sábado, dezembro 03, 2005

Valha-me São Jorge! Ou São Tevez?



Livrai-nos da mala preta. São Jorge, por favor, espante a zebra!

Corintiano Esperançoso

Congresso de vereadores



Vereadores de Ubatuba participam do 1° Congresso Nacional de Vereadores em Aparecida/SP

“Política a Serviço da Solidariedade e da Paz” foi o tema do Congresso

Foi realizado em Aparecida (SP), de 22 a 25 de novembro, o 1° Congresso Nacional de Vereadores, com a participação de 400 edis, provenientes dos estados de São Paulo, Bahia, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul e Goiás.
O tema do Congresso foi “Política A Serviço Da Solidariedade E Da Paz”
O evento teve a promoção Câmara Municipal e Prefeitura de Aparecida e da Arquediocese de Aparecida. A realização foi da União dos Vereadores do Estado de São Paulo/SP, CEPAM e da Fundação Konarad Adenauer.

Carta de Aparecida

Os vereadores Jairo dos Santos - PT, presidente da Câmara Municipal de Ubatuba e Claudinho Gulli – PMDB, esteveram presentes ao evento, participando das oficinas e das discussões que antecederam a elaboração da “Carta de Aparecida”, que é o retrato das discussões e propostas apresentadas durante os três dias do evento.
As mesas de palestras discutiram temas como os desafios atuais da política, cidadania e governo no Brasil, e Poder Legislativo à luz da democracia e da doutrina social da igreja. Assuntos ligados ao funcionamento da estrutura política brasileira também estiveram em na pauta, como nas palestras “a Câmara Municipal no Brasil de hoje” e “a representação política nos municípios”.

Autoridades Presentes

Compuseram a mesa de abertura (no dia 23/11), o governador Geraldo Alckmin; o prefeito José Luiz Rodrigues (Aparecida); o Arcebispo Dom Raymundo Damasceno de Assis (Arquidiocese de Aparecida); Dom Antonio Mucciolo (presidente do Conselho da Ibrac – Rede Vida de Televisão); o presidente do Cepam, Renato Amary; o presidente da Câmara Ernaldo Cezar Marcondes (Aparecida); Sebastião Misiara (presidente da Uvesp); José Mário Brasiliense Carneiro (diretor da Oficina Municipal); deputado federal Marcelo Ortiz; deputada estadual Célia Leão; João Monteiro de Barros Filho (Diretor Presidente da Rede Vida); vereador de Ilhéus (BA) Joabis Ribeiro (presidente da União dos Vereadores do Brasil); Luís Mário Machado (presidente da Associação dos Vereadores do Rio de Janeiro).
O vereador Jairo dos Santos considerou importante o Encontro, pela troca de experiências e de informações com vereadores de municípios de vários estados, para acompanhar novas propostas e projetos.
Fonte: Gabinete do vereador Jairo dos Santos

Maricultura


Comissão que visitou a Capitania dos Portos em São Sebastião

Comissão da Maricultura de Ubatuba visita Capitania dos Portos em São Sebastião

Na última quinta-feira, dia 1, uma comissão ubatubense, formada por diversos representantes de setores relacionados à maricultura e pesca, foi recebida pelo Comandante da Capitania dos Portos de São Sebastião, Luis Fernando Pereira da Cruz. O objetivo da visita foi discutir assuntos pertinentes à atividade de maricultura no município. Foram expostos ao Comandante, problemas enfrentados por pescadores e maricultores.
O comandante prometeu estudar os casos. Na ocasião, foram explanadas também, as condições atuais em que o Projeto Local de Desenvolvimento da Maricultura (PLDM), que vem sendo coordenado pela bióloga Daniela Kuntz nos municípios do Litoral Norte de São Paulo. A Secretária de Agricultura e Pesca, Valéria Cress Gelli, afirma que as ações estão sendo desenvolvidas de forma compartilhada, de acordo com o Programa de Manejo Sustentado da Pesca, Agricultura e Maricultura do Município. “Acredito que, a partir de hoje, nós poderemos contar com a importante parceria da Marinha do Brasil, através da Capitania do Portos de São Sebastião para ajudar a promover a regulamentação da atividade, que é uma solicitação antiga deste setor,” afirmou a secretária municipal.
A comissão ubatubense que visitou a Capitania dos Portos foi composta por representantes da Secretaria Municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento (Smapa), Secretaria Especial de Aquicultura e Pesca (Seap) , Ministério da Agricultura e Abastecimento (Mapa), Associação dos Maricultores do Estado de São Paulo (Amesp), Associação Pescadores da Enseada (APE) e Projeto PLDM/ FUNDEPAG/IP/APTA. PMU

Cursos técnicos

Vestibulinho para cursos técnicos acontece neste domingo

Escola oferece 180 vagas para quatro cursos técnicos

A Escola Municipal Tancredo de Almeida Neves realiza neste domingo, 4, o vestibulinho para os cursos técnicos de Administração, Contabilidade, Secretariado e Turismo. São 45 vagas para cada curso, que tem duração de dois anos. “Recebemos mais de 400 inscrições, sendo que o curso mais procurado foi Administração”, informa Rose Barbosa Marangoni, diretora da escola.
Os estudantes devem levar lápis nº 2, borracha, caneta preta ou azul, documento de identidade original e comprovante de inscrição. É recomendável levar água. Os estudantes não devem levar celular, pager, calculadora, nem utilizar boné ou chapéu durante a prova, sob o risco de serem eliminados do processo seletivo.
Os portões serão abertos, no domingo, para entrada dos alunos às 8 horas, permanecendo abertos até 8h30. As provas começam às 9h. A Escola Tancredo Neves fica na Av. Rio Grande do Sul, 600, centro. PMU

A barbárie bate à porta

O homem faz o que sabe fazer e ponto final. Ontem o ex-deputado José Dirceu, falando para fiéis do PT, conclamou o povo a ir para as ruas e impedir que a direita faça com Lula o que fez com Getúlio, Juscelino e Jango. O sonho de poder de Dirceu não acabou. A vontade de interferir na história continua viva, inclusive mudando um pouco os acontecimentos. Dialética "smart". A direita se posicionou contra Getúlio porque queria ver o país escancarado ao capital estrangeiro, aceitando imposições dos Estados Unidos. A direita acreditava que ao Brasil estava reservado o papel de fornecedor de matérias-primas e produtos agrícolas. A direita era visceralmente contra o florescimento da industria tupiniquim. Parte do que a direita propunha aconteceu após o golpe de 1964, digo parte porque felizmente nem todos os militares eram entreguistas. Hoje me pergunto. Por que a direita iria contra um governo que faz o que ela quer? Se Lula tivesse apenas passeado de aerolula, falado de futebol e feito os discursos profundos de sempre, seria reeleito no primeiro turno, sem chance para ninguém. A derrocada do PT foi obra exclusiva do próprio PT, que se lambuzou de melado. Espero sinceramente que o PT de Lula, digo de Palocci, não seja sucedido pelo PSDB de Malan e FHC. Nesse caso é melhor que Lula fique. Pelo menos é engraçado. O modelo adotado pelos irmãos PSDB/PT vai nos levar para a barbárie. Já temos ônibus sendo queimados com passageiros dentro. O que está faltando?

Sidney Borges

sexta-feira, dezembro 02, 2005

"Quilombos do Brasil"



Na foto superior o Ato Ecumênico de abertura.
Embaixo, participantes observam os trabalhos

“Quilombos do Brasil” começa com reconhecimento da Caçandoca pelo Incra

Encontro reúne cerca de 450 pessoas no Quilombo da Caçandoca e abordará o reconhecimento, a regularização e a titulação dos quilombos no país

Com a presença de diversas autoridades federais, estaduais e municipais, foi aberto na manhã desta sexta-feira, 2, o encontro “Quilombos do Brasil”, na comunidade quilombola da Caçandoca, região sul de Ubatuba. Apesar da forte chuva que caiu na região durante toda a manhã, os representantes de quase 70 quilombos do Estado de São Paulo prestigiaram o encontro que foi aberto com um ato ecumênico presidido por um padre, uma representante de uma tenda umbandista e um líder comunitário. O prefeito de Ubatuba, Eduardo César deu as boas vindas aos participantes e falou da alegria e do orgulho em ter o município como sede de tão importante evento. “É um honra também para Ubatuba ter, em nossas terras, dois quilombos. A nossa expectativa é que ao longo destes três dias de discussão, consigamos chegar a definições que se traduzam em ações visando uma melhor qualidade de vida para este povo que tanto já sofreu e principalmente caminhos que levem esta comunidade a um desenvolvimento sustentável”, afirmou Eduardo César. Após a abertura feita pelo prefeito, o presidente do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), Rolf Hackbart, entregou a portaria assinada pelo Instituto na quinta-feira, 1 de dezembro, de reconhecimento do Quilombo da Caçandoca. “É uma forma concreta do estado brasileiro pagar esta enorme dívida que tem com as comunidades quilombolas”, afirmou Hackbart, lembrando que o próximo passo agora é a titularização da área. Aguardada para a abertura do evento, a Secretária Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, ministra Matilde Ribeiro deverá participar do encontro apenas no sábado.

Objetivos do encontro

Dentre os temas abordados nesses três dias estão a organização de uma agenda política anti-racismo para as comunidades quilombolas do Estado, o desenvolvimento sustentável e tecnológico, políticas públicas e a geração de trabalho e renda. Roseli da Cruz, voluntária do Quilombo da Caçandoca acredita que o local foi escolhido por se tratar de uma área quilombola das mais problemáticas no país. “Discutiremos as problemáticas jurídicas, políticas e fundiárias dos quilombos dentro do seio do problema”, avaliou. “Quilombos do Brasil”, tem como objetivo estimular o trabalho conjunto entre o poder público e as lideranças quilombolas para a identificação das necessidades e prioridades destas com as comunidades, incentivando o desenvolvimento econômico sustentável. Irá também formalizar compromisso para a regularização fundiária dos quilombos, principalmente os que se encontram em conflitos judiciais, promovendo o levantamento de terras públicas. O encontro tem ainda como meta efetivar as competências das ações das Associações das Comunidades Quilombolas, conforme o Decreto Lei 4.887 e oficializar a comissão da Associação das Comunidades Quilombolas do Estado de São Paulo. A Prefeitura de Ubatuba está apoiando o evento. O Quilombo de Caçandoca está localizado na estrada Benedita Luiza dos Santos, 1474, Ubatuba, km 78 da Rodovia SP 55.

O Problema

Na Região Sul de Ubatuba está localizado o Quilombo de Caçandoca. Cerca de 66 famílias vivem no local. São descendentes dos antigos trabalhadores de uma fazenda de café que havia na região, e cuja ocupação da terra remete às últimas décadas do século XIX. Apesar de o Instituto de Terras de São Paulo (Itesp) ter reconhecido a área como território quilombola, no ano de 2000, os quilombos foram recentemente ameaçados de despejo pela Urbanizadora Contimental, que reinvindica a propriedade da terra.O Itesp pretende realizar projetos de desenvolvimento sustentável no local, como o cultivo de mexilhões, ecoturismo e um centro de artesanato, visando o aproveitamento do potencial, com o objetivo de gerar renda aos quilombolas.A praia da Caçandoca está localizada em um dos trechos mais valorizados no litoral norte de São Paulo, cercada de casas de veraneio e condomínios de luxo. PMU
Foto: O prefeito de Ubatuba, Eduardo César, na abertura dos trabalhos
Confira a programação do “Quilombos do Brasil”:

02/12 – sexta-feira

8 horas – Recepção e credenciamento
8h30 – Ato ecumênico
9 horas – café
10 horas - Palestra “A chegada dos africanos e a formação dos quilombos no Brasil”
11 horas - Abertura oficial

Convidados: Ministra Matilde Ribeiro (SEPPIR), Governador Geraldo Alckmin, Ubiratan de Castro (Presidente da Fundação Cultural Palmares), Hédio Silva Jr. (Secretário de Justiça), Raimundo Pires (Superintendente do INCRA/SP), FUNSA/SP, Prefeitos, Deputados Estaduais e Federais, Vereadores, representantes do Movimento Negro, Movimentos Sociais e MST.

12 horas – Almoço
14 horas – Painel “Os caminhos para o reconhecimento, a regularização e a titulação”
15 horas – Intercâmbio em grupos: “Como está minha comunidade?”
16 horas – Síntese dos trabalhos
17 horas – Atividade cultural

03/12 – Sábado

9 horas – Desenvolvimento e sustentabilidade da comunidade quilombola

11 horas – Sistematização e encaminhamentos
12 horas – Almoço
14 horas – Fortalecimento e protagonismo das associações
16 horas – Relatório da Comissão Estadual provisória e troca de experiências de outros estados
17h30 – Atividade cultural

04/12 – Domingo

8h30 – Eleição da Comissão Estadual das Comunidades Quilombolas de SP

11 horas – Apresentação da Coordenação Estadual das Comunidades de SP
11h30 – Leitura dos encaminhamentos e aprovação da Carta de Caçandoca.
Encerramento com almoço e atividade cultural
Foto: O presidente do INCRA anuncia o reconhecimento

A tragédia de Dirceu

Bruno Lima Rocha*
Finalmente, a agonia acabou. José Dirceu foi cassado na quarta-feira, através do rito do voto secreto, pelo placar de 297 votos a favor, 192 contra e 8 abstenções, daqueles que sequer tiveram posicionamento.
Meses se passaram, houve crise entre os poderes, jogo de cena e guerra secreta entre o presidente Lula e seu ex-Primeiro Ministro. A cada manobra jurídica vitoriosa, o alvo tornava-se ainda maior e mais emblemático. Ficou caro demais para Luiz Inácio se mover em sua defesa. Uma vez que o Planalto fez corpo mole, o todo poderoso dirigente ficou entregue ao seu espaço de manobras e aos seus “novos” amigos.
Caiu e foi cassado José Dirceu de Oliveira e Silva, mas a crise política continua. O novo alvo da oposição é Antônio Palocci, mas ao invés de ser atacado de forma franca, contra ele será aplicada a tática de aproximação indireta. Na gíria mais popular, o ministro que co-governa o país na companhia de Henrique Meirelles, será cozinhado em fogo brando.
O presidente agora tentará segurar Palocci, deparando-se com duas frentes de luta. Do lado de fora do governo, estão as denúncias midiáticas ao estilo do venezuelano Cisneros. Na interna do núcleo duro do governo Lula, a luta de posições à moda gramsciana promovida por Dilma Roussef. A economista mineira radicada no Rio Grande, segue a perspectiva de Dirceu, buscando aumentar a margem de manobra sem romper com a política monetarista.
Enquanto a pugna não se define, o PIB caiu e a economia está congelada. Tudo marcha conforme o previsto e de acordo com o receituário da Banca.
Voltando ao caso de Dirceu, entendemos ser este um momento ímpar da política brasileira. A espetacularização da política tendo como linguagem de referência a telenovela das CPIs muitas vezes nos leva a miopia do momento vivido. No último dia de novembro de 2005, foi cassado o mais importante dirigente da “esquerda” brasileira desde Luís Carlos Prestes. Contradições e mesquinharias abundaram no ambiente político nacional.
O homem com têmpera de aço caiu do alto do púlpito, citando o desafeto Mário Covas, aliando-se com o clã dos Sarney, rodeado por advogados e pedindo desculpas a Ricardo Fiúza. Resta saber qual o sentido de tudo isto?
Os porquês da queda, do ponto de vista factual, estão dados e são visíveis. O castelo de cartas começa a cair com as denúncias e flagrantes do operador de confiança Waldomiro Diniz, ele próprio equivalente a um Ricardo Sérgio de Oliveira petista. A partir daí, o conjunto dos militantes se deram conta da estrutura clássica de secretariado-executivo de partido bolchevique montada por Dirceu com José Genoíno, Silvinho Pereira, Marcelo Sereno e Delúbio Soares à frente.
O aparelho político do então maior partido de esquerda da América Latina servia de escora para as mega-operações financeiras com o laranja Marcos Valério triangulando com dois bancos privados e recursos e fundos de estatais como laranja.
Todo este quebra-cabeça para ainda ter de pagar o custo das alianças com o segundo escalão das oligarquias brasileiras, leia-se Mensalão. Por pouco mais de dois anos, esteve o principal operador político de braços dados com Roberto Jefferson entre outros.
Agora, porque e por meio de qual processo de recâmbio político um militante do quilate de Dirceu chega a isto é o grande questionamento. Com certeza, o giro à direita foi muito ajudado pelas frustrantes experiências com o foquismo. A opção democrática reformista se fundamenta também pela miopia política dos ’60 e ’70, onde impera a falsa contradição entre luta de massas, organização política e ação direta. Contribui também as parcelas de poder adquiridas através do voto nos anos ’80, e o bom exercício de somar a luta política com o avanço de alguns setores do movimento popular.
Mas, assim como o canto da sereia, a canoa se choca ao rochedo e afunda no final do ano de 1989. A derrota eleitoral para Collor, muito facilitada pela falta de vontade política de Lula e o então poder avassalador da Rede Globo, são um choque de possibilismo na mente de dirigentes petistas.
Dois fatores externos contribuem para tanta quebradeira. Um deles é a queda do Muro de Berlim, se bem que da experiência stalinista a geração fundadora do PT reproduz o estilo de trabalho mas não a sociedade concreta aí constituída. Na interna do partido, uma dor igual ou maior foi a derrota sandinista na Nicarágua. A dirigência da FSLN, já corrompida pela própria estrutura por ela construída, entrega na urna fraudada o poder conquistado pelas armas após mais de 20 anos de sangrenta guerra revolucionária.
A partir de 1990, a história recente ainda refresca na memória de muitos. A corrente majoritária original racha e começa a aproximação com grandes capitais nacionais. Duas derrotas eleitorais a mais e se baixa a guarda de vez. Em nome do coeficiente eleitoral abrem mão do programa de governo. Para aprofundar a crise ideológica, fruto de uma análise estrutural ao nosso ver cega e tacanha, alicerçaram o novo governo no modelo econômico anterior.
De tudo isto, um valor há que ser reconhecido. Processo coerente, estratégia conseqüente. Para governar para os bancos, compra-se parte da direita que está a venda e pronto. Não podia dar em outra coisa, o pragmatismo político pragmaticamente engole ao seu criador. Um esquema tão escancarado promovido por neófitos de Brasília tinha fazer água. E fez.
Em todos estes momentos históricos, Dirceu se encontra no miolo do centro decisório. Assume sua posição de referência, mata no peito e chama para si a responsabilidade. Portanto, é responsável direto por mais esta tragédia da esquerda latino-americana.
Como em todo processo real, os níveis político, econômico e ideológico são intrínsecos e interdependentes. Ou seja, o dirigente muda de hábitos, padrões de consumo, círculo de amizades e influências. Até terminar assim, cassado, amigo de Roseana Sarney e tendo sua casa de campo em condomínio de luxo em Vinhedo roubada. Qualquer semelhança com as dashas da nomenklatura soviética, infelizmente, não são mera coincidência.
É bem provável que José Dirceu não seja necessariamente um corrupto. É apenas um ultra-realista operador político, homem que além de sofrer derrota ideológica, cegamente distingue os processos dos fins. No meio dessa confusão, perde o objetivo estratégico. E por isso mesmo, acaba perdendo tudo.
*Bruno Lima Rocha é cientista político

(www.estrategiaeanalise.com.br / blimarocha@via-rs.net)

Já vai tarde

A lâmina, fria, desceu.

João Mellão Neto
Caiu no cesto, ensangüentada, a cabeça do cidadão José Robespierre Dirceu. Como na Revolução Francesa, terminou ali o período do terror. Como Maximilien Robespierre, Dirceu encarnava a idéia de que, por intermédio do poder, levado aos seus limites, era possível transmudar a sociedade e transformar a própria natureza humana. Robespierre, seguindo as idéias de Rousseau, entendia que os homens nasciam puros, o que os desvirtuava eram as amarras impostas pela sociedade. Sua meta, portanto, era a de implodir todas as crenças e todos os valores da sociedade para que os humanos voltassem ao seu estado natural de felicidade. Não mediu esforços para tanto. Usou e abusou do poder, voltou-se contra os seus próprios aliados, executou milhares de pessoas, rompeu com todas as convenções, até o ponto em que a própria sociedade, nauseada e aterrorizada, optou por enviar ele próprio à guilhotina.
José Dirceu, no poder, também não conhecia limites. Ele também almejava revolucionar a sociedade e para atingir os seus fins não hesitou em romper com todos os padrões éticos e com todas as regras de conduta da política democrática. Seu fim era previsível. A sociedade tem os seus freios e contrapesos. Cedo ou tarde, era esperada a sua reação.
José Dirceu julga-se um injustiçado. Alega que a sua execução política não se deu em razão do que fez, mas, sim, pelo que ele representava. Segundo ele, o seu glorioso passado de luta revolucionária, a firmeza de suas crenças, a determinação com que as defendia, tudo isso contribuiu para criar em torno de si uma aura de antipatia e arrogância. Os políticos convencionais, em sua ambivalência e flexibilidade, não toleram os ideologicamente convictos. Talvez se sintam moralmente inferiores e essa suposta condição gera, naturalmente, ressentimentos.
Será mesmo assim? Em primeiro lugar, é preciso contextualizar a 'épica biografia' que José Dirceu arvora para si. À diferença de outros mártires da ditadura, que, certos ou errados, arriscaram a sua vida pelas causas que defendiam, o heróico Dirceu pouco sofreu. Na condição de líder estudantil, foi preso em 1968, não consta que tenha sido torturado, e, já no ano seguinte, estava a salvo, em Cuba, treinando para ser guerrilheiro. Alguns anos depois, em 1975, voltou clandestinamente ao Brasil.
Em vez de aplicar o que aprendeu, optou por uma vida pacata, no interior do Paraná, onde, com nome falso, se casou, teve filhos e se dedicou destemidamente ao comércio varejista. Foi somente em 1979, resguardado pela anistia, que o nosso herói se encorajou a voltar à luta política, reassumindo o seu nome de batismo, abandonando a família e participando da formação do Partido dos Trabalhadores (PT). Este é o resumo de seu glorioso passado de luta revolucionária.
Quanto à firmeza e determinação com que ele defendia as suas convicções, ninguém há de duvidar de sua palavra.
Como um dedicado e coerente marxista, Dirceu nunca acreditou nas virtudes e excelências da 'democracia burguesa'.
A julgar pelos seus atos como ministro, o regime democrático, para ele, não era um fim em si mesmo, mas sim um transitório instrumento na luta pelo poder.
Foi sob a sua égide que o corpo do Estado foi esquartejado e sua carne, repartida entre os companheiros do partido. Já tão maltratado pelo secular nepotismo, o Estado brasileiro passou a ser flagelado pela prática do 'nepetismo', ou seja, a ocupação dos altos cargos pelos partidários do PT. O mérito foi trocado pela convicção; a competência, pela militância; o diploma de graduação, pela carteirinha de filiação.
José Dirceu se arvora em administrador eficiente. A prática não demonstra isso. Como 'gerentão' do governo - prerrogativa que lhe foi atribuída pelo presidente Lula -, ele simplesmente paralisou a máquina administrativa. Os petistas, alçados aos cargos de comando, demonstraram que de organização, na verdade, só entendiam mesmo da de passeatas. Mas o determinado José Dirceu não foi cassado porque desmantelou a administração pública. Esse foi o seu pecado menor. Ele foi banido pela esbórnia que promoveu na ordem democrática.
O Parlamento, graças à sua atuação, foi rebaixado à condição de prostíbulo. Convicções políticas foram mercadejadas em troca de michês. Se o famigerado 'mensalão' se dava, ou não, com periodicidade mensal, tanto faz. O fato é que foi indiscutivelmente comprovada a transferência de gigantescas quantias de dinheiro do PT para os partidos da base aliada. E o arquiteto e gerente deste imenso lupanar todo mundo sabe quem é.
José Dirceu tem razão num único ponto: quando afirma que foi cassado por aquilo que ele representa. O que ele representa é a quase total desmoralização, perante a opinião pública, da política como ofício, do Parlamento como instituição e da democracia como regime.
Muito tempo será necessário para juntar e recompor os cacos a que Dirceu reduziu as nossas instituições. Vá embora, José Dirceu.
Ninguém haverá de prantear no seu túmulo. Sua falta, com certeza, não faz falta.
Enviado por Roberto Mamede

Edilson Félix em ação



As fotos são do local antes da obra (acima) e depois da conclusão

Edílson Félix: “Solução pela metade não é solução!”

Moradores denunciam: Sem tratamento, “trombão do eduardo” está jorrando esgoto diretamente no rio.

O vereador Edilson Félix, através de sua assessoria, em vistoria pelo bairro do Perequê-Mirim, em setembro passado, constatou um vazamento de águas servidas, provavelmente esgoto, saindo da E.M. Maria da Cruz Oliveira.
O vazamento foi fotografado e uma matéria publicada, em 24 de setembro, visando chamar a atenção do Executivo para resolver o problema.
Edílson encaminhou indicação ao Sr. Prefeito, de n.º 1732, para que realizasse vistoria e reparos urgentes naquela unidade de ensino.


Serviço executado?

Em 17 de novembro, o vereador recebeu ofício do Gabinete do Prefeito, de nº. 838/05 – AEG, informando que o serviço solicitado naquela unidade de ensino havia sido executado.
De posse desta informação, o vereador dirigiu-se ao sertão do Perequê-Mirim, para verificar como fora solucionado o problema. Ao chegar ao local, deparou-se com a seguinte situação: a Prefeitura construiu uma caixa de concreto, para onde as águas servidas são enviadas. À medida que esta caixa vai enchendo, as águas servidas, possivelmente esgoto, são despejadas – através de um longo cano de PVC – sem nenhum tratamento, em um córrego próximo. No local, o vereador foi informado que a obra ainda não está concluída, pois faltam os cloradores, para que o esgoto não contamine as águas. Edilson reclamou: “solução pela metade não e solução!”.

Agressão ao meio ambiente

A população local já apelidou a obra de “trombão do eduardo”, uma vez que a mesma evita que o esgoto fique acumulado nas proximidades da escola, mas acaba por jogá-lo diretamente no rio, através do tubo de PVC.
Para Edílson, a obra é um primor de agressão ao meio ambiente: “Em um momento em que se discute o papel fundamental da água, com campanhas educacionais e institucionais visando a sua conservação e melhor aproveitamento, a prefeitura faz uma obra primária destas, aparando a sujeira e jogando diretamente nas águas de um córrego. É desanimador”, concluiu.
Fonte: Assessoria Edilson Félix

“UMA GRANDE VERDADE”

Corsino Aliste Mezquita - Professor*
Entender a realidade que nos cerca, vez por outra, nos abriga a recorrer aos espíritos lúdicos, hilários ou bufões da história. Nas reflexões sobre a crise política, que grassa o nosso país, lembrei-me da “HISTÓRIA DE LA VIDA DEL BUSCÓN”, de Francisco de Quevedo e Villegas (1580-1645) que li faz mais de cinqüenta anos.
Como toda obra da picaresca espanhola é divertida, hilária, debochada e zombeteira. O protagonista, “Buscón”, é gerado após uma grande orgia, dentro de uma cuba ou tonel de carvalho, apropriado para fermentar as uvas e produzir o vinho. Naquela oportunidade, estando deitado e ocioso, no pátio da adega, serviu para outras fervuras. Na veemência e ebulição do ato libidinoso começou a vibrar e rolar pelo pátio. Quando parou, no muro oposto, estava gerado o Buscón.
Como cabia ao bom pícaro, o Buscón, foi criado nos mais rigorosos rituais da picaresca. Desde criança era esperto, velhaco, astuto, bufão e de porte físico avantajado. Nunca levava desaforos para casa.
Aos oito anos de idade, saindo da escola, desentendeu-se com um colega. Este o xingou de HdP ( em português castiço FdP). O avantajado Buscón lhe deu uma surra, quebrou a cara do garoto e correu para casa. Lá chegando, ofegante e sem alento, a mãe lhe pergunta: Que aconteceu Buscón?. Nada, mamãe. O garoto xingou-me de FdP e eu quebrei a cara dele. A mãe, calejada pela vida, virou o rosto para a parede e diz em voz alta:”Fez muito bem, meu filho, mesmo que o garoto tenha dito uma grande verdade”.
Assistindo nossa crise política, na TV, lendo jornais e revistas, comentando com os amigos e refletindo em silêncio sobre essa intrincada opera bufa e o mar de lama e corrupção que a envolve, tenho vislumbrado semelhanças entra a “História de la Vida del Buscón” e nosso governo federal atual.
Na gestação do governo houve orgias, garrafas produtoras de vibrações das cubas de Cuba, tonéis de outras origens supostamente suspeitas, fervuras de Duda Mendonça, rodaram e rolaram os dólares e reais da corrupção e todos começaram a duvidar da origem genealógica do governo. Empossado mostrou que tinha assumido a cartilha do pícaro. Roberto Jefferson disse e provou o que o governo era. O que aconteceu com ele?. Quebraram a sua cara sob o aplauso de todas as mães dos buscões afirmando: Fizeram muito bem mesmo que tenha dito uma grande verdade”. Não diz uma. Disse muitas grandes verdades. Tantas que, as suas verdades, já produziram algumas baixas de buscões e deverão ocasionar outras.
Nas novelas picarescas, o pícaro, após aprontar todas as peripécias a que tinha direito, era mandado para as Índias Ocidentais. Os nossos pícaros estão sendo mandados para..... o esquecimento. Infelizmente não vão ser mandados todos os que poluem a vida política.
Enquanto continua, a desenrolar-se, a nossa novela picaresca política, o protagonista mor zomba da inteligência do povo brasileiro sem a graça, humor e sabedoria do Buscón, mas, como ele, preparando sua passagem para as Índias. Esperamos não seja de Aerolula.
* Ex-secretário da Educação de Ubatuba

Julião


O momento em que Julião assinava a ficha de filiação do PTB

De volta ao PTB

Na ultima terça-feira, dia 29, o PTB de Ubatuba reuniu-se no restaurante Prato Cheio, em frente à Prefeitura, para receber o seu mais novo filiado, Benedito Julião Matheus de Souza, o (JULIÃO), que após as eleições de 2004, voltou para o Partido atendendo ao convite do presidente do PTB de Ubatuba, Anderson José Rodrigues (TATO). Compareceram ao evento: TATO, o presidente municipal do PTB, Otoniel (Hipermercado da carne), Marcio (Eletronorte), Cabo Pedrinho, Silvinho “Só Bênçãos”, Maciel (Presidente do Bairro da Pedreira), Cleber Saraiva, Paulo Mauricio, Valério (arquiteto), Gelson (Vice Presidente do Bairro Botafogo), Dagoberto (advogado), Roberto Avilla, Elisio Russo (Radialista da Gaivota FM), Marcio Barbosa (Secretário Geral do PTB), José Correa Vigneron (“Seu” Juca ), e o homenageado da noite Julião.

Entrevista


Na ocasião, em entrevista à Imprensa, Julião afirmou: “Acredito muito no TATO e nas Propostas e idéias dele e da nova diretoria, que com certeza serão de grande importância ao desenvolvimento da nossa Ubatub., Não poderia me esquecer do Marcio da (Eletronorte) que é meu amigo a mais de 30 anos pois sempre acreditou em mim, Ubatuba agora tem novas Frentes, no que depender de mim estarei sempre Fiel ao Partido e ao Povo que acredita no meu trabalho”.

Palavra do presidente

“Julião veio para somar. A família petebista está orgulhosa. Julião é um Homem trabalhador e tem tudo a ver com o partido e com a nova diretoria que se formou".
Peço desculpas a outros membros do diretório que não foram localizados a tempo, em especial ao amigo RUYTER SANTANA (gelo Peixinho). Tentei localizá-lo, mas fui informado que estava viajando. Sei que ficara feliz como todos que estão nos apoiando. Tudo o que faremos será a favor de Ubatuba”.
Fonte: Assessoria do PTB de Ubatuba


Fundart

Fundart encerra o ano com diversos eventos

A programação de dezembro da Fundação de Arte e Cultura (Fundart) está recheada de presentes culturais de Natal para os moradores e turistas de Ubatuba. Os artesãos da Associação de Artesãos e Grupo Setorial de Artesanato realizarão exposições em três lugares diferentes, com enfeites, utensílios e objetos de decoração. Inaugura-se esse mês a nova Praça das Artes Plásticas, em frente à Câmara municipal. Fora isso, diversas apresentações acontecerão, mostrando o resultado dos trabalhos realizados durante o ano de 2005. Tem também Folia de Reis, visitando os presépios da cidade, apresentações teatrais, dança, malabares, coral, exposição de artes plásticas e muito mais. Dezembro é mês de festa. Aproveite para prestigiar os eventos culturais da nossa cidade!

De 01 a 31
Naturali Garden Center
Curadoria: Érika Onodera
R. Robilard Marigny, 709 - 2º andar - Itaguá
Exposição “Culturas do Artesanato Brasileiro”

De 01 a 11
Casarão do Porto
Exposição “Artesãos de Ubatuba”


01 QUINTA
20h - Abertura da Exposição “Artesãos de Ubatuba”
Apresentação de dança com bailarino argentino
Luis Alberto Ristagno (Diretor do Grupo de Dança Raizes)

02 - SEXTA
14h - E.M. Prefeito Silvino Teixeira Leite - Marafunda
Apresentação do Grupo ESPALHA ART da Fundart

De 03 a 23
Naturali Garden Center
Curadoria: Érika Onodera
R. Robilard Marigny, 709 - 2º andar - Itaguá
Exposição de Natal dos Artesãos da Ubatuba

03 - SÁBADO
15h - Naturali Garden Center
Abertura da Exposição de Natal dos Artesãos da Ubatuba

04 - DOMINGO
17h - Av. Iperoig - Centro
Inauguração da Nova Praça das Artes Plásticas

De 05 a 30
Os Grupos de Folia de Reis estarão visitando os presépios das capelas do município de Ubatuba

08 - QUINTA
9h e 14h - EMEI “Profª. Maria Alice da Silva - Perequê-Açu
Apresentação do Grupo ESPALHA ART da Fundart

10 - SÁBADO
10h - Casarão do Porto
Palestra “Perspectiva da Pintura”
François Guérin
16h - Confraternização do Grupo Setorial
de Artesanato da Fundart

De 13 a 20
Casarão do Porto
Exposição dos Alunos do Curso de Pintura da Fundart

13 - TERÇA
20h - Casarão do Porto
Abertura da Exposição dos Alunos
Do curso de Pintura da Fundart

14 - QUARTA
20h - Terminal Turístico Pereque-açú
FUNDART JOVEM - Banda Gang Jahga

15 - QUINTA
20h - Casarão do Porto
Apresentação Teatral: “A União da Floresta”
Texto de Adriano Correa

16 - SEXTA
20h - Casarão do Porto
Apresentação Teatral:
“Contos Retalhados O Chá de Bebê da Bela Adormecida”
Texto de Adriano Correa

17 - SÁBADO
20h - Casarão do Porto
Apresentação Teatral: “Como nossos pais”
Texto de Adriano Correa
20h - Igreja Exaltação à Santa Cruz
Concerto de Natal
Apresentação do Coral Infantil da Fundart
Oficina Coral do GAIATO
Banda Lira Padre Anchieta

18 - DOMINGO
20h - Casarão do Porto
Serestas e Seresteiros
Apresentações: Oficina Coral do GAIATO e da FUNDART
Grupo de Folia de Reis do Centro
20h30 - Praça Exaltação à Santa Cruz
Premiação do Concurso de Árvore de Natal e Apresentação da Folia de Reis do Grupo Guaruçá

19 - SEGUNDA
15h - E.E. Profª. Florentina M. Sanches - Perequê-Mirim
Apresentação do Grupo ESPALHA ART da Fundart
19h - Casarão do Porto
Lançamento dos Cds relativos às pesquisas realizadas pelo Grupo Setorial de História e Geografia da Fundart/2005
“GASTÃO MADEIRA”
“UBATUBA DE FÉLIX GUISARD”
“MARIA COMPRIDA”(Viagem a Santos)
“MEU BAIRRO TEM HISTÓRIA” (História oral)

20 - TERÇA
20h - Ginásio de Esportes Tubão
Oficina de Dança da Fundart
Espetáculo de Final de Ano “Vivendo a Bela Arte”

21 - QUARTA
20h - Casarão do Porto
Apresentação Teatral:
“Narizinho e Emília no Reino de Trapolândia”
Texto de Adriano Correa
20h - Apresentação do Coral
Canto Caiçara em Caraguatatuba

De 22 a 04 de Janeiro
Casarão do Porto
Exposição dos Alunos dos Cursos de Desenho,
Cerâmica e Tecelagem da Fundart


22 - QUINTA
20h - Casarão do Porto
Abertura da Exposição dos Alunos dos Cursos de Desenho,
Cerâmica e Tecelagem da Fundart

PRESTIGIE O ARTISTA DE UBATUBA.
Adquira e indique obras da Praça das Artes Plásticas.
DE 5ª A DOMINGO, A PARTIR DAS 15h
Praça das Artes Plásticas - Av. Iperoig - Centro
Grupo Setorial de Artes Plásticas da Fundart

PARTICIPE DAS REUNIÕES DOS GRUPOS SETORIAIS DA FUNDART.
DIA 05 Segunda - Folclore
DIA 07 - Quarta - 18h às 19h30 - História e Geografia PMU

Resistência às Drogas e à Violência


Policial Renato Vella e alunos da E. M. Prefeito Silvino Teixeira Leite

Emoção marca formatura do Proerd em Ubatuba

Com muita dança, música e alegria, o Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd) de Ubatuba entregou, durante as manhãs dos dias 29 e 30 de novembro o certificado às crianças que se formaram no segundo semestre. Foram cerca de 1.100 alunos das 4ªs séries de 21 escolas municipais e particulares. O evento aconteceu no salão da Igreja São Francisco e reuniu, além das crianças, autoridades, familiares e profissionais do corpo docente. Desde a sua criação em Ubatuba, o programa já atingiu mais de 13 mil crianças.
Sob o comando dos policiais militares Renato Vella e Beatriz, durante o primeiro e segundo semestres, todos os alunos de quarta série do município receberam, uma vez por semana, noções de cidadania, ética, auto-estima e resistência às drogas. Vella explica que essa idade é crucial para incutir tais conceitos.
"Nós trabalhamos com os alunos na fase da pré-adolescência, ou seja, nem cedo nem tarde, um ótimo momento para tocar em assuntos que influenciarão todo o futuro deles.”
O Proerd é um programa de caráter social e preventivo realizado pela Polícia Militar, com alunos de 9 a 12 anos. Ele foi criado nos Estados Unidos em 1983 e hoje é desenvolvido em 58 países. No Brasil, o Proerd existe desde 1992 e em Ubatuba, desde 1998. As ações envolvem a escola e família, oferecendo atividades educacionais em sala de aula. O objetivo é incentivar nas nossas crianças o desenvolvimento de suas potencialidades, prevenindo contra as drogas e preparando para o futuro uma geração consciente do exercício de sua cidadania. PMU

Praça de Artes


O novo espaço dos artistas da cidade fica em frente à Câmara

Ubatuba inaugura Praça de Artes Plásticas

Os artistas plásticos do Grupo setorial de Artes Plásticas da Fundart, em Ubatuba terão, a partir do próximo dia 10, sábado, um novo espaço para expor suas obras. Nesse dia, será inaugurada a Praça de Artes Plásticas, em frente à Câmara Municipal. Durante todo o dia, os artistas ficarão pintando no local e a inauguração oficial acontece a partir das 20h30, com direito a apresentação da Banda Lira Padre Anchieta. Cada artista doará uma tela para o Fundo Social de Solidariedade e acervo municipal.
O projeto foi proposto pelo coordenador do Grupo Setorial de Artes Plásticas, Paulo Alves, através de um abaixo-assinado entregue ao prefeito. O projeto virou lei através da aprovação do legislativo. O prefeito Eduardo César diz que essa conquista se deu graças ao esforço, união e organização do grupo. “Os artistas de Ubatuba têm se destacado em concursos, festivais e exposições, dentro e fora do município. Ubatuba merece esse espaço para mostrar o talento dos artistas ubatubenses”, afirma o prefeito.

Conquistas em 2005

Segundo Paulo Alves, 2005 foi um ano de intensas atividades e grandes conquistas para o grupo. Foram 55 artistas contemplados com medalhas de ouro, prata, bronze e prêmios aquisição, sem contar as dezenas de menções honrosas recebidas. “Este ano superou 2004 em prêmios e participação de eventos. Estamos conquistando o respeito da administração, que tem nos dado o apoio necessário.” Entre os principais eventos, destaca-se a participação no Mapa Cultural Paulista, no qual os artistas François Henri Louis Guérin e Osvaldo Pires de Oliveira Júnior foram classificados para a fase estadual, representando Ubatuba em 2006 na cidade de São Paulo. O III Salão de Artes Plásticas de Ubatuba foi um verdadeiro sucesso, contando com a participação de 116 artistas e 13 cidades, firmando o evento no rol dos grandes Salões do Estado de São Paulo, Vale do Paraíba e região. Nessa ocasião, 40 artistas ubatubenses foram premiados. Em 2006, o IV Salão será lançado em nível nacional, devido à grande procura de artistas de outros estados.Ubatuba participou também do IV Salão Internacional de Poços de Caldas, recebendo três menções honrosas em um concurso que reuniu artistas de 27 países. Nossos artistas conseguiram também participar de salões tradicionais, como o LV Salão de Araras de pinturas acadêmicas, XXVIII de Ilhabela e LIII Salão de Piracicaba. PMU

Escola Técnica


Domingos dos Santos e Manoel Marcos querem uma Escola Técnica

Autoridades da região buscam a implantação de uma escola técnica

Domingos dos Santos e Manoel Marcos pleiteam junto ao Governo a criação de uma ETE no Litoral Norte

O vice-prefeito de Ubatuba, Domingos dos Santos, o prefeito de Ilhabela, Manoel Marcos e a deputada estadual Ana do Carmo (PT), estiveram na última terça-feira, 29, reunidos em São Paulo com o secretário estadual de Ciência e Tecnologia, João Carlos de Souza Meirelles. Na pauta das discussões estava a criação de uma ETE (Escola Técnica Estadual) para o Litoral Norte.Segundo o vice-prefeito, a proposta da criação de uma escola desse nível no Litoral foi muito bem aceita pelo secretário. Foi proposta a criação de cursos de mecânica naútica, navegação marítima, pilotagem de embarcações, manutenção de barcos, entre outros. “Ficamos otimistas porque ele reconheceu que a região é carente de profissionais nessas áreas. A mão-de-obra da construção civil está desempregada, porque o setor está em crise. Precisamos também requalificar essas pessoas e inseri-las novamente no mercado de trabalho”, avaliou Domingos dos Santos. O vice-prefeito ainda acredita que a implantação da Base de Gás da Bacia de Mexilhão em Caraguatatuba e a ampliação do Porto de São Sebastião também reforçarão junto ao Governo do Estado a necessidade da implantação da ETE na região. PMU

Dia Internacional da Pessoa com Deficiência


Pessoas portadoras de deficiência sofrem com a discriminação

Unir realiza treinamento de acessibilidade no Dia Internacional da Pessoa com Deficiência

A Unidade de Reabilitação de Ubatuba (Unir) realizará, nesta sexta-feira, 2, uma série de atividades com seus pacientes. Cerca de 120 pessoas portadoras de deficiência assistirão a uma sessão de cinema, depois visitarão o Aquário de Ubatuba e o Projeto Tamar. Essas visitas servirão, além do entretenimento, para treinar os pacientes e testar a acessibilidade dos locais públicos que serão visitados, bem como o ônibus especial que os levará aos locais. O Dia Internacional da Pessoa com Deficiência é comemorado em todo o mundo no dia 3 de dezembro. A coordenadora da Unir, Sueli Nogueira de Souza explica que essa data tem como objetivo gerar conscientização, compromissos e ações que promovam a atividade e o direito de ir e vir de todas as pessoas portadoras de deficiência. Segundo ela, esse momento é importante para que seja assegurado o respeito e a dignidade do cidadão portador de deficiência. “Todos os anos a Unir realiza atividades de conscientização com a comunidade, como exposições, simpósios e palestras. Neste ano, a ênfase será o trabalho com os próprios deficientes, com o objetivo de dar a eles segurança e autonomia para freqüentar lugares públicos”, explica Sueli.
As pessoas portadoras de deficiência, ainda hoje, sofrem com a discriminação e falta de estrutura nos lugares públicos para atendê-los. Esses fatores costumam obstruir a sua plena participação na sociedade, influenciando diretamente na qualidade de vida. Sueli afirma que tradicionalmente, a deficiência tem sido vista como um problema e por isso, o indivíduo deficiente é que teria que se adaptar à sociedade. “O desafio da sociedade moderna é garantir a equiparação de oportunidades através do cumprimento dos direitos humanos e da formulação de políticas públicas que proporcionem à pessoa com deficiência uma participação plena e igualitária na comunidade. Precisamos eliminar a violação dos direitos civis, políticos, econômicos, sociais e culturais. Ações como essa, que envolvem diretamente a comunidade com os problemas enfrentados pelas pessoas com deficiência ajudam a diminuir o distanciamento e incentivam a participação,” reforça a coordenadora da Unir.

Um tema atual

No último dia 25, ocorreu em São José dos Campos, a I Conferência Regional dos Direitos da Pessoa com Deficiência, que teve como tema “Acessibilidade: Você também tem Compromisso”. Ubatuba foi representada por Iara Camargo, do Conselho Municipal para Assuntos da Pessoa com Deficiência, André Luiz dos Santos, presidente da Associação dos Deficientes, Silvia Costa, da Apae e Sueli Nogueira, representando a Secretaria Municipal de Saúde. O evento teve como objetivo debater avanços e retrocessos, além de constituir propostas para a acessibilidade urbanística, de transporte, de comunicação, bem como prporcionar auxílio técnico para melhor atender pessoas com deficiência.

O trabalho da Unir

O atendimento de indivíduos portadores de necessidades especiais realizado hoje na Unir não tem restrições de idade e abrange diferentes patologias e seqüelas, com tratamentos de fisioterapia, fonoaudiologia e terapia ocupacional. A Equipe da Unir realiza tratamentos para casos de amputações, seqüelas de doenças, conseqüências de acidentes, problemas congênitos, distúrbios e deficiências diversas. A Unir realiza ainda, ações preventivas através do Programa de Saúde da Criança, prestações de serviços assistenciais ao Lar Vicentino e APAE, além de participar do Conselho Municipal de Saúde e do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, além de ser referência municipal para concessão de órteses, próteses ortopédicas e meios auxiliares de locomoção (andadores, muletas, bengalas, cadeiras de rodas e banho). A nova sede da Unir fica no final da rua Cunhambebe e seu telefone é 3832 – 4111. PMU

Homenagem ao saber


Bruno Borges César Pires e o prefeito Eduardo César

Prefeito homenageia alunos que se destacaram em 2005

O prefeito Eduardo César esteve presente na cerimônia de entrega de menção honrosa aos alunos da Escola Estadual Capitão Deolindo que se destacaram em 2005, na última quarta-feira, dia 30. Os jovens se sobressaíram em diversas áreas, como esportes, música, olimpíadas de física e de matemática. Alunos que foram exemplos de comportamento e notas também foram homenageados. O prefeito entregou também um certificado ao aluno Bruno Borges César Pires, que foi o único ubatubense a participar do Concurso Nacional de Redação “Álvaro Valle”. O prefeito Eduardo disse que sente grande orgulho ao ver jovens ubatubenses se destacando em diversas áreas. Ele disse que o tempo passa depressa e que, em breve, esses mesmos jovens serão cidadãos capazes de contribuir com o município. “É preciso incentivar o talento e não permitir que ele se perca. Parabenizo pais, mestres e alunos que se destacaram em 2005. Espero que continuem se esforçando, fugindo das drogas, aprimorando os conhecimentos e se aperfeiçoando cada vez mais. O futuro é de vocês. Cuidem para que ele seja melhor a cada dia.” PMU

Luminárias


As novas luminárias são bonitas e se integram ao ambiente

Calçadão ganha novas luminárias

Visando aumentar a segurança de quem utiliza o calçadão e a ciclovia da Avenida Iperoig nas imediações do parque de diversões, a Secretaria de Obras está instalando luminárias em um trecho de aproximadamente 200 metros. Já foram colocados seis postes e os cabos, lâmpadas e cúpulas das luminárias devem ser colocados nos próximos dias. A previsão do eletricista da Prefeitura de Ubatuba, José Cristiano, é de que os trabalhos estejam concluídos até o início da próxima semana.
A Secretaria de Obras também realizou nos últimos dias a manutenção de todas as luminárias da orla da Praia do Cruzeiro e Iperoig, que estavam com a fiação danificada, globos quebrados e com ausência de lâmpadas. PMU

O Ubatuba Víbora responde:

Sobre o texto publicado ontem que faz referência à entrevista do Dr. Ricardo Cortes, tenho alguns esclarecimentos.

O Ubatuba Víbora publica “releases” da Prefeitura e da Câmara Municipal.

Para o leitor que não está familiarizado com o jargão jornalístico o dicionário Aurélio informa: Release é notícia distribuída à imprensa, ao rádio, à TV, etc., para divulgação gratuita.

Quando a notícia é proveniente da prefeitura recebe a assinatura PMU, em azul, sendo da câmara é grifada ASCOM, também em azul.

Caso o leitor queira confirmar, os arquivos deste blog são públicos e estão à disposição, bastando acessar.

Devo deixar claro que continuarei com essa prática, que julgo ser de utilidade pública.

Não existe vínculo comercial entre este blog e a prefeitura. Afirmar que o blog trabalha como assessoria de imprensa, ainda que nas entrelinhas, é fugir da verdade, não procede.

Já que o assunto são os “releases”, vamos falar um pouco de quem os envia. Costumam ser produzidos por assessorias de imprensa (há casos em que advogados o fazem) e têm como finalidade divulgação.

A assessoria da Prefeitura mostra o que vai pelas secretarias, o que acontece no âmbito do Executivo. A da Câmara conta como são desenvolvidos os trabalhos dos vereadores.

É óbvio que o relatório de uma CPI é de interesse da cidade, foi produzido para esclarecer um acontecimento da maior gravidade e deveria ser de conhecimento geral.

Deve ser ressaltado que um documento dessa natureza não é matéria para ser garimpada por um repórter.

Quando perguntei ao advogado Marcelo Mungioli se haveria algum fato jornalístico relevante no relatório final da CPI ele afirmou que sim e que eu deveria esperar a divulgação. Tentei obter algo mais, talvez um furo, ele negou peremptoriamente, no que agiu bem.

Antes de o relatório ser apresentado aos vereadores e ao público não deveria ter o conteúdo devassado.

Não sei quem escreveu o texto que foi publicado ontem e que traz o seguinte parágrafo:

“Queremos entender que a intenção do repórter não seja a de desacreditar esta CPI...”

Que fique claro que nunca houve tal cogitação, como eu poderia tentar desacreditar o que desconhecia, já que não me foram dadas informações. Volto a insistir, eu perguntei sobre o relatório mais de uma vez. Pediram que aguardasse.

Tentar mudar a realidade não é a minha praia. Atenho-me aos fatos. Apenas a eles. Não quero cometer erros primários, como os que tenho visto. Dou um exemplo.

Em matéria publicada em jornal natimorto, alguém afirmou recentemente que a eleição da mesa da Câmara seria na última sessão de dezembro e que o senhor Edílson Félix teria chance de vitória.

A previsão “wishful thinking” mobilizou os vereadores. A eleição foi antecipada e o resultado é conhecido. "Oito a dois". Esperteza demais. Em certos casos atrapalha.

O jornal ValeParaibano publicou ontem uma matéria assinada por Salim Burihan com o texto: “O prefeito afirmou ontem a tarde que poderá mover uma ação contra Santos por ele ter incluído seu nome no relatório”.

Eu não inventei isso, está publicado. Segundo o entendimento de Eduardo César, houve intenção política de atingi-lo. É sabido que ninguém sai por aí processando as pessoas por divertimento.

De qualquer forma o relatório vai mudar. Consultei vereadores em número suficiente para afirmar que o texto atual será rejeitado.

Nada mais a acrescentar.

Sidney Borges

quinta-feira, dezembro 01, 2005

O relatório final da "CPI"

O blog Ubatuba Víbora publicou na quarta-feira, 30 de novembro, matéria intitulada “O relatório da CPI”, onde seu Editor entrevista o vereador Ricardo Cortes, presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI, instituída pela Câmara Municipal de Ubatuba, através do Decreto Legislativo nº 02/05, para apurar os prováveis desvios de verbas públicas através da folha de pagamento da Prefeitura,
O editor do blog, no lide da matéria, afirma que relatório era de conhecimento da imprensa regional antes mesmo de ser apresentado aos vereadores e que o seu blog não teve acesso ao mesmo para divulgá-lo. Bem, os órgãos de comunicação que não trabalham como assessoria de imprensa da Prefeitura, costumam ter repórteres. E repórteres investigam, vão atrás das notícias e não esperam que as mesmas cheguem por e-mail. A imprensa tem por obrigação, apurar as notícias, ouvir ambas as partes e não divulgar, de forma irresponsável, o que pensa ou seu posicionamento pessoal, em favor da manutenção deste conservadorismo retrógrado de nosso município, o que infelizmente vemos acontecer em alguns órgãos de comunicação local.
Queremos entender que a intenção do repórter não seja a de desacreditar esta CPI e visando pontuar o depoimento do nobre vereador Ricardo Cortes, temos a obrigação de esclarecer ao público nossos posicionamentos:.


ACESSO AOS DOCUMENTOS

Em primeiro lugar, o vereador Ricardo Cortes, realmente não teve acesso ao documento, mas não porque este lhe foi negado, mas sim porque não houve interesse do mesmo em acompanhar a finalização dos trabalhos; e quando o mesmo diz que não concorda e que é um relatório equivocado, fica a pergunta:
Qual é a função do presidente da CPI?

OBJETIVO

Quando o nobre vereador Ricardo afirma que o documento foge ao propósito investigativo e que parece que tem um único objetivo que é atingir o Executivo, começam os nossos questionamentos:. O que seria “o Executivo” na fala do vereador Ricardo?, Seria o Senhor Prefeito?, seriam os agentes políticos nomeados pelo Chefe do Executivo para gerir e administrar a coisa pública municipal? Seria a Instituição Prefeitura? Seria o ex-Prefeito?
Entendem os demais membros desta CPI que este posicionamento é equivocado, o Poder Executivo, seja a atual gestão ou a anterior, juntamente com os agentes públicos escolhidos pelo Chefe do Executivo, não podem se furtar, nem elidir-se da responsabilidade de zelar pelo dinheiro do povo.
Povo este que sacrifica-se o ano todo para pagar os altos impostos cobrados e que tem como retorno um serviço de péssima qualidade, que não merece ver o dinheiro oriundo de seus impostos ser desviados de forma vergonhosa.
No entendimento deste vereador, devem os mesmos ser apontados também como responsáveis, mas de forma solidária e na medida de suas responsabilidades, por falhas crassas de fiscalização e falta de cuidado com a coisa pública. Portanto esta CPI é realmente uma complementação do que a prefeitura estava fazendo, só que, subsidiariamente, responsabilizando também os agentes públicos, que são os guardiões e os responsáveis pelo gerenciamento das verbas públicas.

ALVO NÃO É POLÍTICO

Portanto o alvo é um só e não é político. Não recomenda a cassação do prefeito ou a perda de direitos políticos, como alguns querem fazer crer: o que aponta o relatório, em tese, é para a possibilidade de se ressarcir aos cofres públicos municipais, os valores que foram comprovadamente desviados, de forma subsidiária (o que não puder ser devolvido pelos principais citados subsidiariamente deve ser feito pelos demais, na medida de suas responsabilidades).

ATIVIDADES

E quando o nobre vereador Ricardo Cortes diz que devido à sua atividade profissional, não podia estar presente e que se fazia representar pela sua secretaria (?), que talvez seja a referência que o edil tenha de sua assessora parlamentar de gabinete, que não é paga com o dinheiro do mesmo, mas sim pelo Erário Público, com portaria publicada, oficialmente nomeada pela Mesa e, que isto aconteceu até que, em certo momento, segundo ele mesmo diz “foram contratados um advogado e um estagiário para assessorar a comissão”. Neste ponto, há uma informação truncada, que necessita ser esclarecida, pois o advogado que nos dá respaldo é um dos Assessores Jurídicos desta Casa de Leis, Marcelo Mungioli, que assessorou nossos trabalhos, inclusive com a anuência do nobre vereador Ricardo, O estagiário Fábio Leite,que participou dos trabalhos desta CPI também passou pelo crivo um concurso público, tendo sido contratada somente uma contadora experiente, com registro no CRC, conforme permissão legal desta CPI, para auxiliar nos reconhecimentos contábeis e bancários necessários para o término dos trabalhos.

OBRIGAÇÃO DE SABER

Também, não corresponde à realidade, a afirmação do nobre edil Ricardo que, após determinado dia, os demais membros da CPI, acharam por bem que ele não estivesse presente e que sua secretária também não deveria estar, o que fez com que ele se distanciasse dos acontecimentos. Como presidente da CPI, o nobre vereador Ricardo tem a obrigação e o direito de estar a frente de todos os trabalhos, e não o fazendo, deixou de realizar sua obrigação legal, de fiscalizar e colaborar para o bom andamento dos trabalhos da mesma.

TRABALHO ÁRDUO

Tanto o vereador Ricardo Cortes, quanto os demais vereadores e membros da CPI, tem suas vidas diariamente repletas de atividades e compromissos particulares, profissionais e políticos, portanto o trabalho de digitação de textos de arcabouço jurídico e de análise contábil ficou a cargo dos demais componentes desta CPI, sendo estes nossos assessores internos e jurídico, que trabalharam incansavelmente, abdicando de horas de lazer, sábados e domingos no interesse público, para a conclusão dos trabalhos desta Comissão.
Portanto o nobre vereador Ricardo Cortes, presidente desta CPI, tinha por obrigação, pelo menos, de cobrar a participação e acompanhamento de sua assessoria e não vir à publico questionar um trabalho realizado com muito sacrifício e empenho pelos demais membros desta CPI.

INTERESSE

Ora, quem não se lembra do comunicado lido em Plenário na 37ª Sessão Ordinária do dia 22 de novembro do corrente ano, onde o mesmo vereador Ricardo Cortes, protocola em cada gabinete, informando da conclusão dos trabalhos desta CPI, dentro do prazo estipulado regimentalmente e que o mesmo seria lido nesta Sessão do Dia 29?, Essa lembrança deixa mais uma pergunta no ar: Onde estava o interesse do mesmo em acompanhar o relatório final, sendo este o presidente da CPI?

REVISÃO

Podemos até admitir que o relatório deva ser revisto, mas o nobre vereador Ricardo Cortes, deverá fazer os apontamentos das mudanças que julgue necessárias, demonstrando com argumentos convincentes, com embasamento técnico, das falhas deste relatório.
E nós temos convicção, que houveram sim, em tese, falhas graves de fiscalização e de controle de vários agentes públicos, entre eles o atual Prefeito e o seu antecessor, sendo importante fazer constar que o fato(o desvio de verbas públicas) só veio à tona, por que pessoas que não estavam na atual administração, descobriram por uma situação diversa (na feitura de uma declaração de imposto de renda), o desvio em questão. No nosso entendimento, em tese, foram estas falhas graves de fiscalização, comando e de controle, do Poder Público, que permitiram que o principal indicado neste relatório, efetuasse esta irregularidade, sob a vista dos administradores públicos e seus subalternos.

TORCIDA

Aproveitamos para expressar que, esperamos sinceramente e torcemos para que o nobre edil Ricardo, como presidente da Câmara, a partir de janeiro, esteja pronto, não só para colaborar no sentido de tornar Ubatuba uma cidade modernamente administrada, mas também com ações transparentes, responsabilidade, livre de corrupção, democrática, com justiça social e livre de corporativismo.

Jairo dos Santos
Vereador e Relator da CPI


Edílson Felix
Vereador e Membro da CPI

Fonte: ASCOM

Expectativa



Enquanto o momento da verdade não chega, resta rezar para São Jorge espantar qualquer chance de zebra. Convém notar que a arte de cortar cabelos atravessa um bom momento em Ubatuba. Olhem bem, será que o cabelereiro do craque Tevez faria melhor?

Sidney Borges

Fim de linha

Nos grandes jornais do mundo o editor de necrológio é um cara importante. Quando morre algum notável ele assume as rédeas. Bem, pelo menos era assim, agora com os avanços da informática é fácil escarafunchar a vida dos poderosos, está tudo na Internet. Os jornais de amanhã trarão grandes matérias sobre José Dirceu. Fariam o mesmo se ele tivesse morrido. Apesar de cassado e afastado da política, Dirceu não está morto. Embora só possa voltar ao combate com setenta anos, certamente voltará. Dirceu é um ser político, não sabe fazer outra coisa, ou melhor, sabe, já foi dono de butique, mas o que faz com prazer é política. O PT existe como partido graças ao empenho dele, uma das maiores vocações burocráticas que este país conheceu. Sem a disposição de Dirceu, Lula nunca passaria de exótico sindicalista corintiano. O que vai pelas cabeças humanas é inescrutável, só o dono dos pensamentos sabe deles e o que articulam. As indicações são que Lula queria ver Dirceu fora de cena. Segundo a versão corrente, Lula acredita que a crise poderá agora arrefecer. É uma possibilidade. A outra é que as baterias antes assestadas contra Dirceu, mudem de direção e passem a mirar Lula. Possibilidade real demais para ser descartada. Sem Dirceu e sem Duda, onde será que Lula vai? Provavelmente para São Bernardo, de onde nunca mais sairá.

Sidney Borges

Quilombos


Geraldo Alckmin na comunidade quilombola da Caçandoca.

“Quilombos do Brasil” começa nesta sexta em Ubatuba

Encontro reunirá cerca de 450 pessoas no Quilombo da Caçandoca e abordará o reconhecimento, a regularização e a titulação dos quilombos no país

Neste final de semana, dias 2, 3 e 4 de dezembro, o Quilombo da Caçandoca, em Ubatuba estará sediando o encontro “Quilombos do Brasil”. Segundo a Associação dos Remanescente de Quilombos da Comunidade Caçandoca, a expectativa é que estejam presentes cerca de 450 pessoas. Só do Estado de São Paulo já estão confirmadas as presenças de 67 unidades quilombolas. A Secretária Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, ministra Matilde Ribeiro estará na abertura do evento e é aguardada a confirmação da presença do Governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin.
Durante as festividades da 2ª Marcha Zumbi + 10 Contra o Racismo, pela Igualdade e a Vida, em Brasília, Fernando Francisco de Almeida, representando o Quilombo da Caçandoca, esteve nas comemorações e conversou com o presidente Luis Inácio Lula da Silva sobre o evento em Ubatuba e as problemáticas que a comunidade vem enfrentando. O presidente não descartou a possibilidade de sua presença no encontro em Ubatuba, dependendo apenas da verificação de compromissos em sua agenda.

Objetivos


Dentre os temas abordados nesses três dias estão a organização de uma agenda política anti-racismo para as comunidades quilombolas do Estado, o desenvolvimento sustentável e tecnológico, políticas públicas e a geração de trabalho e renda. Roseli da Cruz, voluntária do Quilombo da Caçandoca acredita que o local foi escolhido por se tratar de uma área quilombola das mais problemáticas no país. “Discutiremos as problemáticas jurídicas, políticas e fundiárias dos quilombos dentro do seio do problema”, avaliou.
“Quilombos do Brasil”, tem como objetivo estimular o trabalho conjunto entre o poder público e as lideranças quilombolas para a identificação das necessidades e prioridades destas com as comunidades, incentivando o desenvolvimento econômico sustentável. Irá também formalizar compromisso para a regularização fundiária dos quilombos, principalmente os que se encontram em conflitos judiciais, promovendo o levantamento de terras públicas. O encontro tem ainda como meta efetivar as competências das ações das Associações das Comunidades Quilombolas, conforme o Decreto Lei 4.887 e oficializar a comissão da Associação das Comunidades Quilombolas do Estado de São Paulo. A Prefeitura de Ubatuba está apoiando o evento. O Quilombo de Caçandoca está localizado na estrada Benedita Luiza dos Santos, 1474, Ubatuba, km 78 da Rodovia SP 55.

O Problema


Na Região Sul de Ubatuba está localizado o Quilombo de Caçandoca. Cerca de 66 famílias vivem no local. São descendentes dos antigos trabalhadores de uma fazenda de café que havia na região, e cuja ocupação da terra remete às últimas décadas do século XIX.
Apesar de o Instituto de Terras de São Paulo (Itesp) ter reconhecido a área como território quilombola, no ano de 2000, os quilombos foram recentemente ameaçados de despejo pela Urbanizadora Contimental, que reinvindica a propriedade da terra.
O Itesp pretende realizar projetos de desenvolvimento sustentável no local, como o cultivo de mexilhões, ecoturismo e um centro de artesanato, visando o aproveitamento do potencial, com o objetivo de gerar renda aos quilombolas.
A praia da Caçandoca está localizada em um dos trechos mais valorizados no litoral norte de São Paulo, cercada de casas de veraneio e condomínios de luxo. PMU

Confira a programação do “Quilombos do Brasil”:

01/12 – quinta-feira


Chegada dos quilombos em Ubatuba

02/12 – sexta-feira


8 horas – Recepção e credenciamento
8h30 – Ato ecumênico
9 horas – café
10 horas - Palestra “A chegada dos africanos e a formação dos quilombos no Brasil”
11 horas - Abertura oficial


Convidados: Ministra Matilde Ribeiro (SEPPIR), Governador Geraldo Alckmin, Ubiratan de Castro (Presidente da Fundação Cultural Palmares), Hédio Silva Jr. (Secretário de Justiça), Raimundo Pires (Superintendente do INCRA/SP), FUNSA/SP, Prefeitos, Deputados Estaduais e Federais, Vereadores, representantes do Movimento Negro, Movimentos Sociais e MST.

12 horas – Almoço
14 horas – Painel “Os caminhos para o reconhecimento, a regularização e a titulação”
15 horas – Intercâmbio em grupos: “Como está minha comunidade?”
16 horas – Síntese dos trabalhos
17 horas – Atividade cultural

03/12 – Sábado


9 horas – Desenvolvimento e sustentabilidade da comunidade quilombola
11 horas – Sistematização e encaminhamentos
12 horas – Almoço
14 horas – Fortalecimento e protagonismo das associações
16 horas – Relatório da Comissão Estadual provisória e troca de experiências de outros estados
17h30 – Atividade cultural

04/12 – Domingo


8h30 – Eleição da Comissão Estadual das Comunidades Quilombolas de SP
11 horas – Apresentação da Coordenação Estadual das Comunidades de SP
11h30 – Leitura dos encaminhamentos e aprovação da Carta de Caçandoca. Encerramento com almoço e atividade cultural

Pregão presencial

Pregão presencial será adotado pela Prefeitura de Ubatuba

Novo sistema garantirá maior agilidade em licitações e poderá entrar em funcionamento ainda este ano

A Prefeitura de Ubatuba já está preparada para adotar o pregão presencial. Trata-se de uma nova modalidade de licitação utilizada para a aquisição de bens e de prestação de serviços comuns com qualquer valor estimado da contratação. O pregão oferece benefícios para todos os envolvidos no processo, ou seja, a sociedade tem ampla transparência, o fornecedor amplo acesso à disputa e a Prefeitura a rapidez no processo de compra, além da redução de preços, custos operacionais e tempo de duração do processo.
Oito funcionários da Secretaria de Administração já passaram por treinamentos específicos e se tornaram pregoeiros. Para a realização do pregão, a Prefeitura já dispõe de uma sala própria, com infra-estrutura necessária localizada na secretaria de Administração. A Prefeitura aguarda apenas o envio do Projeto do Executivo para a Câmara nos próximos dias para que o pregão seja validado.
O secretário de Administração, Sílvio Bonfiglioli Neto, explica que o pregão é uma sessão pública com diversas regras de funcionamento, onde existem várias vantagens, entre elas, a redução do prazo de publicidade para o recebimento da proposta que é de oito dias úteis, a inversão das fases, com a habilitação no final e apenas da licitante que ofertou o menor preço, redução do número de recursos administrativos, entre outras. “Acreditamos que o pregão também será uma oportunidade para que os comerciantes locais se interessem mais em participar das licitações municipais, tendo em vista as vantagens oferecidas”, avaliou Bonfiglioli.Para o prefeito de Ubatuba, Eduardo César, o pregão presencial vai garantir maior transparência dos atos administrativos. “Acreditamos que a total visibilidade dos atos administrativos é uma obrigação de quem está no poder”, afirmou o prefeito. PMU

“Joguinhos Escolares”

“Joguinhos Escolares” começam no dia 5

A terceira edição dos “Joguinhos Escolares” começa na próxima segunda-feira, 5 de dezembro. Devem participar da competição alunos com idade entre 7 e 10 anos, de 16 escolas de Ubatuba. A cerimônia de abertura acontece no Ginásio de Esportes Tubão, à partir das 9 horas, com o desfile das delegações. Ainda no dia 5, só que no período da tarde, acontecem as competições de atletismo, no Estádio Municipal. Os atletas terão um ônibus à disposição que sairá às 13h30, de frente do Ginásio Tubão. No dia 6 começam as competições de queimada e futebol society.Os “Joguinhos Escolares” terminam no dia 9 de dezembro e são realizados através de uma parceria entre as secretarias de Educação e Esporte e Lazer. PMU

Vôlei

Vôlei de Ubatuba tem atletas destaque na Livovali

A Liga de Vôlei do Vale do Paraíba e Litoral Norte (LIVOVALI) já definiu alguns dos atletas destaques de 2005. As equipes de Ubatuba conquistaram até o momento quatro prêmios. No infanto juvenil masculino os atletas Antônio Pinto Netto (atacante), Rennan Marcel Prado dos Santos (bloqueio) e Márcio Vieira Júnior (levantador) foram escolhidos como atletas destaques.Já no infantil feminino, Greice Kelly Graça foi escolhida como a atletas de melhor passe.Ainda faltam as definições dos atletas nas categorias mirim (masculino e feminino) e troféus eficiência, disciplina e fair play. A LIVOVALI deve apresentar a lista completa nos próximos dias. PMU

Fim de ano

Escolinhas de esporte de Ubatuba encerram atividades dia 9

As aulas das escolinhas de esporte da Secretaria de Esporte e Lazer de Ubatuba terminam no próximo dia 9 de dezembro. O encerramento das atividades será com uma grande festa, no Ginásio de Esportes Tubão, quando serão entregues certificados de conclusão a todos os alunos que participaram regularmente das aulas de basquete, futebol, natação, surfe e vôlei. A renovação das matrículas para 2006 acontece no período de 6 a 14 de fevereiro. PMU

quarta-feira, novembro 30, 2005

O relatório da "CPI"

Por Sidney Borges
Como é do conhecimento dos leitores, há alguns meses foram descobertos desvios significativos na folha de pagamento da Prefeitura. O assunto, amplamente divulgado, motivou a criação de uma “Comissão Especial de Inquérito” na Câmara Municipal, impropriamente denominada CPI. Vamos tratá-la assim, embora com as devidas aspas. Ontem seria votado o relatório final com as conclusões da comissão investigadora. Como todos os ubatubenses, eu estava curioso. Quem é o culpado? Ou quem são os cúmplices? Os leitores vivem fazendo essa pergunta. A votação acabou sendo adiada. Ao saber busquei informações na Internet. Sempre leio o Imprensa Livre, que cobre de forma competente o que vai por Ubatuba. Também não posso esquecer do ValeParaibano, igualmente eficiente. Antes mesmo de ser apresentado aos vereadores, o relatório era de conhecimento desses órgãos de Imprensa e de outros mais. Como o Ubatuba Víbora não teve o privilégio, liguei para o Dr. Ricardo Cortes, presidente da “CPI”. Ele que não assinou o relatório concordou em responder às minhas perguntas.

Ubatuba Víbora – Caro vereador, por que o senhor não assinou o relatório? O presidente da “CPI” não concorda com ele?

Ricardo CortesA resposta é um tanto longa. Primeiramente, por incrível que possa parecer, eu não tive acesso ao documento, que só conheci na sessão de ontem. Se você quer um resumo, de fato não concordo, acho que é um relatório equivocado.

Ubatuba Víbora – Onde está o equívoco?

Ricardo Cortes – O documento foge ao propósito investigativo. Parece que tem um único objetivo que é atingir o Executivo. No início acreditei que os trabalhos seriam uma complementação do que a prefeitura estava fazendo sob a competente orientação do senhor Ernesto Cardoso. A “CPI” poderia avançar mais, já que dispunha de poderes que uma sindicância interna não tem. Durante o desenrolar dos trabalhos notei que o alvo era outro. Eu estava certo, esse relatório pede veladamente a cassação do prefeito.

Ubatuba Víbora – O senhor está dizendo que não participou da elaboração do texto final?

Ricardo Cortes – É exatamente isso. Eu aceitei integrar a “CPI” porque havia necessidade de completar o quadro, o que estava difícil por falta de disponibilidade dos vereadores. Acabei nomeado presidente. No início estive presente e atuante. Devido à minha atividade profissional, sou médico cirurgião, houve momentos em que me fiz representar pela minha secretária, que tomava nota de tudo e me passava posteriormente. Isso aconteceu até que em certo momento foram contratados um advogado e um estagiário para assessorar a comissão. Desse dia em diante acharam por bem que se eu não estivesse presente a minha secretária também não deveria estar, o que fez com que eu me distanciasse dos acontecimentos.

Ubatuba Víbora – O que o senhor acha que vai acontecer agora?

Ricardo Cortes – Eu penso que o relatório deve ser revisto. Como está dificilmente será aprovado. Tenho convicção que se houve algum tipo de negligência não foi culpa do Prefeito, que desde o princípio trabalhou no sentido do esclarecimento. De minha parte quero ver os culpados punidos e as falhas do sistema corrigidas, para evitar novas ocorrências. Como presidente da Câmara, a partir de janeiro, estarei pronto para colaborar no sentido de tornar Ubatuba uma cidade modernamente administrada.

Brasília

Continuo sem entender direito os acontecimentos que cercam José Dirceu, embora para mim, alguém que simplesmente cumprimente Waldomiro Diniz já mereça desconfiança. Vou explicar melhor. Quem me fez inflexível foram as matinées. Nasci numa época em que os homens justos venciam para casar com a mocinha, que se chamava Nancy. Meus heróis eram Hopalong Cassidy, Gene Autry, Roy Rogers e os vilões, além dos índios, eram tipos que bebiam, fumavam e freqüentavam más companhias. O deputado José Dirceu, apesar do sorriso superior, é um bom moço, mas não faria parte da galeria de heróis da minha infância. Eles não tinham amigos sinistros como Delúbio Soares, que poderia fazer sucesso nos filmes de Bela Lugosi. Dirceu deveria saber que é no saloon que se conhece o caráter de um homem. Waldomiro Diniz jamais pediu leite, preferia gin e Dirceu nunca notou. Hoje, em Brasília, poderá ser assada a maior pizza de todos os tempos. Caso saia livre, amanhã Dirceu exibirá o sorriso simpático que o tornou campeão de popularidade. Na eleição de 2006 é que a coisa vai pegar. O povo dirá o que pensa de tudo isso. Dará o veredicto para Dirceu e sua troupe. De qualquer forma, saindo livre ou não, Dirceu pode tirar o cavalinho da chuva. Nunca será o piloto. Seu tempo acabou.

Sidney Borges

A FALTA QUE FAZ UM ESPAÇO

Ernesto F. Cardoso Jr
O acadêmico consagra-se na academia, o tribuno nos tribunais, o esportista nas pistas e estádios de atletismo, o escritor nas páginas de seus livros, nos jornais, nas revistas, o pintor nas telas das pinacotecas, o político nas assembléias legislativas e nos ofícios públicos, o cientista no laboratório, enfim, todo o artista, cientista, homem de letras, o pensador, bem como o atleta, o homem público e demais indivíduos talentosos, necessitam de espaços e ambientes adequados para demonstrar seus talentos, suas vocações, sua sabedoria e ciência, seus descobrimentos tecnológicos, sua maestria ou refinamento artístico, para receber das platéias, do público, da sociedade, a merecida consagração que o motiva e induz a alcançar cumes mais elevados de erudição, de qualidade artística, de performance atlética, de beleza oratória, de consistência científica e técnica. Há, pois, uma inter-relação necessária e muito proveitosa, entre o talento e seu adequado espaço de atuação e desenvolvimento.
Este intróito vem a propósito dos inúmeros talentos, aqui focados especialmente os artísticos, de que é dotada a sociedade ubatubense. São talentos musicais, teatrais, artes plásticas, dança e outros mais, para os quais faltam espaços adequados para sua exibição, seu desenvolvimento, sua apreciação pública, sua consagração.
Tomemos como exemplo a nossa talentosa Banda Sinfônica “Lira Padre Anchieta”, fundada em 1959/60 como uma banda regular e que a partir de 1997 passou a se aperfeiçoar profissionalmente, inclusive a ter maestros graduados, os dedicados jovens Valdecy dos Santos e Amarildo Da Hora. Este grupo musical vem se apresentando regularmente em “Música na Praça”, na Praça da Matriz, em concertos públicos gratuitos ao ar livre, em meio ao barulho reinante, à dispersão sonora, ao ruído do tráfego de pedestres e veículos, além de outros fatores negativos. Realiza, no entanto, um trabalho artístico notável, por todos os recantos de nosso município dentro do programa “Banda no Bairro”; entre nossas escolas no programa “Recital Pedagógico” e no projeto “Lira do Amanhã” dedicado à formação musical de crianças de Ubatuba; promove, extensamente, o ensino da música popular e erudita, despertando o gosto e o talento musical de nossos infantes e jovens, deliciando as platéias de todas as idades e matizes, propiciando o desenvolvimento de novos instrumentistas, a par de uma valiosa contribuição para o nosso lazer e dos turistas. É um trabalho de cunho educativo-cultural que conduz os jovens a um aprimoramento da personalidade e do caráter, pois, a música erudita eleva o espírito, abranda as arestas rudes do indivíduo, refina os hábitos, descortina imensos horizontes mentais, desenvolve inteligência múltipla, ensina disciplina, ordem, método, inspira harmonia a todos e a tudo em volta – é a linguagem universal por excelência. A “Lira Padre Anchieta”, vem realizando,também, um trabalho de formação de conjuntos de música de câmara, com individualidade própria, como o “Sexteto-Caiçara”, “Artigo Quinto”, “Tupinambrás”, além da “Retreta Maestro Pedrinho”. A banda sinfônica, matriz de todos esses grupos, conta com mais de 30 componentes, a maioria estudantes avançados, alguns já formados, inclusive professores instrumentistas. É altamente dotada de talento, técnica e profissionalismo e conduzida com maestria e intensa dedicação de todos os integrantes. Falta-lhes, porém, o adequado espaço, como faltam-nos outros espaços para que nossos artístas possam consagrar-se e tornar-se elementos de enriquecimento da vida de nossa sociedade e atração para os nossos visitantes, os quais, aliás, atraídos pelos ensaios da banda aos sábados à tarde, na Fundart, não poupam elogios e exprimem surpresa diante do profissionalismo desses músicos.
Ninguém ignora o quanto o Festival Musical de Inverno é importante atração turística para Campos do Jordão; as bandas musicais para o município vizinho de Taubaté; o cinema que atrai milhares aos festivais de Gramado; a arte literária que tornou Paraty centro de atração mundial; a música sinfônica que distingue cidades como Campinas e Tatuí; a música operística para Manaus e tantas outras mais, pelo mundo afora, conhecidas pelos seus festivais, por seus teatros famosos, por sua arte, como Milão, Viena, Salsburgo, Veneza, Cannes.
Pois bem, faltam-nos aqui os espaços adequados ao desenvolvimento e consagração de nossos múltiplos e variados talentos artísticos. Estes dotes Ubatuba já os possui em relativa abundância e qualidade. Sua contribuição para a caracterização da cidade como um centro artístico depende de espaços apropriados ao desenvolvimento e consagração desses talentos. Caraguá e São Sebastião já possuem teatro, um espaço apropriado a bom número de apresentações culturais. Ubatuba tem em gestação um visionário Centro de Convenções, o qual, se for reformulado como um centro multivalente, poderia perfeitamente aglutinar sua intencionada destinação ao aproveitamento do que concretamente já temos e sabemos como desenvolver e aprimorar para se tornar forte atrativo turístico. Um Centro Cultural, multifuncional, dificilmente se tornará um “elefante branco” (ou da cor que lhe derem), ao contrário, poderá ser aquele elemento artístico que alavanque o fluxo turístico em todas as fases do ano. Ademais, estaríamos maximizando os benefícios de recursos escassos, demonstração de mais uma arte – a do economista.
Por fim, uma palavra de apreciação à nossa FUNDART e ao que ela vem propiciando em educação artística e cultural, já que a ela se deve o apoio a muitas destas atividades em curso no município, a despeito dela própria não possuir, até hoje, condições físicas adequadas para o desenvolvimento e a consagração de nossa arte. Possuímos um dos mais belos exemplares de construção colonial sendo corroído pelo tempo e pelos insetos – o Casarão do Porto, obra de rara beleza arquitetônica, atrativo ímpar, porém, lamentável demonstração de nossa incúria, até aqui demonstrada, em restaurá-la à sua beleza e dar-lhe utilidade prática. Pelo que estamos sabendo, todavia, novos rumos estão sendo tomados e podemos manter a expectativa de que em breve teremos restaurada essa valiosa peça arquitetônica que poderá vir a propiciar alguns espaços tão necessários ao nosso desenvolvimento artístico e cultural. Será um feito importante para a nova Administração Municipal.
Talentos artísticos e espaços culturais atraem-se mutuamente, consagrando o artista e elevando o nível das platéias. Eis um componente importante para uma bem planejada política de turismo.
Efcardosojr@uol.com.br

Caramujos e carrapatos


Caramujos e carrapatos unidos, jamais serào vencidos...

Luiz Moura
No "Notícias da Prefeitura de Ubatuba" (25/10/2005), a administração municipal informou que iria adotar novas medidas para a limpeza de lotes. Iniciando pelo centro da cidade, notificaria os proprietários de imóveis de terrenos baldios para que procedessem a limpeza em trinta dias, sob pena de, além da multa, a prefeitura executar o serviço e lançar o valor (do serviço) para pagamento junto com o IPTU. A medida se acrescida da execução de muros e calçadas seria completa.
Já se passaram mais de trinta dias da ação noticiada sem vermos o início das medidas esperadas.
A rápida proliferação de caramujos africanos, que podem transmitir doenças, no município de Ubatuba é auxiliada pela existência de terrenos baldios. Alguns destes terrenos são usados por proprietários de cavalos, o que faz estes imóveis serem infestados de carrapatos, possibilitando assim o aparecimento da febre maculosa.
No centro da cidade, no cruzamento da rua Cunhambebe com a rua Domingos Dellamonica Barbosa, existe um imóvel nas condições acima descritas, ou seja, infestado de carrapatos e caramujos africanos, apresentando portanto, perigo para os moradores da redondeza. Cabe a prefeitura, urgentemente, fazer valer o informado em outubro.
Volto a sugerir a desapropriação destas áreas sem utilização, no centro do município, objetos exclusivos de especulação imobiliária, para que sejam transformadas em bens de uso do povo e utilizadas na recuperação da auto-estima do ubatubense, condição sine qua non para o desenvolvimento turístico no município.
Pensamento do dia: "Uma administração municipal não pode ser escorregadia como a gosma do caramujo africano e apegada ao fisiologismo como carrapatos."
 
Free counter and web stats