domingo, dezembro 31, 2006

Ano Novo

2007 já está batendo na porta

Comece a arrumar as gavetas, colocar suas coisas em ordem. Escolha as roupas com as cores do Ano Novo (azul ou vermelho) para a noite da Virada e prepare-se: 2007 tem tudo para ser um dos melhores anos de sua vida!
Digo isso partindo da seguinte premissa: estamos todos mais maduros, já passamos por poucas e boas e estamos aprendendo com os nossos erros cotidianos. Temos 2007 pretextos para que o primeiro dia do próximo ano seja a nossa porta de entrada para a felicidade.
Se você não anda muito bem de saúde, pare e pense em como a medicina evoluiu nos últimos anos! Concentre suas energias positivas, mentalize positivamente e ajude a medicina a fazer o seu papel: deixar você novo em folha!
Se a grana anda curta, anime-se: o ano novo promete ser bem melhor que o passado. Estude novas possibilidades de negócios e serviços. Ouse, saia da mesmice. Invista em você, sempre!
Se a reclamação é o seu amor, ou a falta dele, o ano de 2007 lhe oferece a oportunidade de começar tudo outra vez, corrigindo os velhos erros, lançando mão de toda a experiência adquirida nas relações passadas. Ame como nunca amou!
Se a reclamação é que sua vida anda vazia, dedique-se a uma causa justa: procure a nossa Santa Casa, o lar Vicentino para idosos ou o Lar do Menor e passe a ter um bom motivo para viver: ajudar a trazer um pouco de consolo e felicidade aos que pensam que nada tem. Em pouco tempo, sua vida estará plenamente preenchida e uma nova realidade surgirá aos seus olhos.
Para enfrentar estes e os demais problemas da vida, a receita é bom senso e força de vontade para vencer. Ambos estão dentro de você, esperando para serem usados a cada momento.
Nada é impossível para quem acredita, para quem confia, para quem quer algo de verdade.
No Ano Novo, aproveite para pedir menos e agradecer mais a Deus, ajudar e confiar mais nos seus semelhantes. São estas mudanças que farão a diferença e tornarão 2007 aquele ano inesquecível.
A todos os amigos, conhecidos e leitores deste website, sinceramente desejo um Ano Novo repleto de Paz, Saúde, Amor e Prosperidade.


Marcelo Mungioli

A questão é: como?

A fórmula para promover o crescimento do Brasil

"Quando tomou posse, há quatro anos, Luiz Inácio Lula da Silva despertou a curiosidade mundial de banqueiros, políticos, empresários e da imprensa. A pergunta era uma só: que rumo tomará o Brasil com a vitória do ex-sindicalista que, por anos, foi um duro crítico do sistema financeiro internacional? Esta semana, quando é empossado para seu segundo mandato, os fantasmas da estatização ou dos calotes já desapareceram e Lula surge como uma espécie de contraponto às iniciativas do venezuelano Hugo Chávez."
Leia mais

Nasce um mártir do Islã

Enforcaram o morto

Mataram Saddam Hussein. O mundo pode respirar aliviado. O tirano enforcado já não fará mal às criancinhas. Os governantes do Império parecem não compreender o alcance das mensagens, eles que dominam os meios onde elas trafegam. Passaram anos dizendo ao mundo que Saddam era um tirano sanguinário, embora alguns afirmassem haver nele um lado modernizador que mudou a face do Iraque. Saddam chegou a comer peru no dia de ação de graças. O queridinho dos americanos foi armado até os dentes para enfrentar o demônio xiita do Irã. No período da lua de mel o apoio ao ditador chegou a abalar a aliança americana com Israel que destruiu instalações nucleares iraquianas sem que o chefe soubesse. O super canhão do canadense Bull, que poderia lançar projéteis sobre Tel-Aviv azedou o caldo de vez. Agentes da CIA e do Mossad torciam o nariz uns para os outros, quando não cuspiam de lado. Qual a vantagem de matar um morto? No imaginário dos muçulmanos, mártires têm grande significado e Saddam foi transformado em mártir. Preso, o ex-ditador perdeu a pose, a majestade, a arrogância. Sem as fardas carnavalescas e os capangas ao lado, com roupas civis modestas, parecia inofensivo. O estímulo visual é da maior importância, o dito popular que afirma: “o que os olhos não vêem, o coração não sente” traduz fielmente a nossa forma de ser. As imagens dos crimes de Saddam nunca apareceram na mídia com a freqüência com que ele, em seus últimos dias, foi exposto. E nessas ocasiões a televisão exibiu um velhinho fraco e frágil. Digno de compaixão. Os jornais pós-enforcamento mostram que o mundo não aprovou. Mais uma vez os americanos alimentaram com ração dupla a fera que vai mordê-los nos calcanhares. A retaliação certamente virá. Ações como essas reforçam a minha convicção de que o ser humano nasce com defeito de fabricação. Sem possibilidade de conserto.

Sidney Borges

Manchetes do dia

Domingo, 31 / 12 / 2006

Folha de São Paulo:
"Maioria dos países critica enforcamento de Saddam"
A maioria dos países lamentou a execução de Saddam Husseim, ocorrida ontem, e manifestou temor de que a morte do ditador agrave a situação no Iraque.

Os mesmos países contrários à execução condenaram a invasão do país pelos Estados Unidos, em 2003.
O Presidente dos EUA, George W. Bush, considerou a execução "um marco importante", mas admitiu que ela não levará à pacificação.
O Reino Unido se dividiu entre o apoio à execução e seu compromisso, como membro da União Européia, de condenar a pena capital.
A UE condenou o enforcamento de Saddam, assim como Rússia e Índia. O Vaticano ressaltou seu repúdio à pena de morte e destacou o risco de mais violência.
As reações oficiais no Oriente Médio à execução foram poucas. A Líbia decretou três dias de luto oficial.
O presidente Lula se disse contrário à pena de morte e afirmou que a violência no Iraque só será controlada se os EUA deixarem o país.
Medidas de segurança não impediram que sunitas promovessem atentados contra xiitas no Iraque. Ao menos 72 pessoas morreram.

O Globo:
"Lula toma posse com o desafio do crescimento"
O presidente Lula inicia amanhã seu segundo mandato ainda em busca da fórmula que permita ao país crescer de forma sustentada. O governo vai anunciar reforço nos investimentos em infra-estrutura, mas ainda existem divergências internas quanto às políticas fiscal e monetária. Economistas, empresários e sindicalistas dão suas sugestões de mudanças. A festa em Brasília, que tem 1.800 convidados, contará com a presença de 13 governadores que também serão empossados amanhã.


O Estado de São Paulo:
"Na posse, Lula renovará compromisso com os pobres"
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que começa amanhã o seu segundo mandato consecutivo, vai usar os discursos que fará na posse para renovar seu compromisso com a inclusão social. Lula também ressaltará os avanços que, a seu ver, a economia brasileira apresentou de 2003 para cá. Nos próximos quatro anos, o País deve ver um presidente mais centralizador e disposto a comprar briga até mesmo com a equipe econômica.

Correio Braziliense:

"E os deputados aprontam mais uma..."
Parlamentares rasparam os cofres da Câmara no fim do mandato. Para sacar as sobras dos recursos da verba indenizatória, que cobre as despesas dos gabinetes, usaram notas fiscais de consultorias e matérias de divulgação.

sábado, dezembro 30, 2006

Divagações filosóficas

Ano Novo

A questão do tempo é intrigante. O que é o tempo? Santo Agostinho, homem sábio, dizia saber do que se tratava, mas era incapaz de explicar. Esse artifício foi utilizado, ou melhor, ainda é quando professores de ciências precisam ensinar o uso da variável tempo no estudo dos movimentos. Movimento eis a chave da questão, se é que existe alguma questão ou alguma chave na tentativa de explicar o tempo, que a mim parece um rio que não constrói vales, mas vai passando e solapando as margens, como todos os rios. No caminho arrasta consigo a energia vital dos mortais. Com a chegada do fim do ano aparecem ilustrações de velhos com longas barbas representando o ano que finda e bebês gordos e rosados, de fraldas, no papel do ano que vai começar. E nós, onde ficamos? Permanecemos estáticos enquanto o tempo flui derrubando folhinhas e enchendo de rugas nossos rostos, ou estamos nos deslocando enquanto o tempo permanece imóvel, atrelado ao vazio infinito. Qualquer que seja a hipótese, em nossa frente há o futuro e atrás o passado. Estamos agora no presente, na verdade um local que raramente visitamos, já que é nosso costume viver fazendo planos para o porvir ou lamentando o que já foi. Essa é a visão do tempo de Newton, cuja essência a maioria dos mortais entende ou pensa que entende. O tempo de Einstein é outro, está associado ao espaço e flui de forma diferente para observadores que se deslocam. Por exemplo, no limiar de um buraco negro o tempo não passa, se um dia pudermos chegar lá, lá ficaremos por toda a eternidade, embora pesadíssimos, esmagados pela gravidade intensa. Caso exista o fluxo temporal será possível tirarmos dele alguma forma de energia, quem sabe a energia vital perdida no trânsito da existência. Eis aí uma boa idéia para o moto-contínuo: o tempo nos rouba beleza, mocidade e vigor, mas ao passar produz uma forma sutil de energia capaz de reverter o processo. Alquimia pura, se bem que teórica, já que não há aldeídos na aldeia e rareiam anelídeos albinos, sem os quais não há mágica. Feliz ano novo aos que me lêem, aos que ainda não o fazem e aos que jamais o farão. O tempo está passando. Rápido demais.

Sidney Borges

Notícias da Câmara

Feliz Ano Novo

Mais um ano terminado e temos um outro novinho em folha esperando por nós. Gostaria de agradecer a todo o povo de Ubatuba, que apoiou o nosso trabalho e aproveitar para lhe desejar um ótimo ano novo, com muita saúde, paz e felicidade.
Gostaria de agradecer a todos os amigos (as) que há muitos anos me apóiam, a minha família, assessores e colaboradores (as) que nos têm enviado sugestões e críticas, colaborando desta forma para enriquecer enormemente a nossa atividade parlamentar.
Que todos tenham neste ano novo, 2007 motivos para serem felizes!

Saúde e Paz!

É o mais sincero desejo do vereador Jairo dos Santos.


2007

"Que em 2007 Ubatuba se torne o sonho de todos nós. Feliz Ano Novo"

Dr. Ricardo Cortes


Encerramento dos trabalhos das associações da Região Norte

No dia 21/12, foi o encerramento das reuniões das associações da Região Norte, no Camburi depois de ser alterada a data por duas vezes, na última por um motivo muito triste que foi o falecimento de um garoto em Itamambuca, onde este último foi pauta também da reunião, onde os moradores do Morro do Tiagão, estão reivindicando uma lombada, sinalização, e fiscalização naquele trecho, pois como disse a mãe do garoto, “não temos que esperar que aconteça com outra criança, ou até mesmo adulto”.
A vereadora Luciana Machado salientou a ida a Brasília e as informações que trouxe, e também citando a importância de lutarmos para que no próximo ano possamos concorrer a uma vaga no Conselho das Cidades, e também as possíveis alterações dos Estatutos das Associações na busca de recurso, nos Ministérios.
Outra pauta da reunião foi o retorno do secretário de Saúde, sobre as reivindicações da região, no quesito de melhor atendimento da Saúde na Região Norte, tais como pronto atendimento 12 horas, ambulância, coleta de exames entre outros. Ficou definido que na segunda quinzena de janeiro iremos convocar o secretário para trazer os retornos necessários para toda a comunidade.
A Associação do Camburi colocou também a questão da energia no bairro, disseram que o Governo federal, garantiu que breve o bairro terá a iluminação.
No final houve uma pequena confraternização com os presentes, no qual a comunidade estava muito satisfeita com as reuniões e optaram para que a vereadora continue com este processo, pois ficaram muito contentes com os resultados da parte do turismo que a região sul, vem obtendo devido a organização.
A vereadora Luciana Machado, desde já agradece a participação das entidades da Região Norte, e a confiança depositada no seu trabalho.
Feliz 2007 a toda a população da Região Norte e a toda a população do município.
Fonte: Laura Ennes - ASCOM

Revista nova na praça

De Volta às origens

Alçar novos vôos e alcançar sucesso, sem esquecer de suas raízes. É com este pensamento que muitas pessoas saem de seu município para conquistar territórios, sem deixar de lado o orgulho do lugar onde nasceu. Em Ubatuba, a situação não é diferente. Além de retornarem à terra, alguns sempre acabam voltando com experiência na bagagem e contribuindo ainda mais para o desenvolvimento da cidade.

Um exemplo disso é o jornalista Ednelson Prado, que já trabalhou em diversos meios de comunicação na capital e também no Vale do Paraíba. Atualmente trabalhando como professor nas Faculdades Tereza D'Avila (Fatea) e atuando como diretor de jornalismo na rádio Fm Unitau, Prado agora implanta na cidade uma revista voltada ao turismo, com foco em Ubatuba.

Para a Associação Comercial e Industrial de Ubatuba, iniciativas como esta incentivam outros filhos ilustres a também participarem ativamente do processo de crescimento do município. A atual gestão parabeniza a equipe pelo trabalho de qualidade, com a certeza de que muitas outras atividades como esta vão ajudar numa maior visibilidade de Ubatuba.

Ahmad K. Barakat
Presidente

Associação Comercial de Ubatuba
www.aciubatuba.com.br

Praga



Caramujo Africano em Ubatuba, um turista que não é bem-vindo!

Verão, vida boa, tempo de calor e chuvarada, ótimo para apreciar as paisagens e animais de nossa maravilhosa Ubatuba. Olha a Saíra Sete Cores! A gaivota! O sabiá! O caramujo! Caramujo?
Infelizmente a nossa natureza também foi invadida pelo caramujo-gigante africano, conhecido pelos cientistas como Achatina fulica (Lê-se acatina fulica). A espécie exótica invasora é a que mais causa danos ao meio ambiente a agricultura no Brasil.
De acordo com o estudo da Drª. Fischer da Pontifícia Universidade Católica (PUC-Paraná), o caramujo-gigante africano foi trazido de maneira ilegal para o Paraná por volta da década de 1980 e, então, levado para todas as regiões do país. Os disseminadores desses animais traziam promessa de lucro fácil, incentivando a criação para ser usado como alimento e provendo que o Brasil seria o maior exportador da iguaria. Apesar de ser bem maior e mais produtivo que o escargot tradicional (Helix aspersa), o mercado não aceitou a sua carne, seja pela questão cultural ou pela falta de controle de qualidade de fiscalização. Os criadores desanimados e desestimulados abandonaram as criações ou liberaram os animais na mata nativa e nos rios. A praga se alastrou em nosso território, o fato de serem bastante resistentes, não possuírem predadores naturais em nosso país, somados à estratégia reprodutiva, permitiu o sucesso dos animais. Eles são hermafroditas (possuem órgãos reprodutores tanto de fêmeas como de machos), fazem até cinco posturas por ano com cerca de 300 ovos cada, e em cinco meses cada caramujinho já está pronto para se reproduzir, podendo viver até sete anos.
Além disso, podem transmitir um verme nematóide causador da angiontrongiliose, que causa um tipo de meningite e angiontrongiliose abdominal, através do contato com o muco produzido pelo caramujo. Até o presente momento não foram encontrados caramujos infectados.
Apesar disso, cuidado com a “baba” do animal e lave bem os alimentos das hortas caseiras, pois o contato dos caramujos com o lixo urbano pode causar, aos seres humanos, outros tipos de doenças.
O caramujo é um problema, pois compete por espaço e alimento com espécies nativas, destroi plantações, grãos armazenados e jardins. Em Miami foram gastos mais de 1 milhão de dólares para exterminar 18.000 caramujos presentes em 42 quadras, sendo para tal, necessários seis anos de uso de iscas com veneno, catação por profissionais capacitados e campanha de educação Ambiental.
De acordo com Fábio de Castro da Agência Fapesp, o procedimento básico para combater ao caramujo consiste em recolher os espécimes - com proteção de luvas ou sacos plásticos para evitar o contato direto – e depositá-los nos recipientes disponibilizados pelas prefeituras. O poder público então encarrega de levar os animais para um aterro sanitário, onde são esmagados e enterrados sob uma camada de cal. “Por isso é necessário envolvimento direto das prefeituras e da população. A comunidade precisa saber que esse caramujo é um problema”, afirma o analista ambiental do Ibama.
Amigos moradores e turistas, tomemos consciência de que o grande vilão dessa história não é o pobre caramujo que apenas luta para sobreviver, mais o ganancioso HOMEM que insiste em não se preocupar e modificar a natureza. Preserve nossa cidade!


Camilo de Lellis Santos
Biólogo

Som em pauta

Carta aberta à população de Ubatuba e turistas

Os comerciantes, músicos e mais de 300 cidadãos que assinaram o documento de apoio ao livre exercício da música ao vivo e mecânica, na cidade de Ubatuba vêm através dessa carta aberta esclarecer a população e expressar indignação e repúdio ao VETO TOTAL do prefeito Eduardo César à lei substitutiva de autoria do vereador Jairo dos Santos (PT) – aprovada por unanimidade na Câmara Municipal – que substitui a lei 2.101/01 do comerciante e vereador Marcos Francisco Demo (Marquinhos Tio Sam) do PSC.

Consideramos o veto do Sr. Prefeito um ato político e pessoal, pelas razões abaixo relatadas:

01) Segundo palavras do próprio Prefeito, a lei do vereador Jairo cria complicações para outros setores de atividades geradoras de ruídos como: construção civil, serralherias, marcenarias, fogos de artifício. Ou seja. Para permitir que outros setores façam barulho a vontade, ele mantém as restrições à música;

02) Os argumentos jurídicos apresentados como motivos cabais para o veto total são apenas cortinas de fumaça para dar ao veto a aparência de atitude séria e responsável. A lei aprovada foi elaborada com base nas leis e normas nacionais e qualquer equívoco poderia ser reparado por emendas;

03) O Sr. Prefeito, a OAB e entidades afins foram comunicadas e convidadas através de ofícios a participar das reuniões e audiência pública na Câmara Municipal, para discutir amplamente o tema. Foram realizadas 08 (oito) reuniões, 01 (uma) audiência pública e nenhum representante do prefeito ou daquelas entidades se fez presente;

04) A lei elaborada pelo vereador Jairo dos Santos foi amplamente analisada pelo departamento jurídico da Câmara Municipal recebendo parecer favorável para votação em plenária;

05) Após aprovada na Câmara, a lei ficou 03 (três) semanas em poder do Sr. Prefeito e, somente após a Câmara entrar em recesso (férias) ele assinou o veto impossibilitando qualquer recurso em torno do caso até fevereiro. Ou seja: após o verão;

06) Soma-se a tudo isso o fato de o vereador Jairo dos Santos e o PT (Partido dos Trabalhadores) serem hoje seus adversários políticos mais contundentes no município e fica evidente que o VETO TOTAL foi um golpe estratégico para consumar um ato de retaliação contra seus desafetos;

07) Assim, o Prefeito vira as costas para o município, para a classe musical, para os comerciantes, para a cultura e para os turistas que (alem das belas praias) querem desfrutar o prazer da diversão e do lazer cultural;

08) A música ao vivo nos bares, restaurantes e quiosques da cidade gera nas temporadas emprego direto para cerca de 280 músicos e para mais de 1.500 trabalhadores diversos, como garçons, faxineiros, cozinheiros, seguranças, etc., além de aumentar em muito, a demanda e consumo da indústria culinária e de bebidas, gerando um efeito multiplicador de renda no município.

Esclarecimentos:

a) Tanto a lei do vereador Tio Sam (antiga) quanto à do vereador Jairo dos Santos (nova) estabelecem regras e limites para a emissão de ruídos, a fim de garantir a saúde, o sossego e o bem estar social em nossa cidade. Não é (como se fez crer) uma lei para a música e sim para toda atividade humana geradora de ruídos cujo excesso possa se tornar nocivo ao ambiente e aos cidadãos.

b) A lei antiga dá margem para interpretações equivocadas fomentando o preconceito contra a classe musical e permitindo ações arbitrárias contra músicos e comerciantes, como: proibição explícita, fechamento de estabelecimentos, confisco de equipamentos, etc.

Ubatuba, 29 de dezembro de 2006.

Comissão Pró Música de Ubatuba

Notícias da Prefeitura

Notícias do dia 30 / 12 / 2006
  • Turistas têm nova opção de estacionamento no Centro da cidade
  • Prefeitura de Ubatuba faz adequações para cuidar do lixo durante temporada
  • Prefeitura de Ubatuba construirá Corpo de Bombeiros em 2007
Leia aqui

Manchetes do dia

Sábado, 30 / 12 / 2006

Folha de São Paulo:
"Saddam Hussein morre enforcado"
Ex-ditador é executado pela morte de 148 xiitas; analistas e autoridades internacionais questionam pena - O ex-ditador iraquiano Saddam Hussein, 69, foi enforcado na madrugada de hoje em Bagdá, após ter sido condenado em novembro pela morte de 148 xiitas, em 1982, confirmou o Ministério do Exterior do país. Uma corte de apelação manteve a sentença de morte na terça-feira, e o governo iraquiano acelerou os trâmites para enforcá-lo até o final do ano e antes do feriado religioso de Eid al Adha, que começa hoje, coincidindo com a peregrinação anual a Meca. A execução ocorreu pouco antes da 1h da madrugada no Brasil, o correspondente a próximo das 6h, em Bagdá.
Sérgio Dávila - A execução de Saddam Hussein na madrugada de hoje serviu aos interesses do governo norte-americano, ao desejo da Casa Branca de sair do Iraque de maneira menos vergonhosa e aos planos de vingança de George W. Bush, anteriores ao 11 de Setembro. Ganharam os falcões que continuam pendurados no poder dos EUA e os líderes da maioria xiita iraquiana, da qual o primeiro-ministro Nuri Al Maliki é a face institucional. Perdeu Karim Kadum, porque perderam o direito internacional, a memória das vítimas do ex-ditador, enfim, a Justiça.


O Globo:
"Polícia diz que milícias já preparam revanche"
Um relatório da Subsecretaria de Inteligência, subordinada à Secretaria estadual de Segurança, revela que integrantes de milícias - formadas por policiais e ex-policiais civis e militares - se preparam para reagir aos ataques de traficantes de drogas, ocorridos na madrugada e na manhã de quinta-feira no Rio. A reação confirma que a onda de terror foi provocada pela derrota imposta ao tráfico pelas milícias. A Cidade de Deus, em Jacarepaguá, e a Cidade Alta, em Cordovil, estão entre os próximos alvos das milícias e, segundo a inteligência policial, há possibilidade de tiroteios em favelas da Maré, que foram perdidas pelo tráfico. A série de ataques, que resultou na morte de 18 pessoas, foi desencadeada por traficantes de duas facções, em resposta à expansão das milícias que dominam 92 favelas.

O Estado de São Paulo:
"TAM foi responsável por apagão no Natal, diz Anac"
O apagão aéreo que congestionou os principais aeroportos do País no Natal teve origem na TAM, segundo relatório da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). A empresa teria vendido passagens acima da capacidade de suas aeronaves. Além disso, teria retido oito aviões para manutenção. A retirada dos aparelhos da frota da empresa, que detém 50% dos assentos do setor, segundo a Anac, "gerou impactos em cadeia" na malha da companhia e "os reflexos desse problema desencadearam o chamado efeito dominó". O relatório, que visa a evitar a repetição da crise no ano-novo, diz que o overbooking praticado pela TAM no Natal foi de 1% a 7% (média de 4%) em 125 vôos. A empresa não se pronunciou. Ontem, pelo menos 40 vôos foram cancelados em aeroportos de todo o País - cinco deles em São Paulo -, apesar da proibição da Anac. Mesmo assim, a situação foi tranqüila na maior parte do dia nos balcões e nas salas de embarque.

Correio Braziliense:
"Enforcado"
O homem que governou o Iraque com mão de fero por mais de duas décadas está morto. Saddam Hussein, ditador sanguinário odiado pela maioria dos iraquianos, foi para a forca no momento em que o sol raiava em Bagdá, por volta das 6h (uma da madrugada de hoje, em Brasília). A execução é uma vitória para o presidente norte-americano George W. Bush, líder da coalizão que derrubou o regime de Saddam, em 2003. Mas a sentença, decretada no mês passado por um tribunal da capital iraquiana, recebeu a condenação de boa parte da comunidade internacional. O Brasil reagiu, divulgando um duro comunicado no qual contesta a legitimidade da invasão e alerta para o risco de agravamento da violência no país.

sexta-feira, dezembro 29, 2006

E agora, o que eu faço?

Fora do ar, Orkut "em construção" deixa usuários apreensivos

FERNANDA CRANCIANINOV da Folha Online
O site de relacionamentos Orkut está fora do ar desde a tarde de ontem, deixando milhares de usuários sem acesso ao serviço. Em setembro, o Orkut registrava mais de 30 milhões de usuários, sendo 60% brasileiros.
O Orkut exibe em sua página inicial o tradicional aviso "o orkut está em construção. por favor, volte em breve." (orkut is under construction. please check back soon). O motivo da manutenção não foi divulgado pelo Google, que administra o site.
Não há informações sobre quando o serviço estará de volta. Em tom de ironia, o site MeioBit (www.meiobit.com) sugere algumas alternativas aos "órfãos" do Orkut, "como e-mail, MSN, Google e a maldita porta da rua". O site Undergoogle (www.undergoogle.com/blog) declarou o "caos entre brasileiros". Uma internauta identificada como "brankinhausa" comenta que, nos EUA, houve uma pane relacionada aos dados do site, "estão loucos tentando contornar o problema".
Outra hipótese, mais plausível, é que o Google apenas esteja implementando novas ferramentas e reforçando a segurança e a legalidade de conteúdo no site.
Leia mais

Mudança de rumo

Vivendo e aprendendo

Como é do conhecimento dos leitores, ontem foi votada uma lei que institui a taxa dos bombeiros, que será cobrada dos munícipes a partir de 2007. A Câmara aprovou a iniciativa do Executivo por maioria absoluta. O trabalho foi facilitado pela ausência de três vereadores. Não é a primeira tentativa de criar novos impostos. Em passado recente o vereador Ricardo “Chamagás”, da base de apoio do prefeito Paulo Ramos, fez um projeto de lei que propunha a cobrança de uma taxa de iluminação. Felizmente o projeto, flagrantemente inconstitucional, foi rebatido com veemência pelo vereador Eduardo de Souza César. O nobre edil expressou claramente o absurdo da iniciativa. "Em Ubatuba há impostos suficientes, não cabe ao Executivo onerar mais o cidadão e sim administrar os recursos de forma coerente". Na ocasião pensei comigo, esse jovem poderá ser um bom prefeito, trabalha em prol do bem estar do povo. O então vereador, hoje prefeito, tinha total razão, eu é que estava enganado.
(Sidney Borges)

Sociais

Editorial

Jamais verás...

Raramente assisto ao Jornal Nacional. Estando praticamente o dia inteiro na Internet, conheço o que pode ser apresentado de relevante. Ontem foi uma exceção, fiz questão de sintonizar a Globo para ver o ataque terrorista ao Rio de Janeiro. Marginais colocaram fogo em um ônibus e pessoas foram assadas vivas. A Inquisição não faria melhor. Os carrascos de Hitler não fariam melhor. Pol Pot está virando no túmulo de inveja, ele que tirava bebês dos braços das mães e os lançava para o alto para praticar tiro ao alvo. Somos campeões mundiais mais uma vez. Campeões de crueldade, impunidade, hipocrisia, incompetência, preguiça e corrupção. Queimar pessoas está virando rotina. Hoje não pretendo assistir ao Jornal Nacional. Digo isso, mas se o terror inovar e apresentar alguma novidade estarei a postos em frente à telinha. Gente assada dá ibope. Hoje o jornal vai mostrar como os brasileiros são felizes. Vai falar da maravilha que é viver em uma terra linda e generosa e que oferece o espetáculo da queima de fogos. Quanto aos mortos e feridos e suas famílias, quanto à jovem modelo que teve o corpo queimado e sofrerá seqüelas pela vida afora, só podemos lamentar. Acidentes de percurso acontecem, vide Bagdá e Porto Príncipe. Hoje é sexta-feira, ainda faltam dois dias para a festa. O ataque não nos atingiu, boa razão para festejar. Um dia poderá ser conosco. Caso os traficantes não nos assem o controlador de vôo poderá trocar os pés e lá iremos nós para o beleléu. Fazer o quê? O negócio é ter fé. Lula está aí para o que der e vier...


Sidney Borges

Guerra Civil

A união contra o crime

De O Estado de S.Paulo, hoje:
"Numa iniciativa oportuna, os governadores eleitos ou reeleitos dos quatro Estados do Sudeste - José Serra, Sérgio Cabral Filho, Aécio Neves e Paulo Hartung - se reuniram há dias na sede da Fundação Getúlio Vargas, no Rio de Janeiro, e decidiram promover encontros regulares para trocar experiências e agir de modo articulado ante os problemas comuns da região. Ela concentra 42% da população brasileira e lidera os rankings de violência e criminalidade - como evidenciaram os ataques praticados ontem pelo crime organizado contra a população do Rio de Janeiro."

Leia mais

Comunidade

Ipiranguinha sim III

Matéria publicada originalmente no jornal virtual “O Guaruçá” e enviada ao Ubatuba Víbora por Adilson Lopes


Mais uma vez, numa demonstração inequívoca de que as pessoas que compõem a Diretoria da Associação de Bairro do Ipiranguinha, não o fazem apenas paraocupar espaço, o Prof. Adilson Lopes, presidente da SABI e demais colegas da Sociedade Amigos do Bairro do Ipiranguinha em perfeita sintonia com aParóquia do Ipiranguinha e efetivo e providencial apoio da primeira dama domunicípio e Presidente do Fundo Municipal de Solidariedade, Sra. Denise Maria Barbosa Montemor César, mais uma vez incentivaram a promoção de umasensacional festa de natal, para as crianças do bairro do Ipiranguinha eadjacências, que puderam se divertir muito com competições recreativas, que premiavam os participantes com brindes que faziam a alegria dos ganhadores, muita música, dança, distribuição de brinquedos, tudo dentro de um clima familiar e de profundo respeito entre todos que congraçavam fraternalmente no local. A evolução social do bairro do Ipiranguinha é algo notável, e promissoras perspectivas nos suscitam, pois que, nos mostra um norte, ou seja, que em havendo disposição e trabalho, é possível se organizar, fazer crescer e ainda garantir uma boa qualidade de vida a todos da comunidade, isto vem ocorrendo a olhos vistos, para se usar uma expressão bem popular, no bairrodo Ipiranguinha, que cresceu muito, é praticamente uma cidade, pois conta com um comércio diversificado e muito bem estruturado, várias escolas, posto de saúde, paróquia católica, igrejas evangélicas e o mais importante,disposição da sociedade organizada em trabalhar com afinco, para cada vez mais melhorar a vida de todos. No ano que finda, em seu transcurso, a sociedade organizada do Ipiranguinha,já nos havia brindado a todos com a maravilhosa e portentosa “Festa doTrabalhador”, onde várias bandas locais puderam apresentar shows de grandes talentos, com várias barracas que comercializaram deliciosas guloseimas, produto da culinária de nossa cidade e, inúmeras atrações que fizeram a alegria de todos, sem contar a alta demonstração de civilidade dos moradores do bairro, que muito bem souberam receber gente de todos os lugares de Ubatuba e até de outras cidades, não se registrando um único tumulto sequer,a festa ocorreu num clima de muita paz e urbanidade. Agora, novamente o Ipiranguinha faz mais uma festa extraordinária, desta feita de natal, e a gente nota que, o trabalho que no bairro é desenvolvidopela SABI, pela Paróquia local, e moradores em geral, não são meramente pontuais, mas contínuos e principalmente sérios, visando cada vez mais, fazer com que o bairro cresça de forma planejada e com todos os preceitos de cidadania plenamente observados, nesse sentido, estão a Sociedade Amigos do Bairro do Ipiranguinha, a Paróquia da Igreja Católica e todos os seus moradores de parabéns pelo admirável trabalho que lá desenvolvem, sempre com muita competência e, por essas e outras, é que com entusiasmo saudamos o progresso crescente do bairro. “Feliz Natal Ipiranguinha!”, vocês são o nosso orgulho!

Aládio Teixeira Leite Filho

Nota do Editor: O autor é natural de Ubatuba e se auto-intitula: "um escrevinhador caiçara".

Ubatuba em foco

Mais um ano amargo para o povo de Ubatuba

O povo de Ubatuba em 2007 receberá em seus lares e estabelecimentos comerciais uma correspondência da Prefeitura Municipal nada agradável, cujo conteúdo será a cobrança de uma "Taxa de Serviço de Bombeiros”.
Apesar de já sermos onerados com uma alta carga tributária, o prefeito Eduardo César em sua voracidade de arrecadar, vai através desta taxa, fazer com que os cidadãos paguem por algo que deveria ser coberto pelo produto geral da arrecadação de impostos do governo estadual. Não demora muito, se a situação continuar como está, iremos ser cobrados também pela utilização potencial do serviço de saúde, do serviço de repressão ao crime e novamente pela da taxa de iluminação pública, e no fim, nem sentar na praça para namorar poderá mais ser feito, pois antes deverá ser recolhida uma taxa pela ocupação do solo público.
Essa cobrança a meu ver é flagrantemente ilegal, porque o serviço de prevenção e extinção de incêndios, resgate e salvamento, é inespecífico, pois favorece não apenas os proprietários ou possuidores de bens imóveis, mas a coletividade em geral, mesmo porque o sinistro pode atingir também os bens móveis e ameaçar vidas humanas e de semoventes. E o resgate e salvamento favorecem todos aqueles que eventualmente se encontrem em situação de risco no município, mesmo que não sejam proprietários ou possuidores de imóveis e sequer morem na cidade. E, ademais, essas atividades são indivisíveis, pois não se pode medir o quanto cada munícipe, proprietário ou não, é beneficiado com sua existência.
Tais como os governos anteriores, Eduardo César, desde o primeiro dia, dedicou-se a fazer aquilo que, em campanha, jamais disse que iria fazer. Não foi pela vontade do povo de Ubatuba que seu governo dedicou todas as suas energias e força política a taxar a população, arrochar os trabalhadores públicos, anistiar os sonegadores de impostos, aumentar os juros e os impostos. A vontade do povo de Ubatuba era ter escolas de qualidade, saneamento básico, habitação, mais saúde, mais direitos, mais trabalho e mais cuidado para com nossa cidade.
O dinheiro público, em lugar de estar sendo destinado a programas de recuperação econômica, na criação de fontes de trabalho em projetos de educação, de moradias etc, tem outras prioridades: pagar as dívidas de campanha assumidas com as empreiteiras e aninhar na administração seus ex-adversários políticos e “irmãos de fé”.
Estas infidelidades do governo Eduardo César ao povo de Ubatuba, que nos primeiros tempos produziam perplexidade, vão agora espalhando pelo município um clima de decepção generalizada. A cada dia surge um novo desapontamento, a ponto de muitos já nem mais esperarem algo de bom de um governo que, em quase dois anos, não tem nada, exceto o marketing das mentiras, a mostrar ao povo.
A arrogância e pretensão de Eduardo César, não podem evitar o fato de que, diante das parcelas mais lúcidas da população e entre as forças que sustentaram a eleição dele, este descontentamento vai caminhando para tornar-se uma repulsa frente à traição aos compromissos que o levaram ao poder.
Os governantes que chegam ao poder em nome dos direitos da população, e no governo passam a negar aqueles direitos, seguem inexoravelmente o caminho que, passando pela perplexidade e pela decepção profunda, leva à indignação e à revolta. Democracia se, é respeito ao voto, é mais ainda fidelidade àquilo que o voto expressa: a vontade de um povo.


Jairo dos Santos
Vereador

Notícias da Prefeitura

Notícias do dia 29 / 12 / 2006
  • Projeto Tamar tem novidades para os visitantes nesta temporada
  • Evento natalino agitou o feriado em Ubatuba
  • Guarda Municipal de Ubatuba tem novo comandante
  • Ubatuba terá queima de fogos em quatro pontos do município
  • Prefeitura de Ubatuba terá ponto facultativo na terça-feira
  • Carnês de IPTU em Ubatuba serão distribuídos na próxima semana
Leia aqui

Manchetes do dia

Sexta-feira, 29 / 12 / 2006

Folha de São Paulo:
"Ataques deixam 18 mortos no Rio"
Facções criminosas atacam alvos civis e instalações policiais, ordem para ação saiu de dentro dos presídios. - No pior atentado, bandidos incendeiam ônibus que ia para SP e sete passageiros morrem carbonizados. - Ataques sincronizados de facções criminosas causaram a morte de 11 pessoas e a reação policial matou sete supostos traficantes, somando 18 assassinatos que trouxeram pânico a parte do Rio de Janeiro, às vésperas do Réveillon. Sete passageiros carbonizados em um ônibus interestadual incendiado, dois policiais militares e duas pessoas que estavam no lugar errado na hora errada morreram durante ataques criminosos iniciados na final da noite de quarta-feira, que se estenderam com menor intensidade durante o dia e foram retomados à noite, com mais ataque a ônibus em Niterói e a duas cabines de PMs. Segundo a Secretaria de Segurança, 23 pessoas se feriram -oito PMs, um policial civil e 14 civis. Foram incendiados nove ônibus e atacadas seis cabines da PM e seis delegacias, diz o governo. Um ônibus da viação 1001, que fazia o trajeto São Paulo-Rio, foi atingido por tiros, mas ninguém se feriu. Por essa contabilidade, houve pelo menos 32 ataques em bairros das zonas sul, norte e oeste, no centro e na Baixada Fluminense. À tarde, boatos levaram ao fechamento de lojas temendo supostos arrastões.


O Globo:
"Facções se unem contra as milícias e levam terror ao Rio"
No pior ataque de bandidos até hoje no Rio, em 15 ações na madrugada e na manhã de ontem, 18 pessoas morreram e 32 ficaram feridas, inclusive civis, quando criminosos queimaram ônibus, metralharam cabines da PM e jogaram granadas em delegacias. Os ataques aconteceram a quatro dias do réveillon e da mudança de governo. Sete bandidos foram presos. No incêndio de um ônibus da Itapemirim, na Avenida Brasil, sete pessoas morreram carbonizadas. Enquanto a Secretaria de Segurança atribui os ataques à busca de regalias pelos bandidos na mudança de governo, hipótese mais provável, por estar amparada por documentos, é a da Administração Penitenciária: as ações foram cometidas por duas facções criminosas que se uniram para combater as milícias, formadas por policiais da ativa e da reserva, em favelas antes dominadas pelo tráfico. A governadora Rosinha Garotinho disse que não vê motivos para aceitar a ajuda da Força Nacional de Segurança. O governador eleito Sérgio Cabral disse que pode vir a pedir ajuda e desabafou: "Eu não estou vendo polícia na rua."


O Estado de São Paulo:
"Onda de terror mata 18 no Rio"
Pelo menos 18 pessoas morreram e 26 ficaram feridas, em 27 ataques a ônibus e delegacias, carros e cabines da polícia do Rio. A série de atentados é atribuída a traficantes, possivelmente em represália à chamada polícia mineira - grupos clandestinos de policiais criados para evitar tráfico de drogas em favelas. Os ataques forma iniciados no fim da noite de quarta-feira e ontem à tarde ainda havia troca de tiros entre traficantes e policiais. O terror tomou conta de toda a cidade e atingiu ainda o Grande Rio e a Baixada Fluminense. No caso mais dramático, 7 pessoas morreram carbonizadas e 12 ficaram feridas quando criminosos incendiaram um ônibus da Viação Itapemirim na Avenida Brasil. Num dos ataques, uma vendedora ambulante foi assassinada e seu filho de 6 anos, baleado na cabeça; os criminosos deixaram no local um bilhete acusando a governadora Rosinha Garotinho de compactuar com as milícias. Nos últimos anos, o número de favelas do Rio controladas por grupos paramilitares mais do que dobrou, passando de 42 para 92.


Correio Braziliense:
"Terror no Rio"
Dezoito pessoas morreram e 34 ficaram feridas numa série de brutais ataques terroristas. Em menos de 24 horas, entre a madrugada e a noite de ontem, os bandidos transformaram em alvos delegacias, turistas e policiais. Em um dos atentados, sete passageiros de um ônibus morreram carbonizados. - O cenário da cidade que se prepara para receber 2 milhões de pessoas em Copacabana na virada do ano era de praça de guerra. As ações violentas atingiram toda a Região Metropolitana do Rio. Entre os nove civis mortos, sete estavam num ônibus da empresa Itapemirim, que ia de Afonso Cláudio (ES) para São Paulo, incendiado na Avenida Brasil. Uma mulher foi executada na porta de um shopping e um homem morreu na 18ª DP, quando registrava uma ocorrência. A polícia carioca, que há dois meses fora alertada sobre os planos dos bandidos, reagiu: sete criminosos foram mortos. O governador eleito, Sérgio Cabral Filho, admitiu que pode pedir ajuda federal, medida que a atual governadora, Rosinha Garotinho, descartou. A onda de violência, que está sendo interpretada como uma reação dos criminosos a ações de milícias clandestinas nas favelas, não intimidou o brasiliense. Na tarde de ontem, 12 ônibus partiram lotados da Rodoferroviária com destino ao Rio de Janeiro.

quinta-feira, dezembro 28, 2006

Sociais

Guerra Civil

Rio sabia dos ataques desde o dia 26

Um relatório da Subsecretaria de Inteligência entregue no último dia 26 às chefias de todos os órgãos de segurança do Rio de Janeiro informava que bandidos promoveriam hoje ataques na cidade. Na investigação, escutas mostram que o traficante Gim, da Zona Oeste da cidade, se reuniu com traficantes de outras facções criminosas no Morro da Mangueira, na Zona Norte, para organizar as ações em represália às invasões de milícias promovidas por uma facção rival.
Leia mais e Leia mais

Mimo de fim de ano

Câmara aprova novo imposto

Em sessão extraordinária acontecida hoje, dia 28 de dezembro de 2006, às 12:00h, a Câmara Municipal de Ubatuba aprovou a lei que institui a cobrança de uma taxa denominada “Taxa de Serviço de Bombeiros”. Em breve os ubatubenses estarão recebendo em casa um envelope comunicando a "boa nova" da Prefeitura. E de alguns vereadores, como não poderia deixar de ser.

Nossos representantes no Legislativo votaram assim:

A favor do novo imposto:

Gerson de Oliveira – PMDB
Luciana Machado - PDT
Marcos Demo - PSC
Osmar de Souza - PFL
Ricardo Cortes - PP

Romerson de Oliveira - PFL

Contra o novo imposto:

Jairo dos Santos - PT

Ausentes:

Charles Medeiros - PSB
Claudio Francisco Gulli - PMDB

Edílson Félix - Sem partido

Caro leitor, sempre é bom lembrar: na próxima eleição, antes de votar, pense bem...

Ou você sentirá no bolso.

Sidney Borges

Ubatuba

Opinião

“Sincretismo político”
Sincretismo: “Reunião artificial de idéias ou de teses disparatadas”. (Aurélio)

Corsino Aliste Mezquita
Nestes dias de lazer veraneio, altas temperaturas, tormentas tropicais, visitas enriquecedoras de MANOLO e carrossel de notícias políticas circulando de boca em boca, supostamente, como conseqüência precipitada da ruptura do PT com Eduardo de Souza César e da expulsão, do mesmo, do PL, partidos que lhe deram suporte político e financeiro para se eleger, tenho observado o que parecem adaptações camaleônicas, ingratidão, desonestidade e falta de lógica, serenidade e princípios políticos. Uma multidão de velas estão sendo acessas. No nosso olhar de leigo, umas a Deus, outras ao Diabo.
Não tivesse passado da idade de me admirar, de me surpreender, de.... estaria deslumbrado com a capacidade sincrética de alguns de nossos políticos e com o “Samba do crioulo doido” supostamente decorrente. É intrigante a capacidade de algumas gargantas para engolir, sapos gordos e de peso, sem lubrificantes ou vaselinas. Vivemos a Ubatuba do “NUNCA ANTES”.

À situação político-administrativa podemos aplicar a frase de Ramalho Ortigão: “As inteligências que mais ou menos nos governam estão com relação à administração.....num estado de sincretismo bramânico em que nada se compreende e nada se resolve” (Ramalho Ortigão-“As Farpas”. Apud, Aurélio).
Carecendo dos dons da profecia, não sendo cientista ou analista político e nem vidente, transcrevo para reflexão de uns e divertimento de outros,


“AS SEIS MEZINHAS DO DR ULYSSES GUIMARÃES”.

Primeiro: não seja impaciente. A impaciência é uma das fases da estupidez. Entendo que quem está na vida política não pode entrar na historia do dia para a noite. O caminho é longo, perseverante e difícil. A impaciência não acaba só com carreiras futebolísticas”.
Segundo: na política, em geral, e especialmente no poder, se você não pode fazer um amigo, não faça um inimigo. O inimigo guarda o ódio na geladeira. O inimigo, na eleição, amanhece na boca da urna dizendo que a mãe do candidato não é honesta”.
Terceiro: em política nunca se deve proferir palavras irreparáveis, irretratáveis. E aqui eu recordo um conselho de Perón a Isabelita, prevendo que assumiria a presidência da Argentina: “Minha filha, em política fale muito sobre coisas, pouco sobre pessoas e nunca sobre você”.
Quarto: em política você nunca deve estar tão próximo que amanhã não possa ser adversário ou inimigo. E tão distante que amanhã fique em dificuldade por ter que virar amigo”.
Quinto: a grande arma de qualquer bom político é o trabalho. Eu próprio costumo dizer que eu tenho estrela. Está certo que fui muito ajudado pelos amigos e pelos acontecimentos, mas eu vivo passando Kaol na minha estrela”.
Sexto: é preciso saber a arte de escutar. Escutar dá até infarto, dá úlcera. O rei Faiçal, da Arábia Saudita, dizia que Deus deu ao homem dois ouvidos e uma só boca para ouvir o dobro e falar a metade”. (Publicadas na Folha de São Paulo aos 20-10-02.- Folclore Político. Fernando Morais).

A todos feliz e próspero 2007. Esperamos que, nossos administradores locais, encontrem os caminhos do planejamento, da honestidade, de melhores preços e qualidade para as obras, da serenidade, da justiça, da paz e do respeito a Ubatuba e seus moradores e visitantes. As “mezinhas” do Dr. Ulysses indicam algumas trilhas. Para todos, felicidades, justiça e paz sempre. Feliz Ano Novo.

Impostos

Mais uma taxa?

O povo de Ubatuba em 2007 poderá ser surpreendido em seus lares e estabelecimentos comerciais com uma correspondência nada agradável, cujo conteúdo será a cobrança de uma "Taxa de Serviço de Bombeiros", mas que segundo os termos da mesma, poderia ser chamada de "taxa dos serviços de busca e resgate e salvamento aquáticos ou terrestres e serviço de proteção e combate a incêndio e de resgate".
A justificação do Executivo para a aprovação do Projeto de Lei nº 177/06 para a instituição desta taxa, foi assinada pelo Secretário Municipal de Segurança Pública e Defesa Social, o Sr. Andrade Henrique dos Santos e será para prover recursos para aquisição de combustíveis, peças e lubrificantes consumidos pelos veículos e equipamentos utilizados na execução dos serviços de bombeiros, equipamentos, veículos e materiais permanentes necessários à execução do serviço, despesa com a aquisição de imóveis, construção, reforma e/ou ampliação de prédio para abrigar o serviço; educação e treinamento de bombeiros, despesa com contratação, fardamento e pagamento de pessoal civil, despesas com serviços de terceiros; e demais materiais de consumo necessários para o Corpo de Bombeiros e será paga pelos proprietários ou possuidores a qualquer título de imóvel, respeitada as isenções previstas em lei, devem pagar a absurda taxa.
Apesar de já sermos onerados com uma alta carga tributária, o Município em sua voracidade de arrecadar, quer que através de mais uma taxa, os cidadãos paguem por algo que deveria ser coberto pelo produto geral da arrecadação de impostos. Não demora muito, se a situação continuar como está, iremos ser cobrados também pela utilização potencial do serviço de saúde, do serviço de repressão ao crime e novamente pela da taxa de iluminação pública, e no fim, nem sentar na praça para namorar poderá mais ser feito, pois antes deverá ser recolhida uma taxa pela ocupação do solo público.
Como nos ensinou Schopenhauer "somente a História pode dar a um povo a consciência de si próprio", mas parece que esquecemos as lições do passado. Tiradentes foi decapitado por lutar contra a cobrança pela Coroa Portuguesa de 1/5 do ouro, hoje pagamos tributos que se somados ultrapassam tranqüilamente 1/3 daquilo que ganhamos e estamos quietos feitos ovelhas. Talvez seja porque os fantasmas dos algozes de nosso mártir de alguma forma ainda se perpetuam no poder.
A taxa é uma espécie de tributo vinculado a uma atividade estatal específica em relação ao contribuinte, ou seja, a um serviço público. O valor pago é a contraprestação do contribuinte ao Estado, pelo serviço que este lhe presta. A atuação estatal que constitui fato gerador da taxa há de ser relativa ao sujeito passivo desta, e não à coletividade em geral. Por isto mesmo o serviço público cuja prestação enseja a cobrança de taxa há de ser específico e divisível, posto que somente assim será possível verificar-se uma relação entre estes serviços e o obrigado ao pagamento da taxa.
Não é fácil definir o que seja um serviço público específico e divisível. Diz o Código que os serviços são específicos quando possam ser destacados em unidades autônomas de intervenção, de utilidade ou de necessidade públicas, e divisíveis quando suscetíveis de utilização, separadamente, por parte de cada um de seus usuários.
Na prática não tem sentido separar as definições de serviço público específico e divisível, não obstante estejam definidas em dispositivos separados, são indissociáveis, posto que um serviço não pode ser divisível se não for específico.
A taxa como tributo só pode ser cobrada quando o serviço é prestado a título individual, isto é, quando a contraprestação é direta, individual, também chamada uti singuli. No caso, o serviço de extinção de incêndio é prestado uti universi, ou seja, pode ser usufruído por todos indistintamente, inclusive por aqueles que eventualmente não pagarem o tributo, pois o que está em jogo é o interesse público, mas está sendo cobrado apenas de algumas pessoas por serem moradores da cidade, sem se levar em consideração que turistas ou visitantes da cidade, poderiam ser usuário do serviço.
Também deve se notar, que segundo o Código Tributário Nacional, para que a utilização possa ser considerada potencial, o uso do serviço deve ser compulsório e no caso o de extinção de incêndio não é, pois não há nada que impeça de apagarmos o fogo sozinho ou mesmo se criar uma ONG de voluntários para combate ao incêndio. Quando o serviço não é de utilização compulsória, só a sua utilização efetiva enseja a cobrança de taxa.
essa cobrança ao meu ver é flagrantemente ilegal, porque o serviço de prevenção e extinção de incêndios, resgate e salvamento, é inespecífico, pois favorece não apenas os proprietários ou possuidores de bens imóveis, mas a coletividade em geral, mesmo porque o sinistro pode atingir também os bens móveis e ameaçar vidas humanas e de semoventes. E o resgate e salvamento favorecem todos aqueles que eventualmente se encontrem em situação de risco no município, mesmo que não sejam proprietários ou possuidores de imóveis e sequer morem na cidade. E, ademais, essas atividades são indivisíveis, pois não se pode medir o quanto cada munícipe, proprietário ou não, é beneficiado com sua existência.
Bem que com a arte retórica não é muito difícil se transformar pau em pedra nem focinho de porco em tomada, mas ainda estamos confiantes que o Poder Legislativo não será conivente com mais esta ilegalidade e vai se pronunciar favoravelmente aos cidadãos de nossa querida cidade de Ubatuba.


Jairo dos Santos
Vereador

Bronca na Sabesp

Falta d'água

Como usuária, como presidente de associação de moradores do bairro, venho através destes, protestar e pedir ás autoridades, providências quanto a falta de respeito da SABESP para conosco, na Maranduba e em Ubatuba, como um todo. Tenho certeza de que todo o comércio será prejudicado nesta temporada pelo desleixo desta empresa, que só nos cobra e não nos oferece o único bem que ela vende, pagamos e ela não nos entrega, na hora mais necessária. No último recibo de pagamento a taxa mínima que era de 11,94 passou para 18,58. Há no municipio sómente um carro pipa. A quem apelaremos para ter água.
Muitos das casas de nosso bairro não têm reservatórios, e certamente terão que usar água poluída de nossos rios, vazão de todas as fossas da região. A SABESP não dever ser penalizada por nossas perdas e danos morais? Faz tempo que empresa está em greve conosco, não está na hora deste municipio dar o troco? Até quando seremos massacrados e ficamos só nas conversas? Imagino que está passando da hora de tomarmos providências mais drásticas e convido nosso povo a pensar nisto. Temos na nossa região ótimas cachoeiras e ... Cadê a SABESP? Como ficarão nossos restaurantes, hotéis, quiosques e unidade de Saúde, por mais previnidos que sejam, se não há reposição satisfatória? E o povo, o turista, como ficarão neste calor que se aproxima? Queremos um caminhão pipa somente para a região sul, pois a demanda será enorme e é a única solução possível para o momento, pois é uma situação de emergência.
Enfim, quero dizer que isto é caso de saúde pública e o município precisa urgentemente fazer a sua parte.


Maria Chagas Cancellier
Associação dos Moradoresda Maranduba - Amma

Notícias da Prefeitura

Notícias do dia 28 / 12 / 2006
  • Secretaria de Esportes conquista sexta edição dos Jogos Inter Secretarias de Ubatuba
  • Vanguarda Mix grava programas em Ubatuba
  • Santa Casa recebe doações de visitantes chineses
Leia aqui

Manchetes do dia

Quinta-feira, 28 / 12 / 2006

Folha de São Paulo:
"Governo pune overbooking e proíbe novos fretamentos"
Temendo um novo caos nos aeroportos no Réveillon, o governo federal anunciou ontem que não permitirá mais a prática de overbooking (vender mais bilhetes do que assentos disponíveis) e proibiu novos fretamentos de aviões. Mas nem o ministro Waldir Pires (Defesa) nem representantes da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), que participaram de uma reunião de emergência ontem, detalharam o alcance das medidas e, muito menos, a eficácia delas para o feriado. Para as operadoras de turismo, a decisão é inócua. (...)


O Globo:
"Caos aéreo: governo proíbe vôos fretados"
O governo proibiu ontem, por tempo indeterminado, que as empresas aéreas do país marquem novos vôos fretados. Segundo o ministro da Defesa, Waldir Pires, a medida foi adotada depois que auditoria da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) mostrou que a TAM sonegou informações sobre as fretamentos na época do Natal, o que o ampliou o caos dos aeroportos.A companhia disse que informou sobre todos os vôos. Pires afirmou que foi aprovado o 'overbooking' na TAM e prometeu punição severa. Além disso, o sistema da TAM ficou fora do ar por 33 minutos, causando filas de manhã.


O Estado de São Paulo:
"Governo ameaça empresas áreas com 'sanções graves'"
O ministro da Defesa, Waldir Pires, afirmou ontem que empresas aéreas cometeram "faltas graves", em fretamento e overbooking, e anunciou que elas sofrerão sanções. Overbooking é a venda de mais passagens do que o número de assentos no avião. As sanções serão "multas financeiras", segundo Pires. Ele não respondeu sobre a possibilidade de cassação de concessões.Participaram ontem de reunião sobre a crise representantes dos Ministérios do Turismo e da Casa Civil, do comando da Aeronáutica, da Infraero e da Anac. As empresas não foram chamadas porque, segundo Pires, era uma "reunião de governo" - elas também têm um encontro amanhã com membros do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), vinculado à Aeronáutica.Na reunião de ontem foi decidido que "nenhum novo fretamento de aviões será feito" e que "não será possível tolerar overbooking de empresa nenhuma". Não está decidido o que ocorrerá com fretamentos já contratados ou passagens em excesso já vendidas.


Correio Braziliense:
"Ação para garantir vôos chega atrasada"
O governo decidiu ontem proibir as companhias aéreas de fazer novos fretamentos de aviões para viagens neste fim de ano. Mas a determinação anunciada pelo ministro da Defesa, Waldir Pires, como forma de amenizar a confusão nos aeroportos às vésperas do reveillon, veio tarde demais. Isso porque as empresas de turismo definem os pacotes de viagem e costumam acertar a contratação dos chamados vôos charters com bastante antecedência. Por isso, a previsão é de mais transtornos no ano-novo. "O que tinha de ser fretado já foi", desabafou José Zurquim, presidente da Associação Brasileira das Operadoras de Turismo. "Essa decisão do ministro não existe." Pires confirmou que foi constatada a prática de overbooking - venda de assentos já ocupados - na TAM. "Vamos aguardar o término da auditoria", disse. "Mas adianto que haverá sanções sérias."

quarta-feira, dezembro 27, 2006

Ubatuba em foco

2007 sem música e com uma nova taxa?

Câmara de Ubatuba realiza sessão extraordinária amanhã (28), às 12 horas. Munícipes poderão ser "agraciados", por Eduardo César, com uma nova taxa em 2007

Luiz Moura
O prefeito Eduardo César (sem partido) apresentou à Câmara Municipal de Ubatuba Veto Total referente ao Autógrafo nº 122/06, do Projeto de Lei nº 139/06 do vereador Jairo dos Santos (PT), que “estabelece diretrizes, critérios e normas para emissão de ruídos urbanos e proteção do bem estar e do sossego público e dá outras providências, revoga a Lei nº 2102, de 21 de outubro de 2001 e suas alterações.”
Segundo o jornal ValeParaibano em sua edição do dia 21 de dezembro, “Clingel Frota, da secretaria de Assuntos Jurídicos, afirmou que César vetou a lei por vários motivos, entre eles o fato de o projeto desrespeitar normas federais sobre a questão de emissão de sons.” O ValeParaibano, em edição do dia 22 de dezembro divulga: “...a prefeitura irá encaminhar um novo projeto de lei à Câmara, liberando a exibição de música ao vivo nos estabelecimentos comerciais. A lei de autoria do Executivo deverá ser votada na quarta-feira, em sessão extraordinária, segundo Mourão.”
Procurado pela reportagem d’O Guaruçá, o presidente da Câmara Municipal, Dr. Ricardo Cortes (PP), informou que até as 18 horas de hoje (27), o Expediente da Casa de Leis ubatubense não havia recebido a lei de autoria do Executivo, citada pelo secretário de Assuntos Jurídicos Marcelo Mourão ao jornal ValeParaibano.
Cortes, disse ainda que a reunião extraordinária, convocada a pedido do Prefeito, que será realizada amanhã (28), às 12 horas, será para tratar do Projeto de Lei nº 177/06, do Executivo, que cria a Taxa de Serviço de Bombeiro e dá outras providências correlatas. Também estará em discussão Projeto de Decreto Legislativo sobre o processo seletivo de estagiários que deverá ocorrer na Câmara Municipal em janeiro de 2007, no recesso parlamentar.

Pensando bem...

Brasil, jamais verás...

É ter fé e rezar

Demóstenes Torres
A revista Time desta semana publicou uma matéria sobre o Brasil. A reportagem trata da responsabilidade dos pilotos do Legacy. No fundo se interessa mesmo por demonstrar o caos no sistema de aviação civil brasileiro. Alguém pode argumentar que a imprensa americana adotou a defesa dos pilotos, em ato de patriotismo estratégico ou mero exercício imperialista. Como já escrevi, prefiro entender que a exposição ao vexame de milhares de passageiros nos aeroportos seja o argumento que os enche de razão.
Um dos traços mais admiráveis do brasileiro é a boa-fé simpática. Na época da hiperinflação, no governo Sarney, as donas de casa foram às ruas fiscalizar os preços durante o Plano Funaro. Todo mundo ficou em estado de apoplexia quando o Collor confiscou os depósitos bancários, fato depois plenamente assimilado. No apagão elétrico, o governo federal, o grande responsável pela falta de investimentos em geração de energia, convocou a sociedade e a maioria acatou o racionamento até como prestação de dever cívico.
Desta vez, a sensação é de que não há o que se fazer nem alguém para reclamar. No início da crise foi apontada a necessidade de instalar um balcão do Procon nos aeroportos. Excelente idéia, mas o Procon vai reclamar para quem uma vez que a Anac está tão perdida quanto um passageiro com 12 horas de espera? Não escapou ao repórter da Time a observação do presidente Lula de que a crise estava resolvida. O jornalista asseverou que a declaração expressava o entendimento pequeno que Lula tem do problema.
Era de se esperar que o governo federal assumisse a paternidade do apagão aéreo e gerenciasse a crise com presteza institucional. Talvez em razão do fantástico índice de aprovação popular, o presidente se desvia do problema. Depois que Lula culpou a TAM pelo apagão pré-natalino os seus funcionários afinaram o discurso e agora atribuem ao crescimento do mercado brasileiro de aviação a insuficiência de controle do tráfego aéreo. É a primeira vez que ouço falar que o incremento de uma atividade produtiva é danoso ao País.
A Anac devia estar no centro do gerenciamento da crise, mas falta potestade à agência encarregada de regular a aviação civil no Brasil. O impedimento de autoridade deriva do próprio aparelhamento da instituição pelo PT. O senhor Milton Zuanazzi é mais um passageiro da situação. Além de não entender da matéria, Zuanazzi não tem autonomia das suas palavras e gestos. A atuação da Anac tem ainda um óbice de hierarquia muito grande, uma vez que regula um setor civil cujo controle é militar. Imagina o tratamento que o senhor Milton Zuanazzi não deve receber do comando da Aeronáutica considerando-se que o ministro da Defesa é o último a ficar sabendo?
É muito engraçado uma agência reguladora anunciar auditoria na TAM por overbooking depois do fato consumado. Por que não fez antes? Isso costuma ter nomes de negligência e prevaricação. No Brasil os problemas são conduzidos pelo governo ao paroxismo. Sempre foi assim e parece que temos uma incapacidade cultural de governança. A democracia estabeleceu um Estado legítimo, no entanto ele continua ineficaz. Funciona aos trancos e barrancos até o exaurimento.
Para quem gosta de recuperação da memória histórica, a editora Desiderata compilou o melhor da coluna Gip! Gip! Nheco! Nheco! que o jornalista Ivan Lessa e o cartunista Redi publicaram no Pasquim entre 1972 a 1977. Foi um tempo em que Lessa ainda se interessava pelo Brasil. Uma tirada do colunista de 1976 pode muito definir a embromação à brasileira. “Os argumentos não procedem. Ficam estáticos no mesmo lugar admirando as palavras voando em torno das questões.”
Não sou de saudosismo, mas preciso reconhecer que 30 anos atrás o repertório era muito melhor. Vai com Deus Braguinha, você que festejou a vida por quase um século e deixou uma obra monumental.
Demóstenes Torres é procurador de Justiça e senador (PFL-GO)

Manchetes do dia

Quarta-feira, 27 / 12 / 2006

Folha de São Paulo:
"TAM vendeu passagens em excesso, aponta Anac"
As primeiras informações da auditoria realizada pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) na TAM mostram que houve um erro de gestão da companhia ao operar próximo do limite de sua capacidade. Também foi constatada a prática de overbooking (venda de passagens acima do número de assentos), mas os números ainda estão sendo levantados, conforme a 'Folha' apurou. A TAM informou que só irá se pronunciar após a apresentação do relatório final da agência, que deverá ser concluído nos próximos dias. Em nota, a empresa afirmou que recebeu ontem em sua sede a equipe da Anac e que os técnicos responsáveis pela auditoria no sistema de reserva da empresa tiveram acesso total a todas as informações.


O Globo:
"Bondade com o mínimo reduz alcance de pacote"
O pacote do governo com medidas que prevêem corte de impostos para estimular investimentos e destravar o crescimento do país encolherá em R$ 4 bilhões, segundo um técnico da equipe econômica. Os incentivos em estudo, que serão anunciados no fim de janeiro inicialmente somavam R$ 12 bilhões, não deverão passar de R$ 8 bilhões. A redução no alcance do pacote é reflexo, principalmente, do reajuste do salário mínimo e da correção da tabela do Imposto de Renda acima do esperado. O mínimo subirá para R$ 380 e o IR será corrigido em 4,5%. Entre os setores prejudicados estão empresas exportadoras. "O que estávamos imaginando desonerar sofreu um corte, é claro. Ficou menor (o pacote)", admitiu o técnico. Ele acrescentou que foram preservados incentivos para a construção de novas unidades por empresas.


O Estado de São Paulo:
"Governo quadruplica gastos, mas não melhora as estradas"
O investimento de R$ 4,9 bilhões feito pelo governo federal na manutenção das rodovias federais, desde 2003, não foi suficiente para garantir aos motoristas boas condições de tráfego - 69% dos trechos estão em condição ruim ou regular. Decisões do Tribunal de Contas da União (TCU) indicam que o governo gasta muito e mal quando o assunto são as rodovias federais, as chamadas BRs. Os problemas apontados pelo TCU são muitos: falta de planejamento para as obras, contratos superfaturados, fiscalização deficiente e desvios que ficam sem punição. Além disso, não há prioridades definidas para os investimentos. Na gestão Lula, os recursos empregados na manutenção da malha saltaram de R$ 471,9 milhões (em 2003) para quase R$ 2 bilhões (em 2006). A operação tapa-buracos, anunciada em janeiro ao preço de R$ 500 milhões, foi considerada um desperdício de dinheiro pelo TCU: teve custos superestimados e usou material de má qualidade. * Número - 71 mil quilômetros é a extensão total das rodovias federais - 54 mil quilômetros estão pavimentados.


Correio Braziliense:
"Brasil vai deixar de ser um país tropical"
Aquela música de Jorge BenJor que todo mundo sabe de cor corre o risco de perder o sentido. Estudo inédito mostra que os efeitos do aquecimento global devem afetar em cheio país nos próximos anos, com a temperatura se elevando em média 8º C. Caso se confirmem as previsões, o clima, hoje tropical e úmido, passará a quente e seco. Temporais podem abalar o Centro-Oeste e o Sudeste.

terça-feira, dezembro 26, 2006

Pensata

Brasileiro precisa de proselitismo ideológico, não de aula de matemática

Em agosto do ano passado, o Conselho Nacional de Educação deu um ano para as escolas de segundo grau de todo o país passarem a ministrar aulas de filosofia e sociologia. Um ano. Reparem que o prazo expira no início do segundo semestre para um curso cujo planejamento é anual. É a dificuldade funcional da decisão dos gênios, onde brilha a inteligência de Marilena Chaui, aquela que acredita que o céu se ilumina quando Lula fala – embora ela já tenha mais de 60 e seja de esquerda...O segundo grau no Brasil é um lixo. Tanto o público como o privado, com raras exceções nos dois casos. Professores que ganham salários miseráveis, em estruturas fossilizadas, sem chance de ascender profissionalmente, falam a alunos oprimidos ou pela miséria ou pela banalidade. Não é preciso fazer grande esforço para perceber a alfabetização precária mesmo das elites. O brasileiro comum se embasbaca em operações aritméticas simples. A quase totalidade dos universitários é incapaz de se expressar com correção.Antes que nossos futuros marxistas recitassem a luta de classes, seria conveniente que aprendessem um pouco de matemática e língua portuguesa. O mais notável na decisão é que inexiste mão-de-obra para tanto. Ora, far-se-á como sempre: improvisa-se algum “humanista” na tarefa de desvendar as sombras da caverna de Platão.A medida tem caráter ideológico. Dia desses, vi o material didático de história de uma renomada escola particular de São Paulo. É lixo submarxista. Os alunos são treinados para ver a história do país como uma seqüência de golpes das elites contra os interesses populares. No que diz respeito à história contemporânea, o imperialismo – americano, é claro – é culpado pelas mazelas do mundo.Mesmo quando se sabe que há um conteúdo relativamente objetivo a ser ensinado, cobrado em vestibular, a coisa é assim. Imaginem como será quando o “sociólogo” e o “filósofo” estiverem obrigados apenas a “refletir” com os alunos. O único objetivo da medida é estimular o proselitismo e a patrulha. O capitalismo já faz pouco sucesso no Brasil, como vimos na campanha eleitoral. Os bananões preferem o Estado ineficiente a estatais privatizadas que funcionem. Precisamos convencer os nativos de que o mundo tem de ser justo, não eficiente. A boa notícia é que, nas escolas públicas, essa bobagem não vai dar em nada. Ainda que por maus motivos. Mas, nas escolas particulares, pode ser que a medida seja posta em prática. Que bom! O Brasil já tem muitos banqueiros. Precisamos de mais cineastas com bons sentimentos, não é mesmo? (Reinaldo Azevedo)

Tempo de definições



Caribé: "Quero ser Prefeito"

Foi publicada no jornal Agito uma entrevista onde o prefeito Eduardo Cesar afirmou estar conversando com setores do PSDB. Há um evidente propósito do chefe do Executivo, que se encontra sem partido, em integrar a agremiação tucana. Por outro lado, alguns setores tucano-ubatubenses não escondem a vontade de trabalhar na atual administração. Faz parte do jogo político, é legitimo, mas há outros interesses na arena. Sabendo disso, o Ubatuba Víbora procurou Sérgio Caribé, que ao lado de Pedro Tuzino desponta como pré-candidato ao cargo de prefeito pelo PSDB. Caribé fez uma afirmativa categórica quando perguntei sobre suas pretensões:
- Aconteça o que acontecer, já não sou pré candidato. Já me sinto candidato, embora pela legislação ainda seja cedo para afirmar isso. Acabou o tempo das hipóteses, a realidade é essa. Desde que concorri à vereança - tendo a maior votação de Ubatuba - venho estudando os problemas da cidade, conversando com lideranças comunitárias e traçando metas. A sociedade está cobrando um posicionamento de minha parte, eu não poderia me furtar em atendê-la. Quero assumir o governo com um plano de trabalho bem traçado e definido. Vou governar seguindo esse plano e colocar Ubatuba no patamar que ela merece e do qual foi deslocada por incompetência e falta de empenho.
Ao ouvir isso perguntei como ele via as conversas do prefeito com o PSDB. Caribé respondeu que conversar faz parte das atribuições e dos deveres dos políticos, mas voltou a ressaltar, como que querendo fixar bem o que estava dizendo:
- Pode escrever aí. Certamente estarei concorrendo para ganhar a eleição. Aproveitando a oportunidade desejo um "Feliz Ano Novo" aos ubatubenses, que tanto carinho têm manifestado em relação à minha candidatura. (Sidney Borges)

Manchetes do dia

Terça-feira, 26 / 12 / 2006

Folha de São Paulo:
"Anac promete fiscalizar venda de passagens aéreas"
Temendo que o caos que tomou conta dos aeroportos de todo o país se repita às vésperas do Ano Novo, a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) inicia hoje uma fiscalização no sistema de reserva de todas as companhias aéreas. O principal alvo são os bilhetes marcados para viagens para o feriado. As equipes técnicas da agência serão deslocadas para São Paulo, onde também começa hoje uma auditoria nos sistemas operacionais da TAM. A empresa terá de explicar por que precisou de 17 aeronaves extras para transportar passageiros nos últimos três dias. A companhia aérea alegou que tinha seis aviões em manutenção, daí o desequilíbrio entre as passagens vendidas e sua efetiva capacidade operacional. Para a Anac, as contas entre o estoque de reservas e os embarques efetuados pela empresa não batem, e a TAM deverá apresentar uma justificativa para o fato de, em alguns casos, haver 25 passageiros presentes no check-in mas não embarcados em um mesmo vôo.


O Globo:
"Após o caos de Natal, agora é o reveillon que preocupa"
Passado o caos do Natal, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) promete começar hoje a auditoria na TAM e nas outras companhias aéreas, para tentar evitar confusões no feriado de Ano-Novo. Serão fiscalizados os sistemas de reservas de passagens para evitar a venda além da capacidade. Ontem, depois de cinco dias de caos, o movimento foi tranqüilo nos principais aeroportos do país. Mas ainda houve 13% de vôos com mais de uma hora de atraso, e o número de cancelamentos bateu o recorde dos últimos dias: 237, 18,73% do total. Um efeito colateral da crise apareceu: no Aeroporto Tom Jobim, cerca de 250 malas estavam abandonadas, à espera de seus donos, sem qualquer segurança.


O Estado de São Paulo:
"Reservas de empresas aéreas começam a ser investigadas"
A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) inicia hoje uma auditoria na central de reservas da TAM, em São Paulo. Técnicos da agência também passarão a monitorar, durante toda a semana, o setor de servas das demais companhias do setor para impedir a prática de overbooking, como é chamada a venda de bilhetes acima do número de assentos disponíveis. A Anac tenta evitar a repetição no ano-novo do apagão aéreo que infernizou o Natal dos brasileiros. "Nossa maior preocupação agora é montar um esquema preventivo para o próximo fim de semana", disse o presidente da agência, Milton Zuanazzi. Caso a Anac constate que as vendas de passagens para o reveillon também excederam a capacidade da frota da TAM, será sugerido à empresa o remanejamento de vôos e até a locação de mais aeronaves. A agência recebeu um vídeo feito por um passageiro de dentro de um avião da TAM ainda na pista. A companhia havia embarcado 25 pessoas a mais do que o número de assentos do avião. Na gravação, funcionários da TAM ofereciam R$ 1.500 a quem aceitasse descer da aeronave. Ontem a situação voltou ao normal nos aeroportos brasileiros, depois dos cinco dias de caos. De acordo com o balanço da Anac, até as 17 horas, 169 dos 1.265 vôos programados sofreram atrasos de mais de uma hora. Em todo o país, 237 vôos foram cancelados.


Correio Braziliense:
"As milhas do desperdício"
Quando um parlamentar, um juiz ou qualquer outro servidor embarca num avião com a passagem paga pelos cofres públicos, em troca costuma ser beneficiado com milhas pela companhia aérea. Depois, pode usar o benefício em causa própria, conseguindo desconto em tarifas e até viajando de graça. Projeto do deputado distrital Augusto Carvalho (PPS) acaba com o privilégio. Estabelece, no caso do Distrito Federal, que o bônus seja do erário local. Com isso, o DF economizará até R$ 10 milhões em despesas com viagens. Como se elegeu deputado federal, ano que vem ele vai tentar transformar a proposta em lei válida também para a União. E já fez até as contas do desperdício que teria sido evitado em âmbito federal se a medida estivesse em vigor nos últimos quatro anos: R$ 250 milhões.

segunda-feira, dezembro 25, 2006

Em Patópolis...



Teatrinho infantil

O filho:
- Papai, esses que estão na foto são caciques ou índios?
O pai:
- Nem uma coisa nem outra. São cacíndios. Tucanos. Cacíndios tucanos.
O filho:
- Eles vão sair de cima do muro?

Pano rápido, ou melhor, rapidíssimo...
(Sidney Borges)

Teste



O que você vê na foto?

a) - Três índios
b) - Dois índios e um cacique
c) - Um índio e dois caciques
d) - Três caciques
e) - Sou tucano, preciso pensar

Enviar respostas para a redação do Ubatuba Víbora. Os 22 primeiros acertadores ganharão um retrato do Tio Patinhas, o homem mais rico de Patópolis. (Sidney Borges)

A novela continua...



Deu no Agito:
(Trecho da entrevista do prefeito Eduardo Cesar)

JA -Como andam as conversas entre prefeito e PSDB? Há pessoas contrárias à sua filiação ao partido?

EC -Sim. Há interesses múltiplos no referido partido. Entendo que há muito cacique pra pouco índio. Mas faço política de entendimento e tenho mantido contato próximo com setores do partido.
 
Free counter and web stats