canoa, onde os caiçaras todas as tardes se encontravam, contavam historias, mentiras de pescadores, causos dos seus ancestrais, coisas do nosso folclore, do palco que foi essas ondas verdes no passado, em fim, nesta Praia só existia mesmo era esse ranchão, o resto era só mato.
Acontece que aos poucos e desordenadamente vão acabando com a nossa cidade, não temos mais o caiçara que já esta em extinção, também o jundú, a história e a cultura.
A cidade vai se transformando numa outra cidade que não tendo identidade também já não interessa mais aos turistas que nos visitam. O que temos por aqui, eles já estão cansados de ver em outro lugar: Posto de gasolina, agência do Unibanco, Santa. Casa no Caos, ônibus gaiola, mendigos jogados nas ruas esburacadas, ociosidade e depreciação sem precedentes em toda a cidade, desempregos, perdas de oportunidades promissoras, etc.
A árvore centenária, pode não significar muito para a administração, mas não deixa de ser um símbolo de continuísmo da destruição da nossa cidade, que ao longo de uma seqüência de administrações ruins vai aos poucos acabando com as riquezas que temos. Depois reclamam da crise que vive o município, resta, num ato cômodo, pôr a culpa em Cunhambebe.
Enquanto petista, peço desculpas, mas não temos mais o que fazer. Já reunimos, falamos da falta de assessoria, da falta de debate e discussão em grupo, de pessoas esforçadas para ajudar o município, de quadros técnicos capacitados, mas o Prefeito prefere mesmo conviver com os inimigos, aqueles que ele venceu na última eleição. E agora acontece isso a cada dia. Resta-me ser solidário aos companheiros agredidos por terem plena consciência que a perda é irreversível.
* Diretor do Sindicato dos Bancários e Vice Presidente do PT de Ubatuba

Sangrando a natureza

Márcia de Pádua
Olá, sou bióloga e moro em Curitiba e em setembro e outubro (2005) estive em Ubatuba e conheci o segundo paraíso, o primeiro fica na baía de Guaraqueçaba - Superagüí, é claro tenho que prestigiar o Paraná, mas pretendo estar novamente aí ainda esse mês, mas, o que tenho a declarar é sobre a matéria que li "
Um crime sim senhor": Lutar pelo que se acredita quando poucos respeitam o que acreditamos é uma tarefa árdua, espinhosa. Mas tem lá suas vantagens - quando alcançamos uma pequena vitória, ela se transforma num bálsamo no meio de tanto desequilíbrio. Infelizmente continuam as atrocidades com a natureza que ainda alguns são capazes de ignorar uma vida, pois, não doeu nem sangrou naqueles que não sabem o significado da vida dessa natureza. O que não podemos é desistir de insistir... salvar essas vidas. E continuamos em frente. Abraços.

Quando impera a bestialidade

Fiquei estarrecido ao saber que as amendoeiras da Praia do Cruzeiro foram arrancadas de forma vergonhosa pela municipalidade, tendo a frente da empreitada o fiel escudeiro do Prefeito, que num ato insano agrediu físicamente alguns cidadãos de bem de nossa cidade.
Fica meu repúdio e lamento a esta administração, que tem agido autoritariamente e em benefício de grupos ou apadrinhados que ocupam cargos de comissão, inclusive sendo um deles, sogro e cunhadas do citado cidadão acima.
Hoje um pouco de minhas lembranças morreram com estas amendoeiras; um pouco de nossa bela praia do Cruzeiro, se acabou; um pouco de nossos sonhos viraram pesadelos; um pouco de nossas esperanças, morreram; O nosso resgate, virou desastre e o nosso povo, mais uma vez ficou esquecido e abandonado.
Não precisamos mais de um Super-Homem, e sim de um Capitão Planeta.

Jairo dos Santos
Vereador

PREZADOS SENHORES

Li indignado (no Ubatuba Víbora) a matéria sobre o chapéu de sol da feira hippie.
É um absurdo que isso possa acontecer no início do século XXI.
Um coronelismo e oportunismo que só em terra de ninguém pode acontecer.
Um evento que imaginamos só pode acontecer nas favelas cariocas dos traficantes.
Pensarei duas vezes antes de ir à UBATUBA enquanto esse senhor, - como é mesmo o nome? - for prefeito.

ANTONIO CARLOS FERNANDES, PhD
Professor de Engenharia Naval
COPPE, UFRJ
Universidade Federal do Rio de Janeiro
acfernandes@peno.coppe.ufrj.br

Eduardo César: enganador ou enganado?


A árvore abatida, no momento em que era removida. A noite caia...

Luiz Moura

Na quinta-feira, 5, pretendia escrever sobre a suspeita do Ministério Público (MP) no envolvimento de Eduardo César (PL), em um esquema para aprovar alterações na Lei de Uso do Solo beneficiando um empresário do setor imobiliário, em 1999, quando era vereador. O MP denunciou políticos por improbidade administrativa, pediu a perda dos direitos políticos e o ressarcimento do dinheiro recebido com juros e multas. Segundo o promotor Osvaldo de Oliveira Coelho a pena prevista para crime de corrupção passiva é de um a oito anos de reclusão.
Pretendia, mas no dia 4, às 17h46, recebi release em que a Prefeitura Municipal de Ubatuba afirmava ter Geraldo Fernandes Ribeiro do Vale, juiz substituto da 2ª Vara Cível de Ubatuba, concedido naquele dia, o pedido de reconsideração solicitado pela Prefeitura para a retirada de uma amendoeira, na praia de Iperoig (praia do Cruzeiro). Para conseguir esta "vitória" a prefeitura instruiu o processo com laudo elaborado pelo engenheiro Luciano Pradella, apontando a árvore como doente e oferecendo riscos à população que transita pelo local. O engenheiro assessora a Secretaria Municipal de Meio Ambiente.
Como tinha que participar de uma reunião do Grupo Setorial de História e Geografia da Fundart - Fundação de Arte e Cultura de Ubatuba e, pensando que os funcionários da Prefeitura não sairiam, a mando de Eduardo Ramos, digo Eduardo César, correndo, para derrubar a amendoeira, liguei para o jornalista Sidney Borges para informá-lo do ocorrido. Borges já estava sabendo e disse-me que estaria acompanhando.
Apreensivo, fui para a reunião. Sendo a Fundart localizada próxima ao local, decidi dar uma passadinha por lá (praia de Iperoig) e constatar em que pé estavam as coisas. O chapéu-de-sol "ainda estava de pé". Estranhei a presença do Secretário de Obras e Serviços Públicos (João Paulo Rolim), do Assessor de Governo (Mauro Gilberto de Freitas) e de mais algumas pessoas cujos nomes desconheço.
A única coisa que me ocorreu naquele momento foi avisar a Polícia Militar Ambiental e sai apressadamente a procura de um telefone. O soldado Pires disse-me que eles já estavam sabendo e que servidores municipais informaram da autorização conseguida na Justiça e que a árvore seria transplantada em uma praça no Perequê-Açú. Questionei, indignado, sobre o transplante de uma "árvore doente" (segundo as alegações da Prefeitura) e as chances disso dar certo. Pires recomendou que eu falasse com o cabo Oirassil, pois havia sido ele quem obteve a informação do transplante diretamente dos servidores públicos municipais.
Chegando finalmente na Fundart informei que não participaria da reunião e entreguei um envelope contendo uma foto em que Nenê Velloso, com a ajuda de amigos, fez a identificação de todas as pessoas que participaram de um evento em 1953. Coloquei os presentes a par do que estava ocorrendo na praia de Iperoig. Soube mais tarde que a reunião do Grupo Setorial não teve prosseguimento pois seus componentes foram constatar o absurdo cometido pela administração Eduardo César.
Voltei para a praia do Cruzeiro e me posicionei perto da árvore, mas do lado oposto ao que estavam os servidores públicos municipais, já em maior número. Diga-se de passagem, exultantes, demonstrando vitória que até agora não consegui atinar.


A amendoeira foi derrubada.

Impaciente, fiquei zanzando pelas redondezas quando assisti, o secretário de Meio Ambiente (Paulo Roberto Pires) ir ter com seus pares, responsáveis pela descaracterização da praia de Iperoig. Neste ínterim vi, de longe, o advogado Thomas De Carle, membro da Comissão de Meio Ambiente da OAB de Ubatuba, já em seu segundo mandato, ser agredido por Mauro Gilberto de Freitas, vulgo Maurinho, Assessor de Governo de Eduardo César. Tentei falar com De Carle, mas até chegar onde ele estava, já tinha se retirado e por mais que eu gritasse o seu nome, não me escutou.
Testemunhei para a Polícia Militar Ambiental (cabo Oirassil Lopes da Mota) transmitindo minha indignação com a desculpa (árvore doente oferecendo riscos à população que transita pelo local) usada pelo prefeito Eduardo César para derrubar a amendoeira. A alegação de transplantar uma árvore doente (?) é inconcebível.
Ainda vagando pelo local, coincidentemente, no mesmo ponto onde vi a agressão de Maurinho sobre Thomas De Carle, presenciei a vez do jornalista Sidney Borges ser agredido, também por Maurinho. Borges, profissionalmente, tentava fotografar o servidor público. O Assessor de Governo de Eduardo César transmitia a impressão de estar possuído. Não queria ser fotografado. Estranha posição, sempre pensei que somente os bandidos, transgressores da lei detestassem os fotógrafos, quando no exercício de suas atividades profissionais.
O secretário de Arquitetura e Planejamento Urbano, Rafael Ricardi Irineu, chegando atrasado, escafedeu-se tão logo me viu. Lembro-me perfeitamente quando disse que se amarraria à amendoeira, para impedir qualquer dano. Que a Prefeitura não faria um absurdo desses. Agora me dirá que o tal do Pradella é que entende da coisa.
Anoitecia. Muitos pássaros sobrevoavam o local, alguns inclusive, entrando por entre os galhos do chapéu-de-sol posto ao chão pela administração de Eduardo César. Um ecossistema totalmente destruído.
Imaginando quantos ícones de Ubatuba ainda serão destruídos nos próximos 3 (três) anos por esta nefanda administração que se diz "do resgate", resolvi, tirando a última foto da amendoeira, ponto de referência de muitas das minhas lembranças, ir para minha casa.
Pensando na providencial doença que acometeu a amendoeira no momento em que ela atrapalhava a obra de cobertura da Feira Hippie e no transplante de uma árvore doente para uma outra área, fico imaginando que o engenheiro Luciano Pradella, que assessora a Secretaria Municipal de Meio Ambiente da administração de Eduardo César, tomou as providências para que nada de errado aconteça. Cabe-nos agora acompanhar os trabalhos do técnico especializado.
A rapidez (como se para que a população indignada não tivesse tempo para questionar a decisão judicial), com que Eduardo César mandou derrubar a amendoeira foi totalmente incompatível com o tempo decorrido na execução dos serviços públicos tão necessários à cidade. Isto é legal? Não seria necessário dar tempo para a manifestação da outra parte? A destruição, irreversível, de um patrimônio público não pode ser feita sem que se esgote a discussão.
Para que você possa ter dados na avaliação do que aconteceu no dia 04, na praia de Iperoig, até o secretário de Administração, Silvio Bonfiglioli Neto, se fez presente. A quantidade de servidores públicos municipais, ocupantes de cargos em comissão, que acompanharam a destruição daquele patrimônio visual foi muito grande. Por que este interesse? Foi uma mostra de "força"? A administração Eduardo César está querendo intimidar a população de Ubatuba?
Resta-me, como munícipe, alertar ao prefeito que, as atitudes de Maurinho são incompatíveis com o cargo que ocupa. Patente é a falta de decoro e o despreparo de seu assessor no desempenho do cargo que ocupa. Os prejuízos para a administração Eduardo César são irreversíveis e isto fatalmente reverterá para o município. A demissão deste servidor público estancaria o prejuízo que a municipalidade está tendo com o pagamento de seus salários e benefícios, bem como no acerto dos erros que comete.

Foto: Arquivo UbaWeb
Nota do Autor: Não consegui terminar este texto no dia 5 pois o telefone não parou de tocar e também tive que explicar o que estava acontecendo nas respostas aos e-mails que recebi.

Editorial

Oportunidade perdida

A remoção da amendoeira, que tanta celeuma está despertando e que certamente arranhou o prestígio do senhor E. César, poderia ter sido diferente. Em lugar da batalha técnico-jurídica, aparentemente ganha pela prefeitura, vitória de Pirro, poderíamos ter contemplado uma pacífica e educativa festa ecológica. Preparar eventos dessa natureza demanda experiência. Eu tive o prazer, ou melhor, a honra de dirigir parte da campanha presidencial de Mário Covas, além de ter feito inúmeros trabalhos para políticos do mesmo quilate. Quis a vida que eu viesse passar um período sabático em Ubatuba onde acabei fazendo amigos, poucos é verdade, mas sinceros. Aqui resolvi morar e por esta cidade vou lutar com todas as forças que possuo. O que vou colocar agora será de graça, apenas para mostrar ao senhor E. César que sempre é possível colher dividendos políticos, desde que haja inteligência a serviço. Como diz o ditado, setas lançadas, palavras proferidas e oportunidades perdidas, são irreversíveis.

Como remover uma árvore de forma “politicamente” correta.

Inicialmente seria necessário fazer uma cuidadosa campanha de divulgação. Preferencialmente através do rádio, da televisão (se houver), dos jornais e da mídia eletrônica, além de palestras nas escolas e igrejas. A necessidade da remoção deve ficar clara, convém falar a verdade, mentiras têm pernas curtas.
Escolher um logradouro aprazível para colocar a árvore removida.
No dia da remoção criar um ambiente agradável, com banda de música, coral de crianças cantando o hino da cidade e autoridades discursando.
A retirada deve ser um ato solene, de respeito, acompanhado em silêncio pelos presentes. Um ser vivo, da importância da árvore que está sendo manipulada, merece toda a deferência.
Uma vez retirada, a árvore deve ser cuidadosamente depositada num berço de folhas, sobre um caminhão aberto que vai liderar um cortejo até o local do replantio.
Nova solenidade, com autoridades civis e eclesiásticas depositando terra no buraco em que foram colocadas as raízes. Para finalizar o prefeito e o presidente da Câmara descortinariam uma placa comemorativa do evento e regariam simbolicamente a árvore, desejando a ela uma vida saudável na nova casa. Alguns fogos serão tolerados, não muitos para não perturbar os pássaros.

Simples não é? Os resultados de ações planejadas são colhidos nas urnas. Para isso servem os assessores, ajudar a caminhada do chefe. Com a assessoria que tem, o senhor E. César não precisa de adversários. Estão ao seu lado.

Sidney Borges

Sem Palavras


Afonso Henriques

Um crime sim senhor


Olhe bem para a amendoeira, parece doente? Para onde foi levada?

Herbert Marques
É muito estranho surgir um laudo técnico afirmando que uma árvore aparentemente sã, esteja irremediavelmente comprometida, pondo em risco as pessoas que se acercam dela sem que antes haja uma justificativa para isso. E a justificativa já existia. A construção de uma cobertura que fora deslocada em razão de exigência do Iphan - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, responsável pelo Casarão do Porto. A árvore precisava sair dali, daí a conveniência de um laudo condenando-a a ser abatida sem piedade.
Este laudo é suspeito, vejamos por quê. Ele foi inserido em pedido de informação determinado pelo Juiz Substituto da 2ª Vara à Prefeitura, em liminar concedida para suspender o corte das árvores daquele local. Foi elaborado por um profissional que responde, como consultor, na Secretaria Municipal do Meio Ambiente da cidade. Não especificou quais razões a árvore estava condenada. E mais, a Prefeitura ao ter a liminar cassada, providenciou o corte da árvore já no período noturno, com a remoção do que restou imediatamente, não deixando uma folha sequer no dia seguinte. Mesmo que sejamos ingênuos, é permitido deduzir a intenção da municipalidade em não deixar nenhum resquício para uma eventual contra-prova.
Como se não bastasse, está muito claro ter sido o Juiz Substituto da 2ª Vara, induzido a erro pois, desconhecendo as implicações históricas que envolviam o pedido, agiu tecnicamente, se baseando em um laudo altamente suspeito dado aos fatores supervenientes que envolveram o corte e remoção da árvore. Daí a razão plena do jornalista Sidney Borges de caracterizar o ato de crime ambiental. Aguardem o próximo capítulo. A demolição do Cruzeiro. Já está com sua maior parte incluída dentro do canteiro de obras. É só uma questão de tempo.
Veja a foto (acima) da amendoeira e deduza você mesmo se ela demonstra algum resquício de doença terminal.

Foto: Arquivo UbaWeb

Amém...doeira



Enviado por Clélio Coutinho

Sem palavras



Enviado pelo arquiteto Gilmar Rocha.

Notícias da Prefeitura

Ubatuba amplia oferta de cursos para geração de renda

Com o sucesso dos cursos de geração de renda realizados em 2005 a Secretaria de Cidadania e Desenvolvimento Social de Ubatuba conseguiu, junto ao Governo do Estado, a ampliação do número de vagas para o município. Das 90 pessoas que eram atendidas no início de 2005, Ubatuba passa a atender este ano mais que o dobro de beneficiários, num total de 190 pessoas.
Neste ano a Secretaria irá implantar novos cursos como os de horta comunitária, corte e costura, tapeçaria, jardinagem e confecção de rede de pesca. “Com o trabalho incansável da equipe da Secretaria, pudemos ampliar o atendimento. Vamos agora oferecer novos cursos inclusive um deles voltado para a comunidade caiçara, como o de confecção de rede de pesca. Creio também que as hortas comunitárias deverão chamar muitos interessados”, disse Kátia Nunes, secretária de Cidadania e Desenvolvimento Social de Ubatuba.
O Programa Renda Cidadã promoveu em Ubatuba no ano de 2005 diversos cursos para geração de renda, nas áreas de alimentação (pães, macarrão caseiro, bolos confeitados, balas de côco, biscoitos, biomassa de banana e soja e derivados) e artesanato (bolsas, fuxico, crochê e outros trabalhos manuais). Os cursos que no início das atividades aconteciam apenas na sede da Secretaria, foram descentralizados. Em dezembro aconteceram formaturas para turmas do Ipiranguinha, Folha Seca, Almada, Maranduba, Sertão da Quina e Núcleo Anchieta. Segundo dados da Secretaria, aproximadamente 700 famílias, em situação de vulnerabilidade social, foram atendidas com os cursos. Cada participante recebeu um kit para dar início à sua produção.
O Programa Renda Cidadã tem por objetivo atender famílias de baixa renda com o apoio financeiro temporário de R$ 60,00, associado a ações que possibilitem a melhoria da qualidade de vida. PMU


Renovação e novas matrículas para escolinhas de esportes será em fevereiro

A Secretaria de Esporte e Lazer de Ubatuba informa as datas para quem pretende renovar matrículas ou se inscrever nas escolinhas de esporte do município. Para a rematrícula, os alunos devem comparecer ao Ginásio de Esportes Tubão entre os dias 6 e 14 de fevereiro, das 8h às 17h.
Já os interessados em se matricular pela primeira vez deverão se dirigir ao Tubão entre os dias 16 e 24 de fevereiro, também das 8h às 17h. É necessário levar duas fotos 3X4 e cópia da certidão de nascimento.
A Secretaria oferece atualmente cursos de surfe (Praia Grande, Perequê-Açu e Maranduba), futebol (quadra da piscina, Taquaral e Silop-Elektro), natação, vôlei e basquete. Mais informações podem ser obtidas através do telefone 3833-3818. PMU


Ubatuba pode ter dois times na final da 1ª Taça Cidade São Sebastião de Futebol de Areia

O Beach Soccer feminino de Ubatuba pode realizar um fato inédito na 1ª Taça Cidade São Sebastião de Futebol de Areia. As duas equipes da cidade disputam as semifinais do torneio e, em caso de vitória, poderão garantir o ouro e a prata para Ubatuba.
Na próxima segunda-feira, 9, a Seleção de Ubatuba enfrenta o Colinas, à partir das 19 horas; logo em seguida o Ubatuba enfrenta o Aliança. A final do torneio acontece no dia 20 de janeiro. Todas as partidas acontecem no campo de areia Leobaldo Alves Moreira, na Rua da Praia, em São Sebastião.
As equipes de Ubatuba contam com o apoio da Secretaria de Esporte e Lazer. PMU

quinta-feira, janeiro 05, 2006

Turismo

Ubatuba amplia atendimento ao turista

Shopping no bairro do Itaguá conta agora com Balcão de Informações ao turista

A Secretaria de Turismo da Prefeitura de Ubatuba (SETUR) instalou nesta semana um Balcão de Informações para atendimento ao turista no Shopping Porto Itaguá. O balcão, todo construído em bambu, está localizado ao lado da escada do Shopping. Um estagiário bilíngüe da Setur presta informações ao turista das 18 às 22 horas. Antes desse horário, o turista pode-se dirigir ao Centro de Informações Turísticas, na avenida Iperoig, que funciona das 8 às 18 horas.
Segundo o secretário de Turismo de Ubatuba, Luiz Felipe de Azevedo, o balcão recebe uma média de 150 a 180 visitas por dia. Lá o turista encontra um mapa digitalizado com a localização de todas as praias de Ubatuba, além de folders de hotéis, pousadas, restaurantes e outros tipo de serviço que a cidade oferece. PMU

“Estação Elektro”

“Estação Elektro” estará em Ubatuba neste mês

Em parceria com a Prefeitura de Ubatuba o projeto “Estação Elektro” estará no município de 18 a 21 de janeiro. Ubatuba será a primeira cidade do litoral paulista a receber o evento. O projeto tem como objetivo despertar nas crianças o interesse científico pela eletricidade e ensinar medidas de segurança.
Uma carreta estará estacionada ao lado do Centro de Informações Turísticas, na avenida Iperoig, das 8 às 20 horas, onde monitores estarão explicando a utilização correta da eletricidade. No dia 19, às 19h30, na Associação Comercial de Ubatuba, técnicos da Elektro estarão proferindo uma palestra enfocando questões de segurança com eletricidade. A palestra é voltada diretamente para pessoas que trabalham com atividades que envolvam eletricidade. PMU

Charles Medeiros em ação

Locais autorizados pelo DPRN não são atendidos pela Elektro no Programa Luz Para Todos.

Várias comunidades de Ubatuba encontram-se indignadas com a Elektro em relação a implantação do Programa Federal Luz Para Todos. Segundo moradores, os processos de eletrificação já estão aprovados no DPRN de Ubatuba e a Concessionária ainda não foi ao órgão para verificar os processos e dar andamento ao Programa.
O atual Secretário de Arquitetura e Planejamento da cidade, Rafael Irineu, esteve no DEPRN analisando os pareceres bem como as datas de validade para implantação, Irineu concluiu que alguns processos encontram-se em vias de perderem a validade.
No Ofício nº 106/05 – Equipe Técnica de Ubatuba, onde constam no relatório sintético referente às autorizações, doze bairros que poderiam ter a implantação efetivada. Os bairros autorizados são Sertão do Cambucá – processo 089275, Canto do Estaleiro –processo 089276, Estrada dos Sesmarias – processo 089277, Sertão do Ubatumirim – processo 089279, Sertão do Ubatumirim – processo 089280, 089282, 089283, 089284, Sesmarias II – processo 089287, Praia da Justa – processo 089288, Praia do Perez - processo 089297 e Casanga – processo 089295.
Existem comunidades nativas que aguardam a mais de duas décadas a efetivação da benfeitoria, como acontece na Praia do Perez, Região Sul de Ubatuba, onde vários programas não emplacaram, e que a sociedade vem acompanhando os processos indignados. “Estamos aguardando a mais de 20 anos que entidades responsáveis levem energia para o bairro, espero que realmente o Programa Luz Para Todos seja para todos”, desabafa Julio Egydio de Oliveira, morador nativo da Praia do Perez.
Vários documentos já foram encaminhados solicitando maior atenção e agilização nos processos de eletrificação. As comunidades continuam aguardando respostas.
Segundo o vereador Charles Medeiros, muitas comunidades solicitam apenas o básico. “Várias comunidades, como a do Perez, Praia da Justa e Sertão do Ubatumirim mesmo com as devidas autorizações não tem recebido a benfeitoria. Quem é o responsável pela solução deste problema?”, questiona Charles Medeiros.

Fonte: Laura Ennes - ASCOM

Governos e mídia. História antiga...

Governo vetou patrocínio a jornal de Casoy

"Insatisfeito com as críticas de Boris Casoy, o governo federal tanto pressionou a Record a intervir no "Jornal da Record" que, em agosto do ano passado, cancelou contrato de patrocínio do Banco do Brasil (BB) ao telejornal.
A informação foi confirmada por várias fontes da Folha na Record, mas a emissora nega, oficialmente, que tenha sofrido pressões. Diz que a justificativa do banco para suspender o patrocínio foi troca de agência de publicidade. A assessoria de imprensa do BB não comentou o assunto.
O Banco do Brasil era, desde 1999, patrocinador do "Jornal da Record". Apontado pelo telejornal como suspeito de ser provedor do esquema do "mensalão", trocou em agosto uma cota de patrocínio de R$ 1 milhão por mês por cerca de R$ 300 mil mensais em inserções avulsas. Como patrocinador, era o único banco a anunciar no "Jornal da Record".
As pressões começaram em 2004, quando o BB comprou ingressos de um show pró-finanças do PT. O contrato com a Record, até então renovado anualmente, passou a ser trimestral.
A coação governamental, no entanto, não foi a principal causa da rescisão do contrato de Casoy, na última sexta. Record e Casoy se desentenderam porque a rede queria tornar o telejornal mais parecido com o "Jornal Nacional".

Daniel Castro - Folha de S. Paulo

Fábula


Uma árvore doente deve ser abatida. E todos devem calar.

Diz a lenda que Jesus Cristo andando pelo mundo parou um dia para contemplar o pôr-do-sol e agradecer ao Pai pelo espetáculo grandioso. Na colina que escolheu, um bando de carneiros de corte pastava. Jesus perguntou a um dos animais:
-Vocês se conformam com o destino que os espera?
-Sim, somos carneiros, nascemos assim e assim morreremos.
Antes de partir o Mestre refletiu sobre os homens.
- Há muitos que são como os carneiros, sempre obedecem, sempre se curvam. Triste é o destino deles. Não entrarão no meu reino. Para servir a Deus é preciso coragem. Coragem de dizer não à tirania.

Sidney Borges

“PACTO FEDERATIVO”

Corsino Aliste Mezquita
O Poder Legislativo – Congresso Nacional - está constituído, como todos sabem, por duas câmaras: Senado Federal e Câmara dos Deputados.
O Senado Federal representa os interesses das vinte e sete unidades federadas (26 estados e o Distrito Federal) e todos estão representados por três senadores, totalizando, oitenta e um senadores.
A Câmara dos Deputados é formada de representantes do povo e, os representantes, de cada estado, deveriam ser proporcionais ao número de habitantes. Cada cidadão um voto e, esse voto, com o mesmo valor, como exige o chamado “pacto federativo”. No Brasil esse princípio só é aplicado em parte e, as discrepâncias, entre as representações dos diversos estados são alarmantes e assustadoras. A título de exemplo podemos citar alguns exemplos extremos. A Câmara está formada por 513 (quinhentos e treze) deputados. Representam cento e oitenta milhões de habitantes ou, aproximadamente, trezentos e cinqüenta mil cidadãos cada um. Aplicando, esse critério, o Estado do Acre, só teria direito a dois deputados. Tem oito. Já o Estado de São Paulo, com quarenta milhões de habitantes, teria direito a cento e quatorze deputados. Tem setenta. A realidade do Acre repete-se, com pequenas variáveis, em Rondônia, Roraima, Amapá, Tocantins, etc. Essa falta de proporcionalidade cria forte desequilíbrio na representação das diversas regiões do país. Parte dos cidadãos, das unidades federais mais prósperas e produtivas, não estão devidamente representados. Enquanto outras unidades estão representadas, além do exigido pelo “pacto federativo”.
Essa disparidade, criada pelos governos militares e mantida pela Constituinte é, supostamente, a causa de alguns de nossos problemas políticos. Entre eles: existência do chamado “baixo clero”, o despreparo de grupos de deputados, a inexistência de vigilância sobre eles por parte da população e a conseqüente liberdade que isso lhes proporciona para agir sem se preocupar com os interesses da população.
A retomada do “pacto federativo” exige uma reforma política profunda que além de respeitar o princípio “cada cidadão um voto”, atenda ao ditame constitucional: “todos são iguais perante a lei”, elimine privilégios, imunidades, prerrogativas, benesses, emendas, cargos, viagens etc. etc. Esse mundo de privilégios faz do Congresso uma ilha de fantasia, férias constantes, onde pouco se trabalha e que agride a realidade e a pobreza nacional. Essa reforma teria que ser exigida pelo povo. Pessoalmente, duvido de que o Congresso Nacional seja capaz de fazer a reforma de que necessita o país. Como escreveu Rubem Alves: “Não acredito que lobos e raposas sejam capazes de abandonar sua dieta carnívora e aprovar uma dieta vegetariana”. (Rubem Alves, “A hora da tristeza”, Folha A3, de 04 de setembro de 2005). Não sendo possível esperar do Congresso que corte na própria carne e tenha grandeza para pensar nos interesses nacionais, o povo terá que encontrar meios legais para fazer as reformas de que o país necessita. Não podemos continuar a entregar nossa confiança e nossos votos a pessoas que os utilizam para roubar o país, enganar o povo e destruir a esperança. Como povo temos o direito de continuar sonhando.

DE “marinha” E DA “MARINHA”

Ernesto F. Cardoso Jr.*
Se há uma coisa geralmente mal definida no noticiário sobre as áreas de faixa de marinha, ou seja, sobre a orla marítima, a persistente confusão entre o termo “marinha” (com “m” minúsculo), ou “área de marinha”, que quer dizer junto ao mar, área limítrofe ao mar e “Marinha”, a Marinha de Guerra.
Ainda recentemente, em notícia sobre o Parque Trombini, em Ubatuba, que ocupa faixa de marinha, confundiam-se novamente as coisas e pelo que se lia, até o próprio proprietário desconhece a diferença, pois, segundo a notícia, o proprietário alegava que estava ali instalado com autorização da Marinha.
As áreas costeiras , ou da orla marítima, constitucionalmente, são propriedade exclusiva da União, ou seja do Governo Federal, sendo definidas, teoricamente, como a faixa da orla marítima de 33 metros compreendida entre a linha da preamar de 1830 e o início da área alodial, a área continental, ou a área interiorana. Podem estas áreas, todavia, passar ao domínio privado, mediante aforamento específico, pleiteado perante e concedido pelo SPU - Serviço do Patrimônio da União, órgão federal subordinado ao Ministério da Fazenda e não ao Ministério da Marinha, hoje, aliás, extinto.
Não é a Marinha de Guerra, pois, que administra essas áreas, nem autoriza sua ocupação, ou seu aforamento, ou domínio e sim o SPU/MF. A Marinha de Guerra brasileira exerce o poder de defesa, de fiscalização e de polícia sobre os mares e as vias aquáticas interioranas. Pode até, excepcionalmente, a mando do Governo, exercer esse poder sobre as faixas de marinha, mas, só em casos excepcionais.
Portanto, quem ocupa áreas de faixa de marinha, sob aforamento formal e específico, pagando o tributo próprio dessa ocupação, o faz sob concessão do Serviço do Patrimônio da União - MF, por tempo determinado. Não poderá, jamais, considerar-se proprietário dessas áreas, pois, em princípio, elas são públicas e mesmo quando aforados ao domínio privado continuarão sendo públicas.
Para nós que vivemos ao longo da orla marítima é bom entender este assunto e não nos deixarmos confundir.
* MBA, ex- Diretor do Projeto Condomínio “Laranjeiras”, Paraty, RJ

ENGANOS? ENGANADOS & ENGANADORES

Ronaldo Dias
Desdobrei o ESTADÃO de hoje em busca de boas e novas notícias. São as mesmas. O Falastrão, que foi apunhalado pelas costas, mesmo assim continua falando. Destramelado, não para de despejar em nosso olhos e ouvidos, uma quantidade imensa de bobagens. Elegeu-se, por uma somatória de coincidências e, por absoluta falta de opção para "mudar". Ele, é para mim , a encarnação, a prova viva de que tino e, vocação, para política (partidária), não são suficientes, nem mesmo para justificar uma vereança. As necessidades da população crescem em PG. Muito mais, do que a capacidade de compreensão lúdica destes "senhores" que habitam e, constroem esse nosso folclore político. Logo abaixo o atestado de (i) responsabilidade: Dos 93,7 milhões, destinados e previstos no Orçamento Federal para combate as cheias de São Paulo, apenas 2%, isso mesmo, apenas 2% chegaram. Por óbvio, insuficientes e, já são 6 os mortos pelas enchentes. Coisa pouca. A prefeitura de São Paulo anuncia que: no Brás, camelôs serão retirados da praça. Precisamente do histórico Largo da Concórdia, onde a aparência, a violência, o contrabando, a pirataria, a contravenção, o comércio ilegal de armas e drogas e a degradação ambiental, tornaram-se unos. "O local será urbanizado e revitalizado". Os camelôs e, seus perniciosos "seres simbióticos" terão de procurar outra freguesia. Porque será, que se permite, se licencia e, se incentiva a ocupar? Por que será, que se deixa estragar e deteriorar para depois, revitalizar e, urbanizar? Por que será? Enganos? Em Israel, na parte babilônica do oriente, onde ninguém se entende, Sharon, o dito (até por seus pares) símbolo da arrogância, está internado em estado grave. Se realmente ele é, e representa este "símbolo", pode-se perceber ( e ele também) que somos (e, seremos) todos iguais. As notícias da CPIs e das cassações estão em "banho Maria. Estamos sendo Enganados. Dentre os ilustres candidatos a cassações, estão alguns " religiosos". Imaginem, religiosos. Na verdade espertalhões, que foram buscar, na inocência e, na crença dos irmãos, dentro dos templos, apenas votos. Sim, apenas votos para sua eleição. O que eles estão dispostos a fazer, para conseguir votos, é inconfessável! Que seus irmãos os perdoem. Estes, quando e, se eleitos, não conseguem seguir, cumprir ou, ao menos respeitar a Lei dos homens. Enganadores.

Notícias da Prefeitura


Eduardo César ao lado de fiéis aliados, discursa na Santa Casa

Prefeitura entrega obras na área de saúde

A Prefeitura de Ubatuba inaugurou, nesta quarta-feira, 4, quatro centros de diferentes tipos de atendimentos à saúde. Entre elas, a entrega da reforma e adequação do Pronto Socorro e Pronto Atendimento da Santa Casa de Misericórdia da Irmandade do Senhor dos Passos de Ubatuba. Foram inaugurados também a Unidade Materno-Infantil e Pronto Atendimento Dr. Affonso de Faria Fraga, o Centro de Apoio Psicossocial e o Centro de Referências e
Especialidades.

Reestruturação na Sala de Urgência

Entre as diversas mudanças realizadas na Santa Casa, a Sala de Urgência passou por uma completa reestruturação. A sala, que antes tinha apenas um leito, uma bomba de fusão e um cardioversor, recebeu cinco novos conjuntos de equipamentos. Além disso, toda a área do Pronto Socorro foi azulejada. Trocou-se o telhado e o piso e melhorou-se a iluminação. As mesas dos consultórios foram substituídas por de granito, que proporciona melhor higienização. Os serviços de Pronto Socorro e Pronto Atendimento foram separados, visando melhorar o atendimento aos pacientes de ambos.
Uma presença ilustre na inauguração das reformas da Santa Casa foi do representante da Agência Nacional de Saúde Suplementar, Arthur Chioro. Em discurso, Arthur contou que, durante muitos anos, lidou com Santas Casas de diversas cidades do Brasil. Segundo ele, essa entidade foi criada inicialmente para atender à população carente e ser mantida pela elite. Com o aumento da população, a Santa Casa transformou-se em hospital geral, surgindo então a necessidade de se criar convênios com os governos. “O encarecimento da medicina, a modernidade dos equipamentos e o aperfeiçoamento do corpo clínico são fatores que geram grande complexidade administrativa. Ubatuba vive hoje uma oportunidade rara de enfrentar um dos maiores problemas que o Brasil tem atualmente. Administração profissional e parceria entre o Poder Público Municipal e as diversas esferas da sociedade formam, juntos, um investimento social da maior magnitude.”

Novo conceito de atendimento

O Posto de Saúde da região central, situado na Av. Rio Grande do Sul, 710 ganhou uma Unidade Materno-Infantil toda estruturada e decorada para receber crianças. Além da brinquedoteca, todas as paredes foram pintadas com temas que homenageiam as famílias caiçaras e o ambiente em que vivem. Segundo o secretário de saúde, Marcos da Silveira Franco, esse espaço foi ambientado para amenizar a imagem que as crianças têm sobre hospitais e a assistência de saúde. “A Unidade Materno-Infantil é também um centro de promoção e informação sobre a saúde da família. Nós planejamos esse espaço para que as pessoas sintam-se bem num ambiente agradável”.
Nesse mesmo endereço passa a funcionar também um pronto-atendimento, com sala de observação, de aplicação de medicamentos e curativos. O prefeito Eduardo César afirmou que se sente honrado em participar desse processo de humanização da saúde pelo qual Ubatuba está passando neste momento. “Tenho acompanhado o empenho dos profissionais da saúde e de voluntários para que essas melhorias sejam concluídas. Ações como essas fazem com que tenhamos uma cidade melhor. Não estamos inaugurando obras e sim, um novo conceito de atendimento para a cidade que amamos.”

Centro de Atenção Psicossocial

O Centro de Atenção Psicossocial (Caps) está funcionando em novo espaço. Antes, ele funcionava anexo ao Ambulatório de Saúde Mental de Ubatuba. Dr. Marcos explica que, por se tratar de um Centro que visa restabelecer o contato de pacientes que sofrem de distúrbios psíquicos com a sociedade, o Caps deve ter uma estrutura que lembre uma casa, que aproxime os pacientes do convívio e possibilite a socialização.
Os profissionais de Saúde Mental desenvolvem junto aos pacientes atividades de culinária, artesanato, arte-terapia, exercícios físicos programas culturais e eventos sócio-educativos para promover o envolvimento com a comunidade. Presente na inauguração, o presidente da Câmara Municipal, Dr. Ricardo Cortes afirmou que Ubatuba é um dos municípios com menores índices de internações psiquiátricas, graças ao trabalho desenvolvido pelos profissionais do Caps. “Um equipamento de Saúde Mental como o Caps merece um espaço próprio para desenvolver suas atividades com plenitude,” afirmou Dr. Ricardo. O novo Caps está funcionando na Rua Maranhão, 396, Centro.

Centro de Referências e Especialidades

A população ubatubense poderá contar agora com um Centro de Referências e Especialidades reestruturado com novos serviços e espaço exclusivo. Funcionando na Rua Cunhambebe, 703, esse Centro conta com especialistas nas áreas de dermatologia, otorrinolaringologia, neurologia, cardiologia, cirurgia geral e neurocirurgia. Além disso, a comunidade pode contar com o Centro de Referências que oferece informações e apoio a pacientes com Aids, tuberculose, hanseníase e câncer. “Os médicos especialistas de Ubatuba agora terão um espaço para desenvolver suas funções. É uma grande conquista da sociedade que está vendo o dinheiro público sendo aplicado em espaços físicos adequados para dar um atendimento de saúde digno aos cidadãos”, afirmou o vereador Charles Medeiros, que acompanhou todas as inaugurações.

Planos para 2006

Apesar das inaugurações ocorridas no mês de outubro do ano passado e dessas que aconteceram nesta quarta-feira, 4, o Secretário Dr. Marcos considera que a rede de Unidades de Saúde de Ubatuba ainda está sucateada. “A situação de Ubatuba em relação à saúde não difere da maioria das cidades do Brasil. Quando assumimos a Administração, 40% dos móveis era mantida em pé por blocos. Aos poucos, estamos revertendo esse quadro. Das 24 unidades que temos, 11 foram recuperadas até agora. Para o ano de 2006, serão reformadas quatro e mais quatro serão construídas. Nosso objetivo é humanizar o atendimento aos pacientes e as condições de trabalho dos funcionários.” PMU



Vôlei de Ubatuba quer repetir a dose em 2006

O ano de 2005 foi muito bom para o vôlei de Ubatuba em todas as categorias que disputou, tanto na Livovali quanto nos Jogos Regionais. O infantil feminino ficou em segundo lugar na série prata, que foi vencida por Mogi das Cruzes e o Infantil masculino também ficou com a prata. Outra medalha de prata veio com a equipe Mirim masculino, enquanto o Juvenil masculino ficou na quarta posição.

Ouro e destaques

O primeiro ouro da Livovali veio para Ubatuba com a equipe Infanto juvenil masculino que o conquistou vencendo as duas partidas do play off final contra Mogi. Também o Mirim feminino venceu as duas partidas contra o Tênis Clube de São José dos Campos e terminou a competição em primeiro lugar. Para completar, o pré-mirim masculino foi campeão do festival da categoria, vencendo duas das três etapas do torneio.
Além disso mais 10 atletas de Ubatuba foram escolhidos pela Liga, como destaque em suas categorias, sendo que Márcio Vieira Júnior e Alexandre Clarindo de Souza receberam duas premiações. O técnico Marcos Jardim, das equipes masculinas, recebeu o troféu Fair Play.


Confira a lista dos atletas de Ubatuba que foram premiados:

Infanto Juvenil masculino: Atacante - Antonio Pinto Netto; Bloqueio - Rennan Marcel Prado dos Santos; Levantador - Marcio Vieira Junior
Infantil masculino: Atacante - Derek Kurt Moyzesczyk; Bloqueio - Renan Leite Souza de Oliveira; Levantador - Marcio Vieira Junior
Infantil feminino: Passe - Greice Kelly Graça
Mirim masculino: Atacante - Alexandre Clarindo de Souza; Bloqueio - Pedro Henrique Coelho Martins; Passe - Alexandre Clarindo de Souza
Mirim feminino: Bloqueio - Anny Caroliny Alves Ramos; Levantadora - Luísa Vilas Boas Cardoso
Troféu Fair Play - Marcos Antonio Jardim

Jogos Regionais

O vôlei de Ubatuba disputou os 49º Jogos Regionais em Caraguatatuba com as equipes masculina e feminina e conquistou a quarta posição.

Planejamento

O secretário de Esporte e Lazer de Ubatuba, Bittencourt Jr., acredita que o vôlei manterá o mesmo ritmo em 2006. “Formamos uma boa base em 2005 e grande parte dos jogadores serão mantidos neste ano”, disse Bittencourt. “Conseguimos chegar as semifinais em praticamente todas as categorias que o vôlei disputou e com isso, os adversários nos terão como a ser vencida. Os nossos treinadores, porém, conhecem bem seus atletas e acredito que algumas pratas podem virar ouro em 2006,” prevê o secretário. PMU

Editorial

Um dia memorável

Ontem foi um dia do qual não esquecerei. Pela segunda vez em minha vida adentrei a uma delegacia como parte envolvida, nas outras dezenas ou centenas de vezes fui em busca de notícias. No primeiro caso reclamei do furto de meu carro. Para acionar o seguro havia a necessidade de lavrar um boletim de ocorrência. Como é do conhecimento dos leitores do Ubatuba Víbora, a Prefeitura está construindo uma cobertura para a Feira de Artesanato da Praia do Cruzeiro, também conhecida como “Feira Hippie”. A obra, que segundo a Prefeitura, foi locada erradamente no início, teria de derrubar uma amendoeira situada ao lado da amendoeira centenária e do Cruzeiro. Sempre me posicionei contra o corte da árvore. Nunca fui contra a cobertura. Abomino a tenda que será erguida e que vai cortar a vista do mar. Para o seguimento da obra a árvore precisava cair. Alguma desculpa para tirá-la haveria de ser dada. Bingo! Exatamente às 17:31h de ontem, recebi um e-mail da Assessoria de Comunicação da Prefeitura Municipal de Ubatuba. Dava conta de que a árvore em questão era uma ameaça à cidade, conforme atestaram autoridades em árvores. (Postado abaixo) Estava doente, irremediavelmente doente, pondo em risco a integridade dos cidadãos desta laboriosa comunidade. Era urgente que fosse abatida. Procurei um amigo do PV para dar ciência do fato. Em outras localidades do Brasil o PV se preocupa com árvores. Ele ficou surpreso e disse que o partido iria se posicionar. Satisfeito fui para o local onde haveria o corte. Ao chegar constatei que o fato já havia ocorrido. Empunhei a câmera fotográfica e aí começaram os problemas. No local se encontravam autoridades municipais. Principiei a fotografar a árvore. Inicialmente tentaram impedir. Após me identificar como Imprensa e furar o bloqueio consegui algumas fotos. A coisa começou a esquentar no momento em que apontei a câmera para as autoridades. Munidos do parecer de um “expert” e cobertos por uma decisão da Justiça, porque haveriam de ter medo de fotos? Figuras públicas perdem a privacidade. Há um preço a pagar pela notoriedade. Visivelmente transtornado um assessor do prefeito avançou contra mim. Volto a afirmar, visivelmente transtornado. Momentos antes havia investido contra o advogado Thomas De Carle, que também tirava fotos no local. Com rosto crispado avançou uma vez, duas vezes e na terceira, procurando proteger a câmera, estiquei o braço e o contive. Tentando dar vazão à frustração, ao perceber que a informação chegaria ao povo, fui ameaçado de processo. Ele disse que foi agredido. Eu o contive, o que é bem diferente de agressão. Fui aconselhado por amigos a procurar a Delegacia de Polícia e lavrar um boletim de preservação de direitos. Foi o que fiz. Momentos depois chegaram os demais participantes da cena lamentável. Ainda tentei demover o transtornado assessor de envolvimentos com a Justiça. Ele replicou que jamais, vai até o fim. Em sendo assim, vamos até o fim. Balanço final. A árvore foi derrubada, volto a colocar aqui o que disse para as autoridades presentes ao evento e que posteriormente pedi para que constasse nos autos da ocorrência policial.
- Vocês são criminosos. O que aconteceu hoje nesta praça foi um crime ambiental de grande monta.

Sidney Borges

Amendoeira doente



Esta foi a última foto da execução. Está um tanto fora de foco, o ambiente estava quente, a árvore derrubada e nada mais havia para fazer. "Consumatus est". Tudo o que eu queria hoje era uma semente mágica, daquelas do Panoramix, o druida gaulês da irredutível aldeia de Astérix. Cada vez que uma árvore era abatida o druida jogava uma semente e nascia instantaneamente outra. Como não tenho esse poder, vou fazer como Idéafix, chorar. Minha vingança será consumada na hora de votar, daqui a três anos. Minha e da maioria dos moradores desta cidade que não estão nada satisfeitos.

Sidney Borges

Amendoeira doente



Neste momento algumas autoridades já estavam saindo do controle. Se a árvore estava doente, se era preciso abatê-la, por que o medo da divulgação? Subconsciente culpado? Não é uma afirmação, é uma pergunta.

Sidney Borges

Amendoeira doente



Eis o mal cortado pela raiz. Literalmente. Essa criatura nociva recebeu o que merecia. Pérfida, pareceu sã e saudável durante muitos anos, quando na verdade estava ameaçando as nossas pobres criancinhas e alguns velhinhos incautos. O que seria desta cidade se não fosse a vigilância de nossas competentes autoridades?

Sidney Borges

Amendoeira doente



Autoridades da cidade estiveram presentes ao abate da criminosa árvore que poderia nos contaminar com o terrivel virus "incompetentes administrativus" de mórbida letalidade. Quem diria, sã até anteontem, de repente a folhuda virou ameaça. Vive-se e aprende-se. Alem da burrice, há outra característica humana que poderia definir o conceito de infinito. Hipocrisia.

Sidney Borges

Amendoeira doente



Notem bem a copa desta árvore. Segundo o laudo de um engenheiro da cidade, acatado pela Justiça, ela está doente e deve ser abatida em prol do bem estar comum. As folhas verdes são mero disfarce. A árvore, que aparenta ser frondosa, é na verdade uma impostora. Morte aos impostores.

Sidney Borges

Amendoeira doente

Prefeitura consegue autorização judicial para retirada de amendoeira doente

Geraldo Fernandes Ribeiro do Vale, juiz substituto da 2ª Vara Cível de Ubatuba concedeu nesta quarta-feira, 4, o pedido de reconsideração solicitado pela Prefeitura de Ubatuba para a retirada de uma amendoeira, ou chapéu de sol, na praia do Cruzeiro. A Prefeitura entrou com pedido tendo em vista o laudo que aponta que a árvore está doente, oferecendo riscos à população que transita pelo local. O laudo foi elaborado pelo engenheiro Luciano Pradella, que assessora a Secretaria Municipal de Meio Ambiente.
Antes da reconsideração o juiz havia deferido a liminar impetrada pela Associação em Defesa do Povo Caiçara que solicitava que o corte de duas amendoeiras na praia do Cruzeiro fosse impedido. Com a nova decisão, apenas a amendoeira centenária permanece no local. PMU

quarta-feira, janeiro 04, 2006

“HUMILDADE PORTUGUESA”

Corsino Aliste Mezquita
J.M. Oliveira e Silva, português do Alentejo, viajava, na TAP, para Nova York, em classe executiva. Estava lendo um livro quando sentou, ao seu lado, um americano texano, chapéu e botas de cowboy, contando grandezas e vantagens.
Logo de cara perguntou para o português: O que você faz na vida?
JMOeS respondeu humildemente. Tenho um sitiozinho, lá no Alentejo, e consigo produzir um milhão de litros de azeite de oliva, quinhentos mil litros de vinho, castanhas, frutas e alguns legumes. Todo isso industrializado na propriedade. Nada que se possa comparar com os grandes proprietários americanos.
O texano respondeu. Você tem razão. Eu tenho uma propriedade, lá no Texas, maior que Portugal. Você entende? O português assentiu. Continuou o texano. Tenho um jipe daqueles possantes que faz de tudo. Tem mil e uma utilidades. Você entende? O português assentiu de novo. De manhã cedo pego meu jipe e começo a andar..., andar..., andar... e quando chega o meio dia no consegui chegar a um quinto da propriedade. Você entende? O português humilde e paciente respondeu: “ENTENDO. EU JÁ TIVE UM JIPE DESSES”.
Observando o comportamento da administração municipal, as marchas e contra-marchas, as vantagens contadas e a lentidão do andar..., andar..., andar... não são raros os ubatubanos e ubatubenses a dizer: “JÁ TIVEMOS UM JIPE DESSES”.

PRIMEIRA PESSOA

Herbert Marques
Dificilmente falo na primeira pessoa pois entendo que o leitor não tem nada com os aborrecimentos da minha vida. O que ele quer é uma informação, um ponto de vista, que sempre no meu entender deve ser apresentado sem a minha presença como interlocutor. Mas hoje não tem jeito. Fiquei afastado desta coluna há mais de um mês em razão de uma cirurgia que me pôs em repouso absoluto todo esse tempo e com isso, perdi a oportunidade da crítica aos acontecimentos mais marcantes de nossa cidade - arvores do Cruzeiro, a cruz da Exaltação, os quiosques e suas peripécias, a cobertura da feirinha, o corredor das bicicletas e tantas outras mais -, bem como as aberrações do chefe supremo Lula e seus asseclas. Ainda bem que meu editor se desvencilhou com esmero dessas causas, principalmente no corte das centenárias amendoeiras e na destruição do Cruzeiro.
Assim, como matéria requentada é escrita desagradável, vou procurar comentar as coisas novas que deverão acontecer, ou não acontecer, quer em nossa cidade, quer na nossa República, ambas combalidas pelos desmandos, pela incompetência e pela má fé de seus dirigentes, voltados que são pela permanência no poder, esta força mágica que tanto costuma impregnar os homens menos preparados.
Começo pelo Prefeito de Ubatuba. Ainda sonâmbulo, não acordou para tocar sua cidade, deixando que as coisas aconteçam sem a presença de um pulso administrativo. Daí não ter resolvido ainda o problema da Praia Grande, a instalação do Fórum, o problema do tráfego de ciclistas, a atualização de toda legislação referente a ocupação do solo, lançamento de tributos, essas duas providências afeitas ao legislativo mas sabidamente sem o empurrão vigoroso do executivo não sai. Ainda sem contar o inchaço da máquina administrativa e a locação de cargos por pessoas inabilitadas.
Quando ao chefe supremo Lula, a relação de desmandos merece matéria à parte. Estamos nas mãos do mais inábil dos presidentes que até agora ocuparam o cargo maior de nossa nação. Mente deslavadamente e quando não nos aplica uma mentira consciente, o faz pela sua ignorância e falta de respeito para com seu povo. Todo dia ocupa um palanque nos mais variados grotões do pais e dispara sua metralhadora de disparates, via de regra descordenados e desarticulados, mas de grande efeito, principalmente para a classe mais baixa da população.
Esse é o lamentável quadro de um ano que passou e de outro que se inicia. Desilusão para quem fez uso de seu voto nesses lamentáveis senhores. Contudo, nova eleição vem aí e com ela devemos colocar nova carga emocional de esperança. O voto é a nossa única arma e é com ele que poderemos um dia conduzir essa nação a um designo melhor. Vamos tentar outra vez.
4 jan. 06

O montinho da virada


Um montinho é um montinho é um montinho. Este é inodoro...

Luiz Moura
Ele continua lá, como se para provar que é muito grande a chance da administração "de meio expediente", digo, "do resgate", prosseguir no marasmo em que esteve durante o ano de 2005. Existente há mais de 5 (cinco) meses, o montinho de areia (foto acima), entra em 2006 como marco da administração Eduardo César (PL + PT).
Os boatos, como sempre, correm por Ubatuba:

"Os baba-ovos juram de pés juntos que em 2006 a população ubatubense será surpreendida com a quantidade de obras que a Prefeitura patrocinará. Outros afirmam que o PT (Partido dos Trabalhadores) atravancou o deslanche da administração municipal. Os sabujos falam que a estagnação da administração teve como causa principal o orçamento herdado (esquecem que Eduardo César era vereador e aprovou, sem contestação, o orçamento que assumiu em 2005). Correm rumores que Eduardo César está indo para o PFL (Partido da Frente Liberal). Para o partido do Paulo Ramos? Conchavando com o inimigo? ... e os olheiros recomendam que fiquemos atentos às nomeações que o Prefeito fará para preencher os cargos em comissão criados pela lei que alterou a Estrutura Administrativa da Prefeitura, no mês de dezembro de 2005, para estimarmos, conhecendo seus ocupantes, como será o ano de 2006. A velocidade que vemos na execução das obras da cobertura da Feira Hippie se explica tendo em vista que o Condephaat - Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Turístico do Estado de São Paulo está revendo a autorização para a execução da obra. " E por aí vai...
Como analista do que acontece em nosso município constatei a ausência do prefeito Eduardo César na posse da nova Mesa Diretora da Câmara Municipal de Ubatuba que assumiu no dia 1º de janeiro de 2006. Pelo relacionamento do Executivo com a Mesa Diretora de 2005 (que teve seu mandato extinto), a falta do Prefeito se fez notar.
... e assim começa o novo ano. Alguns prazos esgotados e mais gente de olho em Ubatuba...
Nesta semana tem inicio a nova fase do "De olho em Ubatuba".

Fonte: Arquivo UbaWeb

Santa Casa


Com os novos equipamentos o atendimento será mais eficaz

Secretaria de Saúde inaugura obras em Ubatuba

Inaugurações acontecem nesta quarta-feira, 4; a principal delas é a reforma e adequação do Pronto Socorro da Santa Casa

A Secretaria Municipal de Ubatuba inaugurará, no próximo dia 4, quarta-feira, quatro centros de diferentes tipos de atendimentos na cidade. Entre as obras maior relevância está a entrega da reforma e adequação do Pronto Socorro e Pronto Atendimento da Santa Casa de Misericórdia da Irmandade do Senhor dos Passos de Ubatuba, que acontecerá por volta das 9:30h. Serão inaugurados também: a Unidade Materno-Infantil e Pronto Atendimento Dr. Affonso de Faria Fraga, o Centro de Apoio Psicossocial e o Centro de Referências e Especialidades.

Santa Casa

Entre as diversas mudanças realizadas na Santa Casa, a Sala de Urgência passou por uma completa reestruturação. A sala, que antes tinha apenas um leito, uma bomba de fusão e um cardioversor, recebeu cinco novos conjuntos de equipamentos. Além disso, toda a área do Pronto Socorro foi azulejada. Trocou-se o telhado e o piso e melhorou-se a iluminação. As mesas dos consultórios foram substituídas por de granito, que proporciona melhor higienização. Os serviços de Pronto Socorro e Pronto Atendimento foram separados, visando melhorar o atendimento aos pacientes de ambos.

Unidade Materno-Infantil e Pronto Atendimento

O Posto de Saúde da região central, situado na Av. Rio Grande do Sul, 710 ganhou uma Unidade Materno-Infantil toda estruturada e decorada para receber crianças. Além da brinquedoteca, todas as paredes foram pintadas com temas que homenageiam as famílias caiçaras e o ambiente em que vivem. Segundo o secretário de saúde, Marcos da Silveira Franco, esse espaço foi ambientado com o objetivo de desmistificar o estigma ruim que as crianças têm sobre hospitais e a assistência de saúde. “A Unidade Materno-Infantil é também um centro de promoção e informação sobre a saúde da família. Nós planejamos esse espaço para que as pessoas sintam-se bem num ambiente agradável”. Nesse mesmo endereço passa a funcionar também um pronto-atendimento, com sala de observação, de aplicação de medicamentos e curativos.

Centro de Apoio Psicossocial

O Centro de Apoio Psicossocial (Caps) está funcionando em novo espaço. Antes, ele funcionava anexo ao Ambulatório de Saúde Mental de Ubatuba. Dr. Marcos explica que, por se tratar de um Centro que visa restabelecer o contato de pacientes que sofrem de distúrbios psíquicos com a sociedade, o Caps deve ter uma estrutura que lembre uma casa, que aproxime os pacientes do convívio e possibilite a socialização. Os profissionais de Saúde Mental desenvolvem junto aos pacientes atividades de culinária, artesanato, arte-terapia, exercícios físicos programas culturais e eventos sócio-educativos para promover o envolvimento com a comunidade. O novo Caps está funcionando na Rua Maranhão, 396, Centro.

Centro de Referências e Especialidades

A população ubatubense poderá contar agora com um Centro de Referências e Especialidades reestruturado com novos serviços e espaço exclusivo. Funcionando na Rua Cunhambebe, 703, esse Centro conta com especialistas nas áreas de dermatologia, otorrinolaringologia, neurologia, cardiologia, cirurgia geral e neurocirurgia. Além disso, a comunidade pode contar com o Centro de Referências que oferece informações e apoio a pacientes com Aids, tuberculose, hanseníase e câncer.

Planos para 2006

Apesar das inaugurações ocorridas no mês de outubro do ano passado e dessas que acontecem nesta quarta-feira, 4, o Secretário Dr. Marcos considera que a rede de Unidades de Saúde de Ubatuba ainda está sucateada. “A situação de Ubatuba em relação à saúde não difere da maioria das cidades do Brasil. Quando assumimos a Administração, 40% dos móveis era mantida em pé por blocos. Aos poucos, estamos revertendo esse quadro. Das 24 unidades que temos, 9 foram recuperadas até agora. Para o ano de 2006, serão reformadas quatro e mais quatro serão construídas. Nosso objetivo é humanizar o atendimento aos pacientes e as condições de trabalho dos funcionários.”
As inaugurações estão programadas para começar a partir das 9h. A primeira delas será a Unidade Materno-infantil, seguida pela Santa Casa, Caps e Centro de Referências e Especialidades. PMU

Skate em Ubatuba

Best Trick de Skate abre o Super Session Verão 2006 em Ubatuba

Os skatistas que passam o verão em Ubatuba terão no próximo sábado, 7, a oportunidade de participar do Best Trick de Skate, que faz parte do Super Session Verão 2006, que trará eventos para quem gosta de manobras radicais.
A competição no estilo Best Trick divide os skatistas em baterias e dentro de cada bateria todos andam juntos ao mesmo tempo, sendo avaliadas as melhores manobras. Disputado nas categorias feminino, mirim, iniciante, amador e profissional o Best Trick de Skate acontece na pista da praça Trópico de Capricórnio, à partir das 15 horas. Atletas profissionais da Red Nose Shoes farão demonstrações durante o Best Trick de Skate ao som do DJ Célio Lopes e o público concorrerá a diversos brindes. As inscrições para Best Trick devem ser feitas no dia do evento, mediante a doação de dois quilos de alimentos não perecíveis.

A pista

A pista de skate foi inaugurada em 9 de julho de 2002 e leva o nome dos caiçaras João Serpa Filho (Fifo) e Alfredo Vieira. Os dois homenageados foram pescadores e proprietários de ranchos onde foi construída a pista, que tem 43 metros de comprimento e 35 m de largura, com vários tipos de peças para movimentos internos.

Surfe

O surfe não podia ficar de fora no Super Session Verão 2006. A Capital do Surfe recebe nos dias 14 e 21, o Air Show, que acontece nas praias Vermelha do Norte e Itamambuca respectivamente. A competição premiará o melhor e mais radical aéreo entre os homens e a Melhor Manobra para as mulheres. O Air Show também contará com DJs animando o público.
O Super Session Verão 2006 é organizado pela equipe do programa Super Session (Band Vale) e conta com o apoio da Secretaria de Esporte e Lazer da Prefeitura de Ubatuba, AUS (Associação Ubatuba de Surf) e ASK8 (Associação de Skatistas de Ubatuba) e conta com o patrocínio de Red Nose Shoes, Natural Shape, Wave Cut e North Peak. PMU

terça-feira, janeiro 03, 2006

Posse na Câmara


Romerson (Mico), Charles, Dr. Ricardo e Marquinhos "Tio Sam"

Presidência da Câmara de Ubatuba toma posse

A nova Mesa Diretora da Câmara de Ubatuba, para o exercício de 2006, tomou posse no último dia 1º. A Sessão Solene foi realizada no Plenário da Casa de Leis com a presença de um grande público e todos os vereadores.
Após a abertura da solenidade os membros da nova mesa diretora foram chamados para ocupar seus respectivos cargos. O vereador Dr. Ricardo Cortes (PV), que assumiu a presidência enfatizou que pretende dar continuidade ao trabalho com seriedade e muito empenho, “continuarei investindo esforços em prol da comunidade na criação de projetos que venham atender o interesse da coletividade”, afirmou.
Médico de profissão, o novo presidente está em seu segundo mandato no Legislativo de Ubatuba e já ocupou a cadeira de vice-prefeito de Ilhabela, o que demonstra sua vontade e preocupação em trabalhar pela população.
O vereador Marquinhos Tio Sam (PSC) assumiu o cargo de vice-presidente, “estarei dando total apoio ao novo presidente para que esta seja a melhor administração da Câmara”, disse Marquinhos desejando que este ano seja promissor em todos os setores que alavancam a cidade. Pela terceira vez, o vereador Charles Medeiros (PSB) assumiu a 1ª Secretaria da Mesa Diretora, “estamos retornando a Mesa na presidência do vereador Ricardo Cortes, uma pessoa sensata que com certeza será conciliador nas questões que envolvem o município, e pretendo continuar contribuindo com o desenvolvimento de Ubatuba viabilizando mais projetos e lutando por um turismo de qualidade”.
O vereador Romerson de Oliveira (PFL), que assumiu a 2ª Secretaria, lembrou que o ano de 2005 foi um grande aprendizado, “neste primeiro ano como vereador adquiri muita experiência e com certeza com esta nova Mesa Diretora poderei colaborar ainda mais com o crescimento de Ubatuba e o bem estar de nosso povo”.
Os demais vereadores parabenizaram a nova presidência desejando um mandato promissor em benefício da população e da cidade de Ubatuba.
Fonte: Laura Valesi Ennes - ASCOM

Paris...

Aos amigos do Ubatuba Víbora, uma pausa para sonhar. Ao entrar no site, não deixe de utilizar a barra de rolagem horizontal, na parte de baixo do navegador!
http://framboise781.free.fr/Paris.htm

Sidney Borges

Charles Medeiros em ação


A ponte atende a um dos anseios básicos da comunidade

Ponte do Rio Escuro recebe melhorias

A comunidade do Sertão das Cotias está satisfeita. No último dia 03 seus moradores puderam contar com uma melhoria considerável na ponte de acesso entre os bairros do Rio Escuro e Sertão das Cotias. Desde 2005 as comunidades vinham solicitando ao vereador Charles Medeiros que intercedesse junto ao executivo solicitando a execução da obra.
Charles diz que a realização foi fruto da soma de esforços da Regional Sul e da Secretaria de Obras. A parceria materializou a tão sonhada ponte.
Segundo os moradores, havia preocupação constante com acidentes devido à precariedade em que se encontrava a ponte. Embora havendo uma melhoria significativa, a comunidade aguarda para um futuro próximo uma ponte de concreto. “Assumi um compromisso com a comunidade e hoje ela tem a obra efetivada, gosto de lembrar que as comunidades não pedem muito, apenas o necessário para suprir suas necessidades cotidianas de infra-estrutura”, afirmou Charles Medeiros.
Fonte: Assessoria Charles Medeiros

Cidade refúgio


A comunicação visual do município é caótica e vai continuar assim

Luiz Moura
Atendendo a solicitação de Ana Pista, deixarei de nomear como puxa-sacos os aduladores da administração Eduardo César (PL + PT). Por enquanto, serão chamados de baba-ovos.
Ultimamente os baba-ovos vinham insistindo em que eu verificasse o que acontece nos bairros, que constatasse as "maravilhas" feitas pela administração "de meio-expediente", digo, "do resgate", na periferia da cidade. Ingenuamente, atendendo aos pedidos, fui confirmar o que está acontecendo.
Não sei como ainda fazem com que eu caia em estultices como essa! Pelo visto, sou mais lerdo do que penso!
Vi a insegurança dos moradores das áreas congeladas pela administração municipal, o desmazelo evidente encontrado nas vias de circulação, a esperança de mudança que não chega, o... É de cortar o coração...
A agressão ao patrimônio visual impregna o território de Ubatuba. A foto acima, do bairro da Maranduba, mostra o resultado da permissividade perniciosa administrada por Eduardo César.
A população está esperando (oficialmente), há 363 dias, que os administradores de plantão iniciem as ações necessárias ao desenvolvimento turístico em Ubatuba. Falam, falam, falam, mas até agora não foi apresentado um plano com metas, prazos e custo. Como estão os (ainda) estudos para a implantação do Conselho Municipal de Turismo? Em férias de verão?
Você pode não acreditar, pois é mesmo difícil, mas outro dia um baba-ovo defendeu a importância da vinda de mendigos e indigentes para Ubatuba.
O que estão querendo fazer com Ubatuba? Transformá-la em refúgio de elementos indesejáveis e nocivos ao desenvolvimento turístico há tanto almejado?
Quais os interesses e quem são as pessoas que fomentam essas idéias estapafúrdias em detrimento da vocação turística do município?
Vamos dar nomes aos bois para que a população saiba quem são os verdadeiros responsáveis pelo atraso geral pelo qual passa Ubatuba.
 
Free counter and web stats